Página 1 dos resultados de 5690 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Comparação de duas técnicas de analgesia epidural na vivência do trabalho de parto: bólus intermitente versus perfusão contínua

Fernandes, João Manuel Guimarães de Sá Peixoto
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.12%
Objectivos: As melhorias verificadas nas tecnicas de analgesia, nem sempre acompanharam uma melhoria mensuravel na satisfacao materna. A satisfacao e uma questao multidimensional, em que a analgesia constitui um dos seus componentes. O objectivo do estudo foi comparar a tecnica de analgesia epidural atraves de bolus intermitente com a tecnica de analgesia epidural por perfusao continua, relativamente ao grau de satisfacao materna, eficacia analgesica e repercussao na dinamica do parto e bem-estar do recem-nascido. Material e Metodos: Estudo prospectivo, observacional, realizado em 48 parturientes de termo, em trabalho de parto, com dilatacao cervical entre 2-5 cm. Apos administracao de bolus inicial 10 ml de ropivacaina a 0,2% e 2 ml sufentanil 0,005 mg/ml, as parturientes foram divididas em 2 grupos, Grupo I (n = 24).manutencao da analgesia por perfusao continua, de solucao ropivacaina 1 mg/ml e sufentanil 0,25 ƒÊg/ml, a 8 ml/h iniciada ao fim de 1 hora e Grupo II (n =24) manutencao com bolus intermitente horario de 8 ml de solucao ropivacaina 1 mg/ml e sufentanil 0,25ƒÊg/ml, iniciado ao fim 1a hora. Foram registados dados relativos a monitorizacao clinica, intensidade da dor, quantidades de farmacos, numeros de bolus de resgate...

Mensuração e avaliação da dor pós analgesia raqui-peri combinada durante o trabalho de parto: um enfoque experimental; Pain Assessment and measurement of combined spinal - epidural post analgesia during childbirth labor: an experiemental focus

Zambrano, Érika
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.19%
Os objetivos deste estudo foram mensurar a intensidade de dor durante o trabalho de parto com ou sem analgesia raqui-peri combinada através de métodos psicofísicos, quais sejam estimação de categorias (escala analógica visual-VAS) e de estimação de magnitude, verificar a estabilidade, validar a escala psicofísica de percepção da dor e caracterizar os descritores de dor durante o trabalho de parto. Os métodos psicofísicos utilizados foram estimação de magnitudes e emparelhamento intermodal. Quatro experimentos foram realizados: Experimento 1 - Tarefa de determinação de limiares de dor; Experimento 2 - estimação de magnitudes e estimação de categorias, Experimento 3 - estimação de magnitudes e comprimento de linhas e Experimento 4- validação da escala psicofísica. Participaram 68 parturientes (42 receberam analgesia e 26 sem analgesia), internadas no centro obstétrico do Hospital do interior do estado de São Paulo, idade entre 18 a 35 anos, com feto único, estado físico ASA I ou II e que estavam em trabalho de parto. As diferentes sensações de dor foram avaliadas a cada 60 minutos (após a rotina obstétrica), até a finalização do parto (parturientes que não receberam analgesia) ou até a realização da analgesia de parto indicada pela equipe médica. A analgesia de parto foi realizada por meio da técnica raqui-peri combinada. Quinze minutos após a instalação do cateter uma nova avaliação da dor foi realizada...

Efeito da analgesia obstétrica combinada raqui-peridural no tônus uterino e na freqüência cardíaca fetal: ensaio clínico randomizado comparativo com a analgesia peridural; The effect of combined spinal-epidural labor analgesia on uterine tone and fetal heart rate: randomized comparison with epidural analgesia

