Página 1 dos resultados de 957 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Alginate coated chitosan nanoparticles as adjuvant for mucosal vaccination with hepatitis B antigen; O uso de nanopartículas de quitosano, revestidas com alginato como adjuvante do antigénio da hepatite B na vacinação através das mucosas oral e nasal

Ribeiro, Olga Maria Fernandes Borges
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado Formato: aplication/PDF
Português
Relevância na Pesquisa
66.53%
A nova geração de vacinas são, na maioria dos casos, resultado dos rápidos avanços que se têm verificado nos últimos anos na área da biologia molecular e da imunologia, permitindo o uso da biotecnologia na produção de proteínas recombinantes com acção imunológica protectora. A vacina contra o vírus da hepatite B é disso o melhor exemplo. Esta vacina foi licenciada pela primeira vez em 1981, sendo nesta altura um produto derivado do plasma de portadores crónicos da hepatite B. Só mais tarde, em 1986, o mesmo antigénio, uma proteína de superfície do vírus da hepatite B, começou a ser produzido em sistemas de cultura celular. A vacina da hepatite B foi a primeira vacina recombinante a ser licenciada e a sua concepção tem servido de modelo ao desenvolvimento de novas vacinas, nomeadamente em doenças provocadas por vírus. Por outro lado, tem sido constatado pela comunidade científica que estas vacinas recombinantes são em geral antigénios fracos e por isso necessitam de ser administrados conjuntamente com substâncias que ampliem o seu efeito, os adjuvantes. Assim, paralelamente ao crescente desenvolvimento, que se tem verificado nos últimos anos, da tecnologia para o desenvolvimento e produção de novas vacinas...

A regressão da cirrose na Hepatite B

Pinto, Carla Sofia Madureira
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.5%
Introdução: O vírus da hepatite B é um Hepadnavirívus, com tropismo para os hepatócitos. Em todo o mundo, estima-se a existência de 2 mil milhões de pessoas infectadas com o vírus entre as quais 350 milhões padecem de hepatite B crónica. Por ano morrem aproximadamente 600.000 pessoas devido a hepatite B aguda ou crónica. A resposta imuno mediada decorrente da lesão mantida do vírus nos hepatócitos conduz à formação de fibrose. O esclarecimento dos mecanismos moleculares e celulares que regulam o balanço entre a formação dos constituintes da matriz extracelular e a sua degradação permitem a compreensão do processo da fibrogénese. Esta pressupõe acumulação de matriz extracelular, com alteração dos seus constituintes quer qualitativamente quer quantitativamente. A fibrólise, é o processo de degragação da matriz extra celular e está dependente da actuação de metaloproteases. O desequilíbrio destes processos resulta na acumulação ou diminuição da fibrose. A fibrose hepática é um processo dinâmico e reversível, mas cirrose, último estádio da fibrose, considerada por muitos autores irreversível, pode também regredir desde que se verifique, a remoção do estímulo fibrótico, o vírus, no caso da hepatite B. A morbilidade e a mortalidade na hepatite B crónica...

Estudo de títulos protetores para o vírus de hepatite B após esquema vacinal de três doses e "booster" em crianças com HIV; Study of protective titles for hepatitis B virus after a three-dose and booster vaccination schedule in HIV-infected children

Filgueira, Fabiana Ariston
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.48%
INTRODUÇÃO: A hepatite B é uma enfermidade para a qual não existe tratamento curativo efetivo e que pode determinar graves conseqüências, como o desenvolvimento de cirrose e carcinoma hepático. Segundo dados da OMS, mais de dois bilhões de pessoas estão infectadas pelo vírus da hepatite B e esta doença é responsável por 500.000 a um milhão de óbitos por ano, em todo o mundo. Em pacientes com infecção pelo HIV, é freqüente a co-infecção pelo vírus da hepatite B, pelo fato de serem vírus que compartilham modos semelhantes de transmissão. Em vista dessa problemática, a adequada imunização dos pacientes infectados pelo vírus HIV é fundamental para a prevenção da hepatite B. A recomendação atual do Ministério da Saúde para vacinação de crianças HIV-positivas é a realização do esquema de quatro doses (zero, um, seis e doze meses), com dose dupla. OBJETIVOS: Estudar a resposta sorológica ao booster com vacina da hepatite B em crianças HIV-positivas, previamente vacinadas com três doses duplas que não apresentaram títulos protetores. Estudar a associação dos níveis de CD4 e carga viral no momento do booster. Estudar a associação do intervalo de tempo entre a primovacinação e a primeira avaliação sorológica com a presença de títulos protetores...

