Página 1 dos resultados de 315 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Terapia com agentes biológicos na criança e no adolescente; Treatment with biologic agents in child and adolescent

SUEHIRO, Ricardo Maisse; AIKAWA, Nádia Emi; CARVALHO, Jozélio Freire de; SILVA, Clovis Artur A. da
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
OBJETIVO: Revisar os mecanismos fisiopatológicos e novos alvos terapêuticos, os agentes biológicos disponíveis, principais indicações e a evidência científica atual para o uso de terapias biológicas na população pediátrica. FONTES DE DADOS: Pesquisa na base de dados Medline e SciELO, nas línguas inglesa e portuguesa, entre 2000 e 2009. As palavras-chave usadas foram "agentes biológicos", "crianças" e "adolescentes". SÍNTESE DOS DADOS: Os agentes biológicos são uma importante opção terapêutica para tratar as doenças autoimunes refratárias às terapias convencionais na infância e na adolescência. Com exceção da artrite idiopática juvenil, a maioria dos estudos em outras doenças autoimunes não é controlada. CONCLUSÕES: Os agentes biológicos têm demonstrado eficácia no tratamento de doenças autoimunes pediátricas como artrite idiopática juvenil, miopatias idiopáticas inflamatórias, lúpus eritematoso juvenil, vasculites, uveítes crônicas, doenças inflamatórias intestinais e púrpura trombocitopênica imune crônica, assim como no linfoma não-Hodgkin. Considerando-se o custo elevado e os potenciais eventos adversos, o uso desses agentes deve ser individualizado e acompanhado por especialista.; OBJECTIVE: To review the physiopathology and new therapeutical targets...

Avaliação audiológica em pacientes com doenças reumáticas pediátricas

Campos-Flumian, Carolina Ferreira; Montovani, Jair Cortez; Magalhães, Claudia Saad
Fonte: Academia Brasileira de Audiologia Publicador: Academia Brasileira de Audiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 24-29
Português
Relevância na Pesquisa
47.05%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); OBJETIVO: Realizar avaliação audiológica em crianças e adolescentes acompanhados em um ambulatório de referência para doenças autoimunes, independentemente do diagnóstico específico. MÉTODOS: Foi realizado um estudo cego simples do tipo caso-controle. Foram incluídos 48 pacientes com idades entre 5 e 19 anos e tempo de seguimento de um a 151 meses, divididos em três grupos: 15 pacientes controle com diagnóstico de dor em membros e exclusão de doença autoimune, 23 pacientes com Artrite Idiopática Juvenil, e dez pacientes com outras doenças autoimunes. Os voluntários foram submetidos a avaliações clínica, otológica e audiológica (timpanometria, pesquisa dos reflexos acústicos, audiometria, índice de reconhecimento de fala, emissões otoacústicas e potenciais evocados auditivos de tronco encefálico com estímulo click). RESULTADOS: O grupo com outras doenças autoimunes teve maior número de pacientes sintomáticos e maior número de orelhas alteradas no teste de emissões otoacústicas em comparação com o grupo controle e com o grupo com Artrite Idiopática Juvenil. Ainda no grupo com outras doenças autoimunes, 50% dos sujeitos assintomáticos apresentaram alterações na pesquisa dos reflexos...

O transplante de células-tronco hematopoéticas como opção no tratamento de doenças não hematológicas

Ruiz, Milton A.; Piron-Ruiz, Lilian; Lago, Mario R.; Maset, Angelo; Santos, Adriana Barbosa; Greco, Oswaldo T.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e daSociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 68-74
Português
Relevância na Pesquisa
56.85%
Nesta revisão são abordadas as doenças em que existem dados e perspectivas do uso de transplante de células-tronco hematopoéticas em suas diversas modalidades. São apresentados também os aspectos referentes aos regimes de condicionamento empregados, e sua relação com toxicidade e taxa de mortalidade ligadas ao transplante. São apresentadas as doenças autoimunes e particularizados dados específicos do lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica e esclerose múltipla e diabetes mellitus tipo 1. A base do procedimento nas doenças autoimunes é a reprogramação imunológica. Aparentemente o procedimento tem sua indicação nas doenças em que os tratamentos convencionais de imunossupressão tenham falhado, e o dano orgânico não tenha sido definitivo, mas tenha chance de ocorrer caso não seja realizado o transplante. A modalidade aparentemente indicada no momento deve ser o transplante de células-tronco autogênico com regimes de condicionamento não mieloablativo para se obter sobrevivência estimada em mais de 50% em todas as doenças, com baixa toxicidade e com mortalidade nula ligada ao transplante. São apresentados também os resultados nos tumores sólidos, que são discutíveis, e particularidades no câncer de mama. A aparente indicação para os tumores sólidos é transplante de células-tronco alogênico e se baseia no tratamento intensivo com doses mieloablativas com a finalidade de se induzir o efeito enxerto contra o tumor. Os regimes não mieloablativos são preconizados com a finalidade de redução da toxicidade e indução de imunossupressão...

