Página 1 dos resultados de 549 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Mecanismos de regulação de catecolaminas nas células cromafins : papel da interleucina 1-ß e do neuropeptídeo Y

Salgado, Joana Margarida Rosmaninho
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado Formato: aplication/PDF
Português
Relevância na Pesquisa
56.33%
A activacao do eixo hipotalamo-glandula pituitaria-suprarrenal (HPA) pode modular o sistema imunitario. As citocinas e o neuropeptideo Y (NPY) sao reguladores do eixo HPA e ambos sao produzidos pela medula da supra-renal. A interleucina-1β (IL-1β) e uma citocina cuja funcao na libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins e ainda controversa. Por outro lado, o NPY e um neuropeptideo que pode ser co-libertado com as catecolaminas e ainda estimular a libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins humanas e de murganho. No entanto os mecanismos intracelulares acoplados a activacao dos receptores do NPY e a estimulacao da libertacao de catecolaminas ainda e desconhecido. O primeiro objectivo deste trabalho consistiu em estudar os mecanismos intracelulares acoplados a activacao do receptor Y1 do NPY que induzem um aumento da libertacao de catecolaminas (noradrenalina, NA e adrenalina, AD) pelas celulas cromafins de murganho. O antagonista do receptor Y1, BIBP 3226, inibiu o efeito estimulador do NPY, comprovando que o receptor Y1 esta envolvido no processo de libertacao de catecolaminas pelas celulas cromafins de murganho. Alem disso, verificou-se que libertacao de catecolaminas estimulada pela activacao do receptor Y1 ocorre atraves de um processo dependente de Ca2+. Por outro lado...

Avaliação dos efeitos antiinflamatórios da proteína antagonista de receptor de interleucina - 1 (IRAP) por citometria de fluxo em líquido sinovial de eqüino; Evaluation of the anti-inflammatory effects of the interleukin-1 receptor antagonist protein in equine synovial fluid using flow cytometric techniques

Brossi, Patrícia Monaco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.24%
A doença articular, especificamente a osteoartrite é uma das enfermidades mais prevalentes e mais debilitantes que acomete os cavalos, tendo um grande impacto econômico na indústria eqüina. Assim sendo, a investigação contínua e avanços na área terapêutica são de fundamental importância. A osteoartrite é uma doença degenerativa que pode ser deflagrada por uma série de fatores e onde, ultimamente, todos os tecidos articulares encontram-se comprometidos. Não obstante, é na degradação da matriz extracelular da cartilagem articular que ocorrem os eventos de maior expressão e repercussão. Na gênese da degradação da matriz extracelular encontra-se um desequilíbrio entre os processos anabólicos e catabólicos responsáveis pela homeostase normal da cartilagem articular e pela adaptação deste tecido às forças que sobre ele incidem. Estes processos são orquestrados por proteínas anabólicas, como, por exemplo o fator de crescimento tipo insulina 1 (IGF-l), e por citocinas inflamatórias que, de forma contrária, são responsáveis pela depleção de colágeno e de proteoglicanas da matriz, representando o grupo de proteínas catabólicas, cujo exemplo clássico é a interleucina-1. A interleucina-1 tem papel central nos processos fisiopatológicos da osteoartrite por desencadear vários eventos catabólicos nos sinoviócitos e condrócitos...

Dor e qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer: influência das citocinas pró-inflamatórias TNF-α, IL-6, IL-8 e IL -1β; Pain and health-related quality of life in patients with cancer: influence of pro-inflammatory cytokines TNF-α, IL-6, IL-8 e IL-1β

