Página 1 dos resultados de 28781 itens digitais encontrados em 0.062 segundos

Identificação de epitopos da protease de HIV-1 alvos de respostas de células T CD4+ em pacientes infectados pelo HIV-1; Identification of HIV-1 protease epitopes target of CD4+ T cell responses in HIV-1 infected patients

Muller, Natalie Guida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
65.97%
Introdução: Uma proporção significante de pacientes infectados por HIV-1 (pacientes HIV-1+) tratados com inibidores de protease (IPs) desenvolve mutações de resistência. Estudos recentes têm mostrado que células T CD8+ de pacientes HIV- 1+ reconhecem epitopos de Pol incluindo mutações selecionadas por drogas. Nenhum epitopo CD4+ da protease foi descrito na base de dados de Los Alamos. Objetivo: Considerando que a protease de HIV-1 é alvo de terapia antiretroviral e que essa pressão pode selecionar mutações, nós investigamos se mutações selecionadas por IPs afetariam o reconhecimento de epitopos da protease de HIV-1 por células T CD4+ em pacientes tratados com IPs. Nós investigamos o reconhecimento de três regiões da protease preditas de conter epitopos de células T CD4+ bem como mutações induzidas por IPs por células T CD4+ em pacientes HIV- 1+ tratados com IPs. Materiais e Métodos: Quarenta pacientes HIV-1+ tratados com IPs foram incluídos (30 em uso de Lopinavir/ritonavir, 9 em uso de Atazanavir/Ritonavir e 1 em uso exclusivo de Atazanavir). Para cada paciente determinou-se a seqüência endógena da protease de HIV-1, genotipagem viral e tipagem HLA classe II. Utilizamos o algoritmo TEPITOPE para selecionar peptídeos promíscuos...

Resposta Vif- e Nef-específica mediada por células T CD8+ em indivíduos HIV-1-positivos que espontaneamente controlam a replicação viral; CD8-mediated Vif- and Nef-specific responses in HIV-1-infected individuals who spontaneously control viral replication

Tarosso, Leandro Fagundes da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
65.94%
Indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana do tipo 1 (HIV-1) que controlam a replicação viral, mesmo na ausência de tratamento com drogas antirretrovirais, representam um exemplo de contenção bemsucedida do vírus. O entendimento das respostas imunes antivirais presentes nestes indivíduos pode auxiliar no delineamento de vacinas, particularmente no caso de estratégias vacinais desenvolvidas para induzir um fenótipo de controle da replicação viral e, assim, diminuir o ritmo da progressão à AIDS e/ou a taxa de transmissão para terceiros. A resposta imune celular contra HIV-1 é geralmente mapeada em ensaios de ELISPOT-IFN-γ empregando-se peptídeos pentadecâmeros sobrepostos por 11 aminoácidos sintetizados a partir de seqüências consensuais do vírus. Contudo, este método pode subestimar a detecção da real amplitude da resposta imune celular contra epitopos contidos na seqüência autóloga do vírus infectivo. Neste trabalho, foram comparadas respostas imunes celulares contra peptídeos 15-meros baseados nas seqüências de vif e nef do consenso do subtipo B do HIV-1 e respostas imunes contra peptídeos HLA-restritos de nove ou 10 aminoácidos baseados tanto nas seqüências de vif e nef do consenso do subtipo B do HIV-1...

Influência do polimorfismo do gene do CCR-5 na transmissão materno-infantil do HIV-1; The influence of polymorphism of the CCR-5 gene in the maternal-infant transmission of HIV-1

Agustoni, Camila de Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
A principal via de infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV-1) em crianças é a transmissão materno-infantil (TMI). Diversos fatores podem estar associados com a TMI do HIV-1. Acredita-se que indivíduos homozigotos para o alelo CCR5-?32 são resistentes à infecção pelo HIV-1. Considerando que ainda permanece controverso o papel dos mecanismos envolvidos, especificamente o de polimorfismos de genes associados à infecção do HIV-1, este estudo avalia a influência da deleção do gene CCR5 na TMI da infecção pelo HIV-1. Foram avaliadas 82 duplas de mães e filhos, sendo 56 duplas em que não ocorreu a TMI e 26 em que ocorreu a TMI do HIV-1. Na presente casuística, não detectamos diferenças significantes ao compararmos a presença da deleção do gene CCR5 na TMI, nas duplas de mãe e filhos, mas observamos que há uma predominância da presença da deleção nos filhos não infectados em comparação aos que foram verticalmente infectados. Relativo aos dados socio-demográficos, a utilização da terapia antirretroviral na gestação e parto foram significantemente associados com a proteção da TMI do HIV-1(p= 0,0001 e p= 0,014, respectivamente). Assim, a promoção de intervenções que reduzam a carga viral materna são fundamentais para a redução da TMI do HIV-1. Várias são as estratégias de prevenção da TMI...

