Página 22 dos resultados de 12165 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

ASPECTOS MORFOANATÔMICOS DE FRUTOS DE TOMATEIRO CULTIVAR ÂNGELA GIGANTE, SUBMETIDOS A TRATAMENTOS COM REGULADORES VEGETAIS

MARTINS,MARIA BERNARDETE GONÇALVES; CAMARGO E CASTRO,PAULO ROBERTO DE
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1997 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O presente trabalho teve como finalidade obter dados morfológicos de frutos de tomateiro, Lycopersicon esculentum Mill. `Ângela Gigante', submetidos à ação de reguladores vegetais, em dois ensaios que ocorreram em épocas distintas, em casa de vegetação. As mudas foram selecionadas e transplantadas para vasos com capacidade de 12 L de terra, contendo uma mistura de solo argiloso, areia, matéria orgânica e uma adubação mineral complementar de N, P, K. No segundo ensaio, após o transplante das mudas, além da adubação mineral complementar de N, P, K, efetuaram-se adubações adicionais (fertirrigação). Em ambos os ensaios, quando as plantas atingiram quatro folhas definitivas, realizaram-se as pulverizações com giberelina, GA3 50 mg/L; ácido naftalenacético, NAA 100 mg/L; cloreto (2-cloroetil) trimetilamônio, CCC 1.500 mg/L e ácido succínico -2,2 dimetil-hidrazida, SADH 3.000 mg/L. Em relação aos estudos anatômicos, observou-se que os tratamentos com retardadores vegetais (CCC e SADH) produziram frutos firmes, com formato tipo barril e ombros salientes; entretanto, em seção transversal, notou-se perda de viscosidade e atrofia de sementes, principalmente nos frutos de plantas tratadas com SADH. Os tratamentos com NAA e GA3 causaram eventual formação de frutos geminados. O tratamento com GA3 apresentou o parênquima do pericarpo com grãos de amido em processo de fragmentação...

Fenologia da goiabeira 'Paluma' sob diferentes sistemas de cultivos, épocas e intensidades de poda de frutificação

Serrano,Luiz Augusto Lopes; Marinho,Cláudia Sales; Lima,Inorbert de Melo; Martins,Marlon Vagner Valentim; Ronchi,Cláudio Pagotto; Tardin,Flávio Dessaune
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes épocas e intensidades de poda de frutificação sobre a fenologia da goiabeira 'Paluma', em dois sistemas de cultivo, em Pedro Canário (ES). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, em esquema de parcelas sub-subdivididas. As parcelas foram os sistemas de cultivo irrigado e sequeiro; as subparcelas foram as épocas de poda (10/11/2005, 9/12/2005, 13/1/2006 e 10/2/2006); e as sub-subparcelas foram as intensidades de poda (curta, média e longa). O ciclo da goiabeira 'Paluma', entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 182 (poda em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). A queda fisiológica dos frutos ocorreu até os 56 dias após o final do florescimento. A irrigação e a poda longa proporcionaram maior brotação e estabelecimento dos ramos. As plantas submetidas à poda longa em fevereiro produziram maior número de frutos por ramo. Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda curta apresentaram menor número de frutos por ramo e menor índice de pegamento de frutos. A irrigação e as podas realizadas em dezembro e janeiro favoreceram a produção de frutos maiores.

Preparo de amostras e métodos para a determinação do teor de óleo essencial de frutos de limoeiro

Grassi Filho,Hélio; Penteado,Bruna Badra; Santos,Carlos Henrique dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
Objetivou-se avaliar alternativas de preparo da amostra e os métodos quantitativos para a determinação do teor de óleo em frutos de limão. Os tratamentos foram avaliados por meio do delineamento estatístico inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x2x6, com quatro repetições, sendo duas variedades-copa de limoeiro verdadeiro ('Siciliano' e 'Eureka'), dois métodos analíticos para a determinação do teor de óleo (Scott e Clevenger) e seis formas de preparo dos frutos para análise (análise do fruto inteiro; frutos cortados na longitudinal e análise de ¼; frutos cortados na longitudinal e análise de ¹/2; frutos cortados ao meio e análise da parte superior; frutos cortados ao meio e análise da parte inferior; e análise de ²/8 do fruto). O método denominado de Clevenger foi o mais eficiente na determinação do teor de óleo essencial, e as formas de preparo de amostras ½ inferior, ½ superior, ¼ longitudinal e ½ longitudinal dos frutos proporcionaram valores superiores de óleo essencial.

