Página 1 dos resultados de 513 itens digitais encontrados em 0.022 segundos

AGE INFLUENCE ON THE HEART RATE BEHAVIOR ON THE REST-EXERCICIO TRANSITION: AN ANALYSIS BY DELTAS AND LINEAR REGRESSION

Beltrame, Thomas; Karsten, Marlus; Traina Chacon-Mikahil, Mara Patrcia; Madruga, Vera Aparecida; da Silva, Ester; Borghi-Silva, Audrey; Gallo Junior, Lourenco; Catai, Aparecida Maria
Fonte: SOC BRASILEIRA MED ESPORTE; SAO PAULO SP Publicador: SOC BRASILEIRA MED ESPORTE; SAO PAULO SP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
75.86%
Background: Changes in heart rate during rest-exercise transition can be characterized by the application of mathematical calculations, such as deltas 0-10 and 0-30 seconds to infer on the parasympathetic nervous system and linear regression and delta applied to data range from 60 to 240 seconds to infer on the sympathetic nervous system. The objective of this study was to test the hypothesis that young and middle-aged subjects have different heart rate responses in exercise of moderate and intense intensity, with different mathematical calculations. Methods: Seven middle-aged men and ten young men apparently healthy were subject to constant load tests (intense and moderate) in cycle ergometer. The heart rate data were submitted to analysis of deltas (0-10, 0-30 and 60-240 seconds) and simple linear regression (60-240 seconds). The parameters obtained from simple linear regression analysis were: intercept and slope angle. We used the Shapiro-Wilk test to check the distribution of data and the "t" test for unpaired comparisons between groups. The level of statistical significance was 5%. Results: The value of the intercept and delta 0-10 seconds was lower in middle age in two loads tested and the inclination angle was lower in moderate exercise in middle age. Conclusion: The young subjects present greater magnitude of vagal withdrawal in the initial stage of the HR response during constant load exercise and higher speed of adjustment of sympathetic response in moderate exercise.

Comportamento da pressão arterial sistêmica e da frequência cardíaca durante a fase de dor da migrânea; Behaviour of blood pressure and heart rate during migraine headache.

Dach, Fabiola
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
65.77%
Objetivos: Avaliar o comportamento da pressão arterial (PA) e da frequência cardíaca (FC) durante a fase de dor da migrânea em pacientes sem hipertensão arterial sistêmica (HAS). Avaliar essas variáveis em função da intensidade de dor e se elas sofrem influência do uso agudo de ibuprofeno. Métodos: Dez pacientes (nove mulheres), entre 21 e 43 anos, com diagnóstico de migrânea foram selecionados. Todos tinham diagnóstico de migrânea sem aura e quatro deles também tinha diagnóstico de migrânea com aura. Eles apresentavam de 3 a 11 dias de dor por mês, não tinham qualquer outro problema de saúde e não estavam em tratamento profilático para migrânea. Além disso, não utilizavam medicamentos que pudessem interferir na PA ou FC. Os pacientes foram submetidos à anamnese e exame físico. Para descartar HAS, foram submetidos a medições convencionais da PA e Medidas Ambulatoriais da Pressão Arterial por 24h. A aquisição das medidas de PA e FC nos períodos livres de dor (interictal) foram realizadas por meio de Medidas Residenciais da Pressão Arterial (MRPA) por quatro a cinco dias consecutivos, com a obtenção de seis medidas ao dia. Para a aquisição das medidas de PA e FC no período de dor da migrânea (ictal)...

Ferramentas computacionais na análise da variabilidade da frequência cardíaca através do paradigma não extensivo no estudo de cardiopatias; Computational tools for heart rate variability analysis through non-extensive paradigm in heart diseases.

Silva, Luiz Eduardo Virgilio da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
65.89%
Este trabalho teve por objetivo construir e avaliar ferramentas de quantificação e análise da variabilidade da freqüência cardíaca segundo o paradigma não extensivo de Tsallis na modelagem do sistema de regulação da freqüência cardíaca, e na discriminação de situação de normalidade e cardiopatias e apoio ao diagnóstico de cardiopatias. O sistema de regulação da freqüência cardíaca é reconhecidamente não linear. Este estudo explora esta característica, quantificando a complexidade através de uma família de entropias condicionais não extensivas e outras medidas de avaliação usualmente utilizadas na análise da variabilidade cardíaca. Foram utilizados dados reais de 15 indivíduos saudáveis, 23 indivíduos chagásicos e 19 indivíduos hipertensos, além de dados simulados computacionalmente para uma avaliação controlada das ferramentas estatísticas estudadas. Durante a avaliação foram gerados dados substitutos (surrogate data) para os testes de validade e intensidade da hipótese de não linearidade das séries. Os resultados mostraram que o parâmetro q introduz uma forma diferente de quantificação da complexidade do sinal. Com o auxílio dos dados substitutos, foi possível identificar, para alguns sinais...