Abrão, Karen Cristine
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.18%
A fim de investigar a associação entre alterações do tônus uterino e a ocorrência de anormalidades da freqüência cardíaca fetal (FCF) após analgesia obstétrica, em especial após o bloqueio combinado raqui-peridural, foi conduzido estudo prospectivo randomizado e encoberto, com setenta e sete parturientes que solicitaram analgesia regional durante o trabalho de parto. As pacientes do grupo estudo (41 casos) receberam duplo bloqueio com sufentanil e bupivacaína e as do grupo controle (36 casos) foram submetidas à peridural com as mesmas drogas. Monitorizou-se o tônus uterino por meio de cateter intra-amniótico de aferição da pressão intra-uterina e a freqüência cardíaca fetal durante 15 minutos antes e 30 minutos após a indução da analgesia. Pesquisaram-se os seguintes desfechos após a administração da analgesia: ocorrência de aumento do tônus uterino superior ou igual a 10mmHg em relação aos valores pré-analgesia e presença de desacelerações prolongadas da FCF ou bradicardia. Foram ainda quantificados os escores maternos de dor, a pressão arterial materna e o uso de ocitocina, antes e após o bloqueio. Observou-se associação significativa tanto do aumento de tônus uterino quanto das alterações da FCF com a analgesia combinada...

Efeito da nifedipina por via sistêmica na analgesia pós-operatória induzida pelo sufentanil intratecal em pacientes submetidas à lipoabdominoplastia em caráter ambulatorial; Effect of nifedipine in a systemic way in postoperative analgesia induced by intrathecal sufentanil in patients undergoing ambulatory lipoabdominoplasty

Lima, Breno José Santiago Bezerra de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/05/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.14%
BEZERRA DE LIMA, BJS. Efeito da nifedipina por via sistêmica na analgesia pós-operatória induzida pelo sufentanil intratecal em pacientes submetidas à lipoabdominoplastia em caráter ambulatorial. 2011. 72 f. Tese (Doutorado) Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Canais de cálcio dependentes da voltagem têm um importante papel na transmissão de impulsos nociceptivos e alterações das concentrações extracelulares de íons cálcio podem modificar a analgesia opioide. No entanto, a utilização de bloqueadores de canais de cálcio produziu resultados conflitantes no tocante à potencialização ou prolongamento da analgesia opioide. O sufentanil, pela alta lipossolubilidade e consequente baixo potencial para depressão respiratória tardia, pode ser utilizado pela via subaracnoidea em pacientes ambulatoriais. Para ser considerado o opioide ideal para uso subaracnoideo falta-lhe a capacidade de produzir analgesia prolongada. O objetivo deste trabalho foi testar se a nifedipina oral pode aumentar a sua duração e potência. Trinte e seis pacientes do sexo feminino, ASA I ou II e idade entre 20 e 60 anos, submetidas à lipoabdominoplastia sob regime ambulatorial foram casualisada em 3 grupos, de acordo com a quantidade de nifedipina recebida no pré-operatório. Foram confeccionadas 13 cápsulas semelhantes que continham amido ou 10 mg de nifedipina e entregues para cada uma das pacientes durante a avaliação pré-anestésica que aconteceu com a antecedência mínima de cinco dias do procedimento cirúrgico. As pacientes foram orientadas a ingerir 3 (três) cápsulas por dia...

Efeito do ritmo circadiano na analgesia de parto e na hora do nascimento

Vieira, Waleska Schneider
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.12%
A analgesia é amplamente utilizada para diminuir a dor do parto. A técnica raquiperidural é considerada hoje de eleição para a analgesia de parto, devido à curta latência para aliviar a dor e à possibilidade de se fracionarem as doses analgésicas subseqüentes. Os anestésicos locais em baixas doses e opióides são os fámacos utilizados para esta finalidade. Embora tenha sido demonstrado um ritmo circadiano para a analgesia de parto espinhal com fentanil isolado, o tempo até o nascimento não foi considerado. Assim, foram avaliadas as variações no ritmo circadiano da analgesia raquiperidural (RP) para trabalho de parto com a associação de fentanil com bupivacaína e a correlação com a duração do trabalho de parto após a analgesia RP. Métodos: Nesta coorte foram incluídas 41 mulheres, nulíparas que estavam no primeiro estágio do trabalho de parto. Foi colocado um cateter no espaço peridural para analgesia adicional com analgesia controlada pelo paciente (ACP), caso o alívio da dor não fosse satisfatório. A fim de análise, a hora do dia foi dividida em três períodos: noite (das 22h às 5h e 59 min), manhã (das 6h às 13h e 59 min) e tarde (das 14h às 21h e 59min). Resultados: O efeito da analgesia RP demonstrado pela EAV foi maior nas pacientes que receberam analgesia à noite (83...

