Página 1 dos resultados de 3278 itens digitais encontrados em 0.020 segundos

A descentralização do ensino : vontade do poder central ou exigência do poder local

Lopes, Estêvão Gouveia
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
45.98%
Dissertação de Mestrado em Administração e Gestão Educacional apresentada à Universidade Aberta; A presente dissertação aborda a problemática da descentralização do ensino em Portugal, num sistema claramente centralizado por razões históricas e sociais. Partindo da pergunta inicial sobre se existe descentralização do ensino em Portugal, o trabalho incide fundamentalmente sobre a identificação dos agentes responsáveis por esse processo de descentralização. Após um enquadramento teórico, que identifica algumas obras sobre o tema em análise, faz-se um breve historial do sistema de ensino e um levantamento da evolução do quadro normativo que regulamenta a gestão dos estabelecimentos de ensino e do sistema educativo em geral. Da análise desses diplomas conclui-se claramente que estamos perante um sistema de ensino bastante centralizado, mas que tem igualmente existido, a partir da década de noventa do Século XX, um conjunto de iniciativas no sentido de descentralizar alguns aspetos do sistema, relacionados principalmente com a gestão do pessoal não docente e com a manutenção de edifícios e equipamentos. Essas tentativas de descentralização têm sido promovidas quase exclusivamente pelo poder central e tem sido um processo que tem como objetivo a municipalização do ensino. Contudo este processo tem enfrentado resistências de vária ordem...

Educação e autarquias. Lógicas de acção do poder autárquico face ao poder central e aos micropoderes locais

Baixinho, António
Fonte: Edições Universitárias Lusófonas Publicador: Edições Universitárias Lusófonas
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
45.8%
A tendência para a mudança no papel do Estado, ou seja, de um Estado-educador para um Estado-regulador, fundamenta-se no discurso da racionalização, o qual é contraditório visto ser conjuntamente o discurso da recentralização, originando dinâmicas próprias mas também tensões entre o local e o centro. A territorialização das políticas educativas marca uma ruptura ideológica e cultural com a tradição centralista e universalista, e produz novas formas de articulação entre o nacional e o local. Ela associa-se a uma dupla vontade política do Estado, ao redistribuir o poder entre o centro e as periferias, e de lutar contra as desigualdades sociais. Assim, certos municípios desenvolvem (ou tentam desenvolver) sobre o seu território, numa lógica subsidiária, as políticas educativas que são as políticas sociais locais de tipo compensatório. Por sua vez, outros municípios, através de uma lógica de liderança, assumem uma aproximação liberal, sem fazerem necessariamente bandeira dos princípios da competitividade, da concorrência ou da eficácia que a fundamentam, mas dos princípios mais consensuais como a diversificação, a abertura ou a modernização do sistema escolar.

Muana Congo, Muana Nzambi Ampungu: poder e catolicismo no reino do Congo pós-restauração (1769-1795); Muana Congo, Muana Nzambi Ampungu: Power and Catolicism in the Kingdom of Kongo post-restoration (1769-1795)

Sapede, Thiago Clemêncio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
45.92%
O objetivo desta dissertação é debater o lugar e importância dos elementos de origem católica nas práticas políticas no reino do Congo nas ultima quatro décadas do século XVIII. Evitamos lidar com tais elementos através de uma ideia de simples incorporação passiva ou imposição cultural, que seria um equivoco tratando-se da complexidade do processo histórico do reino do Congo. Nosso olhar direciona-se para a agência histórica dos congoleses, sobretudo das elites políticas ligadas ao poder central, assim como local (das províncias). O material que a pesquisa analisa são três relatórios redigidos por missionários que habitaram e trabalharam no Congo, em diferentes contextos, durante as quatro ultimas décadas do século XVIII. Além dessas fontes mais consistentes, dispomos de alguns documentos mais fragmentários, principalmente correspondências trocadas entre agentes das missões, autoridades congolesas e autoridades lusitanas em Luanda e no reino de Portugal. Ao empreendermos o trabalho histórico com as fontes notamos a centralidade dos elementos do cristianismo (africanizados e incorporados no contexto congolês) no funcionamento do complexo sistema político operante no período pós-restauração. Neste contexto...

