Página 1 dos resultados de 112 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Análise faunística e flutuação populacional de cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae) potenciais vetoras de Xylella fastidiosa em pomares de ameixeira nos estados do Rio Grande do Sul e São Paulo, Brasil; Faunistic analysis and seasonal fluctuation of sharpshooters (Hemiptera:Cicadellidae) that are potential vectors of Xylella fastidiosa in plum orchards in Rio Grande do Sul and São Paulo states, Brazil

Muller, Cristiane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.7%
A Escaldadura das Folhas da Ameixeira é o principal problema fitossanitário para a produção de ameixas no Brasil. A doença é causada pela bactéria Xylella fastidiosa, transmitida por cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae, Cicadellinae). Neste trabalho foi realizado o levantamento, análise faunística e a flutuação populacional de Cicadellinae em pomares de ameixeira localizados nos Estados do Rio Grande do Sul (RS) e São Paulo (SP). A captura das cigarrinhas foi realizada com cartões adesivos amarelos (8,5 x 11,5 cm) em dois pomares de ameixeira de cada estado, localizados nos municípios de Paranapanema (SP) e Bento Gonçalves e Farroupilha (RS). Em cada pomar, foram instalados 20 cartões, distribuídos em 10 pontos espaçados 35 x 35 m, com duas alturas de amostragem (0,5 e 1,7m acima do nível do solo). Os cartões adesivos foram trocados quinzenalmente no período de setembro de 2006 a setembro de 2008. Com base na análise faunística, as espécies de cigarrinhas mais abundantes, constantes, freqüentes e dominantes foram analisadas para se conhecer a sua flutuação populacional. Nos dois pomares do RS foram coletados 1103 indivíduos de Cicadellinae distribuídos em 27 espécies. Destas, Erythrogonia dorsalis (Signoret...

Xylella fastidiosa de ameixeira: transmissão por cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae) e colonização de plantas hospedeiras; Xylella fastidiosa in plum: transmission by sharphoters (Hemiptera: Cicadellidae) and colonization in host plants

Müller, Cristiane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
28.17%
A Escaldadura das Folhas da Ameixeira (EFA) é a principal doença da cultura no Brasil, sendo causada pela bactéria Xylella fastidiosa e transmitida entre plantas pela ação de insetos vetores, mas há carência de informações sobre a identidade dos vetores e plantas hospedeiras para estirpes de X. fastidiosa causando EFA. Objetivando subsidiar uma proposta de manejo da EFA, foram realizados estudos sobre a transmissão de X. fastidiosa por vetores em ameixeira, identificação de plantas hospedeiras da bactéria em vegetação de cobertura dos pomares que possam servir como fontes de inóculo, capacidade de colonização de estirpes de ameixeira, cafeeiro e citros em inoculações cruzadas e validação da técnica de inoculação mecânica como método de avaliação de resistência de cultivars a X. fastidiosa em programas de melhoramento de ameixeira. Inicialmente, por meio de testes de colonização por X. fastidiosa foram identificadas Ocimum basilicum, Vernonia condensata e Pentas lanceolata como plantas não hospedeiras da bactéria, permitindo a criação de cigarrinhas sadias que foram utilizadas nos ensaios de transmissão. As cigarrinhas Macugonalia cavifrons, M. leucomelas e Sibovia sagata (Hemiptera: Cicadellidae: Cicadellinae) foram identificadas como vetoras de X. fastidiosa em ameixeira com eficiência de transmissão por indivíduo variando de 12 a 21%. Para identificação de hospedeiros alternativos do patógeno...

Amarelo da ameixeira: caracterização molecular do fitoplasma e modelo de colonização do hospedeiro; Plum yellow: molecular characterization of the phytoplasma and colonization model of the host

