Página 1 dos resultados de 303 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Coalizões Internacionais e o G-20: aspectos da liderança brasileira na rodada Doha de desenvolvimento da OMC; International Coalitions and the G-20: Brazilian leadership aspects in the WTO Doha Development Round

Pimenta Junior, José Luiz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
27.67%
Desde a criação da OMC em 1995, países desenvolvidos e em desenvolvimento intensificaram a busca por uma ação coordenada mais efetiva e, principalmente durante a Rodada Doha, passaram a influenciar o processo de tomada de decisão por meio da criação de coalizões internacionais. A atuação paradigmática do Brasil no processo de formação e atuação do G20 fez com que o país se tornasse um eminente player nas negociações agrícolas da Rodada de Desenvolvimento de Doha e entrasse de maneira definitiva no alto nível decisório da Organização. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é explorar o debate relacionado à atuação das coalizões internacionais, bem como identificar os elementos que constituem a liderança política nesse modo de ação coletiva, sobretudo no que se relaciona ao caso da atuação do Brasil no G20 durante as negociações da Rodada Doha da OMC.; Since the creation of the WTO in 1995, developed and developing countries intensified the demand for a more effective and coordinated action, especially during the Doha Round, and began to influence the decision making process through the creation of international coalitions. The paradigmatic role of Brazil in the formation and performance of the G20 has rendered the country a prominent position in the agricultural negotiations of the Doha Development Round. Thus...

A posição do Brasil na governança econômica global: um estudo da conformidade entre o posicionamento do governo brasileiro e o consenso expresso nos comunicados oficiais do G20 e do FMI (2006-2012); The position of Brazil in global economic governance: a study on the conformity between the position of the brazilian government and the consensus expressed in official communiqués of the G20 and the IMF (2006-2012)

Lima, Marcelo Waldvogel Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.86%
No presente contexto de redistribuição de poder e da consequente reorganização da ordem mundial, as economias emergentes têm gradualmente alcançado maior espaço nas deliberações multilaterais a respeito da governança econômica global. Esta ascensão tem ocorrido em níveis e ritmos distintos em diferentes instâncias da governança econômica global, como, por exemplo, no âmbito do FMI e do G20. Estas instituições internacionais, ainda que diferentes em sua composição, formalização, estrutura e governança, possuem aspectos importantes de sua missão que se sobrepõem, como o diálogo multilateral a respeito de políticas macroeconômicas e a promoção da estabilidade econômica e financeira mundial. Considerando que as economias emergentes têm investido na consolidação de seu recém-adquirido status no sistema internacional, este estudo pretende avançar na compreensão da sua atuação nestas instituições internacionais por meio de uma análise comparativa da configuração institucional do FMI e do G20. Na segunda parte deste estudo, partindo do fato de que as economias emergentes têm empreendido esforços para que as instituições internacionais aprimorem seu modelo de representatividade, no sentido de refletir em suas decisões as posições específicas destes países...

O impacto na variação da matriz energética e da área das florestas na eficiência relativa entre os países membros do G20 na emissão de gases de efeito estufa: uma análise envoltória de dados (DEA) nos anos 1990, 2000 e 2010; The impact on the variation of the energy matrix and the area of forests in the relative efficiency among member countries of the G20 in the emission of greenhouse gases: A data envelopment analysis (DEA) in the years 1990, 2000 and 2010

Pimentel, Luciano Aparecido dos Santos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.67%
A globalização marca um período de crescimento dos países do G20. Como modelo de crescimento, estes países buscam aumentar sua produção e, com isso, emitem gases de efeito estufa que geram o aquecimento global, colocando em risco as reservas naturais, a biodiversidade, as populações e suas necessidades além de colocar em risco as gerações futuras. Devido à necessidade dos países em continuar crescendo, com sustentabilidade e sem provocar os efeitos negativos do consumo, esta tese avalia os efeitos das alterações nas matrizes energéticas dos países com maior consumo (G20), do aumento do consumo e da variação da área das florestas na emissão de gases de efeito estufa (GEE). Com o objetivo de explicar os fatores responsáveis pelo desempenho dos países na emissão de GEE, esta pesquisa explicativa utiliza o método quantitativo de análise de eficiência, com apoio da análise envoltória de dados (DEA). Foi utilizado o modelo BCC orientado à output, que considera rendimentos variáveis de escala entre os países (tecnologia e fontes energéticas) na emissão de gases. Os resultados indicam que o padrão de consumo influencia no desempenho, que as alterações na matriz energética (maior consumo de fontes menos poluentes) influenciam no desempenho em relação aos demais países e que as mudanças no uso da terra são fatores preponderantes no desempenho do país...

