Página 1 dos resultados de 374 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Caracterização da libertação de neurotransmissores pelas células da retina em cultura: evidências para a libertação diferencial de acetilcolina e ácido g-aminobutírico

Santos, Paulo Fernando Martins dos
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
27.41%
As células amácrinas da retina contêm vários neurotransmissores e regulam a propagação do sinal visual, desde os fotoreceptores até às células ganglionares. Nesta dissertação utilizámos células com características semelhantes às células amácrinas, isoladas a partir de embriões de pinto com 8 dias de desenvolvimento, ou a partir de ratos recém-nascidos, para estudar a regulação da libertação dos neurotransmissores acetilcolina (ACh), ácido g-aminobutírico (GABA) e ATP pelas células amácrinas. A libertação de ACh, de GABA, e de ATP, estimulada pela despolarização das células da retina em cultura com KCl, ocorreu, maioritariamente, através de um mecanismo dependente de Ca2+, sendo afectada de forma diferente por bloqueadores dos canais de Ca2+ sensíveis à voltagem (CCSV). Os resultados mostraram que a libertação de ACh pelas células da retina é mais sensível ao influxo de Ca2+ através dos CCSV do tipo N, e que a libertação de GABA é mais sensível à entrada de Ca2+ através dos CCSV do tipo L. O influxo de Ca2+ responsável pela libertação de ATP ocorre, em parte, através de canais do tipo P/Q e do tipo N. Neste trabalho investigámos também o efeito da adenosina endógena na libertação de[3H]ACh...

Impact of diabetes on exocytosis/neurotransmitter release in the retin; = Impacto da diabetes na exocitose-libertação de neurotransmissores na retina

Baptista, Filipa Isabel Cabaço
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
27.53%
A retinopatia diabética é uma das principais causas de perda de visão e cegueira no mundo. Esta patologia é considerada uma doença vascular. No entanto, tem sido demonstrado que a parte neural da retina também é afetada, mesmo antes de serem detetadas lesões microvasculares. As alterações registadas em eletroretinogramas de pacientes e animais diabéticos, e a perda de sensibilidade à cor e ao contraste são sinais precoces de disfunção neuronal na retina. Contudo, as alterações moleculares e celulares causadas pela diabetes na retina não estão completamente esclarecidas. Assim, o objetivo principal deste trabalho consistiu em clarificar o impacto da diabetes, e de condições que mimetizam hiperglicemia e processos inflamatórios, na retina neural, a nível molecular, tendo-se dado uma atenção particular a alterações a nível pré-sináptico, e a nível celular, nomeadamente ao impacto nos diferentes tipos de células, neurónios, células da glia e microglia. Inicialmente, avaliou-se o efeito da diabetes no conteúdo de proteínas sinápticas envolvidas em processos de exocitose e libertação de neurotransmissores. A diabetes foi induzida com uma única injeção de estreptozotocina, em ratos Wistar. Os níveis proteicos das SNAREs (sintaxina-1...

Interferência da moxidectina na motivação sexual e ereção peniana de ratos: envolvimento de neurotransmissores hipotalâmicos e estriatais; Moxidectin interference on sexual motivation and penile erection: involvement of hypothalamic and striatal neurotransmitters

Alves, Patricia de Sa e Benevides Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.24%
A moxidectina (MOX) é um antiparasitário utilizado na clínica veterinária. Em mamíferos seu mecanismo de ação envolve o ácido ?-aminobutírico (GABA), um neurotransmissor que tem papel relevante na regulação dos comportamentos sexual e motor. Dados anteriores por nós obtidos mostraram que a MOX prejudicou o comportamento sexual e a coordenação motora de ratos machos avaliados na trave elevada. Assim, dando continuidade a esse estudo, o objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da administração da dose terapêutica de MOX (0,2 mg/kg) na motivação sexual e ereção peniana de ratos machos, bem como estudar seu envolvimento em diferentes sistemas de neurotransmissão central. Em todos os experimentos os ratos do grupo experimental receberam a MOX por via subcutânea (SC); e os ratos do grupo controle receberam 1 ml/kg de óleo de amêndoas pela mesma via, e foram avaliados após 72 h. A motivação sexual foi avaliada em um aparelho constituído de uma arena e dois compartimentos separados desta por tela de arame; num compartimento foi colocado um rato macho experiente e no outro uma fêmea sexualmente receptiva. Neste aparelho foi medido o tempo que o rato permaneceu nas proximidades de cada compartimento. Os resultados obtidos neste experimento não mostraram diferenças significantes entre os grupos. A ereção peniana foi induzida pela administração SC de 80 ?g/kg de apomorfina...

