Página 1 dos resultados de 240 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Imunoterapia Tumoral com Células Dendríticas

Silva, Patrícia Raquel Lima da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.34%
Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas; As células dendríticas (DCs) são mais as potentes células apresentadoras de antigénios (APCs) com um papel duplo na indução da imunidade inata e adaptativa, como também na indução de tolerância pelas células T. Nos últimos anos, novas formas de imunoterapia tumoral têm sido desenvolvidas, nomeadamente, estratégias que usam células dendríticas para induzir uma resposta imune específica antitumoral. Numerosos estudos indicaram que imunoterapias, que utilizam vacinas baseadas em células dendríticas, apresentam resultados promissores em alguns tipos de cancro e que estas podem ser administradas seguramente. Infelizmente, estes estudos ainda são pouco consistentes em termos de eficácia clinica e como tal não é ainda evidente uma boa relação custo/beneficio para estes pacientes. Dendritic cells (DCs) are the most potent antigen-presenting cells (APCs) that play a dual role both in the induction of innate and adaptive immunity as well as T cell tolerance induction. In the last years new forms of tumor immunotherapy have been developed namely strategies that use DCs to induce a specific antitumor immune response. Several studies using dendritic cells based vaccines...

Imunoterapia na doença alérgica

Vieira, Rita Estela Lopes de Meireles
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
A alergia é frequentemente considerada um processo de reacção inflamatória mediada por um alergénio. As doenças alérgicas afectam essencialmente indivíduos atópicos com predisposição genética para sintetizar anticorpos IgE específicos contra alergénios ambientais comuns. A apresentação dos alergénios por Células Apresentadoras de Antigénio resulta na polarização de células T específicas em células T helper 2 (Th2). Estas células, através da produção de IL-4 e IL-13, despoletam a síntese de IgE e, através da produção de IL-5, atraem e activam eosinófilos. Os anticorpos IgE específicos ligam-se a receptores de alta afinidade (FcεRI) de basófilos circulantes e mastócitos da pele e mucosas. No caso de exposição contínua ou re-exposição ao alergénio surge uma resposta bifásica com hipersensibilidade imediata e um componente inflamatório tardio. Na fase inicial ocorre desgranulação de mastócitos com libertação de mediadores inflamatórios como histamina, proteases, leucotrienos, prostaglandinas e citocinas. A fase tardia resulta da libertação adicional de mediadores inflamatórios desencadeada por eosinófilos, neutrófilos, basófilos, macrófagos e células T CD4+. O melhor tratamento para a doença alérgica é a evicção dos alergénios...

Specific immunotherapy using Hymenoptera venom: systematic review; Imunoterapia específica com venenos de Hymenoptera: revisão sistemática

WATANABE, Alexandra Sayuri; FONSECA, Luiz Augusto Marcondes; GALVÃO, Clóvis Eduardo Santos; KALIL, Jorge; CASTRO, Fabio Fernandes Morato
Fonte: Associação Paulista de Medicina - APM Publicador: Associação Paulista de Medicina - APM
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.85%
CONTEXT AND OBJECTIVE: The only effective treatment for patients who have severe reactions after Hymenoptera stings is venom immunotherapy. The aim of this study was to review the literature to assess the effects of venom immunotherapy among patients presenting severe reactions after Hymenoptera stings. DESIGN AND SETTING: Randomized controlled trials in the worldwide literature were reviewed. The manuscript was produced in the Discipline of Allergy and Clinical Immunology, Universidade de São Paulo (USP). METHODS: Randomized controlled trials involving venom immunotherapy versus placebo or only patient follow-up were evaluated. The risk of systemic reactions after specific immunotherapy was evaluated by calculating odds ratios (OR) and their 95% confidence intervals. RESULTS: 2,273 abstracts were identified by the keywords search. Only four studies were included in this review. The chi-square test for heterogeneity showed that two studies were homogeneous and could be included in a meta-analysis. By combining the two studies, the odds ratio became significant: 0.29 (0.10-0.87). However, analysis on the severity of the reactions after immunotherapy showed that the benefits may not be so significant because the reactions were mostly similar to or milder than the original reaction. CONCLUSIONS: Specific immunotherapy should be recommended for adults and children with moderate to severe reactions...

