Página 1 dos resultados de 105 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Avaliação da atividade antioxidante e análise cromatográfica de açúcar e tocoferóis em iogurtes com fruta: pêssego, ananás, ameixa e manga.

Pereira, Eliana; Barros, Lillian; Ferreira, Isabel C.F.R.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
27.52%
Tem-se verificado, nos últimos tempos, um grande interesse na incorporação de aditivos naturais ao iogurte, incluindo vários frutos conhecidos como ótimas fontes de antocianinas. A finalidade desta inclusão tem como objetivo aumentar a atividade antioxidante e funcionalidade desses alimentos melhorando, desta forma, a proteção do consumidor contra patologias relacionadas com os radicais livres [1-3]. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo comparativo do potencial antioxidante de iogurtes com pedaços de manga, ananás, ameixa e pêssego. Os açúcares e os tocoferóis foram identificados e quantificados por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a deteção por índice de refração (HPLC-RI) e por HPLC-fluorescência, respetivamente. Fenóis e flavonóides foram determinados por meio de técnicas espectrofotométricas tendo-se avaliado, também, a atividade captadora de radicais DPPH (2,2-difenil-1-picril-hidrazilo), poder redutor e inibição da peroxidação lipídica. O estudo realizado revela que os açúcares presentes são a frutose, glucose, galactose, sacarose e lactose, encontrados em maior e menor quantidade nos iogurtes de manga e ameixa, respetivamente. Destaca-se ainda o facto do valor obtido para os açúcares totais ser idêntico ao indicado no rótulo. No que diz respeito aos tocoferóis...

Avaliação da atividade antioxidante e análise cromatográfica de açúcar e tocoferóis em iogurtes com fruta: pêssego, ananás, ameixa e manga.

Pereira, Eliana; Barros, Lillian; Ferreira, Isabel C.F.R.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
27.52%
Tem-se verificado, nos últimos tempos, um grande interesse na incorporação de aditivos naturais ao iogurte, incluindo vários frutos conhecidos como ótimas fontes de antocianinas. A finalidade desta inclusão tem como objetivo aumentar a atividade antioxidante e funcionalidade desses alimentos melhorando, desta forma, a proteção do consumidor contra patologias relacionadas com os radicais livres [1-3]. Neste trabalho, desenvolveu-se um estudo comparativo do potencial antioxidante de iogurtes com pedaços de manga, ananás, ameixa e pêssego. Os açúcares e os tocoferóis foram identificados e quantificados por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada a deteção por índice de refração (HPLC-RI) e por HPLC-fluorescência, respetivamente. Fenóis e flavonóides foram determinados por meio de técnicas espectrofotométricas tendo-se avaliado, também, a atividade captadora de radicais DPPH (2,2-difenil-1-picril-hidrazilo), poder redutor e inibição da peroxidação lipídica. O estudo realizado revela que os açúcares presentes são a frutose, glucose, galactose, sacarose e lactose, encontrados em maior e menor quantidade nos iogurtes de manga e ameixa, respetivamente. Destaca-se ainda o facto do valor obtido para os açúcares totais ser idêntico ao indicado no rótulo. No que diz respeito aos tocoferóis...

Quantificação de danos e controle pós-colheita de podridão parda (Monilinia fructicola) e podridão mole (Rhizopus stolonifer) em frutos de ameixa e nectarina; Quantification of damages and control of the postharvest diseases brown rot (Monilinia fructicola) and soft rot (Rhizopus stolonifer) in plum and nectarine fruits