Condutas clínicas frente ao paciente portador de doenças autoimunes na cavidade bucal

Piacentini, Marcello
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 58 f.
Português
Relevância na Pesquisa
46.86%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Odontologia.; As doenças autoimunes são um grupo de lesões que podem levar a longos períodos de intervenção sem apresentar melhora no quadro clínico, seja por ausência de um diagnóstico definitivo ou por falta de familiaridade com terapêuticas eficazes. O envolvimento de áreas além da cavidade oral também pode ser um fator para facilitar o manejo da doença, porém deve-se ressaltar que a boca é, na maioria das vezes, o local mais difundido dessas injúrias, dando a oportunidade de se diagnosticar e intervir precocemente, proporcionando a consulta em tempo útil com os outros membros da equipe de saúde, e assim, sendo possível a redução da morbidade global dessas condições. A grande freqüência, a semelhança com outras doenças da mucosa e a natureza, algumas vezes, dolorosa, torna o conhecimento e o diagnóstico das lesões autoimunes da cavidade bucal muito importante. Tendo isto em vista, é de extrema importância que o cirurgião dentista tenha conhecimento necessário para identificá-las, diferenciá-las, diagnosticá-las e tratá-las, ou seja, que ele tenha condições de tomar a melhor conduta possível perante as diversas situações que podem surgir no seu dia a dia. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão da literatura a respeito das principais características das doenças autoimunes da cavidade bucal.; Autoimmune diseases are a group of lesions that can lead to long periods of intervention...

Relatório de estágio: Labomarques

Marques, Catarina Esteves Vasques de Carvalho Marinho Crespo
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
47.02%
Relatório de estágio de mestrado, Análises Clínicas, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2011; O estágio do mestrado em análises clínicas consistiu num período de trabalho de seis meses no Laboratório de Análises Clínicas Labomarques. Neste laboratório realizam-se análises nas áreas da Bioquímica, Imunologia, Endocrinologia, Hematologia e Microbiologia. O objectivo deste relatório é expor de forma sucinta e objectiva, as aprendizagens adquiridas durante o estágio, explicando o fluxo de trabalho num laboratório de análises clínicas e mencionando as fases pré-analítica, analítica e pós-analítica, e de um modo particular abordando para cada valência laboratorial, os aspectos mais relevantes.; The Masters in Clinical Analysis internship consisted of a six months period working in the Clinical Laboratory Labomarques. This laboratory performs in the areas of: Biochemistry, Immunology, Endocrinology, Hematology and Microbiology. My aim was to display in this report in a short and objective way, the acquired acknowledgements: in a general way, by explaining de workflow in a clinical laboratory and citing the pre-analytical, analytical and post-analytical phases, and in a particular way by addressing for each laboratorial department the most relevant aspects.; As doenças autoimunes surgem devido a falhas nos mecanismos de tolerância imunológica do indivíduo...

Rastreio combinado do 1º trimestre e doenças autoimunes : Impacto das variaveis pré-analíticas na avaliação do risco

