Página 1 dos resultados de 934 itens digitais encontrados em 0.075 segundos

Desenvolvimentos teóricos sobre distribuição de renda com ênfase em seus limites.

Alvarez, Albino Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/01/1996 Português
Relevância na Pesquisa
105.94%
Procurei rastrear o trajeto do tópico distribuição de renda no interior da teoria econômica e dar um breve relato da discussão no caso brasileiro, no sentido de tentar avaliar a viabilidade de se confinar a questão a uma discussão econômica. Dentro da teoria delimitaram-se inicialmente 2 grandes enfoques: o funcional e o pessoal. No tocante à abordagem funcional, apropriação da renda pelos proprietários dos fatores de produção, a preocupação corresponde à ótica original dos clássicos. Descreve-se as principais visões dentro dessa escola e as posteriores críticas e contribuições de Marx, dos neoclássicos, de Keynes e de autores mais contemporâneos. Quanto ao enfoque da distribuição pessoal, individual, mais recente e hoje predominante destacam-se as contribuições de escolas como a estocástica e a do capital humano, entre outras, em geral caracterizadas por se tratar de visões bastante parciais. Abordou-se em seguida as relações entre macroeconomia e a questão distributiva, nos seus dois sentidos de causalidade enfocados na literatura. A discussão brasileira foi abordada tendo como ponto de partida os primeiros estudos no limiar dos anos 70, com Langoni especialmente, e seus desdobramentos, caracterizando uma escassez de produção acadêmica relevante. A necessidade de uma abordagem que leve em conta variáveis não econômicas me pareceu ficar clara ao final do trabalho.; I intended to follow the path the topic income distribution took within the economic theory and to give a brief report of this discussion in the Brazilian case...

Transferências interna e externa de renda do agronegócio brasileiro; Internal and external transfers of income from brazilian agribusiness

Silva, Adriana Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
105.93%
A partir de 1995, as melhorias advindas da estabilização monetária e a expansão de programas de transferência de renda, em adição ao crescente padrão de comércio internacional, refletiram em redução da concentração de renda e da pobreza no Brasil. Acredita-se que o agronegócio, ao assumir posição estratégica para o controle da inflação e geração de divisas no comércio exterior, possa ter tido participação relevante nesta trajetória. Perante tal cenário, procura-se neste trabalho contribuir para a compreensão do papel do agronegócio no processo de distribuição de renda, particularmente em relação às transferências de renda para os demais setores da economia doméstica e também para o mercado externo. Transferência é aqui entendida como a perda ou ganho de renda em decorrência de mudança nos preços relativos. Buscou-se, assim, averiguar as relações existentes entre a renda gerada pelo agronegócio e a renda efetivamente apropriada pelo setor, devido às variações de preço reais ocorridas no período de 1995 a 2008. Os resultados indicaram que a evolução do produto foi sempre superior à do Produto Interno Bruto - PIB a preços reais correntes e, portanto, que o produto cresceu com preços reais decrescentes. A queda de preços somada ao aumento da produção representou uma perda de renda potencial do agronegócio...

A recente evolução da distribuição da renda na Região Norte do Brasil; The recent evolution of income distribution in Northern Brazil

Gabriel, Flávio Braga de Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
106.01%
Este trabalho tem como objetivo principal avaliar o comportamento da distribuição da renda domiciliar per capita na Região Norte do Brasil de 2004 a 2012. Como objetivos complementares, buscou-se: expor o debate existente na literatura recente sobre distribuição de renda no Brasil; determinar as causas imediatas de eventuais diferenças da distribuição da RDPC da Região Norte com base no grau de progressividade das parcelas da renda; analisar o efeito-composição e o efeitoconcentração da variação do índice de Gini das parcelas da RDPC, de 2004 a 2012. Para atingir esses objetivos utilizou-se, como metodologia, o cálculo dos Índices de Gini, Mehran e Piesch e suas respectivas decomposições considerando parcelas da renda. Como base de dados, foram utilizados os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) para o período analisado. Como resultados, os índices de desigualdade da RDPC da Região Norte apresentaram comportamento diferente aos do Brasil e aos da maioria das demais Regiões oficiais, sendo parecidos aos que a Região Centro-Oeste (em especial o DF) apresentou. O índice de Gini da RDPC dos Estados da Região Norte tiveram comportamento não homogêneo no período analisado. A parcela da RDPC formada pela renda de militar e funcionário público da Região Norte se destacou por ter o maior grau de progressividade negativo em comparação ao do Brasil e do Distrito Federal...