Ferreira, Karine Azevêdo São Leão
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/02/2008 Português
Relevância na Pesquisa
46.33%
Objetivos: avaliar a associação entre dor oncológica crônica e as citocinas pró-inflamatórias interleucina-6 (IL-6), IL-8, IL-1β e TNF-α, e a interferência destas citocinas na relação entre dor, qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) e desempenho funcional (DF). Método: 220 pacientes ambulatoriais com câncer, que não haviam recebido nenhum tratamento antineoplásico nos últimos 30 dias, foram avaliados pelo Inventário Breve de Dor, Questionário de Dor McGill (MPQ), Inventário de Depressão de Beck, Escala de Desempenho Funcional de Karnofsky e a escala de QVRS, EORTC-QLQ-c30. Os níveis plasmáticos das citocinas foram dosados através do teste imunoenzimático ELISA e comparados entre pacientes com dor leve (G1), moderada a intensa (G2) e sem dor (G3) usando a ANOVA ou o teste de Kruskal-Wallis seguido por análise de múltiplas comparações. Os pacientes do G1 e G2 apresentavam apenas dor oncólogica e estavam em uso de analgésicos. Os do G3 tinham câncer, mas não apresentaram dor ou fizeram uso de analgésicos nos últimos 14 dias. 23 voluntários saudáveis (G4) foram incluídos como controle. A ANCOVA foi utilizada para avaliar o efeito das citocinas na relação dor, QVRS e DF. A análise de Árvore de Classificação e Regressão (CART) avaliou a relação entre citocinas e níveis de dor...

Modulação da enzima NAD(P)H oxidase pela glicose, palmitato e interleucina - 1? e sua participação no processo de secreção de insulina induzido pela glicose.; NAD(P)H oxidase modulation by glucose, palmitate and interleukin 1? and the participation on the process of glucose-induced insulin secretion.

Mendes, Daniela Morgan
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
56.29%
Neste projeto, demonstramos a modulação da enzima NAD(P)H oxidase pela glicose, palmitato e interleucina - 1? através da análise da expressão protéica do componente p47PHOX e pela atividade dessa enzima via produção de superóxido e peróxido de hidrogênio. Demonstramos também a participação da enzima NAD(P)H oxidase no processo de secreção de insulina induzido pela glicose pois a inibição da enzima pelo DPI e oligonucleotídeo anti p47PHOX promoveu uma diminuição da secreção do hormônio. A partir desse dado passamos a avaliar o mecanismo de ação da enzima no processo secretório e demonstramos que a inibição dessa enzima promove uma inibição de genes essenciais no processo de secreção de insulina como GLUT-2 e glicocinase.Assim podemos concluir que a enzima NAD(P)H oxidase é modulada pela glicose, palmitato e interleucina 1? e que essa enzima participa do processo de secreção insulina modulando genes essenciais para o processo secretório como GLUT-2 e glicocinase.; The expression and activity of the componenents of NAD(P)H oxidase in pancreatic islets were described for the first time in our laboratory (OLIVEIRA, HR et ai, 2003). It was shown the gene and protein expression of the components of this enzyme in Seta cells and that enzyme activation is mediated by glucose. Glucose induced insulin secretion was followed by increase in EROS generation and this increase was in part mediated by NAD(P)H oxidase activation (the same mechanism observed in phagocytes). In this study...

O polimorfismo do antagonista do receptor da interleucina-1 (IL1RN) como fator contribuinte para gravidade da cardite reumática em brasileiros; Interleukin-1 receptor antagonist gene (IL1RN) polymorphism as a contributing factor for the severity of rheumatic carditis in a brazilian cohort

Azevedo, Pedro Ming
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
66.25%
A febre reumática (FR) é uma doença imuno-mediada, na qual citoquinas pró-inflamatórias têm um importante papel. Uma produção exacerbada de interleucina-1 (IL-1) parece ser um evento precoce entre as anormalidades imunológicas observadas na FR. O antagonista do receptor de IL-1 (IL1-RA) é um inibidor competitivo endógeno do receptor da IL-1. A razão IL-1RA/IL-1 é importante na determinação da intensidade e duração da resposta inflamatória. O alelo 2 (A2) do gene codificador do IL1-RA (IL1RN) tem sido relacionado a um número de doenças inflamatórias e autoimunes, bem como a uma maior resistência a infecções. Considerando que a FR é uma doença inflamatória autoimune desencadeada por uma infecção bacteriana, nós avaliamos o polimorfismo do IL1RN com o intuito de determinar possível relevância na susceptibilidade à FR e suas manifestações clínicas. O genótipo de 84 pacientes com FR e 84 controles pareados por raça foram determinados através da análise do número de repetições em tandem de 86pb no segundo íntron do IL1RN. O DNA foi extraído de leucócitos de sangue periférico e amplificado com sondas específicas. Dados sobre as manifestações clínicas da FR foram obtidos através de questionários padronizados e extensa revisão de prontuários. Cardite foi definida como sopro cardíaco novo auscultado por médico treinado com a correspondente regurgitação ou estenose valvar ao ecocardiograma. Cardite foi definida como grave na presença de insuficiência cardíaca congestiva ou da indicação de cirurgia cardíaca. A associação estatística entre genótipos...

