Página 1 dos resultados de 2602 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

"Incidência de doença de vias aéreas pelo vírus sincicial respiratório humano em coorte de recém nascidos do município de São Paulo: comparação de técnicas diagnósticas e caracterização molecular" ; Incidence of respiratory illness by human respiratory syncytial virus in a cohort of newborn in São Paulo city : comparison of techniques and genetic diversity.

Reis, Alexanda Dias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/05/2006 Português
Relevância na Pesquisa
96.49%
A incidência de doença respiratória pelo vírus sincicial respiratório humano (VSRH) avaliada em uma coorte de recém-nascidos, entre dezembro/2002 a setembro/2005, foi de 9,84/1000 criança-mês.Um total de 316 amostras de lavado de nasofaringe, foram processadas por três diferentes técnicas (isolamento viral, imunofluorescência direta e PCR) para detecção de vírus respiratório sincicial humano (VSRH). Destas, 36 (11,4%) foram positivas para o VSRH. A PCR foi à técnica mais sensível, sendo positiva em 35 (11,1%) das amostras, seguido da imunofluorescência direta (25/316, 7,9%) e isolamento viral (20/315, 6,3%) (p < 0,001). Os dados do presente estudo sugerem que o conceito de isolamento viral como "padrão ouro" no diagnóstico do VSRH seja revisto. ; The incidence of respiratory illnesses caused by the human respiratory syncytial virus (HRSV) in a cohort of neonates between December 2002 and September 2005 was 9.84/1000 children/month. A total of 316 samples of nasopharyngeal lavage were processed using three different techniques (viral isolation, direct immunofluorescence and PCR) to detect the human respiratory syncytial virus (HRSV). Of these, 36 (11.4%) were positive for HRSV. PCR was the most sensitive technique. It was positive in 35 (11.1%) of the samples...

Detecção do vírus respiratório sincicial humano (HRSV) pela RT-PCR em tubo único, em amostras clínicas ; Single-Tube Reverse Transcriptase Polymerase Chain Reaction for diagnosis of Human Respiratory Syncytial Virus (HRSV) in clinical samples

Nascimento, Cesar Augusto do
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/06/2006 Português
Relevância na Pesquisa
96.43%
O vírus respiratório sincicial humano (HRSV) é principal agente causador de infecções do trato respiratório inferior em crianças e lactentes. Um diagnóstico rápido e preciso evitaria o uso desnecessário de antibióticos, nos casos em que a infecção é viral. A reação em cadeia da polimerase após transcrição reversa (RT-PCR) e o ensaio de imunofluorescência indireta (IFI) são considerados ferramentas importantes na detecção do HRSV, pela alta sensibilidade e especificidade. Visando simplificar e minimizar os riscos de contaminação freqüentes, em duas etapas, foi padronizada uma reação em tubo único para detecção do HRSV em amostras clínicas. Aspirados de nasofaringe de 226 crianças de 0-5 anos de idade, com doença respiratória, atendidas no Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (HU-USP), foram testados por imunofluorescência indireta, RT semi Nested PCR e RT-PCR em tubo único. Cento e duas amostras (45,1%) foram positivas em pelo menos uma das técnicas e 75 (33,2%) em todas. Três (1,3%) amostras foram positivas por IFI e RT semi Nested PCR, 1 (0,4%) foi positiva por IFI e RT-PCR em tubo único, 5 (2,2%) amostras foram positivas somente por IFI, 2 (0,9%) somente por RT semi Nested PCR e 16 (7...

Caracterização molecular das cepas do Vírus Sincicial Respiratório identificadas nos anos de 2001 e 2002 em unidade de transplante de células tronco hematopoéticas; Molecular characterization of strains of Respiratory Syncytial Virus in Hematopoietic Stem Cell Transplant Unit identified in 2001 and 2002

