Últimos itens adicionados do Acervo: Centro Hospitalar do Porto

O CHP é um hospital central e universitário pela sua associação ao Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.

Página 8 dos resultados de 1327 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção: casuística de um Centro Secundário; Attention deficit and hyperactivity disorder: case series of a secondary center

Coelho, J.; Melo, C.; Rocha, F.; Santos, S.; Barros, S.; Martins, C:
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Introdução: A Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) é o distúrbio neuro comportamental mais frequente em crianças em idade escolar e caracteriza-se pela dificuldade em controlar a atividade motora, a impulsividade e dificuldade em controlar a atenção. Objetivos: Caracterização das crianças com PHDA seguidas num hospital distrital. Material e Métodos: Estudo retrospetivo de crianças com o diagnóstico de PHDA. Analisadas as variáveis: idade, sexo, antecedentes familiares e pessoais, sintomatologia, co morbilidades, tratamento e resposta terapêutica. Resultados: Analisadas 45 crianças, 75,5 % do sexo masculino. À data do diagnóstico, 62,2 % das crianças apresentavam entre cinco e oito anos. Antecedentes familiares relacionados com PHDA foram identificados em 40% dos casos. Em 44,5%, a referenciação foi efetuada pela consulta de Pediatria Geral, sendo os motivos mais frequentes as dificuldades da aprendizagem (37,8%) e as alterações do comportamento (35,5%). A maioria das crianças (55,5%) apresentava associação de hiperatividade e défice de atenção. Realizada avaliação cognitiva em 90%, sendo que 39% apresentaram coeficiente intelectual inferior ao normal. As co morbilidades mais frequentes foram: alterações da linguagem...

Patência do canal arterial no recém-nascido prematuro: revisão do diagnóstico e tratamento; Patent ductus arteriosus in preterm infant: review of diagnosis and management

Carapuço, C.; Mota, C.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
A abordagem dos recém-nascidos prematuros (RNPT) constitui uma área de grandes avanços diagnósticos e terapêuticos. Entre as complicações associadas à prematuridade, destaca-se a patência do canal arterial (CA). O CA no RNPT tem sido objeto de inúmeros estudos há mais de 50 anos. Desde o primeiro relato sobre encerramento do canal arterial em prematuros, realizado por Powell em 1963, há controvérsia a respeito da melhor abordagem terapêutica. Inicialmente, os pesquisadores investigaram aspetos fisiopatológicos, morfofuncionais e fatores de risco na prevalência do canal arterial, além dos efeitos colaterais e eficácia dos tratamentos realizados. Entre 2000 e 2006 houve descoberta de novos agentes como alternativa terapêutica à indometacina. Na última década, os estudos concentraram-se no diagnóstico precoce por meio da ecocardiografia/Doppler, uma importante ferramenta na avaliação da necessidade de tratamento medicamentoso ou cirúrgico. Atualmente, a maioria dos autores tem optado por conduta observacional dos RNPT com mais 30 semanas e daqueles com CA sem repercussão clínica ou hemodinâmica. No entanto, para os pacientes com canal arterial hemodinamicamente significativo (CAHS), há consenso para encerramento com medicação ou procedimento cirúrgico. Muitas vezes há dificuldades para o diagnóstico e abordagem terapêutica do CA no RNPT...

Baixa estatura e haploinsuficiência do gene SHOX; Short stature and SHOX gene haploinsufficiency

Costa, M.; Magalhães, J.; Ferreira, S.; Rocha, M.; Ribeiro, L.; Oliveira, M.; Cardoso, H.; Borges, T.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Introdução: A haploinsuficiência do gene SHOX (short stature homeobox gene) é uma das causas genéticas mais frequentes de baixa estatura isolada ou familiar, cuja gravidade clínica pode ser muito variável. Caso Clinico: Os autores descrevem uma adolescente de 14 anos, com membros curtos e baixa estatura. A radiografia do punho demonstrou deformidade de Madelung. O estudo molecular revelou a deleção do gene SHOX (FISH del (X) (Xp22.3Xp22.3) (SHOX). Um exame físico cuidadoso assume extrema importância na avaliação clínica de baixa estatura. A deformidade de Madelung pode surgir apenas na adolescência. O tratamento com Hormona de Crescimento pode aumentar a estatura final. Discussão/conclusões: A prevalência de baixa estatura por mutações do gene SHOX parece ser semelhante ao défice de hormona de crescimento e Síndroma de Turner. O objetivo dos autores foi chamar a atenção sobre esta entidade clínica não muito conhecida, que pode ter implicações terapêuticas com um diagnóstico atempado.