Avaliação da frequência do polimorfismo nos genes que codificam a lecitina ligadora da manose (MBL) e o antagonista do receptor da interleucina-1 (IL1-Ra) em mulheres portadoras de candidíase vulvovaginal recorrente; Frequency of polymorphisms in the genes coding for mannose binding ligation (MBL) and Interleukin-1 receptor antagonist (IL1- Ra) in women with recurrent vulvovaginal candidiasis

Wojitani, Maria Dulce Caoro Horie
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/05/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.23%
A candidíase vulvovaginal corresponde a uma das mais frequentes infecções do trato reprodutivo. Estima-se que 75% das mulheres na idade reprodutiva experimentarão pelo menos um episódio de candidíase vulvovaginal durante suas vidas, a maioria evoluirá com episódios infrequentes, entretanto, 5% sofrerão recorrência, ou seja, quatro ou mais episódios de candidíase vulvovaginal comprovadas clínica e laboratorialmente no período de 1ano. Os mecanismos pelos quais as recorrências ocorrem ainda são pouco conhecidos, estando provavelmente relacionados à alterações na imunidade local. O presente estudo teve como objetivo avaliar as associações entre os polimorfismos nos genes que codificam a lecitina ligadora de manose (MBL) e do antagonista do receptor da interleucina 1 (IL1-Ra) com a candidíase vulvovaginal recorrente (CVVR) em mulheres brasileiras. Foram estudadas 100 mulheres portadoras de CVVR atendidas no Serviço de Imunologia Genética e Infecções do Trato Reprodutivo da Disciplina de Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Para a análise dos polimorfismos nos genes que codificam para a MBL e o IL1-Ra realizou-se coleta de células bucais que foram enviadas para Division of Immunology and Infectious Diseases of Weill Medical College of Cornell University Resultados: Mulheres com candidíase vulvovaginal recorrente apresentaram maior frequência de polimorfismo no códon 54 do gene que codifica a MBL quando comparadas a mulheres saudáveis. Não foram observadas diferenças estatisticamente significativas na frequência do polimorfismo do gene que codifica o IL1-Ra entre os grupos estudados; Vulvovaginal candidiasis is the most common genital infection in women during their childbearing years. About 75% of women suffer at least one syntomatic episode during their lives. Most of them will have infrequent episodes...

Mensuração sérica de Interleucina-1 β, Interleucina-6, Interleucina-10 e Fator de Necrose Tumoral α em cães com doença periodontal crônica; Measurement of serum Interleukin-1β, Interleukin-6, Interleukin 10 and Tumor Necrosis Factor-α in dogs with chronic periodontal disease

Cardoso, Juliana Kowalesky
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.29%
A doença periodontal é resultado da inflamação das estruturas periodontais em resposta ao biofilme dentário presente na superfície dental e sulco gengival. Sua etiopatogenia é multifatorial e complexa. Na periodontite crônica há bacteremia freqüente durante rotinas diárias como escovação dentária e mastigação e acredita-se que esse estímulo constante ao sistema imunológico possa causar repercussões sistêmicas nos pacientes, como arterioescleroses. Uma das formas atuais de se mensurar essa alteração é pela presença de mediadores inflamatórios séricos. Sendo as proteínas de fase aguda, como as citocinas, as mais avaliadas. Assim como os trabalhos encontrados para a espécie humana, propôsse a mensuração sérica das interleucinas IL-1, IL-6, IL-10 e TNF-α em cães com doença periodontal crônica. Como grupo controle, utilizaram-se os mesmos pacientes após tratamento periodontal, mensurando as mesmas interleucinas depois de 21 dias do tratamento. Como resultado todas as interleucinas sofreram alteração, porém somente a IL-6 teve redução estatisticamente significativa após o tratamento periodontal. Todavia atenta-se para os elevados valores encontrados em alguns pacientes, o que pode demonstrar importante alteração sistêmica.; Periodontal disease is the result of inflammation of the periodontal structures in response to the biofilm present on the tooth surface and the gingival sulcus. Its pathogenesis is multifactorial and complex. Bacteremia in chronic periodontitis is constant during daily routines...

