Página 1 dos resultados de 2312 itens digitais encontrados em 0.019 segundos

Determinantes de qualidade de vida de idosos usuários de centro de atenção psicossocial

Bottan, Gabriela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
76.06%
O envelhecimento populacional é um fato e não é diferente entre os portadores de transtornos mentais. O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) é um dos locais para o tratamento dessa população que necessita de cuidado contínuo. Entretanto, ainda são poucos os estudos que incluem usuários de CAPS acima de 60 anos. O presente estudo tem por objetivo identificar os determinantes sociodemográficos, clínicos e de capacidade funcional na qualidade de vida de idosos com transtornos mentais que frequentam um CAPS. Trata-se de um estudo transversal realizado com usuários de CAPS, com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, não demenciados (Mini-Exame do Estado Mental – MEEM > 13), em atendimento no CAPS há pelo menos seis meses e com diagnóstico de transtorno mental. Para verificar a qualidade de vida (QV), foi utilizado o WHOQOL-BREF e, para complementar as informações, o WHOQOL-OLD. Para avaliar a intensidade dos sintomas de ansiedade e depressivos, foram utilizadas a escala de Hamilton-Ansiedade (HAM-A) e o Inventário de Depressão de Beck (BDI), respectivamente. A capacidade funcional foi mensurada pela Avaliação Sócio-Funcional em Idosos (IASFI). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (nº 21475). Um total de 50 idosos foi incluído...

O envelhicimento populacional e a atenção à saúde do idoso na Religião Metropolitana de Campinas; Population aging and health care for the elderly in the Metropolitan Area of Campinas

Maria Teresa Dalla Fontana Pinto Moreira Porto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
76.06%
O cenário demográfico na RMC é delineado pelo aumento expressivo do envelhecimento populacional e da participação relativa das condições crônicas entre as causas de internação hospitalar e de mortalidade entre os idosos. Esse cenário e suas implicações no setor saúde reforçam a importância deste estudo, que teve como principal objetivo avaliar o processo da transição da saúde e a sinergia entre os dois componentes presentes nesse conceito: a transição epidemiológica e a transição da atenção sanitária. Nossa proposta de investigação partiu da hipótese de que os sistemas de saúde na RMC não estão organizados para responder, de forma contínua e integrada, às necessidades de saúde dos idosos. Para a verificação dessa hipótese, realizamos uma pesquisa descritiva, através de uma abordagem que conjuga análises de dados qualitativos quantitativos. Recorremos assim a duas estratégias de pesquisa. A primeira estratégia centrou-se na identificação do processo de transição das condições de saúde da população idosa na RMC, através da análise dos indicadores de morbidade hospitalar e mortalidade e da análise dos indicadores demográficos e epidemiológicos dos idosos na região, no intervalo de 1998 a 2008...

Envelhecimento demográfico e mudanças na transição à velhice entre brasileiros de distintas gerações; Demographic aging and changes in transition to old age among Brazilians of different generations

Carolina Alondra Guidotti Gonzalez
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
86.16%
Como parte do processo de transição demográfica, que inclui substancial aumento da longevidade, a população brasileira experimenta uma série de mudanças que reconfiguram seu mapa etário e repercutem na sociedade como um todo. Dentro desse cenário de envelhecimento da população, o foco deste trabalho é conhecer as mudanças que experimentam distintas gerações na medida em que atingem as idades nas quais passam a ser consideradas como população idosa. As análises focalizam três dimensões específicas: na condição da população no âmbito doméstico, no mercado de trabalho e em relação às condições de saúde, atentando para os diferenciais entre homens e mulheres e segundo condição socioeconômica. Para esse fim, a perspectiva teórica privilegiada é a do curso de vida. Esta perspectiva propõe um marco conceitual que permite considerar os processos de mudança social e os processos demográficos como interdependentes. Dessa forma, o envelhecimento é considerado como processo, dando destaque à interseção entre a mudança no tempo biológico dos indivíduos ¿ demarcada fortemente pela idade ¿ com as mudanças no tempo histórico (com enfoque na dimensão política, econômica, demográfica e social) e com a sucessão de coortes. Parte-se da hipótese de que a população idosa é um grupo heterogêneo...

