Página 1 dos resultados de 428 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Adaptação à Deficiência e Funcionalidade para o Trabalho - Implicações no comportamento de procura de emprego

Fernandes, Célia Maria Castanheira
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
46.59%
O presente trabalho inicia-se com a revisão e análise crítica da literatura relativa aos conceitos de deficiência e de deficiência neuromusculoesquelética adquirida; à caracterização do emprego de pessoas com deficiência, considerando a influência de factores legais e outros internos e externos à pessoa, como a visibilidade da deficiência e o suporte social; ao conceito de adaptação à deficiência e respectivos modelos explicativos, a par de outros factores condicionantes e, finalmente, aos conceitos de funcionalidade e de funcionalidade para o trabalho e respectivos meios de avaliação. É desenvolvido um primeiro conjunto de estudos empíricos visando a tradução, a adaptação e a análise das características psicométricas de instrumentos de avaliação da adaptação à deficiência e da funcionalidade para o trabalho (dimensões cuja relação com o comportamento de procura de emprego se estuda posteriormente), face à constatação da sua inexistência no plano nacional: EAD-R (Escala de Adaptação à Deficiência-Revista, Groomes & Linkowski, 2007), IAF (Inventário de Avaliação Funcional, Crewe & Athelstan, 1984) e QCP (Questionário de Competências Pessoais, Crewe & Athelstan, 1984). O processo de adaptação foi realizado de acordo com as directrizes internacionais e implicou...

Estilo parental percebido e adaptação psicológica de adolescentes adotados

Reppold, Caroline Tozzi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.58%
Nas últimas décadas, diversos autores têm indicado que a condição de ser filho adotivo implica maior risco de desadaptação psicológica. Frente a isto, esta pesquisa investigou as relações existentes entre auto-estima, depressão, estilo parental percebido e adoção. A amostra foi composta por 524 adolescentes entre 14 e 15 anos de idade (68 adotados e 456 criados pelas famílias biológicas). Os instrumentos utilizados foram um questionário demográfico, as Escalas de Responsividade e Exigência Parental, o CDI e a Escala de Auto-Estima de Rosenberg. Análises de Regressão apontaram que as variáveis que apresentaram maior efeito sobre os índices de saúde emocional foram a responsividade parental, o sexo e o tipo de filiação. Os achados indicaram que pais adotivos são significativamente mais indulgentes do que pais biológicos. Em comparação, pais biológicos foram descritos por seus filhos como mais negligentes. Os resultados demonstraram ainda que a adoção isoladamente não resulta em maior depressão entre os jovens, mas a interação da afiliação com diversos outros fatores determina diferenças nestes escores. Os achados corroboraram o efeito transcultural dos estilos parentais sobre a adaptação psicológica e confirmaram a hipótese de que as estratégias de socialização parental moderam o desenvolvimento dos adolescentes adotados.

Adaptação psicossocial em mães de crianças com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade

Bellé, Andressa Henke
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
Este trabalho apresenta dois artigos sobre a adaptação psicossocial de mães de crianças com TDAH. O primeiro corresponde a uma revisão de literatura sobre o TDAH, fundamentada no Modelo de Estresse e Adaptação Familiar. Foram identificadas limitações metodológicas (e.g. ausência de grupos controle e exame de co-morbidades). O segundo artigo investigou o estresse parental em mães de crianças com TDAH combinado (n=30), mães de crianças com TDAH e comorbidade com o Transtorno Opositor Desafiador (TOD) (n=30), e de crianças com desenvolvimento típico (n=30). Foram também investigadas possíveis correlações do estresse parental, com as estratégias de coping, apoio social e severidade do TDAH. Dentre outros fatores, os resultados indicaram que as mães das crianças com TDAH combinado e TDAH + TOD apresentaram mais estresse parental do que mães de crianças com desenvolvimento típico e que o apoio social, o coping auto-estima e médico atuaram como moderadores do estresse parental.; This paper present two articles about psychosocial adaptation’s mothers of the children with ADHD. The first is a literature review about ADHD, fundaments of the Stress and Family Adaptation Model. Were identified methodological limitations (e.g. absence of the control groups and examination of the co morbidity). The second article has investigated the parental stress in mothers of children with Attention Deficit / Hyperactivity Disorder (ADHD) (n=30)...

