Página 1 dos resultados de 196 itens digitais encontrados em 0.055 segundos

Organizadores e cortadores de comprimidos: riscos e restrições ao uso; Pill organizers and pill cutters: risks and limitations

Oliveira, Caroline Ribeiro de Borja
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública; São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública; São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
86.01%
Com base em análise documental, foram discutidas e problematizadas as limitações associadas à utilização de organizadores e cortadores de comprimidos, como questão de saúde pública. Os organizadores destinados ao armazenamento e transporte de comprimidos e cápsulas expõem essas formas farmacêuticas a fatores ambientais dos quais estariam protegidos em suas embalagens originais, comprometendo sua estabilidade, eficácia e segurança. Os cortadores oferecem risco adicional quanto a perda da eficácia, reações adversas e intoxicação. Por outro lado, o transporte de medicamentos pelo usuário é reflexo da conciliação entre autonomia e autocuidado e a partição de comprimidos é necessária para cumprir certos regimes posológicos. Conclui-se que cabe aos profissionais observar e orientar pacientes e cuidadores, visando à adequação dessas condutas e à prevenção dos riscos envolvidos.; In this essay, based on documental analysis, the limitations associated with the use of pill organizers and cutters are discussed and analyzed as a matter of public health. The use of the organizers for storing and carrying tablets and capsules exposes these medications to environmental factors from which their original packaging protected them...

Aspectos da produção científica da vigilância sanitária de medicamentos; Aspects of scientific production on medicines sanitary surveillance

Silva, Alessandro Izidoro da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.02%
Introdução Sabe-se que a cadeia do produto farmacêutico é extensa, ampla, dinâmica e que é influenciada constantemente por diversos campos da sociedade. O estudo do risco envolvido em todo o ciclo de produtos farmacêuticos (da produção à pós-comercialização) é relevante diante das incertezas proporcionadas pela Ciência. A criação do SUS, os escândalos da falsificação de medicamentos, a consequente instauração da CPI dos medicamentos, o controle social, a implantação da Política de Medicamentos, o surgimento dos medicamentos genéricos, o advento da Anvisa e todo arcabouço legal advindo destas transformações deram força à democratização do País e a transparência da Gestão Pública. Objetivo Avaliar artigos científicos nacionais sobre aspectos da Vigilância Sanitária de Medicamentos a partir da criação do SUS (1990) até 2011. Métodos Pesquisa nas bases de dados: Lilacs, PubMed/Medline, Embase, Ipha, Web of Science e Scopus e seleção de artigos relacionados à Vigilância Sanitária de Medicamentos publicados entre 1990 e 2011. Resultados e Discussão - A esfera nacional das ações de Vigilância Sanitária foi a de maior foco de estudo (55,83 por cento ). O eixo Produção foi o mais pesquisado (50...

Bulas de medicamentos e a informação adequada ao paciente

Silva,Tatiane da; Dal-Pizzol,Felipe; Bello,Carina M; Mengue,Sotero S; Schenkel,Eloir P
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2000 Português
Relevância na Pesquisa
76.02%
OBJETIVO: Avaliar a adequação da forma e conteúdo da seção de "informações ao paciente" das bulas de medicamentos, freqüentemente prescritos no ambulatório de medicina interna de um hospital universitário. MÉTODOS: Foram selecionadas 48 bulas disponíveis em três redes de farmácia e três farmácias de pequeno porte de Porto Alegre, em junho de 1998. Por meio de um formulário, foi verificada a presença de frases de formato padronizado e outras informações exigidas pela Portaria 110, que regulamenta o conteúdo das bulas de medicamentos. RESULTADOS: Em nenhuma das bulas analisadas foi verificada a presença de todas as frases e demais informações exigidas pela legislação. Cuidados com o armazenamento e com o prazo de validade dos medicamentos foram as informações mais freqüentemente apresentadas nas bulas analisadas. CONCLUSÕES: Ausência de informações importantes para o usuário, sobre o medicamento nas bulas, reduz o seu valor enquanto material educativo para o paciente.