Transfusão feto-fetal e transfusão feto-materna; Twin twin transfusion and fetomaternal transfusion

Rodrigues, S.; Rocha, A.; Inocêncio, G.; Moreira, M.; Saraiva, J.; Dias, C.; Rodrigues, M.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Introdução: Os autores descrevem um caso de transfusão feto materna (TFM) significativa com repercussão fetal, após ablação de anastomoses vasculares placentares, por síndrome de transfusão feto fetal (STFF). Caso Clínico:31 anos, saudável, primigesta, gravidez espontânea gemelar, monocoriónica biamniótica. A ecografia do 1º trimestre, efetuada às 12 semanas, mostrava concordância dos valores do comprimento crânio caudal (CCC), mas discordância dos valores da medida da translucência da nuca (TN). O rastreio combinado do 1º trimestre foi negativo. Às 16 semanas foi diagnosticado um STFF – estadio II/III de Quintero. A amniocentese revelou um cariótipo normal 46, XY no feto dador e um cariótipo anormal 47, XYY no feto receptor. Às 17 semanas foi efetuada ablação laser das anastomoses vasculares placentares, tendo ocorrido a morte do feto dador às 18 semanas. Às 22 semanas foi diagnosticada anemia fetal, por TFM, confirmada por citometria de fluxo. Às 26 semanas foi constatada dilatação de ansa intestinal - suspeita de atrésia intestinal. Parto por cesariana às 37 semanas. RN: sexo masculino, 2660g, Índice de Apgar 5/8/10. Confirmada atrésia ileal tipo II e efetuada enterectomia segmentar. Evolução clínica favorável. Conclusão: Trata-se de um caso de transfusão feto-fetal seguido de transfusão feto-materna...

Artrite séptica neonatal – o desafio do diagnóstico; Neonatal septic arthritis – a challenging diagnosis

Ferreira, A.; Barbosa, B.; Pereira, A.; Maia, C.; Santos, M.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Introdução: O diagnóstico de artrite séptica no recém-nascido é difícil e requer alto grau de suspeição dado que nesta faixa etária a clínica é fruste. Caso clínico: Apresenta-se o caso de um recém-nascido a quem foi diagnosticada paralisia do plexo braquial direito aos 10 dias de vida. Aos 17 dias de vida por limitação da abdução da anca direita levantou-se a suspeita de displasia de desenvolvimento da anca. Foi efetuada ecografia, que corroborou o diagnóstico e o recém-nascido foi encaminhado para consulta de Ortopedia Pediátrica aos 20 dias de vida. Após estudo adequado, concluiu tratar-se de um caso de artrite séptica poliarticular. Atualmente aos oito anos de idade apresenta sequelas no membro superior direito com deformidade e encurtamento do mesmo. Discussão/conclusão: O atraso no diagnóstico e tratamento desta patologia acarreta sequelas futuras que podem ser irreversíveis. Os autores pretendem com a exposição deste caso alertar para a dificuldade e importância do diagnóstico precoce desta patologia.

Sobre alimentos e medicamentos – perguntas que poderá colocar

Nunes, J.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português

Transferências Inter-Hospitalares de Adolescentes a partir de uma Urgência Pediátrica; Adolescents’ interhospital transfers from a pediatric Emergency Department

Arriaga, C.; Jerónimo, M.; Luz, A.; Moleiro, P.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: A Rede de Referenciação Materno-Infantil, estabelecida em Portugal desde 2001, permite uma complementaridade no atendimento e apoio entre unidades prestadoras de cuidados, garantindo o acesso universal aos cuidados de saúde. Objetivo: Caraterização das transferências inter-hospitalares de adolescentes a partir da Urgência Pediátrica (UP) de um hospital de tipologia B1. Material e Métodos: Estudo retrospetivo analítico. Consultaram-se os registos dos episódios de urgência dos adolescentes transferidos da UP, em 2011. Definiram-se e compararam-se dois grupos etários: dos 10 aos 14 anos (G1) e dos 15 aos 18 anos (G2), caraterizando as transferências quanto à demografia, diagnóstico, exames complementares e motivo de transferência. A análise estatística foi efetuada com recurso ao programa PASW 18.0® (p<0,05). Resultados: Registaram-se 43.409 admissões na UP, sendo que 24,2% (n=10.498) eram adolescentes, com idade média de 14,5 (±2,1) anos, sendo 67% do sexo masculino. Foram transferidos 1,2% (n=131) dos adolescentes, correspondendo a 46% do total de transferências. Dos adolescentes admitidos, 65,8% pertenciam ao G1 e dos transferidos 57,3 % pertenciam ao G2 (p< 0,001). Nos transferidos, registou-se patologia traumática em 45%...