Gonçalves, Fabrício Packer
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
38.15%
Esse trabalho teve dois objetivos distintos, quantificar e caracterizar os danos pós-colheita em frutos de ameixa e nectarina na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP) e testar produtos que possam ser utilizados no controle das doenças pós-colheita podridão parda (Monilinia fructicola) e podridão mole (Rhizopus stolonifer) nestes dois frutos. Durante a safra 2003 e 2004, foram realizados 20 levantamentos de quantificação de danos em frutos de nectarina e 11 em frutos de ameixa. Em cada levantamento foram avaliados 1% do total de caixas comercializados em cinco permissionários da CEAGESP. A amostragem foi estratificada por variedade, calibre e procedência dos frutos, sendo quantificados danos mecânicos, fisiológicos e doenças pós-colheita. Para o controle da podridão parda e mole, o efeito curativo e protetor do CaCl2, cera e luz UV-C, em diferentes concentrações e o efeito curativo do tratamento com ozônio foram avaliados. A incidência de danos na CEAGESP em frutos de ameixa variou de 5 a 47%, e em nectarina entre 14 e 54%, considerando as safras 2003 e 2004. Tanto em ameixa como em nectarina os danos mais freqüentes foram os mecânicos, com variação de 2 a 25% em frutos de ameixa e de 7 a 30% em frutos de nectarina. Danos fisiológicos variaram de 1 a 22% e de 2 a 18% em frutos de ameixa e nectarina...

Cultivares de ameixas de baixa exigência em frio para regiões subtropicais do Estado de São Paulo; Low chilling plums cultivars for subtropical cultivation in the Sao Paulo State - Brazil

Chagas, Pollyana Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Em termos econômicos, a ameixeira já representa a sexta frutífera mais cultivada no Estado de São Paulo. Plantio de ameixeiras foram realizados em regiões novas e desconhecidas quanto à adaptação climática. Aliado a esse fator, ainda apresenta inúmeros problemas relacionados à auto-infertilidade e auto-incompatibilidade polínica, exigência de técnicas de manejo e produtos para quebra de dormência, problemas relacionados à maturação dos frutos e armazenamento. Assim, objetivou-se avaliar o desenvolvimento de cultivares de ameixeira de baixa exigência em frio para regiões subtropicais do estado de São Paulo e o armazenamento refrigerado dos frutos. As plantas do presente experimento foram plantadas num delineamento experimental em blocos ao acaso com quatro repetições e duas plantas por parcela. Para as variáveis referentes aos estádios fenológicos avaliados, período de colheita, porcentagem de fixação de frutos, ciclo, número de frutos e produção, seguiu-se um esquema fatorial 2 x 11, sendo o 1º Fator com dois níveis (com e sem aplicação de cianamida hidrogenada) e o 2º fator com 11 níveis (cultivares: Januária, Kelsey-31, Irati, Reubennel, Golden Talismã, Kelsey Paulista, Gema de Ouro, Gulfblaze...

Influencia das condições de secagem de ameixa (Prunus domestica) na qualidade do produto final

Ana Lucia Gabas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
37.94%
Neste trabalho, estudaram-se as propriedades termodinâmicas da ameixa a partir de dados de isotermas de sorção da casca e polpa, separadamente. Obteve-se diferença entre os parâmetros termodinâmicos para ambas as partes desta fruta, porém todo o processo de sorção de água foi controlado pela entalpia. A cinética de secagem, considerando encolhimento e difusividade efetiva em função da umidade, foi determinada em diferentes temperaturas, aplicando-se o método numérico das diferenças finitas. Verificou-se que a mudança de volume e umidade durante a secagem do material não devem ser negligenciados no cálculo da difusividade efetiva. As propriedades reológicas da ameixa foram determinadas em função da temperatura do ar de secagem e do conteúdo de umidade das amostras. Parâmetros viscoelásticos foram obtidos a fim de se caracterizar o produto nas diferentes condições de secagem. As ameixas exibiram um comportamento mais elástico e rígido quando as amostras foram submetidas a baixas temperaturas de secagem e conteúdos de umidade. Por outro lado, temperatura e atividade de água elevadas foram suficientes para que a ameixa se tornasse mais viscosa e menos rígida. A degradação de vitamina C foi analisada primeiramente através de um teste estático...

