Página 1 dos resultados de 4426 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Osteopetrose maligna: transplante de medula óssea; Malignant osteopetrosis: bone marrow transplantation

BORSATO, Maria L.; CASTRO, Helaine C.; PIZZA, Maria; SILVA, Helena R. M.; LUPORINI, Silvia M.; TANAKA, Paula Y.; CASTRO, Nelson S.; BRUNIERA, Paula; BARROS, José C. A.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
96.41%
A osteopetrose é uma osteopatia hereditária caracterizada pela deficiência na reabsorção óssea que ocorre por disfunção dos osteoclastos. Com o acúmulo de material osteóide que oblitera o canal medular, ocorre hematopoiese extramedular (hepato-esplenomegalia), obliteração dos forames dos nervos cranianos (cegueira, surdez, paralisias faciais), macrocefalia, protusão da fronte, hipertelorismo, exoftalmo, aumento da pressão intracraniana, retardo na erupção dentária, atraso no crescimento, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, e a morte ocorre precocemente nos primeiros anos de vida. A única alternativa terapêutica curativa é o transplante de medula óssea (TMO) de doador HLA idêntico, pois restabelece a hematopoiese e a função monócito-macrófago, com melhora das lesões ósseas e anormalidades hematopoiéticas, embora não reverta as alterações sensoriais já instaladas. Os autores relatam casos de duas crianças portadoras de osteopetrose maligna submetidas ao transplante de medula óssea com sucesso. A primeira encontra-se no dia +1260 do TMO, com melhora evidente da radiologia esquelética, sem progressão das deficiências neurológicas que apresentava, e com biópsia óssea sem sinais de osteopetrose. O segundo paciente encontra-se no dia + 700...

"Avaliação da mucosite oral em pacientes que receberam adequação bucal prévia ao transplante de medula óssea" ; Evaluation of oral mucositis in patients submitted to oral care previous to Bone Marrow Transplantation.

Santos, Paulo Sergio da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
96.36%
Nesta pesquisa foi avaliada a incidência e a severidade da mucosite oral em pacientes que foram submetidos à adequação bucal previamente ao Transplante de Medula Óssea. Foi realizado exame clínico e radiográfico dos pacientes portadores de Leucemia Mielóide Crônica que estavam se preparando para o transplante. Após a avaliação inicial dos pacientes foram realizados os tratamentos odontológicos necessários para a remoção de quaisquer focos de infecção bucal. Todos os pacientes receberam o mesmo tipo de condicionamento quimioterápico e de profilaxia para Doença do Enxerto-Contra-Hospedeiro. Todos os pacientes receberam adequação bucal e foram avaliados durante o período de internação hospitalar para o transplante pelo mesmo Cirurgião Dentista. Os resultados mostraram que a mucosite grau 0 foi encontrada em 5 pacientes (14,29%), grau 1 em 8 pacientes (22,85%), grau 2 em 17 pacientes (48,57%), grau 3 em 3 pacientes (8,57%) e grau 4 em 2 pacientes (5,71%). Estes dados sugerem que a adequação bucal realizada previamente ao Transplante de Medula Óssea reduziu a severidade da mucosite oral, salientando a importância da presença do Cirurgião Dentista na equipe multidisciplinar em um serviço de Transplante de Medula Óssea.; The aim of this research was to evaluate the incidence and the severity of the oral mucositis in patients submitted to dental treatment before the Bone Marrow Transplantation. Clinical and radiographical examination was performed in patients with Chronic Myeloid Leukemia who would be submitted to transplantation. After patient’s initial evaluation...

