Página 1 dos resultados de 148 itens digitais encontrados em 0.056 segundos

Linfoma de Hodgkin clássico : experiência de 20 anos de uma instituição hospitalar

Gomes, Marília Elisabete Carvalho Leite Sousa
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
O Linfoma de Hodgkin Clássico (LHC) é uma neoplasia caracterizada pela presença de células clonais malignas, designadas de Células de Hodgkin e de Reed-Sternberg, com origem maioritariamente em células B, dispersas num fundo heterogéneo de células inflamatórias não neoplásicas. Representa cerca de 95% de todos os Linfoma de Hodgkin. Compreende 4 subtipos: Esclerose Nodular, Celularidade Mista, Rico em Linfócitos e Depleção Linfocitária. As estratégias terapêuticas actuais conferem mais de 80% de probabilidade de cura nos doentes com LHC. No entanto, aproximadamente 20% dos doentes são primariamente refractários, apresentando má resposta às terapêuticas de segunda linha e sobrevivências globais baixas, e 20-40% recidivam após terapêutica de primeira linha. Várias variáveis clínicas, laboratoriais e biológicas têm sido utilizadas como factores de prognóstico para estratificação dos doentes em grupos de risco, com o objectivo de individualizar a terapêutica, reduzir a incidência de recidivas e de doença refractária, e de minimizar a toxicidade sem comprometer o controlo da doença. Com este trabalho pretendeu-se realizar a caracterização epidemiológica, clínica e laboratorial dos doentes com LHC diagnosticados e tratados consecutivamente nos Hospitais da Universidade de Coimbra nos últimos 20 anos...

Quantificação das citocinas séricas Th1/Th2 por citometria de fluxo no linfoma de Hodgkin clássico; Measurement of Th1/Th2 serum cytokines by flow cytometry in classical Hodgkin lymphoma

MITELMAN, Adriana K.; BUCCHERI, Valeria; PRACCHIA, Luís F.; RUBENS, Claudia V.; POPPE, Santa; CAVALCANTE, Alexandra M. M. P.; MONTEIRO, Sandra M.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
86.1%
O linfoma de Hodgkin clássico (LHC) é uma neoplasia com distúrbio na produção de citocinas. Estudos demonstram que o padrão anormal das citocinas no linfonodo acometido pela lesão contribui não somente com a proliferação das células malignas H-RS, como também com o característico infiltrado hiper-reativo que compõe o tecido no LHC. Esta disfunção pode ser observada tanto no quadro clínico dos pacientes, como nas características histopatológicas: sintomas B, deficiência na resposta imune celular, bandas de colágeno e eosinofilia. As concentrações séricas das citocinas Th1 (IL-2, TNF, INF-γ) e Th2 (IL-4, IL-5, IL-10) foram estudadas em 45 pacientes com LHC, ao diagnóstico, e em 34 doadores saudáveis, por citometria de fluxo (CBA - cytometric beads array). Houve aumento das concentrações das citocinas TNF (p<0,01), INF-γ (p<0,01), IL-4 (p=0,01), IL-5 (p<0,01) e IL-10 (p<0,01) dos pacientes quando comparados com o grupo controle. Não foi evidenciada diferença em relação a IL-2. Ao correlacionarmos as concentrações das citocinas Th1/Th2 com as variáveis clínico-laboratoriais dos pacientes, observou-se que níveis elevados da IL-10 (Th2) estão correlacionados com as variáveis que implicam em pior prognóstico: estádios III/IV (p=0...

