Página 1 dos resultados de 810 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

O idoso em diálise; Older adults undergoing dialysis; El anciano en Diálisis

KUSUMOTA, Luciana; OLIVEIRA, Marília Pilotto de; MARQUES, Sueli
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.71%
Em decorrência, principalmente, do envelhecimento populacional e mudanças no perfil epidemiológico, tem-se observado um crescente aumento do número de idosos em terapia renal substitutiva. O presente relato aponta e descreve os principais aspectos e as características do idoso em diálise; e destaca como imprescindível o atendimento em saúde, incluindo o cuidado de enfermagem, direcionado e especializado, diante das especificidades e necessidades desta parcela de pacientes nos centros de diálise.; Aging and changes in the epidemiologic profile of the population are contributing factors for the increasing number of older adults undergoing renal replacement therapy. This study describes the main characteristics of older adults undergoing dialysis and the health care delivery system, including the specialized and individualized nursing care to address the needs of the older adults attending dialysis centers.; Como resultado, principalmente, del envejecimiento poblacional y cambios en el perfil epidemiológico, se ha observado un creciente aumento del número de ancianos en terapia renal sustitutiva. El presente relato señala y describe los principales aspectos y las características del anciano en diálisis; y destaca como imprescindible la atención en salud...

Infecções em pacientes submetidos a procedimento hemodialítico: revisão sistemática; Infections in patients submitted to hemodialysis: a systematic review

CAIS, Daiane Patricia; TURRINI, Ruth Natalia Teresa; STRABELLI, Tânia Mara Varejão
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.59%
OBJETIVOS: Os procedimentos dialíticos para a correção da lesão renal têm a infecção como uma das principais complicações, com impacto significante na morbi-mortalidade em pacientes dialíticos crônicos e agudos críticos. O objetivo deste trabalho foi revisar a literatura sobre infecções em pacientes submetidos a procedimentos hemodialíticos. MÉTODOS: Foi realizado levantamento das publicações de 1990 a março de 2008 nas bases eletrônicas COCHRANE, PubMed/MEDLINE, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Banco de dados de Enfermagem. Foram utilizados os descritores em Ciências da Saúde (DeCS) e o Medical Subject Headings Section (MeSH) do PubMed/MEDLINE: infecção; infecção hospitalar; bacteremia; diálise renal; insuficiência renal crônica; insuficiência renal aguda; hemofiltração; hemodiafiltração; terapia de substituição renal. RESULTADOS: Foram selecionados 33 artigos. A maioria das publicações era americana, concentrou-se entre os anos 2001 e 2005 e a principal topografia foi infecção relacionada ao acesso vascular. Os estudos divergiram na definição de infecção e denominadores utilizados, comprometendo a comparação dos mesmos. Cinco artigos trabalharam com diferentes topografias de infecção...

Repercussões psicológicas da doença renal crônica: comparação entre pacientes que iniciam o tratamento hemodialítico após ou sem seguimento nefrológico prévio; Psychological and clinical effects: comparative study of ESRD patients with early or late referral to nephrologist

Fayer, Ana Amélia Martinez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
É sabido que o paciente com doença renal crônica que tem um acompanhamento nefrológico precoce apresenta melhores condições clínicas e melhor prognóstico ao entrar em diálise. Porém o acompanhamento precoce pelo nefrologista melhora também o enfrentamento psíquico da doença e do tratamento? Foram estudados 39 pacientes com insuficiência renal estágio 5 no momento em que entravam em hemodiálise: 19 pacientes com acompanhamento por nefrologista 6 meses (Grupo 1) e 20 pacientes sem qualquer acompanhamento nefrológico prévio (Grupo 2). Todos os pacientes participaram de entrevista semiestruturada, composta por 17 questões abordando informações, crenças, expectativas e fantasias relacionadas à doença e ao tratamento. As respostas foram decompostas em categorias através da técnica da Análise de Conteúdo. Os dados demográficos e laboratoriais também foram coletados. A classe socioeconômica foi avaliada e classificada como baixa, média ou alta. Na análise estatística foram utilizados o teste de Fisher, do Quiquadrado, t de Student ou de Wilcoxon como apropriado e os resultados apresentados como média ± DP. O grupo 1 foi seguido por 26 ± 20 meses. Em ambos os grupos a maioria dos pacientes pertencia à classe baixa e era do sexo masculino. Os pacientes do grupo 2 eram mais jovens e apresentavam piores parâmetros laboratoriais (p <0...

