Página 1 dos resultados de 1167 itens digitais encontrados em 0.023 segundos

Estudo de competências emocionais e sua correlação com o auto-conceito

Silva, Carlos Alberto da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.092812%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde.; A Inteligência Emocional assume um papel cada vez maior, não só no bem-estar das pessoas mas também, enquanto factor primordial no sucesso e desenvolvimento pessoal, profissional e social. É um conceito que oferece uma perspectiva capaz de potencializar as cognições e respectivas decisões, a partir da energia emocional, como uma mais-valia para a eficácia na vida, tanto ao nível intra-relacional como inter-relacional (Mayer, Salovey & Caruso, 2000; Daniel Goleman, 2009; Arándiga & Tortosa, 2000). Diferentes estudos nesta área das ciências sociais e humanas, indicam que o indivíduo que experimenta emoções positivas, mobiliza uma energia motivadora que direcciona para a atenção e a aprendizagem, por oposição à energia das emoções negativas, inibidoras da atenção e da relação, instalando sentimentos de frustração e de menor envolvimento, que induzem o sujeito a estados de humor facilitadores da depressão e ansiedade (Mayer, Salovey & Caruso, 2000; Daniel Goleman, 2009; Arándiga & Tortosa, 2000). Por outro lado...

Auto-conceito / auto-estima e vinculação nas relações de namoro em estudantes do ensino secundário

Custódio, Susana Margarida Rodrigues; Domingues, Carla; Vicente, Lindsay; Silva, Marta; Dias, Mónica; Coelho, Sara
Fonte: Instituto Politécnico de Leiria Publicador: Instituto Politécnico de Leiria
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /02/2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.164395%
Comunicação apresentada no VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia realizado na Universidade do Minho em Fev. 2010.; As relações de namoro, enquanto relações de vinculação, assumem uma importância fulcral no processo de desenvolvimento, com implicações no auto-conceito e na auto-estima. Este estudo visa avaliar o auto-conceito e auto-estima dos adolescentes, bem como a sua relação amorosa numa perspectiva de vinculação. Pretendemos igualmente analisar a relação entre estas variáveis e dados de caracterização sócio-demográfica e da relação de namoro. A amostra é constituída por 149 estudantes do 10.º, 11.º e 12.º anos. Recorreu-se à Escala de Auto-Conceito e Auto-Estima (Peixoto & Almeida, 1999) para a avaliação do auto-conceito e da auto-estima. Para estudar as representações da vinculação de adolescentes ao par romântico utilizou-se o Questionário de Vinculação Amorosa (QVA) (Matos & Costa, 2001). Os dados obtidos permitiram constatar a existência de diferenças em dimensões específicas do auto-conceito em função do sexo dos estudantes. Verificaram-se associações significativas entre aspectos específicos do auto-conceito e a vinculação ao par romântico.

Obesidade na adolescência : a repercussão no auto-conceito e o fenómeno da violência escolar

Felgueiras, Maria do Sameiro Ferreira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 07/11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
O presente estudo resulta do interesse pela obesidade na adolescência, nomeadamente, a sua repercussão no auto-conceito e a vivência da violência escolar, tendo como objectivo correlacionar as variáveis apresentadas. Assim, os questionários administrados foram o sócio-demográfico e clínico, a Escala de Auto-conceito de Susan Harter (1986) e o Questionário para o Estudo da violência entre pares no 3º ciclo do ensino básico de Freire, Simão e Ferreira (2005), a uma amostra de 30 adolescentes com obesidade, que frequentam a Unidade Funcional de Psicologia do Hospital Santa Maria Maior em Barcelos. Relativamente aos resultados, no que diz respeito ao auto-conceito, constatou-se que quanto mais elevado é o IMC, mais baixo é o auto-conceito Verificou-se, igualmente, que à medida que a vitimação aumenta, as dimensões do auto-conceito diminuem, o que pressupõe que as crianças vítimas de bullying apresentam baixo auto-conceito. Porém, na sua maioria os resultados não produziram associações estatisticamente significativas, nem foram encontradas diferenças significativas entre rapazes e raparigas. Com a obtenção destes resultados, espera-se que este estudo possa contribua para uma melhoria e avanço ao nível da investigação nesta área.; The present study results of interest in obesity in adolescence...

