Página 1 dos resultados de 15108 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Procalcitonina (PCT) como indicador de infecção grave em adultos neutropênicos febris; Procalcitonin (PCT) as a marker of severe systemic infection in febrile neutropenia

Massaro, Karin Schmidt Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: Neutropenia febril é uma emergência médica que demanda um diagnóstico precoce e administração de antibióticos o mais breve possível. A procalcitonina (PCT) é um marcador inflamatório que vem sendo utilizado como um indicador de infecção bacteriana grave. A detecção precoce do quadro séptico é difícil, principalmente numa população heterogênea como no caso dos neutropênicos febris. A possibilidade de um único exame laboratorial poder identificar precocemente os quadros de sepse contribuiria de forma significativa para melhorar o prognóstico destes pacientes. Objetivo: Avaliar os níveis de PCT como marcador de infecção sistêmica comparados aos níveis de proteína C-reativa (PCR) em pacientes neutropênicos febris. Métodos: Foram estudadas amostras de 65 pacientes com a finalidade de determinar as concentrações séricas de PCT, PCR e outros parâmetros hematológicos em três momentos diferentes: antes da febre, no momento da febre e 72 após o término da febre. Os pacientes foram divididos inicialmente em quatro grupos: com infecção sistêmica comprovada laboratorial ou clinicamente (I), com febre de origem indeterminada - FOI- (II), com infecção localizada (III) e com infecção fúngica confirmada (IV). Posteriormente...

Estudo seccional sobre o espectro clínico e imunológico da infecção humana por Leishmania (L.) i. chagasi na Amazônia brasileira; A cross study on the clinical and immunological spectrum of human Leishmania (L.) i. chagasi infection in the Brazilian amazon

Crescente, José Angelo Barletta
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.8%
A dinâmica da leishmaniose visceral humana na Amazônia brasileira é pouco conhecida e nos últimos anos tem aumentado a incidência da doença principalmente no Estado do Pará. Os objetivos do estudo foram: I) identificar indivíduos com infecção sintomática e/ou assintomática por Leishmania (L.) infantum chagasi, II) estudar os dois tipos de infecção, tanto clínica quanto imunologicamente, e III) estudar a taxa de prevalência da infecção. O estudo foi de corte transversal com 946 indivíduos de ambos os sexos, com idade a partir de 1 ano, vivendo em área endêmica de leishmaniose visceral americana (LVA), município de Barcarena, Pará, Brasil. Para o diagnóstico da infecção, foram usadas a reação dérmica de hipersensibilidade retardada (Reação Intradérmica de Montenegro) - RIM e a Reação de Imunofluorêscencia Indireta (RIFI). Foram diagnosticados 120 casos de infecção com taxa de prevalência de 12.6%; 8 casos mostraram alta soro-reatividade (1.280 a 120.240) IgG utilizando-se o teste da RIFI e nenhuma reação na RIM; 4 casos foram típicos de LVA e outros 4 casos de infecção subclínica oligossintomática. Os dois métodos imunológicos usados simultaneamente com o exame clínico permitiram a identificação de 5 perfis clínico-imunológicos: Infecção Assintomática (IA) 73...

Incidência e fatores de risco de remoção por suspeita de infecção de corrente sanguínea associada ao cateter central de inserção periférica em uma coorte de neonatos; Incidence and risk factors of removal due to suspected catheter-associated bloodstream infection of Peripherally Inserted Central Catheter in a cohort of neonates.

Magalhães, Talita Elci de Castro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: o cateter central de inserção periférica (CCIP) tornou-se amplamente utilizado nas unidades de terapia intensiva neonatal (UTIN) na última década em razão da facilidade de sua instalação, permitindo a infusão de soluções endovenosas vesicantes, irritantes, hiperosmolares e de longa duração em veias centrais. Uma das complicações mais temidas relacionadas ao uso do CCIP é infecção de corrente sanguínea associada ao cateter cujo diagnóstico se confirma somente após a sua remoção, com o resultado de cultura da ponta do dispositivo e o resultado de hemocultura periférica do neonato. Objetivo: determinar a incidência de remoção por suspeita de infecção de corrente sanguínea relacionada ao CCIP e identificar os seus fatores de risco. Metodologia: coorte prospectiva composta por neonatos com CCIP internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital privado da cidade de São Paulo no período de 31 de agosto de 2010 a 30 de agosto de 2012. As variáveis de exposição analisadas foram às relacionadas às características demográficas e clinicas dos neonatos, procedimentos relacionados à inserção do cateter, tipo de terapia intravenosa infundida pelo CCIP e o tempo de permanência do cateter. O desfecho analisado foi o motivo de remoção do cateter - eletivo ou por suspeita de infecção. Os dados obtidos de registros de prontuário foram armazenados em planilha Microsoft Excel 2010® e analisados com o software Stata 11...