Distribuição de renda e crescimento econômico: uma análise à luz da financeirização brasileira; Income distribution and economic growth: an analysis based on Brazilian financialization

Silva, Vivian Garrido Moreira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
105.96%
Este trabalho se compõe de duas principais frentes de investigação, abordadas por meio de duas vias metodológicas. São investigados os impactos das instituições, especialmente das instituições financeiras, sobre a distribuição de renda no Brasil e os impactos subsequentes da distribuição de renda sobre o crescimento econômico brasileiro, ambos desde a abertura econômica e financeira dos anos 90, até os dias atuais. E são utilizadas como metodologias de abordagem, uma via histórico-institucional num primeiro momento e uma via analítico-teórica, num segundo momento. As principais categorias estudadas incluem os condicionantes históricos de uma estrutura distributiva desigual, a consolidação do setor financeiro no Brasil, as relações entre este último, o Estado e a sociedade, a hipótese de uma nova classe média e a proposta de um modelo que contempla parte desses aspectos, procurando contribuir para melhor lidar com eles. Conclui-se pela existência de uma desigualdade estrutural na distribuição de renda (apesar de recentemente atenuada), pela permanência cultural de um elemento de orientação pelo status e emulação de padrões de consumo, pelos riscos significativos de uma trajetória de endividamento dos trabalhadores e pelos privilégios assegurados ao setor financeiro através de sua adequação ao conceito sociológico de "campo". Finalmente...

A INFLAÇÃO COMO MECANISMO DE (RE)DISTRIBUIÇÃO DE RENDA

Melo, Osmar Serra de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 77 f.
Português
Relevância na Pesquisa
125.95%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O Brasil sempre se deparou com um quadro social onde as políticas públicas de combate à pobreza e à desigualdade não são suficientemente efetivas para a reversão das mazelas sociais. A problemática distributiva do Brasil é resultado de longo processo de exclusão e não de um caráter conjuntural da economia. O presente trabalho apresenta como tema central investigar o papel da inflação como mecanismo de distribuição de renda no Brasil no contexto das experiências de estabilização econômica dos planos Cruzado, Collor e Real e, como objetivos específicos analisar sob a ótica das principais escolas da teoria econômica os elementos de formação de preço, da inflação e da renda; analisar a inflação no contexto dos planos Cruzado, Collor e Real; assim como, analisar as políticas de (re)distribuição de renda no Brasil. A metodologia apresenta-se como de natureza exploratória, pesquisa bibliográfica e análise de caráter qualitativa. Concluiu-se que no decorrer de muitos anos, a política brasileira, lutou contra a inflação e o déficit público. Muitas tentativas buscaram solucionar esse problema, mas em vez de buscarem-se soluções para as causas...

Pobreza e distribuição de renda em áreas rurais: uma abordagem de inferência

Neder,Henrique Dantas; Silva,Jorge Luiz Mariano da
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 Português
Relevância na Pesquisa
105.88%
O trabalho desenvolve aplicações de metodologias para a estimativa de índices de pobreza e de distribuição de renda em áreas rurais considerando-se os erros amostrais das Pesquisas Amostrais por Amostras Domiciliares - PNADs. São obtidos estimativas com intervalos de confiança para diversos indicadores e para diversas áreas rurais do Brasil e explicitadas as áreas onde se observou alterações significativas na proporção de pobres, intensidade da pobreza e distribuição de renda no período 1995-2001. Os resultados das estimativas apontam para a ocorrência de variação significativa e positiva nos indicadores de pobreza nos Estados de São Paulo, Pernambuco, Alagoas e queda significativa dos mesmos indicadores no Ceará, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Goiás. Verificou-se uma queda significativa no mesmo período na concentração de renda nas áreas rurais de Tocantins, Piauí, Paraíba, região metropolitana rural, região Nordeste rural, região Nordeste metropolitana rural e região Sul metropolitana rural e nos estados de São Paulo, Paraná e Ceará, constatou-se uma elevação significativa do valor do índice de Gini. Com base em valores calculados de elasticidades da pobreza foi possível estabelecer uma avaliaçao das regiões rurais do país em termos de efetividade de combate à pobreza em termos de políticas de crescimento e distributivas.

