Página 1 dos resultados de 1557 itens digitais encontrados em 0.019 segundos

Efeitos da enramicina e da monensina sódica no consumo de matéria seca, na fermentação ruminal e no comportamento alimentar em bovinos alimentados com dietas com alto nível de concentrado; Effects of enramycin and sodium monensin on dry matter intake, ruminal fermentation and alimentary behavior in bovine fed high-concentrate diets

BORGES, Luiz Felipe de Onofre; PASSINI, Roberta; MEYER, Paula Marques; PIRES, Alexandre Vaz; RODRIGUES, Paulo Henrique Mazza
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
Estudaram-se os efeitos da administração de enramicina e monensina sódica no consumo de matéria seca (MS), na fermentação ruminal e no comportamento alimentar de bovinos. Doze fêmeas bovinas não-gestantes e não-lactantes (675 ± 63 kg PC) foram distribuídas inteiramente ao acaso em três tratamentos, formados por um grupo controle, um grupo tratado com enramicina e outro tratado com monensina. Os animais foram alimentados com dieta contendo 60% de concentrado (milho, farelo de soja e minerais) e 40% de volumoso (cana-de-açúcar). A enramicina foi administrada na dose de 20 mg/animal/dia e a monensina na dose de 300 mg/animal/dia. O experimento teve duração total de 21 dias, de modo que o 21º dia foi utilizado para coleta de líquido ruminal, realizada às 0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 horas após a primeira refeição. A monensina aumentou a concentração total de AGV 12 horas após a alimentação, em relação aos demais tratamentos, e diminuiu a relação acético:propiônico nos tempo 0 e 6 horas, em relação à enramicina, mas não em relação ao controle. Nenhum dos antibióticos testados alterou a proporção molar dos ácidos acético, propiônico ou butírico nem o pH e a concentração ruminal de nitrogênio amoniacal. Os antibióticos também não alteraram o consumo de MS ou o comportamento ingestivo...

Carcaça e carne de novilhos cruzas Pardo Suíço x Canchim e Purunã x Canchim terminados em confinamento

Kuss,Fernando; Moletta,José Luis; Perotto,Daniel; Paula,Meiby Carneiro de; Martins,Adriana de Souza; Silva,Nilceu Lemos da; Leme,Maria Celina Jorge
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
115.91%
O trabalho teve os objetivos de avaliar o desempenho em confinamento e as características da carcaça e da carne de novilhos inteiros dos grupos genéticos ½ Pardo Suíço + ½ Canchim (1B1C), ½ Purunã + ½ Canchim (1P1C) e ¾ Purunã + ¼ Canchim (3P1C). Foram utilizados 23 novilhos inteiros com idade média de 22 meses, que permaneceram confinados por 145 dias. O aumento da proporção de genes Purunã na composição racial dos animais de 50% para 75% no cruzamento com Canchim resultou em incrementos de peso no abate (PA) e de ganho de peso (GMD) de 10,6 e, 12,1%, respectivamente. Os animais 1B1C apresentaram PA e GMD semelhantes aos animais 3P1C e superiores aos animais 1P1C. O consumo de matéria seca (MS) e o GMD não diferiram entre animais dos grupos 1B1C e 3P1C, ambos apresentando consumo e GMD superiores aos dos animais 1P1C (8,87; 7,97 e 7,02kg de MS animal-1 dia-1, e, 1,62; 1,41 e 1,58kg animal-1 dia-1, respectivamente). Animais 1B1C e 3P1C apresentaram carcaças 12,1% mais pesadas que os animais 1P1C. A conformação da carcaça dos animais 1B1C foi superior (15,0 pontos) em relação aos 1P1C e 3P1C (13,2 e 13,6 pontos, respectivamente). Animais 1B1C e 3P1C demonstraram valores similares para marmoreio da carne (7...

Consumo de matéria seca e desempenho de novilhas Nelore alimentadas com dietas contendo cana-de-açúcar hidrolisada