Ocorrência de infecção hospitalar em idosos internados em hospital universitário

Villas Bôas, Paulo José Fortes; Ruiz, Tânia
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 372-378
Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: A infecção hospitalar é uma importante causa de morbidade e mortalidade na população idosa. O estudo realizado teve como objetivo avaliar a ocorrência e os fatores de risco da infecção hospitalar. MÉTODOS: Realizou-se estudo prospectivo em uma amostra de 322 idosos com 60 anos e mais, internados em um hospital universitário, entre setembro de 1999 e fevereiro de 2000. O cálculo da amostra foi feito pela fórmula de Fisher e Belle, com intervalo de confiança de 0,95%, de um total de 760 idosos internados, proporcionalmente ao número de pacientes em cada unidade de internação, no ano de 1997. Os critérios para definição da infecção hospitalar foram os do Center for Diseases and Prevention Control. Para a análise estatística dos dados foram utilizados o odds ratio e regressão logística. RESULTADOS: A taxa de infecção hospitalar encontrada foi de 23,6%. As topografias prevalentes de infecção hospitalar foram infecção respiratória (27,6%), do trato urinário (26,4%) e do sítio cirúrgico (23,6%). O tempo de internação dos pacientes sem infecção hospitalar foi de 6,9 dias e dos com infecção hospitalar foi de 15,9 (p<0,05). A taxa de mortalidade dos pacientes internados foi de 9,6% e a de letalidade dos pacientes com infecção hospitalar de 22...

Diagnostico molecular da infecção ativa por citomegalovirus humano (HCMV) em pacientes submetidos a transplante pela reação em cadeia da polimerase (tipo "Nested PCR") : comparação entre leucocitos do sangue periferico e soro; Molecular diagnostic of active human cytomegalovirus infection in patient urdergoing transplanation by nested polymerase chain reaction : comparison between peripheral blood leucocytes and serum

Paula Durante Andrade
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.83%
O Citomegalovírus Humano (HCMV) é o principal causador de complicações pós-transplante. Métodos específicos que permitam identificar, precocemente, os pacientes com risco de desenvolvimento de doença, para os quais tratamento é indicado, têm sido requeridos, a fim de que poucos pacientes sejam desnecessariamente tratados e para a efetiva instituição terapêutica. A "Nested-PCR", dupla Reação em Cadeia da Polimerase, é um teste comumente utilizado no diagnóstico da infecção ativa por HCMV, contudo, quando realizada em leucócitos do sangue periférico, devido à sua alta sensibilidade, não apresenta boa correlação com o desenvolvimento de doença por HCMV. A detecção do DNA do HCMV no soro, pela PCR, tem sido associada com o desenvolvimento de doença por HCMV. Neste estudo, nós aplicamos a "Nested-PCR" em leucócitos do sangue periférico (denominada "L-PCR"), o método Convencional do Laboratório, e em soro ("sPCR"), para o diagnóstico da infecção ativa por HCMV, a fim de estabelecermos a correlação dos resultados obtidos, de ambos os métodos, com o desenvolvimento de infecção sintomática. Com este propósito, nós avaliamos, prospectivamente, amostras de 37 pacientes, 20 submetidos a transplante renal...

Complicações infecciosas e fatores preditivos de infecção em pacientes queimados

Macedo, Jefferson Lessa Soares de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Português
Relevância na Pesquisa
36.83%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2006.; ANTECEDENTES. Os avanços no tratamento de queimados têm reduzido as taxas de letalidade e melhorado a qualidade de vida das vítimas de queimaduras. Entretanto, as complicações infecciosas continuam sendo um desafio e uma das principais causas de óbito do queimado. Além da extensão da superfície corporal queimada, que acarreta ausência de cobertura cutânea com grande carga de colonização bacteriana, outros fatores favorecem as complicações infecciosas nos queimados: a imunossupressão decorrente da lesão térmica, a possibilidade de translocação bacteriana gastrintestinal e a internação prolongada. Também, o uso de cateteres e tubos, ou seja, os procedimentos invasivos diagnósticos e terapêuticos que acabam alterando as defesas naturais do hospedeiro, favorecem a ocorrência de infecção. OBJETIVO. Investigar as principais complicações infecciosas e os fatores preditivos de infecção em pacientes queimados. MÉTODO. O estudo foi conduzido durante 12 meses, compreendendo 278 pacientes que foram tratados em regime de internação hospitalar na Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte, Brasília, DF. As complicações infecciosas dos pacientes tratados na Unidade de Queimados foram registradas prospectivamente de acordo com critérios definidos previamente. As avaliações hematológicas...