Estudo de neurotransmissores relacionados à depressão e psicose em amostras de cérebro humano de pacientes submetidos à cirurgia por epilepsia de lobo temporal; Neurotransmitters related to depression and psychosis in human brain samples of patients submitted to surgery for temporal lobe epilepsy study.

Scherer, Edson Arthur
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.24%
A epilepsia é um transtorno do funcionamento cerebral caracterizado por crises epilépticas recorrentes que acomete cerca de 1 a 2% da população mundial. A epilepsia do lobo temporal (ELT) é o subtipo mais prevalente. A refratariedade aos medicamentos é comum e cerca de 40 % destes pacientes apresentam transtornos psiquiátricos. Neste trabalho utilizamos o método de TacMan real time PCR para quantificar o mRNA de subtipos dos receptores de noradrenalina, dopamina, serotonina e substância P em hipocampos cirurgicamente removidos de pacientes com ELT para conhecer o papel destes na ELT com ou sem comorbidade psiquiátrica (depressão ou psicose). Nossa amostra foi de 48 pacientes com ELT sem (Epilepsia - 24) ou com comorbidade psicótica (Psicose - 10) ou depressiva (Depressão - 14) e 8 Controles (necrópsias). O receptor adrenérgico-α2A (AD2A) apresentou diferença entre os grupos (p = 0,0059) com significância para a variável Antiepiléptico (p = 0,0374) e pós-teste significante de maior expressão do mRNA de AD2A no grupo Epilepsia comparado com Controle e com Psicose. A ativação dos receptores α2A no hipocampo pelos antiepilépticos pode explicar nossos achados do grupo Epilepsia comparado ao Controle, corroborando a literatura acerca do AD2A na epilepsia e em relação aos antiepilépticos. O AD2C mostrou diferença entre os grupos (p = 0...

Efeitos neurocomportamentais da exposição prolongada de ratos ao fibronil; Neurobehavioral effects of fipronil long term exposure in rats

Silva, Andréa de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
Fipronil é um inseticida fenilpirazol de amplo espectro, desenvolvido para inibir seletivamente receptores GABA associados a canais de cloreto de insetos; tanto em Medicina Veterinária, como em Agricultura tem sido utilizado para o controle de pragas. Embora vários estudos procurem compreender os mecanismos da toxicidade neuronal dos praguicidas em mamíferos, há poucos relacionados aos efeitos neurocomportamentais. Assim, o presente estudo investigou os efeitos da exposição prolongada de ratos ao fipronil, observando-se alguns comportamentos ligados ao sistema GABAérgico, como atividade no campo aberto, no labirinto em cruz elevado (LCE), bem como na convulsão induzida por picrotoxina e pentilenotetrazol; avaliou-se ainda os níveis cerebrais de alguns neurotransmissores, como GABA, dopamina, noradrenalina, serotonina e seus respectivos metabólitos. Além disso, foram realizadas análises anátomo-histopatológicas em fígado, cérebro e rins dos animais. Ratos Wistar receberam, por via intragástrica (gavage), durante 28 dias um dos seguintes tratamentos: fipronil (0,1; 1,0 ou 10,0 mg/Kg/dia) ou água destilada 1 mL/Kg/dia. Após uma hora da última administração do fipronil ou água destilada, os ratos tiveram seu comportamento avaliado no campo aberto e no LCE com auxílio do sistema computadorizado EthoVision®. Observou-se no campo aberto apenas redução significante do nº de levantamentos nos animais tratados com 10...