Análise da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) em cirurgias de exodontia de terceiros molares inferiores; Analysis of heart rate variability (HRV) in lower third molar surgeries

Prado, Renata Martins da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
Embora amplamente utilizados no monitoramento durante o tratamento odontológico, pesquisas questionam a sensibilidade de medidas como da Pressão Arterial e Frequência Cardíaca na detecção precoce de anormalidades cardiocirculatórias iniciais e, sobretudo, das respostas autonômicas ao estresse mental e às drogas administradas durante procedimentos cirúrgicos. A Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC), isto é, a variação do intervalo RR batimento-a-batimento, é reconhecida como uma sensível preditora de eventos cardiovasculares graves como arritmias, isquemia miocárdica e morte súbita, além de trazer informações sobre a atividade do sistema nervoso autônomo. O objetivo deste estudo foi avaliar a aplicabilidade da análise da VFC (obtida a partir da utilização de frequencímetro portátil) na mensuração de respostas fisiológicas durante cirurgias odontológicas. 33 pacientes, ASA 1, com indicação de extração de terceiros molares inferiores foram avaliados em 3 momentos: entrevista, cirurgia e pós-operatório, com intervalos de uma semana. Também foi avaliada a ansiedade ao tratamento odontológico e relato de evento traumático prévio. A VFC foi obtida após processamento dos intervalos RR registrados com o frequencímetro Polar RS800. Foram analisadas as variáveis do domínio tempo (SDNN e rMSSD) e frequência (razão LF/HF). Concomitantemente foram medidas Pressão Arterial Sistólica (PAS)...

Freqüência cardíaca em homens imersos em diferentes temperaturas de água; Heart rate frequency in immersed individuals over different water temperatures

Graef, Fabiane Inês; Tartaruga, Leonardo Alexandre Peyré; Alberton, Cristine Lima; Kruel, Luiz Fernando Martins
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
75.95%
O objetivo deste estudo foi analisar o comportamento da frequência cardíaca de indivíduos imersos na posição vertical, na profundidade entre apêndice xifóide e ombros, em três temperaturas de água (27, 30 e 33ºC). A amostra foi composta por 14 indivíduos do sexo masculino, praticantes de atividades aquáticas, na faixa etária de 18 a 35 anos. A frequência cardíaca foi verificada através de sensores de batimentos cardíacos da marca Polar, modelo Beat. O comportamento da frequência cardíaca foi determinado através das variações existentes entre a frequência cardíaca dos indivíduos na posição vertical fora de água e durante a imersão, em repouso. A análise dos dados foi feita utilizando-se estatística descritiva, análise de variância (ANOVA), com teste post-hoc de Bonferroni (p ≤ 0,05). Verificou-se que houve bradicardia durante a imersão, nas três temperaturas aquáticas. A bradicardia média na temperatura de 33ºC foi 17,85±10,67 bpm; em 30ºC, foi 24,14±11,16 bpm; em 27ºC, foi 33,75±11,27 bpm. As diferenças entre as médias mostraram-se estatisticamente significativas somente entre a temperatura de 27ºC e a temperatura de 33ºC. Conclui-se que, durante a imersão aquática em temperaturas variando entre 27 e 33ºC...