Envelhecimento ativo e redes de suporte em idosos portugueses

Rocha, Ana Margarida Pinto da Rocha
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 07/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.16%
O envelhecimento da população representa um dos fenómenos demográficos mais vincados das sociedades modernas do século XXI. Um dos traços mais salientes, atualmente, da sociedade portuguesa é a tendência para o crescimento da população idosa (Paúl & Fonseca, 2005). Portugal, atualmente, enfrenta uma realidade, que se carateriza pelas baixas taxas de natalidade e de mortalidade, com um aumento significativo do número de idosos no conjunto da população total do país (Paúl & Fonseca, 2005). Para além disso, com o aumento da esperança de vida e com melhores condições de saúde, a participação social e as redes de suporte social são tópicos sob os quais se têm dirigido as atenções. O objetivo central deste estudo é descrever e analisar a importância das redes de suporte social, em função da idade, da escolaridade e do género, em idosos portugueses que apresentam um “envelhecimento ativo” de acordo com o modelo de Envelhecimento Ativo da Organização Mundial de Saúde (2005), e em idosos que não apresentam esta condição. A amostra deste estudo empírico é constituída por 83 sujeitos (N=83), dos quais 41 têm algum tipo de participação social, desde atividade profissional a voluntariado, e os restantes 42 não têm qualquer tipo de participação social. O instrumento utilizado para a recolha de dados foi a Escala de Rede de Apoio Social (ERAS) (Lubben...

A geografia do envelhecimento da população: oferta e procura de estruturas residenciais para idososo caso do concelho de Beja

Alves, Sílvia Cristina Lourenço
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
76.09%
O envelhecimento é um tema que tem vindo a alcançar singular interesse, particularmente, a partir da segunda metade do século XX, e esta mudança é consequência do fenómeno do envelhecimento que tem vindo a acentuar-se nos países desenvolvidos, e que já se nota em alguns países em desenvolvimento. O envelhecimento reveste-se de primordial relevância tanto no atual contexto de senescência das sociedades ocidentais, com particular incidência nas regiões economicamente menos dinâmicas como é o caso do interior de Portugal. De acordo com Maria João Valente Rosa (2012) apesar de o envelhecimento populacional poder ser entendido como uma história de sucesso, frequentemente é percebido como uma enorme ameaça ao futuro da sociedade em que vivemos. Neste contexto, muitos dos idosos conseguem adaptar-se à velhice e a toda esta problemática, como mais uma fase na vida, independentemente das suas limitações físicas. Mas existem outros em que a situação é o inverso e têm alterações de tal ordem que necessitam de internamento em lares. Face a este cenário, é pertinente refletir/discutir o envelhecimento e as mudanças sociais que acompanham este processo. A presente investigação debruçou-se sobre a oferta e a procura de estruturas residenciais para idosos no concelho de Beja...

Envelhecimento da população portuguesa : algumas decorrências económicas

Sousa, Rui Miguel Vieira de
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
96.17%
Mestrado em Ciências Económicas; Este trabalho tem como objectivo analisai algumas consequências económicas do envelhecimento demográfico em Portugal. Baseando-nos, essencialmente, em projecções e documentos publicados por entidades nacionais e internacionais procuramos analisar a evolução da população portuguesa nas próximas décadas e alguns impactos a nível económico e social. O envelhecimento da população apresenta um conjunto de desafios como a sustentabilidade do sistema de segurança social, o crescimento económico, o envelhecimento activo e a produtividade. Mas também representa um conjunto de oportunidades como novos mercados económicos, novas profissões e a maior tolerância social. A dissertação está dividida em três partes: na primeira parte apresentamos os aspectos metodológicos do trabalho e o enquadramento demográfico de Portugal; na segunda parte enunciamos algumas políticas correctivas da tendência demográfica e alguns conceitos na abordagem ao envelhecimento; finalmente, na terceira parte analisamos a importância das redes de suporte e alguns impactos da evolução demográfica na economia portuguesa.; The main focus of this work is to analyze some economic impacts of ageing in Portugal. Using...