Polimorfismo do HLA-G na transmissão materno-infantil do HIV-1; HLA-G polymorphism in mother-child transmission of HIV-1

Sanches, Roberta Seron
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.94%
A principal via de infecção pelo HIV-1 em crianças é a transmissão materno-infantil (TMI). Estimativas para taxas de TMI do HIV-1 são de 3% entre gestantes sob terapia antirretroviral e de 25 a 30% para as não tratadas. Apesar da exposição viral durante a gestação, a maioria dos recém-nascidos não são verticalmente infectados, o que sugere a existência de barreiras protetoras à TMI do HIV-1. Diversos fatores podem estar associados com a TMI do HIV-1. Polimorfismos genéticos são descritos em associação com a infecção pelo HIV-1, incluindo os dos antígenos leucocitários humanos (HLA). A molécula HLA-G tem sido implicada nas interações imunológicas materno-fetais e é expressa em células da placenta, especificamente nos citotrofoblastos extravilosos, que formam a camada responsável pela interface entre os tecidos fetais e maternos. Este estudo avaliou os polimorfismos de inserção e deleção de 14pb do HLA-G na TMI do HIV-1. Participaram do estudo, 86 duplas de mães e filhos, sendo 58 duplas de mãe-filho em que a TMI do HIV-1 não ocorreu e 28 duplas em que a TMI ocorreu. Os resultados mostraram maior frequência de genótipo deleção/deleção em mães pertencentes ao grupo TMI positiva...

Estudo da atividade e polimorfismos da Paraoxonase-1 em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana tipo-1 (HIV-1) tratados com inibidores de protease; Study of activity and polymorphisms of Paraoxonase-1 in individuals infected with human immunodeficiency vírus type-1 (HIV-1) treated with protease inhibitors

Cunha, Joel da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.94%
A enzima Paraoxonase-1 (PON1) possui atividades paraoxonase, arilestearase e lactonase, entre outras. É a mais estuda da família das PONs que é composta pela PON1, PON2 e PON3. Sugere-se, que todas atuam inibindo o processo de peroxidação lipídica de moléculas como a lipoproteína de baixa densidade (LDL) e alta densidade (HDL), caracterizando assim um possível papel anti-aterogênico. O gene da PON1 apresenta dois sítios polimórficos, com a troca de uma Gln192Arg (Q/R) e Met55Leu, que estão associados com diferenças na atividade e concentrações séricas da enzima. Por sua vez, indivíduos soropositivos para o HIV-1 apresentam alterações do metabolismo lipídico, que poderiam estar associados a alterações na atividade da PON1 e a terapia antirretroviral (TARV) com inibidores de protease (IP). O objetivo do estudo foi determinar as atividades séricas da PON1 e da arilestearase (ARE), e as freqüências alélicas dos polimorfismos genéticos da PON1 192QR e 55LM, e ainda, avaliar a correlação destes parâmetros com as alterações lipídicas em indivíduos soropositivos para o HIV-1 tratados com IP. No período de Setembro de 2009 até Junho de 2012, 174 indivíduos soropositivos e 46 soronegativos para o HIV-1 foram estudados. Foi realizada a genotipagem dos polimorfismos da PON1 192QR e 55LM através de PCR-RFLP. A atividade sérica da PON1/ARE foi avaliada por espectrofotometria empregando-se como substratos o paraoxon e o fenilacetato...