Avaliação da reconstituição imunológica e da resposta anti-citomegalovirus nos receptores de transplante de medula óssea; Anti-cytomegalovirus immunity reconstitution following autologous and allogeneic stem cell and bone marrow transplantation as assessed by CD8+ T cell phenotyping and functio

Ferrari, Valeria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2005 Português
Relevância na Pesquisa
96.37%
O citomegalovírus (CMV) é uma séria ameaça aos receptores de transplante de medula óssea. A reativação está associada com uma imunidade mediada por células TCD8+ defeituosa. Nosso objetivo foi correlacionar as diferentes subpopulações de células TCD8+ com a reconstituição imunológica dos pacientes, especificamente a imunidade anti-CMV, analisando as subpopulações de células T infundidas nas diferentes modalidades de transplante de medula óssea. Receptores de transplante alogênico de células tronco mobilizadas para o sangue periférico (n=16) ou coletadas diretamente da medula óssea (n=28) e receptores de transplante autólogo de células tronco mobilizadas para o sangue periférico (n=22) foram avaliados. Verificamos que as transferências de células mobilizadas para o sangue periférico dos doadores, tanto nos transplantes alogênicos como autólogos, são proporcionalmente enriquecidas por subpopulações de células memória efetora e efetora, comparadas às transferências de células procedentes diretamente da medula óssea. Este enriquecimento por subpopulações de células TCD8+ mais diferenciadas foi também correlacionado com maior número de células contendo altos níveis de granzima B, considerado um marcador para linfócitos citotóxicos...

Análise quantitativa das células de Langerhans em mucosa bucal de pacientes submetidos ao transplante de medula óssea alogênico com doença enxerto contra hospedeiro crônica; Quantitative analysis of Langerhans cells in oral mucosa of patients treated with allogeneic bone marrow transplantation with chronic graft versus host disease

Orti-Raduan, Érika Sinara Lenharo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
96.34%
A doença enxerto contra hospedeiro é uma complicação comum nos pacientes submetidos ao transplante de medula óssea alogênico. Com o objetivo de contribuir para o esclarecimento da participação das células de Langerhans na doença enxerto contra hospedeiro crônica (GVHDc) quando de sua ocorrência na mucosa bucal, foram analisados 40 pacientes oncohematológicos e hematológicos submetidos ao transplante de medula óssea alogênico no Hospital Amaral Carvalho, Jaú - SP. Cortes microscópicos de 3µm de espessura da mucosa jugal com padrão de normalidade (controle - 20 pacientes) e de pacientes transplantados com e sem GVHDc, foram avaliados em hematoxilina e eosina e pela técnica imuno-histoquímica padrão da estreptavidina-biotina-peroxidase utilizando-se o anticorpo monoclonal anti- CD1a. As células de Langerhans imunomarcadas foram quantificadas no epitélio da mucosa jugal, sendo o número médio destas células estatisticamente comparado entre os pacientes controle e os pacientes transplantados com e sem GVHDc. Os resultados demonstraram um maior número de células de Langerhans na mucosa jugal dos pacientes com GVHDc quando comparado aqueles sem GVHDc e ao grupo controle (p=0,001). Foi observado também, a presença de intenso infiltrado inflamatório crônico...

Estudo pioneiro do impacto da qualidade de vida em pacientes diabéticos submetidos ao transplante de medula óssea; Pioneering study of the impact on quality of life in diabetic patients submitted to bone marrow transplantation.

Silva, Amanda Ferraz Salomé
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2008 Português
Relevância na Pesquisa
96.37%
O diabetes mellitus (DM) é uma síndrome de etiologia múltipla decorrente da falta de insulina e/ou incapacidade da insulina exercer adequadamente seus efeitos. Existem dois tipos de diabetes: diabetes mellitus tipo 1 e diabetes mellitus tipo 2. As conseqüências do DM, a longo prazo, incluem disfunção e falência de vários órgãos, especialmente rins, olhos, nervos, coração e vasos sanguíneos. O Transplante de Medula Óssea (TMO), na sua modalidade autóloga, é um procedimento utilizado no tratamento de doenças auto-imunes como o diabetes mellitus tipo 1, alternativa experimental ao tratamento convencional (insulinoterapia). Este procedimento, porém, é constituído por fases potencialmente estressoras para o paciente. O objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade de vida e ajustamento psicológico de pacientes com diabetes tipo 1 que se submeteram ao TMO. As avaliações ocorreram em dois momentos distintos: admissão do paciente (pré-TMO) e retorno ambulatorial de cem dias após o transplante (pós-TMO). A população foi composta por 14 pacientes, sendo 10 homens e quatro mulheres, com idades entre 14 e 31 anos. Todos ficaram internados na enfermaria da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (UTMO-HCRP-USP) entre os meses de outubro de 2005 e dezembro de 2006. Os instrumentos aplicados para a coleta de dados consistiram em entrevista semi-estruturada...

