Página 1 dos resultados de 22 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Aspectos epidemiológicos, biotipologia e evolução do tratamento da leucemia linfocítica aguda na infância e adolescência no Rio Grande do Sul; Epidemiological aspects, biotipologia and evolution of the treatment of acute lymphocytic leukemia in childhood and adolescence in Rio Grande do Sul

Pereira, Waldir Veiga
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
96.28%
A Leucemia Linfocítica Aguda na infância e adolescência é uma neoplasia de precursores linfóides de natureza heterogênea. Foi a primeira neoplasia disseminada a tornar-se curável pela quimioterapia. No Brasil os estudos cooperativos para o seu tratamento foram iniciados em 1980 com a criação do primeiro protocolo para o tratamento desta leucemia, denominado Grupo Brasileiro para o Tratamento da Leucemia na Infância. Na seqüência destes estudos foram observadas Sobrevidas Livre de Eventos de 50%, 58% e 70% nos protocolos 80, 82 e 85 respectivamente. Durante as décadas de 1980 e 1990, com a divulgação dos excelentes resultados alcançados com os regimes dos protocolos do grupo Berlin Frankfurt Münster, uma série de instituições em nosso País passou a adotá-los. Apesar de termos conhecimento dos dados referentes a evolução dos pacientes protocolados no GBTLI e dos demais estudos divulgados pelas instituições de origem, não tínhamos, porém, uma avaliação epidemiológica nem o conhecimento dos índices de sobrevivência alcançados no estado do Rio Grande do Sul. Neste trabalho foram avaliados 1472 pacientes com LLA, 833 (56,59%) do sexo masculino, 639 (43,41%) do sexo feminino, com idades entre zero e 20 anos...

Avaliação da qualidade de vida de sobreviventes de câncer na infância: uma proposta alternativa de coleta de dados; Evaluation of quality of life of survivors of childhood cancer: an alternative proposal for data collection

Souza, Clelia Marta Casellato de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
106.18%
O acometimento do câncer na infância é relativamente raro, com taxas relevantes de incidência de alguns tumores, como a leucemia linfoblástica aguda (LLA) e o tumor de Wilms (TW). Embora o câncer seja uma das dez primeiras causas de óbito de crianças e adolescentes e a primeira por doença a partir dos cinco anos, nas últimas décadas o progresso da terapêutica tem possibilitado um declínio nas taxas de mortalidade e expansão dos prazos de sobrevida. Desta forma, o acompanhamento efetivo no enfrentamento da doença passou a buscar análises mais amplas dos efeitos orgânicos tardios da doença e da terapêutica, incluindo as condições psicossociais do sobrevivente, como nas avaliações da qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS). No sentido de ampliar o conhecimento e alternativas para o acompanhamento ambulatorial e periódico da condição de sobrevivência, este estudo buscou comparar o impacto na QVRS do sobrevivente adulto, dada a diferença na terapêutica de escolha para a remissão da LLA (quimioterapia) e do TW (cirurgia e quimioterapia), utilizando uma avaliação a distância da QVRS (SF-36, via telefone).Objetivos: Analisar e comparar a QVRS de sobreviventes adultos de LLA e TW, entre si e em relação a participantes sadios...

Lavado broncoalveolar (LBA) no diagnóstico de infiltrado pulmonar difuso em adolescente recebendo tratamento para leucemia linfocítica aguda

Azevedo, Kenia Rosário; Rech, A.; Copetti, Fernando; Pasqualotto, G.C.; Meneses, Clarice Franco; Machado, A.; Loss, Jiseh Fagundes; Fraga, José Carlos Soares de; Brunetto, Algemir Lunardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.17%

Influência da punção lombar traumática na sobrevida de pacientes pediátricos com diagnóstico de leucemia linfocítica aguda (LLA)

Rech, A.; Carvalho, Gisele Pereira de; Meneses, Clarice Franco; Brunetto, Algemir Lunardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.18%

Influência da punção lombar traumática e da quimioterapia intratecal na sobrevida de pacientes pediátricos com leucemia linfocítica aguda