Expressão das moléculas HLA-E em tecidos placentários de mulheres infectadas ou não pelo HIV-1; HLA-E molecules expression in placental tissue of HIV-1 infected and non-infected women

Martinez, Juliana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2013 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
Na gestação, a expressão das moléculas HLA-E ocorre principalmente nos trofoblastos extravilosos da placenta e estão associados com a inibição do sistema imune resultando na imunotolerância ao feto. Esta inibição da resposta imunológica pode ser benéfica em condições fisiológicas como a gestação, mas prejudicial na vigência de tumores e infecções. Nessa condição, tem sido descrito que o HIV infecta células trofoblásticas e utiliza a molécula HLA-E como mecanismo de escape, aumentando sua expressão para inibir a atuação de células citotóxicas. Entretanto, apesar da continua exposição viral, o fato de a maioria dos recém-nascidos não serem verticalmente infectados sugere a existência de barreiras naturalmente protetoras que previnem a transmissão materno-infantil (TMI) do HIV. Frente à escassez de estudos avaliando as moléculas HLA-E na interação imunológica materno-fetal, mais especificamente na infecção do HIV-1, e à importância que este tema tem perante a prevenção da TMI, este projeto teve o objetivo de avaliar a expressão de HLA-E em tecidos placentários de mulheres infectadas ou não pelo HIV-1. Trata-se de um estudo transversal, ao qual foram submetidos ao processamento imunohistoquímico tecido placentário parafinado de 106 mulheres infectadas pelo HIV-1 e de 100 mulheres não infectadas. A expressão da molécula HLA-E foi analisada por um patologista e classificada qualitativamente como leve...

Perfil fenotípico e funcional de células Natural Killers induzido por ligantes de receptores Toll-like e células T CD8+ antígeno-específicas em indivíduos expostos e não infectados por HIV-1; Phenotypic and functional profile of Natural Killer cells induced by Toll-like receptors ligands and antigen-specific CD8+ T cells in HIV-1 exposed uninfected individuals

Lima, Josenilson Feitosa de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
Introdução: A resistência a infecção pelo HIV-1 depende de fatores virais, genéticos e imunológicos do hospedeiro, incluindo os componentes da resposta imune inata e adaptativa. As células Natural Killer (NK) e as células T CD8+ são as principais células efetoras que medeiam atividade citotóxica contra células transformadas ou infectadas, que exercem importante papel protetor nos indivíduos expostos e não infectados por HIV-1 (ENI). Objetivo: Avaliar a expressão de receptores de ativação e inibição/exaustão nas células NK e T CD8+, e a capacidade das células NK em secretar citocinas e componentes citotóxicos após estimulação via receptores Toll-like (TLRs), e a resposta de células T CD8+ a peptídeos da Gag do HIV-1 em indivíduos ENI e seus parceiros infectados por HIV-1. Resultados: No grupo ENI foi observado aumento da frequência de células NK CD56bright que expressam moléculas de ativação NKG2D e CD95 na população CD56dim, enquanto no grupo HIV-1 foi mais prevalente a expressão de MIC A/B em ambas populações de células NK, com redução da expressão de NKG2D na população CD56dim. Além disto, foi observado expansão da população de células NK CD56dim que expressam CD94, NKG2C e principalmente de CD57 foi mais prevalente nos indivíduos ENI...

Reconhecimento entre clados e efeito supressor induzido por vacinas de DNA codificando peptídeos conservados e promíscuos do grupo M do HIV-1; Cross-clade immunity and immunosuppressive effects of DNA vaccines encoding conserved and promiscuous HIV-1 M-group peptides

Almeida, Rafael Ribeiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
A busca por uma construção vacinal contra o HIV-1 é urgente. Os linfócitos T CD4+ têm assumido um papel de destaque no campo de vacinas por participar no controle da replicação do HIV-1, seja auxiliando as funções efetoras de linfócitos T CD8+ e a produção de anticorpos por linfócitos B ou mesmo agindo de forma citotóxica sobre macrófagos infectados. A utilização de sequências consenso do grupo M do HIV-1 é apontada como uma das maneiras de se contornar os problemas relacionados à diversidade viral. Além disso, é preciso construir vacinas que apresentem potencial de induzir respostas imunes com grande cobertura populacional. Com o intuito de induzir respostas amplas de linfócitos T CD4+ contra diversos subtipos do HIV-1 em uma população geneticamente diversa para moléculas HLA-DR, identificamos em nosso trabalho prévio 34 peptídeos promíscuos (previstos de se ligarem a múltiplas moléculas HLA-DR) e conservados da sequência consenso do grupo M do HIV-1. Desenvolvemos uma vacina de DNA codificando 7 peptídeos de Env (HIVenv7) e outra vacina (HIVBr27) codificando os demais 27 peptídeos. A vacina HIVBr27 foi imunogênica em camundongos BALB/c, induzindo uma resposta ampla e polifuncional de linfócitos T CD4+ e CD8+. A vacina HIVenv7 foi pouco imunogênica e mostrou-se capaz de suprimir a resposta induzida pela HIVBr27 em regime de co-imunização. No presente trabalho demonstramos que a imunização com HIVBr27 induz uma resposta imune celular mediada por linfócitos T CD4+ e CD8+ contra peptídeos de diferentes subtipos do HIV-1. Além disso...

