Página 1 dos resultados de 6854 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Satisfação dos Enfermeiros no Trabalho

Matos, Vânia Patrícia Azevedo
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem; Em enfermagem, a satisfação no trabalho, tem sido ao longo dos anos a constituir um tópico de interesse crescente, para os que se preocupam com a qualidade de vida no trabalho e com o sucesso organizacional, podendo repercutir-se nas relações e interacções com os outros membros da equipa, com os utentes e com a comunidade, melhorando as condições de eficácia, de eficiência e de pertinência do trabalho perspectivado. Este estudo pretende dar resposta à seguinte questão de partida: “Será que há relação entre a Satisfação no trabalho e as variáveis socioprofissionais (idade, género, vínculo à instituição, tempo de experiência profissional, tempo de exercício de funções no actual serviço e categoria profissional) dos Enfermeiros generalistas do C.H.E.D.V., E.P.E.?” Tem como principais objectivos: verificar o score atribuído à satisfação profissional dos Enfermeiros generalistas que desempenham funções no C.H.E.D.V., E.P.E.; verificar os scores atribuídos pelos Enfermeiros generalistas às dimensões operacionalizadas para o estudo da satisfação no trabalho (condições de trabalho, remuneração...

Acidentes de trabalho nos enfermeiros portugueses

Martins, Matilde; Correia, Teresa
Fonte: Associação Portuguesa de Enfermeiros Publicador: Associação Portuguesa de Enfermeiros
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
46.93%
Os enfermeiros que trabalham nos hospitais estão expostos a muitos riscos que culminam em elevadas taxas de ocorrência de acidentes de trabalho. Problema de investigação: Caracterizar os acidentes de trabalho nos enfermeiros. Participantes: Participaram 1716 enfermeiros que tiveram acidente de trabalho notificado entre 2000-2010 em cinco hospitais portugueses. A informação foi obtida através do registo dos inquéritos, anónimos, de notificação dos acidentes de trabalho. Recolha e Análise de dados: A recolha de dados foi realizada após autorização dos Conselhos de Administração durante o ano de 2011. Os dados foram analisados em programa informático SPSS®. Os enfermeiros notificaram 1716 acidentes de trabalho, correspondendo a 44,4% do total dos acidentes notificados. A maior prevalência verificou-se no género feminino (85,5%), no grupo etário 18-29 anos (42,4%), com tempo de serviço superior a 10 anos (40,3%) e a praticar horário por turnos (85,5%). A picada por agulha foi a causa mais frequente (51,9%), seguida das quedas (13,4%) e dos esforços excessivos (12,4%). A sinistralidade foi maior nos serviços de medicina (19,2%), no primeiro dia de trabalho (34%) e nas três primeiras horas (47,3%). Em média os acidentes ocorreram às 12...

Conciliação da vida privada com a vida profissional dos enfermeiros portugueses

Gonçalves, Valter Fernando Pereira.
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
A presente investigação parte do pressuposto de que a existência de conciliação da vida privada com a vida profissional é de extrema importância para a vida dos indivíduos e para o seu desempenho profissional. Nesse sentido, procurou-se conhecer a realidade dos enfermeiros portugueses. Importou assim compreender qual o apoio das organizações de saúde, das chefias e dos colegas e qual a influência das caraterísticas sociodemográficas, laborais e profissionais dos enfermeiros portugueses na conciliação da vida privada com a vida profissional. Foi realizado um estudo quantitativo, transversal, do tipo descritivo-correlacional, com uma amostra de 925 enfermeiros portugueses, tendo sido considerado para este estudo o apoio das organizações de saúde, chefias e colegas para com a vida privada dos enfermeiros, as características sociodemográficas, laborais e profissionais dos enfermeiros portugueses e o tempo dedicado por estes à vida privada, nomeadamente nas esferas da família, do lazer e da comunidade. Os resultados indicam a não existência de relação entre o tempo dedicado à vida privada e o apoio das organizações, chefia e colegas. No entanto, verificou-se a existência de diferenças no tempo dedicado à vida privada segundo as características sociodemográficas (idade...