Imunoterapia tópica no tratamento do carcinoma basocelular periocular; Topical immunotherapy for the treatment of periocular basal cell carcinoma

MACEDO, Erick Marcet Santiago de; CARNEIRO, Rachel Camargo; MATAYOSHI, Suzana
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.34%
Os autores descrevem um paciente com carcinoma basocelular nodular em canto medial tratado com imiquimode creme 5%. A avaliação patológica de uma biópsia incisional realizada 12 semanas após o tratamento revelou a total resolução da lesão. Embora a cirurgia permaneça como tratamento de primeira escolha, a imunoterapia com imiquimode creme 5% surge como uma opção terapêutica válida para o tratamento ambulatorial do carcinoma basocelular periocular.; The authors describe a patient with a medial canthal nodular basal cell carcinoma treated with Imiquimod 5% cream. Pathologic evaluation of an incisional biopsy performed 12 weeks after treatment revealed complete resolution of local disease. Although the treatment of choice continues to be surgery, topical immunotherapy with imiquimod 5% cream is an emerging therapeutic option suitable for the outpatient treatment of periocular basal cell carcinoma.

Revisão sistemática: imunoterapia específica para venenos de hymenoptera; Systematic review: specific immunotherapy for Hymenoptera venoms

Watanabe, Alexandra Sayuri
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.95%
A hipersensibilidade a veneno de Hymenoptera representa importante problema do ponto de vista de saúde da população, uma vez que pacientes alérgicos aos componentes do veneno podem desenvolver reações graves, às vezes fatais. A única profilaxia efetiva em pacientes sensibilizados é a imunoterapia veneno específica. Objetivos: avaliar as evidências científicas a respeito dos efeitos da imunoterapia específica utilizada na profilaxia secundária das reações graves em pacientes sensibilizados a veneno de Hymenoptera, por meio da realização de uma revisão sistemática. Métodos: a estratégia de busca seguiu as recomendações do Grupo de Pele da Colaboração Cochrane. A pesquisa foi realizada nas seguintes bases de dados: MEDLINE, the Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, The Cochrane Library), EMBASE, LILACS, SciSEARCH e nas referências de artigos mais relevantes. Todos os ensaios clínicos controlados e randomizados envolvendo imunoterapia com veneno de Hymenoptera versus imunoterapia com placebo ou apenas seguimento dos pacientes foram avaliados. Dois revisores de forma independente (ASW e LAMF) avaliaram a elegibilidade e a qualidade metodológica de cada ensaio clínico e extraíram os dados. O risco de reações sistêmicas...

Estudo comparativo da eficácia da imunoterapia com bacterina e de dois esquemas de pulsoterapia antibiótica no manejo de piodermites superficiais idiopáticas recidivantes caninas; Comparative study of bacterin immune therapy and two antibiotic pulse therapies protocols for the management of canine idiopathic recurrent superficial pyoderma

Larsson Junior, Carlos Eduardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
As piodermites, superficiais ou profundas, representam uma das dermatopatias caninas mais comuns no cotidiano da clínica dermatológica de cães. Dentre as classificadas como superficiais, destacam-se a foliculite bacteriana e a piodermite esfoliativa ou superficial disseminada, que representam a grande maioria dos casos. Em alguns cães, as piodermites superficiais são idiopáticas, apresentam evolução crônica e caráter recidivante. A despeito de criteriosa investigação acerca de sua possível etiologia, por vezes, não se consegue evidenciar a causa para a instalação e recorrência do quadro mórbido. Tais animais apresentam frequentes recidivas, em variáveis períodos de tempo, após o término da terapia antibiótica. Para estes caninos, na bibliografia médico-veterinária há recomendação de emprego das controvertidas imunoterapia ou de antibioticoterapia sob a forma de pulsos. Portanto, objetivou-se na casuística do Serviço de Dermatologia do Hospital Veterinário da USP, determinar as principais espécies bacterianas envolvidas, a susceptibilidade destas frente a diferentes antimicrobianos, bactericidas ou bacteriostáticos, assim como, comparar a eficácia e a segurança de três distintos protocolos terapêuticos no manejo a longo prazo...