Isolamento e caracterização estrutural e funcional da Ts15, uma nova neurotoxina da peçonha do escorpião Tityus serrulatus; Isolation and structural and functional characterization of Ts15, a new neurotoxin from the venom of the scorpion Tityus serrulatus

Cologna, Camila Takeno
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
27.41%
Os escorpiões são um dos grupos de animais mais antigos da Terra. Eles são artrópodes e pertecem a classe Arachinida e Ordem Scorpionida. A família Buthidae compreende as espécies responsáveis pelos acidentes graves em humanos, incluindo a espécie Tityus serrulatus, o maior responsável por esses acidentes no Brasil. A peçonha do T. serrulatus contém diversas neurotoxinas que agem especificamente em canais para sódio, potássio e cálcio da membrana plasmática de células excitáveis, causando massiva liberação de neurotransmissores.As toxinas escorpiônicas podem ser usadas como ferramentas nos estudos de estrutura e função desses canais iônicos sensíveis a voltagem e também no estudo de liberação e captação de neurotransmissores. As toxinas escôrpionicas específicas para canais para sódio sensíveis a voltagem são as principais responsáveis pelos efeitos do envenenamento por estes artrópodes e podem ser classificadas em duas classes: toxinas e . As -toxinas retardam a inativação desses canais induzindo assim um prolongamento na fase de repolarização do potencial de ação. As - toxinas alteram a dependência de voltagem de ativação dos canais para sódio para potenciais mais negativos provocando potenciais de ação espontâneos e repetitivos. As toxinas específicas para canais para potássio (KTx) são geralmente peptídeos pequenos e de caráter básico...

Uma abordagem neurofisiológica da acetilcolina em plantas de milho hidratadas e sob condições de estresse hídrico; A neurophysiological approach to acetylcholine in maize plants hydrated and under water stress conditions

Daneluzzi, Gabriel Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
A ocorrência de potenciais de ação e neurotransmissores, componentes principais do sistema nervoso animal, em plantas, bactérias e fungos mostra a universalidade dos princípios de sinalização e transmissão de informações na forma de sinais químicos e elétricos em todos os organismos. Esses tópicos de estudo, juntamente com inteligência em plantas e transporte vesicular de auxina, constituem as linhas de pesquisa principais da recém-criada Neurobiologia Vegetal. Entre os neurotransmissores encontrados em plantas, a acetilcolina atua, entre outras situações, no crescimento e desenvolvimento controlado pelo fitocromo e na permeabilidade iônica de membranas. Nesse contexto, foi sugerido que a acetilcolina pode desempenhar um papel importante na regulação do movimento estomático, tendo efeito estimulatório na abertura dos estômatos além de poder atuar na sinalização entre raiz e parte aérea. Dessa forma, foi proposto identificar a presença deste neurotransmissor em plantas de milho hidratadas e submetidas a estresse hídrico, com o objetivo de correlacionar a presença de acetilcolina com as respostas estomáticas de tais plantas. Além disso, foi objetivo do trabalho avaliar parâmetros fisiológicos como potencial hídrico...

Receptor A2a de adenosina: estudo da modulação da liberação de neurotransmissores em modelo in vitro; Adenosine A2a receptor: a in vitro study of neurotransmitter release modulation

Matsumoto, João Paulo de Pontes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
27.53%
A transmissão sináptica é essencial para o funcionamento do sistema nervoso. A neuromodulação permite regular esse processo de forma precisa. Um desses mecanismos modulatórios é a regulação da liberação de neurotransmissores. A adenosina é um importante modulador da transmissão sináptica. Além disso, a ativação do subtipo A2a dos receptores para adenosina está envolvida com a facilitação da liberação de neurotransmissores no sistema nervoso central. O presente trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos modulatórios da ativação do receptor A2a de adenosina sobre a liberação de neurotransmissores e sua via de sinalização intracelular em modelo in vitro. Além disso, a tese contempla a construção histórica dos conceitos abordados no trabalho permitindo uma visão clara de sua evolução. Esse projeto foi o pioneiro no Brasil a utilizar o sensor biossintético fluorescente de liberação de vesículas sinápticas (supereclipse sinapto-pHluorina), o qual foi gentilmente cedido pelo professor Gero Miensenboeck do Sloan-Kettering Institute for Cancer Research. Nossos resultados demonstraram que o tratamento com o agonista do receptor A A2a de adenosina aumentou a fluorescência do supereclipse sinapto-pHluorina...

