Página 1 dos resultados de 162 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Ensaios sobre a redução da pobreza no Brasil: mensuração e determinantes; Esays about the poverty reduction in Brazil: measuring and decomposing

Vinhais, Henrique Eduardo Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
66.35%
Este trabalho analisa a pobreza no Brasil a partir dos micro-dados dos censos demográficos do IBGE dos períodos de 1991 e 2000. Na primeira parte, investiga a construção de uma Linha Híbrida de Pobreza para o Brasil, partindo da estimação empírica da elasticidade-renda da linha de pobreza. A criação desta linha permite contemplar os diferentes aspectos das linhas de pobreza absoluta e relativa, através de uma ponderação entre elas, onde os pesos relativos de cada uma dependem da elasticidade-renda estimada. Com as linhas absoluta e híbrida de pobreza, este trabalho verifica a alteração da incidência da pobreza no período analisado e, em seguida, a mudança dos determinantes desta incidência através de um modelo probit que considera os atributos determinantes da probabilidade de um indivíduo ser pobre. Na segunda parte, este trabalho examina de forma empírica a relação entre crescimento econômico, alteração na distribuição de renda e redução da incidência da pobreza. Além disto, assumindo a hipótese de log-normalidade da distribuição de renda no Brasil, calcula as elasticidades da incidência da pobreza com relação à renda e desigualdade. Por fim, estuda o efeito de variações na renda sobre a pobreza mensurada a partir de uma linha híbrida. Entre os principais resultados...

Estudo da elasticidade-renda da demanda de carne bovina, suína e de frango no Brasil; Study of income-elasticity of beef, pork and poultry meat's demand in Brazil

Carvalho, Thiago Bernardino de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.2%
O Brasil possui um mercado interno potencial para o consumo de alimentos, principalmente para as carnes. A carne já faz parte da alimentação dos brasileiros e sua demanda está ligada a vários fatores, como preços, qualidade, aspectos nutricionais, preferência, gosto e, principalmente, a restrição orçamentária, ou seja, a renda. A fim de determinar o quanto a renda impacta o consumo de carnes, buscou-se no presente estudo estimar as elasticidades-renda da demanda de carne bovina, suína e de frango, no Brasil e suas regiões. As elasticidades foram obtidas por meio do ajustamento de uma poligonal com três segmentos. Os coeficientes de elasticidade-renda do dispêndio, calculados para as carnes de forma geral, foram sempre menores do que 1, sendo a carne bovina, responsável pelos valores extremos: a de primeira, próxima de 1 e a de segunda, próxima de zero. As altas elasticidades obtidas para a carne bovina de primeira e também para a carne suína indicam que há maiores aumentos nas despesas de ambas as carnes, quando há uma variação positiva na renda da população. Para a carne bovina de segunda e para a carne de frango o impacto é menor. Por fim, pode-se inferir, tendo-se observado em muitos casos elasticidades decrescentes de acordo com o aumento de renda...

Elasticidade de juros e seleção adversa na concessão de empréstimos para pessoas físicas no Brasil : o caso do crédito atrelado ao cartão de crédito

Vieira, Rodrigo Luiz
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
76.09%
O trabalho consiste em um estudo sobre sensibilidade a juros e seleção adversa por meio de ofertas de empréstimo pessoal atrelado ao cartão de crédito para dois públicos de rendas diferentes realizado por uma grande instituição financeira brasileira. Cada um dos públicos foi dividido aleatoriamente em subgrupos que receberam ofertas de empréstimo pessoal idênticas, alterando-se apenas a taxa de juros. Foi analisada a taxa de resposta para cada subgrupo, assim como as características de todos os clientes até um ano após a oferta do empréstimo. Para os dois públicos foi constatado que clientes que aceitam o empréstimo possuem maior risco de crédito em comparação com os clientes que não contratam o mesmo. Para o público de renda mais alta, a taxa de juros mostrou ser fator importante tanto na aceitação do empréstimo quanto no nível de risco dos clientes. Taxas de juros mais baixas converteram uma maior quantidade de clientes em contratos de empréstimo, sendo que estes possuíam menor risco de crédito do que aqueles que contratam o empréstimo com taxas mais altas. Para o público de renda mais baixa, a taxa de juros mostrou ser insensível tanto na taxa de aceitação do empréstimo quanto no nível de risco dos clientes...