Machado, Adriana Freire
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
96.43%
O Vírus Sincicial Respiratório (RSV) é reconhecido como agente causador de infecção nosocomial entre receptores de pacientes de células-tronco hematopoéticas causando morbidade e mortalidade consideráveis nesses pacientes. O objetivo desse estudo foi caracterizar as cepas do RSV isoladas de receptores de transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo durante sua estação. As cepas do RSV foram tipadas (em grupo A ou B) e genotipadas. Das sete cepas analisadas dos receptores de TCTH durante o ano de 2001, somente duas pertenciam ao grupo B, as outras cinco eram pertencentes ao grupo A. Dessas sete cepas, três eram altamente relacionadas e haviam infectados pacientes que freqüentavam o ambulatório. Em 2002, das doze cepas analisadas, três pertenciam ao grupo A e as outras nove pertenciam ao grupo B. Sete cepas eram altamente relacionadas entre elas e eram também de pacientes de ambulatório sugerindo que a transmissão em hospital-dia era mais provável. Enfim, múltiplços genótipos do RSV co-circularam nas unidades de TCTH (ambulatório e enfermaria) do Hospital das Clínicas entre 2001 e 2002. A transmissão nosocomial foi mais provável ocorrer no ambulatório da unidade de TCTH quando comparada à enfermaria. Políticas de controle de infecção devem ser também implementadas em ambulatórios para evitar transmissão nosocomial do RSV e outros vírus respiratórios em pacientes de ambulatório.; Respiratory Syncytial Virus is recognized as the leading cause of nosocomial respiratory infection among recipients of hematopoietic stem cell transplant (HSCT) causing considerable morbity and mortality among theses patients. The aim this study was characterize the strains of Respiratory Syncytial Virus in recipients Hematopoietic Stem Cell Transplant Unit (HSCT) at Hospital das Clínicas...

Concentrações de mediadores inflamatórios em crianças com idade inferior a três meses e infecção do trato respiratório inferior pelo vírus sincicial respiratório; Concentrations of inflammatory mediators in children less than three months of age with respiratory syncytial virus lower respiratory tract infection

Vieira, Renata Amato
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
96.42%
INTRODUÇÃO: A elevada frequência e morbimortalidade das infecções do trato respiratório inferior (ITRI) pelo vírus sincicial respiratório (VSR) na infância, além da ausência de estudos no Brasil que correlacionam evolutivamente a resposta inflamatória no epitélio respiratório e no sangue periférico à gravidade da doença respiratória pelo VSR, estimularam a realização desta pesquisa. OBJETIVOS: Avaliar se as concentrações dos mediadores inflamatórios (MI) (RANTES, sICAM-1, TNF-,IL -6 e IL-10) e suas razões na secreção nasofaríngea e no sangue de crianças com idade inferior a 3 meses e ITRI pelo VSR correlacionam-se à gravidade da doença; determinar a frequência dos grupos A e B do VSR nas crianças internadas na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatal (UCINE) do Instituto da Criança do HCFMUSP; avaliar se há diferença na gravidade da doença respiratória pelo VSR entre as crianças internadas na UCINE e infectadas pelos grupos A e B do vírus; comparar as concentrações dos MI na secreção nasofaríngea e no sangue à admissão hospitalar ou por ocasião do diagnóstico de ITRI pelo VSR adquirida durante a internação, no terceiro e sétimo dias de evolução ou à alta (se antes do sétimo dia); comparar as concentrações dos MI na secreção nasofaríngea e no sangue dos pacientes à admissão...

Bovine respiratory syncytial virus : immunohistochemical detection in mouse and bovine tissues using a Mab against human respiratory syncytial virus; Virus respiratório sincicial bovino : detecção por immunoistoquímica em tecidos de camundongos e bovinos usando AcM contra o vírus respiratório sincicial humano

Almeida, Renata Servan de; Spilki, Fernando Rosado; Roehe, Paulo Michel; Verinaud, Liana Maria Cardoso; Arns, Clarice Weis
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.48%
Desenvolveu-se um teste de imunohistoquímica (IHQ) para detecção do vírus respiratório sincicial bovino (BRSV) multiplicado em cultivo celular e em tecidos de camundongos e bezerros infectados experimentalmente, utilizando um anticorpo monoclonal comercial contra o vírus respiratório sincicial humano (HRSV), como uma alternativa para eliminar os custos de produção de anticorpos monoclonais específicos para o BRSV. Amostras clínicas de bezerros com sintomatologia respiratória foram analisadas. A técnica mostrou-se eficiente na detecção de antígenos do BRSV em traquéias (3, 5 e 7 dias pós-infecção) e pulmões (5 e 7 dias pós-infecção) dos camundongos infectados e em uma das três amostras de pulmões dos bezerros infectados experimentalmente. Amostras de pulmões de dois animais com infecção natural foram positivas para BRSV. Conclui-se que o teste de IHQ pode ser usado no diagnóstico das infecções por BRSV e na avaliação da distribuição dessas infecções nos rebanhos bovinos brasileiros.; An immunoistochemical (IHC) test was developed to detect bovine respiratory syncytial virus (BRSV) in cell cultures and tissues of experimentally infected mice and calves, using a commercial monoclonal antibody (Mab) against human respiratory syncytial virus (HRSV)...