Efeito do exercício físico sobre a liberação de interleucina-1[beta], interleucina-6 e fator de necrose tumoral-[alfa] em homens portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica

Chiesa, Daniela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.33%
A atividade física intensa pode induzir resposta inflamatória subclínica e aumento nos níveis plasmáticos de citocinas pró-inflamatórias. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação entre a liberação de citocinas (IL-1β, IL-6, e TNF-α), o exercício físico agudo e o exercício regular em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Foram estudados 18 pacientes do sexo masculino com DPOC moderada a muito grave, divididos em dois grupos: 11 pacientes foram incluídos em programa de reabilitação pulmonar (RP) durante 8 semanas e 7 pacientes sem atividade física regular foram incluídos como grupo controle (C). Todos os pacientes realizaram espirometria, teste de exercício cardiopulmonar incremental máximo e teste de endurance em cicloergômetro com carga constante (60% da carga máxima do teste incremental) no início do projeto e após oito semanas. Foi coletado sangue venoso periférico para dosagem de citocinas, antes e 15 minutos após os testes de endurance (TE1 e TE2). IL-1β, IL-6, e TNF-α foram dosadas com kits ELISA específicos (Quantikine®, R&D Systems). Os pacientes submetidos à RP liberaram menos IL-1β que os controles após o treinamento (RP: TE1 0,96±0,66; TE2 -0,24±0,27 pg/ml; grupo C: TE1 -1...

Influência da interleucina-1 beta sobre a secreção e conteúdo de S100B em astrócitos, células de glioma C6 e fatias hipocampais

Souza, Daniela Fraga de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.13%
S100B é uma citocina produzida e secretada por astrócitos, que está envolvida no ciclo de citocinas desencadeado pela IL-1β na doença de Alzheimer. Entretanto, a secreção de S100B seguida de estímulo pela IL-1β não tem sido demonstrado diretamente. Nós investigamos a secreção de S100B em culturas gliais e fatias hipocampais expostas a IL-1β. Culturas corticais primárias de astrócitos, células de glioma C6 e fatias hipocampais agudas de ratos Wistar expostas a IL-1β (de 1 pg a 10ng/mL) foram utilizadas.S100B extracelular foi medida por ELISA. Migração nuclear de NF-κB foi investigada por imunocitoquímica e immunoblotting. A secreção de S100B também foi avaliada na presença de inibidores de NF-κB e MAPK. A análise estatística foi realizada utilizando teste t de Student ou ANOVA de uma via, assumindo p< 0.05. A secreção de S100B foi estimulada por IL-1β em todas as preparações. Migração nuclear de NF-κB também foi observada nessas condições experimentais. PDTC (inibidor de NF-κB) e PD98059 (inibidor da via ERK) foram hábeis em inibir o aumento da secreção do S100B. Níveis micromolares de S100B, assim como IL-1β, induziram a produção de óxido nítrico. Nossos dados demonstram que a IL-1β induz um aumento da secreção basal de S100B nos três diferentes modelos in vitro utilizados: astrócitos corticais primários...

O polimorfismo VNTR no gene codificador do antagonista do receptor da interleucina-1 está associado com a doença arterial coronariana

Arman,Ahmet; Soylu,Ozer; Yildirim,Ahmet; Furman,Andrzej; Ercelen,Nesrin; Aydogan,Hakki; Coker,Ajda; Tezel,Tuna
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2008 Português
Relevância na Pesquisa
56.07%
FUNDAMENTO: A Doença Arterial Coronariana (DAC) é a aterosclerose das artérias coronárias que transportam o sangue para o coração. A aterosclerose é uma doença inflamatória. As variações gênicas das citocinas - como as associadas à família IL1 - fazem parte da patogênese da aterosclerose. OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi determinar a relação entre os polimorfismos da família IL1 (VNTR do IL1RN, posições -511 e +3953 do IL1B) e a DAC na população turca. MÉTODOS: Um total de 427 indivíduos foram submetidos à angiografia coronariana e em seguida divididos da seguinte forma: 170 no grupo controle e 257 no grupo de pacientes com DAC. Os sujeitos com DAC foram divididos em dois subgrupos: 91 no grupo de Doença Coronariana em um único vaso (Single Vessel Disease - SVD) e 166 no grupo Doença Coronariana em múltiplos vasos (Multiple Vessel Disease - MVD). Os genótipos de IL1RN e IL1B (-511, +3953) foram determinados por reação em cadeia da polimerase (RCP), seguida de análise da digestão por enzima de restrição. RESULTADOS: Não foram observadas diferenças significantes nas distribuições de genótipos de IL1RN e IL1B (-511 e +3953) entre os sujeitos com DAC e os controles, ou entre sujeitos com MVD e controles. No entanto...