Xavier, Maria José Pinto Barreira Rego de Sousa
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas Publicador: Faculdade de Ciências Médicas
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.98%
RESUMO: Contexto: As anomalias congénitas, com particular destaque para as neuploidias , afectam aproximadamente 2% dos recém-nascidos, constituindo causas frequentes de morbilidade e mortalidade. Actualmente, a avaliação do grau de risco para as aneuploidias mais prevalentes (T21, T13, T18) é efectuada através do “Rastreio Combinado do 1º Trimestre”, devendo as grávidas com risco acrescido ser sujeitas a exames invasivos (ex.biópsia das vilosidades coriónicas,amniocentese). Quanto mais qualidade existir num rastreio, menos falsos positivos existirão e menor o número de exames diagnósticos invasivos desnecessários. As doenças autoimunes são doenças inflamatórias crónicas em cuja fisiopatologia se encontram distúrbios da imunidade humoral e celular, dependentes de factores genéticos, hormonais,psicológicos e ambientais. Atingem mais o sexo feminino e durante a idade fértil,podendo influenciar o outcome da gravidez e a saúde neonatal causando significativa morbilidade e mortalidade. O lúpus eritematoso sistémico para além de potencialmente afectado pelas alterações imunoendócrinas fisiológicas da gravidez, associa-se frequentemente a problemas de fertilidade. Recentemente, foi sugerido que as anormalidades ocorridas durante a invasão precoce do sinciciotrofoblasto...

Terapia com agentes biológicos na criança e no adolescente

Suehiro,Ricardo Maisse; Aikawa,Nádia Emi; Carvalho,Jozélio Freire de; Silva,Clovis Artur A. da
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
OBJETIVO: Revisar os mecanismos fisiopatológicos e novos alvos terapêuticos, os agentes biológicos disponíveis, principais indicações e a evidência científica atual para o uso de terapias biológicas na população pediátrica. FONTES DE DADOS: Pesquisa na base de dados Medline e SciELO, nas línguas inglesa e portuguesa, entre 2000 e 2009. As palavras-chave usadas foram "agentes biológicos", "crianças" e "adolescentes". SÍNTESE DOS DADOS: Os agentes biológicos são uma importante opção terapêutica para tratar as doenças autoimunes refratárias às terapias convencionais na infância e na adolescência. Com exceção da artrite idiopática juvenil, a maioria dos estudos em outras doenças autoimunes não é controlada. CONCLUSÕES: Os agentes biológicos têm demonstrado eficácia no tratamento de doenças autoimunes pediátricas como artrite idiopática juvenil, miopatias idiopáticas inflamatórias, lúpus eritematoso juvenil, vasculites, uveítes crônicas, doenças inflamatórias intestinais e púrpura trombocitopênica imune crônica, assim como no linfoma não-Hodgkin. Considerando-se o custo elevado e os potenciais eventos adversos, o uso desses agentes deve ser individualizado e acompanhado por especialista.

Perfil epidemiológico dos pacientes com vitiligo e sua associação com doenças da tireoide

Nunes,Daniel Holthausen; Esser,Ligia Maria Hademann
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.99%
FUNDAMENTO: O vitiligo é considerado a hipomelanose adquirida mais frequente. Apesar de sua etiopatogenia ser incerta, acredita-se que a etiologia autoimune seja a mais plausível, teoria que se fundamenta na concomitância de vitiligo com doenças autoimunes. OBJETIVOS: Traçar o perfil epidemiológico dos pacientes com vitiligo e estimar a prevalência da associação de vitiligo com doenças autoimunes da tireoide. MÉTODOS: Efetuou-se um estudo transversal, analisando-se prontuários dos pacientes com diagnóstico de vitiligo atendidos no Ambulatório de Dermatologia AME-Unisul e do HU-UFSC. Avaliaram-se as características clínicas e laboratoriais desses pacientes. RESULTADOS: Foram avaliados 85 prontuários, sendo 56 do sexo feminino, com idade média de 37,14 anos e idade média de início de 25,25 anos. O vitiligo vulgar ocorreu em 70,6% dos casos. As doenças autoimunes da tireoide foram encontradas em 22,4% dos casos. Outras doenças autoimunes foram identificadas em 5,9% dos casos. Os pacientes com anticorpos antitireoidianos positivos revelaram uma probabilidade elevada de extensão do vitiligo maior que 25%. Não houve diferença estatística quanto às características clínicas do vitiligo em portadores ou não de tireoidite autoimune com alteração hormonal. CONCLUSÃO: Os resultados deste estudo são similares aos de outros autores...