Diagnóstico de vírus por microscopia eletrônica em urina de pacientes com hematúrias/cistite hemorrágica após transplante de medula óssea: associação com aspectos clínicos; Electron microscopic viral diagnosis in urine of patients with hematuria/hemorrhagic cystitis after bone marrow transplantation: association with clinical aspects

Castelli, Jussara Bianchi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2000 Português
Relevância na Pesquisa
96.39%
Pacientes submetidos ao transplante de medula óssea, apresentando hematúria/cistite hemorrágica, tiveram amostras de urina analisadas pela microscopia eletrônica. Esta foi a técnica escolhida de pesquisa viral pela sua confiabilidade. Noventa em 402 pacientes submetidos ao transplante de medula óssea neste serviço apresentaram hematúria/cistite hemorrágica (incidência de 22%). O estudo por microscopia eletrônica foi realizado em 72 destes pacientes com hematúria/cistite hemorrágica (grupo de estudo), identificando 55,6% (40/72) de positividade viral. Foram também estudadas amostras de urina de 12 pacientes submetidos ao transplante de medula óssea sem hematúria/cistite hemorrágica (grupo controle); houve associação significante entre a presença de vírus e hematúria/cistite hemorrágica (p<0,01 - Teste exato de Fisher). No grupo com hematúria/cistite hemorrágica, 65% (26/40) dos vírus detectados pertenciam à família Poliomaviridae, 30% (12/40) à Adenoviridae, e 5% (2/40) foram positivos para ambas as famílias. Houve associação entre a positividade para vírus e a presença da doença enxerto-contra-hospedeiro (p=0,05-x2) e o de início tardio (>dia+21) da H/CH (P=0,04-x2), bem como entre a doença enxerto-contra-hospedeiro e a severidade da H/CH (p=0...

Transplante de medula óssea e transplante de sangue de cordão umbilical em pediatria; Bone marrow transplantation and cord blood transplantation in children

Castro Junior, Cláudio Galvão de; Gregianin, Lauro José; Brunetto, Algemir Lunardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
Objetivo: descrever as indicações, tipos, principais etapas e complicações do transplante de medula óssea, na forma de uma revisão, com a finalidade de facilitar a compreensão do processo pelo pediatra. Fontes de dados: revisão bibliográfica sobre o tema, utilizandose como base de dados o Medline. Síntese dos dados: são abordados os tipos de transplantes de medula óssea autogênico, singênico e alogênico com suas indicações clínicas, os procedimentos de seleção de doadores, de coleta e infusão das células que irão reconstituir os sistemas hematopoético e imunológico. Expõem-se as alternativas para condicionamento pré-transplante e as novas fontes de células, como o sangue de cordão umbilical, descrevendo-se os resultados e as principais complicações relacionadas ao procedimento, tais como infecções oportunistas, doença enxerto contra hospedeiro, complicações hepáticas, gastrintestinais, gênito-urinárias e cárdio-respiratórias. Aborda- se o risco de complicações tardias e seu impacto na qualidade de vida pós-transplante. Conclusões: o transplante de medula óssea não proporciona a todos os pacientes uma sobrevida absolutamente normal, mas é um progresso considerável no tratamento das doenças que há pouco tempo não apresentavam alternativas terapêuticas satisfatórias. Conhecendo as diversas etapas do procedimento e sua morbidade...

