Página 1 dos resultados de 133 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Caracteristícas do aleitamento materno no município de Joinville, SC; Characteristics of breastfeeding in the city of Joinville, SC

Nascimento, Maria Beatriz Reinert do
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.2%
O aleitamento materno é o modo mais natural e seguro de alimentação na primeira infância. O leite humano proporciona uma combinação única de nutrientes, células vivas e elementos de defesa, assim como benefícios nutricionais, imunológicos, psicológicos e econômicos reconhecidos e inquestionáveis, tanto a curto como a longo prazo. Como política global de saúde pública, a Organização Mundial da Saúde recomenda que a amamentação seja exclusiva até o sexto mês de vida. Após essa idade, alimentos complementares devem ser iniciados, e o aleitamento materno mantido beneficamente até dois anos ou mais. É essencial tomar conhecimento das condições de saúde, de assistência e de vida de uma determinada população, inclusive àquelas relativas à nutrição infantil, para tanto, o diagnóstico rápido dos índices de aleitamento materno em campanhas de vacinação constitui uma importante estratégia. O objetivo geral desse estudo foi determinar a prevalência do aleitamento materno entre os lactentes menores de um ano de idade no município de Joinville (SC). Os objetivos específicos foram: caracterizar o tipo de aleitamento entre os lactentes menores de um ano de idade, conhecer a prevalência do aleitamento materno exclusivo em lactentes de quatro e seis meses de vida...

Eficácia de uma estratégia de promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saudável direcionada a mães adolescentes e avós maternas nas taxas de aleitamento materno exclusivo e na época de introdução dos alimentos complementares

Oliveira, Luciana Dias de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.12%
Objetivo: Avaliar a eficácia de sessões de aconselhamento em alimentação infantil dirigidas a mães adolescentes e avós maternas nas taxas de aleitamento materno exclusivo e na época de introdução dos alimentos complementares ao longo dos primeiros seis meses de vida das crianças. Método: Foi conduzido um ensaio clínico randomizado envolvendo 323 mães adolescentes, seus recém-nascidos e as avós maternas das crianças, alocadas para quatro grupos distintos, segundo a coabitação ou não da adolescente com a mãe e a sua exposição à intervenção. Esta constituiu-se de cinco sessões de aconselhamento em amamentação - na maternidade, e aos 7, 15, 30 e 60 dias e uma sessão abordando também a alimentação complementar, aos 120 dias. As informações sobre as práticas alimentares das crianças foram coletadas mensalmente nos primeiros seis meses de idade por telefone. O impacto da intervenção foi medido comparando-se as curvas de sobrevida do aleitamento materno exclusivo (AME) e as da época de introdução de outros leites e alimentos complementares nos diferentes grupos. Foram comparadas as medianas do AME e da época de introdução de outros leites (dados coletados em dias) entre os diferentes grupos. Como a coabitação com a avó materna não teve impacto significativo na época de introdução dos alimentos complementares e de outros leites...

Avaliação da introdução precoce da alimentação complementar em crianças de 0 a 24 meses atendidas em uma unidade básica de saúde; Assessment of early introduction of complementary food for children aged 0 to 24 months who visit a basic health care unit

Morellato, Adriana; Cabistani, Nêmora Moraes; Almeida, Jussara Carnevale de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.19%
Objetivo: Verificar a frequência, os principais alimentos e motivos da introdução precoce da alimentação complementar, além do uso de mamadeira e chupeta em crianças de 0 a 24 meses. Métodos: Estudo transversal com crianças de 0 a 24 meses de idade atendidas numa Unidade Básica de Saúde. No período de junho a agosto de 2006, aplicou-se um questionário às mães ou acompanhantes sobre a alimentação complementar das crianças. Foi considerada precoce a introdução de alimentos sólidos e/ou líquidos em adição ou substituição ao leite materno antes dos seis meses de idade. Resultados: Das 109 crianças avaliadas, 78% receberam precocemente a introdução dos alimentos complementares, sendo chá o alimento predominante. O principal motivo relatado pelas mães foi “cólica do lactente”. A duração média do aleitamento materno exclusivo foi de 73 ± 30 dias. As crianças que usavam chupeta foram amamentadas por um período menor (218 ± 21 dias) em relação às crianças que não usavam chupeta (305 ± 25 dias; P = 0,026). O ganho médio de peso das crianças que receberam precocemente os alimentos complementares foi maior do que das crianças que receberam os alimentos complementares a partir dos seis meses de idade (22 ± 8 vs. 17 ± 4 g/dia; p = 0...

