Página 27 dos resultados de 12165 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Efeito da frequência e amplitude de vibração sobre a derriça de frutos de café

Santos,Fábio L.; Queiroz,Daniel M. de; Pinto,Francisco de A. de C.; Resende,Ricardo C. de
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Parâmetros de qualidade podem alterar significativamente o preço do café; entretanto, a colheita seletiva dos frutos é frequentemente associada à boa qualidade do produto, procedimento que pode ser realizado por meio de vibrações mecânicas. Desta forma, o estudo e a avaliação do efeito localizado de fatores como frequência, amplitude e grau de maturação dos frutos, são fundamentais para construção de máquinas adequadas a este tipo de prática. O trabalho foi desenvolvido com o objetivo de se avaliar os fatores frequência, amplitude, grau de maturação, direção de excitação e número de frutos por pedúnculo, na eficiência de derriça. Para a realização dos ensaios de vibração em laboratório utilizou-se uma máquina vibradora eletromagnética. Amplitudes na faixa de 3,75 a 7,50 mm e frequências na faixa de 13,33 a 26,67 Hz foram testadas para a variedade Mundo Novo, em que os resultados mostraram que a frequência de 26,67 Hz apresentou uma eficiência maior de derriça para os frutos cereja e a amplitude de 7,5 mm indicou maior eficiência de derriça. Verificou-se, também, que o número de frutos por pedúnculo influencia a eficiência de derriça dos frutos de café da variedade Mundo Novo.

Isotermas de dessorção e calor isostérico dos frutos de crambe

Costa,Lílian M.; Resende,Osvaldo; Oliveira,Daniel E. C. de
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Neste trabalho objetivou-se determinar as isotermas de sorção dos frutos de crambe e obter os valores do calor isostérico de dessorção em função do teor de água de equilíbrio. Para obtenção do teor de água de equilíbrio higroscópico utilizaram-se os frutos de crambe com teor de água inicial de 26,0 (% base seca) e o método estático-gravimétrico e, para cada repetição, foram colocados 10 g de frutos envolvidos por um tecido permeável para permitir o contato do ar com o produto e colocados no interior dos dessecadores enquanto para o controle da umidade relativa no interior dos dessecadores foram utilizadas soluções saturadas. Os dessecadores foram colocados em câmara incubadora tipo B.O.D. regulada para as temperaturas de 25, 30, 35 e 40 °C. O teor de água de equilíbrio higroscópico dos frutos de crambe é diretamente proporcional à atividade de água e decresce com o aumento de temperatura, para um mesmo valor de umidade relativa de equilíbrio. Baseando-se em parâmetros estatísticos os modelos de Copace e Oswin Modificado são os que melhor representam a higroscopicidade dos frutos de crambe quando comparados com os demais modelos testados. O calor isostérico aumenta com a diminuição do teor de água de equilíbrio sendo necessária uma quantidade maior de energia para retirar a água dos frutos de crambe.

Componentes qualitativos do cajá em sete municípios do brejo paraibano

Cavalcante,Lourival Ferreira; Lima,Ely Martins de; Freire,José Lucínio de Oliveira; Pereira,Walter Esfraim; Costa,Antônio de Pádua Moura da; Cavalcante,Ítalo Herbert Lucena
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
A cajazeira (Spondias mombin L.) é uma frutífera nativa com expressivo potencial agroindustrial no Nordeste brasileiro, em razão das qualidades sensoriais dos seus frutos, sendo uma espécie com possibilidade de cultivos comerciais mais extensivos. Neste sentido, objetivou-se avaliar as características físicas e químicas de frutos de cajazeira visando o consumo in natura e agroindústria oriundos de plantas espontâneas localizadas nos municípios de Alagoa Grande, Alagoa Nova, Areia, Bananeiras, Borborema, Pilões e Serraria, localizados na Microrregião do Brejo Paraibano. Os tratamentos foram representados por sete municípios, nos quais foram selecionados 5 (cinco) plantas espontâneas (repetições) e em cada uma foram colhidos 30 (trinta) frutos maduros, totalizando 150 (cento e cinqüenta) frutos por município estudado avaliados em delineamento inteiramente casualizado. Os frutos foram avaliados quanto aos atributos externos e internos: massa, diâmetro transversal e comprimento das sementes, porcentagens de polpa, casca e semente, umidade (%), teor de sólidos solúveis e pH da polpa. Conclui-se que os frutos de cajá avaliados apresentam massa variável de 8,36 a 20,4 g, com teores de sólidos solúveis e pH dentro dos padrões mercadológicos e rendimento em polpa...