Qualidade e potencial de conservação pós-colheita dos frutos em cultivares brasileiras de goiabeira-serrana

Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Steffens,Cristiano André; Benincá,Thalita Dal Toé; Hackbarth,Crizane; Santos,Karine Louise dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
Foi avaliada a manutenção da qualidade pós-colheita dos frutos em cultivares brasileiras de goiabeira-serrana. Frutos das cultivares Alcântara, Helena, Mattos e Nonante foram colhidos na maturação comercial, no município de São Joaquim-SC, e armazenados a 4±1 ºC (90±5% UR), durante 21 dias, seguido de 8 e 48 h a 23±1 ºC (75±5% UR). Foram avaliadas a composição mineral (N, K, Mg e Ca) na colheita e a qualidade dos frutos na colheita e após o armazenamento. Frutos da cultivar Nonante apresentaram na colheita maiores valores de acidez titulável (AT) pH e de atributos de textura, e menores valores de pH e da relação sólidos solúveis/acidez titulável (SS/AT), sendo que, após o armazenamento refrigerado, este comportamento foi reduzido, com menores diferenças em relação às demais cultivares. Frutos de 'Nonante' apresentaram também maiores teores de K na casca e polpa, e menores teores de N na polpa e, após o armazenamento refrigerado, cor verde menos intensa na casca e menor escurecimento de polpa. Em relação aos dados de colheita, após o armazenamento refrigerado, houve maior redução na AT (41%) do que no teor de SS (8,6%), o que ocasionou acentuado aumento na relação SS/AT (52,5%), considerando valores médios das quatro cultivares. Isto evidencia que...

Crescimento dos frutos de laranjeira 'Salustiana' situados em ramos anelados com diversas relações de folhas/frutos

Siqueira,Dalmo Lopes de; Guardiola,José Luiz; Souza,Emanuel Fernando Maia de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
A relação entre a área foliar e o crescimento dos frutos é um tema que freqüentemente recebe a atenção dos pesquisadores, por influenciar diretamente na produtividade das plantas e na qualidade dos frutos. Neste trabalho, avaliou-se o efeito da área foliar sobre o crescimento dos frutos da laranjeira 'Salustiana'. Foram utilizados ramos com 12 meses de idade e com apenas um fruto terminal. Os ramos foram anelados visando a manter diversas relações de folhas/fruto. Avaliaram-se, semanalmente, o crescimento dos frutos e os teores de amido presentes nas folhas durante um período de 42 dias. O crescimento dos frutos, avaliado na "fase de crescimento II", dependeu da área foliar disponível por fruto, sendo que 30 folhas foram suficientes para garantir o seu crescimento. As reservas de amido nas folhas dependeram da área foliar disponível por fruto e reduziram à medida que os frutos apresentaram aumentos no diâmetro e nas massas fresca e seca.

O pessegueiro no sistema de pomar compacto: IV. Intensidade e época de raleio dos frutos dos cultivares Tropical e Aurora-1

Barbosa,Wilson; Campo-Dall'orto,Fernando Antonio; Ojima,Mário; Martins,Fernando Picarelli; Igue,Toshio
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1991 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
A intensidade e a época do raleio dos frutos do pessegueiro podem influenciar diretamente a qualidade do produto, razão pela qual foram pesquisadas em um pomar compacto (4.167 plantas por hectare), sob poda drástica anual de renovação da copa. O experimento foi executado na Estação Experimental de Jundiaí (23°08'S e 46°55'W), do Instituto Agronômico (IAC), sob clima do tipo Cwa, mesotérmico úmido, também denominado de tropical de altitude, com cerca de 80 horas anuais de frio abaixo de 7°C. Utílizaram-se os cultivares Tropical, de maturação bem precoce (fins de setembro), e Aurora-1, de maturação precoce (meados de outubro). Efetuou-se o raleio com 30, 40 e 50 dias pós-antese (DPA), deixando-se 30, 60 e 90 frutos por planta. Os melhores resultados, reunindo fatores qualitativos e quantitativos, foram obtidos no raleio aos 30 DPA, mantendo-se 60 frutos por planta. Neste tratamento, o 'Tropical' apresentou frutos com peso médio de 60,9 gramas, o que equivale à produção de 3,654kg/planta (15,2t/ha); com o 'Aurora-1', o peso médio dos frutos foi de 72,0 gramas, correspondendo à produção de 4,320kg/planta (18,0t/ha). Aqualidade final do produto diminuiu à medida que se atrasou a época do raleio e...