Introdução da alimentação complementar em escolas de educação infantil pertencentes à microrregião de uma UBS de Porto Alegre-RS

Neves, Alice Magagnin
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.26%
Introdução: O número de pais que procuram escolas de educação infantil tem crescido rapidamente, seja pela necessidade ou opção da mãe em voltar ao trabalho, seja pelo interesse dos pais em promover maior socialização da criança. Assim, torna-se importante a discussão sobre a maneira como as escolas de educação infantil lidam com a questão do aleitamento materno e como realizam a alimentação complementar. Dessa forma, este trabalho tem como objetivo verificar se a alimentação complementar em berçários de escolas de educação infantil segue às orientações do Guia Alimentar para Menores de 2 anos e se há um conhecimento por parte dos responsáveis pela alimentação das crianças do mesmo. Métodos: Trata-se de um estudo exploratório, de cunho qualitativo. A amostra consta de 5 escolas de educação infantil com classes de crianças de até 2 anos de idade, pertencentes ao território de uma Unidade Básica de Saúde de Porto Alegre-RS. Para a coleta utilizou-se uma entrevista com questões norteadoras, baseado no Guia Alimentar para Menores de 2 anos. O entrevistado foi o nutricionista da escola, o qual também concedeu uma cópia do cardápio mensal. As entrevistas foram gravadas em áudio com posterior transcrição das falas...

Alimentação complementar; Complementary feeding

Giugliani, Elsa Regina Justo; Victora, Cesar Gomes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.08%
Objetivo: Apresentar uma revisão atualizada sobre a alimentação complementar de crianças nos primeiros 2 anos de vida. Métodos: Foram utilizados materiais relevantes sobre o tópico oriundos de revistas científicas, livros técnicos e publicações de organismos internacionais. A fonte mais importante de dados foi a publicação da Organização Mundial da Saúde resultante da reunião sobre alimentação complementar realizada em Montpellier, França, em dezembro de 1995. Resultados: Nos últimos anos, novos conhecimentos sobre a alimentação ideal da criança pequena tornaram obsoletos muitos conceitos e práticas preconizados por muito tempo. Tem sido reconhecida a importância da amamentação exclusiva nos primeiros meses de vida e a introdução de alimentos complementares adequados em tempo oportuno. Por alimento complementar entende-se qualquer alimento nutritivo, sólido - ou líquido, diferente do leite materno, oferecido à criança amamentada. Recomenda-se a introdução dos alimentos complementares em torno dos 6 meses de vida. Esses devem ser ricos em energia, proteínas e micronutrientes, isentos de contaminação, com consistência adequada para a idade e em quantidade apropriada. Na orientação de uma dieta saudável...

Alimentação e nutrição do lactente

Guerra, A.; Rêgo, C.; Silva, Diana; Ferreira, G.C.; Mansilha, H.; Antunes, H.; Ferreira, R.
Fonte: Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
66.41%
Os autores apresentam os resultados de uma ampla revisão bibliográfica do conhecimento e práticas relativas à alimentação e nutrição do lactente, tendo por base a evidência científica existente e as recomendações dos principais comités de nutrição pediátrica.É sublinhada a importância do aleitamento materno, se possível de modo exclusivo durante os primeiros 6 meses de vida e é referida a evolução da maturação fisiológica e das preferências alimentares associadas à diversificação alimentar.São apresentados os principais dados relativos ao teor dos alimentos em nutrientes, à idade de início da diversifica-ção e ao modo de progressão da alimentação ao longo do primeiro ano de vida. São feitas considerações específicas em relação a grupos especiais de nutrientes, como é o caso dos micronutrientes, bem como no tocante a componentes com interesse para a saúde da criança, cada vez mais usados na alimentação do lactente, como é o caso dos pré e probióticos.As potenciais repercussões para a saúde da alimentação são também referidas, em particular no tocante à prevenção de alergias, risco cardiovascular e doença celíaca. Finalmente são abordados alguns dos aspectos mais relevantes para a alimentação e saúde do lactente ligados a dietas especiais nomeadamente vegetarianas e macrobióticas.