Flores, Daniela
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.83%
No Brasil, o cultivo de ameixeira tem atingido significativa importância econômica em termos de rentabilidade. Embora rentável, a cultura exige cuidados constantes em relação aos danos provocados por doenças. Entre elas, o 'amarelo', causado por fitoplasmas, tem se mostrado como uma doença de relevância nos países produtores desta fruta. Em pomares comerciais localizados em Paranapanema-SP, foram observadas ameixeiras (Prunus salicina) exibindo sintomas típicos de 'amarelos', caracterizados por superbrotamento de ramos, redução no comprimento de entrenós, além de amarelecimento, deformação e redução do limbo foliar. Com objetivo de identificar o fitoplasma e determinar o modelo de colonização do hospedeiro pelo patógeno foi desenvolvido o presente estudo. Para isto, em três pomares, foram amostradas plantas sintomáticas, assintomáticas e sadias, pertencentes às variedades Gulfblaze e Azteca. O DNA total foi extraído de folhas e ramos e usado em duplo PCR com os iniciadores R16mF2/mR1 e R16F2n/R2, visando a detecção do fitoplasma. Os resultados confirmaram a presença de fitoplasma pela amplificação de fragmentos de DNA de 1,2 kb do gene 16S rRNA. Os produtos de PCR gerados por dez isolados de fitoplasmas de cada variedade foram clonados e três clones de cada isolado foram sequenciados. Uma vez que nenhum polimorfismo foi encontrado...

Cigarrinhas potenciais vetoras (Hemiptera: Cercopidae e Cicadellidae) e plantas infestantes associadas à epidemiologia da escaldadura das folhas da ameixeira; Potential hopper vectors (Hemiptera: Cercopidae and Cicadellidae) and weeds associated with the epidemiology of Plum Leaf Scald

Graner, Luiza Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2014 Português
Relevância na Pesquisa
38.14%
A Escaldadura das Folhas da Ameixeira (EFA) é uma das principais doenças que prejudicam a produção de ameixas no Brasil. Ela é causada pela bactéria Xylella fastidiosa (Wells) cujos potenciais vetores são cigarrinhas (Hemiptera: Cercopidae e Cicadellidae, Cicadellinae). Sabe-se que existem diversas espécies de cicadelídeos e cercopídeos em pomares de ameixeira, mas faltam informações sobre as plantas hospedeiras desses insetos e sua importância epidemiológica. Esta pesquisa teve por objetivo associar as cigarrinhas potenciais vetoras com as plantas de ameixeira e com plantas infestantes da vegetação de cobertura dos pomares. Para tal, realizaram-se amostragens de cigarrinhas em três pomares de ameixeira no município de Paranapanema-SP, no período de setembro/2012 a abril/2013, usando-se três métodos distintos: a) rede de varredura em plantas infestantes; b) armadilhas adesivas amarelas colocadas na copa das ameixeiras a 0,5 e 2 m acima do solo; e c) amostragens visuais em ameixeiras e certas plantas infestantes. As cigarrinhas coletadas foram triadas e identificadas em laboratório e os resultados obtidos foram submetidos à análise faunística. Para verificar se as plantas infestantes eram hospedeiras da X. fastidiosa...

Ausência de patogenicidade de Xylella fastidiosa da escaldadura da folha da ameixeira na cultivar de pessegueiro flordasun

Leite Jr., Rui Pereira; Leite, Regina Maria Villas Bôas de Campos; Ceresini, Paulo Cezar
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1653-1660
Português
Relevância na Pesquisa
27.93%
Xylella fastidiosa associated to plum leaf scald is reported to belong to the same group of the strain that causes the phony disease of peach. Plants of plum cultivars Santa Rosa and Harry Pickstone and peach cultivar Flordasun, grafted on peach rootstock, were inoculated by using buds collected from plum plants severely infected with X. fastidiosa. Peach plants did not develop symptoms of phony disease, after four years in the greenhouse. In contrast, plum plants from both cultivars inoculated either in the rootstock or in the canopy developed leaf scald symptoms. DAS-ELISA tests with antibody against X. fastidiosa and isolation on BCYE medium indicated the presence of the bacterium in plum tissues. These tests were negative for Flordasun peach for both stem and root samples.; Xylella fastidiosa que causa a escaldadura-da-folha-da-ameixeira (EFA) é relatada como pertencente ao mesmo grupo do agente causal da "phony" do pessegueiro. Plantas de ameixeira, cultivares Santa Rosa e Harry Pickstone, e de pessegueiro, cultivar Flordasun, enxertadas sobre pessegueiro foram enxertadas com borbulhas procedentes de plantas de ameixeira severamente infectadas com X. fastidiosa. Após quatro anos de observação, em casa de vegetação, as plantas de pessegueiro apresentaram desenvolvimento normal...