Relação entre características morfológicas de frutos e incidência de podridão carpelar em clones de macieira 'Gala' e 'Fuji' sobre diferentes porta-enxertos

Silveira,Fabiane Nunes; Kretzschmar,Aike Anneliese; Rufato,Leo; Bogo,Amauri; Fioravanço,João Caetano
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
A podridão carpelar tem-se tornado uma importante doença no Brasil, deixando de ser considerada uma doença secundária dentro do grupo das doenças de verão. O desenvolvimento e o formato dos frutos podem ser influenciados por eventos climáticos que ocorrem durante o período de polinização e frutificação da macieira. Além de outros fatores como nutrição das plantas, manejo da condução, tipo de porta-enxerto e cultivar copa. As alterações no formato dos frutos advindas destes fatores podem influenciar no aumento da intensidade da doença. O objetivo deste trabalho foi relacionar características morfológicas de frutos com a incidência de podridão carpelar, em clones de macieira, utilizando diferentes porta-enxertos, durante os ciclos de produção de 2009/2010 e 2010/2011, no município de Vacaria, no Estado do Rio Grande do Sul. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, em arranjo fatorial 9 x 2, com nove clones das cultivares Gala e Fuji e dois porta-enxertos EM-9 e Marubakaido com interenxerto de EM-9. As características morfológicas dos frutos avaliados foram: relação entre comprimento e diâmetro de frutos (C/D), distância entre lóbulos, abertura calicinar, comprimento do tubo calicinar, número de sementes e classe de sintomas da doença nos carpelos. A doença não foi identificada nos clones da cultivar Gala...

Produtividade e qualidade de frutos do maracujazeiro-amarelo submetido à poda de ramos produtivos

Hafle,Oscar Mariano; Ramos,José Darlan; Lima,Luiz Carlos de Oliveira; Ferreira,Ester Alice; Melo,Paulo César de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
A determinação da forma inicial a ser dada a uma planta é decisia para o manejo cultural e fitosanitário, assim como apresenta efeitos na produtividade e qualidade dos frutos colhidos. O presente trabalho teve como objetivo estabelecer o número adequado de ramos produtivos (terciários) e conhecer o seu efeito na produção, produtividade e qualidade dos frutos de maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg.). O experimento foi instalado e conduzido em pomar comercial no município de Lavras-MG (21º 14' S; 45º 58' W; 910 m de altitude), entre os meses de setembro de 2005 a julho de 2006, utilizando plantas oriundas de sementes, plantadas no espaçamento de 4m entre plantas e 3m entre as linhas, conduzidas em espaldeira vertical com um fio de arame na altura de 180 cm. Os tratamentos constaram de diferentes números de ramos produtivos, sendo eles: 40; 30; 24; 20 e 14 ramos por planta. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados, com quatro repetições, sendo a parcela composta por três plantas. Avaliaram-se a produtividade e o rendimento de suco (t/ha), número de frutos por planta, peso médio dos frutos, diâmetro longitudinal e transversal do fruto (mm), espessura da casca (mm), porcentagem de casca...

Caracterização física e química de melão durante o seu desenvolvimento

Aroucha,Edna Maria Mendes; Morais,Francisco Alexandro de; Nunes,Glauber Henrique Sousa; Tomaz,Halan Vieira de Queiroz; Sousa,Aline Ellen Duarte de; Neto,Francisco Bezerra
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O objetivo deste trabalho foi estudar algumas alterações físicas e químicas durante o desenvolvimento de frutos de melão de quatro cultivares. Para isto foram plantadas quatro cultivares de melão na área experimental do Departamento de Ciências Vegetais da Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA, onde foram monitorados os períodos da antese. O delineamento experimental foi em blocos completos casualizados, com três repetições, em esquema de parcela subdividida. As parcelas foram constituídas pelas cultivares de melão ('AF 1749', Hy-Mark, Rochedo e Caipira) e as subparcelas pelas idades dos frutos (14; 21; 28; 35 e 42 dias após a antese). Quatro frutos por subparcela foram colhidos nestas idades e foram analisados quanto à massa média, firmeza, sólidos solúveis, acidez total, vitamina C e pH. Verificou-se interação significativa entre os fatores estudados (idades x cultivares) para massa média dos frutos, firmeza de polpa, acidez total, pH, vitamina C e sólidos solúveis. A massa dos frutos, firmeza, sólidos solúveis, pH e Vitamina C aumentaram, e a acidez diminuiu durante o desenvolvimento dos frutos.