Avaliação in vitro da atividade antiviral de extratos de plantas frente ao metapneumovirus aviário (AMPV) e vírus respiratório sincicial bovino (BRSV); In vitro evaluation of antiviral activity of plants extract against avian metapneumovirus (AMPV) and bovine respiratory syncytial virus (BRSV)

Matheus Cavalheiro Martini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
96.43%
Para avaliar a atividade antiviral dos extratos de plantas brasileiras foram eleitos o Metapneumovirus aviário (aMPV) e o vírus Respiratório sincicial bovino (BRSV) pertences à família Paramyxoviridae, subfamília Pneumovirinae, gêneros Metapneumovirus e Pneumovirus respectivamente. Tanto o aMPV quanto o BRSV são vírus semelhantes aos que causam doenças em humanos como o vírus respiratório sincicial humano (HRSV) e metapneumovírus humano (hMPV). O objetivo do presente trabalho foi avaliar a atividade antiviral de 12 diferentes espécies de plantas: Pterodon emarginatus Vogel.; Kielmeyera coriacea Mart. & Zucc.; Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen; Virola sebifera Aubl.; Gaylussacia brasiliensis (Spreng.) Meisn.; Maytenus ilicifolia (Schrad.) Planch.; Bursera aloexylon (Schiede ex Schltdl.) Engl.; Aspidosperma tomentosum Mart.; Copaifera langsdorffii Desf; Baccharis dracunculifolia DC.; Arrabideae chica (Humb. & Bonpl.) B.Verl.; Aniba rosaeodora Ducke (Lin 3). Para realizar os estudos antivirais foi utilizada concentrações máximas não tóxicas para as diferentes linhagens celulares utilizadas frente aos dois vírus. Para os ensaios antivirais foram utilizadas a linhagens CER (Chicken embryo related cells) e CRIB (bovine viral diarrhea virus-resistant clone of MDBK cells) para o aMPV e BRSV respectivamente. Os extratos brutos com atividade antiviral foram submetidos a uma curva concentração resposta com diferentes concentrações de extrato na presença de 100 DICC/mL de cada amostra viral através do ensaio colorimétrico MTT [3-(4...

Prevention of respiratory syncytial virus infections

Bricks,Lucia Ferro
Fonte: Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Publicador: Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
96.6%
Respiratory syncytial virus is the most important cause of viral lower respiratory illness in infants and children worldwide. By the age of 2 years, nearly every child has become infected with respiratory syncytial virus and re-infections are common throughout life. Most infections are mild and can be managed at home, but this virus causes serious diseases in preterm children, especially those with bronchopulmonary dysplasia. Respiratory syncytial virus has also been recognized as an important pathogen in people with immunossupressive and other underlying medical problems and institutionalizated elderly, causing thousands of hospitalizations and deaths every year. The burden of these infections makes the development of vaccines for respiratory syncytial virus highly desirable, but the insuccess of a respiratory syncytial virus formalin-inactivated vaccine hampered the progress in this field. To date, there is no vaccine available for preventing respiratory syncytial virus infections, however, in the last years, there has been much progress in the understanding of immunology and immunopathologic mechanisms of respiratory syncytial virus diseases, which has allowed the development of new strategies for passive and active prophylaxis. In this article...

Bronchiolitis, respiratory syncytial virus, and recurrent wheezing: what is the relationship?

