Página 1 dos resultados de 221 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Caráter e antropologia em Max Horkheimer; Character and Anthropology in Max Horkheimer

Paulo Henrique Yamawake
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
58.15708%
Na década de 1930, Max Horkheimer (1895-1973), como diretor do Institut für Sozialforschung de Frankfurt, organiza um programa coletivo interdisciplinar sobre fundamentos materialistas, no sentido empregado por Marx. Dentre as disciplinas, é notável o papel que Horkheimer dá à psicanálise para a investigação de fenômenos como a ideologia, as transformações sociais e seus bloqueios, bem como a ascensão do nazismo. Reunindo esforços da história, da teoria social e da psicanálise, Horkheimer elabora, no texto "Egoísmo e Movimento de Libertação" (1936), um diagnóstico de tempo baseado na antropologia da época burguesa, que revela qual a "essência" histórica do ser humano produzida pelo capitalismo. Esta pesquisa investiga como Horkheimer realiza esse diagnóstico e como ele fundamenta sua antropologia filosófica. Mas se o materialismo o impede de recorrer a noções idealistas como a de "natureza humana", Horkheimer busca, em conjunto com Erich Fromm (1900-1980), um fundamento para sua antropologia em um conjunto de conceitos da psicanálise que permita abrigar as transformações históricas. A hipótese apresentada pela pesquisa é a de que Horkheimer encontra no conceito de caráter a chave para compreender os traços de comportamento sobre uma perspectiva materialista. Em suma...

Esporte, técnica e juventude: notas sobre a antropologia filosófica de José Ortega y Gasset

Bassani,Jaison José; Vaz,Alexandre Fernandez
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
58.011445%
Trata o presente de uma investigação sobre o tema do esporte na obra do filósofo espanhol José Ortega y Gasset, tendo como fontes principais os doze volumes que compõem as Obras Completas do autor. Os resultados, expostos e discutidos a partir de três categorias articuladoras, revelam que o esporte, em articulação com a técnica e a juventude, temas que frequentemente aparecem inscritos no mesmo nexo interpretativo em Ortega, pode ser lido no contexto de sua obra como uma espécie de metáfora significadora do caráter lúdico e não-utilitarista da vida humana, interpretação em conformidade com as grandes questões que delineiam o núcleo central do arcabouço filosófico orteguiano. Conclui-se destacando o pioneirismo das análises de Ortega sobre o nascente processo de expansão do esporte e sua crescente importância social nas primeiras décadas do século XX, assim como a necessidade de se considerar a juventude como problemática filosófica e sociológica.

Da antropologia pragmática à antropologia bioética: o princípio da prudência-ponte dirimindo o reducionismo em bioética pertinente à vida humana no nível molecular

Chaves, Noêmia de Sousa
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
47.79247%
Essa tese tem como objetivo demonstrar que existe um reducionismo em bioética e que este se manifesta a partir de três formas: a) topológico; b) proximidade; e c) laicização da vida. Tais formas de reducionismos impedem a definição de um status moral e também de um trato prudencial com os materiais genéticos e os embriões humanos. Com isso, constata-se o acelerado avanço biotecnológico e a sua intrínseca relação com o mundo da política, da economia e da ciência, que tem gerado uma nova forma de atividade comercial, a saber, da vida humana no nível molecular. Tal situação suscita novos questionamentos. Entre eles, pode-se destacar o seguinte: os materiais genéticos humanos possuem valor ou preço? Tendo em vista a solução dessa questão, considera-se que o resgate do imperativo hipotético da prudência, de matriz kantiana, pode se constituir no fundamento de uma antropologia bioética e, a partir disso, balizar as relações – assimétricas – entre os pesquisadores, de um lado, e os materiais genéticos e os embriões humanos, de outro lado. Para tal, o princípio da prudência deve ser compreendido como prudência-ponte e ter, nesse sentido, realçado o seu caráter reflexivo e preditivo.Para realizar-se o trabalho...