Caracterização bioquímica da polifenoloxidase e da peroxidase de ameixa rubimel, polpa de cacau e estudo do efeito de agentes anti-escurecimento; Biochemical characterization of polyphenoloxidase and peroxidase of plum rubimel, cocoa pulp and study of the effect of agents anti-browning

Janai Cristiane Santos Nascimento Paz
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
38.18%
A reação de escurecimento enzimático ocorre em muitas frutas e vegetais quando certos compostos fenólicos são oxidados em reações catalisadas por enzimas como polifenoloxidase (PFO) (EC 1.14.18.1) ou peroxidases (POD) (EC 1.11.1.7). A ampliação das alternativas de conservação de frutas como a ameixa nacional Rubimel, cuja produção nacional tem aumentado nos últimos anos e da polpa de cacau, uma fruta de sabor exótico e muito agradável, muito consumida no Estado da Bahia, é necessária, pois possibilita a busca por mercado consumidor dos produtos derivados dessas frutas em regiões mais distantes, preservando a qualidade da fruta in natura. Este trabalho teve como objetivo caracterizar as enzimas polifenoloxidase e peroxidase presentes nas polpas de ameixa Rubimel e de cacau e estudar o efeito de alguns agentes antioxidantes na preservação da cor natural dessas polpas. O suco de ameixa Rubimel escureceu rapidamente após a extração. O extrato enzimático bruto obtido pela centrifugação da polpa de ameixa Rubimel apresentou atividade de polifenoloxidase (448U/g de polpa) e peroxidase (705U/g de polpa). Em estudo univariável (ensaio preliminar ao estudo do efeito combinado) a PFO do extrato bruto de ameixa Rubimel apresentou atividade ótima na faixa de temperatura de 30 a 35°C e pH 6...

Caracterização dos polissacarídeos pécticos da ameixa

Fernandes, Ana Paula Sérgio
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Neste estudo foram utilizados polissacarídeos pécticos provenientes de ameixas da variedade “Rainha Cláudia Verde” frescas, fervidas e confitadas, e que permaneceram no resíduo celulósico após a extracção sequencial com água quente, um agente quelante (imidazol), soluções de Na2CO3 e soluções alcalinas de KOH. Estas fracções, designadas SnCR, foram solubilizadas na água de diálise do resíduo celulósico. Os polissacarídeos pécticos presentes no SnCR foram sujeitos a uma hidrólise enzimática selectiva com endopoligalacturonase M2 de Aspergilllus niger, seguida de separação por exclusão molecular numa coluna com Biogel P6, dando origem a duas populações distintas, uma de oligossacarídeos de massa molecular superior a 6.0 kDa e outra de massa molecular menor que 1.0 kDa. Os oligossacarídeos de menor massa molecular foram caracterizados por ESIMS (espectrometria de massa com ionização por electrospray). Verificou-se que para a análise destes oligossacarídeos ácidos podem ser usadas as condições descritas para a análise de oligossacarídeos neutros, havendo apenas necessidade de eliminar o excesso de sal, por exemplo, com uma resina de troca iónica. Através da análise por ESI-MS e posterior fragmentação dos oligossacarídeos...

Effect of candying on volatiles and cell wall polysaccharides of “Ameixa d’Elvas” plums

Nunes, C.; Saraiva, J. A.; Rocha, S. M.; Coimbra, M. A.
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Resumo indisponível.

Effect of “Ameixa d’Elvas” plums candying on microstructure, texture and cell wall pectic polysaccharides composition

Nunes, C.; Santos, C.; Lopes da Silva, J. A.; Saraiva, J.; Coimbra, M. A.
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Resumo indisponível.