Missio,Regis Luis; Oliveira,Mauro Dal Secco de; Sforcini,Mariana Paula Rossi; Restle,João; Elejalde,Denise Adelaide Gomes; Ferrari,Viviane Borba; Abud,Guilherme de Carvalho
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
125.95%
Objetivou-se avaliar o consumo de nutrientes e o desempenho de novilhas Nelore alimentadas com dietas contendo cana-de-açúcar in natura (CN) ou hidrolisada (CH) com 0,5% de Ca(OH)2 armazenada por 24, 48 e 72 horas. Foram utilizadas 24 novilhas com nove meses de idade e 119,6±8,1kg de peso corporal inicial. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualisado com quatro tratamentos e seis repetições. O consumo de matéria seca foi reduzido em 29% pela adição de Ca(OH)2, não sendo alterado pelo período de armazenamento da CH. O consumo de cálcio foi incrementado (P<0,05) pela utilização de CH nas dietas, mantendo níveis de ingestão aceitáveis. Novilhas alimentadas com CH armazenada por 24, 48 e 72 horas apresentaram, respectivamente, ganhos de peso 41, 30 e 35% inferior (P<0,05) àquelas alimentadas com CN. O tratamento da cana-de-açúcar com Ca(OH)2 não é recomendado para alimentação de novilhas Nelore, em virtude de limitar a ingestão e reduzir o ganho de peso.

Efeito do teor protéico do concentrado no consumo de cana-de-açúcar com uréia e ganho de peso de novilhas em crescimento

Rodrigues,Armando de Andrade; Barbosa,Pedro Franklin
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1999 Português
Relevância na Pesquisa
126.06%
O efeito de diferentes suplementos protéicos no consumo de cana-de-açúcar com uréia foi avaliado em novilhas mestiças de Holandês-Zebu, durante a estação seca. Dezoito novilhas com peso médio inicial de 288 kg e idade variando entre 15 e 22 meses foram suplementadas com farelo de soja ou com concentrado contendo 28,7% de proteína bruta. A quantidade de suplemento oferecida foi de 1,0 kg/animal·dia. A cana-de-açúcar com uréia foi fornecida à vontade. As médias dos consumos diários de matéria seca e fibra em detergente neutro de cana-de-açúcar com uréia, em porcentagem do peso vivo, foram 2,33 e 2,43 e 1,19 e 1,23, respectivamente, para os animais suplementados com farelo de soja ou concentrado contendo 28,7% de proteína bruta. Os suplementos protéicos não influíram no consumo de matéria seca e fibra em detergente neutro da cana-de-açúcar com uréia. Não houve diferença no ganho de peso entre os tratamentos. As médias de ganho de peso foram 0,39+0,04 e 0,36+0,04 kg/animal·dia, respectivamente, para os animais suplementados com farelo de soja ou com concentrado contendo 28,7% de proteína bruta.

Avaliação de três cultivares de Panicum maximum Jacq. sob pastejo: composição da dieta, consumo de matéria seca e ganho de peso animal

Brâncio,Patrícia Amarante; Nascimento Junior,Domicio do; Euclides,Valéria Pacheco Batista; Fonseca,Dilermando Miranda da; Almeida,Roberto Giolo de; Macedo,Manuel Cláudio Motta; Barbosa,Rodrigo Amorim
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2003 Português
Relevância na Pesquisa
115.88%
Três cultivares de Panicum maximum Jacq. submetidos a pastejo rotativo foram avaliados ao longo do ano, antes e após o período de pastejo, quanto à composição botânica e química da dieta, consumo de matéria seca e ganho de peso animal. Os tratamentos constituíram em: 1) cv. Tanzânia + 50 kg/ha de N, 2) cv. Tanzânia + 100 kg/ha de N, 3) cv. Mombaça + 50 kg/ha de N, e 4) cv. Massai + 50 kg/ha de N. As dietas selecionadas pelos animais na cv. Massai tenderam a apresentar os menores valores de digestibilidade e proteína bruta e os maiores de fibra em detergente neutro, enquanto na cv. Mombaça as dietas continham, em geral, maiores teores de sílica. Os animais selecionaram, em média, 92,4% de folhas verdes, independentemente do tratamento e da época de amostragem. Os animais consumiram semelhantes quantidades de forragem nos diversos tratamentos, apresentando, em média, consumos de 1,9; 2,8; 3,4; e 2,3 kgMS/100kgPV, respectivamente, em junho, setembro e novembro de 1998 e março de 1999. Os piores resultados quanto ao ganho de peso por animal foram verificados na cv. Massai, mas, devido a sua alta capacidade de suporte na época chuvosa, superou a cv. Mombaça e cv. Tanzânia + 50 kg/ha de N, em termos de ganho de peso por área. A participação de folhas...