Interleucina 1β correlaciona-se com MIBG e parâmetros do exercício, na insuficiência cardíaca?

Messias,Leandro Rocha; Carreira,Maria Angela M. de Queiroz; Miranda,Sandra Marina; Azevedo,Jader Cunha de; Benayon,Paula Cardoso; Rodrigues,Ronaldo Campos; Maróstica,Elisabeth; Mesquita,Evandro Tinoco; Mesquita,Claudio Tinoco
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
56.25%
FUNDAMENTO: Na insuficiência cardíaca, níveis de interleucina 1β (IL 1β) se associam a prognóstico. A atividade adrenérgica cardíaca avaliada através da cintilografia com metiodobenzilguanidina (I123 MIBG) e parâmetros do exercício são importantes preditores de prognóstico. A relação entre essas variáveis não está bem definida. OBJETIVO: Avaliar associação entre níveis de IL 1β com parâmetros do exercício e do I123 MIBG. MÉTODOS: Estudo observacional transversal, com avaliação de 25 pacientes consecutivos com insuficiência cardíaca e fração de ejeção menor que 45%, através de: dosagem de IL 1β; parâmetros do I123 MIBG [relação coração/mediastino precoce e tardia, taxa de washout (WO)]; e teste ergométrico em esteira pelo protocolo de Rampa. RESULTADOS: Separados em dois grupos pelos níveis de IL 1β (normal vs. elevado), o grupo com níveis aumentados apresentava menor reserva de duplo produto (RDP), menor capacidade funcional (CF) e recuperação mais lenta da frequência cardíaca no 1º (RFC 1º) e 2º minuto (RFC 2º), e maior WO. Na análise univariada, todas as variáveis se correlacionaram com a IL 1β; RDP: r = 0,203, p = 0,024; CF: r = 0,181, p = 0,034; RFC 1º: r = 0...

Ação inibitória da Interleucina - 1ß sobre a proliferação de células musculares lisas cultivadas a partir de veias safenas humanas

Dallan,Luís A.O.; Miyakawa,Ayumi A.; Lisboa,Luiz A.; Borin,Thaiz F.; Abreu Filho,Carlos A.C.; Campos,Luciene C.; Krieger,José E.; Oliveira,Sérgio A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 Português
Relevância na Pesquisa
46.48%
INTRODUÇÃO: A veia safena é um enxerto coronário eficiente. Porém, sua patência pode ser limitada por desenvolvimento de aterosclerose. Estudos experimentais "ex vivo", por nós realizados anteriormente, demonstraram apoptose (ensaio de TUNEL) em veias safenas humanas cultivadas sob pressão arterial por 24 horas. Nessas veias safenas, a expressão gênica da Interleucina-1ß avaliada por RT-PCR em tempo real, também mostrou-se elevada. Não há ainda consenso sobre a ação moduladora das citocinas sobre proliferação/apoptose das células musculares lisas das veias safenas. OBJETIVO: Avaliar a influência da Interleucina -1ß na proliferação inicial de cultura de células primárias de músculo liso de veia safena humana. MÉTODO: Foram cultivadas células primárias de músculo liso de seis diferentes veias safenas humanas (em triplicata). O meio de cultura foi o DMEM, suplementado com 10% de soro fetal bovino. O grupo controle não recebeu Interleucina - 1ß. Nos demais grupos, as células cultivadas receberam, respectivamente, 0,1; 1; 10 e 100 ng/mL de Interleucina - 1ß. A proliferação celular foi avaliada através da quantificação de timidina triciada [³H], incorporada às células recém-proliferadas. RESULTADOS: O tratamento com Interleucina - 1ß diminuiu a proliferação celular...