Influence of pursed-lip breathing on heart rate variability and cardiorespiratory parameters in subjects with chronic obstructive pulmonary disease (COPD)

Ramos, E. M. C.; Vanderlei, L. C. M.; Ramos, D.; Teixeira, L. M.; Pitta, F.; Veloso, M.
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 288-293
Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); OBJETIVOS: Avaliar os efeitos da respiração freno-labial (RFL), em repouso, sobre o comportamento da frequência cardíaca (FC) e sua variabilidade e variações na pressão arterial (PA), frequência respiratória (FR) e saturação parcial de oxigênio (SpO2) em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). MÉTODOS: Dezesseis pacientes com DPOC (7: estágio GOLD I, 3: estágio GOLD II e 6: estágio GOLD III; média de idade=64±11; média de VEF1=60±25% do predito) foram avaliados em repouso, na posição sentada, nas seguintes condições: 10 minutos respirando normalmente sem RFL (R1), 8 minutos com RFL (R2) e 10 minutos respirando novamente normalmente (R3). A FC foi registrada, batimento a batimento, por meio do frequencímetro Polar S810, e o índice RMSSD (raiz quadrada da média das diferenças entre intervalos RR sucessivos) foi determinado. PA, FR e SpO2 foram também avaliados durante o protocolo. ANOVA para medidas repetidas, seguida pelo teste de Tukey e teste de Kruskal-Wallis foram usados para análise dos dados, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: Ocorreu aumento significante no índice RMSSD durante R2 em comparação com R1. A variação na FC inspiração/expiração foi de 8...

Heart rate variability in healthy adolescents at rest

Vanderlei, Franciele Marques; Rossi, Renata Claudino; de Souza, Naiara Maria; de Sá, Denise Aparecida; Gonçalves, Tatiana Mangetti; Pastre, Carlos Marcelo; Abreu, Luiz Carlos de; Valenti, Vitor Engrácia; Vanderlei, Luiz Carlos Marques
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 173-178
Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
Objective: to describe the cardiac autonomic function in healthy adolescents between 13 and 18 years old. Methods: data from 93 adolescents, of both sexes, were analyzed; they were divided into three groups according to age. Group A 13-14 years old (n=26), Group B 15-16 years old (n = 30) and Group C 17-18 years old (n = 17). The protocol consisted of raising the heart rate, beat by beat for twenty minutes of rest in supine position with spontaneous breathing. The cardiac autonomic behavior analysis was performed by the method of heart rate variability (HRV) through the indices of the Poincaré plot (SD1, SD2 and ratio SD1/SD2) and its qualitative analysis and indices in linear time domain (RMSSD and SDNN) and frequency (LFnu, HFnu and LF/HF). One-way ANOVA test or Kruskal-Wallis test was used for comparison between groups, with a significance level of 5%. Results: there was no significant difference in none of the indices compared the three groups. In addition,visual analysis of Poincaré plot has observed for all age groups large dispersion of RR intervals, indicating that these groups have good HRV. Conclusion: there were no changes in HRV in the different age groups analyzed, however the result allowed to establish a standard for each group that was studied...

Respostas agudas da variabilidade da frequência cardíaca após sesão de exercício de força com restrição de fluxo sanguíneo = : Acute responses of heart rate variabiblity afer blood flow restriction resistance exercise; Acute responses of heart rate variabiblity afer blood flow restriction resistance exercise

Luciana Cristina de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
65.83%
A redução da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) está associada com o alto risco de eventos cardiovasculares, e também ao processo de envelhecimento e ao grau de sedentarismo. A prática regular de exercícios físicos, destacadamente os aeróbios, reflete em um aumento da VFC, decorrente da reduzida atividade simpática quase sempre acompanhada do aumento da atividade parassimpática sobre o coração, tanto em condições de repouso, como após sessão de treinamento. A prescrição do treinamento de força no envelhecimento tem sido prescrito por gerar ganhos de força e hipertrofia diminuindo o risco de lesões e quedas. Nesse sentido, o exercício resistido (RE) associado com uma restrição do fluxo sanguíneo (RE-BFR) tem sido utilizado por proporcionar ganhos de força ou hipertrofia muscular similar ao treinamento tradicional, fazendo uso de intensidades reduzidas de treinamento. Entretanto, pouco se sabe sobre as respostas autonômicas cardiovasculares agudas associadas a este tipo de treinamento. Objetivo: Desta forma, o presente estudo se propôs a comparar as respostas agudas da VFC após sessões de RE tradicional e RE-BFR, utilizando um ou dois exercícios em membros inferiores. Métodos: Quinze homens (47...