Qualidade de vida de enfermeiros atuantes nas unidades do programa de saúde da família de municípios goianos limítrofes ao Distrito Federal

Fragoso, Paulla Thalyta dos Santos Ramos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.; O enfermeiro, como cuidador, deve desenvolver a percepção de que antes de cuidar dos outros, necessita direcionar atenção ao cuidado de si próprio, como forma de qualificar a assistência que promove. Visto que a profissão assume diferentes facetas, imprimindo carga física, cognitiva e afetiva, se estes aspectos não forem trabalhados podem levar a um desequilíbrio orgânico amplo. Objetivo: Conhecer a percepção sobre qualidade de vida de enfermeiros atuantes nas unidades do Programa de Saúde da Família de municípios goianos limítrofes ao Distrito Federal (Águas Lindas, Cidade Ocidental, Cristalina, Formosa, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina de Goiás, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás). Métodos: Realizou-se um estudo observacional de corte transversal, com 119 enfermeiros que trabalham nas unidades de PSF dos municípios supracitados, no qual realizou-se entrevistas com a aplicação de dois instrumentos: um para coletar informações sociodemográficas e laborais, e o WHOQOL-Bref para se avaliar a qualidade de vida. Resultados: Foram 119 enfermeiros participantes...

Satisfação dos enfermeiros face ao estilo de liderança

Almeida, Ana Carolina Martins Coutinho de
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.05%
A liderança tem sido definida de muitas maneiras, cada definição centra-se em diferentes aspectos e tem se modificando ao longo dos tempos. Esta é imprescindível em todas as organizações e consiste numa relação entre o líder e o grupo. A satisfação profissional tem sido alvo de diversos estudos, pela importância que tem em termos individuais, de grupo e sociais. A presente investigação resultou da necessidade de avaliar a satisfação dos enfermeiros relativamente ao estilo de liderança exercido pelo enfermeiro chefe. Neste contexto, desenvolveu-se um estudo quantitativo, transversal analítico-correlacional numa amostra de 105 enfermeiros (100 enfermeiros subordinados e 5 enfermeiros chefes), em que os enfermeiros subordinados são predominantemente do sexo feminino (81%), solteiros (75%), licenciados (95%), com uma média de idades de 28,3 anos, exercendo funções há menos de cinco anos (73%). Os enfermeiros chefes, quatro do sexo feminino e um do sexo masculino, possuem uma média de idades de 46 anos, têm cerca de 23 anos de antiguidade na profissão, 10 anos de experiência de chefia e uma média de 7,4 anos de chefia no serviço onde actualmente exercem funções. O instrumento de colheita de dados teve por base...

O Conforto do doente no Serviço de Urgência Geral na perspetiva dos doentes e dos enfermeiros”

Chaves, Débora; Marques, Maria do Céu; Alminhas, Silvia; Mendes, João; Frade, Anjos; Correia, Isabel; Fonseca, Ana
Fonte: Ordem dos Enfermeiros Publicador: Ordem dos Enfermeiros
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.89%
Introdução: O conceito de conforto não é uma realidade recente para a enfermagem. Deixar o doente confortável sempre foi uma função atribuída ao enfermeiro e constituí um fator determinante para o reconhecimento da competência própria dos enfermeiros. Os enfermeiros que trabalham no serviço de urgência contatam diariamente com o sofrimento físico e psicológico dos doentes e seus familiares. A promoção do conforto do doente é uma das pedras basilares da enfermagem, pelo que a escolha da temática do conforto teve como fator impulsionador o facto de devolver à Enfermagem uma prática centrada na perspetiva do doente e na satisfação das suas necessidades experienciadas. O conforto tem sido identificado como um elemento dos cuidados de enfermagem e está vinculado à sua origem e desenvolvimento, assim é imprescindível conhecer o índice de conforto dos doentes para que as intervenções de enfermagem possam ser adequadas à satisfação das necessidades de conforto dos mesmos. Não existem instrumentos de avaliação do conforto em contexto de serviço de urgência validados para a população portuguesa. Nesse sentido, este estudo surge com o objetivo de desenvolver um instrumento que permita realizar essa mesma avaliação. Metodologia: Estudo quantitativo - aplicação e validação do Escala Short GCQ. Resultados: Após a análise dos resultados da aplicação da Escala Short GCQ conclui-se que existe uma divergência nas perspetivas de conforto dos doentes e dos enfermeiros...