Corporeidade e condição do humano no pós-humano: uma abordagem a partir da cristologia

Silva, Ronaldo Miguel da
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
47.971714%
Compreender a corporeidade e condição do humano no pós-humano pelo viés da cristologia é a proposta desta dissertação de mestrado. A condição humana está em vias de ser redesenhada em vista de uma possível nova antropomorfia em que a distinção entre vida natural e artificial não terá mais onde se balizar. O pós-humano desponta nesse contexto como o espaço ensurdecedor de construção de identidades funcionais, múltiplas e tecnológicas, aparentemente sem alma e sem autêntica humanidade. Eis um novo conceito de ser humano que não é nem o além-do-homem nietzschiano, que prometera a seu tempo ser portador de uma transmutação de todos os valores, nem o homem total marxista e feuerbachiano, promovendo-o à categoria de ídolo. Desafiado a compreender essa realidade, busca-se reaproximar as dimensões da antropologia filosófica, do contexto sociocultural contemporâneo e da fé, para a partir disso lançar um olhar profundo sobre os fenômenos dessa complexidade. A pessoa de Jesus Cristo é a chave hermenêutica para entender e resgatar o sentido integral da condição do ser humano contemporâneo. E os princípios da ética e da caridade são propostas para motivar um discurso humanitário consolidificador e restaurador em vista de homens e mulheres mais humanos e solidários. Ao final do estudo constatou-se que a corporeidade é um meio de revelação e presencialidade do humano. Preservá-la é...

¿Qué tienes que no hayas recibido? para una antropología fenomenológica en Michel Henry; Escritos

Sánchez Hernández, Olvani Fernando
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Formato: 287-312
Português
Relevância na Pesquisa
58.08222%
Volumen 22 No. 49; A partir de la duplicidad del aparecer, principio básico de la fenomenología radical elaborada por Michel Henry en continuidad y ruptura con el proyecto husserliano, se pueden plantear ciertas notas para una antropología filosófica. Esta fenomenología propone la vida como fenómeno originario y, al definirla como autoafección, postula la necesidad de reconocer en ella, por principio, la presencia de una ipseidad, de modo que no hay vida sin viviente ni viviente sin vida. Determinar cuáles sean las notas que definen la condición de dicho viviente sería la tarea de la antropología fenomenológica correspondiente. En atención a la enunciada duplicidad, dicho viviente —que es el hombre— ha de ser comprendido como pasividad radical respecto de la vida y como actividad constituyente respecto del mundo; From the concept of duplicity of appearing, basic principle of Michel Henry’s radical phenomenology which represents both a continuity and rupture with Husserl’s project, some points might be made for a philosophical anthropology. Such a phenomenology poses life as a primary phenomenon and, by defining it as self-affection, enunciates the necessity of recognizing in life the presence of an ipseity; in such a way that there is no life without a living being or a living being without life. Describing the features which define the conditions of such a living being is the aim of this phenomenological anthropology. Regarding the aforementioned duplicity...

Por la antropología, a la creatividad

Guerci de Siufi, Beatriz; Pérez del Viso de Palou, Rosa
Fonte: Murcia: Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones Publicador: Murcia: Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
57.971714%
A partir de reconocer que el inquirir es una capacidad específicamente humana, se entiende la pregunta como una herramienta cognoscitiva que permite remover un estado inicial de oscuridad y latencia, para alcanzar la construcción de conocimientos nítidos y susceptibles de ser comunicados. En ese pasaje se puede identificar una estructura de cuatro elementos: realidad, sujeto, lenguaje y relaciones sociales, que se condicionan dinámicamente. Esta interacción se puede transponer a la configuración del interrogar, en tanto hay un sujeto que dispara, desde lo aptitudinal y actitudinal, preguntas a una realidad que se presenta pero sobre la que interviene, expresándose y expresándola en un lenguaje que es producto del contexto en el que se articula. En el trabajo se propone un desarrollo de esos elementos desde la Antropología Filosófica, enfatizando en el papel que la aceptación de un mundo complejo cumple en la construcción del sujeto en sí mismo. Se intenta, de igual modo, avanzar en las particularidades que tales elaboraciones alcanzan, cuando la búsqueda da lugar al interrogar científico y filosófico, que requieren desde sus niveles más básicos, de un espíritu creativo.