Controle fitossanitário e qualidade de frutos em ameixeira e pessegueiro sob sistema orgânico no Alto Vale do Itajaí, SC

Keske, Cláudio
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 115 f.| il., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
27.93%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas.; A produção agrícola em sistema orgânico de frutas está em expansão em Santa Catarina, com estímulo para sua adoção em fruticultura, como ameixeira e pessegueiro, no Alto Vale do Itajaí. Dentro deste sistema, os problemas fitossanitários por vezes passam a ser limitantes com destaque na fruticultura à mosca-das-frutas Anastrepha fraterculus (Wied.), 1831(Diptera:Tephritidae), considerada a principal praga. Neste contexto pretendeu-se verificar a viabilidade do manejo e controle da mosca-das-frutas na produção de ameixeira e pessegueiro, em sistema orgânico no Alto Vale do Itajaí com o objetivo de comparar a eficiência dos diferentes métodos orgânicos; verificar a influência dos tratamentos na incidência de grafolita (Grapholita molesta) e podridão parda (Monilinia fruticola), teor de açúcar, produção, tamanho de frutos e descarte; constatar a época da presença da mosca-das-frutas e de sua oviposição nos frutos. O experimento em ameixeira foi desenvolvido em 2002 na Estação Experimental da EPAGRI, em Ituporanga -SC. Utilizou-se 8 cvs. de ameixeira, com três plantas de cada cultivar. Os tratamentos foram: (01) testemunha...

Repetibilidade de peso de fruto e de duração do ciclo em ameixeira e pessegueiro

Danner,Moeses Andrigo; Raseira,Maria do Carmo Bassols; Sasso,Simone Aparecida Zolet; Citadin,Idemir; Scariot,Silvia
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
28%
O objetivo deste trabalho foi comparar o peso de fruto e a duração do ciclo entre cultivares de ameixeira e pessegueiro, estimar os coeficientes de repetibilidade e de determinação e o número de medições, para uma predição segura dessas características, e comparar diferentes métodos de estimação da repetibilidade. Os caracteres foram avaliados em 5 safras, em 9 cultivares de ameixeira (Prunus salicina) e 33 cultivares de pessegueiro (Prunus persica), em delineamento inteiramente casualizado. O coeficiente de repetibilidade foi estimado pelos métodos de análise de variância, componentes principais e análise estrutural. Foi observado o maior peso de fruto nas cultivares de ameixeira Harry Pickstone e Pluma 7 e na cultivar de pessegueiro Santa Áurea. A menor duração do ciclo ocorreu nas cultivares de ameixeira América, Irati e Methley e na cultivar de pessegueiro Granada. Os coeficientes de repetibilidade e de determinação foram altos para ambos os caracteres em ameixeira e pessegueiro. Não houve diferenças no coeficiente de repetibilidade entre os métodos utilizados. São necessárias de uma a três medições de peso de fruto, e de uma a duas medições da duração do ciclo, para obtenção dos valores genotípicos reais das cultivares de ameixeira e pessegueiro...

Endodormência de gemas de pessegueiro e ameixeira em região de baixa ocorrência de frio

Carvalho,Ruy Inacio Neiva de; Biasi,Luiz Antonio; Zanette,Flávio; Rendoke,José Carlos; Santos,Jean Magnus; Pereira,Gabriely Pinto
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
27.7%
O objetivo desta pesquisa foi determinar a endodormência de gemas de pessegueiro cv. Chimarrita e ameixeira cv. Poli Rosa em uma região de baixa ocorrência de frio. Os ramos foram coletados em um pomar situado no município de Fazenda Rio Grande, Paraná, no período de abril a agosto dos anos de 2007 e 2008. Na última coleta, um grupo adicional de ramos foi coletado e mantido em refrigerador à temperatura de 4 a 7°C, por 672 horas. A avaliação da endodormência foi realizada por meio do teste biológico de estacas de nós isolados, que foram mantidas em condições controladas de temperatura (25°C) e fotoperíodo (16 h). Foi realizada a quantificação das horas de frio (HF) e das unidades de frio (UF) ocorridas na região. As duas espécies foram avaliadas separadamente, como dois experimentos distintos. O delineamento experimental adotado foi o completamente casualizado, com nove tratamentos para o pessegueiro e 11 tratamentos para a ameixeira, ambos com quatro repetições. Os dois anos foram analisados individualmente. A endodormência mais intensa das gemas de pessegueiro cv. Chimarrita ocorreu no mês de maio, nos dois anos avaliados. A endodormência mais intensa de gemas de ameixeira cv. Poli Rosa ocorreu no mês de maio em 2007 e se estendeu até o mês de junho em 2008.