A importância da formação permanente no desempenho dos enfermeiros: opinião e percepção dos enfermeiros do Hospital de Santa Luzia de Elvas

Carvalho, Sérgio Simão Antunes de
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Estudo descritivo, analítico, transversal, de natureza predominantemente quantitativa que tem como objectivos: Conhecer a participação dos nfermeiros do HSLE em actividades de formação permanente nos últimos doze meses. Identificar qual a opinião / percepção que os enfermeiros do HSLE têm sobre a importância da formação permanente. Identificar a importância que a formação permanente tem na vida profissional dos enfermeiros. No enquadramento teórico foram focados aspectos relacionados com Educação/Formação, cuidar, auto e heteroformação, aprendizagem, papel da escola e motivação para a formação. De acordo com o enquadramento teórico e em função do problema em estudo formulámos as seguintes hipóteses preditivas: A importância que os enfermeiros com idade .- a 31 anos atribuem à formação permanente é significativamente diferente daquela que os enfermeiros com idade < a 31 anos lhe atribuem. A opinião / percepção que os enfermeiros têm sobre a importância da formação permanente para o seu desempenho depende da categoria profissional. A população alvo foi constituída por todos os enfermeiros do HSLE um total de 97 sujeitos, tendo-se obtido 70 respostas (83,72%). A opinião 1 percepção foi avaliada através de uma escala tipo Likert. O tratamento estatístico dos dados foi efectuado quer manual quer informaticamente (Programa SPSS). Os resultados mais significativos encontrados foram: Constatou-se que a importância que os enfermeiros com idade ≥ a 31 atribuem à formação permanente é significativamente diferente daquela que os enfermeiros com idade <31 anos lhe atribuem. A opinião / percepção que os enfermeiros têm sobre a importância da formação permanente para o seu desempenho não depende da categoria profissional. As sugestões apontam para a apresentação dos resultados na organização onde o estudo foi realizado...

Atitudes dos enfermeiros face aos idosos e fatores que as influenciam

Mendes, Joana Margarida Monteiro; Moreira, Maria Helena Encarnação, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
O fenómeno do envelhecimento da população traz novos desafios aos profissionais de saúde. Os idosos tornaram-se nos maiores consumidores de cuidados de saúde e os enfermeiros, os profissionais que mais tempo lhes dedicam. Assim, torna-se pertinente identificar as atitudes dos enfermeiros face aos idosos, avaliar o efeito das variáveis sociodemográficas e profissionais nessas atitudes e avaliar a sua correlação com os comportamentos de cuidar. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo-correlacional e transversal. O instrumento de colheita de dados incluiu questões sociodemográficas e profissionais, o Inventário de Comportamentos do Cuidar (ICC) e a Escala de Atitudes Face aos Idosos de Kogan. Participaram 202 enfermeiros de todo o país, uma amostragem com recurso ao método de bola de neve, tendo a colheita de dados sido realizada através da internet. Os resultados revelam que, relativamente às atitudes perante os idosos, os enfermeiros têm uma atitude desfavorável face aos mesmos no que concerne às dimensões: “Relações interpessoais entre gerações”, “Capacidades cognitivas” e “Dependência”. De forma oposta, demonstram atitudes favoráveis relativamente às dimensões “Homogeneidade dos idosos enquanto grupo”...

Liderança e motivação : a perspetiva dos enfermeiros de um hospital da região centro