Assertividade brasileira no G20 - uma análise do comportamento negociador do Brasil; Brazil ?s assertiveness at the G20 - an analysis of Brazilian negotiation behavior

Lopes, Bruno De Marco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/11/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.67%
A análise do comportamento negociador de potências emergentes pode ser considerada como um dos indicadores do posicionamento desses países em um momento de transição de poder na ordem internacional. O modo como esse grupo de países defende seus interesses em uma mesa de negociação assim como as coalizões e estratégias que eles criam para atingir seus objetivos são aspectos definidores de suas políticas externas. A análise de como potências emergentes negociam pode revelar o tipo de potência que esses países podem se tornar em uma nova ordem global. Esta pesquisa investiga como o Brasil negocia para se tornar um tomador de decisão influente no Fundo Monetário Internacional (FMI), analisando se a abordagem brasileira em relação à atual ordem internacional é revisionista ou integracionista. O objeto dessa pesquisa é o comportamento negociador brasileiro no processo negociador que culminou em um novo acordo sobre a distribuição de quotas no FMI em 2010 durante a reunião ministerial do G20, na cidade sul-coreana Gyeongju. O argumento que se desenvolve ao longo do artigo é o de que a crise financeira de 2008 e o crescimento e a estabilidade da economia brasileira na década de 2000 aumentou o poder de barganha dos negociadores brasileiros nas negociações para a reforma do FMI. A conclusão da análise mostra que longe de ser revisionista o comportamento negociador revela estratégias de negociação que visam a integrar o país à ordem existente...

Potências médias emergentes e reforma da arquitetura financeira mundial?: Uma análise do BRICS no G20

Ramos,Leonardo
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.78%
A partir de 2000, na cúpula de Okinawa, o sistema G7/8 começou um movimento de outreach, ou seja, tanto de "alcançar" aqueles que se encontravam fora quanto de "expandir" o sistema G7/8. Neste sentido, pela primeira vez países não-participantes do G8 foram envolvidos tanto em encontros do G8 quanto em consultas pré-cúpula. Neste processo a cúpula de Gleneagles, em 2005, foi um marco, pois nesta pela primeira vez há um documento conjunto emitido por Brasil, Índia, China, África do Sul e México (BICSAM) - Outreach Five ou Grupo dos Cinco (+5). Tal articulação entre tais países tendo como foco o sistema G7/8 vai ocorrer até a cúpula de L’Aquila, em 2009. Não obstante, como desde 2008 o G20 vem lidando com tais questões como um fórum de líderes e a partir de 2009 o BRIC passa a se reunir como coalizão, tal articulação paralela ao G8 perde sua relevância. Neste contexto, uma questão que surge diz respeito à relação entre BRICS e G20. Como se dá a ação de tal bloco emergente neste fórum? Qual seu impacto para as decisões tomadas no âmbito de tal fórum? Qual a importância da China neste processo? Questões deste tipo são relevantes uma vez que muitas abordagens sobre o G20 e sobre as potências médias emergentes falam a respeito da legitimidade e da representatividade do G20 sem...

Phylogenetic Distribution of the Capsid Assembly Protein Gene (g20) of Cyanophages in Paddy Floodwaters in Northeast China

Jing, Ruiyong; Liu, Junjie; Yu, Zhenhua; Liu, Xiaobing; Wang, Guanghua
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 12/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.67%
Numerous studies have revealed the high diversity of cyanophages in marine and freshwater environments, but little is currently known about the diversity of cyanophages in paddy fields, particularly in Northeast (NE) China. To elucidate the genetic diversity of cyanophages in paddy floodwaters in NE China, viral capsid assembly protein gene (g20) sequences from five floodwater samples were amplified with the primers CPS1 and CPS8. Denaturing gradient gel electrophoresis (DGGE) was applied to distinguish different g20 clones. In total, 54 clones differing in g20 nucleotide sequences were obtained in this study. Phylogenetic analysis showed that the distribution of g20 sequences in this study was different from that in Japanese paddy fields, and all the sequences were grouped into Clusters α, β, γ and ε. Within Clusters α and β, three new small clusters (PFW-VII∼-IX) were identified. UniFrac analysis of g20 clone assemblages demonstrated that the community compositions of cyanophage varied among marine, lake and paddy field environments. In paddy floodwater, community compositions of cyanophage were also different between NE China and Japan.

