Página 1 dos resultados de 19 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Qualidade de frutos de pitaya em função da época de polinização, da fonte de pólen e da coloração da cobertura

Silva, Adriana de Castro correia da; Martins, Antonio Baldo Geraldo; Cavallari, Ludmilla de Lima
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1162-1168
Português
Relevância na Pesquisa
80.54162%
A pitaya (Hylocereus undatus) é uma cactácea propagada vegetativamente, o que resulta em pequena ou nula variabilidade nos plantios comerciais. Devido a diversos estudos mostrarem que a espécie é auto ou parcialmente incompatível, realizou-se este trabalho com o intuito de verificar a eficiência de polinização da pitaya autofecundada e utilizando-se de pólen de H. polyrhizus e Selenicereus setaceus, além da influência da época do ano e da coloração da cobertura da tela plástica na qualidade dos frutos. O experimento foi realizado na Área de Fruticultura da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP, Campus de Jaboticabal, num delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 X 2 X 2 (três espécies doadoras de pólen X duas colorações de cobertura de sombrite, branca e preta, com 50% de sombreamento X duas épocas do ano), com quatro repetições para cada espécie doadora de pólen, em cada uma das coberturas. As flores foram emasculadas em duas épocas (março e abril) e polinizadas manualmente. As variáveis avaliadas foram porcentagem de pegamento dos frutos, características físicas e químicas dos frutos (comprimento e diâmetro, massas total, de polpa e de casca, % de polpa...

Efeito de diferentes substratos na produção de mudas de mangabeira (Hancornia speciosa)

Silva, Elisângela Aparecida da; Maruyama, Wilson Itamar; Oliveira, Alessandra Conceição de; Bardiviesso, Diógenes Martins
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 925-929
Português
Relevância na Pesquisa
59.16783%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie frutífera nativa do Cerrado, que devido às características dos seus frutos apresenta enorme potencial de aceitação pelo mercado consumidor, além de apresentar expressivo potencial produtivo. Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes substratos na produção de mudas de mangabeira em sacos de polietileno e determinar o melhor substrato para a propagação da espécie. O trabalho foi conduzido em casa de vegetação na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições e 15 plantas por parcela. Foram testadas cinco misturas de substratos: A (areia lavada + Plantmax® + solo, 1:1:3 v:v:v); B (casca de arroz carbonizada + Plantmax® + solo, 1:1:3); C (casca de arroz carbonizada + húmus de minhoca + solo, 1:1:3); D (esterco bovino + Plantmax® + solo, 1:1:3), e E (esterco bovino + solo, 2:3). Foram avaliados os parâmetros: porcentagem de germinação, índice de velocidade de emergência (IVE), porcentagem de mortalidade, altura da muda (cm), diâmetro do colo (mm), comprimento da raiz (cm)...

Enxertia em híbridos de berinjela (Solanum melongena), sob cultivo protegido

Brandão Filho, José Usan Torres
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xiv, 79 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
49.65386%
Pós-graduação em Agronomia (Horticultura) - FCA; O ensaio foi conduzido em ambiente protegido, localizado na Fazenda de Ensino, Pesquisa e Produção de São Manuel da FCA/UNESP, em dois módulos de estrutura simples, tipo arco com 7 m de largura, 40 m de comprimento e 3 m de pé direito, cobertos por filme plástico de 100 micras, totalizando uma área de 560 m2. Foram utilizados duas cultivares de berinjela, os híbridos Nápoli e Kokuyo, enxertados em um porta-enxerto específico para berinjela (híbrido TaiByo VF), estes materiais foram comparados entre si e com seus pés francos. Os dois materiais utilizados demonstraram uma boa compatibilidade com o porta-enxerto, com alto índice de pegamento da enxertia (95,6%). Todos os tratamentos apresentaram um crescimento lento nos primeiros trinta dias, sendo que após ocorreu um período de crescimento rápido e novamente uma fase de crescimento lento. No início os tratamentos com o híbrido Kokuyo mostraram-se maiores, entretanto com o desenvolvimento das plantas, os tratamentos com o híbrido Nápoli apresentaram um porte mais elevado. O híbrido Nápoli apresentou um porte mais arbóreo quando comparado com as plantas do híbrido Kokuyo, que apresentaram um porte mais herbáceo. Os frutos de maneira geral...

