Página 17 dos resultados de 16619 itens digitais encontrados em 0.102 segundos

O acesso avançado e sua relação com o número de atendimentos médicos em atenção primária à saúde

Vidal, Tiago Barra
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
O Acesso Avançado (AA) é um sistema moderno de agendamento médico que consiste em agendar as pessoas para serem atendidas pelo médico no mesmo dia ou em até 48 horas após o contato do usuário com o serviço de saúde. Diversos Sistemas Nacionais de Saúde no mundo, tais como Canadá e Inglaterra, por exemplo, implementaram o acesso avançado na Atenção Primaria à Saúde (APS) com o objetivo de melhorar o acesso das pessoas aos cuidados em saúde. O Acesso Avançado tem como objetivos diminuir o tempo de espera por uma consulta médica, diminuir o número de faltas às consultas médicas e aumentar o número de atendimentos médicos da população. Equipes de Saúde da Família, estratégia preconizada pelo Ministério da Saúde como formas de orientação da Atenção Primária no Brasil têm utilizado esse novo sistema com tais objetivos. Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, tem a Estratégia de Saúde da Família (ESF) como o modelo de atenção a saúde escolhido pelo município como eixo central das ações de saúde a sua população, apresenta muitos centros de saúde com suas respectivas equipes de saúde da família com esse novo sistema de agendamento de consulta médicas. Esta dissertação de mestrado evidencia que o acesso avançado realizado por essas equipes de ESF atendem um número maior de consultas médicas anualmente em comparação com outras formas de agendamento médico...

Contribuição do cirurgião-dentista na atenção à saúde bucal

Figueiredo, Daniela de Rossi
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Florianópolis, 2010; Considerando que a promoção da saúde para o recém-nascido, a qual inclui a saúde bucal, deve iniciar-se no período neonatal, o objetivo do artigo foi conhecer a percepção de puérperas e profissionais sobre a contribuição do Cirurgião-Dentista na atenção à saúde bucal dos recém-nascidos. Método: pesquisa qualitativa de caráter exploratório, com sete puérperas da Unidade Neonatal, nove puérperas do Alojamento Conjunto e quinze profissionais da Equipe de Saúde de ambas as unidades do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago, UFSC, Florianópolis, SC, realizado de abril de 2008 a novembro de 2009, por meio de observação participante e entrevistas semi-estruturadas, registradas em diário de campo e gravador, respectivamente. A análise dos dados seguiu princípios do Referencial do Cuidado Holístico-Ecológico (Análise-Reflexão-Síntese). Enquanto muitos participantes consideraram importante a orientação sobre os cuidados em saúde bucal, desde o período neonatal para melhor prevenção aos agravos à saúde, alguns acreditam que a atuação do Cirurgião-Dentista só é necessária após o nascimento dos dentes. As puérperas relataram almejar a atenção a sua própria saúde bucal. As experiências passadas citadas revelam que a antiga realidade assistencial da Odontologia era das extrações e/ou mutilações dentárias. Os profissionais de saúde apontaram aspectos da relação multiprofissional e interdisciplinar na promoção da saúde integral do ser humano...

Prevalência de transtornos psiquiátricos menores em trabalhadores da atenção primária à saúde das regiões Sul e Nordeste do Brasil

Dilélio,Alitéia Santiago; Facchini,Luiz Augusto; Tomasi,Elaine; Silva,Suele Manjourany; Thumé,Elaine; Piccini,Roberto Xavier; Silveira,Denise Silva; Maia,Maria de Fátima Santos; Osório,Alessander; Siqueira,Fernando Vinholes; Jardim,Vanda Maria da Ros
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
Os problemas de saúde mental estão entre os mais prevalentes em trabalhadores de saúde. Foram avaliados a prevalência de transtornos psiquiátricos menores e os fatores associados em trabalhadores da atenção primária à saúde. O delineamento foi transversal com base em 240 unidades básicas de saúde de 41 municípios acima de 100 mil habitantes de sete estados das regiões Sul e Nordeste do Brasil. Foram entrevistados 4.749 trabalhadores, e a prevalência de transtornos psiquiátricos menores foi de 16%, sem diferenças estatísticas por região e modelo de atenção. Foi maior em agentes comunitários de saúde e outros trabalhadores de nível médio (18%), menor em outros profissionais de nível superior (10%), ficando médicos (15%) e profissionais de enfermagem (14,6%) em posição intermediária (p < 0,001). As características ocupacionais apresentaram a mais forte associação com a ocorrência de transtornos psiquiátricos menores na análise ajustada, sugerindo que sua redução depende de melhorias nas condições de trabalho na atenção primária à saúde e na gestão do Sistema Único de Saúde.

