Página 1 dos resultados de 202 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Tratamento farmacológico da hiperalgesia experimentalmente induzida pelo núcleo pulposo; Pharmacologic treatment of hyperalgesia experimentally induced by nucleus pulposus

GRAVA, André Luiz de Souza; FERRARI, Luiz Fernando; PARADA, Carlos Amílcar; DEFINO, Helton Luiz Aparecido
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
38%
OBJETIVO: Avaliar o efeito de drogas anti-inflamatórias (dexametasona, indometacina, atenolol, indometacina e atenolol) e analgésica (morfina) sobre a hiperalgesia experimentalmente induzida pelo núcleo pulposo em contato com o gânglio da raiz dorsal de L5. MÉTODOS: Trinta ratos Wistar machos com peso de 220 a 250g foram utilizados no estudo. A indução da hiperalgesia foi realizada por meio do contato de fragmento de núcleo pulposo retirado da região sacrococcígea e colocado sobre o gânglio da raiz dorsal de L5. Os 30 animais foram divididos em grupos experimentais de acordo com a droga utilizada. As drogas foram administradas durante duas semanas a partir da realização do procedimento cirúrgico para a indução da hiperalgesia. A hiperalgesia mecânica e térmica foram avaliadas por meio do teste da pressão constante da pata, von Frey eletrônico e Hargraves por um período de sete semanas. RESULTADOS: A maior redução da hiperalgesia foi observada no grupo de animais tratados pela morfina, seguido pela dexametasona, indometacina e atenolol. A redução da hiperalgesia foi observada após a interrupção da administração das drogas, com exceção do grupo de animais tratados com morfina, nos quais ocorreu aumento da hiperalgesia após a interrupção do tratamento. CONCLUSÕES: A hiperalgesia induzida pelo contato do núcleo pulposo com o gânglio da raiz dorsal pode ser reduzida com a administração de anti-inflamatórios e analgésicos...

Avaliação da hiperalgesia e alterações histológicas do gânglio da raiz dorsal induzidas pelo núcleo pulposo; Evaluation of hyperalgesia and histological changes of dorsal root ganglion induced by nucleus pulposus

GRAVA, André Luiz de Souza; FERRARI, Luiz Fernando; PARADA, Carlos Amílcar; DEFINO, Helton Luiz Aparecido
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.84%
OBJETIVO: Avaliar a hiperalgesia e as alterações histológicas induzidas pelo contato do gânglio da raiz dorsal com o núcleo pulposo. MÉTODOS: Foram utilizados 20 ratos Wistar, divididos em dois grupos experimentais. Em um dos grupos um fragmento do NP autólogo retirado da região sacrococcígea foi colocado sobre os gânglios da raiz dorsal de L5, e no outro grupo (controle) um fragmento de tecido adiposo foi colocado sobre o gânglio da raiz dorsal de L5. A hiperalgesia mecânica e térmica foi avaliada no terceiro dia, na primeira, terceira, quinta e sétima semanas de pós-operatório. O gânglio da raiz dorsal de L5 foi retirado na primeira, terceira, quinta e sétima semanas de pós-operatório para estudo histológico por meio da coloração com HE e estudo histoquímico (marcação específica para iNOS). RESULTADOS: Foi observada hiperalgesia térmica e mecânica de maior intensidade no grupo de animais em que o NP foi colocado em contato com o GRD, e nesse grupo o estudo histológico evidenciou alterações dos tecidos do gânglio da raiz dorsal, caracterizadas por processo inflamatório e degeneração axonal. As alterações histopatológicas dos tecidos do gânglio da raiz dorsal apresentaram intensidade crescente com o aumento do período de observação...