Alimentação diversificada no 1.º ano de vida : os alimentos comercializados em Portugal

Zuzarte, Luciana Paula Gaspar
Fonte: Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
66.26%
Os cuidados alimentares devem ser iniciados logo nos primeiros tempos de vida. O 1º ano de vida reveste-se de importância crucial para o saudável desenvolvimento da criança, uma vez que é nesta fase que surgem importantes modificações. Nesta altura ocorrem muitas mudanças que permitem um perfeito desenvolvimento físico e psíquico, ao mesmo tempo que contribuem para o desenvolvimento de bons hábitos que, com maior probabilidade, se manterão pela vida fora. Toda a alimentação tem como principal função a satisfação das necessidades biológicas e fisiológicas de qualquer indivíduo. Por esta razão, é determinante o modo como o lactente é alimentado durante este período. A alimentação até cerca dos 4-6 meses deve ser exclusivamente de leite materno. A partir desta altura, deve iniciar-se a introdução de outros alimentos na dieta do lactente. No mercado nacional podemos encontrar diferentes tipos de alimentos prontos a comer, formulados de forma a satisfazer as necessidades nutricionais dos lactentes. É objectivo do presente trabalho juntar num único documento, todos os produtos comercializados em Portugal para esta etapa, fornecendo informação quantitativa da sua composição em macro e micronutrientes.

Alimentação e nutrição do lactente; Feeding and nutrition of infants

Guerra, António; Rêgo, Carla; Silva, Diana; Ferreira, Gonçalo Cordeiro; Mansilha, Helena; Antunes, Henedina; Ferreira, Ricardo
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
86.47%
Suplemento II; Os autores apresentam os resultados de uma ampla revisão bibliográfica do conhecimento e práticas relativas à alimentação e nutrição do lactente, tendo por base a evidência científica existente e as recomendações dos principais comités de nutrição pediátrica. É sublinhada a importância do aleitamento materno, se possível de modo exclusivo durante os primeiros 6 meses de vida e é referida a evolução da maturação fisiológica e das preferências alimentares associadas à diversificação alimentar. São apresentados os principais dados relativos ao teor dos alimentos em nutrientes, à idade de início da diversificação e ao modo de progressão da alimentação ao longo do primeiro ano de vida. São feitas considerações específicas em relação a grupos especiais de nutrientes, como é o caso dos micronutrientes, bem como no tocante a componentes com interesse para a saúde da criança, cada vez mais usados na alimentação do lactente, como é o caso dos pré e probióticos. As potenciais repercussões para a saúde da alimentação são também referidas, em particular no tocante à prevenção de alergias, risco cardiovascular e doença celíaca. Finalmente são abordados alguns dos aspectos mais relevantes para a alimentação e saúde do lactente ligados a dietas especiais nomeadamente vegetarianas e macrobióticas.; The authors reviewed the current knowledge and practices on infant feeding...

