Página 8 dos resultados de 12165 itens digitais encontrados em 0.006 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Instituto Agronômico de Campinas

Utilização do etefom e do tidiazurom na desfolha do algodoeiro e na deiscência de seus frutos

Paulo,Edison Martins; Fujiwara,Mamor; Dodo,Shizuo
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1989 Português
Relevância na Pesquisa
36.460579%
Estudou-se o efeito do etefom nas doses de 0,96, 1,44 e 1,92kg/ha, do tidiazurom, a 0,075kg/ha, e de misturas contendo 0,48 + 0,05, 0,96 + 0,05 e 1,44 + 0,05kg/ha de etefom e de tidiazurom, respectivamente, na desfolha do algodoeiro e na deiscência e seus frutos. Avaliações realizadas aos 7 e aos 14 dias após a pulverização dos produtos e de suas misturas indicaram que os mesmos, excetuando-se a dose 0,96kg/ha isolada de etefom e aos 7 dias após a aplicação, promoveram sensível desfolha do algodoeiro. O etefom acelerou a deiscência dos capuchos do algodoeiro a partir da dose 1,44kg/ha, o que não se observou para o tidiazurom. Os resultados indicaram que os produtos, quando aplicados conjuntamente, não possuem ação antagônica. Os diversos tratamentos não diferiram estatisticamente entre si na produção de algodão.

Exigências climáticas para o desenvolvimento e maturação dos frutos de cultivares de Coffea arabica

Petek,Marcos Rafael; Sera,Tumoru; Fonseca,Inês Cristina de Batista
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.57293%
O objetivo foi caracterizar as exigências climáticas dos estádios fenológicos de cultivares de C. arabica e indicá-las para a tecnologia de escalonamento da colheita. As avaliações foram realizadas na fazenda experimental do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), em Londrina, em 16 genótipos, segundo uma escala fenológica, durante dois anos. O número médio de dias, a soma térmica em graus-dia, a precipitação pluvial acumulada e a temperatura média da florada até o estádio de maturação completa (cereja) foram, respectivamente, de 226,2 ± 15,3 dias, 2.781 ± 143,5 graus-dia, 1.065 ± 149,2 mm e 22,49 ± 0,47 ºC. Foi possível caracterizar, de acordo com a exigência térmica, as cultivares Icatu Precoce IAC 3282, Mundo Novo IAC 464-12, IAPAR 59, Rume Sudam IAC 1139 e Costa Rica 95 como precoces; as cultivares Catucai 785-15, Catucaiaçu, Villa Sarchí ICAFÉ, Rubi MG1192 e Ouro Verde IAC H5010-5, como de maturação média; as cultivares 'Obatã IAC 1669-20', Sarchímor IAPAR88480-8, Tupi IAC 1669-33, 'Catuaí Vermelho IAC 99', 'Catucai Vermelho 4-79' e 'Sarchímor E9702 III-1-9' como tardias. Com base em análises de regressão foi possível determinar e quantificar a influência da disponibilidade hídrica para os estádios fenológicos de chumbinho...