Resposta humoral na infecção por VIH-2 : impacto no diagnóstico, prevenção e evolução viral

Marcelino, José Maria, 1959-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.9%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédicas (Ciências Biopatalógicas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2011; Os indivíduos infectados pelo VIH-2 progridem mais lentamente do que os infectados pelo VIH-1, e estima-se que mais de 95% dos indivíduos infectados por VIH-2 estejam incluídos na definição clínica de long-term nonprogressors. Esta diferença faz do VIH-2 um potencial modelo de estudo de uma infecção VIH atenuada que pode fornecer uma visão única da patogénese da infecção VIH-1. Até ao momento, os mecanismos responsáveis pelo fenótipo atenuado do VIH-2 não são bem conhecidos. A carga viral plasmática é inferior nos indivíduos infectados pelo VIH-2 do que pelo VIH-1. Isto sugere que a principal diferença entre os dois tipos de VIH pode estar no grau de replicação viral, e presume que a resposta imunológica do hospedeiro contribui directamente para um controlo mais eficiente da replicação do VIH-2. Actualmente não existem dúvidas de que a maioria dos indivíduos infectados pelo VIH-1 ou VIH-2 produzem anticorpos neutralizantes (AcNT) autólogos e heterólogos. Contudo, existe alguma controvérsia sobre se os AcNT controlam de facto a replicação viral, uma vez que na maioria dos casos não se observa correlação inversa entre o título de AcNT e a carga viral plasmática. Na realidade...

Registo da Infecção Congénita por Vírus Citomegálico Humano

Paixão, P; Neto, MT; Brito, MJ; Rocha, G; Marques, T
Fonte: Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Publicador: Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE
Tipo: Aula
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: O HCMV é a principal causa de infecção congénita em todo o mundo. Estima-se que em Portugal a prevalência se situe entre 0,7% e 1%. Em 2006 teve início o registo nacional de casos de infecção congénita por CMV realizado pela Unidade de Vigilância Pediátrica da Sociedade Portuguesa de Pediatria (UVP–SPP). O objectivo foi conhecer a epidemiologia da infecção congénita por CMV em Portugal e a evolução das crianças afectadas. Um outro objectivo era preparar um protocolo de diagnóstico e de estudo evolutivo nas crianças afectadas. Nesta apresentação são mostrados os resultados de 5 anos de registo (Janeiro de 2006 a Dezembro de 2010) Materiais e Métodos: Desenho: Estudo de vigilância epidemiológica nacional. A metodologia do registo já foi explicada em estudos anteriores. Critérios de inclusão: crianças com infecção confirmada por cultura viral na urina ou PCR positiva nas primeiras 3 semanas de vida. Os dados clínicos e laboratoriais foram enviados para o grupo coordenador aquando do diagnóstico e ao longo da vigilância clínica. Resultados: Nos 5 anos 15 notificadores notificaram 38 casos – incidência estimada 0.074/1000NV; 16 RN eram sintomáticos e 22 assintomáticos; 19 mães tinham tido infecção primária...