O poder central e o poder local : modos de convergência e de conflito nos séculos XIV e XV

Moreno, Humberto Baquero
Fonte: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras Publicador: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
45.88%

O Porto e as Cortes no século XVII ou os concelhos e o poder central em tempos do absolutismo

Silva, Francisco Ribeiro da
Fonte: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras Publicador: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
45.76%

Aristocracias locais e poder central : o exemplo bracarense

Oliveira, Aurélio de
Fonte: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras Publicador: Porto : Universidade do Porto. Faculdade de Letras
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
45.83%

Poder local: Modelos políticos ou modelos partidários? Análise comparativa dos processos de tomada de decisão e dos outputs, entre os mandatos do PSD e os mandatos do PS, no período de 1983 a 1997, nos orgãos do Municipio de S. Brás de Alportel

Gonçalves, Josélia
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
46.09%
Introdução - A reflexão sobre o Poder Local, respectivas potencialidades, limitações e perfil na realidade portuguesa, apresenta um carácter relativamente incipiente, apesar do acréscimo do número de projectos de investigação relativos à acção de base local, particularmente incidentes no papel que desenvolve e nas relações que estabelece, tanto a nível local, como a nível nacional e regional. O estudo da prática do Poder Local desdobra-se em duas grandes vertentes de análise: uma, considera-o como mera extensão do Poder Central e outra, entende-o como independente do Poder Central, logo, autónomo na capacidade de intervenção. Enquanto a primeira perspectiva se fundamenta na necessidade do Governo Local em obter transferências financeiras do Poder Central para exercer a respectiva autonomia ou independência, na uniformização dos serviços públicos definidos pelo Poder Central e na dependência da intervenção autárquica, face à legislação proveniente do Poder Central, a segunda perspectiva suporta-se no facto de o Governo Local, como instituição representativa da Democracia, ser a ligação última da cadeia de autoridade relacionada com o eleitorado. Qualquer uma das interpretações reportadas detém um significado explicativo perante as capacidades de intervenção do Poder Local. Ambas partilham da premissa da capacidade de exercício do poder...

Relações de poder em uma rede do terceiro setor: um estudo de caso

Pinto,Áureo Magno Gaspar; Junqueira,Luciano Antonio Prates
Fonte: Fundação Getulio Vargas Publicador: Fundação Getulio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
45.87%
Este artigo apresenta um estudo de caso em que são analisadas as relações de poder em uma estrutura de rede de organizações sem fins lucrativos, Cooperapic, para avaliar se concentração de poder no núcleo gestor da rede poderia ser um fator de manutenção da integridade estrutural. Foi utilizada a análise de redes sociais para que fossem elaborados cenários de relacionamento entre os atores e mensurada a concentração de poder na rede. Os resultados da pesquisa permitiram identificar que a rede se constitui de forma descentralizada, com baixo índice de poder central e com subgrupos que concentram o poder, o que pode favorecer sua fragmentação. Foi verificada a importância do núcleo gestor na coesão da rede, bem como os impactos que sua exclusão poderia ocasionar.

Influências do poder central no planejamento da educação dos municípios da região metropolitana do Recife

Azevedo,Janete Maria Lins de; Santos,Ana Lúcia Felix dos
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
45.83%
O artigo, baseado em resultados de pesquisa, tem por ancoragem a realidade das metrópoles brasileiras, a partir da qual são feitas reflexões sobre o planejamento voltado, nas intenções proclamadas, para superar as desigualdades educacionais. Focalizam-se os quatorze municípios da Região Metropolitana do Recife, considerando-se características que os diferenciam e os aproximam. Entre outras dimensões, de modo explícito ou subjacente, trata-se do papel das municipalidades face aos novos padrões da regulação social, singularidades assumidas pelas políticas educativas nesse quadro, sobretudo em termos das relações interinstitucionais (poder central x poder local) e especificidades da região: sua economia, história e cultura. As decisões expressas no Plano de Ações Articuladas (PAR) e o discurso de gestores municipais são o espaço empírico do estudo.