Uso de aminoetoxivinilglicina na maturação e queda pré-colheita de maçãs 'Imperial Gala'

Hawerroth,Fernando José; Petri,José Luiz; Leite,Gabriel Berenhauser; Couto,Marcelo
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O uso de técnicas de controle da maturação dos frutos é fundamental na produção de macieiras 'Gala', no intuito de aumentar a capacidade de conservação dos frutos e diminuir a queda de frutos em pré-colheita. Objetivou-se, com este trabalho, avaliar o efeito de diferentes doses, épocas de aplicação e parcelamento de aplicações de aminoetoxivinilglicina (AVG), sobre a maturação e queda pré-colheita de maçãs 'Imperial Gala'. O experimento foi conduzido em pomar comercial, no município de Fraiburgo/SC. Utilizando-se o delineamento em blocos casualizados, com cinco repetições, compostas por uma planta cada, foram avaliados os seguintes tratamentos: 1. testemunha (sem aplicação); 2. 120 g ha-1 de AVG, aplicados 4 semanas antes do ponto de colheita presumido (SAPC); 3. 60 g ha-1 de AVG (4 SAPC) + 60 g ha-1 de AVG (2 SAPC); 4. 30 g ha-1 de AVG (2 SAPC) + 30 g ha-1 de AVG no ponto de colheita (PC); 5. 90 g ha-1 de AVG (2 SAPC); 6. 30 g ha-1 de AVG (1 SAPC) + 30 g ha-1 de AVG (ponto de colheita - PC) + 30 g ha-1 de AVG (7 dias após o ponto de colheita - DAPC). O uso de AVG, independentemente da época, concentração e parcelamento das aplicações, reduziu a queda pré-colheita de maçãs 'Imperial Gala'. O grau de amarelamento da epiderme dos frutos mostra-se menor em frutos tratados com AVG. O atraso no início da colheita...

Características físico-químicas de cultivares de macieiras pouco exigentes em frio

Oliveira,Dili Luiza de; Alvarenga,Ângelo Albérico; Gonçalves,Emerson Dias; Malta,Marcelo Ribeiro
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O sul do Brasil é a região brasileira com mais tradição na produção de maçãs. Contudo, novos cultivares menos exigentes em frio estão viabilizando os cultivos em outras regiões do Brasil, como no Estado de Minas Gerais, onde a cultura encontra-se em franca expansão. Os atributos físico-químicos dos frutos são importantes, tanto para a industrialização, quanto para o consumo dos frutos in natura. Neste sentido, objetivou-se, com este trabalho, realizar a caracterização físico-química de maçãs de oito cultivares, pertencentes à coleção estabelecida na Serra da Mantiqueira, sul de Minas Gerais. O experimento foi conduzido em pomar experimental, na Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais EPAMIG, na cidade de Maria da Fé, sul de Minas Gerais. Foram analisados frutos de macieira de oito cultivares (Michal, Ein Shemer, Soberana, Galícia, Eva, IAC 2079, Condessa e Anna) oriundos de plantas com seis anos de idade. Foram avaliados: massa do fruto, diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, firmeza de frutos, acidez titulável (AT), sólidos solúveis (SS), relação SS/AT, pH e produção de frutos. Os cultivares 'Anna' e 'Condessa' produziram os maiores frutos; 'Eva' apresentou maior produção e frutos mais firmes; 'Anna'...