"Significado prognóstico dos graus histológicos do linfoma de Hodgkin tipo esclerose nodular" ; Prognostic significance of histopathological grading of nodular sclerosing Hodgkin´s lymphoma

Pracchia, Luis Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
86.14%
Com o objetivo de avaliar o significado prognóstico da graduação histológica do Linfoma de Hodgkin tipo Esclerose Nodular (LH EN), proposta pelo British National Lymphoma Investigation, realizamos um estudo retrospectivo que incluiu 69 casos de LH EN. Trinta e cinco casos (51%) foram classificados com EN grau I e 34 (49%) como EN grau II. Remissão completa após o tratamento inicial foi obtida em 85,7% dos casos de EN I e em 82,4% dos casos de EN II (p=0,75). A probabilidade estimada de sobrevida global em 5 anos foi de 67,0% para EN I e de 83,5% para EN II (p = 0,13) e a taxa de sobrevida livre de doença em 5 anos foi de 85,2% versus 87,0%, respectivamente (p = 0,72). Concluímos que a graduação histológica BNLI não esteve associada com o prognóstico do LH EN nesta população ; In order to evaluate the prognostic significance of the British National Lymphoma Investigation histological grading system for Nodular Sclerosing Hodgkin´s Lymphoma (NS HL), we retrospectively studied 69 NS HL patients. Thirty five cases (51%) were classified as NS grade I and 34 (49%) as NS grade II. The complete remission rate after initial therapy was 85,7% in the NS I group and 82,4% in the NS II group (p=0,75). The predicted 5-year overall survival rate was 67...

Doença de Hodgkin: análise do protocolo DH-II-90; Hodgkin's disease: the protocol DH-II-90

Souza, Luciana Nunes Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
106.19%
O tratamento da Doença de Hodgkin (DH) tem tido sucesso crescente nos últimos anos. Considerando que a taxa atual de cura situa-se ao redor de 85%, o desafio dos protocolos da DH agora é reduzir a agressividade do tratamento e suas conseqüentes toxicidades agudas e crônicas, sem prejuízo dos resultados oncológicos. O protocolo DH-II-90 foi desenhado com estes propósitos para o tratamento de crianças e adolescentes com DH. O protocolo consiste em três ciclos de ABVD (adriamicina, bleomicina, vinblastina e dacarbazina) e radioterapia em campo envolvido para pacientes de baixo risco, e acrescentando três ciclos de MOP (oncocloramin, vincristina e prednisona) ou COP (substituindo oncocloramin por ciclofosfamida) à quimioterapia e radioterapia em campo estendido para pacientes de alto risco. Objetivos: Este estudo visa: 1) avaliar as taxas de sobrevida global, livre de doença e livre de eventos do protocolo DH-II-90, 2) avaliar as taxas de sobrevida global e livre de eventos de acordo com o estádio, idade, presença de tumor bulky, massa mediastinal, sintomas B, dose e tipo de radioterapia e 3) descrever os efeitos tardios relatados em prontuário. Casuística e Métodos:Trata-se de um estudo retrospectivo por análise de prontuário de pacientes entre 0 e 21 anos portadores de DH...

A tomografia por emissão de pósitron com 18F-fluoro-desoxi-glicose (PET-FDG) na avaliação de resposta precoce à quimioterapia em pacientes portadores de linfoma de Hodgkin; Positron emission tomography with 2-[18F]-fluoro-2-desoxy-D-glucose assessing response after 2 cycles of chemotherapy in Hodgkin lymphoma

Cerci, Juliano Julio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
86%
Pacientes com linfoma de Hodgkin (LH) tratados com poliquimioterpia com adriamicina, bleomicina, vincristina e doxorrubicina (ABVD) apresentam resposta terapêutica distinta. Para aprimorar a avaliação prognóstica e a abordagem terapêutica em LH objetivamos avaliar o valor prognóstico da PET-FDG após 2 ciclos de ABVD (PET2) em pacientes com LH. Foram incluídos nesse estudo prospectivo 115 pacientes com diagnóstico recente de LH no período de agosto de 2005 a dezembro de 2007. Os pacientes foram estadiados com exame clínico, laboratorial, tomografia computadorizada e PET-FDG (PET0). Todos os pacientes foram tratados com ABVD e aqueles com massa tumoral extensa foram tratados com radioterapia associada. Após dois ciclos de ABVD os pacientes foram submetidos a PET2. Nenhum tratamento foi alterado baseado na PET2. Foi avaliado o valor prognóstico dos fatores clínicos, Índice Prognóstico Internacional (IPI) e PET2 em relação à sobrevida livre de eventos (SLE) em três anos. Dos 104 pacientes que foram avaliados, 82 atingiram remissão completa e 22 pacientes apresentaram falha de tratamento durante a mediana de 36 meses de acompanhamento. A SG e SLE em três anos foi de 94,2% e 74,2% respectivamente. A SLE em três anos da PET2 positiva foi de 54...