Influência da remodelação óssea na transferência de cálcio e fósforo durante hemodiálise em pacientes com doença renal crônica; Influence of the bone remodeling in the calcium and phosphorus transfer during hemodialysis in patients with chronic kidney disease

Karohl, Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.64%
A cinética e os fatores determinantes da transferência do cálcio e do fósforo durante a hemodiálise foram pouco avaliados e não são completamente compreendidos até os dias de hoje, apesar de associarem-se ao desenvolvimento e progressão da doença óssea renal, à calcificação vascular e à maior mortalidade. Tanto a transferência de cálcio e a remoção de fósforo durante a diálise afetam o equilíbrio do metabolismo mineral. Este estudo tem por hipótese que o metabolismo mineral e ósseo poderia, por sua vez, afetar a cinética de ambos os íons durante a diálise. No entanto, remodelação óssea não é usualmente considerada quando modelos cinéticos são aplicados para cálcular o balanço do cálcio e do fósforo. OBJETIVO: Avaliar a cinética do cálcio e do fósforo durante a hemodiálise e o papel da remodelação óssea nessa transferência. MÉTODO: Vinte e três pacientes (idade = 43,2 ± 17 anos) com doença renal crônica em hemodiálise no Hospital das Clínicas da USP foram submetidos a 4 sessões de hemodiálise com cada uma das seguintes concentrações de cálcio no dialisato (Cad): 2,0; 2,5; 3,0 e 3,5 mEq/L. Amostras de sangue e de dialisato foram coletadas a cada 30 minutos para calcular a transferência de cálcio e fósforo e avaliar os fatores determinantes desta transferência. RESULTADOS: O balanço de cálcio foi extremamente variável em todas as Cad. A transferência de cálcio foi de 578±389...

Índice de pressão tornozelo-braquial em pacientes renais crônicos incidentes em hemodiálise; Ankle-brachial Index in End-stage Renal Disease Incident in hemodialysis

Jimenez, Zaida Noemy Cabrera
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.76%
Doença cardiovascular é uma causa importante de morte em pacientes em diálise. Doença arterial obstrutiva periférica (DAOP) é um fator prognóstico de doença cardiovascular. Índice de pressão tornozelo-braquial (ITB) é um método não invasivo usado para o diagnóstico de DAOP. A diferença entre ITB pré e pós diálise ainda não foi formalmente testada e foi um dos objetivos deste estudo. Além disso, nós avaliamos o ITB como marcador de mortalidade em pacientes incidentes em hemodiálise. ITB foi obtido por método oscilométrico automático em uma população de pacientes incidentes em hemodiálise. Este estudo foi desenhado para testar a aplicabilidade da determinação do ITB com o uso de 2 aparelhos oscilométricos simultâneos de pressão arterial (Omron Corp 705 CP Corp, Tokyo, Japan) comparando pré e pós diálise assim como lados direito e esquerdo. 123 pacientes (85 homens e 38 mulheres) idade 53±19 anos foram incluídos. Medidas de pressão arterial do lado direito e do lado esquerdo apresentaram médias semelhantes (p=0,565), assim como em 3 sessões consecutivas de diálise, tempo 1, 2 e 3 (coeficiente de variação menor que 5). Nenhuma diferença foi encontrada entre ITB pré e pós diálise, tanto no lado direito quanto no lado esquerdo...