Monitoramento do anticorpo anti-HBs em indivíduos renais crônicos vacinados contra hepatite B de um município do interior paulista; Monitoring of anti-HBs in individuals with chronic renal failure who were vaccinated against hepatitis B in a city in the interior of the state of São Paulo

Lopes, Leticia Pimenta
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.51%
A vacinação é o método mais importante, barato e eficaz que se tem para a prevenção da transmissão do vírus da hepatite B (VHB). A vacina é indicada para indivíduos renais crônicos devido ao risco acrescido para aquisição do VHB durante a hemodiálise e a transfusão de sangue ou derivados. É indicado que a vacina seja administrada o mais precocemente possível ao entrar no programa de diálise, enquanto os indivíduos são bons respondedores. Este estudo teve como objetivo avaliar o monitoramento do anticorpo anti-HBs vacinal contra a hepatite B em pacientes renais crônicos, que iniciaram hemodiálise no ano de 2005 e permaneceram em seguimento por até quatro anos, em Ribeirão Preto-SP. Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo, desenvolvido em quatro unidades de hemodiálise que atendiam indivíduos portadores de DRC na cidade de Ribeirão Preto. A fonte de informação foi composta pela revisão de prontuários de saúde e a população do estudo foi constituída por 102 indivíduos renais crônicos. Dos 102 (100%) participantes, 58,8% eram do sexo masculino e a faixa etária predominante foi <= 45 anos; 52,3% foram a óbito; 18,5% foram submetidos a transplante renal; 20% transferidos; e, em 9,2% dos casos...

Estudos sobre infecções pelos vírus da hepatite B (HBV), hepatite C (HCV), hepatite delta (HDV) e vírus GB-C (GBV-C) em diferentes regiões da América do Sul; Studies on viral infections by hepatitis B virus (HBV), hepatitis C virus (HCV), hepatitis delta virus (HDV) and GB virus C (GBV-C) in different regions of South America

Mora, Monica Viviana Alvarado
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.49%
As hepatites virais estão entre as mais importantes pandemias mundiais da atualidade. Existem várias causas de hepatite, entre elas, o vírus da hepatite B (HBV), o vírus da hepatite C (HCV) e o vírus da Hepatite Delta (HDV). Da mesma forma, o vírus GB-C (GBV-C) é importante na coinfecção com outros vírus, como o HIV. Nesse estudo, várias regiões da América do Sul foram analisadas. Na Colômbia, os estados do Amazonas e Magdalena foram encontradas como regiões hiperendêmicas para HBV. O genótipo F3 (75%) foi o mais prevalente. Determinou-se que o subgenótipo F3 é o mais antigo dos subgenótipos F. No estado de Chocó, encontrou-se o subgenótipo A1 (52,1%) como o mais prevalente. Surpreendentemente, nesse mesmo estado foram encontrados nove casos autóctones de infecção pelo genótipo E (39,1%). Para o HCV, em Bogotá, encontrou-se o subtipo 1b (82,8%) como o mais prevalente. Da mesma forma, estimou-se que esse subtipo foi introduzido por volta de 1950 e se propagou exponencialmente entre 1970 a 1990. O HDV foi identificado em casos de hepatite fulminante do estado de Amazonas, todos classificados como genótipo 3. Se determinou que o HDV/3 se espalhou exponencialmente a partir de 1950 a 1970 na América do Sul e depois desta época...

Vacinação de hepatite B intradermica em pacientes com falencia renal cronica : imunogenicidade e seguimento; Intradermal hepatite B vaccionation in patients with advanced chronic renal filure : immunogenicity and follow-up

Eliane de Oliveira Morais
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
66.47%
Pacientes renais crônicos (RC) em estágio terminal dialisados ou não apresentam menores taxas de soroconversão após vacina de hepatite B. O objetivo do estudo foi avaliar de forma prospectiva a imunogenicidade da vacina de hepatite B por via intradérmica (ID) em pacientes RC (fase dialítica e pré-dialítica) com idade maior ou igual a 18 anos, bem como o seguimento dos títulos de anticorpos por um período de 12 meses. Incluídos pacientes que nunca tinham sido vacinados para hepatite B(anti-Hbs