La espiral del silencio. El imperio de la in-comunicación, el vacío y el aislamiento

Bernal Maz, Patricia Cecilia
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Tipo: doctoralThesis; Tesis Doctoral Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
48.19102%
La vigencia de la pregunta antropológica por el hombre en el contexto de una reflexión general sobre la naturaleza y la posibilidad de la comunicación es indiscutible e incuestionable. Así, la pregunta por lo que realmente somos no se puede hacer de espalda al hecho de que la técnica ha entrado a jugar un papel relevante en el escenario de la comunicación como una herramienta de compensación del hombre. Este es un hecho que debe ser examinado con cuidado, pues parece que nos hemos topado con una paradoja, ya que la intención social de la comunicación, a saber, la creación y cohesión del vínculo social, está amenazada por el mismo despliegue de la comunicación mediada por la técnica y La tecnología, pues parece que aquello que es posibilidad se ha convertido en la fuente de suimposibilidad. Es decir, aquello que ha facilitado el despliegue de la comunicación en nuestro siglo se ha convertido también en su peligro. Por ello, la ruptura del tejido social, el vaciamiento de sentido, el resquebrajamiento de la visión de mundo, la soledad del hombre y el surgimiento del individualismo, del hedonismo esquizofrénico son los fenómenos que nos muestran una crisis de sentido, que se expresa en lo que hemos denominado el malestar en la comunicación. No cabe duda que nos enfrentamos a una lenta precariedad de los vínculos humanos en una sociedad marcada por el individualismo...

A função da antropologia moral na filosofia pratica de Kant; The functional of moral anthropology in Kant's pratical philosophy

Alexandre Hahn
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
47.92985%
Pretende-se, neste trabalho, determinar a função da antropologia moral na filosofia prática de Kant. Na Metafísica dos costumes, a mencionada antropologia é designada como a contraparte (Gegenstück) da moral pura, isto é, como o outro membro (Glied) da filosofia prática. Tal concepção impulsionou a presente investigação, de entender como Kant concebe a conexão entre a moral e a antropologia, uma vez que o filósofo também parece demarcar uma rigorosa separação entre a moral e a antropologia. Em vista disso, este trabalho defenderá a tese de que a antropologia moral de Kant é uma ciência pragmática, cuja função consiste em aplicar a moral no homem. Dito de outra forma, pretende-se mostrar que a antropologia moral, tomada como a contraparte da moral, cumpre o papel de formar o caráter moral do homem. A fim de demonstrar essa tese, os dois primeiros capítulos apresentarão um panorama da metafísica dos costumes (filosofia prática pura), expondo os problemas e soluções apresentados por Kant, e as evidências que sustentam a necessidade de haver uma antropologia moral. O terceiro capítulo explorará a definição do conceito de uma antropologia kantiana. O quarto capítulo elencará e discutirá alguns elementos que compõem a natureza moral do homem. O último capítulo apresentará alguns dispositivos responsáveis pela formação moral do homem; The aim of this work is to determine the function of moral anthropology in Kant's practical philosophy. In the Metaphysics of Morals...

A questão da vida em Paul Ricoeur

Nascimento, Cláudio Reichert do
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
47.971714%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2014.; Esta tese trata da questão da vida em Paul Ricoeur. A investigação baseia-se na tese geral que existem diversas noções de vida em Paul Ricoeur e que elas dizem respeito ao homem, o que as vincula à antropologia filosófica. Além disso, as noções de vida devem ser consideradas dentro de uma abordagem contextual de acordo com as discussões filosóficas propostas por Ricoeur ao longo dos anos. Do ponto de vista metodológico, procura-se expor e discutir as noções de vida a partir de textos do filósofo, sendo que a bibliografia de referência consiste em Le volontaire et l?involontaire, Finitude et culpabilité, Le conflit des interprétations, Temps et récit e Soi-même comme autre. Partindo de Le volontaire et l?involontaire expõe-se inicialmente o projeto da fenomenologia da vontade acerca das categorias de voluntário e involuntário, que estruturam as possibilidades do homem. Mostra-se como a vida constitui um dos elementos do involuntário juntamente com inconsciente e o caráter. No segundo capítulo, trata-se da antropologia da falibilidade através da infinitude e finitude do homem...

Anthropology of Education for Teachers Training; Antropología de la educación para la formación de profesores

Bernal Martínez, Aurora; Universidad de Navarra
Fonte: Universidad de la Sabana Publicador: Universidad de la Sabana
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.83335%
The Anthropology of Education is a scientific discipline of recent apparition that is part of some programs destined to train professionals in education. Since the very beginning, it has mainly followed two directions: an Anthropology of Education with an empirical method and an Anthropology of Education with a philosophical method. We study the first tendency of predominant influence. A concise review of its history permits to conclude that, without leaving aside the knowledge achieved with this scientific task, the Anthropology of Education with a philosophical method can accomplish the formative function of educators in the initial phases. If these professionals carry out further programs in research-action, they require of the use of an empirical method and the Ethnography for the Anthropology of Education.; La Antropología de la Educación es una disciplina científica de reciente aparición que forma parte de algunos planes de estudio de las carreras destinadas a formar profesionales de la educación. Desde su inicio se ha configurado siguiendo principalmente dos enfoques: una Antropología de la educación con un método empírico y una Antropología de la educación con un método filosófico. Estudiamos la primera tendencia...