Análise clínica e epidemiológica do transplante de medula óssea em um serviço de oncologia pediátrica; Clinical and epidemiological analysis of bone marrow transplantation in a pediatric oncology unit

Castro Junior, Cláudio Galvão de; Gregianin, Lauro José; Brunetto, Algemir Lunardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.39%
Objetivos: Descrever o perfil e as complicações agudas mais importantes das crianças que receberam transplante de medula óssea no serviço de oncologia pediátrica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Casuística e métodos: Análise retrospectiva de 41 pacientes, menores de 21 anos, transplantados entre agosto de 1997 até junho de 2002. Deste total, 20 pacientes receberam transplante alogênico, e 21 transplante autogênico. Resultados: No transplante de medula óssea alogênico, a média de idade foi de 8,9 + 5,4 anos, sendo 12 pacientes do sexo masculino. As fontes de células foram: medula óssea, 12; sangue periférico, 5; e sangue de cordão umbilical não aparentado, 3. As doenças tratadas foram: leucemia linfóide aguda em 7 pacientes, leucemia mielóide crônica em 2, leucemia mielóide aguda em 4, síndrome mielodisplásica em 2, linfoma de Burkitt em 1, anemia aplástica grave em 1, anemia de Fanconi em 1, síndrome Chediak-Higashi em 1, e imunodeficiência congênita combinada grave em 1. Um paciente desenvolveu doença do enxerto contra hospedeiro aguda grau 2, três pacientes grau 4, e outros três desenvolveram doença do enxerto contra hospedeiro crônica. Todos haviam recebido sangue periférico como fonte de células. A sobrevida global aos 4 anos foi de 70...

Clinical outcome in chronic myeloid leukemia after allogeneic hematopoietic stem cell transplantation: The experience of the Bone Marrow Transplantation Unit of FUNFARME/BRAZIL using FISH

Vendrame-Goloni, C. B.; Carvalho-Salles, A. B.; Ruiz, M. A.; Ricci, O.; Varella-Garcia, M.; Fett-Conte, A. C.
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 417-423
Português
Relevância na Pesquisa
96.43%
Investigation of the efficacy of allogeneic hematopoietic stem cell transplantation (allo-HSCT) in chronic myeloid leukemia patients is essential to predict prognosis and survival. In 20 patients treated at the Bone Marrow Transplantation Unit of São José do Rio Preto (São Paulo, Brazil), we used fluorescence in situ hybridization (FISH) to investigate the frequency of cells with BCR/ABL rearrangement at diagnosis and at distinct intervals after allo-HSCT until complete cytogenetic remission (CCR). We investigated the disease-free survival, overall survival in 3 years and transplant-related mortality rates, too. Bone marrow samples were collected at 1, 2, 3, 4, 6, 12, and 24 months after transplantation and additional intervals as necessary. Success rate of the FISH analyses was 100%. CCR was achieved in 75% of the patients, within on average of 3.9 months; 45% patients showed CCR within 60 days after HSCT. After 3 years of the allo-HSCT, overall survival rate was 60%, disease-free survival was 50% and the transplant-related mortality rate was 40%. The study demonstrated that the BCR-ABL FISH assay is useful for follow-up of chronic myeloid leukemia patients after HSCT and that the clinical outcome parameters in our patient cohort were similar to those described for other bone marrow transplantation units. ©FUNPEC-RP.

Late-onset persistent retinal microvascular changes after bone marrow transplantation: 3-year follow-up

Muccioli,Cristina; Belfort Jr,Rubens; Jorge,Rodrigo; Farah,Michel Eid; Pereira,Mauricio B.
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 Português
Relevância na Pesquisa
96.37%
Purpose: To describe a case of persistent retinopathy after bone marrow transplantation in the absence of radiation therapy. Methods: Case Report. Results: A 42 year-old man developed bilateral visual loss 15 months after receiving a bone marrow transplant for acute leukemia. The patient was treated with a high dose of cyclosporin A and oral corticosteroids. No radiation therapy was given. Late-onset, multiple, bilateral cotton-wool spots developed 15 months after the bone marrow transplantation and still persist. After three years other cotton-wool spots arose in the absence of any immunosuppressive therapy. Conclusions: Bone marrow transplantation microvasculopathy of the retina may be related to certain combinations of chemotherapy drugs or immunosuppression itself and may persist in the absence of these immunosuppressive drugs.