Registo da Infecção Congénita por Vírus Citomegálico Humano

Paixão, P; Neto, MT; Brito, MJ; Rocha, G; Marques, T
Fonte: Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Publicador: Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE
Tipo: Aula
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: O HCMV é a principal causa de infecção congénita em todo o mundo. Estima-se que em Portugal a prevalência se situe entre 0,7% e 1%. Em 2006 teve início o registo nacional de casos de infecção congénita por CMV realizado pela Unidade de Vigilância Pediátrica da Sociedade Portuguesa de Pediatria (UVP–SPP). O objectivo foi conhecer a epidemiologia da infecção congénita por CMV em Portugal e a evolução das crianças afectadas. Um outro objectivo era preparar um protocolo de diagnóstico e de estudo evolutivo nas crianças afectadas. Nesta apresentação são mostrados os resultados de 5 anos de registo (Janeiro de 2006 a Dezembro de 2010) Materiais e Métodos: Desenho: Estudo de vigilância epidemiológica nacional. A metodologia do registo já foi explicada em estudos anteriores. Critérios de inclusão: crianças com infecção confirmada por cultura viral na urina ou PCR positiva nas primeiras 3 semanas de vida. Os dados clínicos e laboratoriais foram enviados para o grupo coordenador aquando do diagnóstico e ao longo da vigilância clínica. Resultados: Nos 5 anos 15 notificadores notificaram 38 casos – incidência estimada 0.074/1000NV; 16 RN eram sintomáticos e 22 assintomáticos; 19 mães tinham tido infecção primária...

Estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um acidente vascular cerebral : tipos de infecção e tipos de acidentes vasculares cerebrais

Silva, Daniela Patrícia Leitão
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: O papel da infecção aguda como factor de risco para Acidente Vascular Cerebral tem sido objecto de discussão há já muitos anos, e vários são os estudos que demonstram que a infecção na semana prévia, pode precipitar enfartes isquémicos, em todos os grupos etários, com uma prevalência que varia de 10-35%. Os estudos já realizados atribuem às infecções respiratórias, particularmente bacterianas, uma função de gatilho mais preponderante. Objectivos: Este estudo teve como objectivo investigar uma possível associação entre um AVC e infecções recentes, até uma semana antes do evento vascular. A par disso, procurou também encontrar alguma relação com algum grupo etário, com o tipo e subtipo de AVC, com a presença ou não de factores de risco cardiovasculares, e com o desenvolvimento de complicações durante o internamento, nesses doentes com infecção prévia. Também se tentou averiguar se existiria algum tipo de infecção mais predominantemente associado. Métodos: Foi realizado um estudo prospectivo durante os meses de Novembro, Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010, na Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais do Centro Hospitalar Cova da Beira, onde se incluíram todos os doentes com AVC/AIT...

Ocorrência de infecção hospitalar em idosos internados em hospital universitário

Villas Bôas,Paulo José Fortes; Ruiz,Tânia
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: A infecção hospitalar é uma importante causa de morbidade e mortalidade na população idosa. O estudo realizado teve como objetivo avaliar a ocorrência e os fatores de risco da infecção hospitalar. MÉTODOS: Realizou-se estudo prospectivo em uma amostra de 322 idosos com 60 anos e mais, internados em um hospital universitário, entre setembro de 1999 e fevereiro de 2000. O cálculo da amostra foi feito pela fórmula de Fisher e Belle, com intervalo de confiança de 0,95%, de um total de 760 idosos internados, proporcionalmente ao número de pacientes em cada unidade de internação, no ano de 1997. Os critérios para definição da infecção hospitalar foram os do Center for Diseases and Prevention Control. Para a análise estatística dos dados foram utilizados o odds ratio e regressão logística. RESULTADOS: A taxa de infecção hospitalar encontrada foi de 23,6%. As topografias prevalentes de infecção hospitalar foram infecção respiratória (27,6%), do trato urinário (26,4%) e do sítio cirúrgico (23,6%). O tempo de internação dos pacientes sem infecção hospitalar foi de 6,9 dias e dos com infecção hospitalar foi de 15,9 (p<0,05). A taxa de mortalidade dos pacientes internados foi de 9,6% e a de letalidade dos pacientes com infecção hospitalar de 22...

Infecção latente de sítio cirúrgico: hipótese ou realidade?

Ferraz,Álvaro Antônio Bandeira; Ferraz,Edmundo Machado
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2003 Português
Relevância na Pesquisa
36.86%
OBJETIVO: A infecção prévia do sítio cirúrgico é um forte determinante para o desenvolvimento de uma nova infecção do sítio cirúrgico. É a chamada infecção latente do sítio cirúrgico. O objetivo deste estudo foi de analisar a taxa de infecção de pacientes com história prévia de infecção do sítio cirúrgico e tentar correlacionar com o agente etiológico da infecção anterior. MÉTODO: A população estudada compreendeu 389 pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico eletivo de hérnia incisional. Os dados foram analisados de acordo com as informações contidas na ficha de controle de infecção, que é anexada ao prontuário de cada paciente, sendo, após a alta encaminhada à Comissão de Controle de Infecção Hospitalar. RESULTADOS: A incidência de infecção do sítio cirúrgico foi de 6,7% (26/389). Nos pacientes com história pregressa de infecção de ferida operatória (69/389) um novo quadro de infecção ocorreu em 27,6%(19/69) enquanto que a taxa de infecção de feridas dos pacientes que não apresentaram episódios anteriores de infecção de sítio cirúrgico foi de 2,2% (7/320). Esta diferença foi estatisticamente significativa (p < 0,001). Nos 19 pacientes que apresentaram infecção do sítio cirúrgico e história pregressa de infecção do sítio cirúrgico...