Prevalência dos marcadores sorológicos das hepatites B e C e avaliação da imunidade à hepatite B em adultos jovens da Região Metropolitana de Florianópolis em 2009

Passos, Ana Maria
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 137 p.| tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
66.47%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Florianópolis, 2010; Introdução: As hepatites B e C constituem um grave problema de saúde pública para muitos países. No Brasil, estatísticas indicam que existem dois milhões de portadores crônicos de hepatite B e entre três e quatro milhões de portadores crônicos de hepatite C. Todavia, a prevalência exata de tais infecções em alguns grupos populacionais permanece desconhecida. Objetivos: Estabelecer a prevalência dos marcadores sorológicos de infecção para os vírus das hepatites B e C e de imunidade para o vírus da hepatite B entre adultos jovens da Região Metropolitana de Florianópolis com idade entre 18 e 19 anos, conscritos da Base Aérea de Florianópolis em 2009. Metodologia: Estudo observacional transversal de base populacional com 371 indivíduos do gênero masculino, participantes do Alistamento Militar Obrigatório, de junho de 2009 e janeiro de 2010. Todos os indivíduos responderam a um questionário auto-administrado e as carteiras de vacinação disponíveis foram verificadas. Os marcadores sorológicos HBsAg, anti-HBc, anti-HBs e anti-HCV foram analisados por imunoenzaio enzimático por micropartículas (Abbott®...

Conhecimento dos obstetras sobre a transmissão vertical da hepatite B

Conceição,Joseni Santos da; Diniz-Santos,Daniel Rui; Ferreira,Cibele Dantas; Paes,Fernanda Nunes; Melo,Clotildes Nunes; Silva,Luciana Rodrigues
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.49%
CONTEXTO: A transmissão vertical é responsável por 35% a 40% dos novos casos de hepatite B no mundo e a infecção precoce pelo vírus da hepatite B aumenta o risco de evolução para a hepatite crônica, cirrose e carcinoma hepatocelular. OBJETIVO: Determinar o conhecimento dos obstetras sobre as práticas para o diagnóstico da infecção pelo vírus da hepatite B em gestantes e as condutas para a prevenção desta infecção em recém-nascidos de mães infectadas. MÉTODOS: Foram sorteados aleatoriamente profissionais de saúde cadastrados na Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia da Bahia, que foram convidados a responder um questionário anônimo com informações sobre sua formação acadêmica, o local de trabalho, o contato com estudantes e as suas práticas profissionais em relação ao vírus da hepatite B. Adotou-se como critério de exclusão o não exercício atual da obstetrícia e a não residência na Bahia. A análise dos dados foi feita através do programa estatístico Epiinfo e para análise das correlações foi adotado intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: Foram entrevistados 301 obstetras, dos quais 90,3% reconheciam a transmissibilidade vertical do vírus da hepatite B e 81,7% solicitavam algum exame para detecção de hepatite B durante o pré-natal de suas pacientes. Sessenta e seis por cento dos médicos entrevistados referiram o AgHBs como o marcador sorológico mais adequado para avaliar a presença de infecção pelo VHB. Apenas 13...

Soroepidemiologia para o virus da hepatite B (VHB) em gestantes/parturientes e sua transmissão para recém-nascidos em Goiânia, GO

Cardoso,Divina das Dores P.; Faria,Edson Luis de; Azevedo,Marli S. Pereira de; Queiroz,Divina Aparecida O.; Martins,Regina Maria B.; Souza,Terezinha Teixeira de; Daher,Roberto Ruhman; Martelli,Celina Maria Turchi
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1996 Português
Relevância na Pesquisa
76.36%
Foram coletadas, entre março de 1990 e julho de 1992, 1459 amostras sanguíneas de mulheres gestantes/parturientes na cidade de Goiânia-GO, objetivando detecção da infecção pelo vírus da hepatite B (VHB), através dos marcadores sorológicos AgHBs e anti-HBs. O percentual depositividade encontrado, pelo teste imunoenzimãtico, foi de 7,5%, sendo 0,5%para AgHBs e 7,0%para anti-HBs. A análise efetuada, considerando a faixa etária, mostra que 7 de 8 mulheres AgHBs-positivas pertenciam à faixa etária de até 30 anos, situação semelhante em relação ao anti-HBs(83/101). Das 8 mulheres positivas, 4 tiveram seus recém-nascidos submetidos a tratamento profilático com vacina (Engerix B) e imunoglobulina humana anti-hepatite B (HBIG). Além disso, 3 dessas crianças foram analisadas sorologicamente, sendo que uma era AgHBs-positiva ao nascimento. Doença sexualmente transmissível e transfusão sanguínea foram fatores de risco que coirelacionaram significantemente com a infecção. Esses resultados parece-nos reforçar a indicação de triagem à infecção pelo vírus da hepatite B no período pré-natal, assim como a adoção de medidas imunoprofiláticas nas crianças nascidas de mães positivas.

