Página 1 dos resultados de 436 itens digitais encontrados em 0.485 segundos

Avaliação da adesão à terapia antirretroviral em crianças e adolescentes; Evaluation of adherence to antiretroviral therapy in pediatrics

Aline Santarem Ernesto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
79.252104%
Introdução: A Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids) é atualmente uma doença crônica, controlável graças à Terapia Antirretroviral de Alta Atividade (TARV). Em um contexto de acesso universal ao tratamento, a adesão do paciente torna-se um fator limitante e desafiador. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência da nãoadesão à TARV em uma coorte de crianças e adolescentes com o uso de instrumentos complementares, bem como identificar e compreender os fatores associados a ela. Casuística e Métodos: Estudo analítico, observacional, prospectivo do tipo corte transversal. A população foi composta por 108 pacientes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) em TARV (60 meninos), com idades entre 8 e 19 anos. A adesão foi avaliada por meio de um questionário padronizado, consulta a registros de dispensação de farmácia (RDF) e uma escala de auto-eficácia. Foram entrevistados os responsáveis pela administração da medicação, cuidadores ou pacientes. Indivíduos que receberam menos de 95% das doses prescritas nas 24 horas ou nos 7 dias anteriores à entrevista, ou que apresentaram um intervalo maior que 37 dias no RDF nos três meses anteriores à entrevista, foram considerados não-aderentes. A escala de auto-eficácia forneceu um escore contínuo...

Adaptação do questionário de adesão à medicação numa amostra de pacientes portugueses com diabetes tipo 2; Adaptation of the medication adherence report scale in a sample of Portuguese type 2 diabetes patients

Pereira, M. Graça; Pedras, Susana; Machado, José Cunha
Fonte: SBPH Publicador: SBPH
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
98.99184%
O presente estudo teve como objectivo adaptar a Escala de Adesão à Medicação (MARS) a uma amostra de diabéticos portugueses tipo 2. Participaram no estudo 387 diabéticos (42% mulheres e 58% homens) diagnosticados com diabetes tipo 2. 57% dos diabéticos tinha sido diagnosticados nos últimos 6 meses e 38% entre 7 e 12 meses no momento da avaliação. O estudo da validade da escala “Medication Adherence Report Scale” revelou uma solução de um factor tal como o instrumento original que explica 52,15% da variância. O alfa de Cronbach foi de .74. Em termos de validade de construto, a adesão à medicação encontrasse relacionada com as representações da doença ao nível das dimensões consequências, controlo pessoal, controlo do tratamento, preocupação e representações emocionais. Finalmente, a relação entre adesão à medicação e as representações da doença foi sensível ao género e idade. O questionário de Adesão à Medicação possui as qualidades psicométricas que permitem o seu uso na população portuguesa com diabetes tipo 2.; The goal of the present study was the adaptation of the Medication Adherence Report Scale in a Portuguese sample of type 2 diabetes patients. 387 diabetes patients participated in the study...

Determinantes da resposta de adesão ao medicamento em idosos: uma abordagem experimental

Santos, Vanessa Cristina Ferreira dos
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
78.695386%
Procurou-se perceber como os(as) idosos(as) no seu quotidiano adotam condutas que possam levar a (não)tomar a medicação prescrita. Recorreu-se a uma tarefa experimental que cenariza um diagnóstico clínico designado “doença do coração”, combinando diferentes níveis de fatores determinantes dos comportamentos de adesão: “severidade da condição clínica” (SCC); “custo dos medicamentos” (CM); “confiança no clínico”; e, “complexidade do regime”. Pediu-se aos participantes que avaliassem, através de uma escala visual-analógica, o grau de adesão à medicação que o(a) doente deveria exibir em cada combinação dos fatores. A amostra integrou um total de 72 idosos(as) voluntários(as), selecionados(as) de forma não probabilística e controlados(as) para demência e depressão. Para a análise dos dados, recorreu-se a ANOVAs de medidas repetidas e os resultados revelam que o CM e a SCC foram determinantes na adesão. Encontraram-se diferenças entre ter ou não patologia cardíaca relativamente à adesão no regime “complexo”. Não se verificaram diferenças entre os géneros; Determinants of response to drug adherence in the elderly: An experimental approach Abstract: The goal of this study was the understanding how elderly adopt conducts into their everyday life that lead them to take prescribed medication. It was made through an experimental approach with scenarios related to the clinical diagnosis “heart disease”...