Características das partes não-integrantes da carcaça de novilhos 5/8Nelore 3/8Charolês abatidos em três estádios de desenvolvimento

Restle,João; Menezes,Luís Fernando Glasenapp de; Arboitte,Miguelangelo Ziegler; Pascoal,Leonir Luiz; Pacheco,Paulo Santana; Pádua,João Teodoro
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
115.96%
Foram avaliadas as características das partes não-integrantes da carcaça de novilhos 5/8 Nelore 3/8 Charolês terminados em confinamento e abatidos com 425, 467 e 510 kg. Os períodos de alimentação foram 30, 65 e 94 dias, respectivamente. A idade e peso médio iniciais foram de 660 dias e 361 kg, respectivamente. A dieta alimentar, com relação volumoso:concentrado de 60:40 com base na matéria seca (MS), continha 10,25% de proteína bruta e 3,18 Mcal de energia digestível/kg MS. De acordo com estimativa da equação de regressão, os rendimentos de carcaças quente e fria elevaram com o aumento no peso de abate (P). No entanto, quando expressos por peso de corpo vazio (PCV), houve similaridade entre os diferentes tratamentos. Quando os componentes foram expressos em valores absolutos, couro, total de componentes externos (TCE), fígado, total de órgãos vitais (TOV), total de gorduras internas (TGORD) e total de trato gastrintestinal vazio (TGVZ) apresentaram incremento com o aumento no P. Quando expressos por 100 kg de P e PCV, os componentes couro, TCE, fígado e TGVZ apresentaram similaridade; coração e TOV, decréscimo; e TGORD, acréscimo, com o aumento no P. Houve correlação positiva entre peso de fígado com consumo de matéria seca (r = 0...

Óxido de cromo e n-alcanos na estimativa do consumo de forragem de vacas em lactação em condições de pastejo

Morenz,Mirton José Frota; Silva,José Fernando Coelho da; Aroeira,Luiz Januário Magalhães; Deresz,Fermino; Vásquez,Hernan Maldonado; Paciullo,Domingos Sávio Campos; Lopes,Fernando César Ferraz; Elyas,Ana Cristina Wyllie; Detmann,Edenio
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
115.91%
Foram avaliadas as técnicas do óxido de cromo/digestibilidade in vitro e dos pares de n-alcanos (C31:C32 e C33:C32) na estimativa do consumo de matéria seca (CMS) por vacas Holandês x Zebu em lactação em pastagem de capim-elefante cv. Napier. As extrusas foram obtidas utilizando-se uma vaca com fístula esofágica. Realizaram-se coletas de fezes duas vezes ao dia, diretamente no reto dos animais, durante nove dias em cada período experimental. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema de parcelas divididas. Ambos os pares de n-alcanos possibilitaram estimativas de consumos semelhantes, independentemente do horário de coleta (manhã e tarde), sugerindo que uma única coleta de fezes por dia seria suficiente. Quando o estudo foi realizado utilizando-se o valor médio das duas coletas, todas as metodologias diferiram entre si. O Cr2O3/DIVMS forneceu valores de CMS que podem ser considerados mais adequados, pois foram mais próximos daqueles estimados para forragem consumível (2,6% PV) e dos valores das tabelas de exigências do NRC (2001) (2,7% PV). Além disso, essa técnica apresentou vantagens quanto à simplicidade dos procedimentos analíticos e ao baixo custo.

Efeitos da enramicina e da monensina sódica no consumo de matéria seca, na fermentação ruminal e no comportamento alimentar em bovinos alimentados com dietas com alto nível de concentrado

Borges,Luiz Felipe de Onofre; Passini,Roberta; Meyer,Paula Marques; Pires,Alexandre Vaz; Rodrigues,Paulo Henrique Mazza
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
115.94%
Estudaram-se os efeitos da administração de enramicina e monensina sódica no consumo de matéria seca (MS), na fermentação ruminal e no comportamento alimentar de bovinos. Doze fêmeas bovinas não-gestantes e não-lactantes (675 ± 63 kg PC) foram distribuídas inteiramente ao acaso em três tratamentos, formados por um grupo controle, um grupo tratado com enramicina e outro tratado com monensina. Os animais foram alimentados com dieta contendo 60% de concentrado (milho, farelo de soja e minerais) e 40% de volumoso (cana-de-açúcar). A enramicina foi administrada na dose de 20 mg/animal/dia e a monensina na dose de 300 mg/animal/dia. O experimento teve duração total de 21 dias, de modo que o 21º dia foi utilizado para coleta de líquido ruminal, realizada às 0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 horas após a primeira refeição. A monensina aumentou a concentração total de AGV 12 horas após a alimentação, em relação aos demais tratamentos, e diminuiu a relação acético:propiônico nos tempo 0 e 6 horas, em relação à enramicina, mas não em relação ao controle. Nenhum dos antibióticos testados alterou a proporção molar dos ácidos acético, propiônico ou butírico nem o pH e a concentração ruminal de nitrogênio amoniacal. Os antibióticos também não alteraram o consumo de MS ou o comportamento ingestivo...