Auto-Conceito Sexual

Lima, Maria Luisa Pedroso; Sim-Sim, Margarida
Fonte: Psychologica Publicador: Psychologica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
68.153135%
Elegendo-se como assunto o auto-conceito e mais especificamente o auto-conceito sexual, procura-se um aprofundamento teórico do tema. Desenvolve-se a definição do auto-conceito e auto-conceito sexual, suas perspectivas historicas, natureza, estrutura e fontes que veiculam a sua construção. São descritos alguns modelos teóricos de auto-conceito e auto-conceito sexual diferenciando entre modelos unidimensionais e multidimensionais. Analisa-se o recente constructo de auto-conceito sexual sublinhando-se a sua importância e especificidade.

Competências académicas: relação entre a configuração familiar, auto-conceito e rendimento académico em alunos do 3º ciclo do ensino básico

Fonseca, Ana Isabel Simões
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
O presente trabalho tem como objectivo analisar a relação entre configuração familiar, auto-conceito e desempenho académico. Participaram no estudo 287 sujeitos de ambos os sexos, do 3º ciclo do Ensino Básico, da Escola Secundária Severim de Faria em Évora, dos quais 158 eram rapazes e 129 eram raparigas com idades compreendidas entre os 11 e os 17 anos (M=13,50;DP=1,08). Os alunos responderam aos Questionários “Rendimento Escolar”, “Eu e a minha Família” e a “Escala de Auto-Conceito” de Susan Harter. Os resultados revelam que não existe uma relação entre Tipologia Familiar e Auto- Conceito. Todavia encontrou-se uma relação positiva entre o tipo de família nuclear e o rendimento académico positivo. Não sendo um dado novo encontrou-se também uma relação entre auto-conceito e rendimento académico, sendo que, quanto mais positivo é o auto-conceito, maior é o rendimento académico. Por último aferiu-se uma relação positiva entre as variáveis familiares; rendimento académico positivo e auto-conceito positivo; ### Abstract: The current study aims to analyse the relationship between Family Structures, Self-Concept and Academic Achievement. This study involved 287 subjects from both genders, of the 3 rd Cycle of Basic Education...

Características psicológicas associadas à saúde: a importância do auto-conceito

Albuquerque, Carlos Manuel Sousa; Oliveira, Cristina Paula Ferreira de
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /07/2002 Português
Relevância na Pesquisa
68.18415%
Para compreensão do processo do desenvolvimento humano, torna-se imprescindível o recurso ao auto-conceito (Gecas,1982). Devido à sua importância, tal constructo tem sido estudado nas diversas áreas da Psicologia, das quais salientamos a Psicologia da Educação (Burns,1979; Crook,1984, Veiga, 1988, 1989), Psicologia Clínica (Vaz Serra,1986; Vaz Serra e Firmino,1986; Vaz Serra et al.,1986) e Psicologia Social (Gecas,1982; Neto,1986). Segundo Burns (1986), o auto-conceito é composto por imagens acerca do que nós próprios pensamos que somos, o que pensamos que conseguimos realizar e o que pensamos que os outros pensam de nós e também de como gostaríamos de ser. Para este autor, o auto-conceito consiste em todas as maneiras de como uma pessoa pensa que é nos seus julgamentos, nas avaliações e tendências de comportamento. Isto leva a que o auto-conceito seja analisado como um conjunto de várias atitudes do eu e únicas de cada pessoa. O auto-conceito tem um papel extremamente importante na medida em que tenta explicar o comportamento, ou seja, porque consegue manter uma certa consistência nesse mesmo comportamento, explicita a interpretação da experiência e fornece um certo grau de previsão (Burns,1986). Epstein (1973) afirma mesmo que "para os fenomenologistas...

Auto‐Conceito da Grávida – Factores Associados

Silveira, Carla Sofia Pascoal; Ferreira, Manuela Maria da Conceição
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
A gravidez, sendo um momento privilegiado de transformações pessoais e sociais, muda inevitavelmente a vida de uma mulher, ao ponto de questionar a sua própria identidade e conceito pessoal, em todo o processo de adaptção a uma nova condição e papel. A forma como a grávida vivencia todas as mudanças e os acontecimentos significativos exige, em termos desenvolvimentais, um duplo esforço físico e psicológico, nem sempre fáceis de gerir, no sentido de prevenir desequilíbrios e perturbações emocionais. Realizou-se um estudo quantitativo, transversal, decritivo-correlacional e analítico, com o objectivo de analisar o auto-conceito da grávida, bem como a influência de variáveis socio-demográficas e obstétricas. Utilizou-se para o efeito um questionário destinado à caracterização da amostra e o Inventário Clínico de Auto-Conceito de Vaz Serra (1986), tendo sido inquiridas 219 grávidas. Do estudo conclui-se que o exercício da actividade profissional influencia a auto-eficácia da grávida, mas não as outras dimensões do auto-conceito; o estado civil influencia o auto-conceito da grávida, excepto a dimensão maturidade pscológica; a paridade influencia a dimensão impulsivide/actividade; a patologia obstétrica...