Hodgkin / Reed-Sternberg-like cells in diffuse large B cell lymphoma of the oral cavity : histopathological, immunohistochemistry and in situ hybridization study = Células de Hodgkin/Reed-Sternberg-like em linfoma difuso de grandes células B de boca: estudo histopatológico, imunoistoquímico e de hibridização in situ; Células de Hodgkin/Reed-Sternberg-like em linfoma difuso de grandes células B de boca : estudo histopatológico, imunoistoquímico e de hibridização in situ

Victor Hugo Toral Rizo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
86.05%
O linfoma difuso de grandes células B (LDGCB) é o linfoma da cavidade bucal mais comum. Alguns dos LDGCB podem apresentar células grandes morfologicamente similares às células Hodgkin e Reed/Sternberg (HRS) dos linfomas de Hodgkin clássico (LHC). O objetivo deste estudo foi comparar os LDGCB bucal que apresentem células HRS-like (LDGCB-HRS) com o linfoma de Hodgkin primário nodal, considerando os aspectos histológicos e imunoistoquímicos (IQs), angiogênese, índice de mastócitos e células dendríticas (CD), por meio de um amplo painel IQ. Quize casos foram estudados, nos quais sete eram LDGCB-HRS like e oito eram LHC nodal. Para a análise dos aspectos histológicos e IQs foram utilizados os seguintes anticorpos: CD3, CD15, CD20, CD30, CD43, LCA, CD45RO, CD79a, CD83, EMA, MUM-1, PAX-5, perforina, granzyme B, FASN, Ki-67, LMP-1; e EBER1/2. Já para a análise da angiogênese foram utilizados os anticorpos CD34, CD31, D2-40, CD105, vWF e VEGF; e para o índice de mastócitos utilizou-se o mast cell triptase. Finalmente, para avaliar a expressão IQ das CD os anticorpos CD1a, CD83, CD123, CD207, S-100 e FXIIIa foram utilizados. Todas as lâminas foram escaneadas e as células HRS-like, mastócitos e CD imunopositivas foram analisados...

Doença de Hodgkin Pulmonar

Coelho, SS; Fernandes, I; Araújo, M; Franca, T
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2000 Português
Relevância na Pesquisa
106.08%
Relatamos três casos de doença de Hodkin com envolvimento pulmonar. Três doentes tinham sintomas sistémicos e apenas dois respiratórios. Estudos imagiológicos revelaram uma massa sólida no lobo inferior esquerdo no primeiro caso, infiltrados nodulares com cavitação no segundo e uma consolidação pneumónica no terceiro. O diagnóstico de doença de Hodgkin foi feito em biópsias: brônquica no caso um, pulmonar por toracoscopia no caso dois e ganglionar no caso três. Os achados histológicos destes casos eram típicos da doença. Todos os doentes foram tratados com quimioterapia. Responderam bem ao tratamento mostrando regressão franca das lesões na reavaliação passados três meses.

Doença de Hodgkin em Doente VIH Positivo: Dois Casos

Pinto, A; Gouveia, J; Teófilo, E; Brotas, V; Pereira, ME
Fonte: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna Publicador: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
106.03%
Os autores apresentam dois casos de febre prolongada em doente com infecção VIH. O seu estudo conduziu ao diagnóstico de Doença de Hodgkin.