A importância dos níveis de vitamina D nas doenças autoimunes

Marques,Cláudia Diniz Lopes; Dantas,Andréa Tavares; Fragoso,Thiago Sotero; Duarte,Ângela Luzia Branco Pinto
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.78%
Além do seu papel na homeostase do cálcio, acredita-se que a forma ativa da vitamina D apresenta efeitos imunomoduladores sobre as células do sistema imunológico, sobretudo linfócitos T, bem como na produção e na ação de diversas citocinas. A interação da vitamina D com o sistema imunológico vem sendo alvo de um número crescente de publicações nos últimos anos. Estudos atuais têm relacionado a deficiência de vitamina D com várias doenças autoimunes, como diabetes mellitus insulino-dependente (DMID), esclerose múltipla (EM), doença inflamatória intestinal (DII), lúpus eritematoso sistêmico (LES) e artrite reumatoide (AR). O artigo faz uma revisão da fisiologia e do papel imunomodulador da vitamina D, enfatizando sua participação nas doenças reumatológicas, como o lúpus e a artrite reumatoide.

Interferência por RNA: uma nova alternativa para terapia nas doenças reumáticas

França,Natália Regine de; Mesquita Júnior,Danilo; Lima,Amanda Bandeira; Pucci,Fernando Vianna Cabral; Andrade,Luís Eduardo Coelho; Silva,Neusa Pereira
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.85%
A interferência por RNA (RNAi) é um mecanismo de silenciamento gênico pós-transcricional conservado durante a evolução. Esse mecanismo, recentemente descrito, é mediado por pequenos RNAs de fita dupla (dsRNAs) capazes de reconhecer especificamente uma sequência de mRNA-alvo e mediar sua clivagem ou repressão traducional. O emprego da RNAi como uma ferramenta de terapia gênica tem sido muito estudado, especialmente em infecções virais, câncer, desordens genéticas herdadas, doenças cardiovasculares e mesmo em doenças reumáticas. Aliados aos dados do genoma humano, os conhecimentos do silenciamento gênico mediado por RNAi podem permitir a determinação funcional de praticamente qualquer gene expresso em uma célula e sua implicação para o funcionamento e homeostase celular. Vários estudos terapêuticos in vitro e in vivo em modelos de doenças autoimunes vêm sendo realizados com resultados encorajadores. As vias de quebra de tolerância e inflamação são alvos potenciais para terapia com RNAi em doenças inflamatórias e autoimunes. Nesta revisão vamos recordar os princípios básicos da RNAi e discutir os aspectos que levaram ao desenvolvimento de propostas terapêuticas baseadas em RNAi, começando pelos estudos in vitro de desenvolvimento de ferramentas e identificação de alvos...

Prevalência de anticorpos séricos contra rubéola em doenças autoimunes

Altman,Arie; Szyper-Kravitz,Martine; Agmon-Levin,Nancy; Gilburd,Boris; Anaja,Juan-Manuel; Barzilai,Ori; Ram,Maya; Bizzaro,Nicola; Stojanovich,Ljudmila; Damoiseaux,Jan; Tervaert,Jan Willem Cohen; Bombardieri,Stefano; Amital,Howard; Shamis,Ari; Shoenfeld,Ye
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.92%
INTRODUÇÃO: A associação entre infecções e doenças autoimunes (DAIs) está bem descrita na literatura médica. Vários agentes infecciosos foram implicados como indutores de respostas autoimunes, tais como o parvovírus B19, o vírus Epstein-Barr, o citomegalovírus e os vírus da hepatite. PACIENTES E MÉTODOS: Foram examinamos 1.173 soros de pacientes com 14 doenças autoimunes diferentes e 238 soros de controles saudáveis pareados geograficamente na busca por evidência de infecção rubeólica prévia. Todas as amostras foram testadas para a presença de anticorpos séricos contra rubéola usando-se o sistema Bio-Rad BioPlex 2200. RESULTADOS: Como um grupo, os pacientes com DAIs apresentaram maior prevalência de anticorpos IgM antirrubéola em comparação aos controles saudáveis (11,7% versus 5,4%; P = 0,001). A prevalência de anticorpos IgM antirrubéola foi significativamente maior em 5/14 DAIs, a saber: arterite de células gigantes (33,3%), cirrose biliar primária (24%), síndrome antifosfolipídica (20,6%), polimiosite (16%) e doença intestinal inflamatória (16%). Detectou-se prevalência semelhante de anticorpos IgM antirrubéola nos controles de diferentes países. Detectou-se alta prevalência de anticorpos IgG antirrubéola em pacientes com DAIs (89...