Determinantes nas intoxicações medicamentosas agudas na zona urbana de um município do Sul do Brasil

Margonato,Fabiana Burdini; Thomson,Zuleika; Paoliello,Mônica Maria Bastos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.23%
As intoxicações medicamentosas no Brasil resultam entre diversos fatores os relacionados a uma frágil política de medicamentos em nosso país. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar variáveis sócio-econômicas, tipos de indicação, formas de aquisição e armazenamento de medicamentos das pessoas acometidas por intoxicações medicamentosas agudas não-intencionais. Os dados foram coletados durante visitas domiciliares aos pacientes com registro de intoxicação medicamentosa aguda não-intencional pelo Centro de Controle de Intoxicações de Maringá, Paraná, em 2004. Foram estudadas variáveis relacionadas ao intoxicado, à intoxicação, ao medicamento e armazenamento doméstico de medicamentos. Dentre as 97 intoxicações registradas no período, foram entrevistadas 72 famílias, sendo a maioria de menores de 10 anos (73,6%), sexo masculino (54,2%), estratos econômicos C e D (63,9%). Muitos entrevistados referiram não ter recebido informações sobre o medicamento (76,5%). Houve associação significativa entre pessoas dos estratos econômicos C e D e armazenamento inadequado de medicamentos (p < 0,05). Entrevistados dos estratos econômicos A e B apresentaram medicamentos vencidos com maior freqüência (p < 0,05). Concluiu-se que condições inadequadas de aquisição e armazenamento domiciliar de medicamentos podem ter favorecido a ocorrência das intoxicações.

Estoque domiciliar de medicamentos na comunidade ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família, em Ibiá-MG, Brasil

Ribeiro,Maria Ângela; Heineck,Isabela
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
76.15%
O objetivo do estudo foi examinar o estoque de medicamentos na comunidade Ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família (PSF). Buscou-se descrever as características dos usuários, as condições de armazenamento, as classes terapêuticas, as formas farmacêuticas e a procedência dos medicamentos do estoque caseiro. Foram visitados 285 domicílios, no período de julho a setembro de 2004. Verificou-se que a média de medicamentos por domicílio foi de 8,4, e que 93,5% das famílias entrevistadas apresentaram pelo menos um medicamento em estoque. Os medicamentos estocados em maior número foram: analgésicos (11,15%), seguidos dos diuréticos (6,42%), antibacterianos para uso sistêmico (5,82%), anti-inflamatórios (5,08%) e antiácidos (4,10%). Embora seja considerável o número de medicamentos estocados nos domicílios, foi pequeno o número de medicamentos sem prescrição médica procedentes do Sistema Público de Saúde, sendo este um reflexo favorável dos serviços de Assistência Farmacêutica do Município. Apesar disso, foi verificado um elevado percentual (41,6%) de medicamentos adquiridos em farmácias sem a devida prescrição médica (automedicação). Foi encontrado um percentual de 18,5% de medicamentos vencidos. Verificou-se...

Uso de medicamentos armazenados em domicílio em uma população atendida pelo Programa Saúde da Família

Lima,Geandra Batista; Nunes,Lívio César Cunha; Barros,José Augusto Cabral de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 Português
Relevância na Pesquisa
86.12%
Abordar epidemiologicamente o uso de medicamentos impõe reconhecer que tal prática não se limita a fatores farmacoterapêuticos. O armazenamento adequado e a preservação de medicamentos são fatores fundamentais para a sua eficácia. O presente estudo teve como objetivo verificar a forma de armazenamento/uso de medicamentos em uma comunidade atendida pelo Programa/Estratégia Saúde da Família no município de Cristino Castro (PI), bem como o grau de conhecimento a respeito dos medicamentos mantidos sob sua guarda. Os dados foram obtidos em visitas domiciliares a 52 famílias, a partir de observações e da aplicação de um questionário. Observaram-se baixa renda e baixa escolaridade da população, fatores agravantes na efetiva orientação terapêutica e acesso aos fármacos. Elevado percentual dos medicamentos estocados é adquirido sem prescrição. Destacamos a classe dos antimicrobianos, reforçando o perigo da automedicação. 62% dos responsáveis pela guarda não possuem a orientação mínima para assegurar o uso racional, e 66% não tem ciência da toxicidade. 54,10% dos medicamentos estavam ao alcance de crianças e animais domésticos e 15,92% não possuíam rótulo ou qualquer identificação. Algumas famílias mantêm em estoque medicações básicas...