Enraizamento de ameixeira (Prunus salicina, Lindl.) em diferentes épocas de coleta das estacas

Kersten,Elio; Nachtigal,Jair Costa; Callovy Filho,Cyro
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1995 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
Com o objetivo de verificar a melhor época de coleta das estacas para o enraizamento de ameixeira, cultivares Reubennel e Frontier, foram conduzidos experimentos em Pelotas - RS. As estacas foram retiradas de ramos do ano de 6 anos de idade, em três épocas diferentes (novembro de 1992, janeiro e março 1993). Foram utilizados tubetes plásticos, com substrato de cinza de casca de arroz e mantidos em nebulização intermitente. Pelos resultados observou-se que, para a cultivar Reubennel, a época de coleta das estacas não influenciou o percentual de enraizamento, que foi baixo em todas as épocas, porém, para a cultivar Frontier, a época que proporcionou o maior enraizamento foi novembro (94,9%), seguida de março e janeiro (34,8 e 25,8%, respectivamente).

Ocorrência precoce da mosca das frutas em ameixas

Salles,Luiz Antonio
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1999 Português
Relevância na Pesquisa
27.7%
O objetivo deste estudo foi verificar qual o estágio fenológico mais precoce da fruta de ameixeira em que ocorreria o ataque de mosca das frutas Anastrepha fraterculus. Os estudos foram conduzidos em plantas adultas de ameixeira, expondo-se fêmeas grávidas da mosca das frutas, confinadas em gaiolas com frutos protegidos do ataque natural. Cinco cultivares de ameixeira foram estudados (Amarelinha, Pluma 7, Reubennel, Santa Rosa e Wade). Essa praga ataca frutos de qualquer um dos cultivares logo nos primeiros estádios do desenvolvimento, quando os mesmos têm somente cerca de 2 a 3cm de diâmetro.

Incidência e severidade do "furo de bala" em folhas da ameixeira sob doses de nitrogênio e potássio

Tutida,Inês; May-De Mio,Louise Larissa; Motta,Antonio Carlos Vargas; Rosa,Joel Maurício Corrêa da
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
27.7%
A produção integrada (PI) vem suprir uma demanda crescente de frutos de qualidade, garantir segurança alimentar, produção com qualidade ambiental e rastreabilidade. Na visão da PI, as práticas da adubação e do controle de doenças estão intimamente relacionadas; no entanto, tem sido negligenciadas e pouco estudadas, principalmente para a doença "furo de bala" (Wilsonomyces carpophilus) em folhas de ameixeira (Prunus salicina). O objetivo deste trabalho foi avaliar a incidência e severidade dessa doença em doses combinadas de adubação com N e K em dois ciclos de cultivo comercial de ameixeira cv "Reubennel", no município de Araucária (PR). Foram utilizadas cinco doses de N (40, 80, 120, 160 e 200kg ha-1ano-1) e duas de K (55 e 110kg ha-1ano-1). Realizaram-se sete avaliações para incidência e severidade a cada 20 dias, no período de novembro/2004 a março/2005 e em data única em outubro/2005. Os dados da primeira safra foram integralizados no tempo, constituindo a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) da incidência e severidade, e os dados foram analisados estatisticamente pela teoria dos modelos lineares generalizados para dados longitudinais. A doença foi mais severa no segundo ano de avaliação...