Persistência da desigualdade de renda no Brasil : uma análise à luz da economia da família

Augusto Sousa Miranda, Otávio; de Sá Barreto Sampaio, Yony (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
105.93%
No Brasil, a desigualdade de renda é acentuada, em comparação a outros países em desenvolvimento, perversa, pois concentra grande parcela da população nas faixas de miséria e pobreza extrema, e persistente, já que se encontra estabilizada pelo menos durante os últimos vinte e cinco anos. A família é uma instituição social que afeta a distribuição de renda na sociedade, de forma que o governo deve considerar o comportamento das famílias para orientar suas decisões. Becker & Tomes (1986) postulam que as restrições de crédito enfrentadas por pais pobres impossibilitam que sejam feitos investimentos ótimos no capital humano dos filhos. Essa impossibilidade depreciaria o desenvolvimento de crianças pobres, em comparação com crianças ricas com as mesmas dotações iniciais de habilidade, retardando a mobilidade social. De fato, alguns autores (ver Langoni, 1973, e Barros & Mendonça, 1995) indicam que, no Brasil, a contribuição das desigualdades em educação para as desigualdades em renda é uma das maiores do mundo. Este trabalho investigou alguns aspectos do comportamento econômico das famílias para explicar a persistência da desigualdade de renda no Brasil. Em especial, procurou-se investigar como a renda da família induz a acumulação de capital humano para as crianças e orienta a alocação de capital humano entre os filhos...

O impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda

Salvato,Marcio Antonio; Ferreira,Pedro Cavalcanti Gomes; Duarte,Angelo José Mont'Alverne
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
105.92%
Este trabalho investiga o impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda do trabalho de Estados/ regiões do Brasil, usando um método semiparamétrico, seguindo DiNardo, Fortin e Lemieux (1996) e informações da PNAD de 1999. Foram construídas densidades contrafactuais, reponderando a distribuição da região/Estado mais pobre (Nordeste/Ceará) pelo perfil de escolaridade da mais rica (Sudeste/São Paulo). Resultados: entre 12% e 36% do diferencial de renda é explicado pelo diferencial de escolaridade; a reponderação pela escolaridade aumentou em cerca de 55% a renda média nos contrafactuais; a renda do contrafactual do Nordeste equivale a 93% da renda média brasileira; quanto mais elevado for o percentil de renda considerado, maior é a contribuição da diferença de escolaridade para a diferença de renda; a dispersão de renda das regiões mais pobres aumenta quando fornecemos a elas o nível de escolaridade das regiões mais ricas, mantendo-se o perfil salarial da região.

A Liberalização comercial e os impactos regionais sobre a pobreza e a distribuição de renda no Brasil; Commercial liberalization and its impacts on poverty and income distribution in Brazil

Bittencourt, Mauricio Vaz Lobo; Larson, Donald W.; Kraybill, David L.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
105.91%
Este estudo analisa os impactos regionais de curto/médio prazo na pobreza e na distribuição de renda ocasionados pela redução nas tarifas de importação brasileiras como conseqüência dos recentes acordos de livre-comércio. Por meio de um modelo de equilíbrio geral computável, os resultados obtidos mostram que, apesar de o comércio reduzir a desigualdade de renda inter-regional, os pobres em áreas urbanas sofrem impactos negativos com a liberalização comercial, ou seja, existe um trade-off entre ganhos agregados de bem-estar e as perdas para famílias de baixa renda em áreas urbanas. Políticas comerciais adotadas isoladamente são insuficientes para atingir uma distribuição de renda mais igualitária em níveis global e regional no Brasil.; p. 127-166; Possui referências bibliográficas; Conteúdo: possui apêndice

Migração e distribuição regional de renda no Brasil

Ferreira, Pedro Cavalcanti; Santos, Cézar
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
105.88%
O objetivo deste trabalho é analisar o impacto da migração interestadual sobre a distribuição de renda regional brasileira. Inicialmente, estima-se uma regressão minceriana para o logaritmo do salário contra diversas variáveis de controle mais uma dummy de migração, usando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad). Em seguida, são onstruídos contrafactuais em que não há migração entre os estados brasileiros. A partir dessa análise contrafactual, observa-se que a migração provoca um aumento das rendas médias dos estados (com exceção de São Paulo e Espírito Santo) e da renda média do país. A renda média dos estados do Nordeste como proporção da dos estados do Sudeste aumenta. Com isso, observamos uma diminuição da dispersão de renda regional.; p. 405-425 : il.