Asma nos estudantes do ensino superior: percepções de doença e adesão à terapêutica

Guimarães, Teresa; Faísca, Vanessa Mateus
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /02/2012 Português
Relevância na Pesquisa
78.553574%
A não adesão à terapêutica preventiva na asma traduz-se num deficiente controlo da doença, constituindo as percepções dos doentes facto determinante deste comportamento. A percepção da asma como condição episódica, com períodos livres de doença, favorece a não adesão à medicação preventiva, com consequente uso exagerado da medicação para alívio rápido. Estes comportamentos reforçam a importânncia de intervenções que promovam o envolvimento activo dos doentes no controlo eficaz da sua asma, prevenindo sintomas e crises graves, diminuindo a necessidade de medicação de alívio rápido e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.

Locus de controlo e adesão à terapêutica em doentes com cardiopatia isquémica

Pimentel, José Artur Reis
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
78.583896%
Locus de controlo é uma característica do indivíduo que se refere à sua percepção sobre o controlo dos acontecimentos da sua vida. Característica importante no doente cardíaco, a qual pode influenciar a adesão à terapêutica. Questão de investigação – Em que medida o locus de controlo influencia a adesão à terapêutica nos doentes com cardiopatia isquémica? Objetivos – Associar as variáveis sócio-demográficas, clínicas, sócio-familiares, de serviços de saúde e terapêutica farmacológica com o locus de controlo e posteriormente associar o locus de controlo com a adesão à terapêutica. Metodologia – Estudo transversal, descritivo-correlacional, não-experimental. Realizado em 96 doentes, 78,1% do sexo masculino e 2,19% do sexo feminino, portadores de cardiopatia isquémica que recorreram à consulta. Resultados – O locus de controlo é influenciado na dimensão internalidade pela funcionalidade familiar (p = 0,031) na dimensão acaso pelo índice de massa corporal (p = 0,002) e gastos com medicação (p = 0,003) e na dimensão outros poderosos pelo médico assistente (p = 0,010) e número de comprimido (p = 0,025). Conclusões – O locus de controlo não influencia a adesão à terapêutica. Este facto leva-nos a pensar na hipótese de o estudo sofrer algum viés uma vez que...

Crenças nos medicamentos e adesão à terapêutica farmacológica na cardiopatia isquémica

Saraiva, Olga Maria Alves
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
78.80399%
Título do trabalho: Crenças na medicação e Adesão à terapêutica medicamentosa no doente com Cardiopatia Isquémica Introdução: A não adesão é uma problemática importante, no doente com Cardiopatia Isquémica (CI). Torna-se fundamental estudar factores que influenciam a adesão, nomeadamente as crenças nos fármacos (CNF). Objectivos: Descrever o perfil sócio-demográfico, familiar e de saúde do doente com CI; analisar a influência das variáveis sócio-familiares, clínicas e relacionadas com a terapêutica farmacológica nas CNF; analisar a relação entre as CNF e a MAT; estimar a predição das CNF na adesão ao tratamento farmacológico do doente com CI. Metodologia: Estudo do tipo não-experimental, quantitativo, transversal, descritivo-correlacional. Amostra constituída por 110 indivíduos (sexo masculino 68,2%, feminino 31,8%; idade média = 66,3 anos, dp = 9,78 anos). Aplicação de Questionário, sócio-demográfico, clínico de saúde, versão portuguesa da MAT e versão portuguesa do Beliefs about Medicines Questionnaire, especifica. Resultados: As variáveis: idade, stress, e as relacionadas com a terapêutica farmacológica, influenciam as CNF nos doentes com CI (p <0,05). As CNF influenciam a adesão à terapêutica medicamentosa nos doentes com CI (p <0...