Intensidade de raleio de frutos em pessegueiro flordaprince conduzidos em pomar com alta densidade de plantio.

SCARPE FILHO, J.A.; MINAMI, K.; KLUGE, R.A.
Fonte: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.35, n.6, p.1109-13, jun.2000. Publicador: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, v.35, n.6, p.1109-13, jun.2000.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
O objetivo deste trabalho foi verificar o comportamento de pessegueiros (Prunus persica (L.) Batsch.) cultivar Flordaprince, conduzidos em pomar com alta densidade (3.333 plantas/ha), submetidos a diferentes intensidades de raleio manual de frutos. Os tratamentos utilizados foram 120, 100 e 80 frutos por planta, e o controle sem raleio (230 frutos por planta). As plantas submetidas ao raleio produziram frutos significativamente maiores e mais pesados do que os do controle. A produção por planta (kg) e a produtividade estimada (t/ha) foram maiores nas plantas sem raleio, mas a classificação comercial e a receita bruta (R$/ha) desse tratamento foram menores, devido ao menor tamanho e peso dos frutos. Os tratamentos 100 e 80 frutos por planta (56,52% e 65,21% de raleio, respectivamente) apresentaram os melhores resultados.; 2000

Avaliação de populações segregantes de melancia visando à obtenção de linhagens prolíficas e de frutos pequenos.

SOUZA, F. de F.; QUEIROZ, M.A. de.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 42.; CONGRESSO LATINO AMERICANO DE HORTICULTURA, 11., 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 2, jul. 2002. Suplemento 2. CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 42.; CONGRESSO LATINO AMERICANO DE HORTICULTURA, 11., 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 2, jul. 2002. Suplemento 2. CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
o presente trabalho objetivou avaliar quatro populações F2 de melancia quanto à ocorrência de plantas prolíficas de frutos pequenos e alto teor de açúcar. O experimento foi conduzido na Estação Experimental da Embrapa Semi-Árido, em Petrolina-PE. Foram avaliadas 376 plantas F2, obtidas a partir do cruzamento dos acessos PE-14 e BA-09 com os cultivares Crimson Sweet (CS), New Hampshire Midget (NHM) e Charleston Gray (CG). As plantas foram avaliadas quanto a prolificidade (NFP), peso de fruto (PMF) e teor de sólidos solúveis (TSS). A população PE-14xNHM compôs-se de 98 plantas, que produziram entre dois e 42 frutos/planta, com PMF entre 0,95 e 4,46kg e TSS entre 4,5 e 9,0°brix. A população BA- 09xNHM compôs-se de 93 plantas, que produziram entre um e 41 frutos/planta, com PMF entre 0,63 e 5,88kg e TSS entre 4,3 e 9,2°brix. A população BA-09xCS compôs-se de 92 plantas, que produziram entre um e 29 frutos/planta, com PMF entre 1,36 e 8, 18kg e TSS entre 4,9 e 10,8°brix. A população BA-09xCG compôs-se de 93 plantas, que produziram entre um e 33 frutos/planta, com PMF entre 1,48 e 8, 74kg e TSS entre 5,0 e 10,4°brix. Das quatro populações, foram selecionadas 45 plantas, que apresentaram NFP>5 frutos, PMF<6kg e TSS>8...

Caracterização morfológica dos frutos de três espécies de Passiflora.