O Efeito da distribuição de renda sobre o estado de saúde individual no Brasil; Effect of the income distribution on the health condition of individuals

Noronha, Kenya Valeria Micaela de Souza; Andrade, Monica Viegas
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
115.97%
O objetivo deste trabalho é estudar a relação entre o estado de saúde individual e a distribuição de renda no Brasil. Mais especificamente, estamos interessados em avaliar como a distribuição de renda impacta o estado de saúde auto-reportado dos indivíduos. A metodologia utilizada é o modelo logit multinível. A base de dados empregada é a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 1993 e as Pnads de 1998 e 2003, que apresentam um suplemento especial contendo informações sobre o estado de saúde. Os principais resultados encontrados revelam que a distribuição de renda afeta o estado de saúde auto-avaliado, apesar de a magnitude desse efeito ser pequena: quanto maior a desigualdade na distribuição de renda, menor é a chance de o indivíduo reportar um melhor estado de saúde.; p. 521-556 : il.

Família e distribuição de renda : o impacto da participação das esposas no mercado de trabalho; Family and income distribution: the impact of participation of wives in the labor market

Barros, Ricardo Paes de; Mendonça, Rosane Silva Pinto de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
115.95%
Transformações na família tem reflexos importantes sobre a distribuição de renda na medida em que, além do papel redistributivo, a família exerce também a função coordenadora no processo de grafia do orçamento familiar. Devido as dificuldades de se incluírem, em uma mesma análise sobre distribuição de renda, famílias de tamanhos e estruturas distintas, restringimos o universo de análise às famílias nucleares, isto é, aquelas formadas necessária e exclusivamente for casais com ou sem filhos. Com base nesse universo, procuramos investigar o impacto do aumento da participação das esposas na força de trabalho sobre a distribuição de renda para nove regiões metropolitanas no Brasil. Especificamente, comparamos a distribuição de famílias nucleares segundo os rendimentos do chefe da família com a distribuição segundo os rendimentos do casal, estimando, assim, o impacto marginal da inclusão dos rendimentos das esposas sobre a distribuição de renda entre famílias nucleares.; p. 483-504 : il.

Uma análise da carga tributária bruta e das transferências de assistência e previdência no Brasil, no período 1995-2009: evolução, composição e suas relações com a regressividade e a distribuição de renda; Texto para Discussão (TD) 1464: Uma análise da carga tributária bruta e das transferências de assistência e previdência no Brasil, no período 1995-2009: evolução, composição e suas relações com a regressividade e a distribuição de renda; An analysis of the gross aggregate tax burden and transfers of care and pension plans in Brazil, in the period 1995-2009: evolution, composition and its relations with equity and income distribution

Ribeiro, Márcio Bruno
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.95%
O trabalho analisa a evolução e a composição da carga tributária bruta e das transferências governamentais de assistência e previdência, além de discutir como estas medidas se relacionaram com a regressividade na tributação e a distribuição de renda no Brasil de 1995 a 2008. Nesse período, a carga tributária bruta apresentou um aumento considerável, motivado tanto pelas mudanças estruturais ocorridas na economia brasileira quanto pelas medidas de política econômica adotadas. Segundo as evidências disponíveis na literatura, aquele aumento elevou o grau de regressividade do sistema tributário. Por outro lado, também viabilizou o crescimento das transferências governamentais de assistência e previdência, o que sugere que estas tenham contribuído para a melhoria observada na distribuição da renda durante o período mais recente. O trabalho faz ainda uma análise sobre a evolução e a composição da carga tributária bruta e das transferências de assistência e previdência no primeiro semestre de 2009, após a propagação da crise financeira internacional de 2008 sobre a economia brasileira.; 28 p. : il.