AGE INFLUENCE ON THE HEART RATE BEHAVIOR ON THE REST-EXERCICIO TRANSITION: AN ANALYSIS BY DELTAS AND LINEAR REGRESSION

Beltrame, Thomas; Karsten, Marlus; Traina Chacon-Mikahil, Mara Patrcia; Madruga, Vera Aparecida; da Silva, Ester; Borghi-Silva, Audrey; Gallo Junior, Lourenco; Catai, Aparecida Maria
Fonte: Soc Brasileira Med Esporte; Sao Paulo Publicador: Soc Brasileira Med Esporte; Sao Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
75.85%
Background: Changes in heart rate during rest-exercise transition can be characterized by the application of mathematical calculations, such as deltas 0-10 and 0-30 seconds to infer on the parasympathetic nervous system and linear regression and delta applied to data range from 60 to 240 seconds to infer on the sympathetic nervous system. The objective of this study was to test the hypothesis that young and middle-aged subjects have different heart rate responses in exercise of moderate and intense intensity, with different mathematical calculations. Methods: Seven middle-aged men and ten young men apparently healthy were subject to constant load tests (intense and moderate) in cycle ergometer. The heart rate data were submitted to analysis of deltas (0-10, 0-30 and 60-240 seconds) and simple linear regression (60-240 seconds). The parameters obtained from simple linear regression analysis were: intercept and slope angle. We used the Shapiro-Wilk test to check the distribution of data and the "t" test for unpaired comparisons between groups. The level of statistical significance was 5%. Results: The value of the intercept and delta 0-10 seconds was lower in middle age in two loads tested and the inclination angle was lower in moderate exercise in middle age. Conclusion: The young subjects present greater magnitude of vagal withdrawal in the initial stage of the HR response during constant load exercise and higher speed of adjustment of sympathetic response in moderate exercise.

Proposal Intensity Adequacy of Expiratory Effort and Heart Rate Behavior During the Valsalva Maneuver in Preadolescents

Paschoal,Mario Augusto; Donato,Bruno de Sousa; Neves,Flávia Baroni
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
75.77%
Background: When performing the Valsalva maneuver (VM), adults and preadolescents produce the same expiratory resistance values. Objective: To analyze heart rate (HR) in preadolescents performing VM, and propose a new method for selecting expiratory resistance. Method: The maximal expiratory pressure (MEP) was measured in 45 sedentary children aged 9-12 years who subsequently performed VM for 20 s using an expiratory pressure of 60%, 70%, or 80% of MEP. HR was measured before, during, and after VM. These procedures were repeated 30 days later, and the data collected in the sessions (E1, E2) were analyzed and compared in periods before, during (0-10 and 10-20 s), and after VM using nonparametric tests. Results: All 45 participants adequately performed VM in E1 and E2 at 60% of MEP. However, only 38 (84.4%) and 25 (55.5%) of the participants performed the maneuver at 70% and 80% of MEP, respectively. The HR delta measured during 0-10 s and 10-20 s significantly increased as the expiratory effort increased, indicating an effective cardiac autonomic response during VM. However, our findings suggest the VM should not be performed at these intensities. Conclusion: HR increased with all effort intensities tested during VM. However...

Influence of pursed-lip breathing on heart rate variability and cardiorespiratory parameters in subjects with chronic obstructive pulmonary disease (COPD)

Ramos,EMC; Vanderlei,LCM; Ramos,D; Teixeira,LM; Pitta,F; Veloso,M
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
OBJECTIVES: To assess the effects of pursed-lip breathing (PLB) at rest on the behavior of heart rate (HR) and its variability, and on variations in blood pressure (BP), respiratory rate (RR) and pulse oxygen saturation (SpO2) in subjects with chronic obstructive pulmonary disease (COPD). METHODS: Sixteen subjects with COPD (seven in GOLD stage I, three in GOLD stage II and six in GOLD stage III; mean age 64±11 years; mean FEV1 60±25% of predicted value) were assessed at rest, in a seated position, under the following conditions: ten minutes of normal breathing without PLB (R1), eight minutes with PLB (R2) and ten minutes of normal breathing once more (R3). HR was recorded, beat-to-beat, by means of a Polar S810 heart monitor. The RMSSD index (root mean square of the difference between successive R-R intervals) was determined. BP, RR and SpO2 were also assessed during the trials. ANOVA for repeated measures followed by the Tukey test and Kruskal-Wallis test were used for data analysis, with a 5% significance level. RESULTS: There was a significant increase in the RMSSD index during R2, in comparison with R1. The HR variation between inspiration and expiration was 8.98 bpm, and the variation between HR at rest and HR with PLB was 8.25 bpm. During R2...