O nucleo accumbens e a substancia cinzenta periaquedutal modulam de modo distinto a hiperalgesia inflamatoria cronica e aguda em ratos; Periaqueductal gray matter and nucleous accumbens differently modulate chronic and acute hyperalgia in rats

Priscila Tiemi Kawshita
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
38.02%
A modulação da dor pelo sistema nervoso central (SNC) consiste na inibição ou facilitação da excitabilidade do corno dorsal da coluna espinhal. O núcleo Accumbens (Nacc) e a Substância Cinzenta Periaquedutal (PAG) são duas importantes estruturas envolvidas na modulação da dor pelo SNC. A proposta deste estudo foi investigar o papel destas estruturas na modulação da hiperalgesia inflamatória aguda e persistente, induzida pela administração de Prostaglandina E2 (PGE2) na pata de ratos. A administração local subcutânea de PGE2 induz um quadro de hiperalgesia que cede completamente em 24 horas. Entretanto, duas semanas de injeções intraplantares de PGE2 induzem uma hiperalgesia que persiste por 30 dias após cessar o tratamento. Os resultados deste estudo demonstraram que a microinjeção no NAcc de lidocaína ou de cloreto de cobalto (CoCl2 ), um bloqueador de canal de Cálcio, reduziu significativamente a hiperalgesia persistente, mas não modificou a hiperalgesia mecânica aguda induzida pela PGE2 , medida tanto pelo teste de Randall-Selitto quanto pelo teste de Von Frey. Em contraste, a lidocaína ou o CoCl2 injetados na PAG não modificaram a hiperalgesia persistente, mas aumentaram a hiperalgesia aguda induzida pela PGE2 . Também demonstramos que a administração de L-Glutamato no NAcc restaurou a hiperalgesia persistente inibida pela administração local de Dipirona na pata. Estes resultados sugerem que o NAcc...

Papel da Janus Quinase 2 expressa em tecido nervoso na hiperalgesia inflamatória; Role of neural tissue expressed Janus Kinase 2 in inflammatory hyperalgesia

André Schwambach Vieira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.77%
A hiperalgesia inflamatória resulta da sensibilização de nociceptores aferentes periféricos induzida por mediadores inflamatórios. A prostaglandina E2 (PGE2) é uma das principais moléculas sinalizadoras envolvidas na hiperalgesia, sendo capaz de agir diretamente em nociceptores, induzindo mudanças nas propriedades de transdução sensorial destas células. A Janus Quinase 2 (JAK2) é uma molécula sinalizadora intracelular geralmente associada ao mecanismo de ação de citocinas, sendo que sua atividade pode ser induzida em nociceptores após uma inflamação periférica. Entretanto, não existem evidencias do envolvimento direto da JAK2 na sensibilização de nociceptores mediada pela PGE2. Assim o objetivo deste trabalho foi de explorar o possível papel da JAK2 na sensibilização mediada pela PGE2. Em neurônios do gânglio da raiz dorsal (DRG) em cultura foi observado que a PGE2 altera o influxo de cálcio induzido pela capsaicina, e a pré-incubação das células com o inibidor seletivo da JAK2, AG490, foi capaz de bloquear este efeito. Adicionalmente, a administração intratecal de AG490 em ratos reduziu a hiperalgesia induzida pela administração subcutânea e local de PGE2 ou carragenina. A administração intratecal de AG490 também bloqueou a ativação da PKCepsilon induzida no DRG L5 ispsilateral após inflamação na pata. Em conclusão o presente trabalho demonstra que a JAK2 expressa no DRG pode possuir um papel na sensibilização de nociceptores induzida por um evento inflamatório periférico. Desta forma a inibição da JAK2 pode ser um novo alvo farmacológico para o controle da hiperalgesia inflamatória.; Inflammatory hyperalgesia results from the sensitization of peripheral afferent nociceptors by inflammatory mediators. Prostaglandin E2 (PGE2) is one of the major signaling molecules involved in hyperalgesia...

O papel do receptor TRPA1 no desenvolvimento e manutenção da hiperalgesia induzida pela carragenina; The role of transient receptor potential A 1 (TRPA1) in the development and maintenance of carrageenan-induced hyperalgesia