Influência do estádio de maturação e da embalagem de polietileno na frigoconservação de ameixa

Kluge,Ricardo Alfredo; Bilhalva,Aldonir Barreira; Cantillano,Rufino Fernando Flores
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1999 Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Um experimento visando verificar a influência do estádio de maturação e da embalagem de polietileno, durante o armazenamento de ameixa (Prunus salicina Lindl.) cultivar Amarelinha, foi realizado na Embrapa - Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado (CPACT), em Pelotas, RS. Foram utilizadas frutas em três estádios de maturação: verde, semimaduro e maduro, embaladas ou não em sacos de polietileno. O armazenamento refrigerado realizou-se a 0ºC e 90-95% UR, por 14, 28 e 42 dias, seguido da comercialização simulada por três dias a 25-26ºC. As frutas semimaduras foram as que perderam menos peso ao longo da frigoconservação e comercialização simulada. A embalagem de polietileno reduziu as perdas de peso para menos de 1% ao longo do armazenamento. As frutas não embaladas perderam até 7% em peso, apresentando sintomas de murchamento a partir dos 28 dias, principalmente as do estádio maduro. A firmeza de polpa e a acidez total titulável decresceram ao longo do experimento nos três estádios de maturação, e a perda elevada de acidez resultou em sobrematuração das frutas, principalmente aos 42 dias de armazenamento. Não ocorreu desintegração interna nas frutas e a incidência de podridões aumentou aos 42 dias. Conclui-se que o armazenamento refrigerado deve ser feito até os 28 dias.

Caracterização do fruto de ameixa silvestre (Ximenia americana L.)

Silva,Geomar Galdino da; Souza,Pahlevi Augusto de; Morais,Patrícia Lígia Dantas de; Santos,Elizângela Cabral dos; Moura,Renata Damasceno; Menezes,Josivan Barbosa
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
27.72%
A Caatinga nordestina apresenta diversificada riqueza em espécies vegetais. No entanto, a potencialidade dessas espécies como fonte de nutrientes importantes para dieta humana ainda é muito pouco conhecida. Dentre estas espécies, encontra-se a ameixa silvestre (Ximenia americana L.). O presente trabalho teve como objetivo caracterizar os frutos da ameixa silvestre em dois estádios de maturação. Os frutos foram colhidos na Caatinga próxima ao município de Mossoró-RN, em dois estádios de maturação, verde (casca verde) e maduro (casca amarela), sendo 90 frutos para cada estádio. Para a caracterização do fruto, realizaram-se as seguintes análises: massa fresca, comprimentos longitudinal e transversal, rendimento de polpa, vitamina C, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), pH e relação SS/AT. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, com dois tratamentos e seis repetições de 15 frutos para cada parcela. O fruto da ameixa silvestre é de formato arredondado, suculento e apresenta uma única semente tipo amêndoa. Considerando a polpa, ocorre mudança de coloração, passando da cor verde para a amarela, à medida que o fruto amadurece. Este fruto é considerado rica fonte de vitamina C que se encontra naturalmente na Caatinga nordestina...

Controle de moscas-das-frutas (diptera: tephritidae) em cultivo orgânico de ameixa pelo ensacamento dos frutos com diferentes materiais

Hernandes,José Luiz; Blain,Gabriel Constantino; Pedro Júnior,Mário José
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
Considerando a importância das moscas-das-frutas para a fruticultura e a importância da fruticultura de caroço para o Estado de São Paulo, foi instalado experimento em cultivo comercial no município de Jundiaí-SP, com o objetivo de avaliar a eficiência do ensacamento de ameixas em cultivo orgânico. Os tratamentos utilizados foram: testemunha (sem proteção), sacolas de papel branco impermeável, sacolas de tecido não tecido (TNT) branco, de diferentes dimensões, e sacolas de polipropileno microperfuradas transparentes. O ensacamento dos frutos foi efetuado em 30-09-2011, quando eles apresentavam cerca de um a dois centímetros de diâmetro, em pomar que não recebeu nenhum tratamento fitossanitário para controle de moscas. A colheita dos frutos foi realizada em 30-12-2011, e os frutos avaliados em relação à coloração e à perda pelo ataque de moscas, na colheita e na pós-colheita. Todos os tratamentos avaliados controlaram a mosca-das-frutas, destacando-se o TNT, com apenas 4% de infestação dos frutos, podendo-se concluir ser este material eficiente para redução de perdas, podendo viabilizar o cultivo orgânico da ameixa.