The G20 and the global trading system : leveraging the Asia-pacific experience

HOEKMAN, Bernard M.
Fonte: Instituto Universitário Europeu Publicador: Instituto Universitário Europeu
Tipo: Outros Formato: application/pdf; digital
Português
Relevância na Pesquisa
37.28%
There is a growing disconnect between the need to bolster the multilateral trading system and the willingness of the world’s major economies to cooperate to do so. Concerted action on trade reform can help to support the process of global rebalancing and improve growth performance. Rather than repeat past calls to complete the WTO Doha round talks and refrain from protectionist actions, the G20 should build on the experience of the East Asia and Pacific region and commit to a specific trade cost reduction target and support greater plurilateral cooperation on regulatory matters under the umbrella of the WTO.

Australia's Seat at the Big Table: Evaluating the Role of Australia in the G20

Longden, Caitlin
Fonte: Universidade Nacional da Austrália Publicador: Universidade Nacional da Austrália
Tipo: Relatório
Português
Relevância na Pesquisa
38.04%
Gobalisation is continuing to increase the cooperation and interconnectedness of all states' domestic and foreign policy. The Group of 20 (G20) is an institution that has seen both its birth and renewal stem from the aftermath of a crisis, giving it a stable, heroic and dependent mandate for political trust and attention. As a middle power, Australia is always looking for ways to promote its keen multilateral attributes and rising economic status; the G20 gave it the opportunity to do this at a premier, international level. The role that Australia has played and is capability for the future is the focus of this paper. To adequately assess this topic four main elements of the G20 are examined. First, the history of the G20 is considered. A close examination of the purpose behind the creation of the institution is undertaken. This historical context, describing the birth and reformation of the G20 indicates that Australia was fortunate to attain membership from this exclusive group. When the G20 was elevated to the level of premier global economic forum it gave the institution and its members new levels of success and global influence. Second, the motivations behind the protagonist and enthusiastic role of Australia in the reinvigoration of the G20 to its current leader level status are examined. Scrutiny of these motivations highlights the desired international...

Filling Hungry Bellies: The move to put food security on the agenda at the G20

Musgrove, Alison
Fonte: Universidade Nacional da Austrália Publicador: Universidade Nacional da Austrália
Tipo: Relatório
Português
Relevância na Pesquisa
37.99%
Hunger affects approximately one billion people worldwide. The food price crisis of 2007-08 pushed food prices so high that an estimated 100 million people were pushed over the poverty line. After a brief reprieve in 2009, food prices have risen again, and in early 2011 w ere even higher than during the previous crisis. Despite the efforts of international organisations such as the World Food Programme and the Food and Agricultural Organization, the problem of global hunger has remained intractable and it is clear that a new approach needs to be formulated to solve this problem. In recent years, expectations have fallen on the G20 to step into the breach. With nineteen of the world's largest economies and the European Union, the G20 has been called the 'Goldilocks' of world organisations, being small enough to facilitate negotiation yet large enough to have the necessary economic and political clout to drive the development agenda forward. With over 65% of the world's farmland and producing 77% of the world's cereals, the G20 countries are vital to achieving world 'food security', defined as access to safe and sufficient food for everyone at all times. Given that 54% of the world's hungry live in member states China and India alone...