Addition of exogenous cytokines in mixed lymphocyte culture for selecting related donors for bone marrow transplantation

Visentainer,Jeane Eliete Laguila; Lieber,Sofia Rocha; Persoli,Lígia Beatriz Lopes; Vigorito,Afonso Celso; Aranha,Francisco José Penteado; Souza,Cármino Antonio de
Fonte: Associação Paulista de Medicina - APM Publicador: Associação Paulista de Medicina - APM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 Português
Relevância na Pesquisa
96.36%
CONTEXT: Mixed lymphocyte culturing has led to conflicting opinions regarding the selection of donors for bone marrow transplantation. The association between a positive mixed lymphocyte culture and the development of graft-versus-host disease (GVHD) is unclear. The use of exogenous cytokines in mixed lymphocyte cultures could be an alternative for increasing the sensitivity of culture tests. OBJECTIVE: To increase the sensitivity of mixed lymphocyte cultures between donor and recipient human leukocyte antigen (HLA) identical siblings, using exogenous cytokines, in order to predict post-transplantation GVHD and/or rejection. TYPE OF STUDY: Prospective study. SETTING: Bone Marrow Transplantation Unit, Universidade Estadual de Campinas. PARTICIPANTS: Seventeen patients with hematological malignancies and their respective donors selected for bone marrow transplantation procedures. PROCEDURES: Standard and modified mixed lymphocyte culturing by cytokine supplementation was carried out using donor and recipient cells typed for HLA. MAIN MEASUREMENTS: Autologous and allogenic responses in mixed lymphocyte cultures after the addition of IL-4 or IL-2. RESULTS: In comparison with the standard method, average responses in the modified mixed lymphocyte cultures increased by a factor of 2.0 using IL-4 (p < 0.001) and 6.4 using IL-2 (p < 0.001)...

Evaluation of early hospital discharge after allogeneic bone marrow transplantation for chronic myeloid leukemia

Nicolau,José Eduardo; Melo,Leila Maria Magalhães Pessoa de; Sturaro,Daniel; Saboya,Rosaura; Dulley,Frederico Luiz
Fonte: Associação Paulista de Medicina - APM Publicador: Associação Paulista de Medicina - APM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2007 Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
CONTEXT AND OBJECTIVE: The increasing number of patients waiting for bone marrow transplantation in our service led to the implement of an early hospital discharge program with the intention of reducing the interval between diagnosis and transplantation. In this study we analyzed the results from early discharge, with outpatient care for patients with chronic myeloid leukemia who underwent allogeneic bone marrow transplantation. DESIGN AND SETTING: Retrospective study at the Bone Marrow Transplantation Unit of Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. METHODS: We compared clinical outcomes within 100 days post-transplantation, for 51 patients with chronic myeloid leukemia (CML) who received partially outpatient-based allogeneic hematopoietic stem cell transplantation, and the results were compared with a historical control group of 49 patients who received inpatient-based hematopoietic stem cell transplantation. RESULTS: There were significantly fewer days of hospitalization (p = 0.004), Pseudomonas-positive cultures (p = 0.006) and nausea and vomiting of grade 2-3 (p < 0.001) in the outpatient group. There were no significant differences in mortality between the groups and no deaths occurred within the first 48 days post-transplantation in the outpatient group. CONCLUSIONS: This partially outpatient-based hematopoietic stem cell transplantation program allowed an increased number of transplantations in our institution...