Concepções de educadoras sobre a adaptação de bebês à creche; Teacher’s conceptions about infants adjustment to daycare center

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.39%
Embora haja consenso entre os pesquisadores sobre a complexidade do período de adaptação à creche, existem ainda inconsistências sobre o momento mais adequado para se colocar o bebê na creche, quanto ao conceito de adaptação e como avaliar este período. Este estudo examinou como educadoras de creches públicas e particulares caracterizavam a adaptação dos bebês de 4-5 meses e 8-9 meses. Quarenta e uma educadoras responderam a um questionário aberto que examinava como era feito o processo de adaptação, sua duração, os casos de bebês que apresentavam retrocesso após estarem adaptados e os fatores que interferiam na adaptação. Análise de conteúdo revelou algumas diferenças entre as concepções de adaptação dos bebês das duas faixas etárias. Segundo as educadoras a adaptação dos bebês de 8-9 meses requer maior preparação e cuidado, sendo em alguns aspectos uma etapa mais crítica do que a do outro grupo. Houve também diferenças entre os indicadores mencionados para as duas faixas etárias.; Although there is consensus among researchers about the complexity of the period of adaptation to daycare center, inconsistencies still exist about the most adequate moment for the child’s entry into daycare center...

O ingresso e adaptação de bebês e crianças pequenas à creche : alguns aspectos críticos; The entrance and adjustment of infants and toddlers to daycare center: some critical aspects

Rapoport, Andrea; Piccinini, Cesar Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.31%
O presente artigo examina algumas questões teóricas e estudos empíricos acerca do ingresso de bebês e crianças pequenas à creche. Analisa-se, em particular, a problemática da separação precoce e as conseqüências para o desenvolvimento infantil do ingresso na creche durante o primeiro ano de vida. Discute-se, ainda, os fatores que interferem na adaptação à creche e as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos bebês e crianças pequenas para se adaptar e enfrentar às situações potencialmente estressantes no contexto da creche. Embora haja consenso sobre a complexidade do período de adaptação à creche, existem inconsistências entre os estudos sobre o período mais adequado para ingresso na creche, sendo que algumas idades são apontadas como mais críticas. De qualquer modo, a adaptação à creche depende de diversos fatores, o que não permite fazer previsões com base em um ou outro fator isoladamente.; The present article examines some theoretical aspects and empirical studies related to the entry of babies and small children into daycare center. The problems of early separation and its consequences to child development are also examined. Futhermore, it discusses the factors which interfere in adaptation to the daycare center and the infant’s coping strategies to deal with potentially stressful events. Although there is consensus about the complexity of the period of adaptation to daycare center...

Violência psicológica e assédio moral no trabalho enquanto expressões de estratégias de gestão

Amazarray, Mayte Raya
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.41%
Investigou-se a presença de assédio moral no trabalho e suas inter-relações com dimensão psicossocial, bem-estar e adaptação psicossocial positiva. As bases teóricas compreenderam: Abordagem Ecológica, Saúde Mental e Trabalho e Psicologia Positiva. No Estudo I, participaram 598 bancários, que responderam questionário biosociodemográfico e laboral, Questionário de Atos Negativos, Job Content Questionnaire, Medidas de Bem-Estar no Trabalho e Escala de Adaptação Psicossocial Positiva. Os dados foram submetidos a estatísticas descritivas, exploratórias e inferenciais. No Estudo II, realizaram-se 4 estudos de casos, e os dados submetidos à análise de conteúdo. Houve alta prevalência de assédio moral e associação com baixo controle, altas demandas, baixo apoio e alta insegurança no emprego. Os níveis de bem-estar no trabalho foram menores para as vítimas. Diferentes fontes de dados (incidência, correlações, preditores e vivências concretas de trabalhadores) indicaram transições ecológicas entre os papéis de vítima, testemunha e agressor e natureza principalmente organizacional do fenômeno.; The aim of this study was to investigate workplace bullying and its relations to psychosocial dimension, well-being and positive psychosocial adaptation. Theoretical basis comprehended: Ecological Theory...