Comparação entre BDNA e PCR na detecção da carga viral do HIV-1

Passos, Daniela Ferreira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
65.96%
Introdução: A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é caracterizada por uma disfunção grave no sistema imunológico causada por uma infecção por HIV (Human Immunodeficiency Virus). A quantificação da viremia (carga viral) é uma ferramenta muito útil no monitoramento dos pacientes infectados pelo HIV, sendo um marcador de progressão da doença e eficácia do tratamento. A estimativa incorreta da carga viral pode levar à decisão terapêutica equivocada, portanto métodos acurados de quantificação se fazem necessários. Diversas técnicas comerciais estão disponíveis para a quantificação da carga viral do HIV-1: a maioria destas se baseiam na detecção de ácidos nucléicos e outras na detecção de enzimas e antígenos. O grau de automação varia nas diferentes técnicas assim como os procedimentos de isolamento, amplificação e detecção. A correlação e a concordância entre estas técnicas têm sido estudadas e há relatos de discordância entre os valores de carga viral produzidos por diferentes métodos. O conhecimento sobre o efeito das variações entre as técnicas se faz necessário para assegurar a interpretação adequada dos resultados. A interpretação dos resultados correta é particularmente importante quando estes estão próximos a pontos de corte utilizados para definições de rebote viral e falha virológica. Objetivos: O objetivo deste estudo é comparar as técnicas de PCR (Cobas AmpliPrep TaqMan HIV-1 v2.0) e b-DNA (Siemens Versant HIV-1 RNA 3.0) para quantificação do HIV-1. Métodos: 1000 amostras recebidas no HIV/GUM Research Laboratory do Chelsea and Westminster Hospital para quantificação da carga viral do HIV-1 durante os meses de Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010 foram testadas pelos métodos de PCR (Cobas AmpliPrep TaqMan HIV-1 v2.0) e b-DNA (Siemens Versant HIV-1 RNA 3.0). Resultados: Uma superquantificação sistemática foi observada nos resultados testados por PCR. Esta superquantificação ficou evidente nos resultados entre 50 e 250 cópias. Uma concordância elevada foi observada na análise dos pontos de corte de 500 e 1000 copias/mL. Uma correlação linear forte foi observada entre estas técnicas na análise das amostras que obtiveram resultados dentro do limite comum de detecção de ambas as técnicas...

Analises moleculares do virus HIV-1 em candidatos a doadores de sangue de Pernambuco com testes sorologicos positivos e inconclusivos para o HIV-1; Molecular analysis of prospective blood donors from Pernambuco with positive serological tests and inconclusive for HIV-1

Emanuel Borges Vitor Anjos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
65.96%
A infecção pelo HIV está entre as principais causas de inaptidão definitiva para doação de sangue. A dinâmica natural da epidemia do HIV no Brasil levou-nos a avaliar os subtipos presentes do HIV-1 em doações de sangue com infecção pelo HIV. Doadores de sangue representam um amplo e melhor corte transversal da população do que em grupos selecionados de alto risco e, portanto, podem fornecer uma visão mais ampla das cepas circulantes do HIV-1 no Brasil. Os números de indivíduos infectados e a importância da infecção pelo HIV tornam esse vírus um importante problema de saúde pública no Brasil. O objetivo deste trabalho é estudar a epidemiologia molecular do HIV-1 em candidatos a doadores de sangue da Fundação Hemope (Pernambuco), a partir da confirmação da infecção pelo HIV-1 de doadores com status sorológico positivo ou indeterminados pela Reação em Cadeia da Polimerase (PCR). Também avaliar a co-infecção do HIV-1 com outros patógenos que são avaliados na triagem sorológica. Dos 328 doadores de sangue com sorologia positiva ou inconclusiva coletados, foram confirmados 46 (14,02%) como positivos para HIV. Destas 46 amostras, foi possível realizar a subtipagem do HIV-1 em 40 amostras, sendo 35 (87.50%) amostras do subtipo B...