Preterm infants under 27 weeks gestational age: outcomes in a tertiary hospital; Pré-termos abaixo das 27 semanas de idade gestacional: desfechos num hospital terciário.

Sá, M.; Fonte, M.; Carvalho, C.; Soares, P.; Almeida, A.; Januário, A.; Gouveia, S.; Saraiva, J.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introduction: Over the last decades, survival of extremely preterm infants improved but there´s still significant morbidity among this group. We pretend to evaluate if specific attitudes/characteristics are associated with higher survival or survival without severe disabilities and elaborate predicting outcome models. Material and Methods: Observational descriptive study, including the 205 liveborn/stillborn infants -gestational age 22w0d-26w6d- born at an Obstetrics Unit or transferred to a Neonatology Unit of a Level III Hospital, from January-2000 to December-2009. We collected variables related to management in the prenatal/neonatal period, neonate performances and psychomotor development (18-24 months). Significant associations between variables/outcomes were identified by chi-square test or t-test; multivariate logistic regression models were used to describe and predict mortality/morbidity. Results: Advanced Gestational Age (GA) (p=0.001), antenatal corticotherapy(p=0.001), cesarean section(p=0.001), inborn delivery(p=0.021) and increased weight(p=0.001) were associated with survival. Absence of Intraventricular Hemorrhage (IVH) grade 3-4(p=0.001) and absence of Periventricular Leukomalacia (PVL) (p=0.005) were associated with survival without severe neurossensorial deficit. According to multivariable models...

Ambiente de sono seguro no primeiro ano de vida; Safe sleep environment in first year of life

Azevedo, L.; Mota, L.; Machado, A.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: A maioria dos cuidados antecipatórios relativos à promoção de um ambiente de sono seguro estão relacionados com a prevenção do Síndrome da Morte Súbita do Latente. Na atualidade, esconhece-se até que ponto as medidas preventivas recomendadas são praticadas pelos progenitores. Objetivos: Caracterizar os comportamentos maternos relacionados com a promoção de um ambiente de sono seguro durante o primeiro ano de vida. Material e Métodos: Foi realizado um estudo observacional, descritivo e transversal, com uma amostra de conveniência constituída pelas mães de crianças com idade inferior ou igual a 12 meses, com consulta entre 01.09.2012 e 30.12.2012. Os dados foram recolhidos através da aplicação de um questionário anónimo, para auto preenchimento pelas mães, e procedeu-se à análise estatística descritiva. Resultados: Obtiveram-se 89 questionários; 38.2% das inquiridas optaram preferencialmente pelo decúbito dorsal para colocar a criança a dormir e, das 58.4% que optaram pelo decúbito lateral 75.0% fizeram-no por considerarem ser a posição mais segura; 89.9% das inquiridas referiram colocar a criança a dormir no mesmo quarto dos pais, sendo que 68.5% afirmaram terem adormecido com a criança na sua cama pelo menos uma vez...

Acalásia na adolescência – dois casos; Esophageal achalasia in adolescence – two case reports

Silva, I.; Morais, R.; Ferreira, P.; Cunha, F.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: A acalásia é uma doença rara, particularmente em idade pediátrica. Caracteriza-se por aperistaltismo do esófago e inadequado relaxamento do esfíncter esofágico inferior. A sua etiologia está ainda pouco esclarecida. Casos clínicos: Descrevem-se dois adolescentes com disfagia para sólidos e líquidos, vómitos, perda ponderal e tosse noturna, durante vários meses. Inicialmente foi considerada a hipótese de doença do comportamento alimentar, mas a investigação posterior levou ao diagnóstico de acalásia confirmado por manometria esofágica num caso e por biópsia intraoperatória no outro. Foram submetidos a miotomia de Heller com procedimento antirrefluxo, um por laparoscopia e outro por laparotomia, com evolução favorável. Discussão/conclusões: Destacamos a raridade e desafio diagnóstico destes casos. A sintomatologia inespecífica leva frequentemente ao diagnóstico de doença do comportamento alimentar, protelando o tratamento dirigido. Na persistência de sintomas é mandatório considerar a hipótese de acalásia, sendo a manometria esofágica o exame diagnóstico de escolha. O tratamento de eleição é cirúrgico, salientando-se a eficácia das diferentes técnicas aplicadas.