Rech, Ângela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
Introdução e Objetivos: O sistema nervoso central (SNC) é o um sítio freqüente de recaída na criança com leucemia linfocítica aguda (LLA). Existe evidência de que a punção lombar traumática (PLT) pode representar um risco adicional de recaída no SNC quando ocorre inoculação de blastos no liqüido céfalorraquidiano (LCR). Este estudo tem por objetivo determinar se a ocorrência da PLT ao diagnóstico afeta o prognóstico de pacientes com essa patologia. Material e Métodos: Setenta e sete pacientes com diagnóstico de LLA, tratados entre 1992 a 2002, foram incluídos na análise. Quimioterapia intratecal (QIT) foi instilada imediatamente após a PL inicial (precoce), ou na segunda PL (tardia), realizada no período de 24 a 48 horas após a realização da PL inicial. Foi feita análise da influência da PLT e do momento (precoce x tardia) de administração da QIT em relação a recaída no SNC. Resultados: Entre os 19 pacientes que apresentaram PLT ao diagnóstico e receberam QIT tardia, seis tiveram recaída isolada no SNC e dois recaída combinada em SNC e medula óssea (MO). Entre os nove pacientes que tiveram PLT e receberam QIT precoce, somente um apresentou recaída combinada em SNC e MO (P=0,20); não houve...

Infecção fúngica por fusarium e rhodotorula SP em pacientes com leucemia linfóide aguda com recaída medular pós-transplante de medula óssea (TMO) alogênico aparentado

Castro Junior, Cláudio Galvão de; Faulhauber, Fabrizia Renno S.; Gregianin, Lauro José; Aquino, Valério Rodrigues; Brunetto, Algemir Lunardi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.18%

Caracterização molecular e imunofenotípica de 35 casos de leucemia linfóide aguda pediátrica

Farias, Mariela Granero
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.27%
A leucemia linfóide aguda (LLA) é caracterizada pelo acúmulo de células imaturas da linhagem linfóide, na medula óssea, sangue periférico e órgãos linfóides, sendo seu pico de incidência por volta dos cinco anos de idade. O prognóstico da LLA é determinado pela idade, imunofenótipo e alterações moleculares sendo que estas últimas são de fundamental importância para a estratificação em grupos de risco. Nesse estudo, realizamos uma análise retrospectiva das características imunofenotípicas e moleculares, de 35 casos de LLA pediátrica, tratados em duas grandes Instituições da cidade de Porto Alegre. Os pacientes foram classificados de acordo com critérios morfológicos, citoquímicos e imunofenotípicos. Em relação ao imunofenótipo, 8,8% dos pacientes foram classificados como LLA pró-B, 67,6% LLAB (B-comum e pré-B) e 23,5% LLA-T. O imunofenótipo Pré-B CD10+ foi o mais comum. A freqüência dos principais genes de fusão de significância prognóstica, realizada por RT-PCR foi de 15% para a t(12;21)/TEL-AML1 (19% entre as LLA de linhagem B); 4% t(4;11)/MLL-AF4, 4% t(1;19)/E2A-PBX1 e 4% t(9;22)/BCR-ABL. Nossos resultados mostram a importância do estudo molecular e sugerem que crianças com LLA tratadas nas Instituições referidas...

Avaliação da sobrevida de crianças com leucemia linfocítica aguda tratadas com o protocolo Berlim-Frankfurt-Munique; Survival evaluation of children with acute lymphoblastic leukemia treated with Berlin-Frankfurt-Munich trial

Laks, Dani; Longhi, Fernanda Zorzi; Wagner, Mario Bernardes; Garcia, Pedro Celiny Ramos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.22%
Objetivo: determinar a sobrevida das crianças com leucemia linfocítica aguda tratadas no Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, nos últimos 10 anos. Avaliar os fatores de risco tradicionalmente conhecidos e comparar os resultados dos protocolos de tratamento Berlim-Frankfurt-Munique versões 90 e 95 entre si. Métodos: estudo de coorte mista em crianças com idade entre 0 e 15 anos tratadas com o protocolo Berlim-Frankfurt-Munique, versões 90 e 95, nos últimos 10 anos, no Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. As informações foram obtidas do prontuário médico. Verificou-se a ocorrência de óbito nos pacientes estudados, sendo realizadas curvas de sobrevida pelo método de Kaplan-Meier. O efeito conjunto dos fatores de prognóstico foi avaliado pelo modelo de regressão multivariável de Cox. Resultados: foram incluídos 63 pacientes, cuja média de idade (± desvio padrão) foi de 6,3 ± 4,2 anos. Trinta e cinco pacientes (55,6%) eram do gênero feminino. A probabilidade estimada de sobrevida livre de doença (± erro padrão) em 5 anos foi de 50,8 ± 7,2% para todos os pacientes estudados, sendo de 77,7 ± 9,9% para o risco básico, 41,3 ± 15...