Efeitos do boro e zinco no teor de carboidratos solúveis, aminoácidos totais e no enraizamento de estacas de ramos de ameixeira (Prunus salicina Lindl)

Kersten,E.; Lucchesi,A.A.; Gutierrez,L.E.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito do boro (B) e do zinco (Zn) no teor de carboidratos solúveis, aminoácidos totais e no enraizamento de estacas de ramos dos cultivares Carmesim e Grancuore de ameixeira (Prunas salicina Lindl.). Para a aplicação dos tratamentos houve uma fase preliminar que constou da seleção e identificação de quatro filas com vinte plantas cada uma e alternadas com filas de bordadora, que receberam os tratamentos com bórax (B), sulfato de zinco (Zn), bórax mais sulfato de zinco (B + Zn) e controle. O experimento para enraizamento de estacas de ramos foi realizado em viveiros com nebulização intermitente, no município de Brotas,SP. A coleta de material para avaliação do efeito dos tratamentos com boro, zinco, boro mais zinco e controle, foi executada em maio de 1989, quando parte deste material foi utilizado para determinação de açúcares redutores, açúcares totais e aminoácidos totais e outra parte utilizada para o enraizamento de estacas. O delineamento experimental foi em blocos casualizados. Os resultados obtidos mostraram que o cultivar Carmesim apresentou maior facilidade para enraizar e houve interação entre cultivar com produto (B, Zn, e B + Zn) e aumento no teor de aminoácidos totais.

Efeito do ácido indolbutírico no enraizamento de estacas de ramos de plantas de ameixeira (Prunus salicina, Lindl.)

Kersten,E.; Lucchesi,A.A.; Gutierrez,L.E.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de quatro concentrações de ácido indolbutírico (IBA), no enraizamento de estacas de ramos de ameixeira (Prunus salicina, Lindl.), coletadas de plantas tratadas com bórax e sulfato de zinco e controle, executado em quatro épocas. Os experimentos foram conduzidos em viveiros, sob condição de nebulização artificial intermitente. Os resultados obtidos mostram a influência de cultivar, época e concentração de IBA, não sendo verificado efeito de bórax ou sulfato de zinco na percentagem de estacas enraizadas.

ENRAIZAMENTO DE ESTACAS LENHOSAS DE CULTIVARES DE AMEIXEIRA (Prunus spp.), EM CONDIÇÕES DE CAMPO

PASINATO,V.; NACHTIGAL,J.C.; KERSTEN,E.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1998 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar o efeito de duas concentrações (0 e 3.000ppm) do ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento de estacas de ramos de sete cultivares de ameixeira (All Producer, Ace, Sangal, Roxa de Itaquera, Frontier, Reubennel e Beauty), coletadas de plantas com 8 anos de idade. O experimento foi conduzido em Pelotas, RS, com estacas lenhosas obtidas dos ramos do último período de crescimento e instalado em condições de campo, em junho de 1994. Os resultados obtidos foram bastante variáveis entre as cultivares. Todavia, não observou-se influência estatisticamente significativa do AIB no enraizamento das estacas. Utilizando-se AIB nas cultivares Ace, Sangal e Roxa de Itaquera, obteve-se percentuais de enraizamento superiores a 60%. Para as cultivares All Producer e Frontier obteve-se o máximo de enraizamento de 25,7 e 20,2%, respectivamente. Para a cultivar Beauty os percentuais de enraizamento obtidos na ausência de AIB e com 3000ppm foram de 37,3 e 21,2%, respectivamente. Para a cv. Reubennel, embora não tenha sido verificada influência significativa do AIB, o percentual de enraizamento obtido com a concentração de 3.000ppm foi bastante superior ao obtido na ausência do mesmo...

EFEITO DA APLICAÇÃO PRÉVIA DE ETHEPHON EM AMEIXEIRA (Prunus salicina Lindl) E DO IBA NO ENRAIZAMENTO DE SUAS ESTACAS

DUTRA,L.F.; TONIETTO,A.; KERSTEN,E.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1998 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O experimento foi realizado em casa de vegetação com nebulização intermitente com o objetivo de verificar o efeito do ethephon, aplicado às plantas, e do ácido indolbutírico no enraizamento de estacas de ramos das cultivares Frontier, Reubennel, Ace, Songold, Beauty e Roxa de Itaquera. As plantas foram pulverizadas com ethephon (ácido 2-cloroetil fosfônico) nas concentrações de 0 (zero), 50 e 100 mg.l-1. Foram coletados ramos do ano e destes, retirou-se estacas medianas, com comprimento de 15cm e um par de folhas, as quais foram tratadas com ácido indolbutírico (IBA) de formulação líquida nas concentrações de 0 (zero) e 3000 mg.l-1, com tempo de imersão de 5 segundos. As estacas foram acondicionadas em sacos de polietileno contendo vermiculita como substrato. Observou-se que o ethephon aumentou o percentual de enraizamento da cultivar Beauty e o IBA aumentou o percentual de enraizamento das cultivares Roxa de Itaquera, Songold e Beauty. Concluiu-se ainda que existe diferença de potencial de enraizamento entre as cultivares de ameixeira, sendo que apresentaram maior enraizamento as cultivares Frontier e a Ace.