Ivan José Magayewski Bonet
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.94%
O Receptor Potencial Transiente Ankiryn 1 (TRPA1) é um canal não seletivo a cátions importante na fixação do limiar nociceptivos e pertencente à superfamília de canais TRP. É expresso em fibra C-nociceptiva e células não neuronais envolvidas na liberação de mediadores pró-inflamatórios. No presente estudo, investigamos se o TRPA1 contribui para a hiperalgesia induzida pela carragenina em ratos, e se essa contribuição é mediada por mecanismos de inflamação, tais como liberação de citocinas pró-inflamatórias e migração de neutrófilos e/ou sensibilização direta do neurônio aferente primário. Avaliamos a sensibilização do nociceptor induzida pela carragenina utilizando estímulos mecânico (analgesímetro mecânico) e químico (capsaicina), com ou sem bloqueio farmacológico local do receptor TRPA1 pelo seu antagonista seletivo HC 030031. A carragenina induziu hiperalgesia com pico na terceira hora, persistindo até vigésima quarta hora. O bloqueio farmacológico do receptor TRPA1 por co-administração de HC 030031 diminuiu significativamente a hiperalgesia induzida pela carragenina na terceira hora e a pós-administração de HC 030031 (2hrs 55min) reduziu na terceira e na sexta hora. O silenciamento do gene do TRPA1...

Desenvolvimento de um novo modelo de hiperalgesia muscular induzida por contração isométrica sustentada em ratos; Development of a new model for study of muscle hyperalgesia in rats

Diogo Francisco da Silva dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.84%
De todas as dores que acometem o ser humano ao longo da sua existência, a dor muscular, especialmente a induzida por contração isométrica sustentada, é uma das mais prevalentes e possui um importante impacto sócio-econômico. Entretanto, apesar da sua relevância clínica, os mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento da dor muscular induzida pela contração isométrica sustentada são pouco conhecidos. Isto se deve, principalmente, à ausência de um modelo experimental mais realístico e com bom grau de predição do controle farmacológico desta dor. Portanto, o objetivo deste trabalho foi desenvolver um novo modelo de hiperalgesia muscular induzido por contração isométrica sustentada em ratos. A contração isométrica sustentada foi realizada por estimulações elétricas aplicadas diretamente no ventre do músculo gastrocnêmio de ratos wistar e os parâmetros foram de 19 milissegundos de duração de pulso, frequência em 50 Hertz, intensidade de 1,6 Volts (V) por um período de 1 hora. A hiperalgesia muscular mecânica foi avaliada com o método Randall Selitto nos tempos de meia hora até 48 horas após o término da contração isométrica sustentada. A contração isométrica sustentada, obedecendo o parâmetros supracitados...

Envolvimento dos receptores TRPV1 e TRPA1 na hiperalgesia muscular induzida pela contração isométrica sustentada no músculo gastrocnêmio de ratos; Mechanical muscle hyperalgesia induced by sustained isometric contraction is modulated by TRPV1 and TRPA1 receptors

Carolina Ocanha Jorge
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.77%
A dor musculoesquelética é um importante problema de saúde mundial. Dentre todos os tipos de dor, àquela induzida pela contração isométrica sustentada está relacionada com os movimentos corporais nas atividades da vida diárias e apresenta um alto impacto socioeconômico. Apesar da sua relevância clínica, os mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento da dor muscular induzida pela contração isométrica sustentada são pouco conhecidos. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar o envolvimento dos receptores TRPV1 e TRPA1 na hiperalgesia muscular mecânica induzida pela contração isométrica sustentada no músculo gastrocnêmio de ratos machos, da linhagem wistar. O antagonista seletivo do receptor TRPV1, AMG9810, reduziu significativamente a hiperalgesia muscular mecânica induzida pela contração isométrica sustentada quando administrado no músculo gastrocnêmio ipsilateral, mas não no contralateral. A administração intratecal de AMG9810 apresentou a mesma resposta. Similar ao TRPV1, a administração intramuscular e intratecal do antagonista seletivo do receptor TRPA1, HC030031, reduziu significativamente a hiperalgesia muscular induzida pela contração isométrica sustentada. No entanto, não foi observado modificação da expressão proteica dos receptores TRPV1 e TRPA1 no tecido muscular após a contração isométrica sustentada. Os dados sugerem que os receptores TRPV1 e TRPA1 expressos no músculo gastrocnêmio e corno dorsal da medula espinhal estão envolvidos na hiperalgesia muscular mecânica induzida pela contração isométrica sustentada em ratos. Sugerimos...