Hepatite crônica B oculta: prevalência e aspectos clínicos em população de elevada endemicidade de infecção pelo vírus da hepatite B na Amazônia Ocidental Brasileira

Barros Júnior,Gildo Maia; Braga,Wornei Silva Miranda; Oliveira,Cintia Mara Costa de; Castilho,Márcia da Costa; Araújo,José de Ribamar
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.49%
Recentemente é descrito estado de persistência do vírus da hepatite B denominado hepatite crônica B oculta. Sua prevalência e fisiopatologia são desconhecidas. O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência dessa entidade clínica em pacientes da Amazônia brasileira. De 51 pacientes anti-HBc total reativos testados pela reação em cadeia da polimerase, 17% foram positivos. Não observamos associação com fatores de risco clássicos de infecção pelo vírus da hepatite B, testes bioquímicos, hematológicos e histopatologia. No entanto, os pacientes ictéricos e reativos para o anti-HIV apresentaram associação com a presença do ADN-vírus da hepatite B. Os resultados demonstram a ocorrência da hepatite crônica B oculta, entre nossos doentes, porém, com taxas de prevalência abaixo do esperado para a região. Acreditamos que, apesar do tamanho da amostra avaliada ser pequeno, sua ocorrência poderia ter sido maior se empregássemos primers para a região S, C e X do genoma do vírus da hepatite B, aumentando a sensibilidade do teste.

Infecção pelo vírus da hepatite B em hemofílicos em Goiás: soroprevalência, fatores de risco associados e resposta vacinal

Tavares,Renato S.; Barbosa,Adriana P.; Teles,Sheila A.; Carneiro,Megmar A. S.; Lopes,Carmen L. R.; Silva,Simonne A.; Yoshida,Clara F. T.; Martins,Regina M. B.
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 Português
Relevância na Pesquisa
76.39%
Objetivando determinar a prevalência da infecção pelo vírus da hepatite B (HBV) em hemofílicos em Goiás, analisar os fatores de risco associados e avaliar a resposta vacinal contra hepatite B, 102 pacientes foram entrevistados e amostras sangüíneas coletadas para detecção dos seguintes marcadores sorológicos: HBsAg, anti-HBs e anti-HBc. Uma prevalência global de 43,7% (IC 95%: 33,5-54,2) para infecção pelo HBV foi encontrada. A análise multivariada dos fatores de risco mostrou que o número de episódios transfusionais e sorologia positiva para o vírus da hepatite C estiveram significantemente associados à positividade ao HBV. Foram identificados 49 (48,1%) hemofílicos susceptíveis a esta infecção, sendo imunizados 30 pacientes com a vacina recombinante Euvax-B. Destes, 28 (93,3%) indivíduos apresentaram títulos de anti-HBs maiores que 10 UI/L, o que mostra uma boa resposta à vacina. Os achados deste estudo ressaltam a importância das medidas de controle e prevenção da hepatite B nesta população.

Pacientes coinfectados com HIV e Hepatite B e /ou C : aspectos clínicos, epidemiológicos, subtipagem do HIV-1 e impacto na evolução clínica para a Aids

Beloto, Nayara Carvalho Polido
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 123f. : il. algumas color., tabs., grafs.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.47%
Orientadora: Drª. Sonia Mara Raboni; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna. Defesa : Curitiba, 11/06/2014; Inclui referências; Área de concentração: Doenças infecciosas; Resumo: A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) é um processo crônico caracterizado pela replicação viral contínua no hospedeiro. A alta taxa de replicação e elevado tamanho da população viral resulta subpopulações de vírus no mesmo indivíduo infectado denominado de quasispecies. O HIV-1, o vírus da hepatite B (HBV) e a hepatite C (HCV) podem ser diagnosticados em um mesmo paciente, pois compartilham rotas similares de transmissão, induzindo um pior prognóstico, e conduzindo a uma rápida evolução da infecção pelos vírus HBV e HCV. Apesar do seu impacto na qualidade de vida dos pacientes HIV positivo, informações sobre a coinfecção do HIV e hepatite virais no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná são escassas. Este estudo descreveu as características demográficas, o perfil clínico e caracterização do HIV-1 de pacientes coinfectados com HIV e hepatites B ou C. Realizou-se estudo transversal com 93 pacientes HIV positivos nos ambulatórios de referência do HC-UFPR no período de março de 2011 a março de 2013. Dados clínicos...