A política federal de atenção básica à saúde no Brasil nos anos 2000

Castro,Ana Luisa Barros de; Machado,Cristiani Vieira
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
Este artigo analisa a condução federal da política de atenção básica à saúde no Brasil nos anos 2000, buscando identificar elementos de continuidade e mudança com relação ao período anterior. A pesquisa se baseou no marco teórico do institucionalismo histórico e no conceito de path-dependence. A metodologia compreendeu uma diversidade de estratégias: revisão bibliográfica; análise documental; análise de bases de dados secundários; análise orçamentária e realização de entrevistas com atores-chave da política. Foi possível identificar continuidades e mudanças na condução federal da política nacional de atenção básica no período estudado. A predominância de continuidades, ressaltando-se a persistência do Programa de Saúde da Família como estratégia hegemônica para a reorientação da atenção básica no país, configura uma situação de path-dependence. Observaram-se também mudanças incrementais, a exemplo de iniciativas de fortalecimento da articulação intersetorial e inovações importantes, com destaque para a criação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Persistem, no entanto, problemas estruturais no âmbito da atenção básica, cuja superação é importante para viabilizar a efetiva mudança do modelo de atenção à saúde no país.

O prontuário da família na perspectiva da coordenação da atenção à saúde

Santos,Daniela Cristina dos; Ferreira,Janise Braga Barros
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
No Brasil, a saúde da família é uma estratégia de reorganização da atenção básica. Neste cenário, a coordenação da atenção, cuja essência é a disponibilidade de informações, apresenta-se como uma ferramenta para a qualificação das ações de saúde. Na Saúde da Família, o prontuário da família representa uma rica fonte de informações para a equipe de saúde desenvolver a coordenação da atenção. Os objetivos do estudo, descritivo com abordagem qualitativa, foram analisar o prontuário da família e seu conjunto informacional e identificar a "percepção" da equipe de saúde frente a sua sistematização, uso e importância para a coordenação e qualificação da atenção. Observou-se pequena padronização do registro da informação, da classificação e do arquivamento dos prontuários, além de pouco uso de seu conteúdo informacional. Notou-se que o emprego do prontuário da família para o exercício da coordenação não ocorreu a contento. Faz-se necessária uma melhor gestão deste documento, bem como sua efetiva utilização para favorecer a coordenação e a qualificação da atenção.

Percepção dos gestores do Sistema Único de Saúde acerca dos desafios da formação das Redes de Atenção à Saúde no Brasil

Shimizu,Helena Eri
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
O estudo teve como objetivo analisar as percepções de gestores sobre os desafios da formação de Redes de Atenção à Saúde no Brasil. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com sete gestores envolvidos com a formulação de políticas públicas de saúde. As falas foram analisadas com auxílio do software Analyse Lexicale par Contexte d´un Ensemble de Segments de Texte (ALCESTE). Identificaram-se três eixos temáticos. O primeiro foi denominado "A fragmentação do SUS dificulta o direito à saúde", e constituiu-se pela classe um, que trata dos fatores que contribuem para a fragmentação do sistema de saúde, e pela classe cinco, que aborda a saúde como direito social. O segundo eixo temático, denominado "O Estado na conformação das redes SUS", é composto pelas classes dois, que demonstra as dificuldades na regionalização da saúde, três, que trata da governança regional, e quatro, que versa sobre a contratualização das redes regionais. O terceiro eixo, "Redes e a integralidade", é formado apenas pela classe seis, que aborda os desafios da formação de redes que garantam a integralidade da atenção. O estágio do desenvolvimento das redes regionais de atenção é considerado incipiente; todavia, a regulamentação da Lei Orgânica da Saúde...