Técnicas de cultivo in vitro e microenxertia ex vitro visando a eliminação do Cowpea Aphid-Borne Mosaic virus em Maracujazeiro-Azedo

Ribeiro, Leonardo Monteiro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
69.452734%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2006.; O maracujazeiro-azedo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg.) é uma das principais frutíferas brasileiras e seu cultivo apresenta boas perspectivas de expansão. O desenvolvimento da cultura tem sido dificultado por doenças, especialmente a doença do endurecimento dos frutos, causada pelo Cowpea aphid-borne mosaic virus (CABMV). A eliminação de vírus pela cultura de tecidos tem sido uma alternativa viável para muitas espécies e pode contribuir para a propagação vegetativa de genótipos superiores. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de estudar a organogênese in vitro em plantas de maracujazeiro amarelo infectadas com o Cowpea aphid-borne mosaic virus (CABMV) e avaliar o efeito de meios de cultura utilizados sobre o ponto da enxertia na microenxertia ex vitro visando a eliminação do vírus CABMV. No estudo da organogênese foram avaliados cinco acessos: MAR-2003, MAR-2021, MAR-2024, MAR-2048, Rubi Gigante (RG) e quatro fontes de explantes: ápice caulinar, segmento internodal, segmento nodal e fragmento foliar. Foi utilizado para indução o meio MS suplementado por 2 mg.L-1 de 6-benzilaminopurina (BAP). O segmento nodal apresentou melhor desempenho no cultivo enquanto os piores resultados foram obtidos com o fragmento foliar. Os acessos apresentaram comportamento semelhante em relação ao percentual de explantes organogênicos e à produção de brotos. Foram observados em cortes histológicos meristemóides em explantes de nó e ápice. No trabalho envolvendo a eliminação de vírus por microenxertia ex vitro...

Formação de mudas de maracujazeiro por enxertia em espécies silvestres e em híbridos inter e intraespecíficos; Formation of passion fruit seedling by grafting in wild species and in inter and intra-specific hybrids

Leão, Antonio José Pacheco
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
70.839756%
Dissertação (mestrado)-Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Agronomia, 2011.; O Brasil destaca-se no cenário mundial como o maior produtor e consumidor de maracujá. Por outro lado, a alta incidência de doenças tem causado perdas expressivas na quantidade e na qualidade dos frutos, bem como, reduzindo sensivelmente a vida útil dos pomares comerciais no campo. Tais fatores têm incentivado o uso demasiado de defensivos agrícolas no controle de doenças, muitas vezes, sem alcançar com sucesso este objetivo, e muitas vezes, causando fitotoxidez nas plantas, contaminação do meio ambiente e do próprio homem. Diante deste cenário, esse trabalho teve como objetivos: 1) Comparar tipos de fixadores (grampo e fita) do enxerto ao porta-enxerto; 2) Determinar a eficácia de fungicidas e indutores de resistência no índice de pegamento de enxertos; 3) Determinar os índices de pegamento de enxertos sobre porta-enxerto de espécies silvestres e híbridos inter e intra-específicos e avaliar o desenvolvimento inicial dessas plantas em campo. 4) Avaliar a eficiência do uso da enxertia por encostia visando à produção de mudas com sistemas radiculares múltiplos. Como enxertos, utilizaram-se ponteiras da cv. BRS Gigante amarelo. Como porta-enxertos...

Estimativa de produção de laranja valência pela adaptação de um modelo agrometeorológico

Martins,Adriana Novais; Ortolani,Altino Aldo
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 Português
Relevância na Pesquisa
60.033384%
Foi avaliada a influência do fator hídrico (ER/EP) e da produção do ano anterior (Yaa/Yp) sobre a produção relativa de laranja, variedade Valência (Citrus sinensis Osbeck.) enxertada sobre Limão Cravo. Foram considerados os estádios fenológicos de pré-florescimento, florescimento e pegamento dos frutos, em um modelo matemático agrometeorológico multiplicativo, que considera diferentes índices de sensibilidade (lambda). Foram utilizados dados meteorológicos, de produção e fenológicos de 14 anos (safras 1985/86 a 1998/99), de pomar situado na Fazenda Empreendimentos Agropecuários Cambuhy, localizada no município de Matão, SP. Os resultados indicaram melhor desempenho do modelo quando foram utilizados os períodos fenológicos de pré-florescimento no bimestre agosto/setembro, o florescimento em outubro/novembro e o pegamento dos frutos em dezembro/janeiro. A magnitude dos valores dos índices de sensibilidade apontou o estádio de florescimento (outubro/novembro) como o mais sensível ao déficit hídrico. Na validação, do modelo obteve-se bom desempenho e as análises forneceram um coeficiente de determinação (R²) de 0,81 e índice de concordância (Willmott) de 0,95.