Micaelo, Fernando José Freixo; Duarte, João Carvalho, orient.; Amaral, Maria Odete Pereira, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.04%
Enquadramento: O atual momento de mudança, flexibilização e globalização a nível social e laboral, nem sempre influi positivamente na motivação dos profissionais exigindo novos predicados aos seus líderes. Tendo em vista a produtividade e o desempenho dos enfermeiros, importa capacitar os líderes e reconhecer quais os fatores modeladores da motivação, propondo medidas potenciadoras consentâneas. Objetivos: Avaliar a motivação profissional dos enfermeiros de um hospital da região centro; Identificar as variáveis sociodemográficas e profissionais que influenciam a motivação profissional dos enfermeiros; Determinar os perfis de comportamento de liderança dos enfermeiros chefes e responsáveis; Analisar a relação entre os perfis de comportamento de liderança dos enfermeiros chefes e responsáveis e a motivação profissional. Métodos: Estudo transversal, descritivo e correlacional, com recurso a uma amostra não probabilística por conveniência, constituída por 192 enfermeiros. Utilizou-se um questionário autoaplicado para a caracterização sociodemográfica e profissional, o Motivation Questionnaire para avaliação da motivação e o Leader Behavior Description Questionnaire para avaliação do comportamento dos enfermeiros chefes e responsáveis. Resultados: A média de idades dos enfermeiros da amostra foi de 38...

Satisfação profissional dos enfermeiros de um hospital da região centro

Valente, João Pedro Oliveira; Duarte, João Carvalho, orient.; Amaral, Maria Odete Pereira, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
Enquadramento: As mudanças socioeconómicas e laborais têm sido responsáveis por um desgaste físico e mental dos profissionais, com consequências no aumento da insatisfação profissional. Em enfermagem a insatisfação pode refletir-se na qualidade dos cuidados prestados e no bem-estar individual. Objetivos: Avaliar a satisfação profissional dos enfermeiros de um hospital distrital da zona centro; identificar as variáveis sociodemográficas e profissionais que influenciam a satisfação profissional dos enfermeiros e analisar a influência das variáveis psicológicas (personalidade e burnout) na satisfação profissional dos enfermeiros. Métodos: Estudo transversal, descritivo e correlacional, com recurso a uma amostra não probabilística por conveniência, constituída por 192 enfermeiros. Utilizou-se o questionário autoaplicado, para a caracterização sociodemográfica e profissional, o Inventário de Personalidade de Eysenck (EPI-12), o Maslach Burnout Inventory - General Survey (MBIGS) e a Escala de Satisfação Profissional (Pereira, 2010). Resultados: A média de idades dos enfermeiros foi de 39.32 ±7.99 anos, maioritariamente enfermeiras (75.5%), que habitam na cidade, casadas, com a categoria de enfermeiro a desempenhar funções de prestação de cuidados em horário rotativo com um contrato de trabalho de funções públicas e a exercer a profissão à 15.96 ±7.54 anos. Cerca de 53.65% dos enfermeiros revelaram insatisfação com a profissão...

Avaliação de conhecimentos dos enfermeiros sobre medidas farmacológicas e não farmacológicas no controlo da dispneia

Almeida, Inês Loução de, 1984-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Tese de mestrado, Cuidados Paliativos, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2012; A dispneia é caracterizada pela subjetividade da respiração desconfortável causada por fatores físicos, psíquicos, sociais e espirituais e a sua incidência tende a aumentar à medida que a doença progride. Este sintoma angústia o doente, a família e até mesmo os profissionais de saúde. O tratamento da dispneia pode ser feito em duas linhas, as medidas farmacológicas que englobam a terapêutica (opióides, broncodilatadores, corticoides, xantinas, diuréticos, benzodiazepinas, antimuscarínicos e psicotrópicos) e a utilização de oxigenioterapia e ventilação não invasiva. Em relação às medidas não farmacológicas podemos considerar as medidas gerais que auxiliam no alívio da dispneia e fisioterapia e cinesiterapia respiratória, musicoterapia, aromaterapia, reiki, massagem terapêutica, técnicas de relaxamento e shiatsu. O objetivo deste estudo é avaliar o conhecimento dos enfermeiros dos serviços de cuidados paliativos e medicina, no que concerne à utilização de medidas farmacológicas e não farmacológicas no controlo da dispneia. Método: Trata-se de um estudo quantitativo descritivo e comparativo, que analisa as respostas a um questionário preenchido anonimamente pela população alvo. Resultados: Para os 107 enfermeiros abrangidos pelo presente estudo procedemos à análise demográfica da população. Num segundo tempo...