Efeito da imunoterapia com Dermatophagoides pteronyssinus na resposta clínica e imunológica ao camarão; Effect of immunotherapy with Dermatophagoides pteronyssinus in the clinical and immunological response to shrimp

Yang, Ariana Campos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.92%
Objetivo: O objetivo desse estudo foi avaliar alterações na resposta clínica e imunológica ao camarão após a imunoterapia com Dermatophagoides pteronyssinus. Métodos: Selecionou-se 35 indivíduos alérgicos a Dermatophagoides pteronyssinus (Der p), os quais foram submetidos a testes cutâneos de leitura imediata para ácaros, baratas, camarão, tropomiosina recombinante, além de cão, gato e fungos. A detecção de IgE espcífica in vitro foi feita para o ácaro, camarão, barata americana e para suas tropomiosinas. Em todos, avaliou-se reatividade clínica ao camarão através de provocação oral. Dez pacientes foram alocados para o grupo controle, e 25 foram submetidos à imunoterapia alérgeno específica para o ácaro. Os testes cutâneos e a dosagem de IgE sérica específica foram repetidas após a indução da imunoterapia, e após 1 ano do início. A reatividade clínica ao camarão foi reavaliada no final do estudo pela provocação oral. Resultados: No grupo dos pacientes que foram submetidos à imunoterapia, observamos diminuição na reatividade nos testes cutâneos e dosagem de IgE específica para Der p, camarão e tropomiosina recombinante. Dos 10 pacientes com testes cutâneos positivos para camarão, 4 foram negativos na dosagem após um ano de imunoterapia (p= 0...

Avaliação da eficácia e segurança da imunoterapia tópica com imiquimode creme 5% no tratamento do carcinoma basocelular nodular periocular; Evaluation of efficacy and safety of topical administration of 5% imiquimod cream for periocular nodular basal cell carcinoma

Macedo, Erick Marcet Santiago de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.34%
OBJETIVO: Avaliar a eficácia e segurança da imunoterapia tópica com imiquimode creme 5% no tratamento do carcinoma basocelular nodular periocular. MÉTODOS: Pacientes com carcinoma basocelular confirmado por biopsia e com contraindicação clínica para a cirurgia reconstrutiva devido ao alto risco ou que recusaram a cirurgia por razões estéticas ou fobia foram incluídos no estudo. O tratamento foi iniciado após treinamento do paciente e de acompanhante. A posologia foi de 5 vezes por semana por 8 a 16 semanas. Acompanhamento quinzenal foi realizado durante a vigência do tratamento com questionário, exame biomicroscópico, medida da acuidade visual e documentação fotográfica. As características clínicas das lesões foram mensuradas através do software ImageJ. Após 12 semanas do fim da terapia, uma nova biópsia na região da lesão foi guiada por fotografia. O seguimento dos pacientes foi semestral, após fim do tratamento, com biópsias anuais da região até o presente momento. RESULTADOS: 19 foram tratadas. A taxa de cura histológica foi de 89,5% após três meses do final do tratamento, e de 84,2% nos três anos de seguimento (39,5 meses). A taxa de cura histológica em três anos foi de 100% para lesões menores que 10 mm...

Susceptibilidade in vitro e in vivo de pythium insidium: estudo comparativo entre acetato de caspofungina e imunoterapia em coelhos.

Pereira, Daniela Isabel Brayer
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.64%
O oomiceto aquático Pythium insidiosum, classificado no Reino Stramenipila, é o agente etiológico da pitiose, uma doença crônica, piogranulomatosa, que acomete eqüinos, caninos, felinos, bovinos, ovinos e humanos que habitam regiões tropicais e subtropicais. Diversos protocolos para o tratamento da enfermidade têm sido utilizados, incluindo terapia com antifúngicos, cirurgia e imunoterapia. O presente estudo objetivou avaliar a suscetibilidade in vitro de 27 isolados clínicos de Pythium insidiosum ao acetato de caspofungina, bem como correlacionar os resultados obtidos in vitro com a resposta da terapêutica in vivo e comparar a eficácia de dois tratamentos, acetato de caspofungina e imunoterapia, utilizando coelhos como modelo experimental. Vinte e seis isolados de Pythium insidiosum provenientes de casos clínicos de pitiose em animais no Brasil (24 eqüinos, 01 canino e 01 ovino) e um isolado ATCC (58637) foram avaliados neste estudo. Os testes in vitro foram desenvolvidos utilizando-se a macrotécnica em caldo seguindo o protocolo internacional M38-A do CLSI. O inóculo consistiu de uma suspensão de 2-3x103 zoósporos de Pythium insidiosum diluído 1:10 em caldo RPMI. As concentrações finais do acetato de caspofungina variaram de 0...