Effects on mother and fetus of epidural and combined spinal-epidural techniques for labor analgesia

Nakamura, Giane; Ganem, Eliana Marisa; Rugolo, Ligia Maria Suppo de Souza; Castiglia, Yara Marcondes Machado
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 405-409
Português
Relevância na Pesquisa
37.14%
OBJETIVO: A peridural (AP) e a técnica de duplo bloqueio (DB) são utilizadas em analgesia para o trabalho de parto. Este estudo comparou os efeitos na mãe e no feto de ambas as técnicas em analgesia e anestesia para o parto. MÉTODOS: Quarenta parturientes ASA I e II receberam por via peridural 15 ml de ropivacaína a 0,125% (grupo AP) e 5 µg de sufentanil com 2,5 mg bupivacaína por via subaracnóidea (grupo DB). Foram avaliados: intensidade de dor, altura do bloqueio sensitivo, tempo de latência, bloqueio motor, duração da analgesia de parto, tempo para a resolução do parto, hipotensão materna e presença de prurido. Os recém-nascidos foram avaliados pelo índice de Apgar e escore da capacidade adaptativa e neurológica (ECAN), método de Amiel-Tison. RESULTADOS: Não houve diferenças significativas entre os grupos na intensidade da dor, no tempo de latência, no nível do bloqueio sensitivo e no índice de Apgar. O bloqueio motor, a duração da analgesia e o tempo para resolução do parto foram maiores no grupo DB, do qual sete parturientes apresentaram prurido leve. ECAN foi maior no grupo AP após meia hora, duas horas e 24 horas. Noventa e cinco por cento dos recém-nascidos do grupo AP e 60% do grupo DB foram considerados neurologicamente vigorosos ao exame de 24 horas. CONCLUSÃO: As duas técnicas mostraram-se eficazes para analgesia do trabalho de parto. As parturientes do grupo DB apresentaram prurido e trabalho de parto mais prolongado. Recém-nascidos de mães que receberam analgesia de parto via peridural apresentaram melhor ECAN.; OBJECTIVE: Epidural (EA) and combined spinal-epidural (CSE) techniques have both been utilized for labor analgesia. This study compared the effects on the mother and newborn of these techniques in labor analgesia and anesthesia. METHODS: Forty pregnant women received epidural analgesia with 15 mL of 0.125% ropivacaine (EA group) and 5 µg of sufentanil plus 2.5mg bupivacaine in the subarachnoid space (CSE group). Pain intensity...

Considerações sobre analgesia controlada pelo paciente em hospital universitário

Barros, Guilherme Antônio Moreira de; Lemonica, Lino
Fonte: Sociedade Brasileira de Anestesiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 69-82
Português
Relevância na Pesquisa
37.13%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O rápido progresso obtido nas técnicas cirúrgicas e anestésicas nos últimos anos proporcionou extraordinário aumento das indicações de procedimentos invasivos. Por outro lado, com o envelhecimento da população, o período de recuperação pós-operatória passou a ser motivo de maior preocupação da equipe de saúde. Para tanto, novas técnicas de analgesia foram criadas e desenvolvidas e, dentre elas, destaca-se a Analgesia Controlada pelo Paciente (ACP). em nosso país, o Serviço de Dor Aguda (SEDA) da Disciplina de Terapia Antálgica e Cuidados Paliativos, do Departamento de Anestesiologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, utiliza há muitos anos esta técnica de analgesia. Com a finalidade de atestar a qualidade do serviço prestado, a pesquisa objetiva verificar a eficácia e segurança do método, assim como identificar e caracterizar a população atendida. MÉTODO: de modo retrospectivo, foram avaliados 679 pacientes tratados pelo SEDA, exclusivamente com o método de ACP, durante três anos. Os pacientes foram incluídos na análise aleatoriamente, sem restrições quanto à idade, ao sexo, ao tipo de cirurgia e considerando-se unicamente a possibilidade de indicação da ACP. Foram estudados os seguintes atributos: sexo...