Avaliação do metabolismo mineral de pacientes com doença renal crônica em diálise peritoneal: correlação entre parâmetros clínicos, bioquímicos e de histologia óssea; Evaluation of mineral metabolism in peritoneal dialysis patients: correlation between bone histology, clinical features and biochemical parameters

Oliveira, Rodrigo Azevedo de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.76%
INTRODUÇÃO: Os distúrbios minerais e ósseos da doença renal crônica (DMO-DRC) são influenciados por vários fatores, como idade, etiologia da DRC, toxinas urêmicas e modalidade dialítica. Os DMO-DRC são bem descritos em pacientes tratados com hemodiálise (HD). No entanto, na diálise peritoneal (DP) os estudos são escassos e, na maioria deles, não há dados de histologia óssea. OBJETIVOS: caracterizar os DMO-DRC em uma coorte de pacientes em DP; comparar os resultados com aqueles obtidos da HD; e analisar o desempenho de marcadores séricos para o diagnóstico das doenças de alto e baixo remodelamento ósseo. MÉTODOS: quarenta e um pacientes tratados com DP submeteram-se a avaliação clínica, bioquímica e biópsia óssea. RESULTADOS: a doença óssea adinâmica (DOA) foi o tipo de osteodistrofia renal (OR) predominante, correspondendo a 49% da amostra. Ao se analisar separadamente diabéticos e não diabéticos, a prevalência de DOA foi de 77,7% no primeiro grupo e 26% no segundo (p=0,001). Na comparação entre DP e HD, observou-se que os pacientes do primeiro grupo apresentavam 25(OH) vitamina D mais baixa, mineralização óssea mais comprometida e melhor volume ósseo. A fosfatase alcalina óssea (FAO) apresentou a melhor sensibilidade e especificidade tanto para o diagnóstico de alto...

Avaliação da qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento por diálise peritoneal automatizada e hemodiálise utilizando o instrumento SF-36; Evaluation of Quality of Life of end-stage renal disease patients treated with either automatic peritoneal dialysis or hemodialysis using SF-36 questionnaires

Arenas, Valquiria Greco
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/2006 Português
Relevância na Pesquisa
46.82%
INTRODUÇÃO: A avaliação da QV tem se destacado de modo crescente em pesquisas clínicas de pacientes com insuficiência renal crônica terminal (IRCT), sendo o SF-36 um dos instrumentos mais utilizados nesta população. O objetivo deste estudo foi avaliar e comparar a QV nos pacientes com IRCT que estavam em tratamento dialítico de DPA e HD utilizando o SF-36 e avaliar se parâmetros sociais, demográficos, econômicos, clínicos e de adequação em diálise interferem na QV desses grupos. MÉTODOS: este estudo transversal, prospectivo e observacional, foi realizado em uma unidade de diálise satélite no município de São Paulo, em dezembro de 2003. Foram incluídos no estudo os pacientes de DPA ou HD, com tempo na terapia maior que 90 dias, idade entre 18 e 75 anos, com domínio da língua portuguesa e que concordaram em responder o instrumento para avaliação da QV. Participaram 22 pacientes de DPA e 79 de HD. Através do prontuário médico, foram coletados dados demográficos, sociais, econômicos, informações clínicas e exames laboratoriais. A QV foi avaliada apenas uma vez durante entrevista com a pesquisadora. Os valores obtidos na QV foram cruzados com as demais variáveis para verificar se havia interação significativa. RESULTADOS: Os grupos foram muito semelhantes entre si na maioria das variáveis analisadas. Na HD observou-se tempo maior de tratamento (p=0.002) e níveis de albumina sérica mais elevados que DPA (p<0...

Avaliação do perfil lipídico em pacientes com insuficiência renal crônica tratados com hemodiálise, diálise peritoneal ambulatorial contínua ou mantidos em tratamento conservador