Remoção da adstringência de frutos de caquizeiro 'Giombo' sob diferentes períodos de exposição aovapor de álcool etílico

ANTONIOLLI,LUCIMARA ROGÉRIA; CASTRO,PAULO ROBERTO DE CAMARGO E; KLUGE,RICARDO ALFREDO; SCARPARE FILHO,JOÃO ALEXIO
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2000 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do período de exposição ao vapor de álcool etílico na remoção da adstringência de frutos de caquizeiro (Diospyros kaki L.) cultivar Giombo. Os frutos foram expostos ao vapor de álcool durante 24, 36 e 48 horas, sob temperatura de 20°C e 95% de umidade relativa. As características químicas e físicas dos frutos foram avaliadas durante dez dias, em intervalos de dois dias. As variáveis analisadas foram: teor de taninos solúveis, firmeza da polpa, perda de matéria fresca, pH, sólidos solúveis totais, acidez total titulável e teor de ácido ascórbico. De acordo com os resultados obtidos, os períodos de 24 e 36 horas demonstraram ser igualmente eficientes no processo de remoção da adstringência dos frutos; no entanto, a avaliação das demais características indicou melhor qualidade dos frutos expostos durante o período de 24 horas. Constatou-se uma diminuição linear na firmeza da polpa em função do tempo. O melhor período para consumo dos frutos situou-se entre o 4°e o 8° dia após o tratamento, considerando-se que a partir do 4° dia a concentração de taninos solúveis ficou abaixo de 0,1%, imperceptível ao paladar, e a firmeza da polpa dos frutos se manteve aceitável durante o período de oito dias posteriores ao tratamento.

Incidência de cancro cítrico e produção e qualidade de frutos em laranjeira-de-umbigo 'Monte Parnaso' enxertada sobre sete porta-enxertos; Incidence of citrus canker and production and fruit quality of "Monte Parnaso" navel oranges grafted onto seven different rootstocks

Reis, Bernadete
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
Os citros são suscetíveis a um grande número de doenças, destacando-se o cancro cítrico (CC), causado por Xanthomonas citri pv. citri (Schaad et al., 2000), considerada como praga quarentenária A2. O CC ataca todas as espécies e variedades de citros, variando na intensidade. Este trabalho objetivou avaliar possíveis influências dos porta-enxertos sobre a produção de frutas e ataque de CC na copa da laranjeira-de-umbigo ‘Monte Parnaso’ (Citrus sinensis (L.) Osb.) enxertadas sobre sete porta-enxertos, com 10 anos de idade e espaçamento de 2,5 x 6m num pomar experimental no Município de Butiá, localizado na Depressão Central, RS. Os tratamentos constaram dos seguintes porta-enxertos: limoeiros ‘Cravo’ (C. limonia Osb.) e ‘Volkameriano’ (C. volkameriana Pas.); P. trifoliata ‘Flying Dragon’; laranjeira ‘Caipira’ (C. sinensis (L.) Osb.); citrangeiro ‘Troyer’ (C. sinensis x P. trifoliata); tangerineira ‘Sunki’ (C. reticulata Blanco) e citrumeleiro ‘Swingle’ (C. paradisi x P. trifoliata) e os parâmetros avaliados foram: número de folhas com lesões de CC em toda a planta e em ramos selecionados, incidência de CC em frutos, crescimento das plantas, índices de produtividade e qualidade dos frutos. Verificou-se que a predisposição de CC...

Fenologia da goiabeira 'Paluma' sob diferentes sistemas de cultivos, épocas e intensidades de poda de frutificação.

SERRANO, L. A. L.; MARINHO, C. S.; LIMA, I. de M.; MARTINS, M. V. V.; RONCHI, C. P.; TARDIN, F. D.
Fonte: Bragantia, Campinas, v. 67, n. 3, p. 701-712, 2008. Publicador: Bragantia, Campinas, v. 67, n. 3, p. 701-712, 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes épocas e intensidades de poda de frutificação sobre a fenologia da goiabeira 'Paluma', em dois sistemas de cultivo, em Pedro Canário (ES). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, em esquema de parcelas sub-subdivididas. As parcelas foram os sistemas de cultivo irrigado e sequeiro; as subparcelas foram as épocas de poda (10/11/2005, 9/12/2005, 13/1/2006 e 10/2/2006); e as sub-subparcelas foram as intensidades de poda (curta, média e longa). O ciclo da goiabeira 'Paluma', entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 182 (poda em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). A queda fisiológica dos frutos ocorreu até os 56 dias após o final do florescimento. A irrigação e a poda longa proporcionaram maior brotação e estabelecimento dos ramos. As plantas submetidas à poda longa em fevereiro produziram maior número de frutos por ramo. Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda curta apresentaram menor número de frutos por ramo e menor índice de pegamento de frutos. A irrigação e as podas realizadas em dezembro e janeiro favoreceram a produção de frutos maiores.; 2008