The period between beta-blocker use and physical activity changes training heart rate behavior

Alves,Naiane Ferraz Bandeira; Porpino,Suênia Karla Pacheco; Silva,Alexandre Sérgio
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
75.81%
The Brazilian Society of Cardiology (SBC) proposes that hypertensive subjects who use beta-blockers and practice physical exercises must have their training heart rate (HR) corrected due to the negative chronotropic effect of this drug. Nevertheless, if the physical activity is performed outside of plasmatic half-life, correction may not be necessary. This study investigated the exercise chronotropic response both inside and outside the beta-blocker plasmatic half-life. Nine subjects in use of atenolol or propranolol, and six controls, carried out three walking sessions in three days according to different schedules: EX2 (two hours after drug administration, at the plasmatic peak); EX11 (eleven hours after drug administration, at the end of plasmatic half-life); and EX23 (twenty-three hours after drug administration, outside the plasmatic half-life. The walking sessions were performed on an ergometric treadmill and HR was monitored by a heart rate monitor. During the exercises, mean HRs were 97.2, 108.4 and 109 for EX2, EX11 and EX23, respectively, with the value for EX2 statistically lower than the others (p<0.05). There were no statistical differences in the control group (p>0.05). The study concludes that the attenuation of the positive chronotropic response which occurs during exercise in subjects using beta-blockers...

Heart rate variability in children with type 1 diabetes mellitus

Gardim, Camila Balsamo; Oliveira, Bruno Affonso Parenti de; Bernardo, Aline Fernanda Barbosa; Gomes, Rayana Loch; Pacagnelli, Francis Lopes; Lorençoni, Roselene Modolo Regueiro; Vanderlei, Luiz Carlos Marques
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 279-285
Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); OBJECTIVE: To gather current information about the effects of type 1 diabetes mellitus on children's cardiac autonomic behavior.DATA SOURCES:The search of articles was conducted on PubMed, Ibecs, Medline, Cochrane, Lilacs, SciELO and PEDro databases using the MeSH terms: autonomic nervous system, diabetes mellitus, child, type 1 diabetes mellitus, sympathetic nervous system and parasympathetic nervous system, and their respective versions in Portuguese (DeCS). Articles published from January 2003 to February 2013 that enrolled children with 9-12 years old with type 1 diabetes mellitus were included in the review.DATA SYNTHESIS:The electronic search resulted in four articles that approached the heart rate variability in children with type 1 diabetes mellitus, showing that, in general, these children present decreased global heart rate variability and vagal activity. The practice of physical activity promoted benefits for these individuals.CONCLUSIONS:Children with type 1 diabetes mellitus present changes on autonomic modulation...

Influence of anxiety on blood pressure and heart rate during dental treatment

Goulart,Jean Carlos Fernandes; Pinheiro,Matheus Dias; Rodrigues,Rodrigo Ventura; Santos,Fabiano de Sant'Ana dos; Martins,Alex Tadeu; Scannavino,Fábio Luiz Ferreira
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.88%
PURPOSE: To evaluate the influence of anxiety on blood pressure and heart rate during dental care in patients of the Dentistry Clinic in Rio Preto University Center - UNIRP, São José do Rio Preto, São Paulo, Brazil. METHODS: A sample of 60 volunteers who sought for the dental screening service was selected. We used a scale to evaluate the volunteers' anxiety level. Blood pressure and heart rate of patients were also checked in different periods of the dental treatment. RESULTS: Most of the volunteers were women. The relation between anxiety and pain before treatment, revealed that 54 (90.0%) had no pain. The patients had low anxiety towards the use of different anesthetic solutions used during dental procedures. There was no statistically significant difference concerning to systolic blood pressure at first and, after application of anesthetic, given the degree of anxiety. Heart rate does not change as a function of anxiety. There is a slight change in heart rate after anesthesia, and it soon gets back to normal. CONCLUSION: There was no difference in behavior of systolic and diastolic blood pressure in relation to the anxiety level and pain, measured before, during and after the procedure. Heart rate did not change during dental treatment in the patient anxiety level.