Caracterização dos mecanismos de ação da imunoterapia intravesical com P-MAPA envolvendo as vias de sinalização dor receptores Toll-like (TLR) 2 e 4 na progressão do câncer de bexiga não-músculo invasivo

Rocha, Ana Beatriz Missio Vieira da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 60 f.
Português
Relevância na Pesquisa
37.73%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Biologia Geral e Aplicada - IBB; Compounds that are able to act as Toll-like receptors (TLRs) agonists may represent promising candidates to be developed as drugs against cancer. Currently, the most effective therapy for non-muscle invasive bladder cancer (NMIBC) is immunotherapy with BCG (Bacillus Calmette-Guerin) associated with transurethral resection. However, the use of BCG is associated with side effects of varying strengths and in this scenario highlights the P-MAPA, which in great versatility and minimal cytotoxicity, opens a new perspective for fighting certain types of cancers, including NMIBC. Thus, the main objectives of this study were to characterize the histopathological and molecular effects of intravesical immunotherapy with P-MAPA involving the signaling pathways of TLRs 2 and TLR4 in the NMIBC treatment chemically induced in Wild Type mice (Wild Type - WT) and knockouts (-/-) for TLR4 and MyD88. The effects of P-MAPA immunotherapy were compared with BCG treatment. It were utilized 20 female mice of each strain (WT, TLR4 -/- and MyD88 -/-), all with 60 days of age and kept in the Nuclear Medicine Center...

Imunoterapia específica : efeitos sobre granulócitos de pacientes alérgicos ao veneno de Apis Mellifera; Specific immunotherapy : Effects on granulocytes from Apis Mellifera allergic patients

Karla Priscila Vieira Ferro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.85%
As reações alérgicas à ferroada de inseto resultam de resposta exacerbada do sistema imune, com produção de elevados níveis de anticorpos IgE alérgeno-específicos e padrão de citocinas Th2, envolvidas na diferenciação de linfócitos B específicos para aquele antígeno em células produtoras de IgE e recrutamento de células efetoras da resposta alérgica. Neste contexto, granulocitos são células efetoras importantes na fase tardia da resposta alérgica e estão envolvidos na patogênese de diferentes doenças. Eosinófilos e neutrófilos, especificamente, modulam a resposta imune por meio de diferentes mecanismos, como a secreçao de citocinas, quimiocinas e mediadores lipídicos. A IgE desempenha papel central na patogênese das doenças alérgicas, interagindo com dois receptores de membranas: alta afinidade FcsRI e baixa afinidade FcsRII (CD23). A ligação da IgE ao seu receptor em mastocitos e basófilos promove a liberação de mediadores inflamatórios, dentre eles, a histamina. A histamina além de induzir os sintomas agudos da reação alérgica, sustenta a reação inflamatória até a fase crônica, sendo estes efeitos mediados através da ativação de diferentes receptores (H1, H2, H3 e H4). Os fatores liberadores de histamina (HRF)...

Veiculação de mRNA de células tumorais em lipossomas catiônicos para imunoterapia do câncer; Cationic liposomes as carriers of mRNA from tumor cells for cancer immunotherapy

Micaela Tamata Vitor
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.64%
Esta pesquisa teve como objetivo o desenvolvimento tecnológico de uma vacina lipossomal contendo RNA tumoral destinado à imunoterapia do câncer. Nesta estratégia, RNA total codificando o antígeno tumoral Her-2/neu extraído de linhagem de células de adenocarcinoma de mama humano SK-BR-3 foram incorporados em lipossomas catiônicos introduzidos in vitro em células dendríticas (DCs). A vacina de DCs tem a função de auxiliar o sistema imunológico a identificar antígenos tumorais para que as células cancerígenas sejam eliminadas. Porém uma das etapas críticas é a introdução (transfecção) de RNA nas DCs. Lipossomas catiônicos é uma alternativa promissora, pois além de ativarem as DCs, é capaz mediar a transfecção de ácidos nucléicos para células. A experiência prévia do grupo de pesquisa na área de lipossomas catiônicos mostrou a possibilidade da obtenção de lipossomas em larga escala para o desenvolvimento de vacina de DNA contra a tuberculose. Neste contexto, este trabalho avaliou os lipossomas catiônicos com a composição lipídica de fosfatidilcolina natural de ovo (EPC), 1,2-dioleoil-sn-glicero-3-fosfatidiletanolamina (DOTAP) e 1,2-dioleoil-3-trimetilamônio-propano (DOPE), na respectiva proporção molar de 50/25/25%. Metodologicamente...