Os possíveis mediadores envolvidos na gênese da hiperalgesia induzida pela administração do veneno bruto de Tityus serrulatus (Escorpião-amarelo) em patas de rato

Nowacki, Luciana Cristina
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xviii, 140 f.| il., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
38%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas.; Ocorre em torno 10 mil casos de acidentes por ano no Brasil, causados por escorpião amarelo, sendo que o sintoma mais expressivo do envenenamento relatado por indivíduos picados é a dor intensa no local da picada. Devido a estes relatos propomos estudar neste trabalho os mediadores envolvidos na dor inflamatória induzida pelo veneno do escorpião Tityus serrulatus. Utilizamos para avaliar a intensidade de hiperalgesia em patas de ratos (Wistar,machos), o método de Randall-Selitto modificado por Ferreira e cols., 1978. O veneno administrado em patas de rato foi capaz de induzir hiperalgesia dependente da dose (0,312 a 10 ug/pata). Sugerimos a participação da bradicinina na hiperalgesia, uma vez que esta foi abolida pelo HOE140. O veneno possivelmente é capaz de liberar citocinas inflamatóriaa , visto que drogas como nimesulide, dexametasona e pentoxifilina foram capazes de abolir a hiperalgesia induzida pelo veneno. E o teste de ELISA para dosagem das concentrações interleucina-1 beta (IL-1) e TNF alfa, demonstraram que estas aumentam uma e duas horas após a administração do veneno. Substâncias que inibem a COX, como indometacina ...

Envolvimento do receptor de potencial transitório A1 (TRPA1) na manutenção da hiperalgesia mecânica e térmica (Frio) na inflamação persistente

Costa, Diogo Santos Martins da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| il., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.97%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pos-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2010; O presente estudo investiga o papel do receptor TRPA1 no esenvolvimento e manutenção da hiperalgesia mecânica e inflamatóriana inflamação persistente induzida pelo Adjuvante Completo de Freund (CFA) em camundongos. A injeção intraplantar (i.pl.) de CFA induz uma hiperalgesia de longa duração (28 dias) para o estímulo mecânico e térmico. A injeção intraperitoneal (i.p., 30-300 mg/kg), intraplantar (i.pl., 100 µg/sítio) ou intratecal (i.t., 10 µg/sítio) do antagonista seletivo dos receptores TRPA1, o HC-030031, reduz significativamente a hiperalgesia mecânica avaliada pelo teste de filamentos de von Frey. Entretanto, a injeção intracerebroventricular (i.c.v., 10 µg/sítio) do HC- 030031 não interfere na hiperalgesia induzida por CFA. O tratamento com HC-030031 (300 mg/kg, i.p.) inibe completamente a hiperalgesia ao frio nocivo induzido pelo tetrafluoroetano em camundongos que receberam CFA. O pré-tratamento com o RNA de interferência contra o receptor TRPA1 (AS-ODN, i.t.) previne significativamente a hiperalgesia mecânica e térmica. Interessantemente...

Efeito anti-hiperalgésico e antiinflamatório de triterpenos pentacíclicos em modelos experimentais de hiperalgesia crônica

Silva, Kathryn Ana Bortolini Simão da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 1 v.| il., grafs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.77%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, Florianópolis, 2011; O presente estudo revela que o tratamento oral com os triterpenos pentacíclicos betulina (30 mg/mg), ácido ursólico (50 mg/kg) e ácido oleanólico (30 mg/kg) reduziu a hiperalgesia mecânica induzida pela injeção intraplantar (i.pl.) de Adjuvante Completo de Freund (CFA) e pela ligação parcial do nervo ciático (LPNC). De maneira similar, o tratamento oral com a mistura de isômeros , -amirina (30 mg/kg) significativamente reduziu a hiperalgesia mecânica e térmica induzida pelo CFA ou pelo procedimento de LPNC. Demonstrou-se também que a propriedade analgésica da mistura de isômeros , -amirina em modelos experimentais de dor persistente é mediada pela ativação direta dos receptores canabinóides CB1 e CB2. O tratamento oral com , -amirina foi tão efetivo quanto o tratamento realizado com os agonistas seletivos ACEA (CB1, 10 mg/kg; intra-peritoneal [i.p.]) ou JWH-133 (CB2, 10 mg/kg; i.p.) em reduzir a hiperalgesia mecânica induzida pela injeção i.pl. de CFA. O pré-tratamento com o antagonista seletivo do receptor CB1, AM251 (1 mg/kg; i.p.) ou do receptor CB2...