Nova cidade, velha política. Um estudo de poder sobre Montes Claros

Antunes Fernandes de Oliveira, Evelina; Soares Dulci, Otávio (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
45.89%
Como um estudo de poder local, expressa as relações entre vários grupos políticos na disputa pelo poder em Montes Claros, norte do Estado de Minas Gerais. Trata das formas de articulação do poder político. Identifica os vínculos do município com as demais esferas de poder do estado, antes de depois da industrialização. Observa a atuação dos agentes políticos da mudança. Procura sistematizar os elementos que conformam a estrutura de poder local e sua inserção na política brasileira. Indica as particularidades locais na realização dos determinantes políticos centrais. Ressalta, na análise, a importância da intermediação feita pelo governo do Estado de Minas Gerais entre o município e o poder central. Demonstra que todas as mudanças ocorrem sem que se altere a composição da elite na cidade

Pilares necesarios para una descentralización autónoma sin cooptación del poder central: reflexiones para el proceso descentralizador chileno

Valenzuela,Esteban; Pressacco,Fabián; Cienfuegos,Ignacio; Penaglia,Francesco
Fonte: Fundação Getulio Vargas Publicador: Fundação Getulio Vargas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2015 Português
Relevância na Pesquisa
45.87%
El debate sobre la descentralización en Chile ha tomado un nuevo impulso de demandas a través de diversas acciones colectivas regionalistas desarrolladas desde el año 2011, las que han establecido un "nuevo ciclo" marcado por redefiniciones de las relaciones entre Estado y sociedad. Este nuevo periodo se ha caracterizado por un fuerte debate político, el que ha enfrentado a distintas posiciones e intereses en torno a cómo lograr una descentralización que permita un doble virtuosismo: desarrollar grados crecientes de autonomía evitando el caudillismo y la captura de los entes subnacionales por grupos y mafias locales, a la vez que generar un proceso descentralizador que evite la cooptación y control desde el poder central. Problematizando en torno a este último punto, el presente artículo es una investigación descriptiva-exploratoria, con énfasis en lo teórico, que busca identificar dimensiones de éxito de una descentralización no cooptativa, que sirvan como insumo al proceso chileno. Para ello se concluye que los tres pilares fundamentales para alcanzar una descentralización autónoma sin cooptación del poder central son el fortalecimiento y autonomía financiera, la participación y democratización territorial y un proceso de institucionalización.

Estudios y otras prácticas intelectuales latinoamericanas en cultura y poder

Mato, Daniel - Comp.
Fonte: Caracas; Venezuela; Universidad Central de Venezuela; Clacso Publicador: Caracas; Venezuela; Universidad Central de Venezuela; Clacso
Tipo: LIBRO
Português
Relevância na Pesquisa
45.83%
Una de las dos ideas articuladoras de este libro es la de prácticas intelectuales . Con esta idea se busca cuestionar el sentido común que la institucionalidad académica y las industrias editoriales han impreso sobre la idea de intelectual, reduciéndola a sólo algunas de tantas formas posibles, las centradas exclusivamente en la escritura. A lavez, la idea de prácticas intelectuales permite poder de relieve la importancia de la amplia diversidad de formas que asumen las prácticas intelectuales. La otra idea articuladora del volumen es la de cultura y poder. Esta idea permite poner de relive específicamente el conjunto particular de prácticas intelectuales orientadas a lo cultural (simbólico social) de lo político y lo político (de poder) de lo cultural.