A Reforma do Dividendo Populacional Consequências Económicas e Sociais do Envelhecimento da População

Fialho, Djalita
Fonte: ISEG - SOCIUS Publicador: ISEG - SOCIUS
Tipo: Outros
Publicado em //2006 Português
Relevância na Pesquisa
96.14%
Este texto pretende analisar alguns dos impactos económicos e sociais do envelhecimento da geração que contribuiu para os "trinta gloriosos anos" de progresso e crescimento económico que se seguiram à II Guerra Mundial. São abordadas as consequências económicas e sociais da passagem à reforma daquele que, entre 1945 e 1975, pode ser considerado o verdadeiro dividendo populacional dos países mais desenvolvidos de hoje - é verdade que num contexto socio-económico muito distinto do actual. Os desafios que se apresentam com o envelhecimento da população põem em causa não só a competitividade económica dos países afectados por este fenómeno, como a sustentabilidade do elo social, garantido por um relacionamento económico inter-geracional. Este nexo geracional - centrado em sistemas de segurança social que, até à data, têm garantido a redistribuição do rendimento dos indivíduos activos para os inactivos - pode, de facto, ruir, caso se mantenha a actual tendência de aumento do rácio de dependência das gerações mais velhas. A resposta parece estar na promoção de um relacionamento económico sustentável entre as gerações nos domínios da segurança social e da competitividade económica. Assim, são propostas neste texto algumas opções de políticas que se acreditam correctivas das indesejáveis consequências económicas e sociais do envelhecimento da população...

Envelhecimento português. Desafios contemporâneos. Políticas e programas sociais : estudo de caso

Soeiro, Maria dos Anjos Santos
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
76.17%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Ciência Política e Relações Internacionais, na especialização de Globalização e Ambiente; Neste trabalho tentamos mostrar que as alterações demográficas traduzem modificação e por vezes inversão das pirâmides etárias, reflectindo o envelhecimento da população, vindo colocar aos governos, (políticas e programas sociais) às famílias e à sociedade em geral, desafios para os quais não estavam preparados. Constitui assim, hoje, um desafio à responsabilidade individual e colectiva. Coloca-se, então, a questão de pensar o envelhecimento ao longo da vida, numa atitude mais preventiva e promotora da saúde e da autonomia. A promoção de um envelhecimento saudável e de qualidade, que respeita a múltiplos sectores da sociedade. Ao longo do estudo falaremos de algumas políticas que permitam desenvolver acções mais próximas dos cidadãos idosos, promovendo e incentivando autonomia e independência, acessíveis e sensíveis às necessidades mais frequentes da população em estudo. Envolvendo uma acção integrada ao nível da mudança de comportamentos e atitudes da população em geral. Nosso estudo tem por base a população utente do Centro de Dia de Nossa Senhora do Socorro – (Mouraria) em Lisboa. Teve como suporte um guião de perguntas que englobaram questões...

O envelhecimento da população mundial: um desafio novo

Kalache,Alexandre; Veras,Renato P.; Ramos,Luiz Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1987 Português
Relevância na Pesquisa
86.06%
O envelhecimento populacional é hoje um fenômeno universal, característico tanto dos países desenvolvidos como, de modo crescente, do Terceiro Mundo. São apresentados dados que ilustram a verdadeira revolução demográfica desde o início do século e estimativas até o ano 2025. Os fatores responsáveis pelo envelhecimento são discutidos, com especial referência ao declínio tanto das taxas de fecundidade como das de mortalidade. Em conjunto, tais declínios levam a um menor ingresso de jovens em populações que passam a viver períodos mais longos. Esse processo gradativo é conhecido como "transição epidemiológica" e seus vários estágios são abordados. As repercussões para a sociedade, de populações progressivamente mais idosas são consideráveis, particularmente no que diz respeito à saúde. Os padrões de mortalidade e morbidade são discutidos e o conceito de autonomia, como uma forma de quantificar qualidade de vida, é introduzido. É proposta redefinição do próprio conceito de envelhecimento, refletindo a realidade médico-social do Terceiro Mundo. São formuladas questões sobre a interação envelhecimento-mudanças sociais em curso nos países subdesenvolvidos, cujas respostas podem ser grandemente facilitadas pelo uso do método epidemiológico.

Crescimento da população idosa no Brasil: transformações e conseqüências na sociedade

Veras,Renato P.; Ramos,Luiz Roberto; Kalache,Alexandre
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1987 Português
Relevância na Pesquisa
85.92%
São discutidas as transformações sociais e econômicas que incidem sobre a vida dos idosos decorrentes do aumento da população de 60 anos ou mais, no Brasil. O processo migratório e a intensa urbanização (em 1940 a população rural era de 68,8% e em 1980 de 32,4%) afetaram particularmente a população idosa dos grandes centros, ou daqueles que envelheceram nestas cidades. Esta nova organização social acentuou os problemas de solidão e pobreza dos idosos. Além desta perda de status social que exclui sua participação na sociedade moderna, o idoso teve também reduzido o suporte emocional no interior de sua família. Entre os fatores que concorrem para tal, destacam-se a mudança do padrão do modelo familiar, de extensa para nuclear, a maior mobilidade e o aumento do número de separações e divórcios. O maior período de vida da mulher e suas conseqüências (redução de renda, aumento do número de viúvas e maior freqüência de longos períodos de doenças crônicas), como também a mudança do papel social da mulher no mundo contemporâneo, fazem parte de uma discussão específica relativa à mulher e à velhice. A questão do trabalho, da aposentadoria e do custo social (coeficiente de dependência) é outro aspecto abordado.