An Anthropological Proposal to Understand Children’s Resilience: Human Virtues; Una propuesta antropológica para la comprensión de la resiliencia en niños: las virtudes humanas; Uma proposta antropológica para a compreensão da resiliência nas crianças: as virtudes humanas

Cabrera, Victoria Eugenia; Universidad de La Sabana; Aya, Viviana Lucía; Universidad de La Sabana; Cano, Andrés Mauricio; Universidad de La Sabana
Fonte: Universidad de la Sabana Publicador: Universidad de la Sabana
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
48.763735%
The approach to resilience has undergone several changes over the years. Initially, it concentrated on the negative aspects persons generate in the midst of adversity. Subsequently, the focus has been on the positive characteristics that may develop as a result of these situations. The aim of this study is to reflect on how resilience can be understood and conceptualized from different theoretical perspectives and, thus, to find new ways to understand it based on human virtues from the perspective of philosophical anthropo­ logy. To do so, the authors reviewed empirical­analytic literature on studies that propose ways to assess and measure this concept. Although there are some proposals to measure resilience through different disciplines, none of the previous studies took into account human virtues as indicators of resilience from the standpoint of philosophical anthropology.; El abordaje de la resiliencia ha tenido algunas modificaciones a lo largo de los años. En un principio, se enfocaba en los aspectos negativos que las personas generaban en medio de la adversidad. Posteriormente, se ha centrado en las características positivas que pueden desarrollarse como producto de estas situaciones. El objetivo de este trabajo consistió en generar una reflexión sobre la manera de comprender y conceptualizar la resiliencia desde diferentes perspectivas teóricas y así generar una nueva manera de entenderla de acuerdo con las virtudes humanas desde la antropología filosófica. Para cumplir con este propósito...

Anthropology of Education for Teachers Training; Antropología de la educación para la formación de profesores

Bernal Martínez, Aurora; Universidad de Navarra
Fonte: Universidad de la Sabana Publicador: Universidad de la Sabana
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
47.83335%
The Anthropology of Education is a scientific discipline of recent apparition that is part of some programs destined to train professionals in education. Since the very beginning, it has mainly followed two directions: an Anthropology of Education with an empirical method and an Anthropology of Education with a philosophical method. We study the first tendency of predominant influence. A concise review of its history permits to conclude that, without leaving aside the knowledge achieved with this scientific task, the Anthropology of Education with a philosophical method can accomplish the formative function of educators in the initial phases. If these professionals carry out further programs in research-action, they require of the use of an empirical method and the Ethnography for the Anthropology of Education.; La Antropología de la Educación es una disciplina científica de reciente aparición que forma parte de algunos planes de estudio de las carreras destinadas a formar profesionales de la educación. Desde su inicio se ha configurado siguiendo principalmente dos enfoques: una Antropología de la educación con un método empírico y una Antropología de la educación con un método filosófico. Estudiamos la primera tendencia...

O social entre o céu e o inferno: a antropologia filosófica de Pierre Bourdieu

Peters,Gabriel
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.602764%
Diversos autores têm chamado a atenção para o fato de que quaisquer estudos sociocientíficos de modalidades específicas de ação e experiência humana em sociedade dependem de alguma espécie de "antropologia filosófica", isto é, de um conjunto de pressupostos gerais acerca "do que é ser um agente humano" (Taylor), sem os quais o próprio diagnóstico da variabilidade histórica e cultural das práticas de atores concretos tornar-se-ia impossível. Bourdieu mostrou-se sensível a esta tese e, sobretudo na fase mais tardia de sua carreira, dedicou-se a explicitar o modo como suas investigações histórico-sociológicas pressupunham e, ao mesmo tempo, contribuíam para a formulação de "uma ideia de 'homem'". O artigo retraça o percurso bourdieusiano em direção a essa antropologia filosófica, partindo de sua sociologia genética do poder simbólico, pensada aqui como uma forma de teoria crítica (latu sensu), para desembocar em um retrato da condição humana em que o reconhecimento ("capital simbólico") aparece como meta existencial fundamental pela qual os indivíduos buscam dar sentido às suas vidas e como fonte da infindável competição simbólica que mantém em movimento a vida social. A visão agonística do universo societário que alimenta seus estudos sociológicos retorna em sua antropologia filosófica sob a forma de uma síntese singular entre a ideia durkheimiana de que "a sociedade é Deus" e a tese sartriana de que "o inferno são os outros".