Qualidade de frutos de cultivares de nespereira em função do ensacamento em diferentes estádios de desenvolvimento

Grassi,Alexandre Manzoni; Scarpare Filho,João Alexio; Chagas,Edvan Alves; Pio,Rafael; Pasqual,Moacir; Tizato,Leandro Henrique Guglielmin; Chagas,Pollyana Cardoso
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O ensacamento é uma operação de extrema importância no cultivo da nespereira por proporcionar qualidade à colheita de frutas, além de permitir uma minimização na utilização de produtos químicos. Entretanto, ainda existe carência de informações quanto ao momento adequado de realizar a operação, principalmente considerando-se o estádio limite de ensacamento em que se podem obter frutos de qualidade comercial. Em função do exposto, objetivou-se avaliar a qualidade dos frutos ensacados de cultivares de nespereiras em diferentes estádios. Avaliaram-se as cultivares 'Mizuho', 'Mizumo', 'Mizauto', 'Centenária', 'Néctar de Cristal' e a seleção IAC NE-3 a três estádios de ensacamento, ou seja, quando os diâmetros médios deles atingiram 0,5cm, 1,0cm e 1,5cm. Após os frutos atingirem o tamanho de acordo com cada tratamento, realizou-se o ensacamento das panículas, utilizando papel jornal. Quando maduros, os frutos foram colhidos e avaliados quanto ao comprimento, diâmetro e massa do fruto, presença de danos internos e externos. O ensacamento em diferentes estádios de desenvolvimento interferiu na qualidade dos frutos de nespereira. Frutos ensacados com diâmetros entre 0,5 e 1,0cm foram os que apresentaram a melhor qualidade comercial. A seleção IAC NE-3 se destacou entre as nespereiras quanto às dimensões dos frutos.

Atributos do solo e qualidade de frutos nos sistemas convencional e orgânico de produção de maçãs no Sul do Brasil1

Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Rosa,Eliete de Fátima Ferreira da; Albuquerque,Jackson Adriano; Klauberg Filho,Osmar; Steffens,Cristiano André
Fonte: Universidade Federal do Ceará Publicador: Universidade Federal do Ceará
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O presente estudo teve como objetivo avaliar as características físicas, químicas e biológicas do solo, a composição mineral e a qualidade de frutos, em pomares de maçãs 'Royal Gala' conduzidos sob os sistemas de produção convencional (CON) e orgânico (ORG), em um Nitossolo Háplico. Na linha de cultivo das plantas, o solo no ORG apresentou melhor qualidade física (maiores valores de estabilidade dos agregados, condutividade hidráulica saturada e porosidade total, e menor densidade), química [menor acidez e maiores valores de Ca e Mg trocáveis, carbono orgânico total (COT) e nitrogênio total (NT)] e biológica [maiores valores de carbono da biomassa microbiana (Cmic) e relação Cmic/COT], na camada de 0-20 cm, quando comparado ao CON. Como no ORG não foram utilizados produtos químicos sintéticos para a superação de dormência, a colheita comercial dos frutos ocorreu um mês após o CON. Apesar desta diferença na época de colheita...

Efeito da aplicação de etileno na qualidade pós-colheita de frutos de pimentão vermelhos e amarelos

Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
O extenso período para a maturação do pimentão faz com que a colheita antecipada seja alvo de interesse por parte dos produtores. Entretanto, para a comercialização é necessário que os frutos apresentem no mínimo 70% da sua coloração. Uma forma de promover o aparecimento da cor seria submeter os frutos à ação de etileno. Neste trabalho estudou-se a aplicação do gás etileno na pós-colheita de frutos de pimentão 'Rubia R' (frutos vermelhos) e 'Prador R' (frutos amarelos), que foram coletados quando apresentavam 15% de sua superfície colorida. O gás (120 µL L-1) foi aplicado a cada 6 horas durante 88 horas, em câmara mantida a 22ºC e 80% de UR, onde os frutos estavam dispostos em prateleiras. O etileno acelerou o aparecimento da cor e promoveu aumento no teor de sólidos solúveis nos pimentões 'Rubia R'. Os valores de ácido ascórbico, acidez titulável e pH dos frutos não sofreram alterações com a aplicação do gás para ambas as cultivares.