Wounded Subjects: White Settler Nationals in Toronto G20 Resistance Narratives

Neuman, Auden
Fonte: Quens University Publicador: Quens University
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.78%
This project engages theories of settler colonialism, biopower, and the state of exception to analyze the operations of rights-based narratives of citizenship in relation to political dissent in Canada. I argue that a normalized state of exception founds the white supremacist, settler colonial state, bringing Canadian citizenship into being as a (white) racialized, (cis)gendered, and (hetero)sexualized construct. By examining “resistance narratives” about the Toronto G20 that emerged in the post-G20 climate, my work argues that, in treating the policing practices employed during the G20 as exceptional and in (re)producing the exaltation of white heterosexual cis-masculine citizens, these narratives normalize and reinforce the daily operations of the exception, which targets Indigenous, racialized, and other “Others” in Canada. Finally, my work critically engages with the space of the Eastern Detention Centre (EDC) as a temporary camp set up to detain G20 arrestees, and with the narrative of “Torontonamo” that emerged to describe and explain the EDC. Reading the EDC in the context of other spatial organizations of the exception in Canada, I argue that the “Torontonamo” narrative reasserts race thinking in relation to the normalized operations of the exception. In so doing...

IS THE WHOLE WORLD STILL WATCHING? EXPLAINING POLICE VIOLENCE DURING THE TORONTO G8/G20 MEETINGS

HODGKINSON, TARAH
Fonte: Quens University Publicador: Quens University
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.58%
In recent years the G8 and G20 Summits have become important sites of protest and conflict. Extensive planning by police and protesters have transformed the public meaning of these yearly assemblies into large-scale events characterized by what many see as threats to public order. The summits have also provided a world-stage for the economically and racially disadvantaged as well as globalized free trade dissenters to voice their resistance and opposition. At the same time, police have been placed on the opposite side of the conflict, ordered to “control the masses.” This conflict situation can sometimes lead to collective violence, especially on behalf of the police. In attempting to explain the police collective violence witnessed at the G8/G20 protests in Toronto in June of 2010, Neil Smelser’s (1962) value-added model of collective behaviour can be employed. This model demonstrates how processes involving structural conduciveness, structural strain, the spread of a generalized belief, the mobilization of participants and finally the utilization of social control can lead to an event such as collective violence. Recent revisions to the value-added argument by Fine (1997) have shifted attention away from the functionalist assumptions of the model and toward a more social constructionist stance. Thus...

O Desafio para a presidência australiana do G20 em 2014; The Challenge facing the australian G20 presidency in 2014

Callaghan, Mike
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Boletim de Economia e Política Internacional - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
37.67%
Para que a cúpula de Brisbane seja um sucesso, a Austrália terá de melhorar a forma como o Grupo dos Vinte (G20) funciona definir uma agenda focada e envolver diretamente os líderes. Mais importante ainda, a cúpula de Brisbane deve atingir resultados significativos. O objetivo geral deve ser continuar a busca pelo crescimento mais robusto, mais sustentável e mais equitativo da economia e do emprego. Para dar substância a estes objetivos, a cúpula de Brisbane deve fazer progressos em algumas questões econômicas internacionais difíceis, mas de vital importância. As prioridades devem incluir: i) desenvolver uma clara e consistente estratégia coordenada de crescimento global, tema sobre o qual o G20 já não tem uma narrativa firme; ii) dar vida ao sistema de comércio multilateral; iii) lidar com o financiamento das mudanças climáticas, a fim de criar uma dinâmica para as negociações sobre elas em 2015; iv) realizar progressos tangíveis no esforço internacional para combater a fraude e a evasão fiscal; e v) integrar o desenvolvimento à agenda do G20, e não tratá-lo como um apêndice. Alcançar resultados nestas áreas exigirá um plano estratégico e uma grande e coordenada campanha de doze meses.; p. 5-19

Report on the G20 Survey in De-Risking Activities in the Remittance Market

World Bank Group
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
Tipo: Working Paper; Publications & Research :: Working Paper; Publications & Research
Português
Relevância na Pesquisa
27.73%
In September 2014, the Group of Twenty (G20) Global Partnership for Financial Inclusion (GPFI) requested the World Bank Group to undertake a survey in the G20 countries on the issue of commercial banks’ actions to de-risk their operations, specifically in relation to non-bank international remittance service providers or, as they are alternatively referred to throughout this report, money transfer operators (MTOs). The objective of the survey was to assess the status of the de-risking phenomenon in the G20 countries, and to collect evidence from which conclusions on the main drivers and the impact for the MTO market could be drawn. The key findings of this survey and the relative recommendations on potential actions are provided in this report to assist the G20 governments, standard setting bodies, private sector entities and the other relevant stakeholders in the financial sector on future discussions on this topic. In addition to working with the G20 on de-risking in the remittance market, the World Bank Group collaborated with the Financial Stability Board (FSB) and the Committee on Payments and Market Infrastructures (CPMI) to conduct a global survey on access to foreign correspondent banking relationships. This survey is focused on banking authorities...