Tumor vaccine strategies after allogeneic T-cell depleted bone marrow transplantation

Ferrara,James L.M.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
Allogeneic bone marrow transplantation is currently restricted to hematological malignancies because of a lack of anti-tumor activity against solid cancers. We have tested a novel treatment strategy to stimulate specific anti-tumor activity against a solid tumor after transplantation by vaccination with irradiated tumor cells engineered to secrete granulocyte-macrophage colony-stimulating factor. Using the B16 melanoma model, we found that vaccination elicited potent anti-tumor activity in recipients of syngeneic bone marrow transplantation in a time dependent fashion, and that immune reconstitution was critical for the development of anti-tumor activity. Vaccination did not stimulate anti-tumor immunity after allogeneic bone marrow transplantation because of the post-transplantation immunodeficiency associated with graft-versus-host disease. Remarkably, vaccination was effective in stimulating potent and long-lasting anti-tumor activity in recipients of T cell-depleted allogeneic bone marrow. Thus T cells derived from donor stem cells were able to recognize tumor antigens even though they remained tolerant to host histocompatibility antigens. Donor leukocyte infusion from a donor immunized with the recipient-derived B16 vaccines enhanced clinical activity of tumor vaccines without exacerbating graft-versus-host disease and CD4+ T cells are essential for this enhancement. These results demonstrate that vaccination of both donors and recipients can stimulate potent anti-tumor effects without the induction of graft-versus-host disease...

Central venous access through the external jugular vein in children submitted to bone marrow transplantation

Godoy,José Luiz de; Otta,Edson Keity; Miyazaki,Ricardo Atsumori; Bitencourt,Marco Antonio; Pasquini,Ricardo
Fonte: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar Publicador: Instituto de Tecnologia do Paraná - Tecpar
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 Português
Relevância na Pesquisa
96.34%
Establishment of long-term central venous access is a sine qua non step for bone marrow transplantation in children. Most frequently, long-term central venous access has been obtained via blind percutaneous cannulation of subclavian and internal jugular veins or via internal jugular vein cutdown. In order to avoid some potential minor and major complications associated with the subclavian or internal jugular approaches, the authors describe an easy, simple and safe method for central venous access through an external jugular vein cutdown that should be of interest to readers involved in the field of bone marrow transplantation. It should be also considered for children as well as adults needing central venous access via an external catheter - or totally implantable port - for reasons other than bone marrow transplantation, such as total parenteral nutrition and administration of chemotherapeutic agents.

Colonic complications following human bone marrow transplantation

Hernández-Magro,Paulino Martínez; Esparza,Juan Pablo Peña Ruiz; Sáenz,Eduardo Villanueva; Ramírez,José Luis Rocha; Morales,Enrique Gómez; Hermagnus,Isaac Felemovicius
Fonte: Sociedade Brasileira de Coloproctologia Publicador: Sociedade Brasileira de Coloproctologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
96.34%
BACKGROUND: Human bone marrow transplantation (BMT) becomes an accepted treatment of leukemia, aplastic anemia, immunodeficiency syndromes, and hematologic malignancies. Colorectal surgeons must know how to determine and manage the main colonic complications. OBJECTIVE: To review the clinical features, clinical and pathological staging of graft vs host disease (GVHD), and treatment of patients suffering with colonic complications of human bone marrow transplantation. PATIENTS AND METHODS: We have reviewed the records of all patients that received an allogeneic bone marrow transplant and were evaluated at our Colon and Rectal Surgery department due to gastrointestinal symptoms, between January 2007 and January 2012. The study was carried out in patients who developed colonic complications, all of them with clinical, histopathological or laboratory diagnosis. RESULTS: The study group was constituted by 77 patients, 43 male and 34 female patients. We identified colonic complications in 30 patients (38.9%); five patients developed intestinal toxicity due to pretransplant chemotherapy (6.4%); graft vs. host disease was present in 16 patients (20%); 13 patients (16.8%) developed acute colonic GVHD, and 3 (3.8%) chronic GVHD. Infection was identified in 9 patients (11.6%). CONCLUSIONS: The three principal colonic complications are the chemotherapy toxicity...