Efeitos adversos do sufentanil associado ao anestésico local pelas vias subaracnóidea e peridural em pacientes submetidas à analgesia de parto

Salem, Isabel C.F.; Fukushima, Fernanda B.; Nakamura, Giane; Ferrari, Fábio; Navarro, Laís C.; Castiglia, Yara Marcondes Machado; Ganem, Eliana Marisa
Fonte: Sociedade Brasileira de Anestesiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 125-135
Português
Relevância na Pesquisa
37.15%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A associação do opióide ao anestésico local melhora a qualidade da analgesia de parto e reduz o risco de toxicidade sistêmica pelo anestésico local. Os opióides, entretanto, podem determinar efeitos colaterais. O objetivo desta pesquisa foi comparar os efeitos adversos determinados pelo sufentanil, administrado por via subaracnóidea, associado à bupivacaína, com aquele determinado pelo sufentanil por via peridural, associado à ropivacaína, nas doses utilizadas no Serviço de Anestesia, em gestantes submetidas à analgesia de parto. MÉTODO: Participaram do estudo 60 pacientes, estado físico ASA I e II, com idade entre 15 e 42 anos, com gestação a termo e fetos saudáveis, submetidas à analgesia de parto. Foram distribuídas de forma aleatória em dois grupos: G1 - Duplo bloqueio - bupivacaína a 0,5% (2,5 mg) e sufentanil (5 µg) pela via subaracnóidea, G2 - Peridural - ropivacaína a 0,2% (20 mg) e sufentanil (10 µg) pela via peridural. Para doses complementares foi administrada ropivacaína a 0,2% (12 mg) e para resolução do parto, ropivacaína a 1% (50 mg). As pacientes foram avaliadas após analgesia (M1) com relação a hipotensão arterial...

Labor analgesia with ropivacaine added to clonidine: a randomized clinical trial

Nakamura, Giane; Ganem, Eliana Marisa; Módolo, Norma Sueli Pinheiro; Rugolo, Ligia Maria Suppo de Souza; Castiglia, Yara Marcondes Machado
Fonte: Associação Paulista de Medicina (APM) Publicador: Associação Paulista de Medicina (APM)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 102-106
Português
Relevância na Pesquisa
37.13%
CONTEXTO E OBJETIVO: A associação entre ropivacaína e clonidina agiria menos que a ropivacaína isolada na mãe e no feto? Foram pesquisados os efeitos materno-fetais de duas técnicas farmacológicas: pequena dose de ropivacaína ou dose menor de ropivacaína mais clonidina na analgesia peridural para parto. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo prospectivo, Departamento de Anestesiologia, Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista. MÉTODOS: Trinta e duas parturientes, estado físico de acordo com a American Society of Anesthesiologists I e II, foram aleatoriamente submetidas à analgesia peridural com 15 ml de ropivacaína 0,125% (grupo R) ou 15 ml de ropivacaína 0,0625% mais clonidina, 75 µg (grupo RC). Foram avaliados: intensidade da dor, nível do bloqueio sensitivo, latência, intensidade do bloqueio motor, duração da analgesia de parto e da analgesia peridural. Os neonatos foram avaliados pelo Apgar e método de Amiel-Tison (capacidade neurológica e adaptativa). RESULTADOS: Não houve diferenças significativas entre grupos para dor, nível de bloqueio sensitivo, duração da analgesia peridural e Apgar. Para latência, duração da analgesia de parto e bloqueio motor, grupo R < grupo RC. O escore da capacidade neurológica e adaptativa de meia e duas horas foi maior para o grupo R. Cem por cento dos neonatos do grupo R e 75% dos do grupo RC estavam neurologicamente saudáveis ao exame de 24 horas. CONCLUSÃO: Pequena dose de ropivacaína e dose menor mais clonidina aliviaram a dor materna durante o parto. Neonatos de mães que receberam apenas ropivacaína mostraram melhores escores da capacidade neurológica e adaptativa.; CONTEXT and OBJECTIVE: Previous studies have led to speculation that the association between ropivacaine and clonidine might be more effective than ropivacaine alone. We examined the maternal-fetal effects of two pharmacological approaches: a low dose of ropivacaine or a lower dose of ropivacaine plus clonidine for epidural analgesia during labor. DESIGN and SETTING: Prospective study at Department of Anesthesiology...