Avaliação da hiperalgesia e alterações histológicas do gânglio da raiz dorsal induzidas pelo núcleo pulposo

Grava,André Luiz de Souza; Ferrari,Luiz Fernando; Parada,Carlos Amílcar; Defino,Helton Luiz Aparecido
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.84%
OBJETIVO: Avaliar a hiperalgesia e as alterações histológicas induzidas pelo contato do gânglio da raiz dorsal com o núcleo pulposo. MÉTODOS: Foram utilizados 20 ratos Wistar, divididos em dois grupos experimentais. Em um dos grupos um fragmento do NP autólogo retirado da região sacrococcígea foi colocado sobre os gânglios da raiz dorsal de L5, e no outro grupo (controle) um fragmento de tecido adiposo foi colocado sobre o gânglio da raiz dorsal de L5. A hiperalgesia mecânica e térmica foi avaliada no terceiro dia, na primeira, terceira, quinta e sétima semanas de pós-operatório. O gânglio da raiz dorsal de L5 foi retirado na primeira, terceira, quinta e sétima semanas de pós-operatório para estudo histológico por meio da coloração com HE e estudo histoquímico (marcação específica para iNOS). RESULTADOS: Foi observada hiperalgesia térmica e mecânica de maior intensidade no grupo de animais em que o NP foi colocado em contato com o GRD, e nesse grupo o estudo histológico evidenciou alterações dos tecidos do gânglio da raiz dorsal, caracterizadas por processo inflamatório e degeneração axonal. As alterações histopatológicas dos tecidos do gânglio da raiz dorsal apresentaram intensidade crescente com o aumento do período de observação...

Tratamento farmacológico da hiperalgesia experimentalmente induzida pelo núcleo pulposo

Grava,André Luiz de Souza; Ferrari,Luiz Fernando; Parada,Carlos Amílcar; Defino,Helton Luiz Aparecido
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
38%
OBJETIVO: Avaliar o efeito de drogas anti-inflamatórias (dexametasona, indometacina, atenolol, indometacina e atenolol) e analgésica (morfina) sobre a hiperalgesia experimentalmente induzida pelo núcleo pulposo em contato com o gânglio da raiz dorsal de L5. MÉTODOS: Trinta ratos Wistar machos com peso de 220 a 250g foram utilizados no estudo. A indução da hiperalgesia foi realizada por meio do contato de fragmento de núcleo pulposo retirado da região sacrococcígea e colocado sobre o gânglio da raiz dorsal de L5. Os 30 animais foram divididos em grupos experimentais de acordo com a droga utilizada. As drogas foram administradas durante duas semanas a partir da realização do procedimento cirúrgico para a indução da hiperalgesia. A hiperalgesia mecânica e térmica foram avaliadas por meio do teste da pressão constante da pata, von Frey eletrônico e Hargraves por um período de sete semanas. RESULTADOS: A maior redução da hiperalgesia foi observada no grupo de animais tratados pela morfina, seguido pela dexametasona, indometacina e atenolol. A redução da hiperalgesia foi observada após a interrupção da administração das drogas, com exceção do grupo de animais tratados com morfina, nos quais ocorreu aumento da hiperalgesia após a interrupção do tratamento. CONCLUSÕES: A hiperalgesia induzida pelo contato do núcleo pulposo com o gânglio da raiz dorsal pode ser reduzida com a administração de anti-inflamatórios e analgésicos...