Aspectos farmacogenéticos no tratamento da leucemia linfoblástica aguda

Ferrari, Otávio Augusto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
86.27%
A Leucemia linfoblástica aguda é o tipo mais comum de câncer infantil, constituindo cerca de 1/3 de todas as neoplasias malignas em crianças. Entre os quimioterápicos utilizados no tratamento da leucemia linfoblástica aguda está o Metotrexato, análogo do ácido fólico, e a Mercaptopurina, análogo das purinas, e enzimas relacionadas com esses dois fármacos apresentam polimorfismos que resultam em diferentes respostas ao tratamento da leucemia linfoblástica aguda. No ciclo dos folatos, a enzima metilenotetraidrofolato redutase apresenta, comumente, dois polimorfismos associados à suscetibilidade a leucemias e a outras neoplasias. A enzima timidilato sintase apresenta um polimorfismo de 2 ou 3 repetições de 28 pares de base, onde a identificação dessa região polimórfica é um fator determinante na resposta farmacocinética e à toxicidade do Metotrexato. A enzima glutationa s-transferase inclui pelo menos sete subfamílias, onde três delas estão associadas com o aumento do risco do desenvolvimento de câncer devido à toxicidade do Metotrexato e polimorfismos nos genes dessas três subfamílias foram considerados como possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de leucemia aguda. No metabolismo da Mercaptopurina...

Mutações de PTEN nas leucemias linfóides agudas T; PTEN mutation in T-cell acute lymphoblastic leukemia

Patricia Yoshioka Jotta
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
76.3%
A leucemia linfóide aguda (LLA) é o câncer mais frequente na infância, e destas, 15% são do tipo T (LLA-T). A hiperativação da via PI3K/Akt tem sido amplamente descrita em tumores e em linhagens celulares de LLA-T. PTEN é o principal regulador negativo dessa via e frequentemente encontra-se inativado em cânceres humanos. Com frequência, pacientes com LLA-T apresentam mutações ativadoras de NOTCH1. NOTCH1 pode regular transcricionalmente PTEN, contudo ainda não está claro como as mutações ativadoras de NOTCH1 influenciariam a expressão de PTEN nas LLA-T. Nós encontramos uma ocorrência de 11 (17,7%) mutações no éxon 7 do PTEN em 62 casos de LLA-T estudados consecutivamente. Contudo, nenhuma mutação foi encontrada na análise de 71 casos de LLA-B derivada. A maioria das mutações de PTEN apresentavam inserções/deleções de mais de 3 nucleotídeos. Não encontramos associação entre mutações em PTEN e o gênero, a idade e a contagem de glóbulos brancos ao diagnóstico. Pacientes com alterações no PTEN apresentaram uma tendência a pior sobrevida global (OS, p=0.07). Dentre os pacientes de LLA-T classificados como alto risco (n=56), aqueles possuindo anormalidades no PTEN mostraram-se associados significativamente a menor OS (p=0.019) e sobrevida livre de leucemia (LFS 47% vs 76%; p=0.045). As curvas de LFS foram significativamente diferentes (p=0.003)...

IL-7-and PI3K-mediated signaling in T-Cell leukemia : the role of external and cell-autonomous signals in tumoringenesis

Silva, Ana Patrícia Bento Pereira da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
86.1%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédicas (Ciências Biopatológicas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2010; Disponível no documento

IL-4 and TAL1 in T-cell acute lymphoblastic leukemia : studies on the participation of microenvironmental cues and cell-autonomous alterations in leukemogenesis

Cardoso, Bruno António Caetano, 1982-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
96.45%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédicas (Ciências Morfológicas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2011; Acute lymphoblastic leukemia (ALL) is the most frequent cancer found in children and results from the clonal expansion of transformed lymphoid precursors. Approximately 15% of pediatric ALL patients present with a T-cell phenotype (T-ALL). Despite the recent improvements in the treatment of T-ALL, there are still a high number of relapses and the intensive chemotherapeutic regiments used are associated with long-term severe complications. In order to develop new therapeutic strategies that can further increase efficacy while reducing side effects, one needs to better understand the pathobiology of T-ALL. In particular, it is necessary to understand how microenvironmental and cell-autonomous mechanisms influence the initiation and the progression of leukemia. The present thesis has the preocupation of exploring the mechanisms by which both an extracellular cue (IL-4) and a cell-intrinsic transcription factor (TAL1) may partake in leukemia development and maintenance. Interleukin-4 (IL-4) is a γ-common chain cytokine produced within the bone marrow microenvironment that is known to promote the in vitro proliferation of T-ALL cells. In Chapter 2...