Determinantes psicofisiológicos da resposta ao stress : aspectos do desenvolvimento e adaptação ao cancro da mama

Eusébio, Susana Filipa Gonçalves, 1983-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.31%
Tese de mestrado, Neurociências, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2013; A investigação tem sustentado que os estilos de vinculação, relativamente estáveis ao longo do desenvolvimento, parecem influenciar o modo como os indivíduos respondem a situações de stress na vida adulta. Os esquemas cognitivos de vinculação insegura, associados a emoções negativas, parecem frequentemente relacionar-se com a doença física ou mental, verificando-se nesse contexto mecanismos psicobiológicos de regulação mais primitivos que se constituem como factores de vulnerabilidade face a stressors. Varios estudos apoiam a hipótese de que o desenvolvimento de estratégias de regulação emocional menos eficazes para regular afectos negativos se relacionam com padrões de reactividade fisiológica e com estratégias de coping menos positivas, que podem prejudicar a adaptação em situação de doença e promover a sua progressão. A presente investigação, partindo de um modelo de desenvolvimento dos sistemas de auto-regulação na interacção com as experiências precoces, pretende caracterizar e relacionar a vulnerabilidade ao stress e a adaptação à doença física em função do estilo de vinculação e explorar as interacções entre dimensões psicofisiológicas...

Estados depressivos em diabetes tipo 2

Góis, Carlos José Fernandes da Conceição, 1957-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.47%
Tese de doutoramento, Medicina (Psiquiatria e Saúde Mental), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2013; A diabetes tipo 2 e a depressão são duas patologias com incidência crescente. A comorbilidade diabetes tipo 2 e depressão tem sido amplamente investigada, nomeadamente num óptica de influência recíproca e de impacto da depressão sobre a evolução da diabetes. O presente trabalho sobre estados depressivos em diabetes tipo 2 respondeu a perguntas em áreas carenciadas de estudos, nomeadamente na população portuguesa, ou contribuiu com perspetivas inovadoras com interesse clínico. Os principais objetivos foram: a) determinar a prevalência da depressão numa amostra clínica portuguesa de 997 doentes com diabetes tipo 2; b) avaliar a associação dos estados depressivos com a adaptação psicológica à diabetes, nomeadamente a restruturação cognitiva positiva em 121 doentes, maioritariamente com diabetes tipo 2; c) detetar a relação entre condições psicológicas de risco para incidência de estados depressivos e a deterioração do controlo glicémico em duas populações de doentes com diabetes tipo 2, numa de 90 doentes, e predominantemente deprimida, onde a condição de risco avaliada foi o temperamento afetivo...

Avaliação psicológica em queimados : desenvolvimento de um protocolo de triagem psicológica para pacientes internados na Unidade de Queimados do Hospital de S. José - CHLC-E.P.E.

Martins, Maria Cristina Pereira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.56%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O acompanhamento psicológico promove um confronto adaptativo dos pacientes queimados com as várias fases do processo de recuperação, favorecendo a sua recuperação física, bem-estar e a qualidade de vida. O objetivo principal deste trabalho foi o de propor e avaliar um protocolo de triagem psicológica dos pacientes internados na Unidade de Queimados do Hospital de S. José – Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE. Foram avaliados vinte e dois pacientes utilizando uma Ficha de Dados sócio-demográficos, a adaptação da “Burns Psychology Assessment Tool”, a “Hospital Anxiety and Depression Scale”, a “Impact of Event Scale” e os itens “Ânimo” e “Desconforto Emocional” da escala “Qualidade de Vida e Desconforto Emocional em Doentes Queimados”, tendo-se realizado a análise comparativa dos dados recolhidos. No que respeita à adaptação da “Burns Psychology Assessment Tool”, os resultados obtidos reforçam a utilidade da sua aplicação, em conjunto com a “Hospital Anxiety and Depression Scale” e a “Impact of Event Scale”...