Gestão da Assistência Farmacêutica: módulo 4: unidade 3: programação, aquisição, armazenamento e distribuição de medicamentos

Blatt, Carine Raquel; Campos, Célia Maria Teixeira de; Becker, Indianara
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
86.18%
A eficiência do gerenciamento de estoques de medicamentos é fundamental para suprir as necessidades de medicamentos das instituições de saúde, além de colaborar também para diminuir gastos. Baseado nisso, a proposta de conteúdo visa detalhar as etapas de programação, aquisição, distribuição e armazenamento de medicamentos. Inicialmente, o conteúdo discutirá como desenvolver a atividade de programação nos serviço público, detalhando os diferentes métodos para este fim (consumo histórico, perfil epidemiológico, oferta de serviços, consumo ajustado...). Na sequência, serão abordadas as etapas da aquisição dos medicamentos, de modo a esclarecer os trâmites burocráticos desse processo. E, por fim, serão apresentados os cuidados no armazenamento e na distribuição, para evitar perdas e organizar o estoque de medicamentos, bem como o manejo dos resíduos de saúde. Ao final do desta unidade, espera-se que o especializando compreenda a importância do que foi discutido, para o gerenciamento da assistência farmacêutica.

Armazenamento de Medicamentos num Serviço Clínico. Normas e Sinalética de Segurança

Silva, S; Terra, M; Correia, AL
Fonte: Unidade Vértebro-Medular/Unidade de Fracturas e Serviços Farmacêuticos do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Publicador: Unidade Vértebro-Medular/Unidade de Fracturas e Serviços Farmacêuticos do Hospital de S. José, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE
Tipo: Outros
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
106.34%
1º Prémio no Encontro Histórias da Segurança do Doente; INTRODUÇÃO Os erros de medicação e as suas consequências negativas constituem actualmente um grave problema de saúde pública. As consequências clínicas em meio hospitalar são mais graves em relação às que ocorrem em ambulatório devido à complexidade e à agressividade das terapêuticas instituídas. Estratégias de prevenção do erro demonstraram melhorar a segurança na preparação da medicação, nomeadamente a utilização de sinalética nos locais de armazenamento dos medicamentos nos serviços clínicos. OBJETIVOS Descrever as etapas da aplicação das normas de segurança e de sinalética no armazenamento de medicamentos num serviço clínico. Analisar as normas do Centro Hospitalar Lisboa Central (CHLC) relacionadas com a segurança no armazenamento de medicamentos relativamente às recomendações nacionais e internacionais. DESENVOLVIMENTO O processo iniciou-se pela verificação do cumprimento dos procedimentos internos multissectoriais relacionados com a segurança dos medicamentos. Foram identificados todos medicamentos LASA (“Look Alike, Sound Alike”) existentes no serviço de acordo com a lista de medicamentos confundíveis anexa ao procedimento SDO.118 – Gestão do risco na utilização de medicação LASA. Os locais de armazenamento dos medicamentos “Sound Alike” foram rotulados utilizando a metodologia “tall man”. Quanto aos medicamentos “Look Alike”...

Relatório de Estágio Curricular – Farmácia Gama Vieira (Tondela)

Clemente, Jorge
Fonte: Escola Superior de Saúde da Guarda Publicador: Escola Superior de Saúde da Guarda
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
76.12%
Este relatório surge no âmbito da unidade curricular – Estágio Profissional II, inserida no curso de Farmácia 1º Ciclo da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico da Guarda e parte integrante dos planos de estudo relativos ao 2º semestre do 4º ano. O estágio foi realizado na Farmácia Gama Vieira (FGV) – Tondela, entre o dia vinte e quatro de fevereiro de dois mil e catorze e treze de junho do mesmo ano, com uma duração total de quinhentas horas, frequência de carácter obrigatória e sob orientação pedagógica da Professora coordenadora Fátima Roque e supervisão da Dr.ª Fátima Maria Vale. Segundo o Decreto-Lei n.º 66/2011, o estágio consiste na formação prática em contexto de trabalho que se destina a complementar e a aperfeiçoar as competências do estagiário, visando a sua inserção ou reconversão para a vida ativa de forma mais célere e fácil, bem como a obtenção de uma formação técnico-profissional e deontológica legalmente obrigatória para aceder ao exercício de determinada profissão (7). Dessa forma, torna-se fundamental o planeamento das diversas atividades e objetivos traçados para o período de estágio. Assim sendo, os objetivos principais definidos para este estágio consistiam essencialmente em reconhecer a farmácia como entidade prestadora de cuidados de saúde; compreender e descrever o circuito do medicamento...