O repertório de alergénios das gramíneas Dactylis glomerata e Phleum pratense para o cão – Possível chave para uma mais efetiva imunoterapia específica?

Martins, Luís; Marques, Andreia; Pereira, Luísa; Semião-Santos, Saul; Malaman, Maria; Bento, Ofélia
Fonte: Brazilian Journal of Allergy and Immunology Publicador: Brazilian Journal of Allergy and Immunology
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
Objetivo: Identificação dos repertórios alergénicos para as gramíneas Dactylis glomerata (Dac g) e Phleum pratense (Phl p) de forma a racionalizar o pool de alergénios para imunoterapia específica. Métodos: Da consulta externa de alergia do Hospital Veterinário da Universidade de Évora selecionaram-se 14 cães alérgicos a gramíneas, com sintomatologia eminentemente sazonal e sensibilização à Dac g (p=0,007), por testes intradérmicos (Bial Aristegi, Bilbao, Espanha) e doseamento de IgE específicas (Univet, Barcelona, Espanha). Preparam-se os extratos solúveis de Dac g e de Phl p (Allergon, Angelholm, Suécia) em água bi-destilada. A separação proteica foi realizada por isoeletrofocalização (IEF) em gradiente de pH 3-10 e por SDS PAGE a 12%, uni- (1D) e bidimensional (2D). As proteínas separadas foram transferidas para membranas de PVDF, sobre as quais se realizaram os imunoblots, tendo as IgE específicas séricas sido reveladas por anti-IgE canina policlonal, conjugada com peroxidade, e monoclonal, conjugada com biotina. Resultados: Da IEF identificaram-se 17 bandas alergénicas de Dac g (pI 3,7-9,9), 10 das quais com reconhecimento major, e 18 de Phl p (pI 4-9,8), 7 das quais major. Da SDS PAGE 1D identificaram-se 11 alergénios de Dac g (PM 10...

IMUNOTERAPIA COM VENENO DE HIMENÓPTEROS: A EXPERIÊNCIA DE UMA CONSULTA

Tomé, S.; Reis, G.; Guedes, M.; Saraiva, L.; Teixeira, F.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.79%
Resumo: Na Europa a prevalência de alergia ao veneno de himenópteros estima-se em 20%. As reacções sistémicas graves são indicação para imunoterapia específica com veneno de himenópteros após confirmação de atopia. Esta é eficaz em 91-100% dos casos de alergia ao veneno de vespa e 77-80% dos casos de alergia ao veneno de abelha. Apresentamos quatro casos clínicos de doentes com reacções sistémicas ao veneno de himenópteros que efectuaram imunoterapia. Três crianças apresentavam alergia ao veneno de abelha e uma ao veneno de vespa. Tinham IgE específica para o veneno de himenópteros, classes IV a VI. A duração da imunoterapia variou entre quatro e sete anos, com diminuição da classe de IgE específica em todos os doentes no final do tratamento. Três crianças tiveram contacto com o alergénio, durante ou após terminarem a imunoterapia, e nenhuma delas desencadeou uma reacção sistémica. A duração da imunoterapia continua a ser controversa. A ausência de reacção após contacto com o alergénio é sugestiva de sucesso do tratamento.