Distribuição de renda, transferências federais e imigração: um estudo de dados em painel para as Unidades da Federação do Brasil; Texto para Discussão (TD) 1471: Distribuição de renda, transferências federais e imigração: um estudo de dados em painel para as Unidades da Federação do Brasil; Distribution of income, federal transfers and migration: a study of panel data for the Federative Units of Brazil

Sachsida, Adolfo; Caetano, Marcelo Abi-Ramia; Albuquerque, Pedro
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.92%
Este trabalho verifica a influência da distribuição de renda e das transferências federais para as Unidades da Federação (UFs) sobre o fluxo de migrantes recebido por UF. O estudo inova ao adotar dados agregados para mensurar o efeito de políticas públicas sobre a imigração. Os resultados econométricos sugerem um efeito positivo das transferências federais para as UFs sobre a imigração, mostrando que o incremento de tais transferências estimula o fluxo imigratório para determinadas UFs. Há também evidências de que uma alta concentração de renda desestimula a imigração. A segunda inovação deste estudo consiste na separação geográfica dos fatores determinantes dos fluxos imigratórios.; 18 p.

Distribuição de renda: evolução no último quarto de século; Textos para Discussão Interna (TD) 145: Distribuição de renda: evolução no último quarto de século; Income distribution: developments in the last quarter century

Bonelli, Regis; Sedlacek, Guilherme
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.93%
O artigo tem como objetivo apresentar um conjunto de resultados sobre a evolução da distribuição de renda no Brasil entre 1960-1986, com ênfase na distribuição da renda pessoal. Pretende-se não mais do que uma sistematização de resultados já conhecidos, com a finalidade de comparar perfis no longo prazo. A análise sugere que o aumento da concentração de renda observado entre 1960 e 1986 ocorreu básica e principalmente até meados da década de 70. A partir daí passou-se por uma fase de desconcentração, até o início dos anos 80. Na recessão aumenta novamente a concentração, quando se consideram os dados de 1981 e 1983. O processo de concentração continua na fase de recuperação, até 1985, e sofre reversão não muito expressiva em 1986, apesar dos extraordinários ganhos de renda média nesse último ano. Estima-se que os índices de concentração sejam atualmente da mesma ordem de grandeza dos de final dos anos 70.; 23 p.

Família e distribuição de renda: o impacto da participação das esposas no mercado de trabalho; Textos para Discussão Interna (TD) 164: Família e distribuição de renda: o impacto da participação das esposas no mercado de trabalho; Family and income distribution: the impact of participation of wives in the labor market

Barros, Ricardo Paes de; Mendonça, Rosane S. Pinto de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
115.95%
As transformações na família têm reflexos importantes sobre a distribuição de renda na medida em que, além do papel redistributivo, a família exerce também a função coordenadora no processo de geração do orçamento familiar. Devido às dificuldades de se incluírem, em uma mesma análise sobre distribuição de renda, famílias de tamanhos e estruturas distintas, restringimos o universo de análise às famílias nucleares, isto é, aquelas formadas necessária e exclusivamente por casais com ou sem filhos. Com base nesse universo, procuramos investigar o impacto do aumento da participação das esposas na força de trabalho sobre a distribuição de renda para nove regiões metropolitanas no Brasil. Especificamente, comparamos a distribuição de famílias nucleares segundo os rendimentos do chefe da família com a distribuição segundo os rendimentos do casal, estimando, assim, o impacto marginal da inclusão dos rendimentos das esposas sobre a distribuição de renda entre famílias nucleares.; 29 p. : il.

Determinantes da queda na desigualdade de renda no Brasil; Texto para Discussão (TD) 1460: Determinantes da queda na desigualdade de renda no Brasil; Determinants of the income inequality decline in Brazil

Barros, Ricardo; Carvalho, Mirela de; Franco, Samuel; Mendonça, Rosane
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.89%
Os extraordinários acontecimentos havidos no país entre 2001-2007, com uma queda acentuada da desigualdade e dos níveis de pobreza e de extrema pobreza nos oferecem uma oportunidade única de estudarmos os fatores mais relevantes para explicar as mudanças em favor dos mais pobres e em diferentes cenários – com e sem crescimento econômico. Assim, em primeiro lugar, com base em uma série de simulações contrafactuais, quantificamos a contribuição destes fatores determinantes para a queda i) na desigualdade; ii) na porcentagem de pobres; iii) no hiato médio de pobreza; e iv) na severidade da pobreza. Como entre 2001 e 2003 não houve redução na pobreza, investigamos apenas a contribuição dos fatores determinantes para a queda na pobreza e na extrema pobreza para o subperíodo 2003-2007. Os resultados obtidos demonstram que as melhorias na distribuição de renda derivada do trabalho por trabalhador e na renda não derivada do trabalho foram os principais fatores responsáveis. As mudanças demográficas, que foram mais favoráveis para os mais pobres, também se destacam quando analisamos a redução na pobreza. Em segundo lugar, investigamos em que medida os graus de discriminação e de segmentação no mercado de trabalho declinaram ao longo dos últimos anos...