O Papel da elasticidade da renda tributável na avaliação do custo de eficiência da tributação

Freitas, Pedro Ricardo Bernardino
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
76.41%
O trabalho utiliza conceitos da economia do bem estar e a elasticidade da renda tributável para analisar o custo social das reações comportamentais dos contribuintes do imposto de renda sobre as pessoas físicas no Brasil, em resposta a uma mudança de política tributária. A elasticidade da renda tributável despertou grande atenção recente, motivada pela perspectiva de estimar em conjunto todas as reações comportamentais a uma mudança no sistema tributário através de um único parâmetro, mensurando custos de eficiência e de bem estar suportados pela economia de forma relativamente simples. O trabalho aborda a utilização de medidas de variação de bem estar para avaliar mudanças na política tributária e faz uma resenha da literatura sobre a elasticidade da renda tributável, conceitos, características, vantagens e limitações. Um modelo de preferências é especificado para exemplificar a dimensão das reações à tributação e os custos de eficiência envolvidos, e discutir a viabilidade do emprego da elasticidade da renda tributável como parâmetro estrutural.; This study aims to analyse the social cost and behavioural responses due the taxation of earned income in Brazil using welfare concepts and the elasticity of taxable income with respect to the net of tax rate. The elasticity of taxable income has deserved great attemption and is a main issue in public economics research agenda. Under some conditions...

A dinâmica do mercado de açaí fruto no Estado do Pará: de 1994 a 2009

Nogueira,Ana Karlla Magalhães; Santana,Antônio Cordeiro de; Garcia,Wilnália Souza
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.05%
O objetivo deste trabalho foi analisar a dinâmica do mercado de açaí fruto no Estado do Pará, no período de 1994 a 2009, mediante a estimação simultânea da demanda e da oferta, pelo Método de Momentos Generalizados (MMG). Os resultados mostraram que a demanda e a oferta são inelásticas a preço. A elasticidade cruzada indicou que as outras frutas comercializadas no mercado paraense são substitutas do açaí. A elasticidade renda, com valor igual a 2,36, revelou que o açaí está enquadrado na categoria de bens de luxo. A elasticidade custo mostrou que o salário rural é fator de forte influência na redução da oferta do açaí, porque o sistema de produção é fortemente dependente de mão de obra. Por fim, a elasticidade de ajustamento mostrou que a produção de açaí de um ano exerce significativa influência no ajuste da oferta da safra do ano seguinte.

Elasticidade-renda dos produtos alimentares nas regiões metropolitanas brasileiras: uma aplicação da POF 1995/1996

Silveira,Fernando Gaiger; Menezes,Tatiane A. de; Magalhães,Luís Carlos G. de; Diniz,Bernardo P. Campolina
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.23%
O objetivo deste trabalho é estimar a elasticidade-renda para trinta e seis produtos alimentares. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 1995/96 do IBGE, que abarca informações extremamente detalhadas sobre o consumo alimentar das famílias das onze maiores regiões urbanas brasileiras. As variáveis utilizadas na estimação do modelo foram obtidas diretamente dos microdados dessa pesquisa. Isto permitiu que os logaritmos dos preços alimentares e do recebimento mensal familiar per capita fossem calculados diretamente das observações individualizadas e não sobre os dados agregados das classes de rendas originais da POF. A metodologia empregada foi o modelo QUAIDS. Os resultados encontrados permitem aprofundar o conhecimento sobre as diferenças do padrão de consumo entre as diversas classes de renda, assim como entre regiões tão distintas como Sudeste e Sul e o Nordeste brasileiro. Evidenciou-se a existência de insuficiência no consumo alimentar domiciliar no Brasil e que tal fato se concentra nas famílias de baixa renda, nas quais as despesas com alimentação respondem pela maior parcela do orçamento.

Políticas públicas, distribuição de renda e pobreza no meio rural brasileiro no período de 1995 a 2005

Moreira,Renata Couto; Braga,Marcelo José; Carvalho,Fátima M. Andrade de; Lima,João Ricardo Ferreira de; Silva,José Maria Alves da
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
85.94%
O presente trabalho buscou discutir o papel das políticas públicas no processo histórico de concentração de renda e pobreza no meio rural brasileiro. Com base nas informações das pessoas acima de 10 anos residentes nas áreas rurais das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNAD), para o período de 1995 a 2005, calcularam-se os índices de desigualdade de Gini, de Theil (R e L) e os índices de pobreza de Foster-Greer-Thorbecke (1984) e de Datt (1998). Os dados e resultados indicam para a existência da relação entre a persistente condição de pobreza da população rural e as políticas agrária e econômica adotadas no período.