Kinematics and chemistry of the hot core in G20.08-0.14N

Xu, Jin-Long; Wang, Jun-Jie
Fonte: Universidade Cornell Publicador: Universidade Cornell
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 21/02/2013 Português
Relevância na Pesquisa
27.73%
We present Submillimeter Array observations of the massive star-forming region G20.08-0.14N at 335 and 345 GHz. With the SMA data, 41 molecular transitions were detected related to 11 molecular species and their isotopologues, including SO2, SO, C34S, NS, C17O, SiO, CH3OH, HC3N, H13CO+, HCOOCH3 and NH2CHO. In G20.08-0.14N, 10 transition lines of the detected 41 transition lines belong to SO2, which dominates the appearance of the submillimeter-wave spectrum. To obtain the spatial kinematic distribution of molecules in G20.08-0.14N, we chose the strongest and unblended lines for the channel maps. The channel maps of C34S an SiO, together with their position-velocity diagrams, present that there are two accretion flows in G20.08-0.14N. Additionally, SiO emission shows a collimated outflow at the NE-SW direction. The direction of the outflow is for the first time revealed. The rotational temperature and the column density of CH3OH are 105 K and 3.1*10^{17} cm^{-2}, respectively. Our results confirm that a hot core is associated with G20.08-0.14N. The hot core is heated by a protostar radiation at it center, not by the external excitation from shocks. The images of the spatial distribution of different species have shown that the different molecules are located at the different positions of the hot core. Through comparing the spatial distributions and abundances of the molecules...

Potências médias emergentes e reforma da arquitetura financeira mundial? Uma análise do BRICS no G20

Ramos, Leonardo; Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas)
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.78%
A partir de 2000, na cúpula de Okinawa, o sistema G7/8 começou um movimento de outreach, ou seja, tanto de "alcançar" aqueles que se encontravam fora quanto de "expandir" o sistema G7/8. Neste sentido, pela primeira vez países não-participantes do G8 foram envolvidos tanto em encontros do G8 quanto em consultas pré-cúpula. Neste processo a cúpula de Gleneagles, em 2005, foi um marco, pois nesta pela primeira vez há um documento conjunto emitido por Brasil, Índia, China, África do Sul e México (BICSAM) - Outreach Five ou Grupo dos Cinco (+5). Tal articulação entre tais países tendo como foco o sistema G7/8 vai ocorrer até a cúpula de L’Aquila, em 2009. Não obstante, como desde 2008 o G20 vem lidando com tais questões como um fórum de líderes e a partir de 2009 o BRIC passa a se reunir como coalizão, tal articulação paralela ao G8 perde sua relevância. Neste contexto, uma questão que surge diz respeito à relação entre BRICS e G20. Como se dá a ação de tal bloco emergente neste fórum? Qual seu impacto para as decisões tomadas no âmbito de tal fórum? Qual a importância da China neste processo? Questões deste tipo são relevantes uma vez que muitas abordagens sobre o G20 e sobre as potências médias emergentes falam a respeito da legitimidade e da representatividade do G20 sem...

O Brasil e o G20 financeiro: alguns elementos analíticos

DE ALMEIDA, PAULO ROBERTO; Centro Universitário de Brasilia – Uniceub
Fonte: Meridiano 47; Meridiano 47 Publicador: Meridiano 47; Meridiano 47
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.28%
Análise da situação econômica conjunturaldo Brasil em face da agenda de debates internacionaisem torno do G20 financeiro, com exame dasrespostas brasileiras à crise financeira internacional ede suas propostas para o debate político, no contextodos Brics.