Resistência primaria do HIV aos antirretrovirais e infecção recente em centros de testagem e aconselhamento da região metropolitana do Recife-Pernambuco

Maria Salustiano Cavalcanti, Ana; Ramos Lacerda de Melo, Heloísa (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
O uso das drogas antirretrovirais no Brasil tem aumentado a sobrevida e melhorado a qualidade de vida dos pacientes com HIV/Aids, porém alguns indivíduos podem apresentar falha terapêutica devido a resistência do HIV, entre outros fatores. Testes genotípicos podem detectar resistência em pacientes que nunca fizeram uso da terapia, possibilitando identificar cepas resistentes que podem ser transmitidas. Ensaios imunoenzimáticos com metodologias específicas podem identificar se uma pessoa foi infectada recentemente, distinguindo-as de pessoas com infecção crônica. Esta tese é composta por uma revisão da literatura abordando resistência primaria, infecção recente e subtipos do HIV, e por dois artigos. No primeiro, sob o titulo Resistência primaria do HIV aos antirretrovirais em Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Região Metropolitana do Recife (RMR), Pernambuco foram analisadas 130 amostras de usuários soropositivos para o HIV e virgens de tratamento antirretroviral recrutados no período de julho/2007 a abril/2009, de cinco CTA. As amostras foram analisadas utilizando-se o kit TRUGENE® HIV-1 Genotyping Assay OpenGene DNA Sequencing System (Siemens Diagnostics, USA) para detecção de mutações de resistência e no ensaio BED-CEIA® IgG HIV-1 (Calypte Biomedical Corporation- USA) ...

Azitromicina inibe a infecção por Toxoplasma gondii em oculares de fetos e reduz o parasitismo na infecção congênita e adquirida em modelo experimental de Calomys callosus

Lopes, Carla Duque
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
36.8%
Toxoplasma gondii é um parasita intracelular obrigatório, amplamente distribuído e que causa danos graves aos fetos quando são transmitidos durante a gestação e em adultos imunossuprimidos. As drogas mais utilizadas para o tratamento da toxoplasmose são a combinação de medicamentos: sulfadiazina, pirimetamina e ácido folínico. Entretanto, essas drogas demonstram graves efeitos colaterais e, atualmente, a sua eficácia é bastante discutida na literatura. Outros medicamentos são tidos como alternativos ao tratamento da toxoplasmose adquirida, dentre eles a clindamicina, a atovaquona e a azitromicina. Essa última demonstra-se eficaz no combate as formas taquizoítas e bradizoítas,“in vitro”, do parasita e apresenta-se com poucos efeitos colaterais na prática clínica. Neste estudo testamos a eficácia da azitromicina na redução da transmissão congênita de Toxoplasma analisando olhos de fetos de Calomys callosus, bem como da infecção adquirida em adultos através da análise do tecido cerebral de fêmeas prenhes e de machos imunocompetentes. Para a avaliação da infecção vertical, fêmeas de C. callosus foram inoculadas, oralmente, com 20 cistos da cepa ME49 de T. gondii no 1º dia de gestação e tratadas com os differentes protocolos. Os fetos foram coletados nos dias 15...

Infecção pelo Paracoccidioides brasiliensis em população de assentamentos rurais de Jaraguari, Mato Grosso do Sul. Estudo epidemiológico utilizando a intradermorreação com gp43 e retestagem para avaliação do fenômeno booster.