Klafke, Adriana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.79%
Alterações do metabolismo lípídico são comuns em pacientes com Insuficiência Renal Crônica, contribuindo para altos índices de morbimortalidade relacionados à doença cardiovascular e dislipidemia. Avaliamos perfil lipídico de 63 pacientes divididos em 3 grupos: grupo 1 - 28 pacientes com insuficiência renal submetidos à hemodiálise (HD); grupo 2 - 19 pacientes com insuficiência renal submetidos à diálise peritoneal ambulatorial contínua (CAPD) e grupo 3 - 16 pacientes com insuficiência renal em tratamento conservador (TC). Os níveis de triglicerídeos (TG) nos pacientes submetidos à HD e à CAPD demonstraram medianas mais elevadas de151 (97-254) mg/dl e 224 (137-313) mg/dl respectivamente, quando comparados à mediana dos pacientes mantidos em TC de 141 (79-110) mg/dl (P<0.023). Na análise do colesterol total (COL-T), observamos que os pacientes dos grupos de CAPD e TC apresentaram médias mais elevadas que os pacientes do grupo de HD (224 ± 49 mg/dl, 227 ± 71 mg/dl e 187 ± 48 mg/dl respectivamente) (P<0.038). O grupo mantido em TC apresentou níveis significativamente menores da lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL) de 28 (22-36) mg/dl quando comparado aos paciente submetidos à HD, com níveis iguais a 39 (19-51) mg/dl e aos pacientes submetidos à CAPD...

Avaliação da qualidade de vida após alta hospitalar de pacientes com insuficiência renal aguda tratados com hemodiálise no centro de terapia intensiva

Morsch, Cássia Maria Frediani
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.87%
Introdução: A Insuficiência Renal Aguda é uma doença comum em pacientes criticamente enfermos (11-78%) e está associada a altas taxas de mortalidade (39- 71%). As taxas de recuperação da função renal chegam a 90-95%, mas em estudos de acompanhamento mais prolongado observou-se um aumento de 28 vezes no risco de desenvolver doença renal crônica estágios 4 e 5. Poucos estudos têm focado em uma perspectiva a longo prazo, além da recuperação da função renal, a qualidade de vida destes pacientes. Objetivos: Avaliar a sobrevida, a qualidade de vida e a dependência de diálise em pacientes criticamente enfermos com insuficiência renal aguda, ou insuficiência renal crônica agudizada, que realizaram tratamento dialítico em centro de terapia intensiva. Métodos: Estudo de coorte prospectivo na Centro de Tratamento Intensivo de um hospital universitário no sul do Brasil. Todos pacientes que necessitaram terapia renal substitutiva em um período de dois anos foram incluídos. Os sobreviventes foram seguidos, após alta hospitalar, por no mínimo 3 meses, mediana 256 dias. O questionário The Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Survey (SF-36) foi utilizado para avaliar a qualidade de vida junto com outro instrumento que avaliou dados sócio demográficos e outras questões sobre a situação de vida dos pacientes...

Sobrevida e recuperação renal após a alta hospitalar em pacientes criticamente enfermos submetidos a diálise

Balbinotto, Antonio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.7%
Introdução: Nos últimos anos, a literatura médica tem se interessado pelas consequências no longo prazo da insuficiência renal aguda (IRA), sobretudo sua relação com a doença renal crônica (DRC) e maior risco de mortalidade. Objetivo: Determinar a sobrevida tardia (após a alta hospitalar) e a recuperação da função renal (retirada do tratamento dialítico) nos pacientes criticamente enfermos sobreviventes que foram submetidos a terapia renal substitutiva (TRS) por IRA severa e analisar os fatores prognósticos envolvidos. Método: Estudo de coorte prospectivo de pacientes criticamente enfermos com IRA severa que foram seguidos após a alta hospitalar para analisar os fatores prognósticos associados com mortalidade e com dependência de TRS. Resultados: Após excluir pacientes submetidos a transplante renal e hemodiálise crônica, 408 pacientes submetidos a TRS na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foram incluídos. Na amostra, 99 (24,3%) pacientes apresentaram doença renal crônica prévia (DRCp), definida como creatinina sérica basal ≥ 1.5 mg/dL. A taxa de fatalidade foi 69% na UTI e 74% no hospital e 107 pacientes tiveram alta hospitalar. Após um seguimento médio de 287±192 dias, 80 pacientes (77%) estavam vivos e 69 deles fora de tratamento dialítico. As variáveis associadas com a mortalidade foram a DRCp (p=0.007)...