Paternidade e auto-conceito: influência do envolvimento na gravidez, trabalho de parto e parto no estabelecimento do bonding pai-filho

Rodrigues, Verónica Raquel Oliveira
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
Enquadramento: O bonding, o laço emocional que é estabelecido entre a figura de vinculação e o bebé, tem sido fundamentalmente estudado entre a mãe e o filho. Existem ainda poucos estudos relacionados com o pai, mas sabe-se que as características deste, do bebé e do parto influenciam o envolvimento emocional paterno. Este estudo pretende contribuir para melhorar a compreensão desses factores, procurando esclarecer especificamente a importância do auto-conceito paterno no estabelecimento do bonding. Objectivos: O nosso objectivo é estudar o bonding entre o pai e o bebé. Mais especificamente, pretendemos analisar quais factores (sócio-demográficos, obstétricos, envolvimento paterno na gravidez, trabalho de parto e parto, e auto-conceito), de forma diferenciada, afectam o estabelecimento do laço afectivo entre a díade pai-filho. Métodos: Recrutámos 349 progenitores masculinos, com idades compreendidas entre os 19 e os 55 anos (DP=0,33). Para além de um questionário que pesquisava as características sócio-demográficas, obstétricas e do envolvimento do pai, foi administrado igualmente duas escalas, o Inventário Clínico do Auto-Conceito (VAZ SERRA, 1986b) e a Escala Bonding (FIGUEIREDO et al., 2005a), até às 48 horas após o parto. Resultados: Os pais mais novos (p=0...

Adesão terapêutica, auto-conceito e doença coronária

Cardoso, Ana Catarina Couto; Dias, António Madureira, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.169087%
É universalmente aceite a importância dos factores psicológicos, nomeadamente o auto-conceito, na doença coronária. O modo como a pessoa se vê a si própria poderá exercer influência no indivíduo contribuindo para uma melhor e mais rápida reabilitação, onde a adesão à terapêutica assume um papel primordial. Objectivos: este estudo pretende a) determinar a prevalência da adesão terapêutica; b) associar o auto-conceito com as características sócio-demográficas, sócio-familiares, clínicas, características relacionadas com os serviços de saúde e com a terapêutica farmacológica e c) avaliar a influência do auto-conceito na adesão terapêutica no indivíduo com doença coronária. Metodologia: estudo quantitativo, descritivo-correlacional e transversal em que participaram 96 indivíduos, utilizadores da consulta externa de cardiologia do Centro Hospitalar Tondela Viseu e do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, sendo que 78,1% são do sexo masculino, com idade média de 66,54±10,51anos, 75% casados, 60,4% reformados, 54,2% completou o ensino primário, 53,5% reside na aldeia, 43,8% aufere de um rendimento mensal inferior a 485€, 36,5% referindo ter algumas dificuldades financeiras. Resultados: têm elevada adesão ao tratamento 43...

As experiências depressivas da personalidade e o auto-conceito na idade adulta avançada

Sacoto, Carlota Ferreira da Cunha Borges
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.19425%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; O presente estudo foca as experiências depressivas da personalidade como definidas por Blatt e o auto-conceito de mulheres em idade avançada (mais de 60 anos) e tem como principais objectivos: (1) caracterizar as experiências depressivas da sua personalidade (2) caracterizar o respectivo auto-conceito (3) explorar a relação entre os tipos de personalidade e o auto-conceito desenvolvido durante a velhice. Participaram 96 mulheres com idades compreendidas entre os 60 e os 89 anos. Para a análise das experiências depressivas foi utilizado o Questionário de Experiências Depressivas (QED) de Sidney Blatt et al. (1979) adaptado para a população portuguesa por Campos (2000), para avaliar o auto-conceito utilizou-se o Inventário Clínico de Auto-conceito (ICAC) de Vaz Serra (1986) e para a recolha de dados demográficos utilizou-se uma ficha propositadamente concebida para o efeito. Verificou-se que (a) as experiências depressivas predominantes na amostra são características do factor Dependência, (b) a Auto-eficácia é o factor mais elevado do auto-conceito e (c) não existe relação entre as experiências depressivas e as variáveis sócio-demográficas de Estado civil e Com quem vive. Os resultados apontam para a estabilidade do auto-conceito e dos seus factores durante a idade avançada...