Produtividade de híbridos de abobrinha italiana cultivados sob diferentes coberturas de solo

Olinik,JR; Oliveira Júnior,A; Kepp,MA; Reghin,MY
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
Um experimento foi realizado na empresa Sakata Seed Sudamerica Ltda., em Bragança Paulista-SP, de 22 de agosto a 11 de outubro de 2006, com o objetivo de avaliar diferentes tipos de materiais para cobertura do solo e seu efeito na ocorrência de frutos com sintomas de viroses e na produtividade de dois híbridos de abobrinha. O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram arranjados em esquema de parcelas subdivididas, sendo as parcelas constituídas por seis tipos de cobertura de solo (polietileno preto, polietileno prata, polietileno branco, polipropileno preto, casca de arroz e solo descoberto); as sub-parcelas foram constituídas de dois híbridos de abobrinha [Novita Plus (cv. tipo caserta) e Samira (cv. tipo libanesa)]. Observou-se que a técnica de cobertura de solo com plástico, independentemente da coloração utilizada, mostrou-se superior ao solo descoberto para todas as características avaliadas. Entre os tipos de materiais coube o destaque para o polietileno prata que promoveu a maior produtividade e menor infecção de viroses, em relação às demais coberturas de solo. Entre os híbridos, Novita Plus foi superior a Samira para as características de pegamento de frutos...

Comportamento da força de desprendimento dos frutos de cafeeiros ao longo do período de colheita

Silva,Flávio Castro da; Silva,Fábio Moreira da; Alves,Marcelo de Carvalho; Barros,Murilo Machado de; Sales,Ronan de Souza
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
A fim de se realizar a colheita seletiva do café de forma mais eficiente, quando são retirados preferencialmente os frutos maduros, é necessário que haja parâmetros objetivos para nortear a correta regulagem da colhedora em termos de vibração e velocidade operacional. Um possível parâmetro objetivo pode ser a força de desprendimento dos frutos de café. Para esta determinação foi necessário o desenvolvimento e construção de um dinamômetro portátil para a coleta dos dados de campo. Sua construção e calibração foi realizada no Laboratório de Protótipos do Departamento de Engenharia da UFLA. Os ensaios de força de desprendimento dos frutos foram realizados na Fazenda Capetinga, município de Boa Esperança na safra 2006/2007. As cultivares utilizadas nas avaliações foram: 'Mundo Novo IAC 376/4', 'Catuaí amarelo IAC 99' e 'Icatú IAC 3282', transplantadas no espaçamento 4,0 x 1,0 m com população média de 2,5 mil plantas por hectare. Os ensaios foram realizados com três repetições, utilizando-se o delineamento inteiramente casualizado (DIC) dentro de uma mesma gleba, em parcelas aleatórias, contendo cinco plantas. Buscou-se levantar a força de desprendimento dos frutos de café na planta de acordo com a maturação dos frutos...

Produção de frutos de morango em função de diferentes períodos de vernalização das mudas

Oliveira,Roberto P de; Scivittaro,Walkyria B
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
26.778096%
Avaliou-se a produção de frutos de morango da cv. Camarosa em função de diferentes períodos de vernalização das mudas, comparando-a com a de mudas importadas. O experimento foi realizado em Pelotas, utilizando sistema de produção sob túnel. O transplante foi realizado em 18/05/06, utilizando-se mudas produzidas no sul do Rio Grande do Sul, vernalizadas por 0; 7; 14; 21 e 28 dias (4±1ºC, 94±2% UR), e mudas não vernalizadas do Chile. Os tratamentos foram dispostos em delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições. A unidade experimental foi constituída por 21 plantas, avaliadas quanto à produção, número de frutos por planta e massa média dos frutos ao longo de 20 semanas (agosto a dezembro de 2006). As mudas chilenas proporcionaram maiores produção e número de frutos do que as produzidas no RS na ausência de vernalização (1.038,3 e 491,7 g planta-1; 55,1 e 34,3 frutos planta-1, respectivamente). A vernalização das mudas nacionais por cerca de 24 dias otimizou a produção e o número de frutos (1.023,1 g planta-1; 55,6 frutos planta-1). As mudas produzidas no RS apresentaram maior produção em novembro e dezembro, enquanto as chilenas em outubro e novembro.