Influência das avós na alimentação de lactentes: o que dizem suas filhas e noras

Gross,Fabiana de Medeiros; Van der Sand,Isabel Cristina Pacheco; Girardon-Perlini,Nara Marilene Oliveira; Cabral,Fernanda Beheregaray
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.41%
OBJETIVO: Identificar as práticas de primíparas sobre a alimentação de crianças lactentes aprendidas com a mãe e/ou sogra. MÉTODOS: Trata-se de pesquisa qualitativa, do tipo descritiva. Os sujeitos foram 11 primíparas, usuárias do Sistema Único de Saúde de Palmeira das Missões/RS. Os dados foram coletados por entrevista semiestruturada e analisados por meio da análise temática. RESULTADOS: Emergiram três temas: práticas de alimentação transmitidas pelas avós; influência das avós na alimentação do lactente; sentimentos das primíparas em relação às ações das avós relativas à alimentação do lactente. CONCLUSÕES: As avós são importantes no que diz respeito à transmissão de conhecimentos, saberes e experiências relativas à alimentação do lactente. Para que a assistência de enfermagem priviligie a autonomia dos sujeitos que envolve corresponsabilidade e congruência cultural, o enfermeiro deve considerar as interações do grupo familiar que, em seu movimento dialético, modulam e são moduladas pela cultura.

Alimentação do lactente portador de lesão lábio-palatal: aleitamento e introdução alimentar

PINI,Juliana Genovez; PERES,Suely Prieto de Barros Almeida
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 Português
Relevância na Pesquisa
76.22%
São inquestionáveis as vantagens do leite materno para o neonato. Na sua impossibilidade, é necessária a introdução do leite artificial e de alimentação adequada como forma de reposição de nutrientes, respeitando-se a maturação neuro-fisiológica da criança. Para o estudo, foram investigadas 60 crianças de 2 a 4 anos, de ambos os sexos, portadoras de lesão lábio-palatal, pacientes do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru, quanto a sua história dietética pregressa (aleitamento e introdução alimentar) e peso e estatura atuais, a fim de verificar possíveis influências no estado nutricional relacionadas à sua alimentação no primeiro ano de vida. Os dados obtidos mostraram que o aleitamento materno foi significativo, e que o desmame, o aleitamento artificial e a introdução alimentar, apesar de inadequados, pouco influenciaram na antropometria atual.

Avaliação da alimentação da criança

de Souza, Ana Izabel Jatobá; Anders, Jane Cristina; Boehs, Astrid Eggert
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
56.06%
Tratando da consulta de puericultura, no item avaliação da alimentação, o objeto inicia abordando os diferentes tipos de alimentação nas diferentes etapas de crescimento, desde o aleitamento materno até a inclusão de carnes no cardápio. Na sequência, é tratado o assunto cuidados no preparo da alimentação e a oferta de água. Por último, trata do processo de desmame, desde a maturidade da criança até as orientações que devem ser dadas à mãe. Unidade 5 do módulo 5 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Alimentação da criança e o processo de desmame

Döhms, Marcela; Garcia, Leandro Pereira; Cutolo, Luiz Roberto Agea; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
55.97%
O objeto apresenta o hábito alimentar da criança como de extrema importância para seu crescimento e desenvolvimento, ressaltando que deve conter todos os nutrientes necessários de acordo com sua faixa etária. Apresenta um quadro com esquema para a introdução dos alimentos de acordo com a faixa etária e outro com exemplo de alimentação diária desde após completar 6 meses até depois de um ano. Comenta sobre a promoção do aleitamento materno e apresenta um quadro explicativo com as frutas, os sucos, as papas e as carnes, além de alertar para cuidados com o preparo e o manuseio dos alimentos. Segue abordando crianças não amamentadas ou com desmame precoce e seus cuidados específicos, apresentando tabelas, quantidades, combinações e frequência, de acordo com a variação de peso corporal da criança. Termina abordando o desmame, tanto o natural, em que a criança se autodesmama, como o interrompido por outros fatores, muitas vezes culturais, atentando ainda para a diferenciação entre autodesmame natural e a chamada "greve de amamentação" do bebê. Unidade 4 do módulo 5 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Alimentação no primeiro ano de vida: caso clínico

Fantinel, Everton
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
56.08%
Lactente é levado pela avó materna, com cinco meses, recebendo apenas formulação infantil administrada com mamadeira – 120 mL cinco vezes por dia – e biscoito doce ou iogurte industrializado durante a tarde desde que a mãe começou a trabalhar há 45 dias. Há três semanas a avó percebeu que a criança passou a apresentar endurecimento das fezes acompanhado de esforço para evacuar. Relata que a mãe da criança não tinha mais leite materno cerca de 10 dias após suspender a amamentação.