Metodologia para detecção de infecções latentes de Monilinia fructicola em frutas de caroço

Moreira,Luciene Martins; Mio,Louise Larissa May-De
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
27.21%
O fungo Monilinia fructicola, causador da podridão parda, é o patógeno mais importante economicamente para as fruteiras de caroço. O fungo infecta desde a fase de floração, podendo ficar latente nos frutos e manifestar sintomas durante a colheita e pós-colheita. O presente trabalho objetivou avaliar metodologias para detectar infecções latentes em frutos em desenvolvimento para diferentes cultivares de fruteiras de caroço. Foram escolhidas oito cultivares de fruteiras de caroço para avaliar infecções latentes de M. fructicola. Para tanto, coletaram-se 30 frutos de cada cultivar, separando-os em dois lotes de 15 frutos, sendo um deles submetido à imersão, por dois minutos, em solução de etanol 70%, posteriormente em hipoclorito de sódio 2%, e finalmente lavados em água esterilizada. O tratamento para o segundo lote de frutos foi semelhante ao anterior, acrescido de solução de paraquat 2% (paraquat - 200g L-1, Gramocil- SC) após o hipoclorito. Após os tratamentos, os frutos foram postos em câmara úmida em embalagens plásticas contendo papel de filtro umedecido, à temperatura ambiente. A avaliação da incidência da doença foi feita a cada 48 horas por um período de 10 dias. As infecções latentes foram detectadas na maioria das cultivares avaliadas com os dois métodos...

Caracterização da estrutura química e avaliação da atividade antiúlcera de polissacarídeos extraídos da ameixa seca (Prunus domestica)

Jungles, Thaisa Moro Cantu
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.72%
Resumo: As ameixas secas são os frutos desidratados de Prunus domestica, que podem ser diretamente consumidos, ou ainda, empregados em diversas preparações culinárias. Além disso, em muitos países, as ameixas secas são popularmente utilizadas no tratamento de distúrbios gastrointestinais. Com relação a sua composição química, carboidratos são os principais macronutrientes presentes em ameixas secas. Entretanto, a estrutura de seus polissacarídeos ainda é pouco conhecida. Este trabalho apresenta a extração, a purificação e a caracterização estrutural e a atividade antiúlcera gástrica de polissacarídeos de ameixas secas. As ameixas secas tiveram seus polissacarídeos extraídos por extração aquosa em temperatura ambiente e a quente, e extração alcalina a quente. Após diversas etapas de purificação dos polissacarídeos provenientes do extrato aquoso da ameixa, foram originadas as frações AGI-50R e AGI-50E, que apresentaram-se homogêneas quando analisados por HPSEC-MALLS, com Mw de 62 kDa e 17 kDa, respectivamente. A composição monossacarídica de AGI-50R e AGI-50E indicou a presença de Ara, Gal, Rha e GalA numa proporção molar de 47,8:31,5:10,7:10,0 e 39,6:50,3:5,1:5,0, respectivamente. Análise de metilação e espectroscopia de RMN-13C indicaram que ambos os polissacarídeos eram arabinogalactanas do tipo I (AG-I)...