Mecanismos envolvidos na hiperalgesia e edema induzidos pela ativação do receptor de potencial transitório anquirina 1 (TRPA 1)

Martins, Andressa Perin
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
38%
Resumo: A recente descoberta de que o receptor de potencial transitório A 1 (TRPA1) é expresso em células não neuronais trouxe novas perspectivas a respeito de sua função na dor e na inflamação. O objetivo deste estudo foi investigar os mecanismos envolvidos na hiperalgesia (determinada pela redução no limiar mecânico nociceptivo) e no edema (determinado pelo aumento da espessura da pata) induzidos pela ativação do TRPA1. A injeção de alilisotiocianato (AITC) (50; 100 ou 300 ?g/pata) na pata de ratos induziu hiperalgesia e edema de forma dose e tempo dependente. A hiperalgesia e o edema induzidos pelo AITC foram bloqueados pela coadministração do antagonista seletivo de TRPA1, HC-030031 (600 ou 1200 ?g/pata), assim como o tratamento prévio com oligodeoxinucleotídeo (ODN) antisense (4 injeções intratecais diárias de 5 nmol) bloqueou a hiperalgesia e reduziu o edema e a expressão do TRPA1 em neurônios do gânglio da raiz dorsal. Esses resultados demonstram que a hiperalgesia e o edema induzidos pelo AITC dependem da ativação do TRPA1. A coadministração de antagonista de receptores de neurocininas 1 (L-703, 606, 38 ?g/pata) ou de peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP8-37, 5 ?g/pata) reduziu significativamente a hiperalgesia e o edema induzidos pelo AITC...

O fator de necrose tumoral a participa da hiperalgesia térmica e mecânica orofacial relacionada à inflamação e constrição do nervo infraorbital em ratos

Coelho, Suellen Cristina
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.97%
Resumo: A neuralgia trigeminal (NT) é um exemplo de uma forma de dor neuropática limitada à região orofacial inervada pelo nervo trigêmeo e é relativamente menos estudada e compreendida que outras formas de dor neuropática. Nestas outras formas de dor neuropática já é bastante conhecido que a ativação do sistema imune exerce um papel crucial em ambos os processos sensoriais anormais, periférico e central, durante o estado de dor neuropática. Entre as citocinas pró-inflamatórias, o fator de necrose tumoral ? (TNF-?) é considerado um fator importante na iniciação da cascata de ativação de citocinas e iniciação da dor neuropática de maneira geral. No entanto, não existem estudos que avaliem com detalhes a participação desta citocina na dor neuropática trigeminal. O objetivo desse trabalho foi avaliar o envolvimento do TNF-? na hiperalgesia térmica e mecânica orofacial induzida pela constrição crônica do nervo infraorbital (CNIO), um modelo de dor neuropática na região orofacial, utilizando o etanercept (Eta), um anticorpo quimérico que bloqueia a ação do TNF-?. Para efeitos comparativos, foi avaliado o efeito deste anticorpo sobre a hiperalgesia térmica e mecânica inflamatória induzida pela carragenina (Cg...

Potencial Antinocipcetivo Mecânico E Efeitos Sobre A Hiperalgesia Pós-Incisional Do Tramadol Em Equinos; Mechanical antinociceptive potential and effects in the post incisonal iperalgesia of tramadol in horses

FRANCO, Leandro Guimarães
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciência Animal; Ciências Agrárias Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Ciência Animal; Ciências Agrárias
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.77%
Tramadol is an analgesic with action of opioids and non-opioid receptors, which acts by promoting activation of central inhibitory mechanisms of pain. In the last decade, there was a significant advance in research related to the use of tramadol in horses. There is evidence that the drug has significant analgesic effect in horses through mechanisms unclear. The aim of this study was to evaluate clinical and cardiorrespiratory effects and mechanical nociceptive threshold of tramadol, administered intravenously in horses. Moreover, we assessed also the effects of preemptive administration of tramadol on the clinical effects and post-incisional mechanical hyperalgesia. In the first study, seven adult horses were used in a three-way crossover study design in which tramadol was intravenous administered at 1mg kg-1, 2mg kg-1 e 3mg kg-1. Heart rate, respiratory rate, rectal temperature, systolic arterial pressure, diastolic arterial pressure, mean arterial pressure, intestinal motility, head height and behavioral change were recorded before and during 180 minutes after treatment. Mechanical nociceptive threshold from these points were averaged to obtain mean values at each time with von Frey electronic analgesiometer, applying a force in a hoof. Compared to others treatments...