Identificação de fatores associados à mudança na adesão à terapêutica anti-hipertensora

Rosa, Sara Margarida Branco
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
88.77752%
Tese de mestrado em Bioestatística, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2015; A Hipertensão arterial (HTA) é uma doença crónica que atinge mais de 50% da população portuguesa acima dos 45 anos. O não controlo da HTA está fortemente ligado ao acidente vascular cerebral e ao enfarte agudo do miocárdio, as principais causas de morte em Portugal. A não adesão ao tratamento anti-hipertensivo é um problema significativo e pode causar impacto nos seus resultados. Apesar de as doenças cardiovasculares serem a maior causa de morte em Portugal, 60-80% dos hipertensos medicados não alcançam a pressão normal. A não adesão e a inércia terapêutica são apontadas como os dois determinantes major do não controlo da HTA e estão relacionados com fatores culturais e socioeconómicos. A prevalência da não adesão é estimada em 25% no geral; 50% em pacientes com hipertensão. A não adesão à medicação anti-hipertensiva está associada a 30% da perda de eficácia do tratamento. O incumprimento do tratamento anti-hipertensivo tem grande impacto negativo na morbilidade, mortalidade e nos custos de saúde. Este estudo tem como objetivo identificar os fatores que influenciam as mudanças na adesão à medicação. O estudo foi baseado em entrevistas com doentes hipertensos...

Monitorização da Adesão à Terapêutica Médica do Glaucoma

Amaral, A; Leitão, P; Silva, JP; Silva, J; Reina, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
87.99526%
Introdução: A adesão à terapêutica antiglaucomatosa é fundamental na redução e controlo da pressão intra-ocular. O glaucoma, por ser uma doença crónica e inicialmente assintomática, tem um risco aumentado de não cumprimento terapêutico. Este estudo tem como objectivo a avaliação da adesão à terapêutica médica do glaucoma (estrita e relativa), através da utilização de um dispositivo de registo electrónico (DRE). Material e Métodos: Estudo prospectivo que incluiu 21 doentes, com glaucoma ou hipertensão ocular. Um e três meses após a visita inicial, procedeu-se ao preenchimento de um questionário relativo à compliance e analisaram-se os dados registados no DRE. Resultados: A idade média dos doentes era 62,4 anos (± 19,2), 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino. A compliance média relativa foi de 77,9% no primeiro mês e de 78,7% no final do terceiro mês. A compliance média estrita foi de 56,7% e de 53.3% no final do primeiro e terceiro mês, respectivamente. A maioria dos doentes sentiu facilidade (80,9%) e deseja continuar (85,7%) a utilização do mesmo. Conclusão: A adesão à terapêutica médica do glaucoma, factor importante no controlo desta patologia, pode ser avaliada de forma simples e objectiva através da utilização de um dispositivo de registo electrónico.

Monitorização da Adesão à Terapêutica Médica do Glaucoma

Amaral, A; Leitão, P; Silva, JP; Silva, J; Reina, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
87.99526%
Introdução: A adesão à terapêutica antiglaucomatosa é fundamental na redução e controlo da pressão intra-ocular. O glaucoma, por ser uma doença crónica e inicialmente assintomática, tem um risco aumentado de não cumprimento terapêutico. Este estudo tem como objectivo a avaliação da adesão à terapêutica médica do glaucoma (estrita e relativa), através da utilização de um dispositivo de registo electrónico (DRE). Material e Métodos: Estudo prospectivo que incluiu 21 doentes, com glaucoma ou hipertensão ocular. Um e três meses após a visita inicial, procedeu-se ao preenchimento de um questionário relativo à compliance e analisaram-se os dados registados no DRE. Resultados: A idade média dos doentes era 62,4 anos (± 19,2), 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino. A compliance média relativa foi de 77,9% no primeiro mês e de 78,7% no final do terceiro mês. A compliance média estrita foi de 56,7% e de 53.3% no final do primeiro e terceiro mês, respectivamente. A maioria dos doentes sentiu facilidade (80,9%) e deseja continuar (85,7%) a utilização do mesmo. Conclusão: A adesão à terapêutica médica do glaucoma, factor importante no controlo desta patologia, pode ser avaliada de forma simples e objectiva através da utilização de um dispositivo de registo electrónico.