Epidemiologia da infecção pelo vírus da hepatite b em assentados em Goiás: subsídios para ações de prevenção e controle em populações emergentes; Epidemiology of infection by hepatitis B virus in settlments in Goiás: grants for prevention and control in emerging populations

Caetano, Karlla Antonieta Amorim
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.47%
Estimates indicate a total of 240 million chronic hepatitis B carriers worldwide. In Brazil, rural settlements present adverse life conditions that favor the acquisition of health problems, such as the hepatitis B virus (HBV). The objective of the present study was to investigate the epidemiology of the infections caused by the hepatitis B and D viruses in people living in settlements in the southwest region of the state of Goiás. This is an observational, analytical, cross-sectional study, with a subsequent cohort of susceptible subjects for vaccination against HBV, assessment of adherence and vaccine response. In the period from May to July of 2011, 467 subjects were selected from seven settlements in the southwest of Goiás. All subjects were interviewed and tested for the detection of the serological markers HBsAg, anti-HBc and anti-HBs, by means of the enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA). Reactive HBsAg samples were tested for total anti-HDV and IgM, by means of the ELISA, submitted to the detection of the HBV DNA by semi-nested PCR and genotyped by sequencing. Chemiluminescent microparticle immunoassay was used for the quantitative determination of anti-HBs. The research proposal was approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of Goiás. Of the total sample...

Vacinação contra hepatite B em mulheres profissionais do sexo: um desafio para os profissionais de saúde; Hepatitis B vaccination in women sex workers: a challenge for health professionals

Moraes, Luciene Carneiro
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.51%
Hepatitis B virus (HBV) infection is geographically distributed in the world and considered and of the most important public health risk. Female sex workers (FSW) are at high risk for HBV infection, and vaccination is the most effective strategy to prevent it. In Brazil, this vaccine is offered to all individuals under 25 years old and groups at high risk for hepatitis B, such as sex workers. This investigation aimed to evaluate the status of immunization, analyze predictor factors, compliance with and response to hepatitis B vaccine using two schemes: standard - G1 (0, 1, 6 months) and accelerated - G2 (0, 1 and 4 months). A total of 319 women was investigated and offered the hepatitis B vaccine. We identified 187 (58.6%) FSWs susceptible for hepatitis B, 170 of them received the first vaccine dose, and 84 were randomized to receive the G1 scheme, and 86 the G2 one. The second dose was administered according the proposed schemes in only 17 and 28 women in G1 and G2, respectively. Fifty-two women were rescued and received the second dose of the vaccine, regardless of the dosing interval, this group was designated GR. The third dose was administered in 6, 11 and 51 women of G1, G2 and GR, respectively. In only 60 women...

Epidemiologia da Infecção pelo Vírus da Hepatite B em Assentamento Rural em Mato Grosso do Sul, Brasil Central; Epidemiology of infection by hepatitis B virus in rural settlement in Mato Grosso do Sul, Brazil Central

Rodrigues, Fabiana Perez
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.52%
Hepatitis B virus (HBV) infection has been responsible for the largest number of chronic hepatitis illness throughout the world as well as its sequelae: cirrhosis and hepatocellular carcinoma. In Brazil, a low endemic country for hepatitis B, the most of the information on this infection has been limited to urban populations. Data about hepatitis B epidemiology in rural settlement are rare. Thus, the aim of this study was to investigate the epidemiological profile of hepatitis B virus infection in individuals living in a rural settlement (Itamarati I) from Mato Grosso do Sul, Brazil. Initially a cross-sectional study was carried out. Then HBV susceptible individuals were vaccinated against HBV and their vaccine response were evaluated. Participants were recruited following a random selection of their families. All family member aged ≥ 2 years who agreed to take part into the study was recruited by signing an Informed Consent Form. Then, 10-ml-blood sample was taken for detecting HBV markers: HBsAg, anti-HBs and total anti-HBc by using commercial kits. HBsAg positive samples were retested for HBeAg and anti-Hbe markers. Hepatitis B vaccine was offered to all individuals who were identified as susceptible to infection...