MALHEIRO, M. G.; KIILL, L. H. P.; SIQUEIRA, K. M. M. de; MONTEIRO, S. P.; FEITOSA, E. de A.; BORGES, I. L.; MENEZES, D. R.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 2., 2007, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 2., 2007, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Este trabalho objetivou comparar as características qualitativas e quantitativas dos frutos de Passiflora edulis, P. cincinnata e P. alata. Para cada espécie, foram coletados 20 frutos para a avaliação de peso, comprimento, diâmetro, espessura da casca, teores de sólidos solúveis totais e o número de sementes. Os frutos de P. edulis são globosos, do tipo baga, de coloração verde, adquirindo cor amarela quando maduro, apresentando em média 284,50 sementes, das quais 90,9% são viáveis. A análise dos teores de sólidos solúveis totais mostraram que a polpa apresentou variações de 6,9 a 10,9oBrix. Os frutos P. cincinnata são globosos, com casca de coloração verde-claro, sementes pretas com arilo de cor creme, apresentando em média 430,75 sementes, das quais 94,0% são viáveis. Quanto aos teores de sólidos solúveis totais, foram encontrados valores entre 9,2 e 14,2oBrix. Já P. alata, apresenta frutos ovóides de coloração laranja, sementes pretas com arilo de cor creme, com, em média, 152,25 sementes/fruto, das quais 75,6% são viáveis. Quanto aos teores de sólidos solúveis totais, foram encontrados valores que variaram de 17,0 a 21oBrix. De modo geral, P. edulis apresentou baixa quantidade de sementes/fruto...

Atividade antioxidante e fitoquímicos em frutos de physalis (Physalis peruviana, L.) durante o amadurecimento e o armazenamento.

SEVERO, J.; LIMA, C. S. M.; COELHO, M. T.; RUFATO, A. de R.; ROMBALDI, C. V.; SILVA, J. A.
Fonte: Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 16, n. 1-4, p. 77-82, jan./dez. 2010. Publicador: Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 16, n. 1-4, p. 77-82, jan./dez. 2010.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Com o objetivo de avaliar o teor de compostos fitoquímicos (carotenóides e fenóis totais) e a atividade antioxidante, utilizando o radical ABTS, durante o madurecimento e o armazenamento, frutos de physalis (Physalis peruviana, L.) foram colhidos em cinco estádios de amadurecimento (1, 2, 3, 4 e 5) e, aqueles correspondentes ao estádio de amadurecimento 4, foram armazenados em atmosfera modificada passiva (AMP) em temperatura refrigerada (4°C ± 1°C) e ambiente (20°C ± 1°C), por 8 dias. Frutos de physalis apresentam significativos teores de carotenóides e fenóis, porém baixa atividade antioxidante. Os teores de carotenóides totais e de fenóis totais foram crescentes até o estádio de amadurecimento 4 e a atividade antioxidante foi superior em frutos nos estádios iniciais de amadurecimento. Os teores de carotenóides totais e de fenóis totais aumentaram durante o armazenamento, entretanto em menor intensidade nos frutos mantidos em AMP sob refrigeração. A atividade antioxidante decresceu após o 2° dia de armazenamento e manteve-se menor nos frutos armazenados sob AMP refrigerada. Não foi possível estabelecer correlação positiva entre os teores de carotenóides totais e fenóis totais e a atividade antioxidante dos frutos de physalis.; 2010

Influência do ambiente na diversidade de fungos associados a Hypothenemus hampei (Ferrari) (Coleoptera, Scolytidae) e frutos de Coffea canephora.