Doença de Hodgkin Pulmonar

Coelho, SS; Fernandes, I; Araújo, M; Franca, T
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2000 Português
Relevância na Pesquisa
106.08%
Relatamos três casos de doença de Hodkin com envolvimento pulmonar. Três doentes tinham sintomas sistémicos e apenas dois respiratórios. Estudos imagiológicos revelaram uma massa sólida no lobo inferior esquerdo no primeiro caso, infiltrados nodulares com cavitação no segundo e uma consolidação pneumónica no terceiro. O diagnóstico de doença de Hodgkin foi feito em biópsias: brônquica no caso um, pulmonar por toracoscopia no caso dois e ganglionar no caso três. Os achados histológicos destes casos eram típicos da doença. Todos os doentes foram tratados com quimioterapia. Responderam bem ao tratamento mostrando regressão franca das lesões na reavaliação passados três meses.

Doença de Hodgkin em Doente VIH Positivo: Dois Casos

Pinto, A; Gouveia, J; Teófilo, E; Brotas, V; Pereira, ME
Fonte: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna Publicador: Sociedade Portuguesa de Medicina Interna
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
106.03%
Os autores apresentam dois casos de febre prolongada em doente com infecção VIH. O seu estudo conduziu ao diagnóstico de Doença de Hodgkin.

Função gonadal de sobreviventes de doença de Hodgkin tratados na infância e adolescência com quimioterapia

Bordallo,Maria Alice N.; Guimarães,Marília M.; Carriço,Maria K.; Dobbin,Jane
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2001 Português
Relevância na Pesquisa
106.04%
Avaliamos a função gonadal de 21 pacientes do sexo masculino com doença de Hodgkin (grupo A), que receberam quimioterapia durante a infância e adolescência, e comparamos com 20 indivíduos adultos jovens sadios (grupo B). A mediana da idade dos pacientes no momento do estudo foi de 18 anos (17-23 anos), e do início da quimioterapia 10 anos (6-19 anos). Na época do tratamento, 14 pacientes eram impúberes e 7 já estavam na puberdade. No momento da investigação todos se encontravam no estágio puberal V de Tanner e tinham completado quimioterapia entre 3 e 11 anos previamente. A mediana do volume testicular foi menor no grupo A do que no B, p = 0,001. Não houve diferenças significativas da TT, SHBG, PRL e LH entre os grupos. A mediana dos níveis basais do FSH do grupo A foi maior do que no B, p = 0,0001. Houve significativa diferença entre as medianas do pico máximo do FSH e do LH após estímulo com GnRH entre os grupos, p = 0,002 e p = 0,0002 respectivamente. Encontramos uma correlação positiva entre a idade do paciente na época do tratamento e o valor máximo do LH ao estímulo com GnRH (r = 0,4; p = 0,03) e uma correlação negativa com o tempo decorrido entre o término do tratamento e o estudo (r = -0,5; p = 0...

Doença de Hodgkin do sigmoide: relato de caso

Pincinato,André Luigi; Monteiro,Elisângela Plazas; Lopes,Juliana Magalhães; Carvalho,Rodrigo Britto de; Formiga,Galdino José Sitonio
Fonte: Cidade Editora Científica Ltda Publicador: Cidade Editora Científica Ltda
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
106.11%
Doença de Hodgkin no cólon é uma afecção rara. Relata-se um caso de Doença de Hodgkin extranodal com acometimento de sigmoide, cuja confirmação diagnóstica somente foi realizada após a cirurgia de ressecção tumoral e estudo imunohistoquímico.

Síndrome de Sweet associada a linfoma de Hodgkin: relato de caso

Miranda,Carolina Villela da Rocha; Filgueiras,Fernanda de Marca; Obadia,Daniel Lago; Gripp,Alexandre Carlos; Alves,Maria de Fátima Scotelaro Guimarães
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
105.99%
A síndrome de Sweet é enfermidade cutânea rara e de etiologia pouco esclarecida. Cerca de 20% dos casos são associados a neoplasias hematológicas, sendo raros os casos relacionados à doença de Hodgkin. Relata-se caso de paciente masculino de 57 anos que desenvolveu a síndrome concomitantemente à neoplasia. As doenças foram controladas com o tratamento específico.