Involvement of P2X3 and P2X7 purinergic receptors in inflammatory articular hyperalgesia in the knee joint of rats and the study of the peripheral mechanisms involved = : Participação dos receptores purinérgicos P2X3 e P2X7 na hiperalgesia inflamatória articular em joelho de ratos e o estudo dos mecanismos periféricos envolvidos; Participação dos receptores purinérgicos P2X3 e P2X7 na hiperalgesia inflamatória articular em joelho de ratos e o estudo dos mecanismos periféricos envolvidos

Juliana Maia Teixeira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
38.06%
A osteoartrite (OA) é uma doença degenerativa e progressiva, caracterizada pela degradação da cartilagem que reveste as extremidades ósseas e inflamação da membrana sinovial, causando incapacidade física, inchaço articular e dor. Embora o alívio da dor severa seja o principal objetivo no tratamento agudo, pouco se sabe sobre os mecanismos envolvidos no desenvolvimento da dor na OA. Estudos demonstram a participação do ATP (adenosina 5¿-trifosfato) em processos de hiperalgesia através da ativação dos receptores purinérgicos P2X3, P2X2/3 e P2X7. Portanto, os objetivos deste estudo foram: (1) investigar a participação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 na hiperalgesia articular em modelo de artrite na articulação do joelho de ratos machos e fêmeas em estro e se há diferenças sexuais no efeito induzido pelos antagonistas de receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7. (2) testar a hipótese de que a inflamação articular induzida pela carragenina aumenta a expressão do receptor P2X3 nos condrócitos da cartilagem articular da articulação do joelho de ratos. (3) verificar se o mecanismo pelo qual a ativação dos receptores P2X3, P2X2/3 e P2X7 contribui para a hiperalgesia articular depende da liberação prévia de citocinas pró-inflamatórias e da migração de neutrófilos. (4) investigar se a ativação dos receptores P2X3...

O papel da interleucina-1'beta' produzida no gânglio da raiz dorsal no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória; The role of dorsal root ganglion-produced interleukin-1'beta' in development of inflammatory hyperalgesia

Dionésia Araldi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
38.02%
A liberação de Interleucina-1? (IL-1?) no tecido periférico estimula a síntese de Prostaglandinas (PGs), especialmente, da Prostaglandina-E2 (PGE2), que leva a sensibilização dos nociceptores aferentes primários induzindo a hiperalgesia inflamatória. Recentemente demonstramos que a IL-1? pode ativar diretamente o receptor de Interleucina-1 (IL-1R) do nociceptor aferente periférico e levar a liberação de PGE2 associada ao desenvolvimento da hiperalgesia. A IL-1? também é liberada no Gânglio da Raiz Dorsal (GRD), entretanto a função que a IL-1? desempenha no GRD para o desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória ainda não está clara. Portanto, o objetivo deste estudo foi investigar se a liberação de IL-1? e a ativação do Receptor de Interleucina-1 Tipo I (IL-1RI) no GRD estão envolvidos no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória. A administração de IL-1Ra (antagonista natural de receptor IL- 1, 6 ?g) no GRD de ratos preveniu a hiperalgesia mecânica (avaliada por meio do von Frey Eletrônico) induzida pela administração intraplantar (i.pl) de Adjuvante Completo de Freund (CFA, 100 ?L), Carragenina (Cg, 100 ?g) ou IL-1? (0,5 pg), mas não pela administração i.pl de PGE2 (100 ng), avaliadas 3 horas após suas administrações. Além disso...