Hacia una propuesta semiótica y cultural del símbolo a partir de la Crítica del Juicio y las posibilidades de una ‘antropología del símbolo’ en el escenario de las Humanidades

Ballén Rodríguez, Juan Sebastián
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
48.211143%
A partir del horizonte filosófico de la tercera crítica kantiana, se propone hacer un acercamiento a la ‘teoría semiótica’ del símbolo que enlazaría dos ámbitos estructurales: el semiótico y el cultural o estético. Acompañado de las observaciones del filósofo y escritor italiano Humberto Eco, pretendemos igualmente actualizar las posturas kantianas sobre el símbolo dentro de los nuevos derroteros de la teoría semiótica general. Ubicados en el contexto teórico de la ‘semiótica general’, proponemos asumir una definición de lo humano a partir de la categoría filosófica del símbolo, tal y como la propone Ernst Cassirer en su Antropología filosófica, explorando, al mismo tiempo, las posibilidades metodológicas para una ‘antropología del símbolo’, propicia en el mundo actual en el que predomina, paradójicamente la seducción de la retórica de la imagen con la constitución ontológica de los mundos virtuales. Finalmente, mostraremos las incidencias de la propuesta de una ‘antropología simbólica’ en lo que se ha dado llamar (particularmente en España) bajo el título de antropología educativa.; One to depart from the philosophical horizon of the third Kantian critique, proposes him to make one an approximation ‘ theory semiótica ‘ of the symbol that would connect two structural areas: the semiotic and cultural or aesthetic. Accompanied of the observations of the philosopher and Italian writer Humberto Eco...

Günther Anders (Stern) : esbozo de una antropología filosófica negativa

Maomed, María C.
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
58.43045%
La “antropología filosófica negativa” que Anders construye a finales de los años veinte, presentada en la conferencia Die Weltfremdheit des Menschen (“La extrañeza del hombre respecto del mundo”) constituye uno de los primeros trabajos sistemáticos en que busca confrontar, sobre todo, a Heidegger y su ontología existencial del Dasein. Se trata de una antropología negativa que se aferra, más que a una definición a priori o a un sustrato teórico que dé cuenta de qué o quién sea el hombre, a la necesidad de tener que esclarecer su ser y su situación en el mundo sobre la base del estado indeterminado y contingente del mismo. Lo que define al ser humano es precisamente su no-definición, es decir, su indeterminación o aposterioreidad. A la naturaleza del hombre, a su carácter específico no le corresponde, en consecuencia, un modo especial ni superior frente al resto de los seres: su contingencia desvela la posibilidad misma de su inexistencia en el mundo. En suma,la “antropología filosófica negativa” quiere trazar desde su génesis la posición ontológica que le corresponde al ente-humano en el mundo, comprometida, en consecuencia, con la realidad y la acción concreta del hombre.; "e “Negative Philosophical Anthropology” constructed by author Günter Anders in the late twenties...

The social between heaven and hell: Pierre Bourdieu's philosophical anthropology; O social entre o céu e o inferno: a antropologia filosófica de Pierre Bourdieu

Peters, Gabriel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.602764%
Many authors have argued that any social-scientific study of specific modalities of human action and experience in society depends on some form of "philosophical anthropology", i.e, on a set of general presuppositions on "what it is to be a human agent" (Taylor) without which the very diagnosis of the historical and cultural variability of concrete agents' practices would become impossible. Bourdieu was sensitive to that thesis and, especially in the later phase of his career, attempted to make explicit that his historical-sociological investigations were founded upon, and the same time contributed to elaborate, an 'idea of "Man"'. The article retraces Bourdieu's path towards this philosophical anthropology, starting with his genetic sociology of symbolic power, conceived as a form of critical theory (latu sensu), and concluding with an account of the human condition in which recognition ("symbolic capital") appears as both the fundamental existential goal through which individuals attempt to obtain meaning to their lives and the source of the endless symbolic competition that keeps social life moving. The agonistic vision of the social universe that grounds his sociological studies returns in his philosophical anthropology under the guise of a singular synthesis between Durkheim's idea that 'Society is God' and Sartre's thesis that 'hell is other people'.; Diversos autores têm chamado a atenção para o fato de que quaisquer estudos sociocientíficos de modalidades específicas de ação e experiência humana em sociedade dependem de alguma espécie de "antropologia filosófica"...