GAMA, F. de C.; TEIXEIRA, C. A. D.; GARCIA, A.; COSTA, J. N. M.; LIMA, D. K. S.
Fonte: Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 72, n. 3, p. 359-364, jul./set., 2006. Publicador: Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 72, n. 3, p. 359-364, jul./set., 2006.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Hypothenemus hampei, é uma importante praga do café no Brasil e no mundo. A maioria dos trabalhos referentes à associação entre este inseto e fungos teve como alvo a parte aérea de plantas de Coffea canephora. Estudos de campo foram realizados em plantios de C. canephora, em Ouro Preto do Oeste, Rondônia, para levantar a micota associada à broca e frutos de café. Brocas e galerias foram obtidas a partir da dissecção de frutos de C. canephora brocados e não brocados. Os resultados mostraram que existe uma grande diversidade de fungos associados aos insetos. Nas brocas do solo foram encontrados 110 isolados (10 gêneros) e na parte aérea 91 isolados (10 gêneros). Em relação aos frutos brocados (galerias) foram registrados 5 gêneros no solo e 2 na parte aérea e nos frutos não brocados estes valores foram 6 e 5, respectivamente. O "ambiente" solo mostrou maior riqueza que a "parte aérea", tanto para brocas como para frutos brocados. Em relação aos frutos não brocados esta diferença não foi significativa revelando ação da broca na dispersão destes microrganismos entre os dois ambientes. Este trabalho oferece uma descrição da micota associada à H. hampei em C. canephora e mostra a influência do ambiente na sua diversidade.; 2006

Qualidade da bebida de café de frutos cereja submetidos a diferentes manejos pós-colheita.

FAVARIN, J.L.; VILLELA, A.L.G.; MORAES, M.H.D.; CHAMMA, H.M.C.P.; COSTA, J.D.; DOURADO-NETO, D.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 39, n. 2, p. 187-192, fev. 2004. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 39, n. 2, p. 187-192, fev. 2004.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade da bebida de café obtida de frutos cereja submetidos a diferentes práticas de manejo pós-colheita, considerando-se infecções iniciadas na planta e persistentes durante o tempo de exposição às fontes infectantes. Admitiu-se que os grãos de cereja recolhidos na planta têm máximo potencial de qualidade da bebida, avaliada por meio de testes rápidos e análise sensorial. Foram adotados oito tratamentos, formados pela combinação de quatro manejos pós-colheita e frutos de café com e sem desinfecção por cloreto de benzalcônio. A qualidade da bebida de grãos de frutos cereja não foi prejudicada pelo manejo pós-colheita, mesmo sob exposição às infecções por até 12 horas após a derriça. Os testes rápidos não se correlacionaram com a análise sensorial da bebida, e o teste da condutividade elétrica foi mais sensível que o da lixiviação de potássio. Ambos indicaram alterações nos grãos de frutos expostos às infecções após seis horas da colheita. A desinfecção superficial dos frutos foi eficiente até a primeira hora após a imersão, diminuindo o número de frutos infectados por Cladosporium sp., Penicillum sp. e Alternaria sp.; 2004

Rendimento de frutos e qualidade de sementes de pimentão cultivado, em sistema orgânico, em função do crescimento livre ou desbaste das hastes, e dos estádios de maturação

Nogueira, José Luiz
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 49f. : il., tabs., grafs.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Orientadora : Profª. Drª. Maristela Panobianco Vasconcellos; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Agronomia. Defesa: Curitiba, 26/02/2015; Inclui referências; Área de concentração: Produção vegetal; Resumo: A produção de pimentão pode ser influenciada pelo manejo da planta (com e sem desbasle) e pelo ponto de colheita dos frutos. Em razão da cultura apresentar florescimento e frutificação contínuos, podem ser encontrados na mesma planta frutos em diferentes estádios de maturação. Por outro lado, a procura por alimentos diferenciados, livres de agTOquími cos, está em expansão, sendo que a produção de sementes orgânicas de hortaliças no país não atende a demanda interna, havendo carência de empresas neste setor e informações sobt·e a qualidade das sementes produzidas neste sistema. Neste sentido, o trabalho objetivou avaliar a influência do desbasce de ramos e do estádio de maturação no i-endimenro, na biometria de frutos e no potencial íisiológieo de sementes de pimentão, cultivado em sistema orgânico. O experimento foi conduzido em ambiente protegido, utilizando-se duas formas de manejo (com e sem desbaste de ramos) e três estádios de matmação do fruto (completamente verde...