Auto-conceito e suporte social em adolescentes em acolhimento institucional

Nunes, Mónica Andreia Cabral
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; Este estudo foca o auto-conceito e o suporte social num grupo de adolescentes em acolhimento institucional. Pretende-se: caracterizar estas dimensões (em função do sexo e da idade), analisar a sua inter-relação, estudar a relação de cada uma delas com variáveis quer do contexto escolar/extracurricular, quer do acolhimento institucional, e determinar ainda se ocorrem diferenças entre a perspectiva dos técnicos e a dos adolescentes face a variáveis específicas do acolhimento. Participaram no estudo 30 adolescentes com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos. Para avaliar o auto-conceito e o suporte social foram utilizadas as adaptações portuguesas da PHCSCS-2 e do SSQ6 desenvolvidas, respectivamente, por Veiga (2006) e por Moreira e col. (2002). Foram ainda construídas duas Fichas, uma para ser respondida pelos técnicos e outra pelos adolescentes, com vista à recolha de informação específica (sociodemográfica, do contexto escolar e relativa ao acolhimento institucional). Verificou-se que não existem diferenças significativas no auto-conceito e no suporte social em função do sexo e da idade...

Objectivos motivacionais e rendimento escolar relação com a auto-estima, o auto-conceito académico e a qualidade da relação familiar em alunos do 12º ano de escolaridade

Saleiro, Florinda Maria Domingues Água-Morna
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2004 Português
Relevância na Pesquisa
68.231543%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; A motivação, a auto-estima, o auto-conceito e a qualidade da relação familiar são temáticas que têm merecido interesse substancial por parte dos teóricos da psicologia educacional, bem como, por parte de professores e pais dos alunos. Este interesse reside no facto de serem variáveis que, de algum modo, têm influência no rendimento escolar dos alunos. Com este estudo pretendemos perceber qual o tipo de influência que a motivação tem na aprendizagem dos alunos que frequentam o 12° ano de escolaridade. Pretendemos também perceber quais as relações que se estabelecem entre a motivação, a auto-estima, o auto-conceito, a percepção da relação com a família com o sucesso escolar. Os 185 participantes deste estudo frequentam o 12° ano de escolaridade e provêm de seis escolas secundárias do Baixo Alentejo, com idades compreendidas entre os 17 e os 22 anos. Para a avaliação das variáveis em estudo, foram aplicadas três escalas: a "Escala da motivação de Skaalvik", a "Escala do auto-conceito e auto-estima" e a "Escala da percepção da relação com a família". As variáveis de caracterização foram recolhidas através da folha de rosto do conjunto dos instrumentos. Foi também elaborado um modelo hipotético das relações entre as variáveis...

Aspectos psicológicos na obesidade mórbida : Avaliação dos níveis de ansiedade, depressão e do auto-conceito em obesos que vão ser submetidos à cirurgia bariátrica

Rocha, Carla; Costa, Eleonora Cunha
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.094106%
A obesidade é um problema de saúde pública considerando a sua elevada prevalência, a dificuldade no controlo e o elevado índice de reincidência. Metodologia: É um estudo com desenho correlacional e foi desenvolvido num Centro Hospitalar da Região Norte de Portugal (CHAA), com uma amostra não aleatória de 100 participantes, de ambos os géneros, com obesidade mórbida e candidatos à cirurgia bariátrica. O objectivo deste estudo consiste em avaliar os níveis de ansiedade, depressão e auto-conceito em obesos que vão ser submetidos à cirurgia bariátrica, mais concretamente, caracterizar o estado emocional (ansiedade, depressão) dos utentes com obesidade mórbida candidatos à cirurgia bariátrica, verificar a relação entre os níveis de ansiedade, depressão e o auto-conceito, analisando se existem relações significativas entre as dimensões do auto-conceito (aceitação/rejeição social, auto-eficácia, maturidade psicológica, impulsividade/actividade) e a ansiedade e depressão. Pretende-se ainda verificar a relação existente entre o IMC e a ansiedade, depressão e avaliar a relação entre o IMC) e o autoconceito. Para a realização do presente estudo foi administrado um Questionário Sócio-Demográfico e Clínico...