Ocorrência de doenças autoimunes tireoidianas em pacientes com doenças reumáticas

Robazzi,Teresa Cristina Martins Vicente; Adan,Fernando Fernandes
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
56.96%
Anormalidades na função tireoidiana e presença de autoanticorpos da tireoide têm sido frequentemente descritas em pacientes com doenças reumatológicas autoimunes, como síndrome de Sjögren, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico e esclerodermia. São limitados os dados sobre prevalência e características clínicas de tireoidite autoimune em outras doenças reumatológicas, tais como febre reumática e lúpus eritematoso sistêmico juvenil. Os autores revisaram as associações de doenças autoimunes endócrinas e reumáticas, avaliando as diversas faixas etárias e condições clínicas. O levantamento bibliográfico foi realizado por meio de busca por artigos científicos indexados em bancos de dados de ciências da saúde em geral, como Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Medline/PubMed e Scientific Eletronic Library Online (SciELO). Utilizaram-se os seguintes descritores: "rheumatic autoimmune diseases and autoimmune thyroid diseases", "thyroid disorders and rheumatic diseases", "thyroiditis and rheumatic diseases", "autoimmune diseases and thyroid", e "pediatric rheumatic diseases and autoimmune thyroid diseases". Este estudo mostrou que, apesar de resultados contraditórios na literatura...

Reações infusionais imediatas a agentes imunobiológicos endovenosos no tratamento de doenças autoimunes: experiência de 2.126 procedimentos em um centro de infusão não oncológico

Moss,Ingrid Bandeira; Moss,Monique Bandeira; Reis,Debora Silva dos; Coelho,Reno Martins
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
56.65%
Introdução: Com o crescimento do uso de drogas imunobiológicas (IBD) ampliamos o conhecimento sobre sua eficácia e segurança. Objetivo: Analisar as reações infusionais imediatas (RII) às IBD endovenosas - infliximabe (IFX), rituximabe (RTX), abatacepte (ABT) e tocilizumabe (TCZ) - no tratamento de doenças autoimunes. Método: Avaliamos 2.126 infusões feitas no CID (Centro de Infusão) em 268 pacientes. A droga usada, a indicação clínica, o tempo de infusão e o uso de pré-medicação foram determinados pelo médico prescritor. Foram consideradas RII todas as intercorrências apresentadas durante a infusão e/ou período observacional de 30 minutos. A conduta adotada nas RII seguiu os protocolos do CID. Resultados: Em relação ao tipo de IBD, as infusões foram distribuídas em: IFX (1.584; 74,5%), TCZ (226; 10,63%), RTX (185; 8,7%) e ABT (131; 6,16%). As RII foram descritas em 87 procedimentos (4,09%): 77 no grupo IFX e 10 no grupo RTX. Não foram descritas RII nos grupos de ABT e TCZ. A maioria foi considerada leve (n = 5; 41,17%) ou moderada (n = 50; 58,81%) e não houve reações graves. Das infusões interrompidas...

O transplante de células-tronco hematopoéticas como opção no tratamento de doenças não hematológicas

Ruiz,Milton A.; Piron-Ruiz,Lilian; Lago,Mario R.; Maset,Angelo; Santos,Adriana B.; Greco,Oswaldo T.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2009 Português
Relevância na Pesquisa
56.85%
Nesta revisão são abordadas as doenças em que existem dados e perspectivas do uso de transplante de células-tronco hematopoéticas em suas diversas modalidades. São apresentados também os aspectos referentes aos regimes de condicionamento empregados, e sua relação com toxicidade e taxa de mortalidade ligadas ao transplante. São apresentadas as doenças autoimunes e particularizados dados específicos do lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica e esclerose múltipla e diabetes mellitus tipo 1. A base do procedimento nas doenças autoimunes é a reprogramação imunológica. Aparentemente o procedimento tem sua indicação nas doenças em que os tratamentos convencionais de imunossupressão tenham falhado, e o dano orgânico não tenha sido definitivo, mas tenha chance de ocorrer caso não seja realizado o transplante. A modalidade aparentemente indicada no momento deve ser o transplante de células-tronco autogênico com regimes de condicionamento não mieloablativo para se obter sobrevivência estimada em mais de 50% em todas as doenças, com baixa toxicidade e com mortalidade nula ligada ao transplante. São apresentados também os resultados nos tumores sólidos, que são discutíveis, e particularidades no câncer de mama. A aparente indicação para os tumores sólidos é transplante de células-tronco alogênico e se baseia no tratamento intensivo com doses mieloablativas com a finalidade de se induzir o efeito enxerto contra o tumor. Os regimes não mieloablativos são preconizados com a finalidade de redução da toxicidade e indução de imunossupressão...