Analgesia pós-cirúrgica em correcções de deslocamento de abomaso à esquerda

Godinho, Ricardo Freire
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 07/11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.12%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A identificação da dor animal é um aspecto com cada vez maior importância na produção animal, assim como o é minimizar os processos dolorosos ao longo de todos os procedimentos de produção. Quando não for possível eliminar esses estímulos dolorosos, deve ser dada prioridade à devida analgesia. Um desses procedimentos dolorosos é a cirurgia, neste caso, a cirurgia correctiva de deslocamento de abomaso à esquerda. Como não é possível eliminar os estímulos dolorosos resultantes da cirurgia, o que nos resta é proceder à devida analgesia pós-cirúrgica. O objectivo deste trabalho foi perceber se a administração de carprofeno possui maior duração de analgesia do que a flunixina meglumina no maneio de dor pós-cirúrgico na correcção de Deslocamento de Abomaso à Esquerda (DAE). O carprofeno, tal como a flunixina meglumina, é um anti-inflamatório não esteróide, mas é menos utilizado na analgesia pós-cirúrgica devido ao seu custo, apesar de possuir um tempo de semi-vida superior ao da flunixina meglumina. O estudo foi realizado em 26 vacas de raça Holstein Frísia submetidas a correcção cirúrgica de DAE, que foram divididas em dois grupos: Grupo F (14 animais submetidos à administração de flunixina meglumina) e o Grupo C (12 animais submetidos à administração de carprofeno). A analgesia pós-cirúrgica foi avaliada utilizando parâmetros produtivos (produção leiteira nos 8 dias após a cirurgia) e utilizando parâmetros fisiológicos (corpos cetónicos por mensuração de β-hidroxibutiratos sanguíneos no dia 1...

Remifentanil patient controlled analgesia versus epidural analgesia in labour. A multicentre randomized controlled trial

Freeman, L.; Bloemenkamp, K.; Franssen, M.; Papatsonis, D.; Hajenius, P.; van Huizen, M.; Bremer, H.; Van den Akker, E.; Woiski, M.; Porath, M.; van Beek, E.; Schuitemaker, N.; van der Salm, P.; Fong, B.; Radder, C.; Bax, C.; Sikkema, M.; van den Akker-va
Fonte: BioMed Central Publicador: BioMed Central
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.13%
Background Pain relief during labour is a topic of major interest in the Netherlands. Epidural analgesia is considered to be the most effective method of pain relief and recommended as first choice. However its uptake by pregnant women is limited compared to other western countries, partly as a result of non-availability due to logistic problems. Remifentanil, a synthetic opioid, is very suitable for patient controlled analgesia. Recent studies show that epidural analgesia is superior to remifentanil patient controlled analgesia in terms of pain intensity score; however there was no difference in satisfaction with pain relief between both treatments. Methods/design The proposed study is a multicentre randomized controlled study that assesses the cost-effectiveness of remifentanil patient controlled analgesia compared to epidural analgesia. We hypothesize that remifentanil patient controlled analgesia is as effective in improving pain appreciation scores as epidural analgesia, with lower costs and easier achievement of 24 hours availability of pain relief for women in labour and efficient pain relief for those with a contraindication for epidural analgesia. Eligible women will be informed about the study and randomized before active labour has started. Women will be randomly allocated to a strategy based on epidural analgesia or on remifentanil patient controlled analgesia when they request pain relief during labour. Primary outcome is the pain appreciation score...

Associação entre a analgesia epidural e o trauma perineal no parto vaginal; Association between epidural analgesia and perineal laceration in vaginal delivery; Asociación entre la analgesia epidural y el trauma perineal en el parto vaginal

MONTEIRO, Juliana Cristina dos Santos; PITANGUI, Ana Carolina Rodarti; SOUSA, Ligia de; BELEZA, Ana Carolina Sartorato; NAKANO, Ana Márcia Spanó; GOMES, Flávia Azevedo
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.11%
O objetivo deste estudo foi analisar a associação entre a analgesia epidural e a laceração perineal em mulheres submetidas ao parto vaginal. Foi realizado um estudo descritivo e transversal, para o qual foram pesquisados 109 prontuários de mulheres assistidas durante o processo de parturição, em uma maternidade em Ribeirão Preto. Os dados foram coletados nos meses de março e abril de 2003. Para analisar a correlação entre as variáveis foi aplicado o teste qui-quadrado. Foi realizado parto normal em 91,7% (100) das parturientes e fórceps em 8,2% (9). Na análise dos dados, 74,3% da amostra receberam analgesia epidural; destas, 26,5% tiveram algum grau de laceração perineal e 9,1%, períneo íntegro, não sendo possível verificar a associação entre as variáveis mencionadas. Não foi verificada, neste estudo, significância estatística para afirmar que as condições do períneo após o parto vaginal e a utilização da analgesia epidural estão associadas (valor x²4GL= 3,1).; The aim of this study was to analyze the association between the epidural analgesia and the perineal laceration in women submitted to a vaginal childbirth. A descriptive and transversal study was realized with 109 archives of women attended during the childbirth process in a maternity located in Ribeirão Preto. The data was collected in March and April 2003. To analyze the correlation between the variables...