Marques, Ana Paula da Costa
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
36.8%
Estudos sobre a epidemiologia da infecção paracoccidióidica são baseados em inquéritos realizados com testes intradérmicos, sendo a paracoccidioidina o antígeno mais utilizado, contudo, reações cruzadas com outras infecções fúngicas têm sido relatadas. A glicoproteína de 43 - kDa (gp43) por ser o componente mais antigênico do Paracoccidioides brasiliensis e apresentar maior especificidade vem sendo utilizada em testes intradérmicos. A prevalência da infecção paracoccidióidica nas diferentes áreas da América Latina e Brasil não é totalmente conhecida. Em Mato Grosso do Sul (MS), estado com base econômica agropecuária e com a maior frequência relativa de mortes por paracoccidioidomicose, se desconhece a prevalência da infecção paracoccidióidica. Os objetivos deste estudo foram: estimar a prevalência da infecção paracoccidióidica em assentamentos rurais do município de Jaraguari (MS) e avaliar os fatores de riscos associados à infecção; bem como identificar a ocorrência e estimar a taxa de fenômeno booster na intradermorreação com a gp43. Um estudo seccional foi realizado em oito assentamentos rurais do município de Jaraguari (MS). Dos 4555 assentados, uma amostra de 721 foi selecionada por conveniência. Os sujeitos do estudo foram submetidos a uma entrevista com dados demográficos e hábitos de vida e ao teste cutâneo com a aplicação intradérmica de 0...

Infecção pelo Paracoccidioides brasiliensis em população de assentamentos rurais de Jaraguari, Mato Grosso do Sul. Estudo epidemiológico utilizando a intradermorreação com gp43 e retestagem para avaliação do fenômeno booster

Marques, Ana Paula da Costa
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
36.8%
Estudos sobre a epidemiologia da infecção paracoccidióidica são baseados em inquéritos realizados com testes intradérmicos, sendo a paracoccidioidina o antígeno mais utilizado, contudo, reações cruzadas com outras infecções fúngicas têm sido relatadas. A glicoproteína de 43 - kDa (gp43) por ser o componente mais antigênico do Paracoccidioides brasiliensis e apresentar maior especificidade vem sendo utilizada em testes intradérmicos. A prevalência da infecção paracoccidióidica nas diferentes áreas da América Latina e Brasil não é totalmente conhecida. Em Mato Grosso do Sul (MS), estado com base econômica agropecuária e com a maior frequência relativa de mortes por paracoccidioidomicose, se desconhece a prevalência da infecção paracoccidióidica. Os objetivos deste estudo foram: estimar a prevalência da infecção paracoccidióidica em assentamentos rurais do município de Jaraguari (MS) e avaliar os fatores de riscos associados à infecção; bem como identificar a ocorrência e estimar a taxa de fenômeno booster na intradermorreação com a gp43. Um estudo seccional foi realizado em oito assentamentos rurais do município de Jaraguari (MS). Dos 4555 assentados, uma amostra de 721 foi selecionada por conveniência. Os sujeitos do estudo foram submetidos a uma entrevista com dados demográficos e hábitos de vida e ao teste cutâneo com a aplicação intradérmica de 0...

Estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um acidente vascular cerebral : tipos de infecção e tipos de acidentes vasculares cerebrais

Silva, Daniela Patrícia Leitão
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
Introdução: O papel da infecção aguda como factor de risco para Acidente Vascular Cerebral tem sido objecto de discussão há já muitos anos, e vários são os estudos que demonstram que a infecção na semana prévia, pode precipitar enfartes isquémicos, em todos os grupos etários, com uma prevalência que varia de 10-35%. Os estudos já realizados atribuem às infecções respiratórias, particularmente bacterianas, uma função de gatilho mais preponderante. Objectivos: Este estudo teve como objectivo investigar uma possível associação entre um AVC e infecções recentes, até uma semana antes do evento vascular. A par disso, procurou também encontrar alguma relação com algum grupo etário, com o tipo e subtipo de AVC, com a presença ou não de factores de risco cardiovasculares, e com o desenvolvimento de complicações durante o internamento, nesses doentes com infecção prévia. Também se tentou averiguar se existiria algum tipo de infecção mais predominantemente associado. Métodos: Foi realizado um estudo prospectivo durante os meses de Novembro, Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010, na Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais do Centro Hospitalar Cova da Beira, onde se incluíram todos os doentes com AVC/AIT...