Produção de frutos e entomofauna associada ao pequizeiro (Caryocar brasiliense CAMB.) no cerrado do estado de Goiás; Production of fruits and Entomofauna associated with the Caryocar brasiliense Camb. in the Savannah of the State of Goiás

FERREIRA, Gislene Auxiliadora
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Agronomia; Ciências Agrárias Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Agronomia; Ciências Agrárias
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
The Brazilian Savannah is rich in biodiversity and possess high number of fruitful species with potential of use for human consumption. The pequizeiro is a native species of the Savannah with economic and cultural importance for Midle-Western Brazil, needing, however, techniques that make possible the implantation of orchards, its conduction and the harvest of fruits, aiming at to reduce the pressure on the natural environment, as well as the maintenance of the regional culture. The present work considers to characterize the production of pequizeiros of natural occurrence in fifteen dispersed populations in five regions of the State of Goiás; to study the occurrence, behavior and bioecology of entomofauna present in the plants of the pequizeiro in sixteen populations of pequizeiro of the State of Goiás; e to evaluate the occurrence of Eunica bechina in fourteen locations of this State with raised natural occurrence of pequizeiros and its potential of plague. The criterion of election of the populations considered the biggest space dispersion of these, the bigger production of fruits, and the relative nucleation of the trees of pequizeiro in each population. The studied pequizeiros had presented averages: production (132...

Potencial antioxidante de frutos do Cerrado e do Pantanal, no Estado de Mato Grosso do Sul

Silva, Gabriela Moraes e
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial antioxidante do araçá, saputá, pateiro, laranjinha de pacu, caraguatá e tarumã, através da verificação do conteúdo de compostos fenólicos e taninos e da atividade antioxidante das diversas frações dos frutos estudados. Foram utilizados o método da AOAC (1984) para análise de taninos; método de Fólin-Ciocalteau, para compostos fenólicos e método do DPPH para atividade antioxidante. A eficiência dos processos de extração utilizados foi diferente para as diversas amostras analisadas no que se refere à concentração de compostos fenólicos, no entanto, no tocante a atividade antioxidante, a extração etanólica foi mais efetiva. Apesar dos teores de fenóis dos frutos analisados não ter sido tão expressiva quanto a de outros frutos do Cerrado já estudados, as concentrações de compostos fenólicos mais elevadas foram encontradas no filtrado aquoso da polpa da laranjinha de pacu e nos filtrados etanólicos da casca e polpa da laranjinha de pacu e da polpa do saputá. Além disso, destaca-se a polpa como a fração dos frutos que apresentou os maiores valores de fenóis. A fração dos frutos que apresentou o maior conteúdo de taninos foi a casca, embora a polpa e a semente do pateiro tenham sido as amostras com os valores de taninos mais elevados. Em relação à atividade antioxidante...

Estabilidade de ácido ascórbico, carotenoides e antocianinas de frutos de acerola congelados por métodos criogênicos

Aquino, Ana Carolina Moura de Sena; Móes, Raisa Soares; Castro, Alessandra Almeida
Fonte: Universidade Federal de Sergipe Publicador: Universidade Federal de Sergipe
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Quando se deseja manter a qualidade original do fruto, o congelamento pode ser o método selecionado, mas ocorrem mudanças físicas e químicas que são prejudiciais à integridade estrutural do fruto, as quais são menores quanto maior a velocidade de congelamento. O objetivo deste trabalho foi avaliar a estabilidade do ácido ascórbico, das antocianinas e dos carotenoides totais de frutos de acerola congelados por método convencional (frio mecânico) a -22,1 °C e por métodos criogênicos, pela imersão em vapor de nitrogênio (N 2(v)) a -180,9°C e em nitrogênio líquido (N2(l)) a -196,2 °C, durante o armazenamento a -22,1 °C, por 60 dias. Os teores de ácido ascórbico se mantiveram estáveis para todos os métodos de congelamento; no entanto, os criogênicos propiciaram maior retenção de carotenoides totais após 60 dias, pois os frutos de acerola apresentaram reduções de 7,64, 5,20 e 4,75%, para as amostras congeladas convencionalmente, por N2(v) e por N2(l) , respectivamente. Até o 60º dia, o método convencional propiciou a maior redução (16,64%) no teor de antocianinas totais dos frutos. Essa maior degradação das antocianinas dos frutos congelados pelo método mecânico pode ter sido favorecida por uma ação enzimática...