El Poder en las Colonias Menores: el Caso de Trinidad

Sevilla Soler, Rosario
Fonte: Consejo Superior de Investigaciones Científicas (España) Publicador: Consejo Superior de Investigaciones Científicas (España)
Tipo: Artículo Formato: 174117 bytes; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
45.93%
Este trabajo muestra como los intentos de la Corona Española por recuperar el poder efectivo en los territorios americanos tiene importantes consecuencias en colonias que por su escaso interés económico habían permanecido prácticamente al margen del poder central. En el caso de Trinidad, tal y como se observa en este artículo, las medidas de la administración central, especialmente el impulso que se dio a la inmigración, incluida la extranjera, trae consigo, entre otros cambios, que el poder real, que estaba en manos de los primeros criollos a través de los cabildos, pase realmente a las autoridades nombradas por la Metrópoli.; PAI. Junta de Andalucía; Peer reviewed

Norbert Elias, poder y cotidiano; NORBERT ELIAS, PODER E COTIDIANO; Norbert Elias, power and daily life

Gebara, Ademir; UFGD; Lucena, Ricardo de F.
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.09%
El concepto de poder es central en los libros de Norbert Elias. Su argumento básico centrase en la existencia de distintas fuentes de poder, el poder es político, económico, del conocimiento, simbólico, militar y también se expresa de variadas formas. En ese sentido, siendo el poder central en las relaciones sociales, un análisis sociológico debe estar atento a los cambios que se producen con y en la distribución de poder, forneciendo así elementos más palpables para el análisis de las interdependencias y de las configuraciones en las estructuras sociales.; O conceito de poder é central na obra de  Norbert Elias, seu argumento básico centra-se na existência de diferentes fontes de poder, o poder é político, econômico, do conhecimento, simbólico, militar e também se expressa de variadas formas. Nesse sentido, sendo o poder central nas relações sociais, uma análise sociológica deve prestar atenção às mudanças que se produzem com e na distribuição de poder, fornecendo assim elementos mais palpáveis para a análise das interdependências e das configurações nas estruturas sociais.; The concept of power is the central idea in Norbert Elias´ book. Its basic argument focuses on the existence of different sources of power. The power is political...

Educação e autarquias: Lógicas de acção do poder autárquico face ao poder central e aos micropoderes locais

Baixinho,António Francisco
Fonte: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Publicador: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
45.8%
A tendência para a mudança no papel do Estado, ou seja, de um Estado-educador para um Estado-regulador, fundamenta-se no discurso da racionalização, o qual é contraditório visto ser conjuntamente o discurso da recentralização, originando dinâmicas próprias mas também tensões entre o local e o centro. A territorialização das políticas educativas marca uma ruptura ideológica e cultural com a tradição centralista e universalista, e produz novas formas de articulação entre o nacional e o local. Ela associa-se a uma dupla vontade política do Estado, ao redistribuir o poder entre o centro e as periferias, e de lutar contra as desigualdades sociais. Assim, certos municípios desenvolvem (ou tentam desenvolver) sobre o seu território, numa lógica subsidiária, as políticas educativas que são as políticas sociais locais de tipo compensatório. Por sua vez, outros municípios, através de uma lógica de liderança, assumem uma aproximação liberal, sem fazerem necessariamente bandeira dos princípios da competitividade, da concorrência ou da eficácia que a fundamentam, mas dos princípios mais consensuais como a diversificação, a abertura ou a modernização do sistema escolar.

La cuestión del poder y los movimientos sociales: Reflexión pos-Foro Social Mundial Caracas 2006

García-Guadilla¹,María Pilar; Lagorio²,Carlos
Fonte: Universidad Central de Venezuela, Caracas Publicador: Universidad Central de Venezuela, Caracas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
45.8%
Desde el primer Foro Social Mundial realizado durante la última semana de enero de 2001 en Porto Alegre, Brasil, han sido recurrentes los debates en torno al poder, las formas o vías para hacerse de él y el cómo ejercerlo. En su sexta edición, que tuvo por sede a Caracas en enero de 2006, nuevamente este debate cruzó buena parte de las discusiones y reflexiones presentadas. El mismo presidente Chávez, en una presentación de saludo que hizo a los asistentes al Foro, explícitamente se refirió al tema. En este artículo, sin tomar partido por alguna de las posiciones presentes en el debate, los autores presentan una reflexión para contribuir a la discusión con algunas consideraciones teóricas sobre el poder y sobre la relevancia que este debate tiene en el escenario político venezolano actual

La praxis de los consejos comunales en Venezuela: ¿Poder popular o instancia clientelar?