Elasticidade-preço da demanda por etanol no Brasil: como renda e preços relativos explicam diferenças entre estados

Orellano,Veronica Fernandez; Souza,Alberto De Nes de; Azevedo,Paulo Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.2%
Este artigo estuda a demanda por etanol no Brasil no período 2001-2009, considerando as características regionais de renda e de preços relativos. Essas características explicam variação relevante na elasticidade-preço da demanda, aspecto até então desconsiderado em estudos anteriores. Foi estimado um modelo econométrico a partir de um painel de dados estaduais mensais, no qual variáveis instrumentais foram usadas para controlar a endogeneidade na análise da demanda. Conclui-se que a demanda é mais elástica em estados mais pobres e em que o preço relativo está próximo a 70%, a taxa técnica de substituição entre etanol e gasolina, parâmetro relevante para as decisões de consumo de proprietários de veículos flex-fuel. Essas regiões apresentam maiores elasticidades-preço da demanda, em última análise, por conta de diferenças logísticas e tributárias, as quais definem o preço relativo. Esses resultados diferem daqueles obtidos por Salvo e Huse (2013), pois identificam diferenças regionais que independem da heterogeneidade das preferências dos consumidores, mas decorrem da configuração logística e de renda. Os resultados sugerem implicações para as políticas tributária e de infraestrutura logística...

Elasticidade-renda e elasticidade: desigualdade da probreza no Nordeste brasileiro.

ARAÚJO, J. A. de; TABOSA, F. J. S.; KHAN, A. S.
Fonte: Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, ano 21 , n. 1, p. 50-59, jan./mar. 2012. Publicador: Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, ano 21 , n. 1, p. 50-59, jan./mar. 2012.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
66.29%
O presente artigo estima a elasticidade-renda e a elasticidade-desigualdade da pobreza no Nordeste e nas áreas rurais e urbanas, utilizando como indicador de pobreza os seguintes índices: P0 (proporção de pobres), P1 (hiato da pobreza) e P2 (hiato quadrático da pobreza), controladas pela renda média familiar per capita, e o índice de Gini, como indicador de desigualdade. Os dados foram obtidos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) do período de 1995 a 2009 (IBGE, 2009). Estima-se o modelo econométrico para dados em painel com efeitos fixos e efeitos aleatórios. Os resultados mostram que a redução da desigualdade tem mais impacto sobre a queda dos níveis de pobreza do que sobre o crescimento da renda média, e que as políticas de combate à pobreza devem ser diversificadas, ou seja, devem variar segundo a área (rural ou urbana) a que forem destinadas.; 2012

Um modelo de produção para a agricultura brasileira e a importância da pesquisa da Embrapa.

ALVES, E.; SOUZA, G. da S. e.; GOMES, E. G.; MAGALHÃES, E.; ROCHA, D. de P.
Fonte: Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, ano 21 n. 4, p. 35-59, out./nov./dez. 2012. Publicador: Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, ano 21 n. 4, p. 35-59, out./nov./dez. 2012.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
75.94%
Neste trabalho ajusta-se um modelo de fronteira estocástica para a agricultura brasileira com base em uma amostra representativa dos dados primários do censo agropecuário de 2006. O modelo é especificado com a combinação de erros normal-meia normal para as componentes aleatória e de ineficiência. A função de produção do modelo está definida na família Cobb-Douglas e engloba os insumos terra, trabalho e insumos tecnológicos. Para o censo agropecuário de 2006, a elasticidade dos insumos tecnológicos é dominante. Postula-se a presença de efeitos técnicos nas componentes de erro. Esses efeitos incluem diversas classes de renda, regiões, assistência técnica e a percepção sobre a importância da pesquisa da Embrapa na melhoria da renda dos produtores rurais. A presença de assistência técnica e as variáveis não categóricas, como a importância da Embrapa e a probabilidade de renda líquida positiva, influenciam positivamente a componente de eficiência técnica. Esses resultados persistem com a inclusão de observações representativas do censo agropecuário de 1995?1996.; 2012