Ausência de associação entre polimorfismo do gene da interleucina-1 beta e o prognóstico de pacientes com traumatismo crânio-encefálico grave

Alcalde,Taís Frederes Krämer; Regner,Andrea; Rodrigues Filho,Edison Moraes; Silveira,Patrícia Corso; Grossi,Gabriela Gonçalves; Simon,Daniel
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
56.2%
OBJETIVO: O traumatismo crânio-encefálico é a principal causa de óbito em indivíduos com idade entre 1 a 45 anos. O desfecho do traumatismo crânio-encefálico pode estar relacionado, além de fatores pré-morbidade e gravidade do dano, com fatores genéticos. Genes que podem ter relação com o resultado pós-trauma vêm sendo estudados, porém, ainda existem poucas informações sobre a associação entre polimorfismos genéticos e o desfecho do traumatismo crânio-encefálico. O gene da interleucina-1 beta (IL-1B) é um dos genes estudados, pois esta citocina encontra-se em níveis elevados após o traumatismo crânio-encefálico e pode afetar de forma negativa seu desfecho. O objetivo do presente estudo foi analisar o polimorfismo -31C/T, localizado na região promotora do gene IL-1B, em pacientes com traumatismo crânio-encefálico grave visando correlacioná-lo com o desfecho primário precoce (alta do centro de terapia intensiva ou morte). MÉTODOS: Foram estudados 69 pacientes internados por traumatismo crânio-encefálico grave em três hospitais de Porto Alegre e região metropolitana. O polimorfismo foi analisado através da reação em cadeia da polimerase, seguida da digestão com enzima de restrição. RESULTADOS: O traumatismo crânio-encefálico grave foi associado a uma mortalidade de 45%. Não foram observadas diferenças significativas nas frequências alélicas e genotípicas entre os grupos de pacientes divididos pelo desfecho do traumatismo crânio-encefálico. CONCLUSÃO: Nossos resultados sugerem que o polimorfismo -31C/T do gene IL-1B não tem impacto significativo no desfecho fatal dos pacientes com traumatismo crânio-encefálico grave.

Relación entre las concentraciones de citocinas factor de necrosis tumoral-alfa, interleucina 1, interleucina 6 (FNT-a, IL-1, IL-6), y la proteína C reactiva ultrasensible (PCR-us) en pacientes con SEPSIS

Aguilar Yepes, Marcela; Rojas Moreno, Marisol; Pontificia Universidad Javeriana Facultad de Ciencias
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Tipo: bachelorThesis; Trabajo de Grado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.28%

O papel da interleucina-1'beta' produzida no gânglio da raiz dorsal no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória; The role of dorsal root ganglion-produced interleukin-1'beta' in development of inflammatory hyperalgesia

Dionésia Araldi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2012 Português
Relevância na Pesquisa
56.43%
A liberação de Interleucina-1? (IL-1?) no tecido periférico estimula a síntese de Prostaglandinas (PGs), especialmente, da Prostaglandina-E2 (PGE2), que leva a sensibilização dos nociceptores aferentes primários induzindo a hiperalgesia inflamatória. Recentemente demonstramos que a IL-1? pode ativar diretamente o receptor de Interleucina-1 (IL-1R) do nociceptor aferente periférico e levar a liberação de PGE2 associada ao desenvolvimento da hiperalgesia. A IL-1? também é liberada no Gânglio da Raiz Dorsal (GRD), entretanto a função que a IL-1? desempenha no GRD para o desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória ainda não está clara. Portanto, o objetivo deste estudo foi investigar se a liberação de IL-1? e a ativação do Receptor de Interleucina-1 Tipo I (IL-1RI) no GRD estão envolvidos no desenvolvimento da hiperalgesia inflamatória. A administração de IL-1Ra (antagonista natural de receptor IL- 1, 6 ?g) no GRD de ratos preveniu a hiperalgesia mecânica (avaliada por meio do von Frey Eletrônico) induzida pela administração intraplantar (i.pl) de Adjuvante Completo de Freund (CFA, 100 ?L), Carragenina (Cg, 100 ?g) ou IL-1? (0,5 pg), mas não pela administração i.pl de PGE2 (100 ng), avaliadas 3 horas após suas administrações. Além disso...