Avaliação do modelo CNCPS na predição do consumo de matéria seca em vacas da raça Holandesa em pastejo

Elyas,Ana Cristina Wyllie; Paiva,Paulo César de Aguiar; Lopes,Fernando César Ferraz; Vilela,Duarte; Arcuri,Pedro Braga; Morenz,Mirton José Frota
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
136.04%
Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o modelo Cornell Net Carbohydrate and Protein System (CNCPS), versão 5.0, na predição do consumo de matéria seca de vacas da raça Holandesa, lactantes, em pastagem de capim coast-cross suplementada com silagem de milho e concentrado (3 ou 6 kg/vaca.dia). Foram realizados seis ensaios experimentais, cada um com 12 vacas. Em três das avaliações, os animais receberam, além do concentrado, 17 kg de silagem de milho/dia (base natural). As coletas de forragem selecionada na pastagem para análise da composição química foram realizadas por uma vaca com fístula esofágica. A estimativa do consumo voluntário foi realizada com sesquióxido de cromo (Cr2O3), administrado em doses de 5 g, duas vezes ao dia. Foram fornecidos ao programa dados (inputs) referentes aos animais (peso vivo corporal, escore corporal, idade, produção e composição do leite e tipo racial), ao ambiente (temperatura, umidade relativa do ar e manejo) e à composição do alimento em cada período experimental. Os valores preditos pelo CNCPS para a ingestão voluntária de matéria seca foram próximos àqueles estimados, havendo pequena tendência do modelo em subestimar o valor determinado com o indicador.

Consumo de matéria seca e desempenho de novilhas das raças Girolando e Guzerá sob suplementação na caatinga, na época chuvosa, em Pernambuco, Brasil

Santana,Daniel Fernando Ydoyaga; Lira,Mario de Andrade; Santos,Mércia Virginia Ferreira dos; Ferreira,Marcelo de Andrade; Santos,Djalma Cordeiro dos; Mello,Alexandre Carneiro Leão de; Dubeux Júnior,José Carlos Batista; Araujo,Gherman Garcia Leal de
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2010 Português
Relevância na Pesquisa
116.09%
Com os objetivos de estimar o consumo de matéria seca e avaliar a variação do peso vivo de novilhas, conduziu-se um experimento no período entre março e julho de 2003, com quatro estratégias de suplementação: sem suplementação (controle); torta de algodão (1 kg); palma-forrageira (10 kg); e de palma (5,0 kg) + torta de algodão (0,5 kg). O fornecimento de suplemento não influenciou o consumo de matéria seca (MS) do pasto nativo, no entanto afetou o consumo de MS total. O consumo de matéria seca total diferiu entre as raças, com valores de 5,44 e 6,75 kg/dia, respectivamente, para as raças Guzerá e Girolando. Nos animais sob suplementação com torta de algodão, o consumo de MS total foi superior ao do grupo controle (sem suplementação), porém semelhante ao daqueles sob suplementação com palma-forrageira e com torta de algodão + palma-forrageira. O ganho de peso vivo médio diário (de 517 e 434 g/animal, respectivamente, para os grupos Girolando e Guzerá) não diferiu entre as raças nem foi influenciado pela interação raça õ suplementação. Entre as estratégias de suplementação, no entanto, os valores tiveram diferença significativa e foram de 412, 620, 371 e 498 g/animal/dia, respectivamente...

Valor nutritivo do farelo de coco em ovinos: consumo da matéria seca, matéria orgânica, proteína bruta e extrato etéreo.