Prevalência da infecção pelo vírus da hepatite B e situação vacinal em usuários de crack institucionalizados em Goiânia – Goiás; Prevalence of hepatitis B virus infection and situtation vaccine in users of crack institutionalized in Goiania-Goiás

Silva, Leandro Nascimento da
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.5%
Crack is considered a public health problem in Brazil and in the world because of its impact on social relationships, physical and mental integrity of the user, and the risk associated with infections, such as those caused by the hepatitis B virus (HBV). This study investigated the epidemiology of infection with the hepatitis B virus and immunization status among users of crack institutionalized in Goiania, Brazil. During August 2012 to April 2013, a total of 600 individuals were interviewed, and blood samples collected for the detection of serological markers of HBV (HBsAg, total anti HBc and anti-HBs) by enzyme-linked immune sorbent assay (ELISA). Subsequently a cohort of individuals susceptible to hepatitis B was formed to assess compliance, completion of the vaccination series, and vaccine response against hepatitis B, using an accelerated scheme. Prior exposure to HBV (anti-HBc) was 7.0% (95% CI: 5.22 to 9.32), and 17.7% (95% CI: 14.8 to 20.9) were anti -HBs isolated, suggesting previous vaccination against hepatitis B. The use of crack cocaine through improvised pipes, history of sexually transmitted disease, and exchanging sex for drugs or money were significantly associated with exposure to HBV (p < 0.05). Of the total of individuals who received the first dose of hepatitis B vaccine and eligible to complete the full vaccine scheme (n = 406)...

Infecção pelo vírus da Hepatite B em mulheres profissionais do sexo em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Mousquer, Gina Jonasson
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.48%
A hepatite B é uma das mais comuns e graves doenças infecciosas, constituindo um importante problema de saúde pública mundial. Multiplicidade de parceiros, uso ocasional de preservativos e coinfecção com outras doenças sexualmente transmissíveis constituem importantes fatores associados ao risco de infecção pelo vírus da hepatite B (HBV) entre as mulheres profissionais do sexo. Este estudo teve como objetivo estimar a prevalência da infecção pelo HBV e identificar comportamentos de risco para essa infecção em mulheres profissionais do sexo em Campo Grande, MS, entre novembro de 2009 a dezembro de 2010. Para seleção da amostra foi utilizada a técnica Respondent-Driven Sampling (RDS). As 402 participantes foram submetidas à entrevista e coleta de amostras sanguíneas para detecção dos marcadores sorológicos HBsAg, anti-HBs e anti-HBc total utilizando imunoensaio enzimático (ELISA). Além disso, foi administrada a vacina contra a hepatite B utilizando os esquemas acelerado (0, 1 e 2 meses) ou convencional (0, 1 e 6 meses). A idade mediana das participantes investigadas foi de 25 anos, a maioria tinha 5 a 9 anos de estudo (54,5%) e não possuía parceiro fixo (86,2%). O consumo de álcool foi relatado por 88,5% das profissionais do sexo e 68...

Soroepidemiologia da infec??o pelo V?rus da hepatite B (VHB) e pelo V?rus da hepatite C (VHC) em cirurgi?es-dentistas da cidade de Bel?m, Par?

COSTA, Ana C?ssia Reis da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.49%
As hepatites virais representam um importante problema de sa?de p?blica no Brasil e no mundo. A hepatite B e a hepatite C s?o as de principal interesse para os profissionais da ?rea de sa?de em fun??o do modo de transmiss?o e da possibilidade de aquisi??o ocupacional. O presente trabalho teve por principal objetivo verificar a soropreval?ncia da infec??o pelo V?rus da Hepatite B (VHB) e pelo V?rus da Hepatite C (VHC) em cirurgi?es-dentistas e relacion?-la com os fatores de risco. Participaram do estudo 97 cirurgi?es-dentistas, sendo 39 do g?nero masculino e 58 do g?nero feminino, no per?odo de junho a dezembro de 2005, que atuam no munic?pio de Bel?m, Par?, Brasil. Os dados epidemiol?gicos foram obtidos por meio de inqu?ritos e os sorol?gicos por um ensaio imunoenzim?tico para a pesquisa de ant?geno e anticorpo tanto para o VHB quanto para o VHC. O teste de Tend?ncia foi utilizado para a an?lise estat?stica dos resultados. A preval?ncia do VHB foi de 6,2%, enquanto do VHC foi de 3,1% entre a popula??o estudada. Das amostras sororreativas para os marcadores da hepatite B, a preval?ncia foi de 1,03% (1/97) para o anti-HBc total, 5,16% (5/97) para a presen?a simult?nea do anti-HBc total e anti-HBs e 54,61% (53/97) para o anti-HBs. Quando comparado ao encontrado na popula??o de doadores de sangue no Estado do Par? a preval?ncia do VHC na popula??o estudada foi significativamente maior...