Analgesia de parto : bloqueio combinado raqui-peridural versus bloquei peridural continuo em primigestas; Labor analgesia : combined spinal-epidural block versus continuous epidural block in primiparous women

Marcio Antonio de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.18%
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O trabalho de parto produz desconforto e dor intensa à maioria das parturientes. O método de eleição que seria ideal para produzir analgesia deveria reduzir ao máximo os inconvenientes e a dor provocados pelo trabalho de parto, permitindo que a mãe participasse ativamente e com prazer da experiência de dar à luz. A analgesia combinada raqui-peridural (ACRP) apresentaria, como vantagens, a possibilidade de instalação precoce, rápido início de ação analgésica, uso de baixas doses de anestésicos locais, associando-se a trabalhos de partos mais curtos, menor bloqueio motor e ofereceria maior satisfação à parturiente. A analgesia peridural contínua (APC) utilizaria doses maiores de anestésicos locais, produzindo maior bloqueio motor, mas deveria ser realizada em fases mais adiantadas do período de dilatação. O potencial atrativo da ACRP seria o de incorporar as vantagens da administração intratecal de fármacos de ação analgésica rápida, com a manutenção de acesso através de um cateter peridural, disponível continuamente para complementação com novas doses ou adição de outras drogas, minimizando as desvantagens apresentadas por ambas as técnicas. O estudo compara os desfechos maternos e perinatais com a utilização da ACRP e APC em parturientes primigestas. SUJEITOS E MÉTODOS Foi realizado um ensaio clínico aleatorizado com 128 gestantes primigestas em trabalho de parto...

Aumenta la toma de imágenes diagnósticas el uso de analgesia en pacientes con apendicitis aguda?

Buitrago Gómez, Mónica Paola
Fonte: Facultad de Medicina Publicador: Facultad de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 20/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.12%
Comparar el número de imágenes tomadas entre un grupo de pacientes con apendicitis aguda que recibieron analgesia antes del diagnóstico definitivo versus un grupo de pacientes sin esta intervención, que acudieron al servicio de urgencias de adultos del Hospital Universitario Fundación Santa Fe de Bogotá, entre enero y diciembre de 2006. Materiales y Métodos. Estudio tipo cohorte retrospectiva en el que se tomaran los pacientes del censo de un año y se medirán las variables descritas, los resultados fueron analizados por el paquete estadístico SPSS versión 19. Se tomó como valor de significancia 0,05. Resultados. El 40% recibieron analgésia temprana. No se encontró diferencia estadísticamente significativa entre el número de ecografías tomadas en los pacientes con y sin analgesia (p = 0,016) 49,2% vs 50,8% respectivamente, mientras que el número de TAC de abdomen fue mayor en el grupo que no recibió analgesia (56,8% vs 43,2%) pero sin significancia estadística, p = 0,507. Conclusiones. El uso de analgesia temprana en urgencias en pacientes con dolor abdominal por apendicitis aguda no se asocia con aumento en la toma de ecografía como método diagnóstico, asociación que no fue demostrable para la tomografía axial computarizada. El grupo de pacientes que recibió analgesia presentó menor tiempo de estancia en urgencias sin conducta quirúrgica definida.; Compare the number of images taken from a group of patients with acute appendicitis who received analgesia before definitive diagnosis versus patients without this intervention...