Polinização natural, manual e autopolinização no pegamento de frutos de pinheira (Annona squamosa L.) em Alagoas

Campos,Rousseau da Silva; Lemos,Eurico Eduardo Pinto de; Oliveira,Jaqueline Figueredo de; Fonseca,Fernanda Karina Pereira da; Santiago,Antônio Dias; Barros,Pericles Gabriel
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
69.813955%
A pinheira (Annona squamosa L) é cultivada no Estado do Alagoas há mais de um século, sendo a principal cultura de valor econômico para centenas de pequenos agricultores. Um dos principais entraves para melhorar a produtividade da cultura é o baixo índice de polinização das flores e a conseqüente produção de frutos. Embora sejam morfologicamente perfeitas, as flores da pinheira apresentam dicogamia protogínica, fenômeno no qual a maturação dos carpelos acontece antes da maturação dos estames, inviabilizando a autofecundação. O presente trabalho objetivou estudar o efeito da polinização natural, manual e da autopolinização no número de frutos fixados em pinheiras. Foram utilizadas plantas de 4 anos de idade oriundas de pés-francos da variedade local "Crioula". As flores foram selecionadas na porção média das árvores em toda a sua circunferência. Foram utilizados os seguintes tratamentos: flores em polinização natural; flores cobertas para induzir a autopolinização; flores polinizadas com pincel usando pólen puro; flores polinizadas com pincel usando 75 % de pólen e 25 % de amido de milho; flores polinizadas com pincel usando 50 % de pólen e 50 % de amido de milho; flores polinizadas com pincel usando 25 % de pólen e 75 % de amido de milho; flores polinizadas com bomba usando pólen puro; flores polinizadas com bomba usando 75 % de pólen e 25 % de amido de milho; flores polinizadas com bomba usando 50 % de pólen e 50 % de amido de milho; flores polinizadas com bomba usando 25 % de pólen e 75 % de amido de milho. Os resultados obtidos mostraram que o uso da polinização artificial com pincel ou com bomba polinizadora aumentou em até 10 vezes o número de frutos fixados em polinização natural ou em autopolinização. A adição do amido de milho seco como veículo para o pólen não reduziu a percentagem de frutos fixados e pode ser utilizado em até 50% da mistura sem reduzir a eficiência na polinização com pincel e em até 75% com bomba.

Efeito de diferentes substratos na produção de mudas de mangabeira (Hancornia speciosa)

Silva,Elisângela Aparecida da; Maruyama,Wilson Itamar; Oliveira,Alessandra Conceição de; Bardiviesso,Diógenes Martins
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
59.167305%
A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes) é uma espécie frutífera nativa do Cerrado, que devido às características dos seus frutos apresenta enorme potencial de aceitação pelo mercado consumidor, além de apresentar expressivo potencial produtivo. Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes substratos na produção de mudas de mangabeira em sacos de polietileno e determinar o melhor substrato para a propagação da espécie. O trabalho foi conduzido em casa de vegetação na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Cassilândia. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições e 15 plantas por parcela. Foram testadas cinco misturas de substratos: A (areia lavada + Plantmax® + solo, 1:1:3 v:v:v); B (casca de arroz carbonizada + Plantmax® + solo, 1:1:3); C (casca de arroz carbonizada + húmus de minhoca + solo, 1:1:3); D (esterco bovino + Plantmax® + solo, 1:1:3), e E (esterco bovino + solo, 2:3). Foram avaliados os parâmetros: porcentagem de germinação, índice de velocidade de emergência (IVE), porcentagem de mortalidade, altura da muda (cm), diâmetro do colo (mm), comprimento da raiz (cm), número de folhas/planta, índice de clorofila foliar (CCI), massa seca...