Alimentação suplementar do lactente das camadas de baixa renda do Recife

Albuquerque, Mabel Ann Black de
Fonte: Ciência & Trópico Publicador: Ciência & Trópico
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 09/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
56.39%
RESUMO Este trabalho, parte de um estudo mais amplo sobre “condições de vida e alimentação do lactente”, pretende mostrar até que ponto os alimentos introduzidos na dieta do lactente, se aproximam do padrão alimentar do adulto, característico das camadas de baixa renda do Recife. Os dados foram coletados através de questionários aplicados de janeiro a fevereiro de 1974. A impossibilidade de suprir o lactente com alimentos básicos ao seu desenvolvimento normal, faz com que a alimentação suplementar se torne um grande problema nos países subdesenvolvidos. Alimentos tais como: ovos, carne, feijão, frutas e verduras são pouco consumidos. O suplemento alimentar ofertado é pobre em vitaminas, minerais e proteínas. A carência desses alimentos é explicada pelas desfavoráveis condições de vida, o que acentua a taxa de mortalidade infantil. A falta de proteínas é fator responsável pela desnutrição conhecida como “distrofia” ou desnutrição calórico-protéica. Os cereais e farináceos, constituem o tipo de alimentação mais barata e por conseguinte, mais ofertada, apesar de seu conteúdo nutritivo ser baixo. A falta de esclarecimento por parte das mães, quanto ao tipo de alimentação adequada para a criança...

Qualidade nutricional da alimentação escolar fornecida a crianças de 7 a 36 meses em Centros Municipais de Educação Infantil

Borba, Anabelle Retondario de Lima
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 87f. : il. color., tabs., grafs.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.17%
Orientadora: Profª. Drª. Sila Mary Rodrigues Ferreira; Co-orientadora: Profª. Drª. Márcia Aurelina de Oliveira Alves; Dissertação (mestrado)- Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Segurança Alimentar e Nutricional. Defesa: Curitiba, 05/06/2014; Inclui referências; Resumo: O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é considerado um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo. O Programa tem atendimento universal na rede pública de educação e é fundamental na garantia da segurança alimentar e nutricional dos alunos. O presente trabalho teve como objetivo, determinar a qualidade nutricional da alimentação escolar fornecida e consumida em creches públicas do município de Colombo/PR a crianças de 7 a 11 meses (Grupo A) e de 12 a 36 meses (Grupo B). Foram sorteadas quatro das 38 creches existentes no município, por meio de amostragem estratificada por conglomerados. Cada creche foi acompanhada por 5 dias não consecutivos nos quais foram coletadas amostras das 6 refeições fornecidas por dia, totalizando 120 amostras. O material coletado foi analisado em laboratório para determinar os teores de umidade, cinzas, proteínas, lipídios, fibras alimentares...

Avaliação da alimentação da criança

de Souza, Ana Izabel Jatobá; Anders, Jane Cristina; Boehs, Astrid Eggert
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 5 do módulo 5 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
Português
Relevância na Pesquisa
56.06%
Tratando da consulta de puericultura, no item avaliação da alimentação, o objeto inicia abordando os diferentes tipos de alimentação nas diferentes etapas de crescimento, desde o aleitamento materno até a inclusão de carnes no cardápio. Na sequência, é tratado o assunto cuidados no preparo da alimentação e a oferta de água. Por último, trata do processo de desmame, desde a maturidade da criança até as orientações que devem ser dadas à mãe. Unidade 5 do módulo 5 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Alimentação no primeiro ano de vida: caso clínico

Fantinel, Everton
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Questões de múltipla escolha
Português
Relevância na Pesquisa
56.2%
Lactente é levado pela avó materna, com cinco meses, recebendo apenas formulação infantil administrada com mamadeira – 120 mL cinco vezes por dia – e biscoito doce ou iogurte industrializado durante a tarde desde que a mãe começou a trabalhar há 45 dias. Há três semanas a avó percebeu que a criança passou a apresentar endurecimento das fezes acompanhado de esforço para evacuar. Relata que a mãe da criança não tinha mais leite materno cerca de 10 dias após suspender a amamentação.