Analgesia intra y postoperatoria prolongada mediante fentanilo percutáneo en artrodesis de columna tóraco lumbar

Barrera Álvarez, María Enriqueta
Fonte: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona, Publicador: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona,
Tipo: Tesis i dissertacions electròniques; info:eu-repo/semantics/doctoralThesis Formato: application/pdf
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.11%
The administration of transdermal fentanyl (TF) for postoperative analgesia is controversial due to the pharmacokinetic profile of the opioid preparation. Our study hypothesized that TF treatment started eight hours before spine fusion, provides safe and effective postoperative analgesia during 72h. In this randomized, prospective and double blind study, 52 patients received a transdermal fentanyl patch of 1,5 ug/kg/h (TF group) or a placebo patch (C group). The patch was applied 8 h before surgery in the chest wall and removed after 72 h. Patients had general anaesthesia with propofol, remifentanil, nitrous oxide and cis-atracurium, and before the end of surgery they received a bolus of 30 mg of intravenous ketorolac. For postoperative analgesia, we administered intravenous PCA with ketorolac and for rescue analgesia with tramadol ± morphine were used. We periodically evaluated pain intensity (PI) using a visual analogical scale (VAS), a verbal rating scale (VRS), and a pain relief scale. Postoperative analgesic requirements and adverse effects were registered. As secondary variables, we measured the plasma fentanyl concentrations, the satisfaction degree of the patients and the hospitalization duration. The TF group had significantly lower PI at rest and on movement...

Relationship between trauma severity and analgesia standarts used in traffic accident victims; Relación entre la gravedad del trauma y los estándares de analgesia utilizados en accidentados de tránsito; Relação entre a gravidade do trauma e padrões de analgesia utilizados em acidentados de transporte

Calil, Ana Maria; Pimenta, Cibele Andrucioli de Mattos
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.11%
This is a first-time study in Brazil, which identified the relations between the analgesic standard and trauma severity. To do this, an analysis was performed in a population of 200 traffic accident victims admitted for treatment at the emergency unit of a referral hospital for trauma care in the city of São Paulo. Trauma and lesion severity were characterized by anatomic severity indexes. Based on the analysis of the analgesic therapy, analgesia standards were constructed, founded on the World Health Organization analgesic scale. The results permitted to identify the statistic association between trauma severity and distinct analgesia standards. The dissemination of these findings could serve as the basis to design analgesia protocols in trauma and improve care quality, besides encouraging the development of studies in an area with so many knowledge gaps.; Trata-se de um estudo inédito realizado no país, que identificou relações entre o padrão analgésico e a gravidade do trauma. Para tal, analisou-se uma população de 200 acidentados de transporte admitidos para tratamento na unidade de emergência de um hospital referência para o atendimento ao trauma no Município de São Paulo. A gravidade das lesões e do trauma foi caracterizada por índices de gravidade anatômicos. A partir da análise da terapia analgésica encontrada...

Pain intensity of pain and adequacy of analgesia; Intensidad del dolor y adecuación de la analgesia; Intensidade da dor e adequação de analgesia

Calil, Ana Maria; Pimenta, Cibele A. de Mattos
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.13%
An unprecedented study in Brazil analyzed pain intensity and adequacy of analgesia at an emergency center. One hundred accident victims attended at a trauma reference hospital were evaluated. Pain was present in 90% of cases; 56.0% complained of severe pain on first evaluation and, three hours later, 26.0% remained in severe pain and 38.0% in moderate pain. A significant portion of the study population did not receive analgesia during the observation period. Considerable numbers of inadequate analgesia were found, confirming the reduced importance of analgesia in trauma in Brazil.; Se trata de un estudio inédito en nuestro medio, en el cual se evaluó la intensidad del dolor y el adecuado procedimiento de analgesia en un sector de emergencia. Se evaluó a 100 víctimas de accidentes de tránsito atendidas en un hospital de referencia para trauma. El dolor fue constatado en el 90,0% de los casos. El 56,0% relató dolor intenso en la primera evaluación. Después de 3 horas de observación, el 26,0% permaneció con dolor intenso y el 38,0% con dolor moderado. Una significativa parte de la población estudiada permaneció sin analgesia durante el período de observación. Se encontró números expresivos de analgesia inadecuada, lo que demuestra la reducida importancia que se da a la analgesia en el trauma en nuestro medio.; Trata-se de um estudo inédito em nosso meio...