A saúde e os estilos de vida dos jovens com diabetes tipo I

Andrade, Maria de Lurdes Monteiro Serrabulho
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.71%
Doutoramento em Ciências da Educação, especialidade Educação para a Saúde; As constantes mudanças sociais, ocupacionais, familiares e emocionais na vida dos jovens adultos com diabetes tipo 1 podem afetar a adesão ao tratamento da diabetes e a qualidade de vida dos jovens. Pretende-se com este estudo conhecer os comportamentos de saúde, estilos de vida, competências pessoais e sociais, suporte social, satisfação com a vida, adesão ao tratamento, representações sobre a doença e adaptação psicológica à diabetes dos jovens adultos com diabetes tipo 1, assim como as suas representações, perceções e opiniões em relação à vida e à diabetes. Foi realizado um estudo quantitativo, com aplicação de questionários a 278 jovens adultos com diabetes tipo 1 (18 - 35 anos), tendo sido organizados 7 estudos com base nesses resultados, e um estudo qualitativo, com utilização de grupos focais, em que participaram 30 jovens (18 - 34 anos). Verificou-se que, apesar das dificuldades inerentes a esta fase da vida, a maior parte dos jovens adultos com diabetes tipo 1 apresenta boas competências pessoais e sociais, bom suporte social e satisfação com a vida, representações positivas sobre a diabetes e boa adaptação psicológica à diabetes. A maior parte dos jovens não revela sintomas de ansiedade...

A comparative study on the health and well-being of adolescent immigrants in Spain and Portugal

Hernando, Angel; Nunes, Cristina; Torres, Carmen Cruz; Lemos, Ida; Valadas, Sandra Teodósio
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.63%
The terms on which the integration of new generations of immigrants into Portuguese and Spanish societies happens will have a decisive influence in the future of both countries. Therefore, promoting their health, well-being, and psychosocial adaptation is a matter of strategic interest. This paper analyses psychosocial factors associated with well-being and psychological adjustment on a sample of 108 adolescents (55 males and 53 females), children of immigrants from Huelva (Spain) and Algarve (Portugal), aged between 10 and 17 years. Adolescents were assessed for demographic characteristics and perceived well-being. We used the “KIDSCREEN-5”, a self-report questionnaire that yields detailed profile information for children aged 8 to 18 years for the following ten dimensions: Physical well-being, Psychological well-being, Moods and emotions, Self-perception, Autonomy, Parental relationships and home life, Financial resources, Social support and peers, School environment, and Social acceptance(Bullying). Overall, significant differences were found between the Spanish and Portuguese samples on physical well-being, psychological well-being, mood, financial resources and social acceptance (bullying). Boys perceived themselves as having a better physical well-being than girls. Mothers’ educational level was associated with psychological well-being and mood. Also...

Estilos parentais e adaptação psicológica de jovens integrados no programa integrado de educação e formação