Efeito do processamento nas caracteristícas físico-químicas da ameixa d'Elvas : alterações ao nível dos polissacarídeos das paredes celulares, enzimas, aroma e textura

Nunes, Cláudia Sofia Cordeiro
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
28.3%
As Ameixas d’Elvas são ameixas (Prunus domestica L.) da variedade ‘Rainha Cláudia Verde’ produzidas numa área geográfica delimitada do Alto Alentejo e detentoras de uma Denominação de Origem Protegida (DOP) reconhecida pela União Europeia. A confitagem deste fruto, por um processo tradicional, origina um produto de grande valor acrescentado, denominado de Ameixa d’Elvas confitada. O processo da confitagem da Ameixa d’Elvas consiste num cozimento dos frutos inteiros, colhidos num grau de maturação bem definido (16-17 ºBrix e 1 meq de ácido málico por 100 g de fruto fresco) durante 15 minutos e em seguida as ameixas são colocadas numa calda de açúcar que vai sendo concentrada sucessivamente até atingir os 75 ºBrix. As ameixas são mantidas nesta calda durante, pelo menos, 2 meses. O principal objectivo deste trabalho foi a compreensão e resolução de um problema industrial na confitagem da Ameixa d’Elvas. O problema consiste na impossibilidade de confitar ameixas de um pomar (Cano) localizado na região delimitada pela DOP, pois os frutos perdem a integridade com o cozimento. Com este intuito, as Ameixas d’Elvas foram caracterizadas a nível físico-químico e as transformações bioquímicas, químicas e físicas que ocorrem com a confitagem foram estudadas em ameixas provenientes de dois pomares...

Study of the volatile components of a candied plum and estimation of their contribution to the aroma

Nunes, Cláudia; Coimbra, Manuel A.; Saraiva, Jorge; Rocha, Sílvia M.
Fonte: Elsevier Publicador: Elsevier
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
27.72%
A methodology comprising the combination of sample analysis by simultaneous distillation and extraction (SDE) and headspace analysis by solid phase microextraction (HS-SPME) is proposed to characterise the volatile fraction and to estimate its contribution to the aroma properties of heat treated sugar-rich fruits. In the present study, the volatile composition of “Ameixa d’Elvas”, a traditional candied plum, was established by SDE. It reflects the complexity of the reactions and rearrangements that happen during the fruit ripening plus those occurring due to the thermal processing in presence of sucrose. HS-SPME allowed to detect the volatile compounds present in the headspace of the intact pulp, potentially responsible for the aroma properties. Eleven compounds were determined as the would-be impact odourants of “Ameixa d’Elvas”, which are associated with sweet, cooked, and fruity odours. All would-be impact odourants of “Ameixa d’Elvas” fruits, except one, were also detected in the sucrose syrup headspace where the fruits have been submersed. This study indicates that, together with the pulp of the processed fruit, syrup contains compounds that can contribute to the aroma of candied fruits.

Estudo das modificações físico-químicas ocorridas durante a confitagem da Ameixa d'Elvas

Nunes, C.; Silva, J. A. L.; Santos, C.; Rato, A. E.; Barroso, J. M.; Rocha, S. M.; Saraiva, J.; Coimbra, M. A.
Fonte: SPQ, ESAV Publicador: SPQ, ESAV
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.72%
Neste trabalho estudaram-se as alterações da microestrutura, textura e polissacarídeos da parede celular durante a confitagem da Ameixa dlElvas. Foram utilizadas ameixas não processadas ("Rainha Claudia Verde"), cozidas e confitadas. As células do parênquima das ameixas cozidas e as das confitadas, quando comparadas com as do fruto não processado, apresentaram degradação da parede celular primária, aumento do espaço intercelular e ruptura da estrutura do xilema. Nos ensaios de perfuração da polpa verificou-se uma diminuição na consistência do fruto após a fervura e um aumento na consistência do produto confitado para valores semelhantes aos obtidos para a polpa da ameixa não processada. Nas ameixas cozidas e nas confitadas, os polissacarídeos pécticos encontram-se degradados e solubilizados ao nível da lamela média e da parede celular primária, sendo esta solubilização mais evidente no produto final. Os resultados obtidos sugerem que a consistência do produto final é recuperada pela retenção de água pela sacarose nos tecidos e pela gelificação dos polissacarídeos pécticos modificados pelo cozimento do fruto.