TRANSPLANTE AUTÓLOGO DE MEDULA ÓSSEA E IMUNOTERAPIA PÓS-TRANSPLANTE; AUTOLOGUS BONE MARROW TRANSPLANTATION AND POSTTRANSPLANT IMMUNOTHERAPY

Massumoto, Celso; Mizukami, Sally
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2000 Português
Relevância na Pesquisa
96.36%
Altas doses de quimioterapia, seguidas da infusão de stem cells hematopoéticas, é a terapêutica de escolha para uma variedade de neoplasias hematológicas e tumores sólidos. O transplante autólogo apresenta, associada ao procedimento, menor taxa de mortalidade, se comparado com o transplante alogênico de medula óssea, porém, as taxas de recidiva são superiores a este último e semelhantes às dos transplantes singênicos, e os resultados clínicos dependem da doença de base e do seu estadiamento clínico. A sobrevida livre de doença é maior quando os pacientes são transplantados sem evidência de doença ou com doença residual mínima, e é reduzida quando o transplante é realizado em estádios mais avançados. A terapia celular adotiva se refere ao emprego de linfócitos alogênicos como agentes do tratamento antitumoral. Por outro lado, a base racional para o emprego da Interleucina-2, nos transplantes autólogos de medula óssea, é a inexistência de barreira imunológica entre doador e receptor e a possível eliminação de células residuais que foram infundidas com a medula óssea. Como as recidivas costumam ocorrer nos primeiros meses após o transplante, a imunoterapia deve ser utilizada precocemente no contexto de doença residual mínima.; High dose chemotherapy followed by stem cell rescue is the treatment of choice for a variety of solid tumors and hematologic malignancies. The autologous bone marrow transplantation is associated with low mortality rate in comparison to allogeneic transplantation. However...

TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA EM LEUCEMIAS AGUDAS; BONE MARROW TRANSPLANTATION FOR ACUTE LEUKEMIAS

Tabak, Daniel G.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2000 Português
Relevância na Pesquisa
96.39%
O transplante de medula óssea constitui terapêutica eficaz no tratamento da leucemia mielóide aguda. Embora utilizado, inicialmente, em pacientes em fases tardias da doença, os melhores resultados são documentados em pacientes submetidos ao procedimento enquanto em primeira remissão. Avanços no manuseio do paciente neutropênico permitem, hoje, a utilização, com maior segurança, de regimes quimioterápicos agressivos que resultam em uma sobrevida prolongada, semelhante àquela observada após regimes mieloablativos. Ainda existem dúvidas sobre quais os pacientes que deveriam ser submetidos às diferentes modalidades de intensificação. Os estudos citogenéticos e uma melhor definição das características biológicas de cada indivíduo permitirão uma melhor seleção de pacientes. O melhor controle da Doença do Enxerto-contra-Hospedeiro, o melhor manuseio das complicações infecciosas pós-transplante, a utilização de regimes de condicionamento menos agressivos e a maior disponibilidade de doadores não aparentados permite antever uma maior aplicabilidade do transplante de medula óssea alogênico no tratamento da Leucemia Mielóide Aguda, inclusive em pacientes mais idosos. O papel do transplante autólogo precisa ser melhor definido. Por outro lado...

TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA EM ANEMIAS APLÁSTICAS; BONE MARROW TRANSPLANTATION FOR APLASTIC ANEMIA