A Estratégia Saúde da Família para a equidade de acesso dirigida à população em situação de rua em grandes centros urbanos

Carneiro Junior,Nivaldo; Jesus,Christiane Herold de; Crevelim,Maria Angélica
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
Este artigo relata experiência na implantação da atenção à saúde da população em situação de rua da cidade de São Paulo, visando à equidade de acesso às ações de saúde no Sistema Único de Saúde. As dificuldades de utilização dos serviços de saúde por esses indivíduos devem-se a: concepção do adoecimento-cuidado, organização técnico-administrativa dos serviços, preconceitos de profissionais e usuários e fragilidades de ações intersetoriais, entre outros. Ademais, observa-se prevalência maior de algumas condições na população de rua quando comparada às da população geral, como gestações seis vezes; alcoolismo 30 vezes e tuberculose 57 vezes - demonstrando, proporcionalmente, o grau de vulnerabilidade desse grupo. São necessários novos processos de trabalho pró-ativos na atenção à saúde que incorporem particularidades desses indivíduos, garantindo, assim, o acesso. Nesse sentido, a Estratégia Saúde da Família, por suas características, responde a tais necessidades. A partir de 2004, o projeto "A Gente na Rua" - fruto de parcerias entre a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo e instituições filantrópicas - foi implementado; inicialmente com o Programa de Agentes Comunitários de Saúde...

Odontologia e Saúde Suplementar: marco regulatório, políticas de promoção da saúde e qualidade da atenção

Garbin,Daniela; Mattevi,Gianina Salton; Carcereri,Daniela Lemos; Caetano,João Carlos
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
A partir do marco regulatório e de um panorama da odontologia na saúde suplementar, este artigo discute as especificidades do setor odontológico no que se refere às políticas de promoção da saúde e qualidade da atenção à saúde propostas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A atuação do Estado na saúde suplementar se dá a partir das leis 9.656/98, que define relações entre operadoras, produtos e seus beneficiários e 9.961/2000, que cria a ANS. Concomitantemente, houve elevado crescimento da odontologia no setor, por conta de mudanças no exercício liberal da profissão, trazendo a necessidade de conhecer a lógica de organização dos serviços quanto à assistência prestada e ao modelo de atenção praticado. A ANS desenvolve ações para estimular as operadoras na implantação de programas de promoção da saúde, na busca por um modelo de atenção integral. Ao mesmo tempo, promove a Política de Qualificação na saúde suplementar, com ênfase na dimensão assistencial, porém na odontologia o enfoque da avaliação ainda é o atendimento individual e fragmentado. Por fim, o grande desafio da odontologia passa pelo seu fortalecimento enquanto política de saúde pública, acessível a toda a população...

Sistema de Informação à Saúde da Família: Atividade sobre o Programa de Gestão por Resultados da Atenção Básica (PROGRAB)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, - UFCSPA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
75.78%
Este exercício visa a fixação do conteúdo sobre o PROGAB, que são conhecer e realizar a programação em saúde de sua equipe de saúde através desta ferramenta.

Problemas éticos dos cuidados paliativos na atenção primária à saúde: scoping review; Ethical issues of Palliative Care in Primary Health Care: Scoping Review