Abordagem atual dos pacientes com doença de Hodgkin

Spector,Nelson
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2004 Português
Relevância na Pesquisa
106.16%
Nos últimos anos, houve um progresso substancial na abordagem do paciente com doença de Hodgkin. Uma nova classificação histopatológica foi adotada, e fatores prognósticos reprodutíveis foram identificados. Os pacientes são tratados de acordo com o estádio clínico e, no caso de pacientes com doença localizada, também de acordo com os fatores prognósticos. Uma consistente série de estudos em pacientes com doença localizada tornou obsoleta a realização de laparotomia e a abordagem radioterápica isolada. Nos pacientes com doença avançada, o ABVD emergiu como o regime com a melhor relação risco/benefício após uma dura seqüência de comparações com o MOPP e combinações de MOPP e ABVD. Dois regimes inovadores estão em testes, o Stanford V e o BEACOPP. Entretanto, o avanço dos resultados terapêuticos depende da redução da toxicidade nos pacientes de baixo risco e da melhora do controle da doença nos pacientes de alto risco.

Detecção de potenciais marcadores moleculares séricos da doença de Hodgkin

Carvalho,Paulo Costa; Fischer,Juliana de Saldanha da Gama; Silva,Marcelo Soares da Mota e; Musacchio,Juliane; Spector,Nelson; Degrave,Wim Maurits; Carvalho,Maria da Gloria da Costa
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia Clínica; Sociedade Brasileira de Patologia; Sociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 Português
Relevância na Pesquisa
116.07%
MOTIVAÇÃO: Neste trabalho foi analisado o perfil de proteínas séricas de pacientes com doença de Hodgkin (DH) localizada e avançada em busca de novos e potenciais biomarcadores para o diagnóstico médico. MATERIAIS E MÉTODOS: O perfil de proteínas presentes no soro de 14 indivíduos saudáveis, 14 pacientes com DH avançada e 15 pacientes com DH localizada, assim como pools de soro dos respectivos grupos, foi analisado em gel desnaturante de poliacrilamida a 12% corado pela prata. A densitometria e a intensidade média das bandas de interesse foram estudadas utilizando-se o Kodak 1D Scientific Imaging System. RESULTADOS E CONCLUSÕES: O perfil protéico apresentou acentuada variação entre os pacientes examinados; entretanto foi observada a indução predominante de determinadas proteínas (aproximadamente 26kDa e 18kDa), cuja expressão foi substancialmente diferente quando em comparação com os controles (p < 0,01). Estas proteínas podem potencialmente constituir-se em marcadores moleculares de acompanhamento da evolução e do tratamento da doença.

Índice de proliferação celular Ki 67 nos diferentes subtipos do Linfoma de Hodgkin: estudo descritivo

Cristina Barros Santiago, Teresa; José Vieira De Mello, Roberto (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
96.01%
Este trabalho objetiva avaliar se a atividade proliferativa celular determinada pelo anticorpo MIB 1 mostra diferença significativa entre os vários subtipos do Linfoma de Hodgkin e se poderia, desta forma, ser utilizado no auxílio da caracterização e subclassificação desta entidade nosológica. O material para este estudo foi obtido a partir da seleção de 53 casos do arquivo do Departamento de Patologia do Hospital do Câncer de Pernambuco que tiveram o diagnóstico histológico de Linfoma de Hodgkin. Os casos abrangem pacientes de ambos os sexos, sem restrições de faixa etária, resultantes de biópsias de linfonodos. Foi realizada a revisão histológica e a reação imunohistoquímica utilizando-se o anticorpo anti-Ki67, o qual é expresso por células proliferantes durante todas as fases do ciclo celular, exceto a fase G-0 (repouso) e é considerado o padrão ouro em proliferação celular. O resultado deste estudo mostrou que nenhum padrão característico de expressão do MIB 1(anti-Ki 67) foi observado em qualquer um dos subtipos histológicos do Linfoma de Hodgkin, fazendo com que a realização do marcador MIB 1 (anti-Ki 67), para estes casos, não auxiliasse na subclassificação dos mesmos. A realização de marcadores imunohistoquímicos como o CD 15...