Avaliação da adesão à terapêutica farmacológica com antineoplásicos orais

Batista, Eliana Marisa Marques
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
88.86346%
A presente dissertação encontra-se dividida em dois capítulos. O primeiro capítulo diz respeito à investigação desenvolvida no âmbito do estudo da adesão a antineoplásicos orais em doentes oncológicos. O aumento constante na disponibilidade e uso de antineoplásicos orais (AO), levantaram preocupações acerca da adesão às terapêuticas prescritas em oncologia. Fatores relacionados com a demografia, doença ou terapia estão entre os determinantes que mais influenciam a adesão à medicação. O objetivo deste estudo foi avaliar a taxa de adesão aos AO e analisar alguns fatores potencialmente associados com a (não-)adesão em doentes da Região Centro de Portugal. Dados médicos de doentes oncológicos adultos que adquiriram AO nos serviços farmacêuticos do Centro Hospitalar Cova da Beira, durante 20 meses (de janeiro de 2011 a agosto 2012), foram retrospetivamente analisados. Os doentes foram considerados aderentes quando adquiriram 90%-110% dos comprimidos/cápsulas prescritos durante o período em estudo. A influência das variáveis demográficas (idade, sexo), patologia oncológica/AO e tempo de tratamento com AO foi examinado. Um total de 225 doentes oncológicos (54,2% do sexo masculino e 45,8% do sexo feminino) prescritos com AO foram incluídos na análise estatística. A taxa de adesão global aos AO foi de 95...

Estudo da adesão à terapêutica farmacológica anti-hipertensora

Silva, Jonathan Moitalta da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
89.19466%
Introdução A hipertensão arterial (HTA) é uma das principais causas de morbilidade e mortalidade em todo o mundo. Apesar da disponibilidade no mercado farmacêutico de medicamentos anti-hipertensores (aHT) eficazes e seguros, apenas cerca de 1/3 dos doentes adultos hipertensos têm a sua tensão arterial (TA) controlada. A não adesão à medicação é um dos principais factores para a falta de controlo da TA. Objectivos Avaliar o grau de controlo da TA e a adesão à medicação aHT numa população hipertensa. Identificar as variáveis independentes que influenciam significativamente o controlo da TA e a adesão à terapêutica farmacológica aHT. População e métodos Foi realizado um estudo observacional transversal em doentes adultos (≥ 18 anos) com diagnóstico de HTA, acompanhados durante, pelo menos, 6 meses na consulta de HTA / dislipidémia do Centro Hospitalar Cova da Beira, E.P.E (CHCB). O estudo decorreu de Março a Novembro de 2012. Foi realizada uma entrevista estruturada com a finalidade de recolher dados sobre as características sócio-demográficas, adesão à medicação anti-hipertensora e conhecimento de valores de TA alvo. Informação clínica mais detalhada foi obtida através dos processos clínicos. Resultados Um total de 101 doentes hipertensos foram incluídos no estudo...

Adesão ao tratamento medicamentoso em pacientes do espectro esquizofrênico: uma revisão sistemática da literatura

Silva,Tatiana Fernandes Carpinteiro da; Lovisi,Giovanni Marcos; Verdolin,Louise Deluiz; Cavalcanti,Maria Tavares
Fonte: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
78.736445%
OBJETIVO: Realizar revisão sistemática para avaliar a adesão medicamentosa ao tratamento em pacientes do espectro esquizofrênico. MÉTODO: As buscas dos artigos foram conduzidas nas seguintes bases de dados: PubMed/Medline, Lilacs, SciELO e PePSIC, considerando artigos publicados entre 2001 e 2010. Na estratégia de busca, foram utilizados descritores de acordo com sua definição no DeCS e no MeSH: "schizophrenia" and "patient adherence" or "patient compliance" or "medication adherence". As correspondências em português e espanhol foram respectivamente "esquizofrenia/esquizofrenia" e "cooperação do paciente/cooperácion del paciente" ou "adesão à medicação/cumplimiento de lá medicación". Também foram realizadas buscas manuais nas referências dos artigos selecionados. RESULTADOS: A busca bibliográfica resultou em 1.692 artigos. Contudo, apenas 54 preencheram os critérios para compor esta revisão. CONCLUSÕES: A maioria dos estudos sobre o tema foi realizada em países desenvolvidos, prejudicando a aplicação dos achados à nossa realidade. As taxas da adesão e os métodos utilizados para avaliação variaram bastante, porém os fatores associados à não adesão se repetiram, como falta de insight, comorbidade com uso de substâncias psicoativas...