Envolvimento de mediadores inflamatórios na hiperalgesia muscular induzida por contração isométrica sustentada em ratos; The inflammatory mechanisms involved in mechanical muscle hyperalgesia induced by susteined isometric contraction in rats

Bruna de Melo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.84%
Estudos demonstram que a dor muscular induzida por contração isométrica sustentada (CIS) possui importante impacto socioeconômico, no entanto, apesar de sua relevância clínica, os mecanismos inflamatórios envolvidos no desenvolvimento desse tipo de dor ainda são pouco compreendidos. O objetivo deste estudo foi analisar os mecanismos inflamatórios envolvidos no desenvolvimento desse tipo de hiperalgesia muscular. Para isso foi utilizado o modelo de hiperalgesia muscular induzido por contração isométrica sustentada, recentemente desenvolvido por nosso grupo de pesquisa, que consiste na indução de contração muscular isométrica no músculo gastrocnêmio de ratos machos Wistar, pesando entre 200 e 250g, que receberam uma corrente elétrica através do equipamento da marca Grass, modelo SX88R, corrente monofásica, pulso repetido, frequência de 50Hz, duração de pulso de 19ms através de eletrodos tipo agulha, pelo período de 1 hora. Para traçar o perfil inflamatório deste modelo foram administrados via intramuscular, 5 minutos, antes da contração isométrica as seguintes drogas: DALB K (3;30'mu'g) e Bradizida (1,5;15 'mu'g)(antagonistas dos receptores de bradicinina B1 e B2, respectivamente), Atenolol (0,6; 6'mu'g) e ICI 118551(0...

Participação do receptor TRPA1 na hiperalgesia inflamatória induzida pela administração de prostaglandina E2 na pata de ratos

Dall'Acqua, Marcelo Cavalheiro
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.97%
Resumo: O receptor ionotropico TRPA1 pertence a superfamilia de receptores TRP (Receptor de Potencial Transitorio), e expresso preferencialmente em neuronios nociceptivos primarios e tem ganhado destaque devido a seu importante papel na conducao da informacao nociceptiva em condicoes inflamatorias. A lesao tecidual associada a inflamacao determina a sintese e a liberacao de mediadores inflamatorios que induzem a sensibilizacao dos neuronios nociceptivos primarios, levando a hiperalgesia, caracterizada pelo aumento da reposta a um determinado estimulo. Esse fenomeno e comum a todas as dores de origem inflamatoria e os mecanismos envolvidos na participacao do receptor TRPA1 nesse processo de sensibilizacao ainda sao pouco conhecidos. Entre os mediadores inflamatorios liberados no sitio da lesao as prostaglandinas, especialmente as da serie E2, tem papel chave no processo de sensibilizacao inflamatoria. A hiperalgesia induzida pela prostaglandina E2 (PGE2) e mediada pela ativacao de seus receptores acoplados a proteina G e depende da formacao de AMPc (adenosina monofosfato ciclico) e subsequente ativacao das proteinas quinases A (pKA) e C epsilon (pKCƒÃ). Como o TRPA1 pode ser ativado em resposta a ativacao de receptores de mediadores inflamatorios e ja foi demonstrado que...

Hiperalgesia asociada al tratamiento con opioides

Gil Martín,A.; Moreno García,M.; Sánchez-Rubio Ferrández,J.; Molina García,T.
Fonte: Revista de la Sociedad Española del Dolor Publicador: Revista de la Sociedad Española del Dolor
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.84%
La hiperalgesia inducida por opioides es una reacción paradójica caracterizada por una percepción intensificada de dolor relacionada con el uso de estos medicamentos en ausencia de progresión de la enfermedad o de síndrome de retirada. A diferencia de los casos de tolerancia, definida como pérdida de potencia analgésica durante el uso prolongado de opioides, no se produce mejoría con el escalado de dosis. La hiperalgesia inducida por opioides se ha manifestado en pacientes con dosis de mantenimiento y retirada, pacientes con dosis elevadas o escalado de dosis y pacientes con dosis ultra bajas. Para establecer un diagnóstico diferencial es importante tener en cuenta que un incremento de dosis puede producir una mejoría temporal en pacientes con tolerancia pero no en los que han desarrollado hiperalgesia. La prevalencia de dicho fenómeno es desconocida, pero puede ser más frecuente de lo esperado y muchas veces no reconocido. El mecanismo subyacente no está bien definido, pero existen diversos estudios experimentales tanto en modelos animales como en humanos en los que se observa que la hiperalgesia no está desencadenada por un único factor, sino que son muchos los implicados. Entre los mecanismos propuestos destacan: la mediación del receptor NMDA (N-metil-D-aspartato) activado por la liberación presináptica de glutamato...