Imunoterapia específica para alergénios como terapêutica da dermatite atópica canina : situação actual de conhecimentos dos médicos veterinários e dos proprietários

Silva, Catarina Tusto Cordeiro Borges da
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em 16/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A dermatite atópica canina (cDA) é a doença atópica mais frequentemente diagnosticada no cão e pensa-se que o número de casos seja cada vez maior. A imunoterapia específica para alergénios (ITAE) consiste na administração de quantidades, gradualmente crescentes, de um alergénio, de forma a atenuar os sinais clínicos de cDA. A fim de se alcançar uma maior eficácia, esta terapêutica deve ser ajustada para cada caso. Assim, a escolha dos alergénios a incluir e do protocolo a seguir deve ser criteriosamente efectuada, tendo em conta a história clínica, o ambiente e a reacção individual de cada paciente. Este estudo teve como objectivo caracterizar a utilização da ITAE por parte dos Médicos Veterinários (MV) e tentar esclarecer se os conceitos acima descritos são aplicados na prática clínica corrente. Pretendeu-se também avaliar os proprietários dos pacientes alérgicos em relação aos seus conhecimentos sobre a ITAE e à vontade que demonstraram em aderir a esta terapêutica. No caso dos proprietários de animais que já realizaram ITAE durante um período mínimo de 6 meses, analisou-se o seu grau de satisfação com o tratamento. Para tal...

Os testes de provocação conjuntival na avaliação da eficácia da imunoterapia alergénio-específica rush na dermatite atópica canina

Rico, Ana Sofia Moreira Vaz
Fonte: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A atopia é uma doença frequente no cão, mas pouco se sabe acerca do envolvimento ocular, desconhecendo-se a prevalência e o impacto da conjuntivite alérgica (CA) na dermatite atópica canina (DAc). O teste de provocação conjuntival (TPC) é um modelo útil ao seu estudo, sendo utilizado na avaliação da eficácia de várias formas de tratamento, incluindo a imunoterapia alergénio-específica (ITAE). Através da realização de TPC em pacientes atópicos com sensibilização a Dermatophagoides farinae (Df) pretendeu-se avaliar a contribuição deste alergénio nas manifestações oculares e a eficácia da imunoterapia alergénio específica rush (ITAEr) na remissão dos sinais oculares e cutâneos. Foram incluídos no estudo 15 pacientes (n=15) com diagnóstico de DAc e sinais compatíveis com CA. Numa primeira fase todos os animais foram submetidos a TPC para Df e avaliados quanto ao prurido e quanto à gravidade das lesões dermatológicas através do Canine Atopic Dermatitis Extend and Severity Index (CADESI-03). O TPC foi realizado com doses crescentes do alergénio (0.08, 0.4 e 2 BU/mL) até ao aparecimento de um score positivo (≥6), dado pelo somatório das classificações de hiperémia conjuntival...

Imunoterapia específica subcutânea com alergeneos

Rodrigues, P
Fonte: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. Publicador: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.64%
Objectivos: Conhecer os principais cuidados na administração de imunoterapia específica com alergeneos; Articular cuidados com os colegas do centro de saúde no que diz respeito à administração desta terapêutica. A imunoterapia específica é definida como sendo a "Administração de quantidades gradualmente crescentes de uma vacina alergénica a um doente com uma doença alérgica" Realizámos um estudo das crianças a quem administramos esta terapia, no total de 91, com idades entre os 5 e os 18 anos e que até ao final de 2011 completavam 2 anos de tratamento. Apresentam como diagnostico principal a rinite alérgica. Os alergeneos presentes nas vacinas são ácaros ou poléns. A vacina é uma injecção subcutânea, administrada no ponto médio entre o ombro e o cotovelo. Existem duas fases pelas quais as crianças passam a indução e a manutenção. Na fase de indução, podemos seguir dois esquemas o convencional (administração semanal de uma dose progressivamente crescente, até perfazer a dose terapêutica) e pauta rush ou esquema rápido (administração de pelo menos duas doses progressivas até a dose terapêutica). Vantagem deste segundo esquema, atinge a dose terapêutica mais rapidamente, desvantagem maior risco para a criança. Existem cuidados a ter pré-vacinae pós vacina...