A elasticidade da pobreza em relação ao crescimento e à desigualdade de renda no nordeste rural brasileiro de 1995 a 2009: uma análise comparativa

Lopes, Elinete Luisa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.05%
This work aims to analyze how the growth in average income and the change in inequality in income distribution have impacted rural poverty in the Northeast in the period 1995 to 2009. Under the approach in Kakwani (1993) e Duclos and Araar (2006), and under the assumption of log-normality of income per capita, exposed in Bourguignon (2002) and Hoffmann (2005), are calculated growth and inequality elasticities of poverty to FGT poverty measures in order to observe the behavior of the sensitivity of poverty to changes in average household income and the change in income distribution / Gini index. Concurrently, decomposes the changes in measures of poverty (proportion of poor) between growth and distribution components (first proposed by Datt and Ravallion, 1992) to assess the effect of weight change and the effect of income inequality change change on poverty. Regarding the estimation of elasticities of poverty and growth and inequality elasticities of the two methodologies used in this work - under the assumption of lognormal distribution of income and FGT measures under the by Kakwani (1993) andDuclos e Araar (2006) - though do not result in identical values, to corroborate same results, ie the long-term decline in rural poverty from 1995 to 2009 the Northeast and the greater sensitivity of the Northeast Rural Poverty...

Pai pobre, filho pobre? Uma análise da mobilidade intergeracional de renda na coorte de nascimentos de 1982, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Tejada,Cesar Augusto Oviedo; Bertoldi,Andréa D.; Carraro,André; Ribeiro,Felipe Garcia; Motta,Janaína Vieira dos Santos; Barros,Fernando Celso; Horta,Bernardo Lessa; Barros,Aluísio J. D.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
66.05%
O Brasil é apontado como um dos países com as menores mobilidades intergeracionais de renda do mundo. O principal objetivo do artigo é analisar a mobilidade intergeracional de renda na coorte de nascimentos de 1982 em Pelotas, Rio Grande do Sul. São utilizados dois métodos de estimação: elasticidade intergeracional de renda e regressões quantílicas para mensuração de possíveis heterogeneidades na mobilidade intergeracional em função dos diferentes níveis de renda dos pais no passado. Os resultados mostram uma mobilidade intergeracional de renda relativamente alta para os padrões brasileiros. A explicação reside, sobretudo, no fato de terem sido usados dados de renda dos filhos em idade jovem, em torno de 23 anos. As análises das regressões quantílicas indicam que a maior mobilidade social acontece nas camadas sociais intermediárias. Os resultados encontrados reforçam a existência de dois polos opostos de armadilhas: armadilha da pobreza e da riqueza.

Elasticidade-renda e elasticidade-preço da demanda de automóveis no Brasil; Texto para Discussão (TD) 558: Elasticidade-renda e elasticidade-preço da demanda de automóveis no Brasil; Income elasticity and price elasticity of car demand in Brazil

De Negri, João Alberto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
66.35%
O desempenho da indústria automobilística brasileira nos anos 90 tem sido influenciado pela liberalização do mercado doméstico. A análise das variáveis preços, vendas e importações de veículos novos no Brasil comprovou que os efeitos da abertura sobre os preços domésticos são mais evidentes a partir de julho de 1993. Além da abertura do mercado, o setor foi influenciado por políticas de incentivos específicas como os acordos das Câmaras Setoriais (1992 e 1993) e o regime automotivo (1996 a 1999). As análises dos impactos dessas políticas e de políticas alternativas sobre o desempenho do setor dependem do tamanho das elasticidades da demanda estimadas. Este trabalho avaliou a elasticidade-renda e a elasticidade-preço da demanda de automóveis no Brasil para os anos 90. Os resultados indicaram a elasticidade-renda entre 1,1 e 1,5; a elasticidade-preço, entre -0,6 e -0,7; a elasticidade cruzada da demanda de automóveis nacionais, em relação ao preço dos carros importados, foi 0,2.; 22 p. : il.