Santos, Andreia Correia
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.51%
Dissertação de mest., Psicologia da Educação (Necessidades Educativas Especiais), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2011; A fuga à escolaridade mínima obrigatória é um problema com o qual a nossa sociedade se depara e que tem aumentado ao longo dos anos. A medida PIEF surge como uma resposta no combate à fuga e abandono escolar. A proximidade não só a estes jovens mas também às suas famílias permite um apoio e acompanhamento mais próximo de forma a assegurar o sucesso na passagem pelo PIEF. A análise da relação com os pais e dos seus problemas de comportamento surge como essencial no apoio e compreensão destas famílias. Esta investigação pretende analisar a percepção que os jovens têm dos estilos parentais adoptados pelos seus pais e relacionar com a existência ou não de problemas de internalização e externalização. A amostra da investigação é composta por 45 sujeitos que frequentam ou já frequentaram turmas PIEF, com idades compreendidas entre os 15 e os 17 anos, residentes no Algarve. Foram aplicados o Questionário Youth Self Report (YSR) e a Escala de Estilos de Socialización Parental en la Adolescencia (ESPA29). Os resultados mostram que existe uma relação muito significativa entre a percepção que os jovens têm sobre os estilos parentais dos seus pais e os seus próprios problemas de internalização e externalização. A afectividade surge como fundamental no desenvolvimento dos jovens estando directamente relacionada com os seus problemas de internalização e externalização. Nesta investigação foi possível confirmar a relações entre os estilos parentais e a adaptação psicológica dos jovens e...

Influência da paridade na adaptação da transição para a maternidade em grávidas infectadas pelo VIH e grávidas sem condição médica associada

Pereira, Marco; Bolseiro de Pós-Doutoramento da FCT (SFRH/BPD/44435/2008), Unidade de Intervenção Psicológica do Departamento de Medicina de Materno-Fetal dos Hospitais da Universidade de Coimbra, Instituto de Psicologia Cognitiva, Desenvolvimento Voc
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.31%
No presente estudo empírico procuramos explorar a influência da paridade na adaptação na transição para a maternidade de grávidas seropositivas para o VIH e grávidas sem condição médica de risco associada. Noventa e oito mulheres (47 grávidas seropositivas para o VIH e 51 grávidas sem patologia médica associada) foram avaliadas durante o segundo trimestre de gravidez e dois a quatro dias após o parto. O protocolo de avaliação era composto por uma ficha de dados sociodemográficos e grelhas clínicas e obstétricas, e por instrumentos de auto-resposta, destinados a avaliar a sintomatologia psicopatológica (Brief Symptom Inventory), a reactividade emocional (Emotional Assessment Scale)e a qualidade de vida (WHOQOL-Bref). Os resultados obtidos mostram que, para ambos os grupos, a multiparidade se encontra associada a maiores dificuldades de adaptação na transição para a maternidade, de forma mais acentuada entre as mulheres infectadas pelo VIH. O maior poder discriminativo, em função da paridade, registou-se nos domínios Relações sociais e Ambiente, nafaceta geral de qualidade de vida e na dimensão Ansiedade. Ao longo do tempo, a maior estabilidadeindividual registou-se entre as multíparas dos dois grupos e a menor estabilidade entre as primíparasinfectadas pelo VIH. Os resultados do nosso estudo apoiam a existência de diferentes padrões etrajectórias de adaptação das grávidas primíparas e multíparas e...

Assistência de enfermagem a idosos que realizam cateterismo cardíaco: uma proposta a partir do modelo de adaptação de Calista Roy

Freitas,Maria Célia de; Oliveira,Mirna Fontenele de
Fonte: Associação Brasileira de Enfermagem Publicador: Associação Brasileira de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
46.22%
O estudo objetivou identificar os diagnósticos de enfermagem de idosos que realizam cateterismo cardíaco, abordando os aspectos psicossociais, segundo a Teoria de Adaptação de Roy. Desenvolveu-se em hospital de pronto-atendimento em cardiologia de Fortaleza-CE, de janeiro a julho de 2005. Utilizou-se entrevista semi-estruturada, com 18 idosos de ambos os sexos, no pré-cateterismo. Na análise reconheceram-se os diagnósticos: alteração na manutenção da saúde, ansiedade, medo e alteração no processo familiar. Como intervenções propõe-se: criar um clima de confiança, antes do exame; escutar e respeitar sentimentos, crenças e valores, orientar quanto ao procedimento. A utilização desta teoria permitiu reconhecer que as pessoas, mediante estímulos, podem desencadear respostas positivas ou negativas, cabendo ao enfermeiro atuar como mediador.