As consequências do trabalho por turnos nos enfermeiros do Hospital de Santa Marta

Bastos, Paula
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.13%
Dissertação de Mestrado em Psicossomatica; O trabalho por turnos é um problema para a maioria dos trabalhadores e constitui um problema de saúde muitas vezes ignorado. Os enfermeiros pertencem a um grupo de profissionais particularmente sujeito a este tipo de regime de trabalho. A escolha deste tema recaiu sobre o facto de praticar o trabalho por turnos há vários anos e de ter vivenciado os diversos problemas relatados por vários autores, nomeadamente perturbações gástricas, do sono, do humor e fadiga. Assim, a nossa experiência profissional associada aos conhecimentos adquiridos ao longo do mestrado em Psicossomática, encaminharam-nos para a realização de um estudo mais aprofundado nesta área. Para este trabalho aplicamos uma metodologia de tipo exploratório/descritivo, transversal e comparativo. Estabelecemos como objectivo geral descrever o impacto do trabalho por turnos nos enfermeiros a desempenhar funções no serviço de Medicina e Unidade de Cuidados Intensivos Polivalentes (UCIP) do hospital de Santa Marta, em Lisboa, Como objectivos específicos foram delineados os seguintes: - Identificar as principais perturbações somáticas nos enfermeiros que trabalham em regime de horário rotativo e fixo. - Comparar a incidência das alterações somáticas entre os enfermeiros com horário rotativo e fixo. - Descrever as características do sono nos trabalhadores por turnos e em horário fixo. - Comparar os aspectos do ritmo sono-vigília entre enfermeiros com regime de horário rotativo e fixo. - Conhecer a vida onírica dos enfermeiros. - Identificar as diferenças que possam existir entre os indivíduos que trabalham em esquema rotativo ou fixo. Este estudo pretende fazer correlações entre a alteração do ritmo sono-vigília...

Intervenção educativa junto de um grupo de enfermeiros de um serviço de medicina : impacto na prática da terapêutica inalatória

Cordeiro, Maria do Carmo Oliveira
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.11%
RESUMO: O presente estudo, enquadra-se, no domínio do exercício profissional dos enfermeiros e na formação em serviço destes profissionais e teve por objectivo avaliar, num grupo de enfermeiros de um serviço de medicina, o impacto de uma intervenção educativa na melhoria dos procedimentos a executar na prática da terapêutica inalatória. A amostra do estudo (amostra por conveniência) foi constituída por oito enfermeiros do serviço de medicina do Hospital Curry Cabral (idades compreendidas entre os 24 a 43 anos de idade), sem anterior formação específica na área da terapêutica inalatória, mas com experiencia profissional prévia com doentes respiratórios. O estudo decorreu em dois momentos de avaliação: avaliação 0 (antes da intervenção educativa) e avaliação 1 (após a intervenção educativa). Entre estes dois momentos, foi ministrada, a todos os enfermeiros, uma acção de formação sobre terapêutica inalatória, com componente teórico-prática. Antes e depois da intervenção educativa foram aplicados dois instrumentos: para avaliação dos conhecimentos teóricos, construi-se e aplicou-se, um questionário de auto-avaliação de conhecimentos sobre terapêutica inalatória ao grupo dos enfermeiros...

Necessidades formativas dos enfermeiros de pediatria na educação para a saúde a pais de crianças com afecções respiratórias

Mourão, Emanuel José Martins
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Dissertação de mest., Ciências da Educação (Educação e Formação de Adultos), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2012; Para os Enfermeiros, a Educação para a Saúde é uma preocupação de todos os dias: tornar os indivíduos mais autónomos nos auto-cuidados, mas acima de tudo, mais informados e formados para um estilo de vida individual mais saudável e mais autónomo. A Educação para a Saúde a Pais é uma preocupação mais específica na realidade dos cuidados pediátricos e, tal como em muitas práticas e contextos de trabalho e de cuidados, os Profissionais que os desenvolvem sentem necessidades de formação que devem ser colmatadas para uma prática profissional de qualidade e excelência. A presente investigação tem como principal objectivo identificar as necessidades formativas dos Enfermeiros de Pediatria, num contexto geral mas também específico, nos cuidados de Enfermagem a crianças e adolescentes hospitalizados com afecções respiratórias. Partindo da questão de investigação: Quais as necessidades formativas dos enfermeiros para desenvolverem educação para a saúde a pais de crianças hospitalizadas com afecções respiratórias? pretende-se identificar necessidades formativas...