Rendimento e qualidade de sementes de frutos de tomate em diferentes estádios de maturação produzidos nos sistemas hidropônico e convencional; Productiveness and quality of seeds of tomatoe in different periods of maturation produced in the hydroponic and conventional systems

Mendonça, Ricardo Moreira de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
A técnica do fluxo laminar de nutrientes vem contribuindo para a disseminação do cultivo hidropônico comercial em todo o mundo, inclusive no Brasil. A fim de avaliar a eficiência dessa técnica na produção de sementes de tomate (Lycopersicon esculentum Mill.), conduziu-se um experimento na fazenda-escola da FAZU, em Uberaba, colhendo-se os frutos em quatro estádios de maturação: breaker; pink; pale red e red. Foram utilizadas duas cultivares de polinização aberta, sendo ‘Dorsing’ do grupo cereja e ‘Gaúcho’ do grupo salada, em um esquema fatorial 2 x 4, delineado em blocos ao acaso, com quatro repetições. As parcelas foram formadas por frutos classificados nos quatro estádios de maturação, colhidos em duas fileiras adjacentes para cada cultivar, com espaçamento duplo de 1,10 x 0,85 x 0,50 m, contendo 16 plantas por parcela, sendo 12 úteis. Empregou-se a solução nutritiva proposta por Moraes (1997), com condutividade elétrica ajustada para a faixa de 2,0 a 2,5 Msiemens/cm. Para efeito comparativo, conduziu-se simultaneamente um cultivo em campo, adotando-se o mesmo delineamento experimental da hidroponia, aumentando apenas o número de plantas por parcela para 26, das quais 22 úteis. Realizou-se a colheita dos cinco primeiros cachos...

Estádio de maturação dos frutos, tratamentos pré-germinativos e variabilidade da emergência de plântulas de morototó (Schefflera morototoni)

Anastácio, Maristela Rosália
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
O objetivo do trabalho foi avaliar a influência do estádio de maturação dos frutos nos atributos físicos e de germinação de pirênios de Schefflera morototoni submetidos a tratamentos pré-germinativos. Frutos com coloração verde e verde-arroxeada foram coletados de 14 indivíduos, despolpados em água corrente, descartando-se, após contabilização, os pirênios chochos, com endosperma retraído e oxidado, utilizando-se os uniformes (com endosperma esverdeado ocupando toda a cavidade do pirênio). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 2 x 5 (estádios de maturação dos frutos e tratamentos pré-germinativos), com quatro repetições em parcelas contendo 25 pirênios. Verificou-se que para maior capacidade e velocidade de germinação dos pirênios, os frutos devem ser colhidos quando apresentarem coloração verde-arroxeada, descartando-se àqueles com pirênios chochos, endosperma retraído ou oxidado. A capacidade de germinação dos pirênios com endosperma uniforme varia entre 50 e 60%, com início do processo em cerca de 40 dias após semeadura, se estendendo por até 60 dias em vermiculita. Pirênios despolpados, secos e embebidos em água a 60oC por 5 minutos, seguida da embebição em água à temperatura ambiente por 12 horas iniciam o processo de germinação em menor tempo...