Influência da exposição à ivermectina na esfera sexual de ratos e ratas; Influence of ivermectin exposure in the sexual sphere of male and female rats

Moreira, Natalia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
A ivermectina é uma lactona macrocíclica utilizada para o tratamento de parasitoses na espécie humana e amplamente empregada em medicina veterinária como endectocida. Em mamíferos, diversas evidências indicam que as lactonas macrocíclicas interagem com canais de cloro mediados pelo ácido gama-aminobutírico (GABA). Sabe-se que o sistema GABAérgico está envolvido com a manifestação do comportamento sexual. Assim, no presente trabalho foram estudados, em ratos, os efeitos da ivermectina na coordenação motora, na motivação e no desempenho sexual de machos, bem como no comportamento sexual de fêmeas; além disso, avaliaram-se os níveis séricos de testosterona e as concentrações de diferentes neurotransmissores e seus metabólitos no hipotálamo e estriado, áreas do sistema nervoso central relacionadas, respectivamente, com o comportamento sexual e atividade motora. No presente estudo foram usadas as doses de 0,2 e 1,0 mg/kg, por via intraperitoneal, de uma formulação comercial de ivermectina; estas doses foram escolhidas considerando que a primeira é a dose usualmente empregada terapeuticamente e a segunda baseada em achados prévios que mostraram interferência no comportamento sexual de ratos machos. Os resultados mostraram que a administração de ivermectina em ratos: promoveu prejuízo na coordenação motora de machos; não interferiu na motivação sexual e na ereção peniana de machos; prejudicou o comportamento sexual de ratas; não alterou o peso relativo dos testículos...

Efeito da microinjeção de neurotransmissores e neuropeptídeos no núcleo póstero-dorsal da amígdala medial no controle cardiovascular em ratos

Quagliotto, Edson
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.24%
O subnúcleo póstero-dorsal da amígdala medial (AMePD) de ratos modula comportamentos sociais, como é o reprodutivo, e respostas a estímulos estressantes. Para tanto, são necessários ajustes concomitantes da função cardiovascular. Dada sua notável presença no AMePD, o glutamato (GLU), o ácido δ-aminobutírico (GABA), a ocitocina (OT), a somatostatina (SST) e a angiotensina II (Ang II) poderiam estar envolvidos em tais ajustes homeostáticos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da microinjeção de GLU, GABA, OT, SST e Ang II microinjetados diretamente no AMePD de ratos não anestesiados sobre o controle cardiovascular em situação basal e após estimulação dos barorreceptores e quimiorreceptores. Ratos machos Wistar (3 meses de idade) foram mantidos em condições padrão de biotério e cuidados éticos. Os animais foram anestesiados e submetidos à cirurgia estereotáxica para implantação unilateral de cânula no AMePD, lado direito. No quinto dia pós-cirúrgico, os animais foram novamente anestesiados e submetidos à colocação de cateter de polietileno na luz da artéria aorta abdominal e outro na veia cava inferior. Um dia após a canulação dos vasos, os animais foram microinjetados no AMePD com solução salina (0...

Comportamento agressivo e três neurotransmissores centrais : dopamina, gaba e serotonina : uma revisão sistemática dos últimos 10 anos

Narvaes, Rodrigo Furini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.41%
O comportamento agressivo é um tópico atraente na pesquisa há mais de cinco décadas. Ainda que extensivamente estudado, os mecanismos envolvidos tanto na agressividade funcional quanto na patológica ainda estão longe de serem elucidados. A agressividade é regulada por uma vasta gama de neurotransmissores. A serotonina apresenta tanto efeitos inibitórios quanto estimulantes na agressividade, dependendo da região do cérebro onde seus níveis são quantificados ou quais os receptores estudados. Dopamina, e o sistema mesocorticolímbico, são associados com estímulos relacionados a recompensas e também com agressividade, em alguns casos estimulando a agressividade, em outros reduzindo a impulsividade que levaria a um comportamento agressivo anormal. O ácido gama-aminobutírico é o principal neurotransmissor inibitório e sua relação com o comportamento agressivo é extremamente complexa e muito associada à serotonina. Esta revisão concentrou-se em reunir informações sobre o papel desempenhado por estes três neurotransmissores no comportamento agressivo, e também como analisou perspectivas para o comportamento agressivo, não somente na neuropsicologia, mas como uma área interdisciplinar junto a outras ciências do comportamento.