Clima organizacional no contexto de trabalho dos enfermeiros do ACES X : influência da inteligência emocional

Rebelo, Maria Helena Figueiredo de Sousa
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
O Clima Organizacional (CO), considerado um instrumento de gestão estratégica, está presente em todas as organizações. Deriva das interações, interpretações e perceções dos trabalhadores que as integram e é influenciado por variáveis de contexto, estrutura e processo. Quando o CO é motivado e canalizado em direção aos objetivos organizacionais influencia a eficácia organizacional. O presente estudo tem como objetivo geral determinar o Clima Organizacional em contexto de trabalho dos enfermeiros do Agrupamento de Centros de Saúde X (ACES X), integrado na Administração Regional de Saúde do Centro. Pretende-se, ainda, identificar fatores que influenciam o Clima Organizacional, nomeadamente, a inteligência emocional (IE) e variáveis sociodemográficas, socioprofissionais e analisar a perceção dos enfermeiros sobre aspetos organizacionais relacionados com a reforma dos CSP em Portugal, iniciada em 2006. O estudo, do tipo quantitativo, analítico, descritivo-correlacional e transversal, foi realizado com recurso a um instrumento de colheita de dados auto-aplicado (ICD), preenchido online por 121 enfermeiros a exercerem funções no ACES X, correspondendo a uma taxa de resposta de 62,0%, numa amostra predominantemente feminina (81...

PERCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS SOBRE A FORMAÇÃO EM SERVIÇO

Tojal, Ana Margarida de Andrade Fernandes
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/01/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
A formação em serviço, através de um planeamento adequado, visa colmatar as necessidades de formação dos enfermeiros e promover o desenvolvimento de competências nos contextos e para os contextos de trabalho. Assim, considerámos pertinente estudar a temática: ?Como vêem os enfermeiros a formação em serviço?, tendo como questão de partida ?Como percepcionam os enfermeiros a formação em serviço??, com a finalidade de compreender a situação actual e identificar alguns factores que possam no futuro melhorar a formação em serviço, indo ao encontro das expectativas de quem nela participa. Foram delineados dois grandes objectivos: analisar a percepção dos enfermeiros relativamente à formação em serviço, e analisar as relações entre as várias dimensões da percepção dos enfermeiros sobre a formação em serviço e alguns factores sociodemográficos, profissionais e relativos à formação em serviço. Foi realizado um estudo quantitativo descritivo-analítico e transversal. Os dados foram colhidos através de um questionário, constituído por uma escala de ?Opinião dos Enfermeiros sobre a formação em serviço? de Ferreira (2004). Este foi aplicado durante os meses de Abril, Maio e Junho de 2010, a uma amostra constituída por Enfermeiros que exercem funções nos serviços de Medicina...

Formação e processos identitários de enfermeiros no Rio Grande do Norte

Teodosio, Sheila Saint-Clair da Silva
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 225 p.| il.
Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2014.; Pesquisa qualitativa, descritiva com abordagem socio-histórica, cujo objetivo foi compreender como a formação universitária contribuiu para o processo socio-histórico de construção da identidade profissional de enfermeiros no Rio Grande do Norte. O referencial teórico foi centrado nas ideias de Claude Dubar sobre identidade profissional em sintonia com as concepções da História Nova. Na coleta de dados utilizou-se a história oral temática, a partir de entrevistas semiestruturadas com 16 alunos egressos e quatro professoras, da primeira turma do Curso de Graduação em Enfermagem e Obstetrícia da UFRN nos anos de 1970. Para análise dos dados coletados, utilizou-se o método da análise de conteúdo temática, da qual resultaram três categorias: Ser enfermeiro: sentidos e significados da escolha pela profissão; O ideário de ser enfermeiro: sentidos e significados e A formação e a construção da identidade profissional de enfermeiros. Os resultados foram apresentados sob a forma de três manuscritos: o primeiro, intitulado ?Identidade profissional do enfermeiro: uma análise conceitual?...