A Distribuição funcional da renda no Brasil no período 1959-2009; Functional income distribution in Brazil in the period 1959-2009

Considera, Claudio Monteiro; Pessoa, Samuel de Abreu
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
76.22%
Muitos artigos foram escritos sobre a distribuição da renda do povo brasileiro. No entanto, poucos têm sido feito, principalmente, devido à falta de informações. Este trabalho começa por descrever a evolução dessa distribuição funcional da renda, sob o ponto de vista das remunerações dos assalariados, para o periodo em que se tem informacoes das contas nacionais, de 1959 a 2009. Em seguida, procura-se analisar essa evolução sob a ótica da participação da remuneração do capital, utilizando-se uma função de produção com coeficiente de elasticidade de substituição constante (CES). Após discutir três procedimentos alternativos para aferir o que seria a remuneração do trabalho, verifica-se que a participação de tal remuneração é, em média, de 52,6%. Esta participação é inferior à de países mais desenvolvidos ou menos desenvolvidos do que o Brasil.Em seguida, vai-se além do relato evolutivo da distribuição funcional da renda. Utilizando-se uma função de produção CES agregada, procura-se explicar a evolução da participação dos rendimentos de propriedade na renda interna bruta para o total da economia; procede-se da mesma forma para o setor privado em separado. A teoria econômica sugere que a relação entre a participação do capital na renda e a quantidade de capital é negativa – isto é...

O custo de bem-estar do regime automotivo brasileiro; The welfare cost of the Brazilian automotive regime

De Negri, João Alberto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
75.92%
A partir de 1995, o governo brasileiro editou um conjunto de medidas que ficaram conhecidas como regime automotivo brasileiro. Não há dúvidas na literatura internacional de que essas políticas têm impactos no bem-estar. Existem algumas dúvidas, entretanto, sobre sua magnitude e o segmento da sociedade em que recaem esses custos. Nosso objetivo é quantificar esses impactos. A Seção 1 apresenta um histórico das medidas governamentais que afetaram diretamente o setor automobil ístico no período 1990/98. A Seção 2 relata como alguns economistas quantificaram os efeitos em termos de bem-estar de políticas semelhantes ao regime brasileiro em outros países. A Seção 3 estima esses efeitos para o regime no Brasil. A Seção 4 conclui o trabalho, apresentando os seguintes resultados: o custo do regime automotivo para o consumidor nos quatro anos de vigência será de aproximadamente R$ 35 bilhões e o custo de cada emprego gerado ou poupado será perto de R$ 356 mil. Pressupondo que a elasticidade-preço da oferta seja unitária, o ganho do produtor seria de R$ 24,5 bilhões, o ganho de renda do governo, de R$ 3,7 bilhões e a perda líquida total, de R$ 7,4 bilhões.; p. 215-242 : il.

Demanda por produtos alimentares nas áreas rurais e urbanas do Brasil; The demand for staple food in Brazilian urban and rural areas

Barbosa, Ana Luiza Neves de Holanda; Menezes, Tatiane Almeida de; Andrade, Bárbara Caballero de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
66.11%
O objetivo deste artigo é estimar a elasticidade-preço e a elasticidade-despesa de 25 produtos alimentares das famílias residentes nas áreas rurais e urbanas do Brasil. Para tanto, foram estimados dois sistemas de equações de demanda por alimentos, um referente às famílias residentes nas áreas rurais do país e o outro sistema associado às famílias residentes nas áreas urbanas. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2002-2003 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A metodologia adotada na estimação das equações de demanda tem como base o modelo Linear Almost Ideal Demand System (LA/AIDS). Os resultados encontrados são um importante passo para a compreensão das diferenças entre hábitos de consumo alimentar no Brasil urbano e no Brasil rural e mostram-se um instrumento poderoso no auxílio da formulação e aperfeiçoamento de avaliação de políticas públicas direcionadas à tributação sobre o consumo dos alimentos e aos efeitos de programas de transferência de renda às famílias de baixa renda.; p. 507-543

Padrão de consumo, distribuição de renda e o meio ambiente no Brasil; Texto para Discussão (TD) 856: Padrão de consumo, distribuição de renda e o meio ambiente no Brasil; Consumption patterns, income distribution and the environment in Brazil

Motta, Ronaldo Seroa da
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
76.05%
Para analisar o padrão ambiental do consumo urbano no Brasil, nós estimamos o nível de degradação familiar (E) para 10 classes de renda, calculado pelo produto da propensão marginal a degradar e a renda média de cada classe. Por sua vez, propensão marginal a degradar (Pmg) é estimada pela propensão a consumir ponderada pela intensidade de poluição ou de uso de recurso natural de cada item de consumo. Note-se que Pmg será relacionada com o efeito composto da degradação p, um fator tecnológico, e a elasticidade de renda da demanda captada por c, um fator da composição da renda. A degradação total Ei, por outro lado, também irá captar os efeitos de escala da renda, já que será também dependente dos níveis de renda. Nossos resultados indicam que o efeito escala da renda sempre excedeu os efeitos de demanda e tecnológico para o nível de consumo urbano medido para o ano de 1995 no Brasil.; 51 p. : il.