MERLO, F. A.; SILVA, A. G. M. e; BORGES, I.; NEIVA, J. N.; RODRIGUEZ, N. M.; SALIBA, E. de O. S.; MORAES, S. A. de; GONÇALVES, N. C.; BESERRA, L. T.; ASSIS, B. S. de
Fonte: In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE CAPRINOS E OVINOS DE CORTE, 3., 2007, João Pessoa. Anais... João Pessoa: SEBRAE-PB: EMEPA-PB, 2007. Publicador: In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE CAPRINOS E OVINOS DE CORTE, 3., 2007, João Pessoa. Anais... João Pessoa: SEBRAE-PB: EMEPA-PB, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
Português
Relevância na Pesquisa
116.14%
Com o objetivo de avaliar o valor nutritivo do farelo de coco (Cocus nucifera) foi determinado o consumo da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB) e extrato etéreo (EE) em borregos deslanados alojados em gaiolas metabólicas providas de separadores de fezes e urina recebendo feno de tifton-85 e níveis crescentes de farelo de coco nos níveis de zero, oito, 17 e 25% de farelo de coco com base na matéria natural, em um esquema inteiramente ao acaso com quatro tratamentos (nível de farelo de coco) e seis repetições (borregos) por tratamento perfazendo um total de 24 observações, empregando o método SNK a 5% de probabilidade para comparação das médias. Constatou-se pela comparações de médias que não houve efeito do nível de inclusão do farelo de coco sobre o consumo da MS, MO e PB, nem do consumo das suas frações digestíveis, no entanto houve efeito sobre o consumo do EE e do EE digestível com a inclusão do farelo de coco. As regressões detectaram efeito quadrático do nível de farelo de coco sobre o CMS, CEE e CEED e efeito linear negativo sobre o CMO, sendo que os consumos máximos de EE estariam entre 19 e 21% de inclusão de farelo de coco e os de matéria seca próximos a 4% de farelo de coco. Concluiu-se que o nível de inclusão de farelo de coco não influenciou o consumo de PB...

Consumo de matéria seca e ganho de peso de novilhas leiteiras alimentadas com cana-de-açúcar e alfafa em pastejo.

RODRIGUES, A. de A.; FLORES, O. da S.; FERREIRA JUNIOR, A. G.; PERES NETTO, D.; FERREIRA, R. de P.; PEDROSO, A. de F.
Fonte: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 46., 2009, Maringá. Anais... Maringa: SBZ:UEM, 2009. Publicador: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 46., 2009, Maringá. Anais... Maringa: SBZ:UEM, 2009.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
116.05%
O objetivo foi avaliar o efeito da substituição parcial da cana-de-açúcar por alfafa em pastejo, sobre o consumo de matéria seca e o ganho de peso de novilhas da raça Holandesa e mestiças das raças Holandesa e Jersey. Vinte e quatro novilhas com média de idade de 11,6 meses e de peso vivo de 225 kg foram distribuídas em delineamento em blocos casualizados em dois tratamentos: tratamento A - 6,6 kg de cana-de-açúcar + uréia e 1,8 kg de concentrado (base matéria seca - MS); tratamento B - 2,8 kg de cana-de-açúcar + uréia, 1,8 kg de concentrado e três horas de pastejo em alfafa. No tratamento A, a média do consumo diário de cana-de-açúcar foi de 6,2 kg de MS por novilha; e no tratamento B, de 2,8 kg de MS de cana-de-açúcar e 2,4 kg de MS de alfafa. A cana-de-açúcar e a alfafa possuíam, em média, 2,2% e 29,0% de proteína bruta, 43,3% e 36,0% de fibra insolúvel em detergente neutro e 62,8% e 70,0% de digestibilidade "in vitro" da matéria seca, respectivamente. Os ganhos diários de peso vivo foram de 0,69 e de 0,92 kg/novilha nos tratamentos A e B, respectivamente, o que indica a superioridade da associação da cana-de-açúcar com a alfafa em pastejo, quando comparada com a cana-de-açúcar como volumoso único na dieta de novilhas leiteiras.; 2009

Equações de predição do consumo de matéria seca por ovinos da raça Santa Inês confinados.