Expressão do fator de transcrição HIF - 1'alfa' em condrocitos humanos cultivados em condições normais de oxigenio; Expression of hypoxia inducion factor 1 'alfa' in human chondrocytes cultivated in normoxia

Andre Luis Lugnani de Andrade
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
56.13%
Introdução: Os condrócitos da cartilagem articular vivem em um ambiente com baixa concentração de oxigênio. Nestas condições, a proteína do fator induzido por hipóxia (HIF-1?) mantém-se estável e ativa genes que são fundamentais na homeostase do oxigênio. A expressão do HIF-1? aumenta, em joelhos com osteoartrite (OA), principalmente nas áreas mais afetadas pela degeneração. Os condrócitos são capazes de produzir mediadores inflamatórios, como a interleucina-1 (IL-1) e o fator de necrose tumoral ? (TNF-?), que estimulam a produção de prostaglandinas, metaloproteinases e óxido nítrico e relacionam-se com o início e com a progressão da osteoartrite. Os antiinflamatórios são drogas freqüentemente utilizadas no tratamento sintomático da OA. Material e Método: condrócitos humanos de joelhos osteoartríticos cultivados em suspensão e em condições normais de oxigênio foram divididos em quatro grupos: 1) controle, 2) estimulados com IL-1 ou TNF-?, 3) estimulados com meloxicam ou parecoxibe e 4) estimulados com meloxicam ou parecoxibe associados a IL-1 ou TNF-?. Os grupos foram submetidos à extração de RNA (ácido ribonucléico) e de proteína nuclear. O RNA foi convertido em cDNA, sendo então realizada a reação de PCR em tempo real para verificar a expressão do HIF-1?. As proteínas nucleares foram extraídas...

Identification of splicing factors with a role in IL-1β secretion

Alves, Pedro Moura, 1981-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.14%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédicas (Ciências Morfológicas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2010.; Inflammation was one of the first immune responses to be reported to exist and has been a focus of intensive research ever since (reviewed in Rocha e Silva, 1978; Medzhitov, 2010). During the course of an inflammatory response several components are involved, such as inflammatory inducers and mediators or different sensors that mediate the detection of a pro-inflammatory stimulus. Amongst the most studied pro-inflammatory mediators is the Interleukin-1β (IL- 1β). Interleukin-1β was one of the first Interleukins to be identified and represents one of the most important mediators of Inflammation and host responses to infection (reviewed in Dinarello, 2004). The large connection between misregulation of IL-1β release and the appearance of inflammatory diseases made this cytokine one of the “hotspots” of intensive research in the past years (reviewed in O'Neill, 2008). Nowadays, several diseases are being treated successfully using different methods that decrease IL-1β circulant levels or block its effects, such as using IL-1β receptor antagonists or by neutralizing IL-1β with monoclonal anti-IL- 1β antibodies (reviewed in Fitzgerald et al....

Valor pronóstico y discriminatorio de la interleucina-6 y la proteína C-reactiva en la meningitis

Noda Albelo,Amauri; Araña Rosains,Manuel; Vidal Tallet,Arturo; Casal Menéndez,Xiomara
Fonte: Revista Cubana de Pediatría Publicador: Revista Cubana de Pediatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
INTRODUCCIÓN. La meningitis se caracteriza por una marcada respuesta inflamatoria en el espacio subaracnoideo, que se acompaña de la producción intratecal de múltiples mediadores entre los que se hallan citocinas como el factor de necrosis tumoral alfa, la interleucina-1-beta y la interleucina-6. El objetivo del presente estudio fue estimar la concentración de interleucina-6 (IL-6) y proteína C-reactiva en el líquido cefalorraquídeo y el suero de pacientes con meningitis; determinar la posible relación entre estas concentraciones y la etiología de la meningitis; y precisar si existe asociación entre estas variables y la estadía hospitalaria. MÉTODOS. Se seleccionó una muestra de 18 pacientes con meningitis: 6 pacientes con diagnóstico de meningitis de etiología bacteriana y 12 pacientes con diagnóstico de meningitis aséptica. A ambos grupos se les realizó cuantificación de IL-6 y proteína C-reactiva en el líquido cefalorraquídeo (LCR) y el suero, además, citología y proteínas en LCR. RESULTADOS. Las concentraciones de IL-6 en el líquido cefalorraquídeo en la meningitis bacteriana resultaron superiores a las del suero de estos pacientes y a las del LCR y suero de pacientes con meningitis aséptica. La proteína C-reactiva alcanzó cifras superiores en el suero de la meningitis bacteriana. La concentración de IL-6 en líquido se correlacionó directamente con la estadía hospitalaria. CONCLUSIONES. La concentración de IL-6 en el líquido cefalorraquídeo y de la proteína C-reactiva en el suero puede contribuir a la precisión del diagnóstico diferencial entre meningitis aséptica y bacteriana. La concentración de IL-6 en el LCR permite valorar la envergadura del proceso inflamatorio que tiene lugar en el sistema nervioso central en la meningitis. La concentración de IL-6 selectivamente elevada en el LCR es un marcador de la compartimentalización de la respuesta inflamatoria y un potencial indicador del daño en el sistema nervioso central en la meningitis bacteriana.