O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico

Carvalho,José Alberto Magno de; Garcia,Ricardo Alexandrino
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
76.11%
Contrariamente ao indicado pelo senso comum, o processo de envelhecimento populacional, tal como observado até hoje, é resultado do declínio da fecundidade, e não da mortalidade. O envelhecimento populacional iniciou-se no final do século XIX em alguns países da Europa Ocidental, espalhou-se pelo resto do Primeiro Mundo, no século passado, e se estendeu, nas últimas décadas, por vários países do Terceiro Mundo, inclusive o Brasil. No caso brasileiro, observou-se, a partir do final dos anos 60, rapidíssima e generalizada queda da fecundidade, e haverá, conseqüentemente, um célere processo de envelhecimento da população. Este processo será, necessariamente, mais rápido e com mudanças estruturais, demograficamente falando, mais profundas do que nos países do Primeiro Mundo por duas razões: o declínio da fecundidade, no País, deu-se em um ritmo maior e origina-se de uma população mais jovem do que aquela dos países desenvolvidos.

Êxodo seletivo, masculinização e envelhecimento da população rural na região central do RS

Froehlich,José Marcos; Rauber,Cassiane da Costa; Carpes,Ricardo Howes; Toebe,Marcos
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
A configuração populacional vem sofrendo acentuadas transformações ao longo da última década. Atualmente, a masculinização e o envelhecimento populacional são apontados como características dessa realidade. Neste sentido, este trabalho teve como objetivo analisar a ocorrência e o comportamento dos processos de masculinização e envelhecimento da população rural de 27 municípios da Região Central do Rio Grande do Sul, em diferentes faixas etárias. Para alcançar esse propósito, utilizaram-se dados da Contagem Populacional de 1996 e 2007 do IBGE referentes à população rural regional sistematizados em quatro faixas: 0 a 14 anos, 15 a 24, 25 a 59 e 60 ou mais anos. As diferenças entre os sexos foram submetidas ao Teste para Diferença entre Duas Proporções com 5% de probabilidade de erro. Também foram calculadas a diferença percentual da população total e de cada sexo entre 1996 e 2007. O processo de masculinização rural consolida sua presença na Região Central do RS, sendo a população adulta atingida com mais intensidade. A sobreposição masculina significativa pode ser observada em todos os municípios, aumentando da primeira a terceira faixa etária. Em alguns municípios, houve uma intensificação da masculinização rural também entre a população idosa. Também pode ser observado...

A evolução do índice de envelhecimento no Brasil, nas suas regiões e unidades federativas no período de 1970 a 2010

Closs,Vera Elizabeth; Schwanke,Carla Helena Augustin
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
76.18%
INTRODUÇÃO: O Índice de Envelhecimento (IE) avalia o processo de ampliação do segmento idoso na população total em relação à variação relativa no grupo etário jovem, sendo obtido por meio da razão entre a população idosa e a população jovem. Este indicador permite observar a evolução do ritmo de envelhecimento da população, comparativamente entre áreas geográficas e grupos sociais e pode, assim, subsidiar a formulação, gestão e avaliação de políticas públicas nas áreas de saúde e de previdência social. OBJETIVO: Apresentar a evolução do IE no Brasil, regiões e unidades federativas, no período de 1970 a 2010. MÉTODOS: Foi realizado um estudo descritivo, com dados obtidos dos Censos Demográficos e dos Indicadores Sociais do IBGE, do período de 1970 a 2010. RESULTADOS: Em 2010, o IE do Brasil era de 44,8. Entre as regiões brasileiras, o Sul (54,94) e Sudeste (54,59) se equiparavam com o maior IE e o Norte (21,84) apresentava o menor IE. As unidades federativas com maior IE eram Rio Grande do Sul (65,47) e Rio de Janeiro (61,45). Os menores índices pertenciam aos estados do Amapá (15,45) e Roraima (16,57). No período de 1970 a 2010, observou-se aumento de 268% no IE do Brasil. CONCLUSÃO: Os resultados demonstram...