Comportamento pós-colheita das características químicas, bioquímicas e físicas de frutos de tomateiros heterozigotos nos locos alcobaça e ripening inhibitort

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Os alelos mutantes alc e rin retardam o processo de amadurecimento do tomate (Lycopersicon esculentum Mill.), interferindo principalmente na síntese de pigmentos carotenóides e na firmeza dos frutos. Com este trabalho, objetivou-se avaliar e comparar os efeitos dos alelos mutantes alc e rin, em heterozigose (alc+/alc e rin+/rin) sobre características químicas, bioquímicas e físicas de frutos de tomateiro em três estádios de maturação. Os alelos alc e rin em heterozigose não exerceram influência marcante sobre o teor de sólidos solúveis totais dos frutos nos estádios de maturação apropriados para o consumo. O genótipo rin+/rinatuou mais intensamente no sentido de reduzir os teores de licopeno e, conseqüentemente, promover maior deficiência na coloração vermelha dos frutos quando comparado ao efeito do genótipo alc+/alc. Nos frutos maduros, a atividade da enzima pectinametilesterase sofreu maior redução pela ação do genótipo rin+/rin. O genótipo alc+/alc foi mais eficiente em reduzir a atividade da poligalacturonase. No estádio breaker, não houve influência dos alelos em heterozigose sobre os teores de celulose, hemicelulose e pectina dos frutos. No estádio intermediário, o genótipo rin+/rin promoveu redução na fração hemicelulose. No estádio maduro...

Crescimento e mudanças físico-químicas durante a maturação de frutos de meloeiro (Cucumis melo var. cantalupensis Naud.) híbrido Torreon

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
Objetivou-se neste trabalho avaliar o crescimento e as mudanças físico-químicos durante a maturação de melões (Cucumis melo var. cantalupensis Naud.), híbrido Torreon. As plantas foram cultivadas no sistema hidropônico NFT ("Nutrient Film Technique"), em Santa Maria, RS, durante o período de janeiro a abril. Diariamente, foram marcadas as flores pistiladas em antese, anotando-se a data desse evento. Foram efetuadas as medidas lineares do diâmetro longitudinal e transversal dos frutos a cada três dias, iniciando-se após a antese. A partir dos 25 dias após a antese (DAA), realizou-se, a cada três dias, a colheita de 10 frutos, aleatoriamente. Foram analisados os parâmetros: síntese de etileno, respiração, firmeza da polpa, teor de sólidos solúveis totais, acidez total titulável e coloração da polpa. O aumento no diâmetro longitudinal e transversal dos frutos ocorreu até aproximadamente os 26-29 DAA. A partir desse momento, iniciou-se o processo de maturação dos frutos. Nessa fase, verificou-se intenso incremento na síntese de etileno, com pico aos 37 DAA (44 ± 4,6mL kg-1 h-1), o que culminou no aumento da respiração e na diminuição da acidez total titulável e da firmeza de polpa. Além disso, a cor da polpa dos frutos tornou-se gradativamente mais vermelha. Os frutos desprenderam da planta aproximadamente aos 37 DAA...

Efeito alelopático de frutos de umbu (Phytolacca dioica L.) sobre a germinação e crescimento inicial de alface e picão-preto

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
As plantas produzem substâncias por meio do metabolismo secundário. Quando liberadas no meio ambiente são capazes de interferir na germinação e no desenvolvimento de outras plantas. Objetivou-se, nesta pesquisa investigar os efeitos alelopáticos de umbu (Phytolacca dioica L.) sobre a germinação e o crescimento inicial de alface e picão-preto, em laboratório, utilizando-se extratos aquosos de frutos de umbu nas concentrações 0, 1, 2, 4 e 8%; foi realizada análise fitoquímica dos frutos e testes de pH e potencial osmótico dos extratos de frutos. Analisaram-se, para a germinação os parâmetros: porcentagem de germinação (PG), velocidade de germinação (VG) e índice de velocidade de germinação (IVG); para o crescimento inicial analisaram-se os parâmetros: comprimento (radicular e da parte aérea) e biomassa (fresca e seca) das plântulas de alface e picão-preto. Os dados foram submetidos ao teste de Tukey, a 1% de probabilidade. Os parâmetros PG, VG e IVG foram alterados significativamente, proporcionais ao aumento da concentração dos extratos de frutos do umbu. O comprimento (radicular e da parte aérea) e a biomassa (fresca e seca) das plântulas de alface e picão-preto foram reduzidos significativamente com o aumento da concentração dos extratos aquosos de frutos de umbu. O pH e potencial osmótico dos extratos mantiveram-se dentro de padrões adequados e a análise fitoquímica revelou a presença de flavonoides. Pelos resultados os frutos de umbu apresentaram-se com efeito alelopático sobre a alface e o picão-preto.