Saito, Danielle Yuri Takauti
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2015 Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Introdução: Com o aumento da população idosa e das condições crônicas de saúde, a Atenção Primária à Saúde (APS) é preciso reorganizar esse nível do Sistema Único de Saúde (SUS) para atender às necessidades de saúde decorrentes do novo perfil epidemiológico. Por serem progressivas e incuráveis, as doenças crônico-degenerativas geram crescente demanda por cuidados paliativos (CP). Os CP são indicados desde o diagnóstico de uma doença crônica até o estágio final de vida. Dado o cenário da necessidade de incluir os CP na APS, quais seriam as questões éticas relativas a essa inclusão? Objetivo: Identificar as questões éticas relativas aos Cuidados Paliativos na Atenção Primária à Saúde. Método: Revisão Sistematizada do tipo Scoping Review. As buscas foram nas bases de dados: LILACS, PubMed, CINAHL e EMBASE. Utilizou-se duas estratégias de busca. A primeira cruzou os descritores ética e bioética com atenção primária à saúde. A segunda fez o cruzamento dos dois descritores com cuidados paliativos. Além das buscas nas bases, incluiu-se o acervo de buscas anteriores. Resultados: Foram encontrados 3923 artigos e, após análise, mantiveram-se 16 artigos, referentes a 15 estudos. Os problemas encontrados foram: escassez de recursos; falta de conhecimento dos profissionais de saúde sobre a prática de CP; falta de habilidades comunicacionais; dificuldade em estabelecer limites na relação clínica; sobrecarga de trabalho; falta de apoio de serviços de referência; e falta de comunicação entre os serviços da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Esses problemas assemelham-se aos vividos no cotidiano da APS...

A atenção a saude da criança em Paulinia : um campo de pratica da pediatria social

Maria de Lurdes Zanolli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
O estudo consistiu na análise da atenção à saúde da criança no município de Paulínia (SP), compreendido como um projeto de intervenção para reformar o serviço, o ensino e a prática pediátrica, dentro das propostas reformistas da Pediatria Social. A atenção à saúde da criança era parte do projeto de integração do ensino médico com os serviços de saúde, desenvolvido em Paulínia através de um convênio entre a Prefeitura Municipal, a Secretaria de Estado da Saúde e a Universidade Estadual de Campinas, no período de 1970 a 1995. Este Projeto surgiu, entre outros, como alternativo e crítico do sistema de intervenção em saúde e de ensino médico, propondo-se a reformar o ensino e a prática médica. Analisou-se Paulínia como um lugar em que se constrói uma rede, em que se dirige um discurso e onde protagonistas intervêm cotidianamente, tomando como foco principal a atenção à saúde da criança. O discurso que ambicionava ser o pensamento crítico da Pediatria e ser sua prática reformadora é a Pediatria Social, que nasceu colada ao movimento de reforma médica. A pesquisa incluiu, uma recuperação bibliográfica das principais matrizes constitutivas da reforma dos modelos de organização dos serviços de saúde e do ensino médico. Em seguida...

Assistência Multidisciplinar à Saúde - vol 2

Silva, Maria Aparecida da; Freitas, Hilda Guimarães de; Costa, Karine Cavalcante da; Geniole, Leika Aparecida Ishiyama; Almeida, Geani; Vargas, Susane Lima; Rios, Ivone Alves; Carvalho, Albertina Martins de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Livro
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Na parte geral, discutem-se os programas de hipertensão arterial, diabetes, tuberculose, hanseníase, atenção à pessoa portadora de deficiências físicas, tabagismo, prevenção de DST/AIDS e atenção à saúde bucal. Como no módulo anterior, apresenta as ações que todos os membros da equipe devem desenvolver, independente do fato de ser cirurgião dentista, enfermeiro ou médico. Essa parte traz também as ações que devem ser desenvolvidas para qualificar a atenção prestada à comunidade. Na parte específica, apresenta os programas voltados à atenção à saúde da mulher, como o preventivo de câncer de colo uterino e mama, bem como a importância da realização do prénatal, do planejamento familiar e, sobretudo, da abordagem do tema “violência contra as mulheres”, tão importante para a manutenção da saúde da mulher, entre outros enfoques. Quanto à saúde do homem, apresenta-se a recente Política de Atenção à Saúde do Homem, que foi implantada há pouco mais de três anos e cujo objetivo maior é trazer o homem à unidade de saúde para começar a cuidar-se. Em ambas as partes, mostram-se os dados de morbimortalidade no país e no estado.; 2.0; MINISTÉRIO DA SAÚDE; Una-SUS