Adesão à medicação em pacientes com doença de Parkinson atendidos em ambulatório especializado

Marchi,Katia Colombo; Chagas,Marcos Hortes Nisihara; Tumas,Vitor; Miasso,Adriana Inocenti; Crippa,José Alexandre de Souza; Tirapelli,Carlos Renato
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
88.8323%
A doença de Parkinson é universal, sendo a segunda doença neurodegenerativa mais comum em idosos e tem alta prevalência, afetando entre 0,5 e 1% da população com idade entre 65 e 69 anos. A adesão à terapia medicamentosa é considerada o principal determinante para a efetividade do tratamento, porém apenas recentemente vem sendo estudado em pacientes com doença de Parkinson. Trata-se de estudo transversal e descritivo que avaliou a adesão à terapia com levodopa em 112 pacientes com doença de Parkinson que frequentavam regularmente o ambulatório de distúrbios do movimento do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo utilizando o teste Morisky e Green e o instrumento que avalia atitudes frente à tomada dos remédios (IAAFTR). Dos pacientes entrevistados, 53% não apresentaram adesão ao tratamento e 52% não tomam a medicação no horário correto. Os pacientes devem ser orientados sobre a importância de ingerir sua medicação no horário correto, entendendo os benefícios que a adesão pode proporcionar estando cientes de que doses não tomadas, tomadas em excesso, ou em horários diferentes dos prescritos podem diminuir sua resposta ao tratamento, afetando negativamente sua evolução clínica e qualidade de vida...

Associação entre a qualidade de vida e adesão à medicação de indivíduos hipertensos

Hanus,Juliét Silveira; Simões,Priscyla Waleska; Amboni,Graziela; Ceretta,Luciane Bisognin; Tuon,Lisiane Generoso Bitencort
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 Português
Relevância na Pesquisa
99.07372%
Objetivo Avaliar a associação entre a qualidade de vida e a adesão a medicação de indivíduos hipertensos.Métodos Estudo transversal, realizado com 432 hipertensos cadastrados em sistema informatizado público federal. Os dados foram coletados no domicilio por entrevista estruturada com questões relacionadas a variáveis socioeconômicas, clínicas, avaliação da adesão ao tratamento e o WHOQOL-BREF para a qualidade de vida. Utilizou-se o teste de H de Kruskal-Wallis para medir a associação entre as escalas da qualidade de vida e a classificação da adesão ao tratamento.Resultados Os escores mais baixos estavam presente no domínio autoavaliação e os mais altos foram encontrados no social. Os indivíduos que possuíam adesão extrema ao tratamento anti-hipertensivo apresentaram escores mais altos na avaliação da qualidade de vida em comparação com indivíduos classificados como não adesão extrema ao tratamento anti-hipertensivo.Conclusão A associação entre a qualidade de vida e adesão a medicação em indivíduos hipertensos não foi preditiva, sendo que os melhores escores estavam presentes nos indivíduos hipertensos que apresentaram alta adesão a medicação e os piores escores da qualidade de vida se apresentaram nos indivíduos de não adesão extrema e limítrofe a não adesão total.

Relação entre literacia em saúde, adesão à terapêutica e crenças sobre a medicação de uma população utilizadora de medicamentos no Brasil