Relatório de Estágio Curricular – Hospital Sousa Martins - ULSG (Guarda)

Carvalho, Leticia
Fonte: Escola Superior de Saúde da Guarda Publicador: Escola Superior de Saúde da Guarda
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
86.08%
O curso de Farmácia – 1º Ciclo tem várias saídas profissionais: uma delas, consiste em trabalhar numa Farmácia Hospitalar. O Técnico de Farmácia intervém em todas as fases do circuito do medicamento, de modo a promover uma utilização segura e racional. Ele trabalha diariamente, para ajudar a construir um sistema de saúde mais eficaz, eficiente e de qualidade. O Estágio é essencial na formação de um futuro Técnico de Farmácia, uma vez que o estudante aprende a aplicar os conhecimentos adquiridos e a desenvolver competências ao nível da Farmácia Hospitalar. O Estágio Profissional II do Curso de Farmácia – 1º Ciclo da Escola Superior de Saúde, do Instituto Politécnico da Guarda, decorreu no 4º ano do 2º semestre, entre o dia 10 de fevereiro de 2014 e o dia 16 de maio de 2014. Este estágio realizou-se nos Serviços Farmacêuticos do Hospital Sousa Martins da Guarda e teve a duração de 500 horas. A Dr.ª Anabela Santos supervisionou o estágio e a orientação pedagógica foi da responsabilidade da docente Sandra Ventura. No decorrer do estágio estava planeado a execução de diversas atividades tais como: a participação no processo de receção e armazenamento de medicamentos; a verificação de lotes e prazos de validade; a colaboração no registo de faltas de especialidades farmacêuticas; a participação nos vários sistemas de distribuição de medicamentos; a manipulação...

Relatório de Estágio Curricular – Hospital Sousa Martins (Guarda)

Torres, Ana
Fonte: Escola Superior de Saúde da Guarda Publicador: Escola Superior de Saúde da Guarda
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
86.11%
Para a realização destes objetivos foram realizadas as seguintes atividades: participação no processo de receção e armazenamento de medicamentos, produtos farmacêuticos ou dispositivos médicos; participação nos vários processos de distribuição de medicamentos; reembalagem e rotulagem de formas farmacêuticas. O presente relatório está organizado em quatro partes. A primeira parte é uma pequena introdução na qual é referido o tempo e o local de estágio, a sua finalidade, os objetivos, a forma como este relatório foi estruturado e alguns conceitos importantes. A segunda parte, o desenvolvimento, diz respeito à descrição do Hospital, especialmente da farmácia, ou seja, do seu espaço físico, equipamentos e recursos humanos e ao circuito do medicamento, produto farmacêutico ou dispositivo médico que abrange o aprovisionamento, a receção, o armazenamento, a distribuição e a administração dos medicamentos. Na reflexão, ou seja, na terceira parte, irei dar a minha opinião pessoal acerca de como correu o estágio e da importância pessoal e profissional que o mesmo teve. Para terminar, e como última parte deste relatório, a conclusão, irá focar a importância do TF. Por último, é importante referir nesta introdução que este relatório foi feito com base na bibliografia...