Riscos psicossociais no trabalho dos enfermeiros

Ribeiro, Miguel Filipe Almeida
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.03%
Introdução – Os riscos psicossociais relacionados com o trabalho são identificados como uma das grandes ameaças contemporâneas, para a saúde e segurança dos trabalhadores, sendo os profissionais de saúde dos grupos mais expostos a estes risco e de forma particular os enfermeiros. Este estudo tem como objetivo avaliar os riscos psicossociais relacionados com o trabalho dos enfermeiros e analisar a relação de algumas variáveis sociodemográficas, socioprofissionais e psicológicas com esses mesmos riscos. Métodos – Este trabalho é quantitativo, descritivo, analítico e correlacional e de cariz transversal. A amostra é não probabilística por conveniência, constituída por 232 enfermeiros que trabalham nos distritos de Viseu e Aveiro. Como instrumento de colheita de dados foram utilizados um questionário sociodemográfico e socioprofissional, Escala de satisfação com o suporte social, Inventário clínico de auto conceito e o Copenhagen Psychosocial Questionnaire, versão média. Resultados – Foram referidos como sendo maiores riscos, a previsibilidade, a influência no trabalho, o apoio social de superiores, as exigências cognitivas, a satisfação com a chefia direta e a possibilidade de desenvolvimento. Os itens menos referidos são: o Bullying...

Burnout dos enfermeiros nos serviços de saúde em Portugal : um estudo de caso na Saúde 24 Porto

Simões, Pedro
Fonte: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública Publicador: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
RESUMO - A síndrome de burnout, definida pela exaustão emocional, despersonalização e realização pessoal, designa um estado de fadiga física e emocional crónico dos profissionais, o qual pode comprometer as organizações. Neste estudo descritivo, pretende-se estudar a síndrome de burnout nos enfermeiros dos serviços de saúde, especialmente focado nos serviços de atendimento permanente telefónico, suas características, consequências e estratégias de prevenção. A população alvo serão todos os enfermeiros que trabalham em serviços de atendimento permanente telefónico e a amostra, não probabilística e de conveniência, os enfermeiros que desempenham funções no centro de atendimento da Saúde 24 Porto. Primeiramente aborda-se o conceito de burnout e a sua relação com a prática de Enfermagem, de seguida é realizada uma descrição sobre os centros de atendimento em saúde até à atual situação da Saúde 24. Na amostra em estudo, enfermeiros da Saúde 24 Porto, existe predominância do sexo feminino (66,99%) e a média de idades é de 32 anos (26 anos de idade mínima, 49 de idade máxima e desvio padrão de 4,59). Constatou-se que 94,26% desempenha funções de enfermeiro comunicador e os restantes 5...

Classificação de risco em serviços de urgência na perspectivas dos enfermeiros; Risk classification in emergency services from the nurses' perspective; Clasificación de Riesgo en servicios de emergencia desde la perspectiva de enfermeras

Duro, Carmen Lúcia Mottin
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.02%
A Classificação de Risco foi implantada nos serviços de urgência com a finalidade de priorizar o atendimento, considerando a gravidade da situação clínica e a necessidade de cuidados imediatos dos usuários. No entanto, há dificuldades em relação ao desenvolvimento desta atividade pelo enfermeiro. Assim, o objetivo do estudo é avaliar a Classificação de Risco nos serviços de urgência na perspectiva dos enfermeiros. Para atingir essa finalidade foi realizado estudo exploratório, quantitativo, de mensuração de opinião, por meio da técnica Delphi. Foram realizadas três rodadas de aplicação de questionários interativos, que circularam entre os participantes até obtenção de consenso. Para a composição do painel dos especialistas foi utilizada a técnica de bola de neve. Os dados foram coletados por meio de questionário inserido na plataforma eletrônica SurveyMonkey®, de acesso on-line, e foram submetidos a tratamento estatístico. Foi estipulado como consenso o percentual acima ou igual a 70% das respostas. Os resultados obtidos indicaram que a Classificação de Risco é um dispositivo orientador de fluxo de usuários e de priorização da gravidade clínica, contribuindo para a diminuição do tempo de espera dos pacientes em condições clínicas graves e permitindo a redução de agravos e sequelas de pacientes urgentes. Além disso...