Avaliação nutricional de doentes renais em hemodiálise : trabalho de investigação : nutritional assessment of renal patients on hemodialysis

Oliveira, Joana Pimenta
Fonte: Porto : edição de autor Publicador: Porto : edição de autor
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 2 vols.(tese + relatório); 30 cm
Português
Relevância na Pesquisa
46.71%
Resumo da tese: A Doença Renal Crónica implica, na maior parte dos casos, o início de terapias substitutivas do rim doente, como a diálise. É frequente o estado nutricional do doente ser afectado negativamente, levando ao agravamento de comorbilidades associadas existentes ou ao aparecimento de outras, comprometendo a qualidade de vida do doente e, consequentemente, aumentando o risco de mortalidade. O Nutricionista tem um papel importante no acompanhamento destes doentes, conhecendo a doença e todas as restrições alimentares, sendo capaz de calcular as necessidades nutricionais de cada indivíduo, de modo a fornecer todos os nutrientes necessários ao seu bem-estar físico e mental e reduzir as doenças associadas; o nutricionista tem, ainda, a seu cargo a re-educação alimentar dos insuficientes renais crónicos. Os objectivos deste estudo foram avaliar o estado nutricional de doentes a frequentar sessões de hemodiálise (HD), comparar o estado nutricional entre homens e mulheres, comparar a alimentação dos dias com e sem diálise e comparar doentes em risco de desnutrição/malnutridos com doentes sem esse risco. Avaliaram-se 28 doentes (15 mulheres e 13 homens), com uma média de idades de 69 anos (devpad = 11). Recolheram-se dados epidemiológicos...

O nefrologista como consultor ante a intoxicação aguda: epidemiologia das intoxicações graves no Rio Grande do Sul e métodos de aumento da depuração renal

Pedroso,José Alberto Rodrigues; Silva,Carlos Augusto Mello da
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
46.72%
Intoxicações acidentais e intencionais constituem- se em fonte significativa de morbimortalidade. Em emergências ou UTIs, frequentemente o Nefrologista é chamado como consultor para auxiliar na indicação de medidas de aumento da depuração renal de agentes tóxicos. Revisamos o emprego de diálise nas intoxicações agudas por medicamentos ou pesticidas, cujo suporte especializado toxicológico foi realizado por telefone pelo Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul (CIT-RS). Avaliamos a correlação entre necessidade de diálise e óbitos em coorte retrospectivo (1998- 2000). Dos 36.055 atendimentos, 337 foram identificados como graves, 245 preenchendo os critérios de inclusão exigidos. A idade média foi 30 ± 18 anos; 53% mulheres. Medicamentos frequentemente envolvidos foram anticonvulsivantes e antidepressivos, entre outros; quanto aos pesticidas, organofosforados, bipiridílicos e glifosato. Métodos de aumento da eliminação incluíram alcalinização urinária (n = 37) e métodos dialíticos. Diálise entre intoxicações severas ocorreu em 4,5% (n = 11), 3,67 procedimentos/ano (1/22,7 relatos de casos severos). No grupo que dialisou, em 91%, a circunstância foi tentativa de suicídio (principalmente fenobarbital e paraquat). Dois casos requereram hemoperfusão (cloranfenicol e paraquat). Óbitos entre pacientes graves não submetidos a diálise ocorreram em 25...

Prevalência da fragilidade entre os pacientes com doença renal crônica em tratamento conservador e em diálise

Mansur,Henrique Novais; Damasceno,Vinícius de Oliveira; Bastos,Marcus Gomes
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.66%
INTRODUÇÃO: Fragilidade é um estado de vulnerabilidade fisiológica do paciente que se associa ao maior número de hospitalização e óbito. OBJETIVOS: Avaliar a prevalência de fragilidade e os fatores a ela associados em pacientes com doença renal crônica (DRC) em tratamento conservador (TC), hemodiálise (HD) e diálise peritoneal (DP). MÉTODOS: A fragilidade foi avaliada em 146 pacientes (86 em TC, 37 em HD e 23 em DP) e caracterizada como fraqueza muscular e exaustão - pelos domínios do aspecto físico e da vitalidade, respectivamente, avaliados pelo questionário SF-36 de qualidade de vida; como inatividade física caso a resposta fosse "nunca" ou "quase nunca" - quando questionado sobre a prática de atividade física; e como perda de peso não intencional (> 4,5 kg por ano). Os pacientes foram divididos em três grupos: não frágeis (NF), pré-frágeis (PF) e frágeis (F). As variáveis demográficas, clínicas e laboratoriais foram extraídas dos prontuários dos pacientes. RESULTADOS: A fragilidade foi caracterizada em 36% dos pacientes em TC, 37,8% em HD e 47,8% em DP. Foi diagnosticada em 36,8% dos pacientes com idade entre 20 e 40 anos e 40,3% daqueles entre 41 e 60 anos. A fragilidade associou-se significativamente ao uso de vitamina D (r = 0.16; p = 0.03)...