Qualidade de frutos de pitaya em função da época de polinização, da fonte de pólen e da coloração da cobertura

Silva,Adriana de Castro correia da; Martins,Antonio Baldo Geraldo; Cavallari,Ludmilla de Lima
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
80.541274%
A pitaya (Hylocereus undatus) é uma cactácea propagada vegetativamente, o que resulta em pequena ou nula variabilidade nos plantios comerciais. Devido a diversos estudos mostrarem que a espécie é auto ou parcialmente incompatível, realizou-se este trabalho com o intuito de verificar a eficiência de polinização da pitaya autofecundada e utilizando-se de pólen de H. polyrhizus e Selenicereus setaceus, além da influência da época do ano e da coloração da cobertura da tela plástica na qualidade dos frutos. O experimento foi realizado na Área de Fruticultura da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP, Campus de Jaboticabal, num delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 X 2 X 2 (três espécies doadoras de pólen X duas colorações de cobertura de sombrite, branca e preta, com 50% de sombreamento X duas épocas do ano), com quatro repetições para cada espécie doadora de pólen, em cada uma das coberturas. As flores foram emasculadas em duas épocas (março e abril) e polinizadas manualmente. As variáveis avaliadas foram porcentagem de pegamento dos frutos, características físicas e químicas dos frutos (comprimento e diâmetro, massas total, de polpa e de casca, % de polpa...

Estádios de desenvolvimento de mudas de umbuzeiros propagadas por enxertia

Reis,Ronaldo Viana dos; Fonseca,Nelson; Ledo,Carlos Alberto da Silva; Gonçalves,Leandro Simões Azeredo; Partelli,Fábio Luiz; Silva,Marcelo Geraldo de Morais; Santos,Elaine Alves
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 Português
Relevância na Pesquisa
69.021504%
O reconhecido potencial econômico das Spondias (como o umbuzeiro) e o crescente interesse dos mercados internacionais em razão da demanda de frutos com sabores exóticos utilizados no preparo de sucos, doces e sorvetes têm despertado o interesse de pesquisadores e produtores por essa fruteira. Os objetivos do trabalho foram avaliar o desenvolvimento de mudas de umbuzeiro e indicar a melhor idade da muda e do garfo para a realização da enxertia. A semeadura foi realizada em canteiros de madeira de 1,5m de largurax10,0m de comprimento x 0,15m de altura, contendo areia lavada, sendo as sementes colocadas juntas e alinhadas em fileiras espaçadas de 5,0 cm uma da outra. Avaliou-se a altura da muda a partir do colo da planta, do número de folhas, do diâmetro do caule a 5, 10 e 15cm do colo, da matéria fresca e seca da parte aérea e das raízes no dia do transplante e após 60, 120, 180 e 240 dias após o transplantio. Avaliou-se também a sobrevivência das mudas com 180 dias após o transplantio, por meio da enxertia, pelo método de garfagem em fenda cheia ao topo com material propagativo (garfos) de umbuzeiros de várias procedências e idades. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, e as repetições foram compostas por seis plantas por parcela. Conclui-se que...

Crescimento e desenvolvimento do cafeeiro sob efeito da adubação nitrogenada; Growth and development of the coffee plant related to nitrogen fertilization

Costa, Flávio Murilo Pereira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/04/2006 Português
Relevância na Pesquisa
39.098604%
A adubação nitrogenada em plantas de café (Coffea arabica) é importante principalmente para no início de desenvolvimento e de produção. O efeito da adubação é bastante pronunciado quando se aplicam doses do fertilizante na tentativa de maximizar a produtividade de café. Com o objetivo de caracterizar o crescimento e desenvolvimento de plantas de café sob efeito da adubação nitrogenada, um experimento de campo foi conduzido na área experimental do Departamento de Engenharia Rural da Esalq, Universidade de São Paulo, em Piracicaba-SP, (Latitude: 23o43'33" Sul. Longitude: 47o38'00" Oeste. Altitude: 576 metros). O projeto de pesquisa foi conduzido durante duas estações consecutivas (de 1 de Setembro de 2003 a 1 de Setembro de 2004 e de 1 Setembro de 2004 a 1 de Julho de 2005). O presente trabalho visa caracterizar a variação temporal do acúmulo da matéria seca e da taxa de crescimento da cultura, além de verificar o efeito da adubação nitrogenada. A dinâmica do nitrogênio foi estudada em plantas de café (cultivar 'Catuaí Vermelho IAC 44') transplantadas em maio de 2001, utilizando-se diferentes doses de nitrogênio. O espaçamento foi de 1,75 x 0,75m. O delineamento estatístico estabelecido foi inteiramente casualizado...