Epidemiologia molecular do HIV-1, resistência aos antirretrovirais em gestantes e transmissão vertical no estado de Goiás; Molecular epidemiology of HIV-1, antiretroviral resistance among pregnant women and mother-to-child transmission in Goias, central Western, Brazil

ALCÂNTARA, Keila Correia de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Medicina Tropical; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Medicina Tropical; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
65.97%
Introduction: The spread of the aids epidemic among young women and HIV-1 mother-tochild transmission (MTCT) represent important public health issues. In this context, prenatal care represents a unique opportunity for the early diagnosis of young women and for the implementation of full preventive strategies to HIV-1MTCT. Objectives: To study immunological, virological, clinical and epidemiological characteristics and to identify factors associated with HIV-1MTCT among HIV-1 pregnant women/infants recruited in Goias State. Material and methods: Cohort 1: 41 pregnant HIV/AIDS: infant pairs (April/2000-August/2001) were recruited and prospectively followed up at two regional reference centers-Mother-Infant Hospital (HMI/SUS) and Hospital Dr. Anuar Auad (HAA/HDT/SUS). Cohort 2: 172 HIV/AIDS pregnant women and 149 exposed children were recruited at the Institute of diagnosis and prevention (IDP/APAE) and prospectively followed up at HAA/HDT/SUS. The following tests were performed: maternal viral load, CD4+ T cell counts, HIV-1env/gag subtypes by heteroduplex mobility assay/HMA (cohort 1) and pol (protease and reverse transcriptase-PR/RT) sequencing for resistance profile, subtypes identification and phylogeography analysis for subtype C (cohort 2). Infants born to HIV-1/aids mothers were evaluated by plasma viral RNA and CD4+ T cell counts. Seroreversion of exposed- uninfected children was followed by sequential ELISA tests for IgG anti HIV-1. Results: Patients from cohorts 1 and 2 presented similar social-demographic and clinical profiles. The median age was 26 years; 15-41 years)...

Caracterização Genotípica do HIV-1 em Pacientes dos Estados do Tocantins e Mato Grosso; Molecular Screening of HIV-1 Genetic Diversity Among Patients from Tocantins and Mato Grosso

VIEGAS, ângela Alves
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Medicina Tropical; Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Medicina Tropical; Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
65.96%
Introduction: There are limited HIV-1 genetic diversity studies performed in Central West and North Brazil subjects. Objectives: To characterize the HIV-1 genetic diversity in the gag region of patients from the States of Tocantins (TO) and Mato Grosso (MT). Material and Methods: 130 patients infected with HIV-1 were recruited from 2003 to 2006, at the regional Public Health Central Laboratories (LACEN) from TO (n=70) e MT (n=60). The HIV-1 genetic diversity in the gag region was investigated by heteroduplex mobility analysis HMA (HMA gag kits/AIDS Reagent Program/ NIH/ USA). For the gag region the Nested-PCR was performed employing the primers H1G777/ H1P02 and H1gag1584/ g17. HIV-1 subtypes references were amplified using the primers of Nested-PCR second round. HMA gag consists in the migration analysis of the hybrid formed by HIV-1 subtypes references and patient samples after polyacrylamide gel electrophoresis (5%). Results: Males were 60% of the study population in TO and 48,3% in MT. The median age was 34 years (21 l71 years) in TO and 35.5 years (4 64 years) in MT. The risk exposure categories of this study group were: sexual exposure (TO: 72.9%, MT: 93.3%), parenteral risk (TO: 4.3%, MT: 3.4%) and vertical case (MT: 1.4%). The HIV-1 subtypes identified by HMA gag were: B (TO: 82.8%...

Resistência natural ao T-20 em gestantes infectadas pelo HIV-1 do estado de Goiás; Natural resistance to T-20 among pregnant women infected with HIV-1 from central western Brazil