Diálise no paciente idoso: um desafio do século XXI - revisão narrativa

Franco,Marcia Regina Gianotti; Fernandes,Natália Maria da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.75%
Com o aumento da expectativa de vida, com a melhora do arsenal terapêutico, conhecimento e controle das doenças crônicas degenerativas, a população mundial tem atingido faixas etárias elevadas. Por ser a idade avançada fator de risco para a doença renal crônica (DRC), juntamente com o bônus da maior sobrevida, vive-se hoje o ônus da maior e progressiva incidência de pacientes idosos em terapia renal substitutiva (TRS). A diálise nos pacientes idosos, que há três décadas era considerada fora de questão, hoje em dia é rotina para o nefrologista, que enfrenta o desafio de prestar atendimento a pacientes idosos com DRC em estágio 5 com indicação dialítica. Atualmente, o grupo de pacientes idosos incidentes em diálise é o que mais cresce. Apesar de não se haver chegado a um consenso, parece ser indiscutível que o importante é viver com qualidade de vida. Neste artigo, buscamos discutir a diálise no paciente idoso.

Prevalência de ansiedade e depressão e suas comorbidades em pacientes com doença renal crônica em hemodiálise e diálise peritoneal

Stasiak,Camila Edith Stachera; Bazan,Kalyl Singh; Kuss,Renata Stoeberl; Schuinski,Adriana Fatima Menegat; Baroni,Gilberto
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.62%
Introdução: Os pacientes com doença renal crônica (DRC) que realizam terapia renal substitutiva (TRS) estão sujeitos a maior prevalência de distúrbios de humor. Objetivo: O objetivo do presente estudo é comparar a prevalência de ansiedade e depressão nos pacientes que realizam hemodiálise (HD) e diálise peritoneal (DP), levando em conta comorbidades que podem contribuir para isso. Métodos: O estudo foi realizado em Ponta Grossa, PR, com pacientes portadores de DRC, utilizando os inventários de depressão e ansiedade de Beck (BDI e BAI) e a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (EHAD). Resultados: Foram estudados 155 pacientes, 128 no grupo em HD e 27 em DP. No primeiro, depressão foi encontrada em 22,6% dos pacientes no BDI e em 9,3% na EHAD, e ansiedade em 25,7% no BAI e em 11,7% na EHAD. No grupo em DP, 29,6% dos pacientes apresentaram depressão no BDI e 14,8% na EHAD, e ansiedade em 11,1% no BAI e em nenhum na EHAD. Conclusão: A realização de hemodiálise ou diálise peritoneal não influenciou na prevalência de ansiedade ou depressão nos pacientes com DRC.

Evaluación de la calidad de vida de pacientes de insuficiencia renal crónica en diálisis renal; Avaliação da qualidade de vida de portadores de insuficiência renal crônica em diálise renal.