VIEIRA, P. A. S.; PEREIRA, L. G. R.; AZEVÊDO, J. A. G.; ARAUJO, G. G. L. de; CHIZZOTTI, M. L.; MISTURA, C.; NEVES, A. L. A.; SANTOS, R. D. dos
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA, 21.; CONGRESSO INTERNACIONAL DE ZOOTECNIA, 13.; FÓRUM DE ESTUDANTES DE CURSOS DE ZOOTECNIA DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS, 7.; REUNIÃO NACIONAL DE ENSINO DE ZOOTECNIA, 17.; FÓRUM DE ENTIDADES DE ZOOTECNISTAS, 23.; SIMPÓSIO ALAGOANO DE PRODUÇÃO ANIMAL, 2., 2011, Macéio. Inovação tecnológica e mercado consumidor: anais. Maceió : UFAL: ABZ, 2011. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA, 21.; CONGRESSO INTERNACIONAL DE ZOOTECNIA, 13.; FÓRUM DE ESTUDANTES DE CURSOS DE ZOOTECNIA DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS, 7.; REUNIÃO NACIONAL DE ENSINO DE ZOOTECNIA, 17.; FÓRUM DE ENTIDADES DE ZOOTECNISTAS, 23.; SIMPÓSIO ALAGOANO DE PRODUÇÃO ANIMAL, 2., 2011, Macéio. Inovação tecnológica e mercado consumidor: anais. Maceió : UFAL: ABZ, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
Português
Relevância na Pesquisa
135.96%
Objetivou-se desenvolver equações de predição de consumo de matéria seca (CMS) por ovinos da raça Santa Inês criados em sistema de confinamento no Brasil. O banco de dados utilizado contou com 100 unidades experimentais, de 13 estudos, sendo 68 oriundos de dados individuais e 32 de dados médios compilados de dissertações e artigos. Verificou-se a existência do efeito de estudo no banco de dados, em seguida, procedeu-se com a meta-análise. As variáveis: peso vivo médio (PVM), PVM metabólico (PVM0,75), ganho médio diário (GMD) e GMD²; apresentaram correlação positiva (P<0,05) com o CMS; já o nível de concentrado na dieta (CON) apresentou correlação negativa (P<0,05). Apenas a equação 2 (Eq. 2) apresentou valor P<0,05 para todas às variáveis consideradas no modelo; foi uma das que apresentou menor valor para o critério de informação Akaike?s (AIC) e o Bayesian (BIC); e maior coeficiente de determinação (R²). A Eq. 2 [CMS (g/dia) = 238,74 ± 114,56 (0,0398) + 31,3574 ± 4,2737 (<0,0001) * PVM + 1,2623 ± 0,2128 (<0,0001) * GMD ? 5,1837 ± 0,7448 (<0,0001) * CON] pode ser utilizada para predizer o CMS de ovinos da raça Santa Inês, em confinamento, sob condições brasileiras.; 2011; Zootec 2011.

Emissão de metano entérico e consumo alimentar residual em bovinos Nelore.

MERCADANTE, M. E. Z.; CALIMAN, A. P. de M.; LUCILA SOBRINHO, T.; BERNDT, A.; MAGNANI, E.; BRANCO, R. H.
Fonte: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., 2012, Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: anais. Brasília: SBZ, 2012. Publicador: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., 2012, Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: anais. Brasília: SBZ, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM
Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
O objetivo do trabalho foi avaliar a emissão diária de metano entérico em bovinos Nelore com um ano de idade, previamente avaliados para o consumo alimentar residual (CAR). Foram avaliados 118 animais, machos e fêmeas, nascidos em 2010, provenientes do Centro APTA Bovinos de Corte-IZ/SP. O CAR foi estimado como o resíduo da equação de regressão do consumo de matéria seca (CMS) sobre o peso metabólico e o ganho médio diário (GMD) em teste pós-desmama de 110 dias de duração. Os animais foram classificados por CAR em três grupos: alto CAR (n= 36), médio CAR (n= 42) e baixo CAR (n= 40), levando-se em conta o desvio-padrão da média do CAR de cada sexo. Uma amostra representativa de 46 animais das classes alto e baixo CAR foi usada para avaliar a emissão diária de metano (CH4) por meio da metodologia do gás traçador hexafluoreto de enxofre com 7 dias consecutivos de coleta. Durante a coleta de metano o CMS foi também obtido. Apesar da diferença do CMS dos animais das duas classes de CAR, não houve diferença significativa na CH4. Quando a CH4 foi expressa em relação ao GMD, houve diferença significativa entre os animais mais e menos eficientes. Os animais mais eficientes (baixo CAR) emitem menos CH4 por kg de ganho de peso que os animais menos eficientes (alto CAR).; 2012

Correlação da emissão diária de metano entérico e características de crescimento e eficiência alimentar de bovinos Nelore.

CALIMAN, A. P. M.; GRION, A. L.; BERNDT, A.; DEMARCHI, J. J. A. de A.; MERCADANTE, M. E. Z.
Fonte: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., 2012, Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: anais. Brasília: SBZ, 2012. Publicador: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., 2012, Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: anais. Brasília: SBZ, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM
Português
Relevância na Pesquisa
126.04%
O objetivo deste trabalho foi avaliar as correlações entre a emissão diária de metano entérico (CH4) e características de crescimento e eficiência alimentar em bovinos Nelore com um ano de idade, previamente avaliados para o consumo alimentar residual (CAR). Foram testados 118 bovinos (56 fêmeas e 62 machos) nascidos em 2010, pertencentes à 30a progênie do rebanho Nelore Tradicional, provenientes do Centro APTA Bovinos de Corte-IZ/SP. O CAR foi estimado como o resíduo da equação de regressão do consumo de matéria seca sobre o peso metabólico e o ganho médio diário em teste pós-desmama de 107 e 112 dias de duração, para machos e fêmeas, respectivamente. Após o teste de desempenho, 46 animais (23 machos e 23 fêmeas) representativos das classes de alto CAR (>média + 0,5 DP; n= 23) e baixo CAR (

Consumo de matéria seca, matéria orgânica, proteína bruta e extratoetério em ovinos recebendo feno de Tifton-85 e níveis crescentes de castanha de cajú.