Desenvolvimento e avaliação de um biossensor amperometrico a base de peroxidase para determinação de neurotransmissores

Tania Jacometo de Castilho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/09/2003 Português
Relevância na Pesquisa
27.53%
Sendo os neurotransmissores compostos que desempenham papel importante no organismo humano, a análise dos mesmos é revestida de um interesse especial nas áreas médica e farmacêutica. A análise de neurotransmissores, utilizando um biossensor à base de peroxidase (HRP) imobilizada em pasta de carbono, pode ser uma alternativa às técnicas tradicionais de análise que são pouco seletivas (fluorimétrica), muito caras (CG-MS) ou demoradas (HPLC-ED). Estes fatores as tomam pouco adequadas para análises rápidas. Assim, esta tese refere-se ao desenvolvimento de um biossensor à base de peroxidase imobilizada em pasta de carbono para a determinação de neurotransmissores em amostras biológicas. Na construção do biossensor foram realizados oito procedimentos diferentes para imobilizar a enzima HRP e todas as condições experimentais determinadas, usando uma solução do neurotransmissor serotonina como composto de referência. Foram avaliados os valores de sensibilidade obtidos com a adição de glutaraldeído, albumina de soro bovino e a ativação da grafite com carbodiimida no processo de imobilização enzimática. -Os resultados indicaram que a composição da pasta tem grande influência na atividade da enzima imobilizada para catalisar a oxidação da serotonina. Os melhores resultados foram obtidos em tampão fosfato 0...

Influencia de compostos carboxilicos e ions metalicos na degradação de neurotransmissores; Influence of carboxylate and metal ions on the degradation of neurotransmitters

Eduardo Winter
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.53%
Muitas doenças neurodegenerativas são associadas com disfunções de neurotransmissores, em particular catecolaminas, no cérebro. Numerosas pesquisas têm indicado que íons metálicos podem induzir estresse oxidativo - dependente da neurodegeneração de dopamina e são responsáveis pelo aparecimento de doenças neurodegenerativas. Em estudos prévios foi verificado que alguns carboxilatos diminuem a velocidade de oxidação de catecolaminas e inibem a passivação de eletrodos sólidos durante a análise voltamétrica destes compostos fenólicos. Este trabalho teve por objetivo estudar a influência de carboxilatos (EDTA, NTA, EGTA, DTPA, acetato, citrato e oxalato) e íons metálicos (Ce(IV), Fe(III) e Hg(II)) durante a oxidação de neurotransmissores (dopamina, serotonina, epinefrina, norepinefrina e L-dopa) no intuito de estabelecer mecanismos de reações que possam contribuir no esclarecimento do papel destes compostos no processo de degeneração dos neurotransmissores, assim como compreender como os carboxilatos inibem o envenenamento do eletrodo durante a varredura de potencial. Para eses propósitos foram empregadas as técnicas de espectrofotometria, voltametria e espectroeletroquímica. A cela espectroeletroquímica de camada delgada desenvolvida incorporou um sistema de três eletrodos...

Glutamato participa do controle hipotalâmico da homeostase energética em ratos; Glutamate participate of hypothalamic control of energetic homeostasis in rats

Daniela Soares Razolli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/07/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.41%
O receptor ionotrópico NMDA (N-metil-D-aspartato) é um receptor de glutamato envolvido em uma série de processos essenciais para o funcionamento adequado do sistema nervoso central. A ativação ou expressão anômala deste receptor pode contribuir para o desenvolvimento de doenças como Parkinson e Alzheimer. Um estudo utilizando um microarranjo de DNA realizado em nosso laboratório revelou que apenas dois dentre 1.176 genes hipotalâmicos avaliados, estão simultaneamente envolvidos na resposta a estímulos termogênicos induzidos pela ingestão de dieta hipercalórica e pela exposição à baixa temperatura; sendo eles, a subunidade 2B do receptor NMDA, e a proteína-G ligadora de GTP. Tal fato sugere que os processos envolvidos com o controle do gasto energético são complexos e finamente regulados. Ainda, dados prévios mostraram a co-localização entre receptores NMDA e neurônios MCH (Hormônio Concentrador de Melanina), o qual é um dos principais neurotransmissores hipotalâmicos envolvidos no controle do gasto energético. Dessa forma, o objetivo do presente estudo foi avaliar a expressão e a funcionalidade de receptores NMDA em hipotálamo de ratos alimentados com dieta padrão ou rica em lipídeos. Como o hipotálamo responde aos hormônios leptina e insulina no processo de controle de ingestão alimentar e gasto energético...