Procedimento intraparto extra-uterino (EXIT) num caso de linfangiona cervical; Ex-utero intrapartum treatment (or EXIT procedure) in a case of cervical linfangiona

Ribeiro, F.; Fernandes, P.; Henriques, R.; Afonso, E.; Castro, O.; Ramalho, R.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: Fetos com diagnóstico pré-natal de malformações anatómicas envolvendo a face e/ou o pescoço estão em risco de obstrução das vias aéreas desde o pós-natal imediato. A programação de medidas periparto que previnam a compressão das vias aéreas, mantendo uma adequada circulação fetal, é fundamental no prognóstico. Caso Clínico: Feto com diagnóstico ecográfico, às 31 semanas de gestação, de volumosa massa cervical e facial, compatível com linfangioma quístico. O caso foi discutido em equipa multidisciplinar, tendo sido decidida a realização de cesariana associada ao procedimento EXIT às 39 semanas de gestação. Após exteriorização do polo cefálico, foi confirmada massa cervical e facial direita, sendo o feto sujeito a intubação oro-traqueal no primeiro minuto. Ao sexto dia de vida foi submetido a cirurgia, com excisão parcial da massa. Conclusão: O procedimento EXIT permite a manutenção de uma adequada oxigenação fetal enquanto se estabelece uma via aérea patente. Uma adequada coordenação da equipa multidisciplinar é fundamental para o êxito da técnica

Esofagite herpética: um diagnóstico a não esquecer; Herpetic esophagitis: a diagnosis to remember

Pinheiro, M.; Raposo, F.; Carneiro, A.; Veiga, M.; Lopes, L.; Araújo, A.; Martinho, I.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: A esofagite herpética é uma doença frequente em doentes imunodeprimidos, sendo raros os casos descritos em indivíduos imunocompetentes. Caso clínico: Os autores descrevem o caso de uma adolescente, admitida no serviço de urgência com febre, odinofagia, disfagia para líquidos e sólidos e dor retroesternal, com três dias de evolução. Realizou endoscopia digestiva alta, que revelou erosões lineares e redondas no terço inferior do esófago. O estudo anatomo-patológico das biópsias realizadas foi sugestivo de esofagite herpética. Conclusão: A esofagite herpética é uma doença frequentemente subdiagnosticada na criança e adolescente imunocompetentes, pelo que não deve ser esquecida. O diagnóstico definitivo depende da realização de endoscopia digestiva alta com colheita tecidular. Habitualmente é autolimitada e o tratamento é de suporte. A utilização do aciclovir é controversa, mas o seu início precoce parece encurtar a duração da doença.

Criança com múltiplas equimoses… Serão maus tratos?; Child with multiple ecchymoses … is it abuse?

Marcos, S.; Valério, M.; Vilhena, M.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Caso clínico: Os maus tratos infantis são um problema de saúde pública que pode, em algumas situações, ser mimetizado por patologia da hemóstase. Pretende-se alertar para esta problemática através da descrição do caso clínico de uma criança com quadro de discrasia hemorrágica (equimoses dispersas), em que se levantou a suspeita de abuso físico. Da avaliação realizada, incluindo o estudo da coagulação, conclui-se tratar--se de Doença de von Willebrand tipo I grave, não se tendo provado disfunção social. Comentários: Perante uma suspeita de maus tratos baseada em sinais de discrasia é absolutamente necessário excluir uma alteração da hemostase. A avaliação laboratorial deve ter em conta a história pessoal e familiar de discrasia, as alterações do exame objetivo e a prevalência das patologias. A confirmação diagnóstica de uma patologia da hemóstase não exclui, contudo, um mau trato físico concomitante devendo ser mantida a vigilância da situação social