Distribuição de renda no Brasil de 1976 a 2004 com ênfase no período entre 2001 e 2004; Texto para Discussão (TD) 1166: Distribuição de renda no Brasil de 1976 a 2004 com ênfase no período entre 2001 e 2004; Income distribution in Brazil from 1976 to 2004 with emphasis on the period between 2001 and 2004

Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.97%
Este texto tem dois objetivos: o primeiro é documentar a evolução da desigualdade no Brasil nas últimas três décadas, e o segundo é decompor a queda na desigualdade nos últimos três anos para apontar os fenômenos responsáveis por tal fato. Com relação ao primeiro objetivo, o trabalho mostra que 2004 foi o ano com menor desigualdade de renda no período 1976-2004 para quatro medidas: Theil T, Gini, razão 10/40 e razão 20/20. Adicionalmente, 2004 domina no sentido de Lorenz todos os anos, salvo 1984 e 1981. Devido à queda da renda após a desvalorização cambial de 1999, 2004 não domina em primeira ordem nenhum outro ano no período 1995-2004, para o qual comparações de nível são confiáveis. A distribuição de 2004 domina em segunda ordem apenas a de 2003. Com relação ao segundo objetivo, a metodologia usada é a decomposição do coeficiente de Gini segundo fontes de renda. Os resultados são que programas de transferência de renda, tais como o Bolsa Família, são responsáveis por um quarto (¼) da queda da desigualdade entre 1995 e 2004, sendo que os outros três quartos (¾) são atribuíveis à redução na desigualdade nos rendimentos do trabalho.; 27 p. : il.

Alterações no padrão de consumo e na distribuição de renda no Brasil, 1970-1975: um primeiro modelo de decomposição; Changes in consumption pattern and income distribution in Brazil, 1970-1975: a first decomposition model; Textos para Discussão Interna (TD) 39: Alterações no padrão de consumo e na distribuição de renda no Brasil, 1970-1975 : um primeiro modelo de decomposição

Bonelli, Regis; Cunha, Paulo Vieira da
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
105.92%
Procura atribuir conteúdo empírico ao interrelacionamento das alterações no padrão do consumo e na distribuição de renda no Brasil e tenta organizar e ordenar os efeitos de alterações nas referidas estruturas.; 62 p. : il.

O impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda

Salvato, Marcio Antonio; Ferreira, Pedro Cavalcanti Gomes; Duarte, Angelo José Mont'Alverne
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
105.92%
Este trabalho investiga o impacto da escolaridade sobre a distribuição de renda do trabalho de Estados/ regiões do Brasil, usando um método semiparamétrico, seguindo DiNardo, Fortin e Lemieux (1996) e informações da PNAD de 1999. Foram construídas densidades contrafactuais, reponderando a distribuição da região/Estado mais pobre (Nordeste/Ceará) pelo perfil de escolaridade da mais rica (Sudeste/São Paulo). Resultados: entre 12% e 36% do diferencial de renda é explicado pelo diferencial de escolaridade; a reponderação pela escolaridade aumentou em cerca de 55% a renda média nos contrafactuais; a renda do contrafactual do Nordeste equivale a 93% da renda média brasileira; quanto mais elevado for o percentil de renda considerado, maior é a contribuição da diferença de escolaridade para a diferença de renda; a dispersão de renda das regiões mais pobres aumenta quando fornecemos a elas o nível de escolaridade das regiões mais ricas, mantendo-se o perfil salarial da região.; This paper investigates the impact of education on income distribution of Brazilian states and regions, using a semi parametric method, following Dinardo, Fortin and Lemieux (1996) and dataset from the PNAD 1999. Contrafactual densities were constructed weighting the distribution of the poorest region/state (Northeast / Ceará) by the profile of education in the richer one (Southeast / São Paulo). Results: between 12% and 36% of the difference in income is explained by the educational differences; the weighting by education increased by about 55% the average income in counterfactuals; the counterfactual income of the Northeast amounts to 93% of the average Brazilian income; the higher the percentile considered income...