Fonseca,Claudia de Brito; Grisi,Sandra
Fonte: Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP Publicador: Faculdade de Medicina / Universidade de São Paulo - FM/USP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
96.45%
Various follow-up studies of children hospitalized with bronchiolitis caused by respiratory syncytial virus have demonstrated that a significant proportion of infants (50%) have recurrent wheezing during childhood. Nevertheless, the relationship between these two entities, if any, has not been established. In order to explain this observation, several hypotheses have been proposed. The first suggests that some children could have an individual predisposition to bronchiolitis caused by respiratory syncytial virus and recurrent wheezing. The virus could be a marker of this condition, and the individual predisposition could in turn be related to an individual hypersensitivity to common allergens (atopy), airway hyperreactivity, or to some disorder related to pulmonary anatomy or physiology that was present before the acute episode of bronchiolitis. Another hypothesis proposes that respiratory syncytial virus could be directly responsible for recurrent wheezing. During an episode of bronchiolitis, the damage in the airway mucosa caused by the vital inflammatory response to infection contributes to sensitivity to other allergens or exposes irritant receptors, resulting in recurrent wheezing. For this review, we analyzed the studies that discuss these hypotheses with the purpose of clarifying the mechanisms for the important issue of recurrent wheezing in childhood.

Bovine respiratory syncytial virus: immunohistochemichal detection in mouse and bovine tissues using a Mab against human respiratory syncytial virus

Almeida,R.S.; Spilki,F.R.; Roehe,P.M.; Verinaud,L.M.C.; Arns,C.W.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
96.44%
An immunoistochemical (IHC) test was developed to detect bovine respiratory syncytial virus (BRSV) in cell cultures and tissues of experimentally infected mice and calves, using a commercial monoclonal antibody (Mab) against human respiratory syncytial virus (HRSV), as a less expensive alternative, instead of producing specific monoclonal antibodies to BRSV. Clinical samples from calves suffering respiratory disease were also submitted to this test. IHC detected BRSV antigens in mouse tracheas (3, 5 and 7 days post-infection) and lungs (5 and 7 days post-infection), and in one of three lungs from experimentally infected calves. Lungs samples from two naturally infected calves were tested and resulted positive for BRSV by the IHC test. These results suggest that this test may be used in the future for diagnosis as well as a useful tool to assess the distribution of BRSV infections in Brazilian herds.

Evaluation of combined live, attenuated respiratory syncytial virus and parainfluenza 3 virus vaccines in infants and young children

Belshe, R.; Newman, F.; Anderson, E.; Wright, P.; Karron, R.; Tollefson, S.; Henderson, F.; Meissner, H.; Madhi, S.; Roberton, D.; Marshall, H.; Loh, R.; Sly, P.; Murphy, B.; Tatem, J.; Randolph, V.; Hackell, J.; Gruber, W.; Tsai, T.
Fonte: Univ Chicago Press Publicador: Univ Chicago Press
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 Português
Relevância na Pesquisa
96.41%
We evaluated a combination respiratory syncytial virus (RSV) and parainfluenza 3 virus (PIV3) live, attenuated intranasal vaccine for safety, viral replication, and immunogenicity in doubly seronegative children 6–18 months old. RSV cpts-248/404 and PIV3-cp45 vaccines were combined in a dose of 105 plaque-forming units of each per 0.5-mL dose and compared with monovalent vaccines or placebo. The virus shedding pattern of RSV was not different between monovalent RSV cpts-248/404 vaccine and combination vaccine. Modest reductions in the shedding of PIV3-cp45 vaccine virus were found after the administration of RSV cpts-248/404 and PIV3-cp45 vaccine, relative to monovalent PIV3 vaccine; 16 (76%) of 21 children given combination vaccine shed PIV3-cp45 versus 11 (92%) of 12 of those given monovalent PIV3 vaccine. Both vaccines were immunogenic, and antibody responses were similar between the monovalent groups and the combination group. Combined RSV/PV3 vaccine is feasible for simultaneous administration, and further studies are warranted.; Robert B. Belshe, Frances K. Newman, Edwin L. Anderson, Peter F. Wright, Ruth A. Karron,Sharon Tollefson, Frederick W. Henderson, H. Cody Meissner, Shabir Madhi, Don Roberton, Helen Marshall,Richard Loh...