Controle de infecção em cirurgia geral: resultado de um estudo prospectivo de 23 anos e 42.274 cirurgias

Ferraz,Edmundo Machado; Ferraz,Álvaro Antônio Bandeira; Bacelar,Tércio Souto; D'Albuquerque,Helena Suely T.; Vasconcelos,Maria das Dores Maia M.; Leão,Cristiano Souza
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2001 Português
Relevância na Pesquisa
36.85%
OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi de avaliar uma metodologia simples adotada há 23 anos em um hospital público universitário no controle das infecções pós-cirúrgicas. MÉTODO: A casuística estudada compreende um total de 42.274 cirurgias realizadas no Serviço de Cirurgia Geral do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (janeiro de 1977 a dezembro de 1999). Os dados foram obtidos através um sistema de busca ativa de infecção e de um sistema de vigilância epidemiológica de seguimento pós-operatório, no ambulatório de egressos. A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Hospital das Clínicas (HC) da UFPE concentrou sua atuação na prevenção, dando ênfase ao: diagnóstico preciso dos casos de infecção; higiene corporal; controle das afecções associadas; internamento pré-operatório; cuidados com tricotomia; anti-sepsia e assepsia; técnica cirúrgica adequada; divulgação dos resultados e da relação infecção/cirurgião/anestesista e rigoroso controle de antimicrobianos. RESULTADOS: A taxa de infecção de ferida passou de índices em torno de 15-20% para os atuais 7,7%. A infecção urinária foi reduzida de 18,2% para 0,4%, e a infecção respiratória de 22...

Prevalência de infecção em unidades de terapia intensiva de um hospital escola terciário; Prevalence rates of infection in intensive care units of a tertiary teaching hospital

Toufen Junior, Carlos; Hovnanian, André Luiz Dresler; Franca, Suelene Aires; Carvalho, Carlos Roberto Ribeiro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: Determinar a prevalência de infecções em pacientes de Terapia Intensiva, os agentes infecciosos mais comuns e seus padrões de resistência. Identificar os fatores relacionados a infecção adquirida na Unidade de Terapia Intensiva e as taxas de mortalidade. DESENHO: Estudo de prevalência de um dia. LOCAL:Um total de 19 Unidades de Terapia Intensiva do Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) participaram do estudo. PACIENTES: Todos os pacientes com idade superior a 16 anos internados em leitos de terapia intensiva por mais de 24 horas foram incluídos. As 19 Unidades de Terapia Intensiva forneceram 126 casos. VARIÁVEIS:Taxas de infecção, uso de antibióticos, padrões de resistência microbiológica, fatores relacionados à infecção adquirida na Unidade de Terapia Intensiva, taxas de mortalidade. RESULTADOS: Um total de 126 pacientes foi estudado. Oitenta e sete (69%) receberam antibióticos no dia do estudo, sendo 72 (57%) para tratamento e 15 (12%) para profilaxia. Baseado no tipo, observou-se que a infecção adquirida na comunidade ocorreu em 15 pacientes (20,8%), infecção hospitalar fora da Unidade de Terapia Intensiva em 24 (33,3%), e infecção adquirida na Unidade de Terapia Intensiva em 22 pacientes (30...

Ocorrência de infecção hospitalar em idosos internados em hospital universitário

Villas Bôas,Paulo José Fortes; Ruiz,Tânia
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 Português
Relevância na Pesquisa
36.82%
OBJETIVO: A infecção hospitalar é uma importante causa de morbidade e mortalidade na população idosa. O estudo realizado teve como objetivo avaliar a ocorrência e os fatores de risco da infecção hospitalar. MÉTODOS: Realizou-se estudo prospectivo em uma amostra de 322 idosos com 60 anos e mais, internados em um hospital universitário, entre setembro de 1999 e fevereiro de 2000. O cálculo da amostra foi feito pela fórmula de Fisher e Belle, com intervalo de confiança de 0,95%, de um total de 760 idosos internados, proporcionalmente ao número de pacientes em cada unidade de internação, no ano de 1997. Os critérios para definição da infecção hospitalar foram os do Center for Diseases and Prevention Control. Para a análise estatística dos dados foram utilizados o odds ratio e regressão logística. RESULTADOS: A taxa de infecção hospitalar encontrada foi de 23,6%. As topografias prevalentes de infecção hospitalar foram infecção respiratória (27,6%), do trato urinário (26,4%) e do sítio cirúrgico (23,6%). O tempo de internação dos pacientes sem infecção hospitalar foi de 6,9 dias e dos com infecção hospitalar foi de 15,9 (p<0,05). A taxa de mortalidade dos pacientes internados foi de 9,6% e a de letalidade dos pacientes com infecção hospitalar de 22...