Perturbações do comportamento alimentar em adolescentes e estilos de vida, sua relação com a percepção do auto-conceito e imagem corporal

Silva, Maria Augusta Borralho Carvalho Pacheco da
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.153135%
Tendo como ponto de partida, o quadro conceptual esboçado a partir dos estudos revistos, procuramos nesta investigação analisar as perturbações do comportamento alimentar em adolescentes/estilos de vida, sua relação com a percepção do auto-conceito e imagem corporal. A amostra foi constituída por 405 alunos (232 do género feminino e 173 do género masculino) do ensino secundário (11º e 12º anos), com idades compreendidas entre os 15 e os 20 anos. Os participantes preencheram um questionário, dividido em 3 partes: sócio-demográfico/estilos de vida, escala sobre a percepção da imagem corporal – Relationship Between Body Image Percent Body Fat Among College Male Varsity Athletes and Non-athletes (Huddy, D. C.; Nieman, D. C. e Johnson, R. L. 1993 ) e escala da percepção do auto-conceito – The self-perception profile for college (Newman & Harter 1986). Neste estudo tivemos como principal objectivo, analisar as perturbações do comportamento alimentar/Índice de Massa Corporal a partir do impacto das variáveis psicológicas como: percepção do auto-conceito, imagem corporal, ambiente familiar, estilos de vida, numa amostra de adolescentes. A determinação do IMC mostra que a maioria dos adolescentes apresenta peso normal (71%). Apenas 14...

A influência do desporto escolar e do desporto federado no auto-conceito dos adolescentes do concelho de Cabeceiras de Basto

Gonçalves, Carlos Manuel Brazeta
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
Cerca de 25 por cento dos portugueses sofre de depressão. Esta doença mental tem tendência a aumentar, embora passe muitas vezes despercebida. O facto de uma pessoa ter um auto-conceito positivo poderá ajudar na prevenção deste tipo de patologias. A adolescência constitui um período privilegiado de reconstrução e reconhecimento de si próprio. Este trabalho pretendeu compreender qual o sistema desportivo organizado (escolar e federado) que influencia de forma mais positiva o auto-conceito dos adolescentes. A amostra total (n=120) foi composta por um grupo de Não Praticantes (n=40), Praticantes Desporto Escolar (n=40) e um grupo de Praticantes Federados (n=40) do concelho de Cabeceiras de Basto com idade entre os 12 e os 17 anos (média: 14,5 anos – desvio padrão: 1,5). Foi utilizado o Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale 2 (PHCSCS 2) adaptado por Veiga (2006) para a população Portuguesa para recolher os resultados relativos ao auto-conceito global e às suas dimensões ansiedade, aspecto comportamental, estatuto intelectual, aparência física, popularidade e satisfação/felicidade. Para comparação das médias obtidas nas dimensões avaliadas foi utilizado o programa SPSS e o teste não paramétrico de Mann-Whitney-U (Wilcoxon W) (p< 0...

Desenvolvimento do auto-conceito físico nas crianças e nos adolescentes

Faria, Luísa; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
O aumento dos estudos sobre o auto-conceito, nos mais variados domínios da existência, entre eles o desportivo, está relacionado com o seu valor e o seu poder preditivo da realização e do bem-estar psicológico global dos indivíduos. Assim, com o objectivo de contribuir para uma maior clarificação do domínio de investigação e de intervenção no auto-conceito físico, analisam-se e discutem-se os seguintes tópicos: (1) o problema da definição e da delimitação conceptual do auto-conceito; (2) os aspectos desenvolvimentais do auto--conceito na transição da infância para a adolescência; (3) a definição e o desenvolvimento do auto-conceito físico; (4) os contributos da actividade física para a sua promoção; (5) a construção de teorias pessoais acerca do self físico; e, por fim, (6) são apresentadas propostas de intervenção para a promoção do auto-conceito em crianças e adolescentes, centradas na construção progressiva da autonomia dos indivíduos, logo, do seu bem-estar físico, psicológico e social.