Relatório de Estágio Curricular – Hospital Nossa Senhora da Assunção (Seia)

Alonso, Jessica
Fonte: Escola Superior de Saúde da Guarda Publicador: Escola Superior de Saúde da Guarda
Tipo: bachelorThesis; bachelorThesis; bachelorThesis
Português
Relevância na Pesquisa
76.02%
Os principais objetivos deste estágio passam sobretudo por: - Reconhecer a farmácia como entidade prestadora de cuidados e serviços de saúde; - Conhecer e compreender todas as fases do circuito do medicamento e outros produtos de saúde, garantindo a sua qualidade e segurança num espaço de intervenção próprio e autónomo; - Participar no processo de receção e armazenamento de medicamentos e outros produtos de saúde; - Interpretar a prescrição médica em meio hospitalar e compreender o perfil terapêutico de cada doente; - Proceder à correta dispensa de medicamentos e outros produtos de saúde por serviços e/ou por doente; - Caracterizar a aplicação informática utilizada reconhecendo a sua importância ao longo de todo o circuito do medicamento; - Participar na manipulação, conservação e rotulagem de diferentes formas farmacêuticas de acordo com o manual de boas práticas; - Colaborar no registo de faltas de especialidades farmacêuticas, bem como, participar na verificação e registo de prazos de validade; Ao longo deste relatório será feita uma reflexão, descrição e crítica de todo o meu percurso ao longo deste estágio, sobretudo de todas as atividades que realizei ao longo deste estágio profissional que se enquadram nas diversas fases do circuito do medicamento.

Gestão da Assistência Farmacêutica: módulo 4: unidade 3: programação, aquisição, armazenamento e distribuição de medicamentos

Blatt, Carine Raquel; Campos, Célia Maria Teixeira de; Becker, Indianara
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Texto com 91 páginas no formato pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.25%
A eficiência do gerenciamento de estoques de medicamentos é fundamental para suprir as necessidades de medicamentos das instituições de saúde, além de colaborar também para diminuir gastos. Baseado nisso, a proposta de conteúdo visa detalhar as etapas de programação, aquisição, distribuição e armazenamento de medicamentos. Inicialmente, o conteúdo discutirá como desenvolver a atividade de programação nos serviço público, detalhando os diferentes métodos para este fim (consumo histórico, perfil epidemiológico, oferta de serviços, consumo ajustado...). Na sequência, serão abordadas as etapas da aquisição dos medicamentos, de modo a esclarecer os trâmites burocráticos desse processo. E, por fim, serão apresentados os cuidados no armazenamento e na distribuição, para evitar perdas e organizar o estoque de medicamentos, bem como o manejo dos resíduos de saúde. Ao final do desta unidade, espera-se que o especializando compreenda a importância do que foi discutido, para o gerenciamento da assistência farmacêutica.; 1.0; Ministério da Saúde

Avaliação da assistência farmacêutica em unidades de estratégia saúde da família de um município do sul de Santa Catarina

Souza, Raisla Martins de
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
Português
Relevância na Pesquisa
76.16%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel no curso de Farmácia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; A aplicação de indicadores para a avaliação das ações desenvolvidas pela Assistência Farmacêutica nos municípios é uma estratégia de organização da atenção e gestão em saúde. O objetivo deste estudo é avaliar as atividades de Assistência Farmacêutica realizadas em unidades de saúde da família de um município do sul de Santa Catarina. Trata-se de um estudo exploratório transversal de caráter descritivo utilizando como técnica de coleta de dados a observação participante e a entrevista estruturada. Para avaliação foram utilizados indicadores de acesso, qualidade e uso racional de medicamentos, seguindo a metodologia proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 55% das unidades pesquisadas havia registro de movimentação de estoque e 83,6% dos medicamentos estavam disponíveis. A presença de medicamentos vencidos foi verificada em 36% das unidades. Quanto às condições de armazenamento o resultado foi de 65,08% no almoxarifado/estoque e 62,14% na área de dispensação. Os indicadores de uso racional demonstraram que 94...

Avaliação do estoque domiciliar de medicamentos em um bairro do município de Criciúma-SC