The regulation of interleukin 7 receptor alpha internalization, recycling and degradation by IL-7:-possible implications in T-cell homeostasis, migration and

Henriques, Catarina Martins de Oliveira, 1983-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
106.36%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédica (Ciências Biopatológicas), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2010; Although leukaemia arises in the bone marrow, patients often present infiltration of other organs, such as the spleen, CNS, liver, lungs and peripheral blood. Mechanisms of cell migration, invasion, vasculogenesis and angiogenesis have been shown to play a crucial role in haematological cancers. Moreover, micro-environmental factors such as chemokines and cytokines were already shown to enhance T-cell acute lymphoblastic leukaemia (T-ALL) viability, proliferation and migration. Interleukin 7 (IL-7) is a key prosurvival cytokine essential for T-cell proliferation, development and homeostasis. Because IL-7 is produced at the sites of T-cell development, and also other organs to which leukaemia cells disseminate, it has the potential to modulate growth and homing of malignant T-cells. In this study, we used T-ALL cell lines and primary human thymocytes to assess whether IL-7 impacted on T-cell motility and migration. Our work suggests, for the first time, that IL-7 enhances T-ALL cell motility, as assessed by time-lapse microscopy. Furthermore, IL-7 has the capacity to direct T-ALL cell migration, acting as a chemoattractant in a transwell assay...

Transplante de células-tronco hematopoéticas em crianças e adolescentes com leucemia aguda: experiência de duas instituições Brasileiras

Morando,Juliane; Mauad,Marcos Augusto; Fortier,Sérgio Costa; Piazera,Flavia Zattar; Souza,Mair Pedro de; Oliveira,Claudia; Machado,Clarisse; Matos,Ederson; Azevedo,Wellington Moraes; Ribeiro,Lisandro Lima; Nunes,Elenaide Coutinho; Bitencourt,Marco Antoni
Fonte: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular Publicador: Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
126.42%
O transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) é o tratamento de escolha para leucemias agudas de alto risco. Apesar da melhora na sobrevida destes pacientes, a recidiva continua sendo a maior causa de óbito pós-transplante de células-tronco hematopoéticas. O objetivo deste trabalho foi analisar os resultados dos transplantes realizados em crianças com leucemia aguda em duas instituições brasileiras. Realizou-se estudo retrospectivo de 208 pacientes transplantados entre 1990-2007. Mediana de idade: 9 anos; 119 pacientes com leucemia linfoide aguda (LLA) e 89 com leucemia mieloide aguda (LMA). Doença precoce: CR1 e CR2. Doença avançada: >CR3, doença refratária ou recidivada. Noventa pacientes vivos entre 258-6.068 dias (M:1.438), com sobrevida global (SG) de 45% (3 anos) e a sobrevida livre de recaída (SLR) 39% (três anos). 14/195 pacientes tiveram falha primária de pega (8%). Não houve diferença na sobrevida global e sobrevida livre de recaída entre pacientes com leucemia linfoide aguda e leucemia mieloide aguda, entre transplantes aparentados e não aparentados, tampouco entre as fontes de células utilizadas. O desenvolvimento da doença do enxerto contra hospedeiro (DECH) aguda ou crônica também não influenciou a sobrevida global e sobrevida livre de recaída. Pacientes com leucemia linfoide aguda condicionados com irradiação corporal total (TBI) apresentaram melhor sobrevida global e sobrevida livre de recaída (p<0...