'Januária': nova ameixa de maturação tardia

Dall'Orto,Fernando Antonio Campo; Ojima,Mario; Barbosa,Wilson; Tombolato,Antonio Fernando Caetano; Rigitano,Orlando; Martins,Fernando Picarelli; Scaranari,Hélio José
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1985 Português
Relevância na Pesquisa
37.52%
'Januária' (IAC K-52) é um novo cultivar de ameixa obtido no Instituto Agronômico, dentro do seu programa de melhoramento varietal. Provém da polinização aberta do 'Kelsey Paulista', e tem como características principais a alta produtividade das plantas e a maturação tardia dos frutos, que são graúdos, globoso-cordiformes, de coloração vermelha e de sabor doce-acidulado suave.

Efeito da irrigação por gotejamento e taças e da cobertura morta na produtividade da ameixa 'Carmesim'

Arruda,Flávio Bussmeyer; Barreto,Geraldo Benedicto; Ojima,Mário
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1984 Português
Relevância na Pesquisa
27.52%
Foram estudados os efeitos da irrigação por gotejamento contínuo e gotejo mais cobertura morta, de capim comparado aos da irrigação semanal por taças na produção de um pomar novo de ameixa 'Carmesim' num período de dois anos. Medições da umidade do solo sob gotejamento contínuo possibilitaram determinar que a esfera de influência do gotejador era 40cm de raio e que pelo menos 10% do volume de solo ocupado pelas raízes era irrigado, no período de estiagem. O gotejamento contínuo foi uma garantia para a manutenção de um suprimento adequado de água às plantas, mas o volume total aplicado foi considerado elevado. Os resultados obtidos foram favoráveis ao tratamento por gotejamento continuo quanto ao total da produção em número e peso de frutos. A associação da cobertura morta mais gotejo não foi vantajosa na produção total, porém eficiente no aumento do peso médio dos frutos. Ambos os tratamentos por gotejamento tornaram mais precoce a produção de ameixa 'Carmesim'.

Avaliação da qualidade da ameixa ‘Rainha Cláudia verde’.: Métodos instrumentais vs avaliação sensorial

Ferreira,A.O.; Agulheiro-Santos,A.C.; Bernalte-García,M.J.; Ribeiro,G.
Fonte: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal Publicador: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
27.85%
Rainha Cláudia verde' (Prunnus domestica L. ssp Domestica) é uma variedade de ameixa conhecida como um produto regional típico do Alentejo, com interesse económico e social importante para a região e protegido com a Denominação de Origem “Ameixa de Elvas” reconhecida pelo decreto nº 49/94 20/01. Com este estudo pretendeu-se identificar quais os atributos sensoriais, que mais influenciam a Avaliação global das ameixas desta variedade e analisar a relação entre dados instrumentais e sensoriais. Para caracterizar a qualidade sob o ponto de vista instrumental foram analisados parâmetros físicos (perda de peso e cor da epiderme), reológicos (Firmeza da pele e da polpa) e químicos (concentração de sólidos solúveis totais e acidez). A qualidade sensorial foi estudada recorrendo-se a análise sensorial descritiva, para atributos visuais (Aspecto exterior, Cor da pele e Cor da polpa), de sabor e odor (Doce, Ácido e Sabores/aromas característicos da ameixa), texturais (Firmeza e Suculência) e a Avaliação global. Os atributos que mais contribuíram para a Avaliação global da qualidade destes frutos foram por ordem decrescente de importância: a Suculência, o Doce, os Sabores/aromas característicos da ameixa, a acidez e a Firmeza. No estudo das correlações entre parâmetros instrumentais e sensoriais foram encontrados correlações significativas entre o atributo Suculência e o parâmetro instrumental Firmeza da polpa (r = 0...