Importância do aleitamento materno

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Vídeo Formato: Vídeo colorido em formato mp4 com 1 minuto e 10 segundos de duração.
Português
Relevância na Pesquisa
66.02%
Este material compõe o Curso Autoinstrucional de Capacitação em Atenção Integral à Saúde Sexual e Reprodutiva I, produzido pela UNA-SUS/UFMA e voltado para médicos que atuam na Atenção Básica. Trata-se de um vídeo que apresenta a importância do aleitamento materno, bem como o papel dos profissionais de saúde em apoiar, proteger e promover a amamentação.; Ministério da Saúde

Assistência do enfermeiro na amamentação do lactente: um estudo bibliográfico

Olivera, Maria Divina Araújo de
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
66.21%
O presente estudo trata da importância do incentivo dos profissionais de saúde, em especial o enfermeiro, no processo de educação/conscientização para as lactantes. O estímulo à amamentação até os dois anos de idade vem se tornando uma preocupação por esta prática se constituir, inegavelmente, em um fator essencial para o crescimento e desenvolvimento saudável da criança. Justifica-se esse trabalho através de pesquisas bibliográficas, que afirmam que a amamentação até os dois anos de idade é essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança, sendo uma prática milenar com reconhecidos benefícios nutricionais, imunológicos, econômicos e sociais. Tais benefícios são aproveitados em sua plenitude quando a amamentação é praticada e oferecida, como forma exclusiva de alimentação do lactente, até o sexto mês de vida, e acrescida de alimentos complementares até os dois anos de idade. É um estudo bibliográfico, a coleta de dados foi obtida por meio da literatura publicada em sites informatizados, teve como período de pesquisa fevereiro a início de outubro de 2007. A amamentação proporciona um vínculo emocional entre mãe-filho, além dos benefícios fisiológicos à mãe nutriz...

ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR DO LACTENTE: SUBSÍDIOS PARA A CONSULTA DE ENFERMAGEM EM PUERICULTURA; SUPPLEMENTARY FEEDING OF INFANTS: ALLOWANCES FOR CONSULTATION IN NURSING CHILDCARE; ALIMENTACIÓN COMPLEMENTAR DEL LACTENTE: SUBSIDIOS PARA LA CONSULTA DE ENFERMERÍA EN PUERICULTURA

Santos, Carmina Silva; Coriolano, Maria Wanderleya de Lavor; Sette, Gabriela Cunha Schechtman; de Lima, Luciane Soares
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
76.24%
O presente artigo teve por objetivo investigar os fatores que influenciam, positiva ou negativamente, a alimentação complementar do lactente, a partir de publicações científicas no período de 1990-2009. O método foi a revisão integrativa da literatura nas bases de dados Medline, BDENF e Lilacs utilizando os descritores aleitamento materno, desmame e nutrição do lactente. Os resultados apontam que o padrão alimentar é fator de grande importância para a manutenção da saúde da criança, sendo delineado por um conjunto de fatores que provêm do contexto familiar, condições socioeconômicas e culturais e nível de escolaridade da mãe/cuidador. Propõe-se, na consulta de enfermagem em puericultura e a construção compartilhada do cardápio infantil entre o enfermeiro e o cuidador com vistas a oferecer à criança uma educação alimentar que previna doenças na vida adulta.; This paper aimed to investigate the factors that influence, positively or negatively, complementary feeding of infants, from scientific publications in the period from 1990 to 2009. The method was the integrative literature review in the databases Medline...