Uma Análise sobre o efeito final do ICMS e do IRPF na distribuição de renda do estado do Ceará; An Analysis of the effect of ICMS and IRPF on income distribution of the state of Ceará; Un Análisis sobre el efecto del ICMS y IRPF en la distribución del ingresso del estado de Ceará; Une Analyse de l'effet de ICMS et IRPF de la distribution du revenu du état du Ceara

Benegas, Mauricio; Alves, Lúcio Flávio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Planejamento e Políticas Públicas (PPP) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
86.05%
Este artigo se propõe a analisar o impacto do imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação (ICMS), e do imposto de renda sobre pessoa física (IRPF) na distribuição de renda no estado do Ceará. O objetivo deste estudo é identificar se o ICMS é regressivo e se o IRPF compensa o efeito regressivo (caso haja) do ICMS. Foram utilizados, neste trabalho, informações sobre consumo de cinquenta produtos das famílias cearenses obtidas da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2002/2003) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimam-se curvas de Engel com o propósito de determinar as elasticidades-renda da demanda dos produtos selecionados em relação aos respectivos dispêndios. Os resultados obtidos mostram que o ICMS é de fato regressivo, e que o IRPF compensa esta regressividade. Essa compensação, entretanto, favorece mais as classes intermediárias de renda em relação às classes mais baixas.; p. 61-89, il.

Elasticidade-renda dos produtos alimentares nas regiões metropolitanas brasileiras: uma aplicação da POF 1995/1996

Silveira, Fernando Gaiger; Menezes, Tatiane A. de; Magalhães, Luís Carlos G. de; Diniz, Bernardo P. Campolina
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.23%
The aim of this paper is to estimate the income elasticity for thirty-six food commodities. The database used was the Household Budgeting Survey (POF, 1995/96) from IBGE (Brazilian Institute of Geography and Statistics), which has extremely detailed information about consumption in eleven bigger Brazilian urban regions. The variables used in estimation process come from the survey micro-data. This procedure allowed that the logarithms of the prices of food and the monthly per capita familiar income were directly calculated from the individualized observations, instead of aggregate data. The methodology estimation was the QUAIDS model. The results allow deepening the knowledge on the differences of the consumption standards among the diverse income strata, as well as between distinct regions as Southeastern and South and the Brazilian Northeast. It was demonstrated that there is an insufficiency in the domiciliary food consumption in Brazil and that such fact is concentrated in the low-income families, in which the expenditure with foods represents the biggest share of the budget.; O objetivo deste trabalho é estimar a elasticidade-renda para trinta e seis produtos alimentares. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 1995/96 do IBGE...

Pai pobre, filho pobre? Uma análise da mobilidade intergeracional de renda na coorte de nascimentos de 1982, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil

Tejada,Cesar Augusto Oviedo; Bertoldi,Andréa D.; Carraro,André; Ribeiro,Felipe Garcia; Motta,Janaína Vieira dos Santos; Barros,Fernando Celso; Horta,Bernardo Lessa; Barros,Aluísio J. D.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
66.05%
O Brasil é apontado como um dos países com as menores mobilidades intergeracionais de renda do mundo. O principal objetivo do artigo é analisar a mobilidade intergeracional de renda na coorte de nascimentos de 1982 em Pelotas, Rio Grande do Sul. São utilizados dois métodos de estimação: elasticidade intergeracional de renda e regressões quantílicas para mensuração de possíveis heterogeneidades na mobilidade intergeracional em função dos diferentes níveis de renda dos pais no passado. Os resultados mostram uma mobilidade intergeracional de renda relativamente alta para os padrões brasileiros. A explicação reside, sobretudo, no fato de terem sido usados dados de renda dos filhos em idade jovem, em torno de 23 anos. As análises das regressões quantílicas indicam que a maior mobilidade social acontece nas camadas sociais intermediárias. Os resultados encontrados reforçam a existência de dois polos opostos de armadilhas: armadilha da pobreza e da riqueza.