García-Guadilla,María Pilar
Fonte: Universidad Central de Venezuela, Caracas Publicador: Universidad Central de Venezuela, Caracas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
45.76%
Los consejos comunales son organizaciones comunitarias decretadas por el Presidente Hugo Chávez en el año 2006 para avanzar la democracia participativa. A nivel local, una de sus finalidades es el mejoramiento de la calidad de vida mediante la autogestión de los servicios comunitarios; a nivel nacional, la de liderar las transformaciones sociales hacia el Socialismo del Siglo XXI ya que se les considera como el sujeto revolucionario por excelencia y como los protagonistas del Poder Popular. Mientras que los sectores populares adeptos a Chávez ven en ellos la posibilidad de mejorar su calidad de vida; la clase media opositora ha cuestionado su pretendida autonomía, su tendencia centralizadora, y sus prácticas clientelares. El presente trabajo ahonda en el alcance y los límites de los consejos comunales e intenta responder si éstos son espacios para la democratización y el ejercicio real de la soberanía popular o por el contrario, espacios para el clientelismo político y el populismo, si se trata de espacios para empoderar a las organizaciones sociales o espacios para-estatales para controlarlas.

Orígenes históricos y componentes del poder nacional contemporáneo: factibilidad y utilidad de la medición empírica de las capacidades estatales

HALUANI,MAKRAM
Fonte: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo. Publicador: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 Português
Relevância na Pesquisa
45.8%
El presente ensayo pretende identificar los rasgos cuantitativos y cualitativos más resaltantes del poder nacional. Siendo una dimensión de referencia conceptual y metodológica relativamente reciente en ciencia política, se le entiende como un conjunto de componentes que permite a un determinado país planificar, ejecutar y percibir los beneficios de sus capacidades nacionales, materializadas como políticas públicas domésticas y externas, en pro de intereses nacionales preestablecidos. Mediante el análisis de sus orígenes históricos y de sus componentes más esenciales, tanto permanentes como coyunturales, se busca también determinar la factibilidad de su medición en términos cuantitativos, cualitativos o en novedosa forma «cuantilativa». Las conclusiones enfocarán los usos y abusos del poder nacional como concepto teórico y en términos de la práctica política nacional e internacional.

Movilización de recursos de poder en el resurgimiento del protagonismo sindical en Argentina post 2001

Senén González,Cecilia; Haidar,Julieta
Fonte: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo. Publicador: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
45.76%
En la década de los noventa se produjo en Argentina una crisis del sindicalismo, es decir, un debilitamiento de los sindicatos como organizaciones protectoras de la clase trabajadora. Diez años después, tras la crisis económica, política y social de 2001, en una coyuntura de crecimiento económico y fortalecimiento político, encontramos un renovado protagonismo sindical, fenómeno al que denominamos «revitalización». Dicho concepto es una readaptación local del debate internacional sobre las estrategias sindicales para afrontar reestructuraciones capitalistas proveniente de la literatura europea y anglosajona. El objetivo de este trabajo es comparar estos dos períodos históricos -los noventa hasta la crisis de 2001 y el período que se inaugura tras la crisis de recomposición productiva- desde la llamada teoría de recursos de poder (TRP). El estudio se inscribe en el marco disciplinario de las ciencias políticas y las relaciones laborales buscando aportar a los estudios sobre sindicatos.

Sistemas de balance de poder regional: geografía, jerarquías y poder nacional

Haluani,Makram
Fonte: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo. Publicador: Universidad Central de Venezuela, Centro de Estudios del Desarrollo.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2002 Português
Relevância na Pesquisa
45.83%
El presente ensayo pretende estudiar el impacto del poder nacional de los diversos estados, su ubicación geográfica, así como su posición jerárquica cualitativo-comparativa sobre las relaciones políticas y de seguridad al nivel regional. También busca identificar las variables básicas que influyen sobre la creación y aplicación de aquellas capacidades nacionales de carácter político-militar, y relacionar esas variables al patrón modelo de sus relaciones, tanto cooperativas como conflictivas dentro del sistema de equilibrio de poder regional