EFEITO DO ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO DAS FLORES E DA APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DA PODRIDÃO FLORAL DOS CITROS

ROBERTO,SÉRGIO RUFFO; BORGES,ANDREY VETORELLI
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2001 Português
Relevância na Pesquisa
59.717964%
O presente trabalho teve por objetivo determinar os melhores estágios do desenvolvimento das flores de laranja-doce para o controle da Podridão Floral dos Citros (PFC), avaliando-se diversas épocas de aplicação e doses de fungicidas. Os estudos foram realizados em pomares de laranjas-'Natal' e 'Pêra' (Citrus sinensis [L.] Osbeck), onde foram marcados aleatoriamente ramos florais pertencentes à florada temporã (janeiro de 1994), caracterizando as fases de desenvolvimento de cada botão floral. Em um primeiro ensaio, avaliou-se o controle da doença através de pulverizações manuais, onde foram aplicados os seguintes tratamentos (doses por 1 L): a) testemunha; b) benomyl 0,5 g, no dia de marcação dos ramos (aplicação normal); c) benomyl 0,5 g, 3 a 4 dias depois da marcação (aplicação tardia); e d) benomyl 0,5 g em 2 aplicações, uma na marcação dos botões e outra uma semana depois. As aplicações foram feitas com pulverizadores manuais, molhando-se apenas os ramos com flores marcados. Em um segundo ensaio, avaliou-se o controle da doença através de pulverizações tratorizadas. Na laranja-'Natal', estudaram-se os seguintes tratamentos (doses por 2.000 L): a) testemunha; b) benomyl 1 kg em 4/jan; c) benomyl 1 kg em 4 e 11/jan; e d) benomyl 1 kg em 8/jan. Na laranja-'Pêra'...

Índice de pegamento de frutos em goiabeiras

Corrêa,Márcio Cleber de Medeiros; Prado,Renato de Mello; Natale,William; Silva,Marcos Antonio Camacho da; Pereira,Luciano
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
91.21023%
A produção das plantas está relacionada com o florescimento e frutificação, podendo variar em função de fatores genéticos, ambientais e de manejo dos pomares. Informações dessa natureza, tal como índice de pegamento de frutos, são importantes na caracterização biológica, estudos comparativos de cultivares e predição de safra. O objetivo deste estudo foi determinar o índice de pegamento de frutos em goiabeiras adultas das cultivares Pedro Sato, Paluma e Rica, em pomares comerciais de elevada produtividade, localizados no município de Taquaritinga-SP. No auge do florescimento de cada cultivar ('Pedro Sato': final de fevereiro; 'Paluma' e 'Rica': final de outubro), foram marcados ramos em volta das plantas, à altura do terço médio da copa e contados o número de botões, flores e frutinhos presentes. A operação repetiu-se cerca de 30 dias depois. A contagem final de frutos foi feita quando estes apresentavam diâmetro ³ 3 cm nas plantas de 'Pedro Sato' e uma semana antes da colheita nas plantas de 'Paluma' e 'Rica'. A partir do número total de botões florais emitidos (NB) e do número de frutos fixados (NF), calculou-se o índice de pegamento de frutos [IP=(NF/NB)100]. A cultivar Pedro Sato apresentou IP=32...