Consenso brasileiro para transplante de células-tronco hematopoéticas para tratamento de doenças autoimunes

Voltarelli,Júlio C.; Moraes,Daniela A.; Ribeiro,Andreza A.F.; Oliveira,Maria Carolina de; Rodrigues,Morgani; Brum,Doralina G.; Barreira,Amilton A.; Hamerschlak,Nelson
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.86%
Neste trabalho, foram revisadas a literatura internacional e a experiência nacional com transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) para doenças autoimunes. A evidência acumulada indica que o TCTH autólogo pode beneficiar pacientes com esclerose múltipla em fase inflamatória, refratária aos tratamentos medicamentosos disponíveis, e pacientes com esclerose sistêmica cutânea difusa de caráter progressivo, com ou sem comprometimento sistêmico. Esse tratamento deveria ser disponibilizado na rede pública de saúde, numa fase inicial, em centros de referência com experiência em TCTH e no manejo clínico de doenças autoimunes sistêmicas graves.

Avaliação audiológica em pacientes com doenças reumáticas pediátricas

Campos-Flumian,Carolina Ferreira; Montovani,Jair Cortez; Magalhães,Claudia Saad
Fonte: Academia Brasileira de Audiologia Publicador: Academia Brasileira de Audiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.05%
OBJETIVO: Realizar avaliação audiológica em crianças e adolescentes acompanhados em um ambulatório de referência para doenças autoimunes, independentemente do diagnóstico específico. MÉTODOS: Foi realizado um estudo cego simples do tipo caso-controle. Foram incluídos 48 pacientes com idades entre 5 e 19 anos e tempo de seguimento de um a 151 meses, divididos em três grupos: 15 pacientes controle com diagnóstico de dor em membros e exclusão de doença autoimune, 23 pacientes com Artrite Idiopática Juvenil, e dez pacientes com outras doenças autoimunes. Os voluntários foram submetidos a avaliações clínica, otológica e audiológica (timpanometria, pesquisa dos reflexos acústicos, audiometria, índice de reconhecimento de fala, emissões otoacústicas e potenciais evocados auditivos de tronco encefálico com estímulo click). RESULTADOS: O grupo com outras doenças autoimunes teve maior número de pacientes sintomáticos e maior número de orelhas alteradas no teste de emissões otoacústicas em comparação com o grupo controle e com o grupo com Artrite Idiopática Juvenil. Ainda no grupo com outras doenças autoimunes, 50% dos sujeitos assintomáticos apresentaram alterações na pesquisa dos reflexos, na audiometria e nas emissões otoacústicas. Na audiometria...

Autoanticorpos nas doenças hepáticas autoimunes

Matsubara, Caroline Emília Reis
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.86%
Resumo: A investigacao e correta interpretacao dos autoanticorpos e indispensavel para o diagnostico adequado de doencas autoimunes (DAI) do figado. O diagnostico precoce e fundamental para o correto tratamento e reducao das consequencias da doenca. Pacientes com essas doencas apresentam alto risco de desenvolver outras DAI concomitantes. O presente estudo teve como objetivo realizar um amplo painel de autoanticorpos em pacientes com hepatopatias autoimunes e associar com dados clinicos, demograficos e presenca de outras DAI Fo am analisadas amost as de so o de 60 pacientes com DAI hepatica (43 Š, 17 ‰; idade media 42,7 anos; 19-72 anos), sendo 23 com hepatite autoimune (HAI), 7 com cirrose biliar primaria (CBP), 15 com colangite esclerosante primaria (CEP) e 15 com sindrome de sobreposicao (SSP). Grupo controle: 100 individuos sadios da mesma area geografica. Foram avaliados os anticorpos relacionados ao diagnostico das DAI hepaticas: anti-musculo liso (AML), anti-mitocondria (AMA), anti-microssoma de figado e rim (LKM), anti-nuclear (FAN) e anti-citoplasma de neutrofilos (ANCA); anticorpos relacionados ao prognostico: anticorpos anti-glicoproteina 210 (gp210) e anti-centromero; e anticorpos relacionados as co-morbidades: anti-endomisio (EmA-IgA)...