SATISFACCIÓN Y CALIDAD EN ANALGESIA DEL PARTO

Quintana,María Virginia; Torrado,María José; Núñez,Maryana; Bouchacourt,Juan Pablo; Álvarez,Enrique
Fonte: Anestesia Analgesia Reanimación Publicador: Anestesia Analgesia Reanimación
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.9%
Introducción La satisfacción de la paciente en analgesia del parto es uno de los objetivos más importantes que perseguimos y es también una medida de resultado y calidad. Los factores asociados a la satisfacción materna resultan aún desconocidos. Objetivos Nuestro objetivo es medir la satisfacción de las pacientes asociada a la analgesia del parto y analizar las características demográficas de nuestra población obstétrica. Métodos Realizamos un estudio descriptivo prospectivo a las parturientas, mediante una encuesta a cada paciente. La satisfacción materna fue medida en forma cualitativa y el dolor mediante la escala visual análoga, al inicio y luego de la analgesia para medir la eficacia de la misma. Resultados Se recogieron un total de 151 encuestas. De estas 151 pacientes, un altísimo porcentaje estuvieron satisfechas y calmadas, 98.01% recomendarían la técnica y 93.37% volverían a solicitarla en un futuro parto. Conclusiones La satisfacción materna está fuertemente determinada por la efectividad de la técnica (alivio del dolor), no dependiendo solo de éste sino también de otros factores como son el apoyo percibido durante el trabajo de parto y experiencias previas.

Analgesia Obstétrica Sistémica con Remifentanilo y Dexmedetomidina.

Freza Domínguez,Jesús Alberto
Fonte: Anestesia Analgesia Reanimación Publicador: Anestesia Analgesia Reanimación
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.9%
Para todas las mujeres el trabajo de parto y el parto son experiencias dolorosas, sumado a esto, el miedo y la ansiedad pueden incrementarlo y dificultar su manejo. Así mismo el dolor durante la labor de parto es equiparable con el dolor post-quirúrgico, sin olvidarnos que además la atención del trabajo de parto es un procedimiento médico de alto valor y prevalencia a nivel mundial. En la analgesia obstétrica el estándar de oro es la técnica regional pero cuando esta se encuentra contraindicada o rechazada por la paciente, habitualmente se decide abandonar la analgesia y proseguir la labor de parto con dolor; dejando a un lado toda la información descrita en la literatura con respecto a que el adecuado tratamiento del dolor disminuye la morbilidad y mortalidad materno fetal, además de obtenerse mejorías en relación al costo-beneficio acortando el tiempo de estancia hospitalaria e impactando favorablemente en la economía de los pacientes. El uso de sedantes y narcóticos en la paciente en labor de parto siempre ha sido motivo de controversia ya que estos medicamentos tienden a cruzar la membrana placentaria y pueden tener efectos nocivos sobre el neonato. Sin embargo; los medicamentos más nuevos como remifentanilo debido a sus propiedades farmacocinéticas aunque cruzan la placenta no producen efectos secundarios clínicamente significativos en el binomio madre-feto. Además de que la dexmedetomidina no pasa a la circulación fetal...

Analgesia intratecal con morfina-fentanil en cirugía cardíaca

Samaniego,Anabella; Mourelle,Pablo
Fonte: Anestesia Analgesia Reanimación Publicador: Anestesia Analgesia Reanimación
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
46.75%
resumen objetivo Evaluar los efectos analgésicos intra y posoperatorios de la administración intratecal de morfina y fentanil, en cirugía cardíaca. material y métodos Estudio prospectivo, randomizado, controlado, simple ciego. Se analizaron 21 pacientes coordinados para cirugía cardíaca. Diez pacientes (grupo intratecal: IT) recibieron 1mcg/kg de fentanil más 500 mcg de morfina intratecales, previo a la inducción anestésica. Once pacientes (grupo control: C) no recibieron opiáceos intratecales. resultados No hubo diferencias estadísticamente significativas en: características demográficas y quirúrgicas, consumo de fármacos intraoperatorios ni en las variables hemodinámicas intraoperatorias. Se observó una menor intensidad de dolor, significativamente diferente para las 24 horas y menor consumo de analgésicos posoperatorios en el grupo IT. Los tiempos de extubación fueron más prolongados y la PaCO2 posoperatoria fue más elevada, pero en forma no significativa en el grupo IT. Un paciente requirió apoyo ventilatorio no invasivo por 12 horas. conclusiones La combinación de 1mcg/kg de fentanil más 500 mcg de morfina intratecales determinó analgesia posoperatoria