Fenologia da goiabeira 'Paluma' sob diferentes sistemas de cultivos, épocas e intensidades de poda de frutificação

Serrano,Luiz Augusto Lopes; Marinho,Cláudia Sales; Lima,Inorbert de Melo; Martins,Marlon Vagner Valentim; Ronchi,Cláudio Pagotto; Tardin,Flávio Dessaune
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
120.84498%
O trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes épocas e intensidades de poda de frutificação sobre a fenologia da goiabeira 'Paluma', em dois sistemas de cultivo, em Pedro Canário (ES). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, em esquema de parcelas sub-subdivididas. As parcelas foram os sistemas de cultivo irrigado e sequeiro; as subparcelas foram as épocas de poda (10/11/2005, 9/12/2005, 13/1/2006 e 10/2/2006); e as sub-subparcelas foram as intensidades de poda (curta, média e longa). O ciclo da goiabeira 'Paluma', entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 182 (poda em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). A queda fisiológica dos frutos ocorreu até os 56 dias após o final do florescimento. A irrigação e a poda longa proporcionaram maior brotação e estabelecimento dos ramos. As plantas submetidas à poda longa em fevereiro produziram maior número de frutos por ramo. Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda curta apresentaram menor número de frutos por ramo e menor índice de pegamento de frutos. A irrigação e as podas realizadas em dezembro e janeiro favoreceram a produção de frutos maiores.

Épocas e intensidades de poda de frutificação na goiabeira ' Paluma' , em Pinheiros-ES

Serrano,Luiz Augusto Lopes; Martins,Marlon Vagner Valentim; Lima,Inorbert de Melo; Marinho,Cláudia Sales; Tardin,Flávio Dessaune
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
79.659355%
Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes intensidades de poda de frutificação realizadas em diferentes épocas do ano sobre a fenologia e a produção da goiabeira 'Paluma', em Pinheiros-ES. As plantas foram submetidas a três intensidades de poda de frutificação (curta, média e longa), em quatro diferentes épocas (25-11-2005, 21-12-2005, 27-01-2006 e 23-02-2006). O ciclo da goiabeira 'Paluma', entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 189 dias (podas em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda longa apresentaram maior emissão de brotos novos e maior número de ramos estabelecidos. As plantas submetidas à poda curta apresentaram menores números de brotos emitidos e de ramos estabelecidos, bem como menor índice de pegamento de frutos, menor número de frutos por planta e, conseqüentemente, menor produção; entretanto produziram frutos de maior peso médio em relação às plantas submetidas à poda longa. A maior produção e o maior número de frutos colhidos por planta ocorreram nas plantas podadas em fevereiro. A época e a intensidade da poda de frutificação afetam a brotação e a produção da goiabeira 'Paluma'.

Fenologia da goiabeira 'Paluma' sob diferentes sistemas de cultivos, épocas e intensidades de poda de frutificação.

SERRANO, L. A. L.; MARINHO, C. S.; LIMA, I. de M.; MARTINS, M. V. V.; RONCHI, C. P.; TARDIN, F. D.
Fonte: Bragantia, Campinas, v. 67, n. 3, p. 701-712, 2008. Publicador: Bragantia, Campinas, v. 67, n. 3, p. 701-712, 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
120.84498%
O trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes épocas e intensidades de poda de frutificação sobre a fenologia da goiabeira 'Paluma', em dois sistemas de cultivo, em Pedro Canário (ES). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, em esquema de parcelas sub-subdivididas. As parcelas foram os sistemas de cultivo irrigado e sequeiro; as subparcelas foram as épocas de poda (10/11/2005, 9/12/2005, 13/1/2006 e 10/2/2006); e as sub-subparcelas foram as intensidades de poda (curta, média e longa). O ciclo da goiabeira 'Paluma', entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 182 (poda em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). A queda fisiológica dos frutos ocorreu até os 56 dias após o final do florescimento. A irrigação e a poda longa proporcionaram maior brotação e estabelecimento dos ramos. As plantas submetidas à poda longa em fevereiro produziram maior número de frutos por ramo. Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda curta apresentaram menor número de frutos por ramo e menor índice de pegamento de frutos. A irrigação e as podas realizadas em dezembro e janeiro favoreceram a produção de frutos maiores.; 2008

Épocas e intensidades de poda de frutificação na goiabeira 'Paluma', em Pinheiros-ES.