Melo, Lilia Carlia Francisca de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
79.23616%
Introdução: A literacia em saúde pode ser definida como sendo o grau no qual as pessoas são capazes de compreender e avaliar uma informação para enfrentar as exigências dos diferentes contextos de saúde, de forma a mantê-la no decurso da vida. A literacia em saúde é cada vez mais necessária no enquadramento socioeconómico atual, na medida em que os indivíduos têm um papel cada vez mais activo nas decisões relacionadas com a saúde. Uma literacia em saúde inadequada tem influência na adesão à terapêutica e, consequentemente, nos resultados em saúde. Também as crenças nos medicamentos podem influenciar a adesão à terapêutica. Objectivos: Analisar o desempenho do Newest Vital Sign (NVS) e identificar a capacidade preditiva deste instrumento para identificar indivíduos com potencial de baixa adesão à terapêutica farmacológica e com crenças negativas sobre o uso de medicamentos. Métodos: O estudo decorreu de Março a Julho de 2014 na unidade básica de saúde “Céu Azul” em Valparaíso de Goiás, Brasil. A proposta de participação na investigação foi feita pelo investigador a cada indivíduo. Os critérios de inclusão foram: indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos; com capacidade para ler e escrever; sem comprometimento cognitivo; a tomar medicamentos. A investigação foi realizada com aplicação de um questionário sócio-demográfico...

Estudo da adesão à terapêutica farmacológica anti-hipertensora

Silva, Jonathan Moitalta da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
89.19466%
Introdução A hipertensão arterial (HTA) é uma das principais causas de morbilidade e mortalidade em todo o mundo. Apesar da disponibilidade no mercado farmacêutico de medicamentos anti-hipertensores (aHT) eficazes e seguros, apenas cerca de 1/3 dos doentes adultos hipertensos têm a sua tensão arterial (TA) controlada. A não adesão à medicação é um dos principais factores para a falta de controlo da TA. Objectivos Avaliar o grau de controlo da TA e a adesão à medicação aHT numa população hipertensa. Identificar as variáveis independentes que influenciam significativamente o controlo da TA e a adesão à terapêutica farmacológica aHT. População e métodos Foi realizado um estudo observacional transversal em doentes adultos (≥ 18 anos) com diagnóstico de HTA, acompanhados durante, pelo menos, 6 meses na consulta de HTA / dislipidémia do Centro Hospitalar Cova da Beira, E.P.E (CHCB). O estudo decorreu de Março a Novembro de 2012. Foi realizada uma entrevista estruturada com a finalidade de recolher dados sobre as características sócio-demográficas, adesão à medicação anti-hipertensora e conhecimento de valores de TA alvo. Informação clínica mais detalhada foi obtida através dos processos clínicos. Resultados Um total de 101 doentes hipertensos foram incluídos no estudo...

Avaliação da adesão à terapêutica farmacológica com antineoplásicos orais

Batista, Eliana Marisa Marques
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
88.86346%
A presente dissertação encontra-se dividida em dois capítulos. O primeiro capítulo diz respeito à investigação desenvolvida no âmbito do estudo da adesão a antineoplásicos orais em doentes oncológicos. O aumento constante na disponibilidade e uso de antineoplásicos orais (AO), levantaram preocupações acerca da adesão às terapêuticas prescritas em oncologia. Fatores relacionados com a demografia, doença ou terapia estão entre os determinantes que mais influenciam a adesão à medicação. O objetivo deste estudo foi avaliar a taxa de adesão aos AO e analisar alguns fatores potencialmente associados com a (não-)adesão em doentes da Região Centro de Portugal. Dados médicos de doentes oncológicos adultos que adquiriram AO nos serviços farmacêuticos do Centro Hospitalar Cova da Beira, durante 20 meses (de janeiro de 2011 a agosto 2012), foram retrospetivamente analisados. Os doentes foram considerados aderentes quando adquiriram 90%-110% dos comprimidos/cápsulas prescritos durante o período em estudo. A influência das variáveis demográficas (idade, sexo), patologia oncológica/AO e tempo de tratamento com AO foi examinado. Um total de 225 doentes oncológicos (54,2% do sexo masculino e 45,8% do sexo feminino) prescritos com AO foram incluídos na análise estatística. A taxa de adesão global aos AO foi de 95...