Reis, Mônica Nogueira da Guarda
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical e Saúde Publica (IPTSP); Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical e Saúde Publica (IPTSP); Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública - IPTSP (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
Among pregnant women infected with HIV-1, drug resistance mutations to antiretroviral drugs (ARV) represent a challenge for the prevention to HIV-1 mother-to child-transmission (MTCT) and for future maternal treatment options. The goal of this study was to assess the presence of mutations in gp41 associated with natural resistance to the fusion inhibitor T-20, polymorphisms and HIV-1 subtypes among pregnant women never treated with T-20 and under different exposure levels to other ARV. A total of 153 pregnant women infected with HIV-1 (ARV naive, under MTCT prophylaxis or under ARV treatment/HAART) was recruited from june/2008-june/2010. The env gene gp41 fragment of 766 bp (FP, HR1, HR2, TM regions) was amplified by “nested”-PCR from cDNA and sequenced among 110 patients (Big Dye Terminator Sequencing v. 3.1, Applied Biosystems, EUA; ABI Prism 3130). HIV-1 subtypes were assigned by REGA tool and by phylogenetic analyses (Neighbor-Joining, Kimura 2-P). T-20 resistance mutations were analyzed according to the IAS/USA, Stanford online HIV Drug Resistance Database and other sources. The median age of pregnant women (n=110) was 26 years (16-42 years), 16% were AIDS cases. The frequency of natural resistance (N42D, L44M and R46M) to T-20 was 5.4% (6/110). All resistance mutations were identified in HIV-1 subtype B isolates within the HR1 region of the gp41 fragment. The prevalence of compensatory mutations in HR2 region of gp41 was 20.9% (23/110): S138A (n=11)...

Epidemiologia molecular dos V?rus linfotr?pico de c?lulas T humanas 1 e 2 (HTLV-1 e HTLV-2) e do Herpesv?rus humano 8 (HHV-8) co-infectando portadores do V?rus da imunodefici?ncia humana 1 (HIV-1)

VILHENA, Regiane Siqueira de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
65.96%
Os HTLV-1/2 pertencem ? fam?lia Retroviridae, a qual inclui o HIV. O HHV-8 pertence ? fam?lia Herpesviridae. Os HTLV-1/2, o HHV-8 e o HIV apresentam as mesmas formas de transmiss?o, resultando em fatores comuns de risco e isso pode justificar a coinfec??o HIV/HTLV e HIV/HHV-8. O presente estudo teve como objetivo descrever a epidemiologia molecular das infec??es causadas pelos HTLV-1/2 e o HHV-8 em indiv?duos portadores do HIV-1 com ou sem SIDA/AIDS, da cidade de Bel?m, Par?. Das 520 amostras inclu?das no estudo, 515 foram testadas para a presen?a de anticorpos anti- HTLV-1/2 e 499 para a presen?a de anticorpos anti-HHV-8, pelo m?todo de ELISA. As amostras reativas para o HTLV e para o HHV-8 foram submetidas ? m?todos moleculares. A soropreval?ncia da co-infec??o HIV/HTLV foi de 2,3%, enquanto que da co-infec??o HIV/HHV-8 foi de 35,9%. Nove amostras do HTLV foram seq?enciadas e 1 classificada como HTLV-1 pertencente ao subtipo Cosmopolita, subgrupo Transcontinental e 3 como HTLV-2 do subtipo HTLV-2c, enquanto que a do HHV-8 agrupou-se ao subtipo B. Foi verificada a heterossexualiza??o, menor escolaridade e pauperiza??o entre os portadores do HIV-1 e n?o houve associa??o com fatores de risco. N?o houve associa??o da co-infec??o HIV/HTLV com fatores de risco e nem com a contagem de c?lulas CD4+ e CD8+ e Carga Viral do HIV-1. Houve associa??o da co-infec??o HIV/HHV-8 com a Carga Viral do HIV- 1. Ocorreu maior taxa da carga viral plasm?tica do HIV-1 no intervalo 1000|?100000 c?pias/mL no grupo dos co-infectados HIV/HHV-8.; ABSTRACT: The HTLV-1/2 belongs to the family Retroviridae...

Interactions between HIV, microorganisms and immune humoral factors in HIV-2 and HIV-1 infection

Marques, Joana Faria
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
Tese de doutoramento, Medicina Dentária (Biologia Oral), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Dentária, 2015; The present research project had the objective of determining the different interactions between host and bacteria in the oral cavity of untreated HIV-2 and HIV-1 infected subjects. More specifically, oral health patterns, salivary Th1/Th2 cytokine response, and oral bacterial diversity and quantitative presence of pathogenic species were evaluated. The first phase of this study involved the recruitment of 60 subjects divided in 3 study groups according to HIV status (HIV-1, HIV-2 and HIV negative) in a cross-sectional study. Clinical data focusing oral and systemic health and biological samples (saliva and plaque) were collected. To evaluate the role of the host in controlling HIV and other pathogens in the oral cavity, saliva samples were tested in vitro for their activity against HIV isolates and Th1 and Th2 cytokines were measured in these samples. Bacterial colonization in saliva and plaque samples was analyzed for diversity and relative quantitation of specific pathogenic species. The specific effect of bacteria in HIV replication was investigated. Finally, retrieved data was combined to investigate the presence of associations between variables. It was observed that...