Pasquini, Ricardo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2000 Português
Relevância na Pesquisa
96.35%
As aplasias medulares compreendem entidades clínicas adquiridas e congênitas que, através de mecanismos distintos, determinam redução acentuada da celularidade da medula óssea em uma ou mais linhagens, sem infiltração neoplásica ou fibrose. A intensidade das citopenias, no sangue periférico, confere a gravidade da doença, particularmente quando relacionada à trombocitopenia e à neutropenia. A Anemia Aplástica Severa (AAS) adquirida é a entidade mais freqüente deste grupo e seu tratamento consiste em medidas de suporte, terapia imunossupressora (TI) e transplante de medula óssea (TMO). O tratamento de suporte é fundamental para evitar complicações fatais, especialmente hemorragias e infecções. A escolha do tratamento definitivo, TI ou TMO, fundamenta-se na intensidade da neutropenia, na idade do paciente e, obviamente, na existência de doador aparentado HLA idêntico. O TMO está indicado nos casos de AAS com idade inferior a 20 anos e naqueles entre 20 e 40 anos, que sejam considerados de alto risco e, nesta mesma faixa etária ou acima de 40 anos, que não tenham respondido ao TI. Transfusões sangüíneas prévias ao TMO interferem no seu sucesso, pois os pacientes com menos de 15 transfusões apresentam uma sobrevida superior a 90% e naqueles mais transfundidos...

TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA EM PEDIATRIA E TRANSPLANTE DE CORDÃO UMBILICAL; BONE MARROW TRANSPLANTATION IN CHILDREN AND CORD BLOOD TRANSPLANTATION

Bouzas, Luís Fernando S.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/09/2000 Português
Relevância na Pesquisa
96.39%
O transplante de medula óssea tem sido utilizado em crianças, no tratamento de um crescente número de doenças hematológicas, malignas ou não, e nos tumores sólidos. A fonte de medula óssea, nesses casos, tem sido, na sua maioria, alogênica, incluindo doador relacionado HLA-idêntico; relacionado com um antígeno HLA diferente; não aparentados, HLAidênticos; ou, em raras circunstâncias, relacionado com dois ou três antígenos HLA diferentes . As células do sangue do cordão umbilical e placentário (SCUP) têm sido consideradas para transplante alogênico, aparentado ou não, com resultados promissores. A relativa facilidade de obtenção, a flexibilidade quanto à compatibilidade HLA entre pacientes e doadores e a possibilidade de armazenamento em bancos de células são alguns dos fatores que têm contribuído para o desenvolvimento da técnica. Os pacientes tratados com tumores sólidos recebem, em sua maioria, transplantes autogênicos de medula ou de células de sangue periférico. As complicações dos transplantes continuam a incluir a toxicidade precoce ou tardia dos regimes de condicionamento, doença de enxerto-contra-hospedeiro aguda e crônica, infecções, imunodeficiência prolongada e recidiva da doença de base. Com o aumento do tempo da sobrevida...

Functional Assessment of Cancer Therapy Bone Marrow Transplantation: tradução e validação; Functional Assessment of Cancer Therapy Bone Marrow Transplantation: portuguese translation and validation

Mastropietro, Ana Paula; Oliveira, Érika Arantes de; Santos, Manoel Antônio dos; Voltarelli, Júlio César
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
96.44%
OBJETIVO: Traduzir para o português e validar o questionário de qualidade de vida Functional Assessment of Cancer Therapy - Bone Marrow Transplantation (FACT-BMT) em pacientes transplantados de medula óssea. OBJETIVO: O estudo foi realizado em Ribeirão Preto, SP, em 2005. O FACT-BMT (versão 3) traduzido e a versão em português do Short Form-36 Health Survey (SF-36) foram aplicados simultaneamente em 55 pacientes consecutivos com leucemia, submetidos ao transplante e em seguimento. Dois parâmetros clínicos foram utilizados para testar a sensibilidade do questionário: tempo decorrido do transplante e presença ou não de doença do enxerto contra o hospedeiro. Foi utilizada a análise de variância (ANOVA) com o teste post hoc de Tukey. Aplicou-se o coeficiente alfa de Cronbach, padronizado para todas as questões, escore final e domínios. RESULTADOS: A média de idade dos pacientes foi 34,8±8,1 anos, com escolaridade média de 10,8±4,7 anos, sendo 78,1% do sexo feminino. A duração média de tempo pós-transplante foi de 29,8±32,19 meses. Nenhuma alteração do formato original do questionário foi observada no final do processo de tradução e adaptação cultural. A consistência interna foi alta (0...