Ausencia de patogenicidade de Xylella fastidiosa da escaldadura da folha da ameixeira na cultivar de pessegueiro flordasun.

LEITE JUNIOR, R. P.; LEITE, R. M. V. B. de C.; CERESINI, P. C.
Fonte: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.33, n.10, p.1653-60, out.1998. Publicador: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.33, n.10, p.1653-60, out.1998.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
38%
Xylella fastidiosa que causa a escaldadura-da-folha-da-ameixeira (EFA) e relatada como pertencente ao mesmo grupo do agente causal da "phony" do pessegueiro. Plantas de ameixeira, cultivares Santa Rosa e Harry Pickstone, e de pessegueiro, cultivar Flordasun, enxertadas sobre pessegueiro foram enxertadas com borbulhas procedentes de plantas de ameixeira severamente infectadas com X. fastidiosa. Apos quatro anos de observacao, em casa de vegetacao, as plantas de pessegueiro apresentaram desenvolvimento normal, sem manifestar sintomas de "phony", enquanto as plantas de ameixeira das duas cultivares, enxertadas tanto na copa quanto no porta-enxerto, apresentaram sintomas de EFA. Teste sorologico de DAS-ELISA utilisando anticorpo para X fastidiosa e isolamento em meio de cultura BCYE indicaram a presenca patogeno nos tecidos da copa das plantas de ameixeira, mas nao nos tecidos do porta-enxerto pessegueiro. No pessegueiro cultivar Flordasun, os testes foram negativos, tantos nas amostras da parte aerea como da raiz.; 1998

Repetibilidade de peso de fruto e de duração do ciclo em ameixeira e pessegueiro.

DANNER, M. A.; RASEIRA, M. do C. B.; SASSO, S. A. Z.; CITADIN, I.; SCARIOT, S.
Fonte: Pesquisa Agropecuaria brasileira., Brasília, v.45, n.8, p.872-878, ago. 2010 Publicador: Pesquisa Agropecuaria brasileira., Brasília, v.45, n.8, p.872-878, ago. 2010
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
28%
Resumo ? O objetivo deste trabalho foi comparar o peso de fruto e a duração do ciclo entre cultivares de ameixeira e pessegueiro, estimar os coeficientes de repetibilidade e de determinação e o número de medições, para uma predição segura dessas características, e comparar diferentes métodos de estimação da repetibilidade. Os caracteres foram avaliados em 5 safras, em 9 cultivares de ameixeira (Prunus salicina) e 33 cultivares de pessegueiro (Prunus persica), em delineamento inteiramente casualizado. O coeficiente de repetibilidade foi estimado pelos métodos de análise de variância, componentes principais e análise estrutural. Foi observado o maior peso de fruto nas cultivares de ameixeira Harry Pickstone e Pluma 7 e na cultivar de pessegueiro Santa Áurea. A menor duração do ciclo ocorreu nas cultivares de ameixeira América, Irati e Methley e na cultivar de pessegueiro Granada. Os coeficientes de repetibilidade e de determinação foram altos para ambos os caracteres em ameixeira e pessegueiro. Não houve diferenças no coeficiente de repetibilidade entre os métodos utilizados. São necessárias de uma a três medições de peso de fruto, e de uma a duas medições da duração do ciclo, para obtenção dos valores genotípicos reais das cultivares de ameixeira e pessegueiro...

Caracteriza????o molecular de alelos-S e de locos microssat??lites em Prunus salicina (Lindl.); Molecular characterization of alleles-S and of microsatellite locus in Prunus salicina (Lindl.)