HIV-1 Viral loas assays for resource-limited settings

Fiscus, Susan A.; Cheng, Ben; Crowe, Suzanne M.; Demeter, Lisa; Jennings, Cheryl; Miller, Veronica; Respess, Richard; Stevens, Wendy; Martínez Picado, Francisco Javier
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2006 Português
Relevância na Pesquisa
75.83%
Tremendous strides have been made in treating HIV-1 infection in industrialized countries. Combination therapy with antiretroviral (ARV) drugs suppresses virus replication, delays disease progression, and reduces mortality. In industrialized settings, plasma viral load assays are used in combination with CD4 cell counts to determine when to initiate therapy and when a regimen is failing. In addition, unlike serologic assays, these assays may be used to diagnose perinatal or acute HIV-1 infection. Unfortunately, the full benefits of antiretroviral drugs and monitoring tests have not yet reached the majority of HIV-1–infected patients who live in countries with limited resources. In this article we discuss existing data on the performance of alternative viral load assays that might be useful in resource-limited settings.

The Ontogeny of Mucosal and Systemic Antibody Responses to HIV-1 Infection

Trama, Ashley Mead
Fonte: Universidade Duke Publicador: Universidade Duke
Tipo: Dissertação
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
65.97%

The humoral immune system plays a critical role in the clearance of numerous pathogens. In the setting of HIV-1 infection, the virus infects, integrates its genome into the host's cells, replicates, and establishes a reservoir of virus-infected cells. The initial antibody response to HIV-1 infection is targeted to non-neutralizing epitopes on HIV-1 Env gp41, and when a neutralizing response does develop months after transmission, it is specific for the autologous founder virus and the virus escapes rapidly. After continuous waves of antibody mediated neutralization and viral escape, a small subset of infected individuals eventually develop broad and potent heterologous neutralizing antibodies years after infection. In this dissertation, I have studied the ontogeny of mucosal and systemic antibody responses to HIV-1 infection by means of three distinct aims: 1. Determine the origin of the initial antibody response to HIV-1 infection. 2. Characterize the role of restricted VH and VL gene segment usage in shaping the antibody response to HIV-1 infection. 3. Determine the role of persistence of B cell clonal lineages in shaping the mutation frequencies of HIV-1 reactive antibodies.

After the introduction (Chapter 1) and methods (Chapter 2)...

Alta prevalência e associação do subtipo não-B do vírus HIV-1 com risco específico de transmissão sexual entre pacientes virgens de tratamento antirretroviral em Porto Alegre, Brasil; High prevalence and association of HIV-1 non-B subtype with specific sexual transmission risk among antiretroviral naïve patients in Porto Alegre, RS, Brazil

Dias, Cláudia Fontoura; Nunes, Cynara Carvalho; Freitas, Isabela Osório; Lamego, Isabel Saraiva; Oliveira, Ilda Maria Rodrigues de; Gilli, Sabrina; Rodrigues, Rosângela; Brigido, Luis Fernando
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
No sul do Brasil a circulação de dois subtipos de HIV-1 com características diferentes representa importante cenário para o estudo do impacto da diversidade do HIV-1 na evolução da epidemia e na AIDS. O HIV-1 B, variante predominante nos países industrializados e o HIV-1 C, o subtipo mais prevalente em áreas com maiores taxas de crescimento da epidemia, estão implicados na maioria das infecções. Avaliamos amostras de sangue de 128 pacientes sem exposição a antirretrovirais, recrutados ao ingressarem no maior serviço ambulatorial de HIV/AIDS de Porto Alegre. Com base no sequenciamento parcial da região pol, o HIV-1 C foi observado em 29%, HIV-1 B em 22,6% e uma forma recombinante recentemente descrita, CRF31_BC, foi observada em 23,4% entre 128 voluntários. Outras variantes encontradas foram HIV-1 F em 10% e outros mosaicos em 5,5%. Para avaliar associações entre características sócio-comportamentais e subtipos do HIV-1 foram realizadas entrevistas e exames laboratoriais na entrada do estudo. Nossos dados sugerem uma epidemia estabelecida dessas três variantes principais, sem evidência de compartilhamento em nenhum subgrupo analisado. Entretanto, prática sexual anal se mostrou associada à transmissão de subtipo B...