Determinação de subpopulações linfoides (CD4 e CD8) em pacientes com doença de Hodgkin

Mendonça, Carmem Maria Costa de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.18%
Resumo: Anormalidades Imimologicas que tem sido descritas em associacao com a Doenca de Hodgkin sao traduzidas por uma imunidade celular alterada. O mecanismo responsavel por estas anormalidades nao foi completamente elucidado. Com o objetivo de verificar se as alteracoes imimologicas estao associadas a fatores de mau prognostico na Doenca de Hodgkin em criancas, nos estudamos 31 pacientes abaixo de 22 anos; em 26 foram estudados os indicadores imunologicos CD4 e CD8, utilizando anticorpos monoclonais pela tecnica de imunofluorescencia indireta. A idade dos pacientes variou de 3 a 22 anos( 11+1.04a), sendo 20/31(64,5%) menores de 13 anos. Vinte pacientes(71%) eram do sexo masculino e 9(29%) do sexo feminino. A duracao dos sintomas ao diagnostico variou de 1 a 24 meses(media=6,5meses). Linfonodomegalia (cervical e/ou inguinal) foi o sintoma mais frequente encontrado em 24/31 pacientes(77.4%), seguidos de perda de peso em 10 pacientes(32.3%), febre em 8(25.9%), astenia em 6(19.4%) e sudorese noturna em 2(6.5%). Dezoito pacientes(58%) pertenciam ao estadio I/II e 13(42%) ao estadio UI/TV, 19(61.3%) tinham sintomas A e 12(38.7%) sintomas B. Na analise histopatologica, observaram-se 22(71%) casos com tipo histologico celularidade mista ...

Doença de Hodgkin na Criança. Experiência de 10 Anos

Costa, Paula Lopes da; Lacerda, Ana Forjaz de; Vieira, Ester; Chagas, Mário; Ambrósio, António; Neto, Ana; Pereira, Filomena; Ribeiro, Maria José; Martins, António Gentil; Sousinha, Mário
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 22/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
116.09%
Objectivos: Caracterizar os casos de Doença de Hodgkin (DH) seguidos no Serviço de Pediatria do Instituto Português de Oncologia de Francisco Gentil — Centro de Lisboa (IPOFG-L) e avaliar a eficácia e efeitos secundários do tratamento.Métodos: Análise retrospectiva dos processos clínicos dos doentes admitidos com DH no IPOFG-L entre Janeiro de 1987 e Dezembro de 1996.Resultados: Foram estudados 53 doentes (40M/13F), com idades entre 2 e 14 anos (12% <5, 44% 5-10, 44% 10-14 anos). O intervalo de tempo entre as manifestações da doença e a entrada no Serviço foi inferior a 1 mês em 19% dos doentes, mas superior a 6 meses em 34%. As manifestações iniciais foram as adenomegálias isoladas em 66% das crianças, das quais 80% em localização cervical.Havia envolvimento do mediastino em 51% dos doentes. O subtipo histológico predominante foi a esclerose nodular (71%). Em relação ao estadiamento, a distribuição foi a seguinte: estadio I - 24%; estadio II - 42%; estadio III - 24%; estadio IV - 10%; 28% dos doentes apresentavam sintomas B. A terapêutica utilizada na maioria dos casos foram ciclos MOPP-ABVD, seguidos de radioterapia de baixa dose, com os seguintes resultados: 83% - remissãp completa; 5,5% - remissão parcial; 7...