Atenção integral à saúde da criança - introdução para médico

Souza, Ana Izabel Jatobá de; Döhms, Marcela Ceci; Carcereri, Daniela Lemos; Tognoli, Heitor; Garcia, Leandro Pereira; Cutolo, Luiz Roberto Agea; Delziovo, Carmem Regina
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde da criança: introdução para médico. Unidade 1 do módulo 11 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html c
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Tópico 1 – Introdução O tópico mostra como SUS recebeu do ECA (1990) a atribuição especial de promover à criança e ao adolescente os direitos à Atenção Integral, exigindo dos profissionais envolvimento redobrado, ampliando olhar além das questões clínicas. Apresenta a Agenda de Compromissos para a Saúde Integral da Criança e da Redução da Mortalidade Infantil (2004), as estratégias de vigilância de saúde, as ações intersetoriais de educação e atendimento, além das principais estratégias de distribuição de renda: Bolsa Família e Brasil Carinhoso, com 3 eixos de ação: Bolsa Família, creches e ampliação da cobertura de saúde. Apresenta, também, ações como: Amamenta e alimenta Brasil, Rede Cegonha e a Estratégia Nacional de Promoção complementar de Alimentação Saudável (ENPACS). Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde da criança: introdução para médico. Unidade 1 do módulo 11 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família.; 2.0; Ministério da Saúde/OPAS/OMS

Módulo clínica da atenção primária a saúde I

Universidade Aberta do SUS - UNA-SUS; Universidade do Estado do Rio de Janeiro_UERJ
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Backup moodle em html do curso de especialização saúde da família- módulo clínica da atenção primária a saúde I.
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
O Curso de especialização saúde da família, no módulo a clínica da atenção primária à saúde I: abordagem centrada da pessoa, abordagem familiar e assistência domiciliar aborda o cuidado em saúde com base no paradigma da integralidade biopsicossocial e na atenção integral à saúde na atenção primária à saúde.; versão 2.0; Ministério da Saúde do Brasil

Organização da Atenção à Saúde : Sistemas de Saúde no Brasil e no mundo

de Souza, Aline Corrêa
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Slides coloridos
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Aula abordando a questão dos Modelos assistenciais.; Ministério da Saúde

Organização da atenção à saúde : núcleo de apoio à saúde da família

de Souza, Aline Corrêa
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Apresentação de slides colorida
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Aula que aborda Modelos Assistenciais; Ministério da Saúde

Especialização em saúde da família: módulo 1 : organização da atenção à saúde: práticas educativas em grupo

Torres, Aline Arrusul; de Sousa, Aline Iara; Dias, Valesca Inês Joana Pastore
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Slides coloridos
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Aula que aborda a questão Práticas Educativas em Grupo; Ministério da Saúde

Organização da atenção à saúde: Projeto de intervenção em um grupo

Torres, Aline Arrusul; de Sousa, Aline Iara; Dias, Valesca Inês Joana Pastore
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Slides coloridos
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Aula que aborda a questão do Projeto de Intervenção em um grupo nas Práticas Educativas; Ministério da Saúde

Organização da Atenção à Saúde: Coordenando um grupo educativo

Torres, Aline Arrusul; de Sousa, Aline Iara; Dias, Valesca Inês Joana Pastore
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Slides coloridos.
Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
Aula que aborda a questão Coordenando um grupo nas Práticas Educativas; Ministério da Saúde

Apoio matricial em saúde mental na atenção primária à saúde: uma análise da produção científica e documental

Bonfim,Iris Guilherme; Bastos,Evelyne Nunes Ervedosa; Góis,Cezar Wagner de Lima; Tófoli,Luis Fernando
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
75.79%
O desafio da efetivação da integralidade da atenção no Sistema Único de Saúde (SUS) favorece a discussão sobre o apoio matricial (AM) para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e evidencia a necessidade de mais estudos sobre o tema. Neste artigo analisa-se criticamente o apoio matricial por meio de publicações em periódicos e documentos do Ministério da Saúde, especialmente aqueles focados no apoio matricial em saúde mental (SM) na atenção primária. O material estudado enfatiza a importância da articulação entre a SM e a atenção primária, embora também indique que o AM em SM faz parte de um modelo de atenção à saúde em construção e novos aportes teórico-práticos e estudos avaliativos são indispensáveis para seu aperfeiçoamento.