Silveira, Caroline Selau
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
Português
Relevância na Pesquisa
76.25%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel no curso de Farmácia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; O objetivo do estudo foi avaliar o estoque domiciliar de medicamentos em um bairro no município de Criciúma- SC. Buscou-se identificar e avaliar os locais e as condições de armazenamento, verificar se o responsável pelo armazenamento domiciliar de medicamentos recebeu instruções de como armazená-los; as classes terapêuticas, as formas farmacêuticas e a procedência dos medicamentos mais prevalentes no estoque. Foram entrevistados 101 indivíduos. Verificou-se que a média de medicamentos por domicílio foi de 5,49 e que todas as famílias entrevistadas apresentaram pelo menos um medicamento em estoque, totalizando 554 especialidades farmacêuticas. A forma farmacêutica mais prevalente foi a sólida (86,1%) e o principal local de obtenção dos medicamentos foram às farmácias comerciais (60,8%). Os locais mais comuns de armazenamento foram a cozinha (72,3%) e quarto (19,8%). O estudo mostrou que 24,8% dos medicamentos estavam expostos à luz, 18,8% à umidade e 23,8% ao calor. Entre os participantes, 73,3% relataram que já receberam orientação de como armazenar corretamente os medicamentos. O estoque domiciliar de medicamentos contribui com o uso inadequado...

Utilization of parenteral drugs in vials at a pediatric unit of a university hospital; Uso de medicamentos parenterales en frascos-ampolla en un servicio pediátrica de un hospital universitario; Utilização de medicamentos parenterais em frascos-ampola em uma unidade pediátrica de um hospital universitário

Souza, Maria Clara Padovani de; Goulart, Marta Aparecida; Rosado, Viviane; Reis, Adriano Max Moreira
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.04%
This observational study aimed to determine the frequency of utilization of vials containing parenteral medications in a pediatric unit, and to identify nursing team actions related to their preparation and administration. Data were collected from prescription forms and by checking these drugs in the refrigerator and stocks at the unit. Vials were prescribed to 30.8% of patients. Aspects such as: reconstitution, storage, temperature and drug label were observed. Only 6.8% of the drugs had all the information researched in order to evaluate the process of preparation and administration. The correct identification of vials is important for the safe use of medication. Training programs for the healthcare team and the adoption of intravenous therapy guidelines are essential tools to optimize the utilization of parenteral medication.; Este estudio de observación determinó la frecuencia para utilizar medicamentos parenterales en frascos-ampolla en una unidad pediátrica, identificando las acciones del equipo de enfermería con respecto a su preparación y administración. Para la recolección de datos se utilizó la prescripción médica y la observación directa de los medicamentos en los frigideres y estantes del servicio. La presentación en frascos-ampolla fue prescripta en 30.8% de los pacientes. Se observó la reconstitución...

Estoque domiciliar de medicamentos na comunidade ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família, em Ibiá-MG, Brasil; Drug storage at home in the community assisted by the Family Health Programme in Ibiá, MG, Brazil

Ribeiro, Maria Ângela; Heineck, Isabela
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
76.15%
O objetivo do estudo foi examinar o estoque de medicamentos na comunidade Ibiaense acompanhada pelo Programa Saúde da Família (PSF). Buscou-se descrever as características dos usuários, as condições de armazenamento, as classes terapêuticas, as formas farmacêuticas e a procedência dos medicamentos do estoque caseiro. Foram visitados 285 domicílios, no período de julho a setembro de 2004. Verificou-se que a média de medicamentos por domicílio foi de 8,4, e que 93,5% das famílias entrevistadas apresentaram pelo menos um medicamento em estoque. Os medicamentos estocados em maior número foram: analgésicos (11,15%), seguidos dos diuréticos (6,42%), antibacterianos para uso sistêmico (5,82%), anti-inflamatórios (5,08%) e antiácidos (4,10%). Embora seja considerável o número de medicamentos estocados nos domicílios, foi pequeno o número de medicamentos sem prescrição médica procedentes do Sistema Público de Saúde, sendo este um reflexo favorável dos serviços de Assistência Farmacêutica do Município. Apesar disso, foi verificado um elevado percentual (41,6%) de medicamentos adquiridos em farmácias sem a devida prescrição médica (automedicação). Foi encontrado um percentual de 18,5% de medicamentos vencidos. Verificou-se...