Perspectivas sobre o impacto do envelhecimento da população no sector bancário

Moreira, Ivo Filipe Pedro
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
96.14%
Mestrado em Finanças; Tal como o próprio título refere com a presente dissertação pretendemos analisar as perspectivas sobre o impacto do envelhecimento da população no sector bancário. O presente estudo foi levado a cabo com base na análise de dois pontos: Banca; Seus clientes. No primeiro ponto foram realizados inquéritos à Banca tentando-se abranger o maior número de instituições bancárias. O inquérito teve como objectivo recolher informação sobre quais as medidas que estão a ser tomadas para suplantar o problema do envelhecimento da população, de maneira a evitar a fuga de clientes. No segundo ponto foram feitos inquéritos aos clientes por forma a tomar conhecimento do que a outra parte acha desta situação, se a Banca está ou não devidamente adaptada a uma população envelhecida, e, no caso de não estar se tem tomado as medidas necessárias. Após a recolha dos inquéritos procedeu-se ao tratamento da informação e retiraram-se as devidas conclusões. Estas foram seguidamente cruzadas, de maneira a tentar saber se os dois grupos de inquiridos têm ideias completamente divergentes do que deve ser uma Banca ajustada a uma população envelhecida, ou se, pelo contrário, ainda que não esteja devidamente adaptada...

Envelhecimento da população brasileira: uma contribuição demográfica; Texto para Discussão (TD) 858: Envelhecimento da população brasileira: uma contribuição demográfica; Population aging: a demographic contribution

Camarano, Ana Amélia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
76.18%
O trabalho buscou apresentar uma contribuição demográfica para o entendimento do processo de envelhecimento da população brasileira. Tem por objetivo principal questionar a relação entre envelhecimento populacional e dependência. Além disso, buscou-se avaliar se as condições de vida do idoso brasileiro de hoje, 1998, diferem das do idoso de um passado recente, 1981. Isso permite especular sobre o “dinamismo” da relação. Trabalhou-se com os dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNADs) de 1981 a 1998. Nos últimos 20 anos, o idoso brasileiro teve a sua expectativa de sobrevida aumentada, reduziu o seu grau de deficiência física ou mental, passou a chefiar mais suas famílias e a viver menos na casa de parentes. Também passou a receber um rendimento médio mais elevado, o que levou a uma redução no seu grau de pobreza e indigência. Essas considerações levam à dificuldade de se pensar essa relação entre envelhecimento e dependência como produto de um único fator agindo continuamente. Esse é um fenômeno bastante complexo e sujeito à ação de vários fatores em interação. As aposentadorias desempenham um papel muito importante na renda dos idosos e essa importância cresce com a idade. Pode-se concluir que o grau de dependência dos indivíduos idosos é...

O discurso do envelhecimento da população como ideologia

Santos Neto, Artur Bispo dos
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
86.07%
O presente artigo tem como propósito apontar o caráter ideológico do discurso fundado no envelhecimento da população brasileira e como este serve enquanto instrumento da classe dominante para operar as contrarreformas necessárias ao sistema do capital no âmbito da previdência social, ao apresentar a realidade de uma maneira homogênea e destituída de contradições, porquanto oblitera os elementos fundamentais que estão na gênese do envelhecimento populacional e desconsidera que o verdadeiro crescimento populacional está relacionado ao crescimento do exército industrial de reserva e que esse aspecto social se constitui como um dos principais responsáveis pela abreviação do tempo de vida de inúmeros jovens no país.

Avaliação do impacto da polimedicação nas verbas de internamento nas unidades de longa duração e manutenção

Ferreira,Nelson Manuel de Lima; Rodrigues,Vítor Manuel Costa Pereira
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra - Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra - Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
85.99%
Contexto: a falência dos estados de providência obriga a que seja efetuada uma reflexão e análise cuidada de todo o campo da saúde para que a sua sustentabilidade seja possível. Em Portugal verifica-se, como em toda a Europa, um progressivo envelhecimento da população, consequência do aumento da esperança média de vida e da baixa natalidade. Objetivos: avaliar o impacto da polimedicação nas verbas diárias de internamento imputadas a uma unidade de longa duração e manutenção. Método: tratou-se de um estudo de caso, de natureza exploratória, junto de 65 utentes, admitidos na Unidade de Longa Duração e Manutenção Dona Elvira da Câmara Lopes da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso. Resultados: existe polimedicação major nesta população, nomeadamente, uma média de 6 medicamentos prescritos por utente. Fazendo o cálculo, em função de 10 EUR de verba diária atribuída, obtém-se a percentagem significativa de 37% de impacto na verba imputada pelo Estado. Conclusão: é preciso compreender os padrões de prescrição noutros contextos, assim como, conhecer as razões/motivos que levam à prescrição de mais do que um fármaco.