Stress and decision-making: structure and molecular correlates

Ribeiro, Beatriz Limpo de Faria Cardoso, 1988-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.53%
Tese de mestrado. Biologia (Biologia Humana e Ambiente). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2011; A tomada de decisão é um processo com o qual os indivíduos se deparam diariamente e que envolve a selecção e execução de acções, tendo em conta a avaliação dos resultados que delas possam advir. A sua optimização, com base no contexto em que o indivíduo se encontra, confere uma importante vantagem para o mesmo, uma vez que lhe permite responder de forma eficiente à mudança de situação. Perturbações destes processos podem reduzir a capacidade de avaliação do meio, o que pode diminuir os benefícios que a tomada de decisão possa proporcionar. A tendência para determinado tipo de comportamento está intimamente ligada às características de cada indivíduo, o que justifica a existência de comportamentos tão díspares. Assim, é possível distinguir indivíduos com preferência por comportamentos arriscados, de outros com inclinação para opções que não envolvam risco. As recompensas podem ser definidas como objectos ou acções com capacidade de gerar um comportamento específico e a aprendizagem desse mesmo comportamento. Representam resultados positivos produzidos por determinada decisão e provocam emoções positivas e prazer. Deste modo...

Alterações agudas dos níveis de neurotransmissores em corpo estriado de ratos jovens após estado epiléptico induzido por pilocarpina

Freitas,Rivelilson Mendes de; Sousa,Francisca Cléa Florenço de; Vasconcelos,Silvânia Maria Mendes; Viana,Glauce Socorro Barros; Fonteles,Marta Maria de França
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
Altas doses de agonista colinérgico muscarínico, pilocarpina, produzem alterações comportamentais, convulsões e estado epiléptico em ratos. O objetivo desse estudo foi verificar as alterações nas concentrações dos neurotransmissores em corpo estriado de ratos em desenvolvimento após estado epiléptico induzido pela pilocarpina. Ratas Wistar foram tratadas com uma única dose de pilocarpina (400mg/Kg; s.c.). Controles receberam salina. A concentração dos neurotransmissores foi determinada através do HPLC, no corpo estriado de ratos que no período de observação de 1 e 24h desencadearam estado epiléptico e não sobreviveram à fase aguda do quadro convulsivo. Foi observada redução nos níveis de dopamina, serotonina, ácido dihidroxifenilacético, ácido 5-hidroxiindolacético, e aumento no ácido 4-hidroxi-3-metoxi-fenilacético. Os resultados mostraram que a ativação do sistema colinérgico pode interagir com os sistemas dopaminérgico e serotonérgico nos mecanismos referentes à fase aguda do processo convulsivo.

Níveis dos neurotransmissores estriatais durante o estado epiléptico

Freitas,Rivelilson Mendes de; Viana,Glauce Socorro Barros; Fonteles,Marta Maria de França
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
O objetivo desse estudo foi verificar os níveis dos neurotransmissores estriatais de ratas adultas durante o estado epiléptico induzido pela pilocarpina. Ratas wistar foram tratadas com uma única dose de pilocarpina (400 mg/kg por via subcutânea (S.C.); P400) e os controles receberam salina. A concentração dos neurotransmissores foi determinada através do HPLC eletroquímico, no corpo estriado de ratas que no período de observação de 1 hora desencadearam estado epiléptico e que sobreviveram à fase aguda do quadro convulsivo. Foi observada redução nos níveis de dopamina, serotonina, ácido diidroxifenilacético e aumento na concentração do ácido 5-hidroxiindolacético. Nenhuma alteração foi observada no 4-hidroxi-3-metoxi-fenilacético. Os resultados sugerem que a ativação do sistema colinérgico pode interagir com os sistemas dopaminérgico e serotonérgico nos mecanismos referentes à fase aguda do processo convulsivo no corpo estriado de ratos desenvolvidos.