The spirit of money; El espíritu del dinero; O espírito do dinheiro

Assmann, Selvino José; PPGICH/UFSC, Florianópolis/SC; Zhok, Andrea; Università degli Studi di Milano, Italia Dipartimento di filosofia
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Tradução;; ; Formato: application/pdf
Publicado em 22/07/2012 Português
Relevância na Pesquisa
48.602764%
ZHOK, Andrea. Lo spirito del denaro e la liquidazione del mondo. Antropologia filosofica delle transazioni. Milano: Jaca Book, 2006. p. 360-370. Tradução portuguesa de Selvino J. Assmann; ZHOK, Andrea. Lo spirito del denaro e la liquidazione del mondo. Antropologia filosofica delle transazioni. Milano: Jaca Book, 2006. p. 360-370. Tradução portuguesa de Selvino J. Assmann; http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n1p362 ZHOK, Andrea. Lo spirito del denaro e la liquidazione del mondo. Antropologia filosofica delle transazioni. Milano: Jaca Book, 2006. p. 360-370. Tradução portuguesa de Selvino J. Assmann Tradução de dois textos (um excerto de um livro e uma recente entrevista) originalmente publicados em italiano por Andrea Zhok, docente de Filosofia Moral na Università Statale de Milão. Ambos têm como tema geral a tentativa – ainda pouco comum na filosofia e nas ciências humanas - de compreender o que é o dinheiro, o que é a economia, e de quais as conseqüências dessa primazia do dinheiro e da economia nas relações entre os seres humanos. E por fim se procura verificar se há alguma possibilidade de sairmos de uma forma de vida marcada pela primazia do dinheiro e do mercado financeiro. Andrea Zhok escreveu dois livros para discutir especificamente estes assuntos: Il concetto di valore: dall’etica all’economia. Milano: Mimesis...

Impacto social de la muerte perinatal: aspectos antropológicos

Mendoza-Luján,J Erik
Fonte: Instituto Nacional de Perinatología Publicador: Instituto Nacional de Perinatología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2014 Português
Relevância na Pesquisa
48.08222%
La muerte perinatal se puede abordar desde el aspecto médico, legal, ético y sociocultural, por lo que es un evento transdisciplinario que exige un ejercicio de investigación que permita dilucidar los problemas a los que se pueden enfrentar los sujetos que se encuentran o se han visto inmersos en dicho evento. Por tal motivo, el presente trabajo aborda, desde la Antropología Filosófica y la Antropología de la Muerte, el impacto en los grupos y sujetos que se encuentran inmersos en el evento de la muerte perinatal.

Antropología filosófica y teoría social

Seoane C,Javier B
Fonte: INSTITUTO DE FILOSOFIA UCV Publicador: INSTITUTO DE FILOSOFIA UCV
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.19102%
El trabajo pretende aproximarse al carácter metateórico de la antropología filosófica en la teoría social. Para ilustrar dicho vínculo se procede a presentar sinópticamente algunos supuestos antropológicos en el caso de la sociología de la educación de Émile Durkheim. El trabajo resalta la trascendencia, no sólo teórica sino también práctica, que tienen las antropologías (filosóficas) y criptoantropologías en el campo de la ciencia social.

Defesa de uma antropologia filosófica da máquina

Vengeon, Frédéric
Fonte: Remate de Males Publicador: Remate de Males
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 07/07/2010 Português
Relevância na Pesquisa
48.011445%
A máquina é um dos grandes impensados da tradição filosófica, que cristaliza a condição de divórcio entre o pensamento e a condição do mundo contemporâneo, perturbando o reconhecimento dos vínculos que unem humanidade e artificialidade. Este ensaio procura estabelecer, para além da tecnofobia e da tecnofilia, o escopo de uma antropologia filosófica da máquina, a partir da reflexão sobre o nosso modo de relação com a artificialidade, a operacionalidade, os automatismos. Se o uso da máquina não deixa de ser uma maneira de refletir sobre a configuração das funções humanas e sobre a potência que o homem mobiliza em sua relação técnica com o mundo, deveríamos aventar, inclusive, nesse contexto, a possibilidade de uma ética da artificialidade automatizada.