Soroprevalência de hepatite B e hepatite C em Monte Negro, Rondônia, Região Amazônica Ocidental Brasileira; Seroprevalence of hepatitis B virus and hepatitis C virus in Monte Negro in the Brazilian western Amazon region

El Khouri, Marcelo; Duarte, Leandro Savoy; Ribeiro, Rafael Bernadon; Silva, Luis Fernando Ferraz da; Camargo, Luis Marcelo Aranha; Santos, Vera Aparecida dos; Burattini, Marcelo Nascimento; Corbett, Carlos Eduardo Pereira
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2005 Português
Relevância na Pesquisa
66.53%
OBJETIVOS: O presente estudo foi realizado em Monte Negro, Rondônia, Amazônia Oriental, onde um projeto de acadêmicos de Medicina da Universidade de São Paulo promoveu assistência médica à população rural. O objetivo foi determinar a soroprevalência de Hepatite B e Hepatite C, investigar os fatores de risco para sua infecção e avaliar o status imunológico vacinal contra Hepatite B nesta região. MÉTODOS: O estudo é uma pesquisa de corte transversal de soroprevalência, compreendendo 267 voluntários que tiveram suas amostras sanguíneas coletadas após preenchimento de um questionário. As amostras foram analisadas em São Paulo usando kits comerciais pesquisando anticorpos contra Hepatite B (AgHBs, Anti-HBs e Anti-HBc) e Hepatite C . Um banco de dados montado através do questionário foi analisado em relação aos resultados sorológicos com testes uni-, bi-, e multivariado, considerando ± = 5%. RESULTADOS: A soroprevalência do VHB encontrada foi de 61.79% e do Hepatite C, 0.38%. A análise dos possíveis fatores de risco mostrou que a prevalência de Hepatite B aumenta com a idade, especialmente após a adolescência, além de ser maior em aqueles nascidos em Rondônia. A exposição à vacinação contra Hepatite B foi maior em indivíduos jovens e aqueles nascidos em Rondônia. CONCLUSÃO: Monte Negro é uma região altamente endêmica para Hepatite B ...

Panorama da hepatite B no Brasil e no Estado de Santa Catarina

Chávez,Juliana Helena; Campana,Sabrina Gonçalves; Haas,Patrícia
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 Português
Relevância na Pesquisa
66.49%
OBJETIVO: Traçar um panorama da infecção por hepatite B no Brasil, na Região Sul e no Estado de Santa Catarina para o período de 1996 a 2002, considerando aspectos epidemiológicos como faixa etária. FONTE DOS DADOS:Os dados foram obtidos a partir de levantamento bibliográfico e consulta à Secretaria de Vigilância Epidemiológica do Estado de Santa Catarina e à Fundação Nacional de Saúde (FUNASA). RESULTADOS: No Brasil, de 1996 a 2000, a hepatite B foi o segundo tipo de hepatite viral mais prevalente (25%), tendo sido a hepatite A líder em casos (43%). Em Santa Catarina houve predomínio de hepatite B em relação às outras hepatites de 1997 a 2001. O sexo mais atingido pela hepatite B foi o masculino e a maior incidência de hepatite B foi observada na faixa etária dos 20 aos 49 anos para Santa Catarina e acima dos 30 anos para o Brasil. O Sul foi a região brasileira que apresentou a maior incidência de hepatite B no período de 1997 a 1999. Em Santa Catarina, o maior número de casos entre 1996 e 2002 ocorreu na macrorregião sul, seguida das macrorregiões nordeste e extremo oeste. CONCLUSÕES: Ainda é crescente o número de casos de hepatite B no Brasil e deve-se considerar que a subnotificação pode afetar os números apresentados. Em todo o Brasil...