Cunha Franco, L.; Teles Zatta, L.; Vasconcelos, P.; Alves Barbosa, M.; De Oliveira Rosa, LF.
Fonte: Murcia : Servicio de Publicaciones de la Universidad de Murcia Publicador: Murcia : Servicio de Publicaciones de la Universidad de Murcia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
56.58%
Objetivo: Evaluar la calidad de vida de las personas con Insuficiencia Renal Crónica (IRC) en hemodiálisis, a través de KDQOL TM-SF. Métodos: Estudio descriptivo, analítico y cuantitativo, utilizando como instrumento para recolectar datos el KDQOL- SF TM, en una muestra de 32 pacientes con insuficiencia renal crónica. Las respuestas a las preguntas del cuestionario se distribuyeron en una escala dicotómica y en escalas tipo Likert, con puntuación que va desde diez hasta tres. Resultados: Las puntuaciones más altas fueron en los campos: estímulo del equipo de hemodiálisis (98, 44), función sexual (94,14) y síntomas y problemas (76,04). Los menores encontrados: sobrecarga de la enfermedad renal (12.34), función física (23,44) y apoyo social (30,21). Conclusión: Los aspectos principales que afectan a la calidad de vida de estas personas hacen reflexionar sobre un cuidado más planificado e integral que será prestado por el equipo de salud, médica, lo que permitirá vivir con más calidad.; Objetivo: Avaliar a qualidade vida de pessoas com Insuficiência Renal Crônica (IRC) em tratamento hemodialítico, através do KDQOL-SF TM. Métodos: Estudo descritivo-analítico, quantitativo, utilizando como instrumento de coleta de dados o KDQOL- SF TM...

Comportamento do índice de massa do ventrículo esquerdo de pacientes em diálise no decorrer de 17 anos

Cavalcante,Loren Giagio; Ricardo de Souza,Cavalcante; Kochi,Ana Claudia; Okoshi,Katashi; Basan,Silméia Garcia Zanati; Hueb,João Carlos; Martin,Rosana dos Santos e Silva; Oliveira,Rogério Carvalho de; Banin,Vanessa Burgungi; Barretti,Pasqual; Franco,Rob
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 Português
Relevância na Pesquisa
46.64%
ResumoIntrodução:A hipertrofia ventricular esquerda (HVE) é alteração frequente em pacientes de diálise e imprime prognóstico sombrio. Não se conhece qual a tendência secular dessa alteração cardíaca em nossos pacientes.Objetivo:Avaliar o comportamento da HVE, pelo índice de massa do ventrículo esquerdo (IMVE), no decorrer de 17 anos em pacientes de um centro universitário de diálise, bem como verificar as possíveis causas desse comportamento.Métodos:Foi realizado um estudo longitudinal retrospectivo que avaliou, por meio de ecocardiografia, o IMVE em pacientes submetidos à hemodiálise em nosso Serviço de Diálise durante o período de 17 anos, de 1993 a 2010. Foram incluídos 250 exames de pacientes com doença renal crônica estágio V-D com idade superior a 18 anos que foram submetidos à avaliação ecocardiográfica de rotina.Resultados:Notou-se redução do IMVE à medida que os anos avançavam. Essa redução correlacionou-se à diminuição da pressão arterial e à elevação da hemoglobina. Em análise múltipla, a massa ventricular esquerda associou-se apenas à pressão arterial.Conclusão:A porcentagem de pacientes com HVE sofreu redução significante no decorrer de 17 anos em nossa Unidade de Diálise. O fator associado a essa redução foi a diminuição da pressão arterial.

Caracterização e etiologia da insuficiência renal crônica em unidade de nefrologia do interior do Estado de São Paulo; Characterization and etiology of the chronic renal failure in a countryside nephrology unit of São Paulo State; Caracterización y etiología de la insuficiencia renal crónica en unidad de nefrología del interior del Estado de São Paulo