Estudo da sobrevida média relativa em portadores de Leucemia Linfóide Aguda

Matta, Johnny Fouad
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
96.26%
O objetivo da pesquisa foi determinar a sobrevida média relativa de pacientes pediátricos e adolescentes portadores de leucemia linfóide aguda (LLA) tratados pelo protocolo do Grupo Brasileiro Cooperativo para Tratamento de Leucemia Linfocítica Aguda na Infância (GBLTI-LLA 99), no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian. Realizou-se a pesquisa do tipo coorte observacional retrospectiva em amostra de 67 pacientes, no período de 2000 a 2010, evidenciando idade média de 7 anos, sexo masculino 57% e sexo feminino 43%, e distribuídos em 23% da raça branca, 3% da raça negra e 35% da raça parda. Concluiu-se que a sobrevida média relativa em pacientes portadores de LLA e tratados com o protocolo GBLTI-LLA 99 foi de 33 meses.; The objective of this research was to determine the relative average survival of pediatric patients and adolescents with acute lymphoblastic leukemia (ALL) treated by the protocol of Brazilian Cooperative Group for Treatment of Childhood Acute Lymphocytic Leukemia (ALL GBLTI-99), the Regional Hospital of Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian. We conducted the research cohort observational retrospective sample of 67 patients in the period 2000 to 2010, showing an average age of 7 years, male 57% female and 43%...

Estudo epidemiológico dos casos de leucemia linfoide aguda nas crianças e adolescentes tratados no centro de tratamento onco-hematológico infantil - CETOHI , do hospital regional de Mato Grosso do Sul

Souza, Marcelo Dos Santos
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
106.27%
JUSTIFICATIVA: Relatar a experiência de uma única instituição que tratou de crianças portadoras de leucemia linfoide aguda, no período de janeiro 2000 a dezembro de 2012, utilizando em 91% dos casos o protocolo GBTI-99 e 9% o BFM 95/02. OBJETIVOS: Avaliar a experiência de uma única instituição pública; avaliar os resultados de acordo com os fatores de risco e comparar com o estudo prospectivo do protocolo GBTLI-LLA 99.METODOLOGIA: Os pacientes foram estratificados em 2 grupos de risco, baseados na contagem inicial dos leucócitos, idade, resposta inicial ao tratamento: baixo risco e alto risco. RESULTADOS: Cento e setenta e nove crianças foram analisadas (relação masc./ fem. foi 1,48 e a média da idade 7a e 7 meses e mediana 6 a 4 meses). 111 (62,92%) foram de alto risco, 68 (37,07%), de baixo risco. A remissão completa foi de 88,26%, ocorreram na indução 21(12,35%) de óbitos e não respondedores, 04. A sobrevida global para todos os pacientes foi 61,5%: no grupo de baixo risco, 70,1% e no grupo de alto risco, 52,7%. A sobrevida global e a sobrevida livre de eventos em 5 anos de seguimento dos pacientes protocolados no estudo do Grupo GBTLI-99 foi superior aos não protocolados (SG- 69,7% / 57,3% ; SLE – 67...

Desempenho Intelectual Pós Tratamento de Câncer: Um Estudo com Crianças

Hazin,Izabel; Garcia,Danielle; Gomes,Ediana; Leite,Débora; Balaban,Bruna; Guerra,Amanda; Vilar,Carolina
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 Português
Relevância na Pesquisa
96.18%
Na atualidade cresce a preocupação com a neurotoxicidade do tratamento antineoplásico e o neurodesenvolvimento. O objetivo deste estudo foi comparar o impacto da modalidade de tratamento sobre a capacidade intelectiva de 22 sobreviventes de Tumores de Fossa Posterior e Leucemia Linfóide Aguda com idades entre seis e 14 anos. Participantes com astrocitoma foram submetidos à cirurgia; aqueles com meduloblastoma à cirurgia, à quimioterapia sistêmica e à radioterapia de crânio e neuroeixo (54Gy) e; aqueles com LLA à quimioterapia sistêmica e intratecal. Apenas os participantes com astrocitoma obtiveram desempenho dentro do esperado. Observou-se contrastes estatisticamente significativos entre os grupos, notadamente entre as crianças com meduloblastoma e as demais nos escores não verbais. Sugere-se que a combinação cirurgia, quimioterapia sistêmica e radioterapia potencializou as sequelas cognitivas, e reforça-se a hipótese de que a radioterapia acarreta danos à substância branca. A quimioterapia intratecal associada à sistêmica promoveu impactos significativos sobre o funcionamento executivo.