Dual proinflammatory and antiviral properties of pulmonary eosinophils in respiratory syncytial virus vaccine-enhanced disease

Su, Yung-Chang; Townsend, Dijana; Herrero, Lara J.; Zaid, Ali; Rolph, Michael S.; Gahan, Michelle E.; Nelson, Michelle A.; Rudd, Penny A.; Matthaei, Klaus I.; Foster, Paul S.; Dent, Lindsay; Tripp, Ralph A.; Lee, James; Simson, Ljubov; Mahalingam, Suresh
Fonte: American Society for Microbiology Publicador: American Society for Microbiology
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 15 pages
Português
Relevância na Pesquisa
96.44%
Human respiratory syncytial virus (RSV) is a major cause of morbidity and severe lower respiratory tract disease in the elderly and very young, with some infants developing bronchiolitis, recurrent wheezing, and asthma following infection. Previous studies in humans and animal models have shown that vaccination with formalin-inactivated RSV (FI-RSV) leads to prominent airway eosinophilic inflammation following RSV challenge; however, the roles of pulmonary eosinophilia in the antiviral response and in disease pathogenesis are inadequately understood. In vivo studies in mice with eotaxin and/or interleukin 5 (IL-5) deficiency showed that FI-RSV vaccination did not lead to enhanced pulmonary disease, where following challenge there were reduced pulmonary eosinophilia, inflammation, Th2-type cytokine responses, and altered chemokine (TARC and CCL17) responses. In contrast to wild-type mice, RSV was recovered at high titers from the lungs of eotaxin- and/or IL-5-deficient mice. Adoptive transfer of eosinophils to FI-RSV-immunized eotaxin- and IL-5-deficient (double-deficient) mice challenged with RSV was associated with potent viral clearance that was mediated at least partly through nitric oxide. These studies show that pulmonary eosinophilia has dual outcomes: one linked to RSV-induced airway inflammation and pulmonary pathology and one with innate features that contribute to a reduction in the viral load. IMPORTANCE This study is critical to understanding the mechanisms attributable to RSV vaccine-enhanced disease. This study addresses the hypothesis that IL-5 and eotaxin are critical in pulmonary eosinophil response related to FI-RSV vaccine-enhanced disease. The findings suggest that in addition to mediating tissue pathology...

Analise filogenetica de isolados autoctones do virus respiratorio sincicial bovino (BRSV) e aprimoramento de um modelo experimental em camundongos; Phylogenetic analysis of authochtonous bovine respiratory syncytial virus isolates and improvement of an experimental model of infection in mice

Fernando Rosado Spilki
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/11/2006 Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
O Vírus Respiratório Sincicial Bovino (BRSV) é uma causa importante de doença respiratória em bovinos. O BRSV é um membro da família Paramyxoviridae, subfamília Pneumovirinae, pertencendo ao gênero Pneumovirus. Nos últimos quinze anos, evidências sorológicas e de isolamento do vírus revelaram que o BRSV está circulando no Brasil, causando doença clinicamente evidente ou formas subclínicas da infecção. Na primeira parte do presente trabalho, seis diferentes linhagens celulares foram examinadas quanto a sua susceptibilidade à infecção pelo BRSV, levando em conta a variabilidade entre diferentes isolados e características de crescimento do vírus. Chicken embryo related cells (CER), e células CRIB (MDBK-resistentes à infecção pelo Vírus da Diarréia Viral Bovina, BVDV) foram as mais apropriadas à multiplicação do vírus. Ambas as linhagens permitiram o cultivo do vírus em títulos de até 105,5 DICC50 (Doses Infectantes para 50% dos Cultivos Celulares por 100 IlL)...Observação: O resumo, na íntegra poderá ser visualizado no texto completo da tese digital; Bovine respiratory syncytial virus (BRSV) is a major cause of respiratory disease in young cattle. The virus is a member of the Paramyxoviridae family...