SILVA, A. G. M.; BORGES, I.; NEIVA, J. N.; RODRIGUEZ, N. M.; SALIBA, E. de O. S.; MORAES, S. A. de; MERLO, F. A.; ROSA, P. R. da; SOUSA, T. A. S.; ASSIS, B. S. de.
Fonte: In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE CAPRINOS E OVINOS DE CORTE, 3., 2007, João Pessoa. Anais... João Pessoa: SEBRAE-PB: EMEPA-PB, 2007. Publicador: In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE CAPRINOS E OVINOS DE CORTE, 3., 2007, João Pessoa. Anais... João Pessoa: SEBRAE-PB: EMEPA-PB, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
Português
Relevância na Pesquisa
126.07%
Com o objetivo de avaliar o valor nutritivo da castanha de caju (Anacardium ocidentale) foi determinado o consumo da matéria seca (CMS), matéria orgânica (CMO), proteína bruta (CPB) e extrato etéreo (CEE) em borregos deslanados alojados em gaiolas metabólicas providas de separadores de fezes e urina recebendo feno de tifton-85 e níveis crescentes de castanha de caju nos níveis de zero, 10, 15, 20 e 25% castanha de caju com base na matéria natural, em um esquema inteiramente ao acaso com cinco tratamentos (nível de castanha de caju) e seis repetições (borregos) por tratamento perfazendo um total de 30 observações, empregando o método SNK a 5% de probabilidade para comparação das médias. Houve efeito do nível de inclusão de castanha de caju sobre o CMS, CMO, CPB e CEE, sendo que no caso do CMS e CMO houve depressão do consumo na dieta com 25% de castanha, no caso do CPB e CEE houve elevação no consumo sendo os maiores valores a partir de 20% de inclusão.Concluiu-se que o nível máximo de farelo de coco para ovinos seria de 19% de inclusão.; 2007

Winter environmental effects on dry-matter intake of stabled and unsheltered holstein cows; Efeitos ambientais de inverno sobre o consumo de matéria seca por vacas holandesas estabuladas e vacas holandesas desabrigadas

Fagundes, Antonio Cesar Alves; Muller, Pedro Bernardo; Moretti, Anibal de Sant’Anna
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1995 Português
Relevância na Pesquisa
126.04%
The purpose of this study was to verify the association of environment and feed intake and also to measure the variation on dry-matter intake of stabled and unsheltered holstein cows, as a function of temperature decrease, during the winter in humid subtropical climate. The experiment was developed in Santa Maria, State of Rio Grande do Sul, Brazil, during July and August, 1986. There were used 12 Holstein cows with ration based on corn silage fed for "ad libitum" consumption, distributed in two sets: stabled cows and cows maintened in padlots. The experimental design was completely randomized. The daily dry-matter intake of unsheltered cows (0.095 ± 0.006 kg/kg0.75), was significantly different (P< 0.01) from the stabled ones (0.077 ± 0.005 kg/kg0.75). There was significant correlation (P < 0.05) among dry-matter intake of unsheltered cows and environmental temperature, air humidity, wind velocity and precipitation, with coefficients varying from -0.58 to 0.51 while the feed intake of stabled cows was only correlated significantly (P < 0.05) with the environmental temperature at 7 a.m. with coefficient of -0.27. These results show that feed intake of Holstein cows kept in padlots was higher than in stabled cows, due to lower environmental temperatures...