RIBEIRO, Rita de Cássia Helú Mendonça; OLIVEIRA, Graziella Allana Serra Alves de; RIBEIRO, Daniele Fávaro; BERTOLIN, Daniela Comelis; CESARINO, Claudia Bernardi; LIMA, Lidimara Copoono Erdosi Quintino de; OLIVEIRA, Sandra Mara de
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.59%
OBJETIVOS: Caracterizar os pacientes com insuficiência renal crônica (IRC) em programa dialítico; verificar as causas de IRC; identificar as doenças associadas a IRC; levantar o tipo de tratamento e o acesso atual destes pacientes. MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo epidemiológico, realizado em uma Unidade de Nefrologia e foram incluídos todos os pacientes cadastrados no Programa Nefro Data. RESULTADOS: Dos 217 pacientes cadastrados na unidade em estudo, observamos 68,2% com idade superior a 40 anos e 59,4% do sexo masculino. Quanto à doença de base, 31,3% dos pacientes apresentavam Nefroesclerose Hipertensiva e 25,3% Diabetes Mellitus (DM), seguido da Glomerulonefrite com 24,5%. Quanto às doenças associadas, 42,4% dos pacientes possuiam Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), 24,9% não possuiam comorbidades, 19,8% HAS e DM. Quanto ao tipo de acesso vascular 70,5% possuiam fístula artériovenosa, sendo a utilização de cateter de Tenckhoff exclusivo da diálise peritoneal em 13,3%. CONCLUSÃO: Concluiu-se que os resultados permitem um melhor planejamento frente às necessidades reais dos pacientes.; OBJECTIVES: Characterize the pacients with chronic renal failure (CRF) in dialythical program; verify the causes of the CRF; identify the associated diseases to CRF; measure the type of treatment and the actual access of the pacients to them. METHODS: This is a epidemiological descriptive research performed in a nephrology unit...

Qualidade de vida e sexualidade de mulheres em diálise

Marques, Florence Zanchetta Coelho
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
46.78%
Introdução: Pacientes com insuficiência renal crônica (IRC) em tratamento dialítico apresentam redução da qualidade de vida (QV) e da função sexual. Vários estudos prévios avaliaram indivíduos do sexo masculino. Poucos dados sobre a função sexual de mulheres sob tratamento dialítico estão disponíveis. O presente estudo avaliou a qualidade de vida e o funcionamento sexual de pacientes do sexo feminino hígidas e com IRC, em diálise. Pacientes e Método: Estudo transversal, controlado, em que foram aplicados dois questionários - um genérico, com o qual foram coletados dados demográficos, sobre idade, escolaridade, estado marital e condições sexuais, e o de QV da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-bref ©) - a 86 mulheres com idade superior a 18 anos, alfabetizadas, sem doença renal (Grupo 1), e a 38 pacientes femininas, em diálise crônica há pelo menos 2 meses (Grupo 2). Para análise adicional, as participantes foram divididas por idade (≤ 60 ou > 60). Dados antropométricos e clínicos também foram coletados. Estatística descritiva, teste chi-quadrado (ou teste exato de Fisher), teste t de Student e análise de regressão linear multivariada foram utilizados.Resultados: A QV foi menor no Grupo 2...

Acesso vascular permanente em pacientes renais crônicos terminais no Brasil; Acceso vascular permanente en pacientes renales crónicos terminales en Brasil; Permanent vascular access in patients with end-stage renal disease, Brazil

Silva, Gisele Macedo da; Gomes, Isabel Cristina; Andrade, Eli Iola Gurgel; Lima, Eleonora Moreira; Acurcio, Francisco de Assis; Cherchiglia, Mariângela Leal
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.79%
OBJETIVO: Analisar fatores associados à provisão de acesso vascular arteriovenoso no Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal, nacionalmente representativo, com pacientes com doença renal crônica terminal acompanhados em serviços de diálise ou em centros transplantadores no ano de 2007. A amostra incluiu apenas pacientes que tiveram a hemodiálise como primeira modalidade de tratamento e que sabiam com que tipo de acesso vascular haviam iniciado o tratamento (N = 2.276). Os dados são oriundos do Projeto TRS - "Avaliação econômico-epidemiológica das modalidades de Terapia Renal Substitutiva no Brasil". Regressão logística múltipla foi utilizada. RESULTADOS: Aproximadamente 30% dos pacientes tinham acesso vascular arteriovenoso. Os fatores associados à baixa probabilidade de ter acesso vascular arteriovenoso como primeiro tipo de acesso foram: tempo de diagnóstico de doença renal crônica anterior à entrada em hemodiálise < 1 ano, menor tempo de tratamento dialítico, não possuir cobertura de plano de saúde, residir na região Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste, e residir na região Norte e ao mesmo tempo não possuir cobertura de plano de saúde. No modelo final não foi observada associação do desfecho com variáveis socioeconômicas e comorbidades...