Clinical patterns and seasonal trends in respiratory syncytial virus hospitalizations in São Paulo, Brazil

VIEIRA,Sandra E.; STEWIEN,Klaus E.; QUEIROZ,Divina A. O.; DURIGON,Edison L.; TÖRÖK,Thomas J.; ANDERSON,Larry J.; MIYAO,Cristina R.; HEIN,Noely; BOTOSSO,Viviane F.; PAHL,Márcia M.; GILIO,Alfredo E.; EJZENBERG,Bernardo; OKAY,Yassuhiko
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
96.56%
The respiratory viruses are recognized as the most frequent lower respiratory tract pathogens for infants and young children in developed countries but less is known for developing populations. The authors conducted a prospective study to evaluate the occurrence, clinical patterns, and seasonal trends of viral infections among hospitalized children with lower respiratory tract disease (Group A). The presence of respiratory viruses in children's nasopharyngeal was assessed at admission in a pediatric ward. Cell cultures and immunofluorescence assays were used for viral identification. Complementary tests included blood and pleural cultures conducted for bacterial investigation. Clinical data and radiological exams were recorded at admission and throughout the hospitalization period. To better evaluate the results, a non- respiratory group of patients (Group B) was also constituted for comparison. Starting in February 1995, during a period of 18 months, 414 children were included- 239 in Group A and 175 in Group B. In Group A, 111 children (46.4%) had 114 viruses detected while only 5 children (2.9%) presented viruses in Group B. Respiratory Syncytial Virus was detected in 100 children from Group A (41.8%), Adenovirus in 11 (4.6%), Influenza A virus in 2 (0.8%)...

Clinical-epidemiological evaluation of respiratory syncytial virus infection in children attended in a public hospital in midwestern Brazil

Calegari,Tatiany; Queiroz,Divina A.O.; Yokosawa,Jonny; Silveira,Hélio L.; Costa,Lourenço F.; Oliveira,Thelma F.M.; Luiz,Lysa N.; Oliveira,Renata C.; Diniz,Francisco C.; Rossi,Lívia M.G.; Carvalho,Cláudio J; Lima,Ana Cláudia; Mantese,Orlando C
Fonte: Brazilian Society of Infectious Diseases Publicador: Brazilian Society of Infectious Diseases
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
Respiratory syncytial virus (RSV) is responsible for annual respiratory infection outbreaks in infants and young children worldwide, frequently causing bronchiolitis and pneumonia. We evaluated clinical and epidemiological features of acute respiratory infections (ARIs) caused by respiratory syncytial virus (RSV) in children less than five years old. Nasopharyngeal aspirate samples from children with ARI symptoms, attended at the 'Hospital das Clínicas' - Federal University of Uberlândia, MG, Brazil, were collected and tested for RSV by the immunofluorescence assay (IFA). Patients' clinical and epidemiological data were also obtained. From April 2000 to June 2003, 317 nasopharyngeal samples were collected from children less than 54 months old. Seventy-six samples (24.0%) were positive for RSV, with 53% (40/76) obtained from male patients. Hospitalization occurred in 50% (38/76) of the cases, with an average period of 10.6 days, in most cases (87%, 33/38) occurring in children less than 12 months of age. Although an association between this age group and the presentation of more severe clinical symptoms was observed, such as bronchiolitis in 51% (27/53) of the patients and pneumonia in 19% (10/53), no patients died. RSV was found from February to August...

Characterization of bovine respiratory syncytial virus isolated in Brazil

Arns,C.W.; Campalans,J.; Costa,S.C.B.; Domingues,H.G.; D'Arce,R.C.F.; Almeida,R.S.; Coswig,L.T.
Fonte: Associação Brasileira de Divulgação Científica Publicador: Associação Brasileira de Divulgação Científica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2003 Português
Relevância na Pesquisa
96.4%
This paper presents the first isolation of bovine respiratory syncytial virus in Brazil and its physicochemical, morphological and molecular characterization. The virus was isolated from 33 samples of nasotracheal secretions, successively inoculated into a Madin-Darby bovine kidney cell culture, which was characterized by physicochemical tests and morphological observation by electron microscopy. The Brazilian sample is an RNA pleomorphic, enveloped, thermolabile and non-hemagglutinating spicular virus. Reverse transcription, followed by nested polymerase chain reaction (nRT-PCR) assay was carried out using oligonucleotides B1, B2A, B3 and B4 for the fusion proteins (F) and B5A, B6A, B7A and B8 for the attachment protein (G). The nRT-PCR-F amplified a fragment of 481 bp corresponding to part of the gene that codes for protein F, whereas nRT-PCR-G amplified a fragment of 371 bp, in agreement with part of the G gene. The virus isolated from Brazilian samples in this study corresponded to the bovine respiratory syncytial virus, and RT-PCR proved to be useful for the diagnosis of bovine clinical samples.