Avaliação da Doença de Hodgkin em Crianças Tratadas no Centro do Porto do IPOFG

Costa, Vitor; Oliva, Teresa; Silva, Isabel; Bastos, Lima; Borges, Sodré
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
106.13%
Objectivos: O objectivo deste trabalho foi avaliar os casos de Doença de Hodgkin (DH) tratados na Clínica Oncológica VI (Pediatria) do Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil (IPOFG) do Porto de Janeiro de 1991 a Janeiro de 2000, salientando o contributo relativo do cintilograma com gálio (67Ga) como marcador de doença activa.Métodos: Foi efectuada a análise retrospectiva de 28 processos clínicos correspondentes ao total de doentes admitidos no período referido. Foram avaliados os seguintes parâmetros: idade à data do diagnóstico, sexo, primeiro sintoma, tempo médio entre o início da sintomatologia e o diagnóstico, estadio da doença, cintilograma com 67Ga no diagnóstico e após tratamento, comparação deste com outros exames complementares e evolução da doença.Resultados: Verificou-se ligeiro predomínio no sexo masculino e no período etário entre os 11 e os 15 anos. A sintomatologia inicial mais frequente foi a adenomegalia cervical isolada e o tempo médio entre o início da sintomatologia e o diagnóstico foi de quatro meses.A distribuição por estadios foi a seguinte: I — 21%, II — 50%, III — 11%, IV — 18%. Na avaliação inicial todos efectuaram cintilograma com 67Ga tendo-se verificado fixação em 24 dos 28 doentes.Em 17 casos houve concordáida entre os resultados dos cintilogramas e os obtidos por outros métodos de estadiamento. Em três crianças o resultado do cintilograma alterou o estadiamento. No final do tratamento houve desaparecimento da fixação anómala em 17 casos.Em dois casos verificou-se persistência da fixação e em três registouse fixação transitória no mediastino. A evolução da doença foi favorável em 86% de todos os casos avaliados.Conclusões: A adenomegalia cervical isolada foi o sinal clínico mais frequente eo estadio II o mais comum. O cintilograma com 67Ga é um importante indicador de doença activa e importante factor de estadiamento. Nos estadios I e II é mais frequente a concordância entre os dados obtidos pelo cintilograma e os que são fornecidos por outros exames de estadiamento. Um cintilograma com 67Ga negativo...

Tratamento do linfoma de Hodgkin após falha do transplante autólogo; Treatment of Hodgkin's lymphoma after failure of autologous stem cell transplant

SANTOS, Fernanda M.; PRACCHIA, Luís F.; LINARDI, Camila G. C.; BUCCHERI, Valeria
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
86.09%
O linfoma de Hodgkin (LH) é uma neoplasia do tecido linfóide de excelente prognóstico, porém, aproximadamente 15% dos pacientes em estádios precoces e 35% dos em estádios avançados progridem após o tratamento inicial. O transplante autólogo de medula óssea ou de células-tronco periféricas (ATMO) é o tratamento de escolha nesses casos. Nosso estudo tem como objetivo avaliar o tipo de tratamento utilizado, a taxa de resposta e a sobrevida de pacientes recidivados ou refratários ao ATMO. De 38 pacientes com LH submetidos a ATMO entre abril de 1996 e novembro de 2005, foram avaliados 17 que apresentaram recidiva/refratariedade ao ATMO. Nesses casos, o tratamento de resgate foi individualizado, a depender das condições clínicas de cada um, sendo constituído usualmente de drogas citotóxicas não utilizadas previamente. Após o ATMO, dez (59%) dos 17 pacientes obtiveram remissão completa, um (6%) remissão parcial e seis (35%) foram refratários. Em 14 dos 17 pacientes foi instituída quimioterapia de resgate com diversos esquemas no momento da recidiva/refratariedade após ATMO; um paciente foi tratado com radioterapia exclusiva e dois foram a óbito antes de qualquer terapia. Observamos uma taxa de resposta global de 57...