Diagnóstico situacional sobre a adesão à medicação em cuidadores de idosos de uma instituição de longa permanência no Distrito Federal

Itacaramby, Débora Oliveira
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
98.93468%
Em virtude do aprimoramento tecnológico e melhora das condições de saúde da população, é fenômeno mundial o envelhecimento populacional. Atrelado a esse processo, observa-se que o aumento da expectativa de vida está relacionado com maior prevalência de doenças crônico-degenerativas, e, consequentemente, maior consumo de medicamentos pelos idosos. Nas instituições de longa permanência, as atividades de medicação são executadas pelos profissionais de saúde e, dentre eles, encontra-se a figura do cuidador de idosos. Esses profissionais precisam ser instrumentalizados de conhecimentos sobre a promoção do uso racional de medicamentos, de forma que a assistência à saúde do idoso seja compatível com as ações de prevenção, recuperação e promoção da saúde. O objetivo deste estudo foi realizar um diagnóstico situacional sobre adesão à medicação em cuidadores de idosos de uma instituição de longa permanência no Distrito Federal – DF. O estudo foi realizado em uma instituição mantida por instituições filantrópicas, destinada a amparar pessoas necessitadas, idosos ou portadores de necessidades especiais. A amostra foi constituída por oito cuidadoras de idosos da instituição. A pesquisa trata-se de estudo qualitativo. Os instrumentos utilizados foram um formulário de identificação e uma entrevista semi-estruturada. As informações foram gravadas e posteriormente transcritas. As principais dificuldades identificadas em relação adesão à medicação foram: complexidade do regime terapêuticos...

Preditores da adesão à medicação na epilepsia: estudo longitudinal; Medication adherence predictors in epilepsy: longitudinal study

Linhares, Vânia; Meneses, Rute F.; Pais-Ribeiro, José Luís; Pedro, Luisa; Silva, Isabel; Vilhena, Estela; Mendonça, Denisa; Cardoso, Helena; Martins, Ana; Martins-da-Silva, António
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
89.07183%
Introdução: A não adesão à medicação na epilepsia é prevalente, pelo que a compreensão dos fatores associados deve ser promovida. Objetivos: Analisar a capacidade preditiva das estratégias de coping e da espiritualidade em relação à adesão à medicação ao longo do tempo. Metodologia: Foram avaliados 60 indivíduos através de um Questionário Sociodemográfico e Clínico, a Medida de Adesão aos Tratamentos, o COPER e a Escala de Avaliação de Espiritualidade em Contextos de Saúde, em dois momentos. Resultados: A espiritualidade Momento 1 não se relacionou com adesão à medicação no Momento 3, e as estratégias de coping: Desinvestimento Comportamental e Aceitação no Momento 1 predizem negativamente a adesão à medicação no Momento 2. Conclusão: A relação entre a adesão à medicação, estratégias de coping e espiritualidade varia em função do tempo, o que deve ser considerado ao nível da intervenção.; ABSTRACT - Introduction: The nonmedication adherence in epilepsy is prevalent by which the understanding of associated factors should be promoted. Objectives: To analyze the predictive capacity of the coping strategies and spirituality in relation to medication adherence over time. Methodology: A sociodemographic and clinical questionnaire...

Adesão à medicação em pacientes com doença de Parkinson atendidos em ambulatório especializado

Marchi,Katia Colombo; Chagas,Marcos Hortes Nisihara; Tumas,Vitor; Miasso,Adriana Inocenti; Crippa,José Alexandre de Souza; Tirapelli,Carlos Renato
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
88.8323%
A doença de Parkinson é universal, sendo a segunda doença neurodegenerativa mais comum em idosos e tem alta prevalência, afetando entre 0,5 e 1% da população com idade entre 65 e 69 anos. A adesão à terapia medicamentosa é considerada o principal determinante para a efetividade do tratamento, porém apenas recentemente vem sendo estudado em pacientes com doença de Parkinson. Trata-se de estudo transversal e descritivo que avaliou a adesão à terapia com levodopa em 112 pacientes com doença de Parkinson que frequentavam regularmente o ambulatório de distúrbios do movimento do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo utilizando o teste Morisky e Green e o instrumento que avalia atitudes frente à tomada dos remédios (IAAFTR). Dos pacientes entrevistados, 53% não apresentaram adesão ao tratamento e 52% não tomam a medicação no horário correto. Os pacientes devem ser orientados sobre a importância de ingerir sua medicação no horário correto, entendendo os benefícios que a adesão pode proporcionar estando cientes de que doses não tomadas, tomadas em excesso, ou em horários diferentes dos prescritos podem diminuir sua resposta ao tratamento, afetando negativamente sua evolução clínica e qualidade de vida...