O envelhecimento da população brasileira: um enfoque demográfico

Carvalho,José Alberto Magno de; Garcia,Ricardo Alexandrino
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2003 Português
Relevância na Pesquisa
76.11%
Contrariamente ao indicado pelo senso comum, o processo de envelhecimento populacional, tal como observado até hoje, é resultado do declínio da fecundidade, e não da mortalidade. O envelhecimento populacional iniciou-se no final do século XIX em alguns países da Europa Ocidental, espalhou-se pelo resto do Primeiro Mundo, no século passado, e se estendeu, nas últimas décadas, por vários países do Terceiro Mundo, inclusive o Brasil. No caso brasileiro, observou-se, a partir do final dos anos 60, rapidíssima e generalizada queda da fecundidade, e haverá, conseqüentemente, um célere processo de envelhecimento da população. Este processo será, necessariamente, mais rápido e com mudanças estruturais, demograficamente falando, mais profundas do que nos países do Primeiro Mundo por duas razões: o declínio da fecundidade, no País, deu-se em um ritmo maior e origina-se de uma população mais jovem do que aquela dos países desenvolvidos.

O envelhecimento da população mundial: um desafio novo

Kalache,Alexandre; Veras,Renato P.; Ramos,Luiz Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1987 Português
Relevância na Pesquisa
86.06%
O envelhecimento populacional é hoje um fenômeno universal, característico tanto dos países desenvolvidos como, de modo crescente, do Terceiro Mundo. São apresentados dados que ilustram a verdadeira revolução demográfica desde o início do século e estimativas até o ano 2025. Os fatores responsáveis pelo envelhecimento são discutidos, com especial referência ao declínio tanto das taxas de fecundidade como das de mortalidade. Em conjunto, tais declínios levam a um menor ingresso de jovens em populações que passam a viver períodos mais longos. Esse processo gradativo é conhecido como "transição epidemiológica" e seus vários estágios são abordados. As repercussões para a sociedade, de populações progressivamente mais idosas são consideráveis, particularmente no que diz respeito à saúde. Os padrões de mortalidade e morbidade são discutidos e o conceito de autonomia, como uma forma de quantificar qualidade de vida, é introduzido. É proposta redefinição do próprio conceito de envelhecimento, refletindo a realidade médico-social do Terceiro Mundo. São formuladas questões sobre a interação envelhecimento-mudanças sociais em curso nos países subdesenvolvidos, cujas respostas podem ser grandemente facilitadas pelo uso do método epidemiológico.

Crescimento da população idosa no Brasil: transformações e conseqüências na sociedade

Veras,Renato P.; Ramos,Luiz Roberto; Kalache,Alexandre
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1987 Português
Relevância na Pesquisa
85.92%
São discutidas as transformações sociais e econômicas que incidem sobre a vida dos idosos decorrentes do aumento da população de 60 anos ou mais, no Brasil. O processo migratório e a intensa urbanização (em 1940 a população rural era de 68,8% e em 1980 de 32,4%) afetaram particularmente a população idosa dos grandes centros, ou daqueles que envelheceram nestas cidades. Esta nova organização social acentuou os problemas de solidão e pobreza dos idosos. Além desta perda de status social que exclui sua participação na sociedade moderna, o idoso teve também reduzido o suporte emocional no interior de sua família. Entre os fatores que concorrem para tal, destacam-se a mudança do padrão do modelo familiar, de extensa para nuclear, a maior mobilidade e o aumento do número de separações e divórcios. O maior período de vida da mulher e suas conseqüências (redução de renda, aumento do número de viúvas e maior freqüência de longos períodos de doenças crônicas), como também a mudança do papel social da mulher no mundo contemporâneo, fazem parte de uma discussão específica relativa à mulher e à velhice. A questão do trabalho, da aposentadoria e do custo social (coeficiente de dependência) é outro aspecto abordado.