Terpenóides com atividade sobre o Sistema Nervoso Central (SNC)

Passos,Carolina S.; Arbo,Marcelo D.; Rates,Stela M. K.; Poser,Gilsane L. von
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.24%
Os terpenóides constituem um vasto grupo de metabólitos secundários com ações sobre o SNC, destacando-se suas atividades sedativa, ansiolítica, antinociceptiva, anticonvulsivante, pró-convulsivante e alucinógena. Neste trabalho foi realizada uma revisão bibliográfica sobre terpenóides com ações descritas no SNC, enfocando moléculas e sistemas neurotransmissores relacionados com sua atividade. As substâncias abordadas encontram-se divididas em mono, sesqui, di, tri e meroterpenóides e incluem compostos isolados e plantas que apresentam ação principalmente sobre os sistemas neurotransmissores GABAérgico, glutamatérgico, dopaminérgico e opióide.

Neurotransmissores e drogas; alterações e implicações clínicas

Costa, Ana Sofia Velosa da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.53%
Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas; Os neurotransmissores e neuromoduladores, são moléculas do sistema nervoso que desempenham um papel fundamental na comunicação intercelular. Quando estimulados os neurónios libertam estas moléculas que posteriormente vão atuar em recetores pré e/ou pós-sinápticos, desencadeando uma resposta biológica. A comunicação intercelular no sistema nervoso central exige um controlo rigoroso da duração e intensidade da ação de um neurotransmissor num determinado alvo. Os neurotransmissores podem ser excitatórios ou inibitórios dependendo do recetor que é ativado. As drogas de abuso, como o álcool, as metanfetaminas, a cocaína, a heroína, o LDS e a cannabis, influenciam a comunicação entre as células nervosas ao alterar a forma como os neurotransmissores transmitem sinais (informação) de neurónio para neurónio. As drogas possuem diversas ações psicotrópicas que vão desde a supressão de sensações negativas à potenciação de emoções positivas. Além disso, estão associadas a diferentes graus de toxidade, bem como a efeitos adversos graves...

O ciclo da vesícula sináptica, espinhos dendríticos e a transdução de sinal; Synaptic vesicle cycle, dendritic spines and signal transduction

Merlo, Suélen; Brusco, Janaína; Padovan-Neto, Fernando E.; Rohner, Carlos J.S.; Ikeda, Érika T.; Ross, Jana B. de; Bueno Júnior, Lezio S.; Ruggiero, Rafael N.; Fachim, Helene A.; Moreira, Jorge E.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.41%
No sistema nervoso, a sinapse é a estrutura que permite a um neurônio passar um sinal elétrico ouquímico a outro neurônio ou outra célula (muscular ou glandular). A palavra sinapse vem de "synaptein",palavra que Sir Charles Scott Sherrington e seus colegas acunharam do grego "syn" (junto) e "haptein"(afivelar). As sinapses podem ser separadas entre elétricas e químicas, porém a maior parte da transmissão sináptica é realizada através das sinapses químicas. Apesar das sinapses químicas teremuma resposta mais lenta que as elétricas, elas possuem a vantagem da amplificação do sinal geradaatravés de uma cascata de segundos mensageiros. As sinapses químicas podem ser excitatórias ouinibitórias e são caracterizadas por um terminal pré-sináptico (onde estão presentes as vesículas quecontêm os neurotransmissores) em contato com um terminal pós-sináptico (onde estão presentes osreceptores ionotrópicos e metabotrópicos para esses neurotransmissores) separados pela fenda sináptica. As sinapses típicas acontecem sobre axônios (axo-axônicas), sobre dendritos (axo-dendríticas), sobre o soma de outro neurônio (axo-somáticas) e sobre os espinhos dendríticos. Os espinhosdendríticos são pequenas profusões da membrana celular especializadas na compartimentalizaçãosináptica. Atualmente há muita informação sobre a biossíntese dos neurotransmissores clássicoscomo acetilcolina...