ANTRACNOSE DO CAQUIZEIRO CAUSADA POR Colletotrichum horii: INCIDÊNCIA EM RAMOS, FOLHAS, FLORES E FRUTOS EM CAMPO

BLOOD,RENATO REZENDE YOUNG; ROZWALKA,LUCIANE CRISTINA; MAY DE MIO,LOUISE LARISSA
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a incidência em várias partes da planta e o desenvolvimento da antracnose do caquizeiro causada por Colletotrichum horiinas cultivares Fuyu e Kakimel produzidas sob os sistemas orgânico e convencional, respectivamente, nas safras de 2010/2011 e 2011/2012, em Campina Grande do Sul, Paraná, Brasil. Em cada pomar, 10 plantas foram selecionadas aleatoriamente, e 10 ramos do ano por planta, distribuídos ao redor dacopa, foram marcados para as avaliações de incidência de antracnose em ramos e folhas, a cada 15 dias. A quantificação de frutos caídos com ou sem sintomas da doença foi a cada 15 dias, durante o período de crescimento de frutos até a colheita, relacionada com a produção total. C. horii em flores foi avaliada em campo e também após incubação no laboratório. Infecção latente foi observada em frutos verdes coletados aos 90; 120 e 150 dias após a floração. Em ambas as safras, observou-se a queda de frutos com sintomas de antracnose entre os meses de janeiro e abril. C. horii é capaz de infectar flores, permanecer latente e provocar sintomas de antracnose em frutos imaturos. Frutos colhidos sadios apresentaram sintomas em pós-colheita após a incubação.

EFEITO DO ENSACAMENTO NA QUALIDADE DE MAÇÃS EM DIFERENTES ESTÁDIOS DE DESENVOLVIMENTO

SANTOS,JANAÍNA PEREIRA DOS; HICKEL,EDUARDO RODRIGUES; ARGENTA,LUIZ CARLOS
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 Português
Relevância na Pesquisa
26.74557%
RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do ensacamento na qualidade de maçãs em diferentes estádios de desenvolvimento. Oestudo foi conduzido em pomar orgânico, na Estação Experimental da Epagri de Caçador-SC, durante as safras de 2009/2010 e 2010/2011. Os genótipos de macieira avaliados foram ‘Royal Gala’, ‘Fuji Suprema’, ‘Catarina’ e a seleção M-11/00. Os frutos foram avaliados nos estádios de desenvolvimento intermediário (metade do ciclo), na colheita (maturação comercial) e sete dias após a colheita, e em duas diferentescondições (tratamentos): ensacados e não ensacados. O ensacamento foi realizado após o raleio, com embalagens de tecido não texturizado (TNT) de coloração branca, quando os frutos apresentavam em torno de 20 mm de diâmetro. Os fatores físico-químicos avaliados foram: cor de fundo, diâmetro, massa fresca, firmeza da polpa, índice de amido, acidez titulável e sólidos solúveis totais. Verificou-se que o ensacamento não interferiu na cor de fundo dos frutos nem no teor de sólidos solúveis totais. Entretanto, dependendo do genótipo de macieira e do estádio de desenvolvimento, houve alteração no diâmetro, na massa fresca, na firmeza...