Hemodiálise: estilo de vida e a adaptação do paciente

Barbosa,Genesis de Souza; Valadares,Glaucia Valente
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
OBJETIVO: Identificar como o paciente dependente de hemodiálise enfrenta no dia-a-dia o processo saúde-doença, considerando atitudes, comportamentos e práticas. MÉTODOS: Estudo de abordagem qualitativa baseado nos princípios da Teoria Fundamentada nos Dados e realizado na Associação de Doentes Renais e Transplantados do Estado do Rio de Janeiro. Participaram do estudo dez sujeitos dependentes de hemodiálise. RESULTADOS: A análise apontou para a adaptação, a negação, o ajuste social e a luta contra maus sentimentos que desvelaram a categoria (Re)Construindo um novo estilo de vida: a adaptação. CONCLUSÃO: As ações do enfermeiro devem seguir para além das necessidades físicas e biológicas atingindo os campos social e psicológico, onde estratégias para a melhoria da qualidade de vida destes indivíduos devem ser consideradas, orientadas e estimuladas.

Adaptação transcultural de instrumentos de avaliação psicológica: levantamento dos estudos realizados no Brasil de 2000 a 2010

Manzi-Oliveira,Alana Batistuta; Balarini,Fernanda Belinassi; Marques,Letícia Aparecida da Silva; Pasian,Sonia Regina
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.77%
Diante da busca de aprimoramento técnico-científico nos processos de avaliação psicológica, este trabalho apresenta um panorama das investigações científicas brasileiras acerca da adaptação de instrumentos de avaliação psicológica. Com base em levantamento bibliográfico dos estudos publicados no período de 2000 a 2010, foram selecionados 24 estudos que constituíram o corpusanalisado. A maioria dos trabalhos seguiu diretrizes internacionais e nacionais de adaptação de instrumentos, sendo que 24 estudos realizaram processo de tradução, 18 apresentaram análise de fidedignidade e 16, evidências de validade. Pôde-se depreender, dentre os estudos analisados, que há uma variedade de procedimentos empregados para a adaptação de instrumentos de avaliação psicológica no contexto brasileiro. Ainda, puderam ser observadas algumas diferenças quanto à utilização de termos referentes à taxonomia psicométrica. Nesse sentido, pretende-se oferecer elementos para reflexão de pesquisadores e profissionais no que diz respeito à adaptação de instrumentos de avaliação psicológica no Brasil.

Adaptação psicológica e estratégias de coping utilizadas pelos pais de crianças e adolescentes com doença oncológica

Correia, Maria Eduarda Fortes
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.77%
Por todas as dificuldades inerentes ao processo de tratamento da doença oncológica, e pela importância que reveste a forma como os pais se adaptam à situação de ter um filho com doença oncológica, uma situação considerada de risco da dinâmica familiar, torna-se extremamente importante procurar conhecer como é que os pais vivem e lidam com esta situação. Assim, o objetivo deste estudo foi conhecer a adaptação psicológica e identificar quais as estratégias de coping mais utilizadas pelos pais de crianças e adolescentes com doença oncológica em fase de tratamento. Realizou-se uma investigação quantitativa, de tipo descritivo-correlacional, com uma amostra de 52 pais, não probabilística acidental. O instrumento de colheita de dados consistiu num questionário organizado em três partes distintas: A primeira com questões estruturadas e semiestruturadas acerca das variáveis sociodemográficas e clínicas; a segunda correspondendo à escala de Ajustamento Mental ao Cancro de um Familiar (EAMC-F), na versão portuguesa, da autoria de Santos & Ribeiro (2003) e a terceira constituída pela escala Brief Cope, da autoria de Carver (1997), na sua versão portuguesa traduzida por Ribeiro & Rodrigues (2003). O tratamento dos dados foi realizado com recurso ao Software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS)...