Caso electroencefalográfico: Síndroma de Panayiotopoulos; Electroencephalographic case: Panayiotopoulos syndrome

Aires, S.; Carvalho, J.; Chorão, R.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 Português
Introdução: O Síndrome de Panayiotopoulos é a segunda epilepsia focal idiopática infantil mais comum, com um pico de incidência aos 4-5 anos. A sua incidência é subestimada devido às manifestações clínicas atípicas, caracterizando-se por crises com predomínio de sintomas autonómicos. Caso clínico: Descreve-se um caso clássico de Síndrome de Panayiotopoulos, com crises recorrentes, com boa resposta à terapêutica antiepiléptica e remissão após alguns anos. Conclusão: Salienta-se a importância da suspeição clínica deste síndrome epiléptico e a utilidade do registo electroencefalográfico que inclua um período de sono. Na maioria dos casos o prognóstico é bom, apesar de ser necessário manter o tratamento por um período de tempo variável.

Artrite séptica neonatal – o desafio do diagnóstico; Neonatal septic arthritis – A challenging diagnosis

Ferreira, A.; Barbosa, B.; Pereira, A.; Maia, C.; Santos, M.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Introdução: O diagnóstico de artrite séptica no recém-nascido é difícil e requer alto grau de suspeição dado que nesta faixa etária a clínica é fruste. Caso clínico: Apresenta-se o caso de um recém-nascido a quem foi diagnosticada paralisia do plexo braquial direito aos 10 dias de vida. Aos 17 dias de vida por limitação da abdução da anca direita levantou-se a suspeita de displasia de desenvolvimento da anca. Foi efetuada ecografia, que corroborou o diagnóstico e o recém-nascido foi encaminhado para consulta de Ortopedia Pediátrica aos 20 dias de vida. Após estudo adequado, concluiu tratar-se de um caso de artrite séptica poliarticular. Atualmente aos oito anos de idade apresenta sequelas no membro superior direito com deformidade e encurtamento do mesmo. Discussão/conclusão: O atraso no diagnóstico e tratamento desta patologia acarreta sequelas futuras que podem ser irreversíveis. Os autores pretendem com a exposição deste caso alertar para a dificuldade e importância do diagnóstico precoce desta patologia.

Caso estomatológico: quisto odontogénico dentigero

Amorim, J.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
An 11-year-old boy was referred to Pediatric Stomatology Clinic for absence of eruption of permanent maxillary right canine. He presented bulging of the right maxillary cortical bone. Imaging study performed with panoramic radiography and CT scan of the jaw revealed a large radiolucent image that occupied the maxillary sinus and tooth 1.3 within the cyst. A presumptive diagnosis of an odontogenic dentigerous cyst was made. Treatment procedure comprised of cystic enucleation with extraction of 1.3.

Genes, crianças e pediatras: Doença de Gaucher

Martins, E.; Cunha, J.; Bandeira, A.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2014 Português
Os autores descrevem o caso clínico de uma criança de 8 anos de idade observada por dor referida à coxa esquerda com despertar durante o sono e claudicação da marcha. A palpação abdominal evidenciou hepato-esplenomegalia. Analiticamente: anemia normocromica e normocitica, trombocitopenia e velocidade de sedimentação aumentada. A radiografia da anca foi normal e a ecografia abdominal confirmou a hepatoesplenomegalia. O mielograma revelou a presença de neutrófilos grandes, com aspecto mesenquimatoso, núcleo desviado e citoplasma enrugado. A RMN óssea mostrou uma necrose asséptica da cabeça do femur esquerdo. O doseamento da glucocerebrosidase em leucócitos permitiu o diagnóstico de Doença de Gaucher.

Artrite como primeira manifestação de Doença Inflamatória Intestinal

Nascimento, J.; Zilhão, C.; Palhau, L.; Lima, R.; Guedes, M.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 09/05/2015 Português

Hiperplasia nodular focal e sarcoidose pulmonar numa criança

Nascimento, J.; Maia-Ferreira, A.; Guedes, M.; Barbot, J.; Furtado, E-; Gonçalves, B.; Santos-Silva, E.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /06/2015 Português

Resistência do Helicobacter Pylori aos antibióticos numa população pediátrica

Nascimento, J.; Gonçalves, J.; Lima, R.; Pereira, F.
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /06/2015 Português