Uso de medicamentos armazenados em domicílio em uma população atendida pelo Programa Saúde da Família

Lima,Geandra Batista; Nunes,Lívio César Cunha; Barros,José Augusto Cabral de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 Português
Relevância na Pesquisa
86.12%
Abordar epidemiologicamente o uso de medicamentos impõe reconhecer que tal prática não se limita a fatores farmacoterapêuticos. O armazenamento adequado e a preservação de medicamentos são fatores fundamentais para a sua eficácia. O presente estudo teve como objetivo verificar a forma de armazenamento/uso de medicamentos em uma comunidade atendida pelo Programa/Estratégia Saúde da Família no município de Cristino Castro (PI), bem como o grau de conhecimento a respeito dos medicamentos mantidos sob sua guarda. Os dados foram obtidos em visitas domiciliares a 52 famílias, a partir de observações e da aplicação de um questionário. Observaram-se baixa renda e baixa escolaridade da população, fatores agravantes na efetiva orientação terapêutica e acesso aos fármacos. Elevado percentual dos medicamentos estocados é adquirido sem prescrição. Destacamos a classe dos antimicrobianos, reforçando o perigo da automedicação. 62% dos responsáveis pela guarda não possuem a orientação mínima para assegurar o uso racional, e 66% não tem ciência da toxicidade. 54,10% dos medicamentos estavam ao alcance de crianças e animais domésticos e 15,92% não possuíam rótulo ou qualquer identificação. Algumas famílias mantêm em estoque medicações básicas...

Determinantes nas intoxicações medicamentosas agudas na zona urbana de um município do Sul do Brasil

Margonato,Fabiana Burdini; Thomson,Zuleika; Paoliello,Mônica Maria Bastos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
76.23%
As intoxicações medicamentosas no Brasil resultam entre diversos fatores os relacionados a uma frágil política de medicamentos em nosso país. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar variáveis sócio-econômicas, tipos de indicação, formas de aquisição e armazenamento de medicamentos das pessoas acometidas por intoxicações medicamentosas agudas não-intencionais. Os dados foram coletados durante visitas domiciliares aos pacientes com registro de intoxicação medicamentosa aguda não-intencional pelo Centro de Controle de Intoxicações de Maringá, Paraná, em 2004. Foram estudadas variáveis relacionadas ao intoxicado, à intoxicação, ao medicamento e armazenamento doméstico de medicamentos. Dentre as 97 intoxicações registradas no período, foram entrevistadas 72 famílias, sendo a maioria de menores de 10 anos (73,6%), sexo masculino (54,2%), estratos econômicos C e D (63,9%). Muitos entrevistados referiram não ter recebido informações sobre o medicamento (76,5%). Houve associação significativa entre pessoas dos estratos econômicos C e D e armazenamento inadequado de medicamentos (p < 0,05). Entrevistados dos estratos econômicos A e B apresentaram medicamentos vencidos com maior freqüência (p < 0,05). Concluiu-se que condições inadequadas de aquisição e armazenamento domiciliar de medicamentos podem ter favorecido a ocorrência das intoxicações.

Estoque doméstico e uso de medicamentos em uma população cadastrada na estratégia saúde da família no Brasil

Mastroianni,Patricia de Carvalho; Lucchetta,Rosa Camila; Sarra,Josiane dos Reis; Galduróz,José Carlos Fernandez
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.01%
OBJETIVO: Identificar domicílios atendidos pela estratégia saúde da família (ESF) que possuíam estoque de medicamentos, avaliar as condições de armazenamento e conhecer o modo de uso dos medicamentos. MÉTODOS: O estudo foi conduzido em um município do Estado de São Paulo que possui duas unidades da ESF, com 1 867 domicílios cadastrados; a amostra foi definida por meio de sorteio aleatório estratificado. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas de julho a outubro de 2008. RESULTADOS: Foi entrevistado um morador em cada um dos 280 domicílios visitados. Foram encontrados medicamentos em 255 domicílios (91,1%). Dos 326 locais de guarda de medicamentos, 217 (75,8%) eram inadequados (de fácil acesso a crianças ou expostos a umidade, luz). Das 2 578 especialidades farmacêuticas encontradas, 2 059 (79,9%) tinham algum problema de segurança ou identificação, o que foi observado em 236 (84,3%) domicílios. Dos 280 entrevistados, 179 (63,9%) eram usuários de medicamentos. Desses, 24 estavam se automedicando, apenas um com medicamento que não exigia prescrição. Somente 44 usuários tinham a prescrição do medicamento. O medicamento era usado de forma diferente da prescrição por 21 entrevistados...