Concentrações de interleucina-2 na secreção nasofaríngea de crianças com bronquiolite viral aguda pelo vírus respiratório sincicial; Concentrations of interleukin-2 in the nasopharyngeal secretion of children with acute respiratory syncytial virus bronchiolitis

Giugno, Katia Maria; Machado, Denise Cantarelli; Amantea, Sergio Luis; Menna Barreto, Sérgio Saldanha
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
96.47%
Objetivo: Avaliar as concentrações de interleucina-2 (IL-2) na secreção nasofaríngea de crianças (0-24 meses) acometidas de bronquiolite viral aguda pelo vírus respiratório sincicial nas primeiras 12 horas de hospitalização e correlacionar os níveis encontrados com a gravidade da doença. Métodos: Estudo prospectivo com amostragem seqüencial realizado no período de junho a agosto de 1999. Foram incluídos 62 pacientes previamente hígidos, internados com diagnóstico de bronquiolite viral aguda caracterizado por pródromos recentes de coriza e/ou obstrução nasal que evoluíram com pelo menos dois dos seguintes sinais: disfunção respiratória, taquipnéia, sibilos ou crepitações. Todos os pacientes tiveram a presença de vírus respiratório sincicial detectada no aspirado nasofaríngeo. As amostras de secreção nasofaríngea foram obtidas nas primeiras 12 horas de hospitalização. As dosagens de IL- 2 foram realizadas por ensaio imunoenzimático. A gravidade da doença foi avaliada por: medida da saturação de oxigênio da hemoglobina por oximetria de pulso, sistema de escore clínico modificado, tempo de uso de oxigênio, tempo de hospitalização e necessidade de ventilação mecânica, sendo estas variáveis comparadas em relação às medianas de IL-2 através dos testes de Spearman e Kruskal-Wallis e...

Prevenção das infecções pelo vírus sincicial respiratório; Prevention of respiratory syncytial virus infections

Bricks, Lucia Ferro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
96.62%
Em todo o mundo, o vírus sincicial respiratório é o principal agente de infecções agudas das vias aéreas baixas em lactentes jovens e crianças. Aos dois anos de idade, praticamente todas as crianças já foram infectadas, e as reinfeções são comuns, durante toda a vida. Embora a maioria das infecções seja leve, o vírus sincicial respiratório pode causar doenças graves, especialmente em prematuros com displasia broncopulmonar e, nos últimos anos, tem sido identificado como causa importante de infeções respiratórias em pessoas que apresentam comprometimento da imunidade ou outros problemas médicos e em idosos hospitalizados. O impacto econômico dessas infecções faz com que o desenvolvimento de vacinas contra o vírus sincicial respiratório seja altamente desejável, entretanto, o insucesso da primeira vacina inativada contra esse agente dificultou os progressos nesse campo e, até o presente, não há nenhuma vacina licenciada contra o vírus sincicial respiratório. Nos últimos anos, entretanto, o melhor entendimento sobre imunologia e os mecanismos imunopatológicos envolvidos na resposta ao vírus sincicial respiratório propiciaram o desenvolvimento de novas estratégias para a profilaxia ativa e passiva contra essas infecções. Neste artigo...

A bronquiolite pelo virus sincicial respiratório e o chiado recorrente: qual a relação?; Bronchiolitis, respiratory syncytial virus, and recurrent wheezing: what is the relationship?

Fonseca, Claudia de Brito; Grisi, Sandra
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2003 Português
Relevância na Pesquisa
96.48%
Os diversos estudos de seguimento de crianças hospitalizadas por bronquiolite pelo virus sincicial respiratório demonstram, em média, 50% de chance de evoluir com novos episódios de chiado no peito. Apesar desta constatação, não foi estabelecida a relação entre a bronquiolite pelo virus sincicial respiratório e a recorrência dos episódios de chiado. A primeira hipótese é de que o indivíduo poderia ter uma predisposição para a repetição do quadro de chiado e também para a própria bronquiolite como manifestação da infecção pelo virus sincicial respiratório. O vírus seria um marcador desta condição. Esta predisposição pode estar relacionada a uma hipersensibilidade a alérgenos comuns (atopia), hiper-reatividade a estímulos não específicos ou alguma alteração pulmonar anátomo-fisiológica presentes antes da bronquiolite. Outra hipótese é a de que o virus sincicial respiratório é o responsável por esta evolução. Durante um episódio de bronquiolite, a lesão da mucosa respiratória decorrente do intenso processo inflamatório, principalmente nos quadros mais graves, facilitaria a sensibilização para outros alérgenos ou provocaria uma exposição de receptores para irritantes, resultando nos quadros de chiado recorrentes. Nesta revisão...