Adaptação transcultural e propriedades psicométricas do COPE breve em uma amostra brasileira; Cross-cultural adaptation and psychometric properties of the brief COPE in a brazilian sample

Brasileiro, Sarah Vieira
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.47%
Evidence indicates that some strategies of coping may play an important role in the disease psychological adaptation. It is important to evaluate the different ways of how people respond to stressful situations. Questionnaires for the assessment of coping have been widely used and recommended both in clinical practice and for research. The aim of this study was therefore to adapt the Brief COPE for the Brazilian population and to evaluate the psychometric properties of this instrument in a Brazilian sample. The cross-cultural adaptation of the Brief COPE followed procedures recommended by Beaton et al. and the final version was tested on a sample of 30 patients. Two hundred and thirty-seven individuals participated in the evaluation of the psychometric properties of the adapted version (Brief COPE). The intra-observer reliability was assessed in the reapplication of the Brief COPE after four weeks by the same observer. Factor analysis was conducted to evaluate the factorial validity of the Brief COPE. The internal consistency was estimated using the Cronbach’s alpha, calculated for each sub-scale and full scale factors. Regarding the results, the test-retest rateswere mostly above 0.75, demonstrating good reliability. Cronbach’s alpha for the whole Brief Cope was 0.84; 2 out of 14 sub-scales achieved Cronbach's alpha of at least 0.70...

Predisposição psicológica de adaptação comportamental à patologia oncológica

Pereira, Fernando Oliveira
Fonte: Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis Publicador: Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.55%
A patologia oncológica é considerada uma doença grave, que acarreta elevados riscos para a saúde e para a própria vida daqueles que dela padecem, produz graus de incerteza na mente dos pacientes, quanto à recuperação da saúde normal e reabilitação funcional destes. Factores que se repercutem nas condições de funcionamento mental dos pacientes, alterando-o conforme a ação neles exercida, quer pela percepção da patologia, quer pela estrutura da personalidade/individualidade; conduzindo à construção de predisposições psicológicas específicas que, por seu turno, dirigem o comportamento de adaptação do paciente à doença. Nesta investigação foi aplicada uma variante do instrumento “Mental Adjustment to Câncer Scale”, por nós estruturada, semanticamente, com o objectivo de detectar as predisposições psicológicas predominantes no comportamento, ou atividade, de adaptação à doença, em geral, e, neste caso, em particular, à oncológica. Sendo esta adaptação comportamental, habitualmente, designada de coping, ou seja, de reações ou estratégias de coping. A metodologia consistiu na comparação das predisposições psicológicas de adaptação comportamental ao cancro pelos doentes oncológicos nas condições: real em que se percepcionam como doentes e imaginária em que se percepcionam como se não padecessem da patologia...

Predisposição psicológica de adaptação comportamental à patologia oncológica

Pereira, Fernando Oliveira
Fonte: Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis Publicador: Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa de Oliveira de Azeméis
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.55%
A patologia oncológica é considerada uma doença grave, que acarreta elevados riscos para a saúde e para a própria vida daqueles que dela padecem, produz graus de incerteza na mente dos pacientes, quanto à recuperação da saúde normal e reabilitação funcional destes. Factores que se repercutem nas condições de funcionamento mental dos pacientes, alterando-o conforme a ação neles exercida, quer pela percepção da patologia, quer pela estrutura da personalidade/individualidade; conduzindo à construção de predisposições psicológicas específicas que, por seu turno, dirigem o comportamento de adaptação do paciente à doença. Nesta investigação foi aplicada uma variante do instrumento “Mental Adjustment to Câncer Scale”, por nós estruturada, semanticamente, com o objectivo de detectar as predisposições psicológicas predominantes no comportamento, ou atividade, de adaptação à doença, em geral, e, neste caso, em particular, à oncológica. Sendo esta adaptação comportamental, habitualmente, designada de coping, ou seja, de reações ou estratégias de coping. A metodologia consistiu na comparação das predisposições psicológicas de adaptação comportamental ao cancro pelos doentes oncológicos nas condições: real em que se percepcionam como doentes e imaginária em que se percepcionam como se não padecessem da patologia...