Pesquisa de autoanticorpos contra antígenos intracelulares, em células HEp-2, em Goiânia Goiás; Research on autoantibodies against intracellular antigens in HEp-2 cells, in Goiânia Goiás

RÊGO, Jozelia
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciencias da Saude; Ciencias da Saude
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
47.18%
Autoimmune diseases are a clinical syndrome caused by the activation of T and/or B cells. They are multifactorial in nature and characterized by the presence of autoantibodies directed against cellular components. These autoantibodies can act as diagnostic markers or as predictors for these diseases. The ANA test is a very useful tool in the investigation of autoimmune diseases. OBJECTIVES: a) establishing a correlation between clinical diagnoses and fluorescence patterns in ANA tests on HEp-2 cells; b) determining the frequency of fluorescence patterns; c) establishing a correlation between clinical diagnosis and fluorescence titers; d) establishing possible correlations of changes in fluorescence patterns. CASES AND METHODS: All the ANA requests sent to the Immunorheumatology Laboratory of the Teaching Hospital of the Federal University of Goias, from January / 2000 to December / 2007 were analyzed and those with positive results were selected. For the ANA research, the investigator used the IFI technique and HEp-2 cells as substrate. To classify the fluorescence patterns decision trees proposed by the Brazilian Consensus for Standardization of ANA in HEp-2 cells were used. RESULTS: Among the 8,631 ANA requests, 1,167 presented positive results (13...

Recomendações da Sociedade Brasileira de Reumatologia sobre diagnóstico e tratamento das parasitoses intestinais em pacientes com doenças reumáticas autoimunes

Braz,Alessandra Sousa; Andrade,Carlos Augusto Ferreira de; Mota,Licia Maria Henrique da; Lima,Caliandra Maria Bezerra Luna
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 Português
Relevância na Pesquisa
46.92%
RESUMOAs parasitoses intestinais – helmintíases e protozooses – são doenças cosmopolitas com maior prevalência em regiões tropicais. Pacientes com diagnóstico de doenças reumáticas autoimunes apresentam, em função da própria doença de base ou de seu tratamento, um maior risco de ocorrência de manifestações graves das parasitoses intestinais. Embora a prevalência dessas parasitoses seja bastante elevada em nosso meio, nem sempre o reumatologista está atento à necessidade de investigação e tratamento das helmintíases e protozooses antes do uso de terapias imunomoduladoras, imunossupressoras e dos medicamentos biológicos modificadores do curso da doença. Neste documento, a Sociedade Brasileira de Reumatologia estabelece recomendações gerais sobre o diagnóstico e tratamento das parasitoses intestinais no Brasil em pacientes com doenças reumáticas autoimunes, com destaque para a artrite reumatoide, o lúpus eritematoso sistêmico e as espondiloartrites.

Atualização dos conceitos em autoimunidade

Silva, Rosicleide Borges dos Santos
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
As doenças autoimunes são caracterizadas pela desordem no sistema imunológico que gera uma perda da tolerância às estruturas do próprio organismo. Conhecer essas doenças que afetam parte da população é fundamental para melhorar as estratégias de tratamento, tornando-as mais eficazes e com menos efeitos colaterais. A origem da autoimunidade é complexa e multicausal, envolvendo aspectos imunológicos, genéticos e ambientais. Diante da sua importância e das dificuldades de avaliação clínica e laboratorial, é necessário analisar as metodologias hoje empregadas para o seu diagnóstico de modo a melhorar o tratamento. Dessa maneira se mostra importante discutir os autoanticorpos presentes nos portadores de doenças autoimunes, além de avaliar qual a melhor técnica utilizada para auxiliar no diagnóstico dessas patologias. Das técnicas estudadas a imunoenzimática apresenta maiores vantagens em relação à imunofluorescência, parecendo então ser a melhor, mas não a mais empregada, pois o exame realizado com maior frequência é a PAAC. O diagnóstico precoce, nem sempre possível, é muito importante, pois doenças autoimunes, quando não tratadas precocemente ou corretamente, podem tornar-se fator incapacitante ou limitante para o desenvolvimento das atividades cotidiana.; Farmácia