Parâmetros de reatividade de amostras de soro com resultados indeterminados por Western blot para anticorpos contra HIV-1 e HTLV I/II em Córdoba, Argentina; Immunofluorescence assay reactivity patterns of serum samples presenting indeterminate Western blot results for antibodies to HIV-1 and HTLV-I/II in Cordoba, Argentina

GASTALDELLO, René; GALLEGO, Sandra; ISA, María Beatriz; MATURANO, Eduardo; SILEONI, Santos; NATES, Silvia; MEDEOT, Silvia
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2001 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
Amostras de soro sangüíneo (n: 110) de indivíduos de comportamento de risco e doadores de sangue da cidade de Córdoba, na Argentina, com perfis de reactividade para HIV-1 e HTLV-I/II indeterminada por Western blot (Wb), foram estudadas para anticorpos específicos contra HTLV-I/II e HIV-1 por meio do Ensaio de Imunofluorescência Indireta (IFI). Este estudo foi realizado para caracterizar as reações putativas com proteínas HIV-1 e HTLV-I/II e resolver o estado da infecção por retrovírus destes indivíduos. Os resultados mostram que os soros dos doadores sangüíneos que apresentam padrões indeterminados para HTLV-I/II e HIV-1 no Wb não são reagentes contra HTLV-I/II e HIV-1 por IFI. Mas, um alto índice de amostras de individuos com alto risco com resultado indeterminado no Wb para HIV-1 e HTLV-I/II apresentaram resultados positivos para HTLV-I/II e HIV-1 por IFI, respectivamente. Nosso estudo sugere que a reatividade indeterminada para HTLV-HIV na população de baixo risco deve-se a uma reação cruzada contra antígenos não virais; e que na população de alto risco as amostras indeterminadas apresentam reação cruzada entre as proteínas HIV-1 e HTLV-I/II no Wb. Estes resultados indicam que se faz preciso pesquisar a reatividade de HTLV-I/II nas amostras indeterminadas de HIV-1 e vice-versa...

Contagens de células T CD4+ na co-infecção HIV-1 e HTLV-1: alta prevalência da paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV-1; T CD4+ cells count among patients co-infected with human immunodeficiency virus type 1 (HIV-1) and human T-cell leukemia virus type 1 (HTLV-1): high prevalence of tropical spastic paraparesis/HTLV-1-associated myelopathy (TSP/HAM)

Casseb, Jorge; Posada-Vergara, Maria Paulina; Montanheiro, Patrícia; Fukumori, Lígia Maria Ichii; Olah, Ingrid; Smid, Jerusa; Duarte, Alberto José da Silva; Oliveira, Augusto Cesar Penalva de
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
65.95%
INTRODUÇÃO: A possibilidade que a co-infecção pelo vírus da leucemia de células T humana do tipo 1 (HTLV-1) em indivíduos infectados pelo vírus da imunodeficiência humana do tipo 1 poderia falsamente elevar o número de linfócitos T CD4+ no momento do evento definidor de aids, inferindo que essa contagem poderia ser um marcador laboratorial incompleto nos pacientes com a co-infecção HIV-1/HTLV-1. OBJETIVO: Estudar a interação entre o HIV-1 e a co-infecção como o HTLV-1. MATERIAL E MÉTODO: Desde 1997, nosso grupo tem seguido uma coorte de pacientes para estudar a interação entre HIV e/ou vírus da hepatite C (HCV), como também pacientes assintomáticos ou com TSP/HAM. 150 pacientes infectados pelo HTLV-1, encaminhados à clínica de HTLV do Instituto de Infectologia Emilio Ribas, São Paulo, Brasil, foram estudados. Vinte e sete deles estavam co-infectados pelo HIV-1 e HTLV-1, usando dois ELISAs e confirmados tipados pelo WB ou PCR. Todos os pacientes foram avaliados por dois neurologistas, cegos para o status de HTLV e o diagnóstico de TSP/HAM foi baseado na classificação da Organização Mundial de Saúde, 1988. A primeira contagem de células T disponível antes da terapia anti-retroviral foi mostrada para comparar com os pacientes infectados pelo HIV no momento do evento definidor de aids de acordo com Classificação do Centro de controle de Doenças...