Importance of heart rate analysis in exercise tolerance test

Herdy,Artur Haddad; Fay,Carlos Eduardo Schio; Bornschein,Christian; Stein,Ricardo
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
85.88%
After many years away from the limelights, at the beginning of this century, exercise tolerance testing has earned back an important position in international medical journals. The different sorts of information derived from a variety of studies based on it have shown us that this propedeutic method has a highly valuable prognostic impact. Because of its low cost and easy applicability, the exercise testing reinforces its position in the clinical practice of the cardiologist. In the early 70's, research relating the influence of the autonomic nervous system in heart rate behavior in all phases of an exercise tolerance testing began. Ever since, a number of hypotheses tried to clarify which would be the mechanisms related to the chronotropic response during effort and its performance in the recovery period. In this updating article the authors deal with an important data referring to the chronotropic deficit and the abnormal heart rate recovery, commenting on the prognostic implication of keeping the focus on the potential of its clinical impact. In other words, approaches that can be used whenever there is someone performing a monitored exercise tolerance testing.

Heart rate variability in children with type 1 diabetes mellitus

Gardim,Camila Balsamo; Oliveira,Bruno Affonso P. de; Bernardo,Aline Fernanda B.; Gomes,Rayana Loch; Pacagnelli,Francis Lopes; Lorençoni,Roselene Modolo R.; Vanderlei,Luiz Carlos M.
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
OBJECTIVE: To gather current information about the effects of type 1 diabetes mellitus on children's cardiac autonomic behavior. DATA SOURCES: The search of articles was conducted on PubMed, Ibecs, Medline, Cochrane, Lilacs, SciELO and PEDro databases using the MeSH terms: "autonomic nervous system", "diabetes mellitus", "child", "type 1 diabetes mellitus", "sympathetic nervous system" and "parasympathetic nervous system", and their respective versions in Portuguese (DeCS). Articles published from January 2003 to February 2013 that enrolled children with 9-12 years old with type 1 diabetes mellitus were included in the review. DATA SYNTHESIS: The electronic search resulted in four articles that approached the heart rate variability in children with type 1 diabetes mellitus, showing that, in general, these children present decreased global heart rate variability and vagal activity. The practice of physical activity promoted benefits for these individuals. CONCLUSIONS: Children with type 1 diabetes mellitus present changes on autonomic modulation, indicating the need for early attention to avoid future complications in this group.

Heart rate variability in healthy adolescents at rest; Variabilidade da frequência cardíaca de adolescentes saudáveis em repouso

Vanderlei, Franciele Marques; Rossi, Renata Claudino; Souza, Naiara Maria de; Sá, Denise Aparecida de; Gonçalves, Tatiana Mangetti; Pastre, Carlos Marcelo; Abreu, Luiz Carlos de; Valenti, Vitor Engrácia; Vanderlei, Luiz Carlos Marques
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
OBJECTIVE: to describe the cardiac autonomic function in healthy adolescents between 13 and 18 years old. METHODS: data from 93 adolescents, of both sexes, were analyzed; they were divided into three groups according to age. Group A 13-14 years old (n=26), Group B 15-16 years old (n = 30) and Group C 17-18 years old (n = 17). The protocol consisted of raising the heart rate, beat by beat for twenty minutes of rest in supine position with spontaneous breathing. The cardiac autonomic behavior analysis was performed by the method of heart rate variability (HRV) through the indices of the Poincaré plot (SD1, SD2 and ratio SD1/SD2) and its qualitative analysis and indices in linear time domain (RMSSD and SDNN) and frequency (LFnu, HFnu and LF/HF). One-way ANOVA test or Kruskal-Wallis test was used for comparison between groups, with a significance level of 5%. RESULTS: there was no significant difference in none of the indices compared the three groups. In addition,visual analysis of Poincaré plot has observed for all age groups large dispersion of RR intervals, indicating that these groups have good HRV. CONCLUSION: there were no changes in HRV in the different age groups analyzed, however the result allowed to establish a standard for each group that was studied...

VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM CRIANÇAS OBESAS; HEART RATE VARIABILITY IN OBESE CHILDREN

Souza, Naiara Maria de; Rossi, Renata Claudino; Vanderlei, Franciele Marques; Vitor, Ana Laura Ricci; Bernardo, Aline Fernanda Barbosa; Gonçalves, Ana Clara Campagnolo Real; Ferreira, Lucas Lima; Vanderlei, Luiz Carlos Marques
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 07/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
65.81%
Introdução: nos últimos anos, diversos estudos analisaram o comportamento do sistema nervosoautônomo (SNA) frente à obesidade e utilizaram, para esta análise, a variabilidade da frequênciacardíaca (VFC). Embora descrito na literatura que adultos obesos apresentam disfunções do SNA, faltam informações referentes a crianças obesas e os achados existentes ainda são inconclusivos. Objetivo: reunir estudos que abordem a análise do SNA, por meio da VFC, em crianças obesas para melhor compreender a influência da obesidade sobre esse sistema nessa população e fornecer uma atualização dos achados publicados nos últimos onze anos referentes ao tema. Método: a busca dos artigos foi realizada nas bases de dados Pubmed, Ibecs, Medline, Scielo, Cochrane e Lilacs por meio dos seguintes descritores da área da saúde (DeCS): frequência cardíaca, sistema nervoso autônomo, obesidade, criança e sistema nervoso simpático e suas respectivas versões na língua inglesa (MeSH). Resultados: a busca resultou em 11 artigos, os quais demonstraram que, em geral, crianças obesas apresentam menor atividade do SNA parassimpático e os resultados são inconclusivos para a atividade simpática. Além disso, intervenções como dieta e atividade física podem melhorar a condição de atuação do SNA nessas crianças. Conclusão: crianças obesas apresentam modificações na atuação do SNA...

The period between beta-blocker use and physical activity changes training heart rate behavior

Alves, Naiane Ferraz Bandeira; Porpino, Suênia Karla Pacheco; Silva, Alexandre Sérgio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
75.81%
A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) propõe que os hipertensos que utilizam beta-bloqueadores e praticam exercícios físicos devem ter sua frequência cardíaca de treinamento (HR) corrigida devido ao efeito cronotrópico negativo desse fármaco. Contudo, se a atividade física é realizada fora da meia-vida plasmática do fármaco, a correção pode não ser necessária. Este estudo investigou a resposta cronotrópica ao exercício dentro e fora da meia-vida plasmática do beta-bloqueador. Nove indivíduos que usavam atenolol ou propranolol e seis controles, efetuaram três sessões de caminhada em três dias, de acordo com diferentes esquemas: EX2 (duas horas após a administração do fármaco, no pico plasmático); EX11 (11 horas após a administração do fármaco, no fim da meia-vida plasmática) e EX23 (23 horas após a administração do fármaco, fora da meia-vida plasmática). As caminhadas foram realizadas em esteira ergométrica e a HR foi monitorada por monitor de freqüência cardíaca. Durante os exercícios, as HR médias foram de 97,2, 108,4 e 109, para EX2, EX11 e EX23, respectivamente, com valor de EX2 estatisticamente mais baixo do que os outros (p;0,05). O estudo conclui que a atenuação da resposta cronotrópica positiva...

Identification of metabolic thresholds in fitted heart rate curve; Identificação de limiares metabólicos em curvas de freqüência cardíaca ajustadas

Costa, Vitor Pereira; Lima, Jorge Roberto Perrout de; De-Oliveira, Fernando Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Educação Física e Esporte
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2007 Português
Relevância na Pesquisa
65.84%
O objetivo deste estudo foi comparar os ajustes linear e sigmóide da freqüência cardíaca (FC) durante o exercício incremental e analisar a validade destes modelos para identificar os limiares de transição metabólica em exercício progressivo, a partir de pontos de mudança no ajuste não-linear de Boltzmann. Dez "mountain bikers" de alto rendimento (27,1 ± 7,4 anos; 67,0 ± 6,1 kg; 175,1 ± 4,1 cm; 6,1 ± 1,9 % de gordura) foram submetidos a teste progressivo no ciclo-simulador, com carga inicial de 100 W e incremento de 30 W a cada 3 min até a exaustão. A FC foi registrada batimento-a-batimento durante todo o teste. A curva da FC foi ajustada pela equação sigmóide de Boltzmann, com cálculo do Ponto de Inflexão da FC (PIFC = valor fixo V50 da equação) e Ponto de Deflexão da FC (PDFC = método Dmáx). No final de cada estágio, foi determinada a concentração sanguínea de lactato ([La]). O primeiro limiar de lactato (LL1) foi determinado através do cálculo do menor valor equivalente de lactato/carga. Para o segundo limiar (LL2), foi acrescido 1,5 mmol.l-1 ao menor valor deste equivalente. Em todos os atletas, o ajuste sigmóide da FC se apresentou mais adequado que o linear (p < 0,0001). O PIFC (161 ± 10 bpm) e PDFC (179 ± 5 bpm) foram identificados em oito e sete sujeitos...