Secuenciación de un fragmento de ADNc homólogo a interleucina-1 alfa humana derivado de leucocitos de armadillo (Dasypus novemcinctus)

Flores-Medina,Saúl; Díaz-García,Francisco J.; Guerra-Infante,Fernando M.
Fonte: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM Publicador: Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia, UNAM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.29%
Se realizó detección del ARN mensajero (ARNm) mediante un ensayo de transcripción reversa acoplada a la reacción en cadena de la polimerasa (RT-PCR) específico para la detección de Interleucina-1 alfa humana en leucocitos de armadillo estimulados con acetato de forbol miristato (PMA, por su siglas en inglés); esta estrategia permitió amplificar un fragmento de ADN de 491 pares de bases. Adicionalmente, la secuencia mostró alta homología nucleotídica con las secuencias de ADNc humano (99%), mono (93%), cerdo (82%), caballo (81%) y llama (81%), mientras que la secuencia deducida de aminoácidos fue compatible con el precursor de la proteína IL-1a humana. Estos resultados sugieren presencia del gen de interleucina-1 en el genoma del armadillo; sin embargo, es necesario caracterizar la secuencia completa del gen y comprobar la funcionalidad de la proteína traducida para dilucidar los mecanismos de la respuesta inmune del armadillo contra Mycobacterium leprae.

Expresión génica de interleucina 1 en la deficiencia de proteínas y vitamina A

Sánchez Alvarez,Vivian; Hernández Triana,Manuel; Abreu Peñate,Mario; de las Cagigas Reig,Ada; Tam Hurtado,Miguel; Reboso Pérez,José; Noa Puig,Miriam; Arias Verdé,José; Fernández Carriera,Rebeca; González Calderín,Soraya; Sigarroa González,Anton
Fonte: Sociedad Latinoamericana de Nutrición Publicador: Sociedad Latinoamericana de Nutrición
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
66.23%
Tomando como referencia los niveles de ingestión de proteínas y vitamina A informados en los estudios de la población cubana durante la epidemia de neuropatía de 1993, se ejecutó un biomodelo en ratas, con el objetivo de evaluar la incidencia de estos niveles sobre algunos indicadores del estado nutricional y de la respuesta inmune. Para ello se ensayaron 4 dietas: control, deficiente en proteínas, deficiente en vitamina A y deficiente en proteínas y vitamina A. La Interleucina 1 (IL-1) se evaluó a partir de su expresión en las placas de Peyer y los resultados obtenidos se relacionaron con indicadores del estado nutricional como peso, ingesta, recambio proteico, proteínas plasmáticas y vitamina A, con indicadores inmunológicos (conteo celular y complemento hemolítico total) y con el estudio histológico realizado en timo, bazo e hígado. La deficiencia de proteínas disminuyó la expresión génica de IL-1, la cual se asoció con lesiones degenerativas y de atrofia en los órganos estudiados. La deficiencia de proteínas y vitamina A provocó una estimulación de la expresión génica de IL-1, asociada además con indicadores sensibles del estado inflamatorio, que pudiera ser el resultado de una movilización deficiente de retinol hacia los tejidos. Los resultados obtenidos en el biomodelo abren la posibilidad de utilización de las citocinas en la detección de afectaciones subclínicas del sistema inmune provocadas por deficiencias nutricionales