Padrões clínicos e sazonalidade das hospitalizações causadas pelo vírus respiratório sincicial em São Paulo, Brasil; Clinical patterns and seasonal trends in respiratory syncytial virus hospitalizations in São Paulo, Brazil

VIEIRA, Sandra E.; STEWIEN, Klaus E.; QUEIROZ, Divina A. O.; DURIGON, Edison L.; TÖRÖK, Thomas J.; ANDERSON, Larry J.; MIYAO, Cristina R.; HEIN, Noely; BOTOSSO, Viviane F.; PAHL, Márcia M.; GILIO, Alfredo E.; EJZENBERG, Bernardo; OKAY, Yassuhiko
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2001 Português
Relevância na Pesquisa
96.59%
Os vírus respiratórios são reconhecidos como os mais frequentes patógenos do trato respiratório inferior para lactentes e crianças de idade reduzida em países desenvolvidos, mas o conhecimento sobre este fato é menor nos países em desenvolvimento.Os autores realizaram um estudo prospectivo para avaliar a ocorrência, os padrões clínicos e a sazonalidade das infecções virais entre as crianças hospitalizadas com doença do trato respiratório inferior (grupo A). A presença de vírus respiratórios na nasofaringe das crianças foi avaliada à admissão em uma enfermaria de pediatria. A cultura celular e a imunofluorescência foram utilizadas para identificação viral. Exames complementares incluiram culturas de sangue e líquido pleural para detecção de bactérias. Dados clínicos e exames radiológicos foram anotados na admissão e durante o período de internação. Para avaliar adequadamente os resultados foi constituído um grupo sem doença respiratória para comparação. Com início em fevereiro de 1995, durante um período de 18 meses, 414 crianças foram incluídas - 239 no grupo A e 175 no grupo B. No grupo A, 111 crianças (46,4%) tinham vírus enquanto somente 5 (2,9%) apresentavam vírus no grupo B. O Vírus Respiratório Sincicial foi detectado em 100 crianças do grupo A (41...

Respiratory syncytial virus infection: denominator-based studies in Indonesia, Mozambique, Nigeria and South Africa

Robertson,Susan E.; Roca,Anna; Alonso,Pedro; Simoes,Eric A.F.; Kartasasmita,Cissy B.; Olaleye,David O.; Odaibo,Georgina N; Collinson,Mark; Venter,Marietjie; Zhu,Yuwei; Wright,Peter F.
Fonte: World Health Organization Publicador: World Health Organization
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
96.41%
OBJECTIVE: To assess the burden of respiratory syncytial virus (RSV)-associated lower respiratory infections (LRI) in children in four developing countries. METHODS: A WHO protocol for prospective population-based surveillance of acute respiratory infections in children aged less than 5 years was used at sites in Indonesia, Mozambique, Nigeria and South Africa. RSV antigen was identified by enzyme-linked immunosorbent assay performed on nasopharyngeal specimens from children meeting clinical case definitions. FINDINGS: Among children aged < 5 years, the incidence of RSV-associated LRI per 1000 child-years was 34 in Indonesia and 94 in Nigeria. The incidence of RSV-associated severe LRI per 1000 child-years was 5 in Mozambique, 10 in Indonesia, and 9 in South Africa. At all study sites, the majority of RSV cases occurred in infants. CONCLUSION: These studies demonstrate that RSV contributes to a substantial but quite variable burden of LRI in children aged < 5 years in four developing countries. The possible explanations for this variation include social factors, such as family size and patterns of seeking health care; the proportion of children infected by human immunodeficiency syndrome (HIV); and differences in clinical definitions used for obtaining samples. The age distribution of cases indicates the need for an RSV vaccine that can protect children early in life.