Eficácia clínica e alterações na resposta de anticorpos sistêmicos e de mucosa após imunoterapia sublingual em crianças alérgicas a ácaros: um estudo randomizado duplo-cego, controlado com placebo

Queirós, Meimei Guimarães Junqueira de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
Este estudo teve como objetivo avaliar a eficácia clínica e alterações da resposta de anticorpos sistêmicos e de mucosa após a imunoterapia sublingual (SLIT), utilizando alérgenos de Dermatophagoides pteronyssinus (Dpt), com ou sem extratos bacterianos em crianças alérgicas a ácaros. Cento e dois pacientes com rinite alérgica com ou sem asma foram selecionados para um estudo randomizado duplocego, controlado por placebo e distribuídos em três grupos: DPT (extrato alergênico de Dpt, n=34), DPT+MRB (extrato alergênico de Dpt associado com extrato de bactérias mistas do trato respiratório, n=36), e Placebo (n=32). Avaliação clínica e análises imunológicas foram realizadas antes do tratamento e após 12 e 18 meses, incluindo a pontuação de escores de sintomas e medicamentos de rinite/asma, teste cutâneo (SPT) ao extrato Dpt, e medidas de anticorpos específicos IgE, IgG4 e IgG1 para Dpt, Der p 1, Der p 2 no soro e IgA específicos na saliva e no lavado nasal. Os resultados clínicos mostraram uma redução significativa nos escores de sintomas de rinite/asma em todos os grupos, mas o uso de medicamentos diminuiu apenas no grupo DPT após 12 meses. Resultados de SPT não mostraram mudanças significativas e SLIT foi geralmente segura...

Imunoterapia Específica na Criança com Doença Respiratória

Lopes, Inês; Marino, Elisa; Gomes, Eva
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 16/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.92%
Introdução - A importância da imunoterapia especifica tem sido questionada em muitos estudos, mas parece ser eficaz na doença respiratória IgE mediada.Objectivo - Avaliar a resposta clínica à imunoterapia específica num grupo de crianças com alergia respiratória.Material e Métodos - Análise retrospectiva dos processos clínicos referentes a crianças que efectuaram imunoterapia especifica. Avaliaram-se: sexo, idade de início de sintomas, diagnóstico, idade de inicio da imunoterapia, frequência de sintomas e medicação durante a imunoterapia, duração e motivo de suspensão do tratamento. Também se avaliou o valor da IgE sérica total, testes cutâneos e frequência de sintomas e medicação 1 ano após a suspensão. Foram considerados para análise três grupos de crianças. Grupo 1- resposta favorável, quando houve diminuição ou ausência de sintomas e medicação durante o tratamento; Grupo 2- resposta desfavorável, quando se verificou persistência ou aumento de sintomas e medicação e Grupo 3- resposta duvidosa, quando houve diminuição de sintomas mas se manteve ou aumentou a medicação.Resultados - Englobadas 52 crianças, 30 do sexo masculino, com idade média de início de sintomas de 5,26±3,55A. Tinham asma e rinite 44 crianças...

Repercussão da imunoterapia específica na população T1 e T2 de linfócitos periféricos em doentes atópicos

Rebordão,Manuela; Delgado,Luís; Pinto,Helena; Remédios,Augusto; Taborda-Barata,L
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pneumologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.85%
A coordenação das características humorais e celulares da resposta alérgica, sabe-se hoje, está dependente da regulação por linfócitos T. As vacinas de alergénios são uma terapêutica que consegue modular a resposta das células T, e cujos mecanismos imunológicos permanecem incompletamente esclarecidos. Objectivo: Avaliar o efeito da imunoterapia, após um ano de tratamento, na expressão de citocinas de perfil T1 e T2 em linfócitos de sangue periférico de doentes atópicos. Material e métodos: Estudaram-se dez doentes atópicos sensibilizados a aeroalergénios comuns a fazerem vacinas de alergénios num período médio de um ano. Dentre estes, seis foram estudados antes e após a vacina. Como controlo estudou-se um grupo atópico sem imunoterapia constituído por 14 doentes também sensibilizados a aeroalergénios comuns e um grupo de indivíduos não atópicos, saudáveis, constituído por 7 elementos. A activação dos linfócitos T fez-se com PMA, ionomicina e brefeldina e estudaram-se as citocinas intracitoplasmáticas IFN-g, IL-4, IL-5 e IL-10 por citometria de fluxo. Procedeu-se a análise estatística por testes não paramétricos (Teste de Mann-Whitney U e Wilcoxon), considerando-se significativo p£0,05. Resultados: A expressão de IL-4 e IL-5 nas células T...