Objetivos, contradições e atuação da África do Sul no G20

Ramos, Leonardo; Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Teixeira, Rodrigo Corrêa; Fernandes, Marcia de Paiva; Carnevali, Rafaella de Oliveira
Fonte: Meridiano 47; Meridiano 47 Publicador: Meridiano 47; Meridiano 47
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 23/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.73%
A proposta do artigo é apresentar os problemas gerados pelas diferentes posições assumidas pela África do Sulno que concerneàs questões econômicas internacionais para, posteriormente, abordar sua atuação no G20, enfatizando aquestão representacional do continente africanono âmbito do G20.  This article aims at presenting the problems generated by the different positions assumed by South Africa concerning the international economy. After that, it will be discussed South African role in G20, emphasizing the representation issue of the African continent in the G20.

Reforming the global architecture of financial regulation: the G20, the IMF and the FSB

Knight, Malcolm D.
Fonte: London School of Economics and Political Science, System Risk Centre Publicador: London School of Economics and Political Science, System Risk Centre
Tipo: Monograph; NonPeerReviewed Formato: application/pdf
Publicado em 15/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
27.67%
The global financial crisis that began in 2007 and deepened in 2008 exposed major weaknesses in financial and macroeconomic policy coordination, and profound flaws in financial risk management and regulation in a number of advanced countries. The severity of the crisis led global leaders to recognize that they must find a way to reform the global regulatory architecture to ensure that the financial system can absorb shocks while continuing to function efficiently. In response to the crisis, the Group of Twenty (G20) met in November 2008, for the first time at the leaders level, to agree on a comprehensive strategy to restore trust in the financial system and to limit the fallout from the crisis on global output and employment. Currently, there is a complicated governance structure for the program to reform the global architecture of financial regulation that consists of three entities — one ad hoc and self-selected (G20), one treaty-based and systemic (International Monetary Fund [IMF]) and one a creation of the G20 (Financial Stability Board [FSB]). This paper undertakes an analysis of how cooperation takes place among these actors to implement the fundamental reforms needed to ensure that the global financial system is better able to withstand shocks than it was in 2007-2008. The analysis suggests a number of actions that the IMF and FSB should take to strengthen their cooperation and effectiveness...

La gobernanza económica global en el G20: perspectivas para la agenda del trabajo

Saguier,Marcelo
Fonte: Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales, Sede Académica de México Publicador: Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales, Sede Académica de México
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.58%
La crisis financiera internacional desatada en 2008 ha dado un renovado protagonismo al Grupo de los 20 (G20) como principal foro de concertación política para la gobernanza de la economía global. El principal desafío del G20 es lograr articular un diálogo político capaz de generar consensos básicos para un nuevo paradigma de globalización que no sólo permita superar la actual crisis, sino también garantizar el sostenimiento social y ambiental de un nuevo modelo de crecimiento en un contexto posneoliberal. A diferencia de otras crisis internacionales, la defensa del empleo y de la seguridad social ingresa al G20 como agenda ineludible para definir las políticas de recuperación económica. Esto se atribuye al liderazgo conjunto de Brasil y Argentina, en coalición con la Organización Internacional del Trabajo (OIT) y el movimiento sindical internacional. El presente artículo analiza el tratamiento y alcance de la agenda del trabajo a partir de los cambios en la coyuntura política internacional, crecientemente marcada por una restauración neoliberal de la globalización.

El G20 y la remodelación financiera más allá de 2009: Legitimación y retos del nuevo diseño institucional para el desarrollo

Enríquez,David
Fonte: UNAM, Instituto de Investigaciones Jurídicas Publicador: UNAM, Instituto de Investigaciones Jurídicas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.58%
El artículo estudia el papel que el G20 tiene en el nuevo diseño institucional del Fondo Monetario Internacional y del Banco Mundial tras la crisis financiera 2008-2009. A partir de una breve revisión histórica relativa a la creación del Sistema Bretton Woods, así como de las funciones de ambas instituciones financieras, el documento da cuenta de los avances en la agenda del G20 en el diseño organizacional, y distingue algunos de los principales retos en tal ejercicio. La hipótesis de trabajo del autor se centra en que, si bien el G20 tiene una innegable representatividad mundial, su legitimación en el rediseño institucional del sistema financiero multilateral solamente puede darse a partir de una efectiva democratización de las instituciones y de sus objetivos; los cuales se basan en las recomendaciones de la Comisión para el Análisis del Desarrollo Económico y el Progreso Social, creada en la primavera de 2008 a iniciativa del gobierno francés.