Uso da cinza insolúvel em ácido para determinar o consumo de forragem dos bovinos; Acid insoluble ash used to determine dry matter intake by cattle

Cortada, Carmen Neusa Martins; Velloso, Licio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/1987 Português
Relevância na Pesquisa
116.06%
Foram utilizados seis bovinos mestiços holandês/zebu, machos inteiros, com idade variando entre 16 e 33 meses. O alimento foi o feno de Cynodon dactylon hibrido Coasteross - 1. O período experimental teve duração de 23 dias, sendo os últimos sete dias para colheita das amostras de alimento e de fezes. O feno foi fornecido picado e à vontade em duas refeições, diariamente. O consumo de matéria seca pelo método do indicador, foi calculado usando fórmulas adequadas, delineamento estatístico foi o inteiramente cercalizado. Foram comparados os consumos de matéria seca pelos métodos da cinza insolúvel em ácido HCl concentrado, HCl 2N e também pelo consumo observado no experimento. Não houve diferença estatisticamente significativa nos consumos médios de matéria seca g/kg 0,75 /dia, entre os três métodos.; Six young crossbred bulls were used to determine dry matter intake by cattle fed a tropical grass hay (Cynodon dactylon, Coastcross 1). Digestion trial lasted for 23 days being the last 7 days for feed and feces sample collections. Dry matter intake was calculated by use of adequate formulas and indicator method. Dry matter intake was calculated by acid insoluble ash HCl 2N and concentrated HCl and also by direct consumption. There was no statistical difference among methods for dry matter consumption.

Farelo de algaroba em suplementos para cordeiros em pastejo de capim Urocloa (Urochloa mosambicensis): Consumo de matéria seca e nutrientes

Sousa, Larisse Borges; Pereira, Mara Lúcia Albuquerque; Silva, Herymá Giovane de Oliveira; Sousa, Leandro Borges; Santos, Edileusa de Jesus dos; Souto, Diego da Hora
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS- CAMPUS MONTES CLAROS. Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS- CAMPUS MONTES CLAROS.
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2015 Português
Relevância na Pesquisa
115.91%
Objetivou-se avaliar o efeito dos níveis de substituição do milho pelo farelo de algaroba (FA) (10; 35; 60 e 85% na base da matéria natural) em suplementos para cordeiros recriados em pastagem diferida de capim Urocloa. O experimento foi conduzido no Centro de pesquisa em caprinos e ovinos do semiárido em parceria com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Foram utilizados 25 cordeiros mestiços Santa Inês x Dorper, não castrados, com peso corporal inicial (PCI) de 23,15 ± 2,54 kg e aproximadamente 120 dias de idade. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e cinco repetições, sendo cada animal uma repetição. Após um período de adaptação de 15 dias, iniciou-se o período experimental que foi de 60 dias divididos em quatro períodos experimentais com 15 dias. Os tratamentos foram constituídos pelo controle (proteinado) e suplementos contendo diferentes níveis de FA em substituição ao milho, fornecidos a 1,5 % do peso corporal de animais consumindo forragem sob pastejo diferido de capim Urocloa. Os consumos de matéria seca total e demais nutrientes foram superiores (P<0,05) em todos os animais recebendo suplementos concentrados, independentemente dos níveis de substituição do milho pela algaroba...

Avaliação de folhas de gliricidia sepium (JACQ.) walp por ovinos

Costa,B.M. da; Santos,I.C.V.; Oliveira,G.J.C. de; Pereira,I.G.
Fonte: Archivos de Zootecnia Publicador: Archivos de Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
116.1%
O objetivo deste trabalho foi avaliar folhas frescas de Gliricidia sepium (GS) por ovinos da raça Santa Inês através das seguintes variáveis: consumo de matéria seca total (CMST), ganho de peso diário (GPD), ganho de peso total (GPT) e conversão alimentar (CA). Utilizou-se 16 ovinos, peso inicial de 18 kg e faixa etária de 4 a 6 meses, confinados por 98 dias, distribuídos em baias individuais, submetidos aos seguintes tratamentos, segundo um delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições: T1= capim elefante (Pennisetum purpureum Schum. cv. Napier), à vontade, com 45 dias de idade; T2= folhagem fresca de GS (2% sobre o peso vivo, na base de matéria seca) + capim elefante à vontade; T3= folhagem fresca de GS (4% sobre o peso vivo, na base de matéria seca) + capim elefante à vontade e T4 = folhagem fresca de GS, à vontade. A GS e o capim-elefante apresentaram, respectivamente, a seguinte composição química: 23,11 e 22,11% de MS; 24,11 e 12,00% de PB; 0,90 e 0,59% de Ca; 0,16 e 0,20% de P; 38,81 e 61,64% de FDN; 24,30 e 34,42% de FDA. Não foram encontradas diferenças significativas (p>0,05) para o consumo de matéria seca total (CMST) nas dietas exclusivas (T1 e T4) com valores de 75,29 kg e 65,83 kg...