MOTA, Monalize Salete
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Biologia; Programa de P??s-Gradua????o em Fisiologia Vegetal; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Biologia; Programa de P??s-Gradua????o em Fisiologia Vegetal; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
27.83%
The production of plum is an important commodity around the world. In Brazil, the state of Rio Grande do Sul is the major producer. However, despite the great potential for cultivation, some factors are limiting for increasing the production, such as: a) climate variability; b) use of inadequate stocks; c) pollination of most cultivar is self-incompatible d) doubtful genetic history of the plant material. Considering these problems, the aim of this work was to identify allele-S related to gametophytic self- incompatibility in Prunus salicina (Lindl.) and to perform the molecular characterization of cultivars by means of microsatellites locus. For these purposes eleven cultivars of Japanese plum [Santa Rosa, Santa Rita, Reubennel, Pluma 7, Am??rica, Rosa Mineira, Amarelinha, The First, Gulfblaze (Clone S??o Paulo), Gulfblaze (Clone Gua??ba) e Harry Pickstone] were analysed by Polymerase Chain Reaction (PCR) using three pairs of primers specific for amplifying the alleles-S and primers for five microsatellite locus. The experiments were performed in the Laborat??rio de Cultura de Tecidos de Plantas Caracteriza????o Molecular, of the Departamento de Bot??nica da Universidade Federal de Pelotas. In the amplification of alleles-S was observed that the reaction mix for PCR...

Effect of boron and zinc in soluble carbohidrate content, total aminoacids and rooting of plum branch cuttings (Prunus salicina Lindl.); Efeitos do boro e zinco no teor de carboidratos solúveis, aminoácidos totais e no enraizamento de estacas de ramos de ameixeira (Prunus salicina Lindl)

Kersten, E.; Lucchesi, A.A.; Gutierrez, L.E.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito do boro (B) e do zinco (Zn) no teor de carboidratos solúveis, aminoácidos totais e no enraizamento de estacas de ramos dos cultivares Carmesim e Grancuore de ameixeira (Prunas salicina Lindl.). Para a aplicação dos tratamentos houve uma fase preliminar que constou da seleção e identificação de quatro filas com vinte plantas cada uma e alternadas com filas de bordadora, que receberam os tratamentos com bórax (B), sulfato de zinco (Zn), bórax mais sulfato de zinco (B + Zn) e controle. O experimento para enraizamento de estacas de ramos foi realizado em viveiros com nebulização intermitente, no município de Brotas,SP. A coleta de material para avaliação do efeito dos tratamentos com boro, zinco, boro mais zinco e controle, foi executada em maio de 1989, quando parte deste material foi utilizado para determinação de açúcares redutores, açúcares totais e aminoácidos totais e outra parte utilizada para o enraizamento de estacas. O delineamento experimental foi em blocos casualizados. Os resultados obtidos mostraram que o cultivar Carmesim apresentou maior facilidade para enraizar e houve interação entre cultivar com produto (B, Zn, e B + Zn) e aumento no teor de aminoácidos totais.; The purpose of this study was to evaluate the effect of boron and zinc on the rooting of branch cuttings of two plum (Prunus salicina Lindl.) cultivare Carmesim and Grancuore. In a previous phase four lines with twenty plants were selected for the application of boron...

Efeito do ácido indolbutírico no enraizamento de estacas de ramos de plantas de ameixeira (Prunus salicina, Lindl.); Effect of indolbutyric acid on the rooting of plum branch cuttings (Prunus sofrena, Lindl.)

Kersten, E.; Lucchesi, A.A.; Gutierrez, L.E.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
37.51%
O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de quatro concentrações de ácido indolbutírico (IBA), no enraizamento de estacas de ramos de ameixeira (Prunus salicina, Lindl.), coletadas de plantas tratadas com bórax e sulfato de zinco e controle, executado em quatro épocas. Os experimentos foram conduzidos em viveiros, sob condição de nebulização artificial intermitente. Os resultados obtidos mostram a influência de cultivar, época e concentração de IBA, não sendo verificado efeito de bórax ou sulfato de zinco na percentagem de estacas enraizadas.; The objective of this work was to evaluate the effect of four concentrations of indolbutyric acid on the rooting of plum branch cuttings (Prunus salicina, Lindl.) collected from plants treated with borax and zinc sulfate, in four periods. The experiments were conducted in a nursery with intermitent artificial mist conditions. The results showed a positive effect of cultivars, periods and IBA concentrations, and there was no effect of either borax or zinc sulfate on rooting of branch cuttings.