SERRANO, L. A. L.; MARTINS, M. V. V.; LIMA, I. de M.; MARINHO, C. S.; TARDIN, F. D.
Fonte: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 30, n. 4, p. 994-1000, dez. 2008. Publicador: Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 30, n. 4, p. 994-1000, dez. 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
79.660186%
Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de diferentes intensidades de poda de frutificação realizadas em diferentes épocas do ano sobre a fenologia e a produção da goiabeira ?Paluma?, em Pinheiros-ES. As plantas foram submetidas a três intensidades de poda de frutificação (curta, média e longa), em quatro diferentes épocas (25-11-2005, 21-12-2005, 27-01-2006 e 23-02-2006). O ciclo da goiabeira ?Paluma?, entre a poda até o início da colheita dos frutos, variou de 189 dias (podas em novembro e dezembro) a 203 dias (poda em fevereiro). Independentemente da época de poda, as plantas submetidas à poda longa apresentaram maior emissão de brotos novos e maior número de ramos estabelecidos. As plantas submetidas à poda curta apresentaram menores números de brotos emitidos e de ramos estabelecidos, bem como menor índice de pegamento de frutos, menor número de frutos por planta e, conseqüentemente, menor produção; entretanto produziram frutos de maior peso médio em relação às plantas submetidas à poda longa. A maior produção e o maior número de frutos colhidos por planta ocorreram nas plantas podadas em fevereiro. A época e a intensidade da poda de frutificação afetam a brotação e a produção da goiabeira ?Paluma?. Termos para indexação: Psidium guajava L....

Seleção e propagação de genótipo de umbu-cajazeira (Spondias sp.) da Região Semiárida da Bahia.

Lima, Marília Souza Salomão de
Fonte: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Publicador: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Português
Relevância na Pesquisa
59.620244%
A umbu-cajazeira (Spondias sp.) é uma frutífera importante do Nordeste brasileiro, possibilitando diversificação do agronegócio da fruticultura na região semiárida. Os objetivos deste trabalho foram caracterizar frutos de genótipos selecionados de umbu-cajazeira e avaliar a enxertia sobre umbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda Câmara) para a produção de mudas e desenvolvimento em campo. Frutos de dez genótipos oriundos de municípios da região semiárida da Bahia, selecionados a partir de avaliações em dois anos anteriores foram novamente avaliados nos anos de 2010 e 2011 com relação a características físicas, químicas e físico-químicas. Os dados foram submetidos à análise descritiva e de agrupamento, confirmando-se a superioridade dos materiais e identificando-se divergência entre os genótipos, com formação de dois grupos de dissimilaridade. Com base na caracterização dos frutos em quatro anos de produção e a partir da técnica de índice de soma, os genótipos UCSR-45, UCSE-36, USSR-44, UCSB-40 e UCSE-35 foram selecionados para propagação por enxertia sobre umbuzeiro. A percentagem de pegamento foi influenciada pelo genótipo, variando de 40,0% a 87,5%, no entanto, a percentagem de sobrevivência foi alta para todos os genótipos (média de 93...

Relações hídricas de videiras cultivadas no Vale do São Francisco sob diferente porta-enxertos e estratégias de irrigação; Water relations of field-grown grapevines in the São Francisco Valley, Brazil, under different rootstocks and irrigation strategies

Souza, Claudia Rita de; Bassoi, Luís Henrique; Lima Filho, José Moacir Pinheiro; Silva, Fabrício Francisco Santos da; Viana, Leandro Hespanhol; Dantas, Barbara França; Pereira, Maiane Santos; Ribeiro, Paula Rose de Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2009 Português
Relevância na Pesquisa
69.017383%
There is an increased demand for high quality winegrapes in the São Francisco Valley, a new wine producing area in Brazil. As the grape quality is closely linked to the soil water status, understanding the effects of rootstock and irrigation management on grapevine water relations is essential to optimize yield and quality. This study was carried out to investigate the effects of irrigation strategies and rootstocks on water relations and scion vigour of field-grown grapevines in Petrolina, Pernambuco state, Brazil. The cultivars used as scions are Moscato Canelli and Syrah, both grafted onto IAC 572 and 1103 Paulsen rootstocks. The following water treatments were used: deficit irrigation, with holding water after veraison; and partial root-zone drying, supplying (100% of crop evapotranspiration) of the water loss to only one side of the root system after fruit set, alternating the sides periodically (about 24 days). In general, all treatments had values of pre-dawn leaf water potential higher than -0.2 MPa, suggesting absence of water stress. The vine water status was more affected by rootstock type than irrigation strategies. Both cultivars grafted on IAC 572 had the highest values of midday leaf water potential and stem water potential...