Epidemiología de las neoplasias linfoides incidencia atribuible al SIDA /

Marcos-Gragera, Rafael
Fonte: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona, Publicador: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona,
Tipo: Tesis i dissertacions electròniques; info:eu-repo/semantics/doctoralThesis Formato: application/pdf
Publicado em //2006 Português
Relevância na Pesquisa
86.79%
Consultable des del TDX; Títol obtingut de la portada digitalitzada; En los últimos 20-30 años se ha descrito una aumento significativo de la incidencia de las neoplasias linfoides, si bien las causas de dicho incremento no son del todo conocidas, parece que la mejora diagnóstica de dichas enfermedades y la epidemia del SIDA han contribuido en parte a la creciente incidencia reportada recientemente, pero en la gran mayoría de los casos los factores de riesgo son aún desconocidos. Los objetivos de este trabajo fueron estimar la incidencia poblacional de las neoplasias linfoides según el sexo y la edad de las diferentes entidades histopatológicas teniendo en cuenta la última clasificación de la OMS para las enfermedades hematológicas; analizar su distribución geográfica de la incidencia; estimar la supervivencia observada y relativa y calcular la incidencia atribuible poblacional del SIDA en la incidencia esta patología. Desde Enero de 1994 a Diciembre de 2001, se registraron 1.288 pacientes con el diagnóstico de neoplasia linfoide en la población cubierta por el registro de cáncer poblacional de Girona. Se revisaron los diagnósticos anatomopatológicos y hematológicos para la reclasificación retrospectiva de los diagnósticos según la última clasificación de la OMS para las enfermedades hematológicas. La distribución de las neoplasias linfoides fue: Neoplasias de células B( 77...

Manifestaciones articulares como debut de leucemia aguda linfoblástica: Presentación de tres casos

Oliver,Carolina; Guadagna,Regina; Zunino,Juan; Guillermo,Cecilia; Díaz,Lilián
Fonte: Revista Médica del Uruguay Publicador: Revista Médica del Uruguay
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
86.25%
La leucemia aguda linfoblástica tiene una incidencia global de 1,7/100.000 habitantes/año y es la enfermedad oncológica más frecuente en la infancia. La presentación con dolores óseos y articulares es frecuente en los adolescentes y niños, con una incidencia reportada de 1/3 de los casos. Se describen tres casos de leucemia aguda linfoblástica diagnosticados en la Cátedra de Hematología del Hospital de Clínicas con debut bajo forma de artritis. Esta forma conlleva en general un retraso en el diagnóstico debido a un bajo índice de sospecha.

Trasplante de progenitores hematopoyéticos en pediatría: 10 años de experiencia

Dufort y Alvarez,Gustavo; Castiglioni,Mariela; Pagés,Carolina; Dabezies,Agustín; Decaro,Jorge; Castillo,Luis
Fonte: Archivos de Pediatría del Uruguay Publicador: Archivos de Pediatría del Uruguay
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
96.31%
Introducción: en Uruguay la sobrevida de los niños con cáncer es comparable a la de los países desarrollados. Con el objetivo de mejorar los resultados en pacientes de peor pronóstico y ofrecer opciones terapéuticas curativas a algunas enfermedades no malignas, en el año 1997 se inicia un programa de trasplante de progenitores hematopoyéticos (TPH) en pediatría con el financiamiento del Fondo Nacional de Recursos (FNR). Pacientes y métodos: la unidad de trasplante fue creada en el sanatorio de la Asociación Española compuesta por tres habitaciones dotadas de sistemas sofisticados de aislamiento. Se implantaron medidas estrictas de aislamiento invertido y medidas de prevención de infecciones oportunistas protocolizadas. Las indicaciones de los trasplantes estuvieron reguladas por las normativas del FNR de acuerdo con recomendaciones internacionales. El manejo de los pacientes estuvo de acuerdo a los estándares internacionales. Resultados: en 10 años se realizaron 131 TPH en 129 pacientes, 39 alogénicos y 92 autólogos. La sobrevida global estimada a los 10 años fue 43,9 ± 4,6%. La muerte relacionada con el trasplante fue de 9,3%, y la principal causa fueron las infecciones. La enfermedad injerto contra huésped aguda fue la principal causa de muerte en los TPH alogénicos. Hubo tres pacientes que presentaron hasta el momento segundas neoplasias. Conclusiones: los resultados obtenidos...