Aspectos psicológicos na obesidade mórbida: Avaliação dos níveis de ansiedade, depressão e do auto-conceito em obesos que vão ser submetidos à cirurgia bariátrica

Rocha, Carla; Universidade Católica Portuguesa, Braga; Costa, Eleonora; Universidade Católica Portuguesa, Braga
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
A obesidade e um problema de saúde publica considerando a sua elevada prevalência, a dificuldade no controlo e o elevado índice de reincidência. Metodologia: E um estudo com desenho correlacional e foi desenvolvido num Centro Hospitalar da Região Norte de Portugal (CHAA), com uma amostra não aleatória de 100 participantes, de ambos os géneros, com obesidade mórbida e candidatos a cirurgia bariatríca. O objectivo deste estudo consiste em avaliar os níveis de ansiedade, depressão e auto-conceito em obesos que vão ser submetidos a cirurgia bariatrica, mais concretamente, caracterizar o estado emocional (ansiedade, depressão) dos utentes com obesidade mórbida candidatos a cirurgia bariatrica, verificar a relação entre os níveis de ansiedade, depressão e o auto-conceito, analisando se existem relações significativas entre as dimensões do auto-conceito (aceitação/rejeição social, autoeficácia, maturidade psicológica, impulsividade/actividade) e a ansiedade e depressão. Pretende-se ainda verificar a relação existente entre o IMC e a ansiedade, depressão e avaliar a relação entre o IMC) e o autoconceito. Para a realização do presente estudo foi administrado um Questionario Socio-Demografico e Clinico, o Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS) de Zigmond e Snaith (1983) e o auto-conceito através do Inventario Clinico de Auto-Conceito (ICAC) de Vaz Serra (1986). Resultados: O estudo sugere uma associação estatisticamente significativa entre os níveis de ansiedade...

A influência do desporto escolar e do desporto federado no auto-conceito dos adolescentes do concelho de Cabeceiras de Basto

Gonçalves, Carlos Manuel Brazeta
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
Cerca de 25 por cento dos portugueses sofre de depressão. Esta doença mental tem tendência a aumentar, embora passe muitas vezes despercebida. O facto de uma pessoa ter um auto-conceito positivo poderá ajudar na prevenção deste tipo de patologias. A adolescência constitui um período privilegiado de reconstrução e reconhecimento de si próprio. Este trabalho pretendeu compreender qual o sistema desportivo organizado (escolar e federado) que influencia de forma mais positiva o auto-conceito dos adolescentes. A amostra total (n=120) foi composta por um grupo de Não Praticantes (n=40), Praticantes Desporto Escolar (n=40) e um grupo de Praticantes Federados (n=40) do concelho de Cabeceiras de Basto com idade entre os 12 e os 17 anos (média: 14,5 anos – desvio padrão: 1,5). Foi utilizado o Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale 2 (PHCSCS 2) adaptado por Veiga (2006) para a população Portuguesa para recolher os resultados relativos ao auto-conceito global e às suas dimensões ansiedade, aspecto comportamental, estatuto intelectual, aparência física, popularidade e satisfação/felicidade. Para comparação das médias obtidas nas dimensões avaliadas foi utilizado o programa SPSS e o teste não paramétrico de Mann-Whitney-U (Wilcoxon W) (p< 0...

Desenvolvimento do auto-conceito físico nas crianças e nos adolescentes

Faria,Luísa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
68.07088%
O aumento dos estudos sobre o auto-conceito, nos mais variados domínios da existência, entre eles o desportivo, está relacionado com o seu valor e o seu poder preditivo da realização e do bem-estar psicológico global dos indivíduos. Assim, com o objectivo de contribuir para uma maior clarificação do domínio de investigação e de intervenção no auto-conceito físico, analisam-se e discutem-se os seguintes tópicos: (1) o problema da definição e da delimitação conceptual do auto-conceito; (2) os aspectos desenvolvimentais do auto-conceito na transição da infância para a adolescência; (3) a definição e o desenvolvimento do auto-conceito físico; (4) os contributos da actividade física para a sua promoção; (5) a construção de teorias pessoais acerca do self físico; e, por fim, (6) são apresentadas propostas de intervenção para a promoção do auto-conceito em crianças e adolescentes, centradas na construção progressiva da autonomia dos indivíduos, logo, do seu bem-estar físico, psicológico e social.

Aspectos psicológicos na obesidade mórbida: Avaliação dos níveis de ansiedade, depressão e do auto-conceito em obesos que vão ser submetidos à cirurgia bariátrica

Rocha,Carla; Costa,Eleonora
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.094106%
A obesidade é um problema de saúde pública considerando a sua elevada prevalência, a dificuldade no controlo e o elevado índice de reincidência. Metodologia: É um estudo com desenho correlacional e foi desenvolvido num Centro Hospitalar da Região Norte de Portugal (CHAA), com uma amostra não aleatória de 100 participantes, de ambos os géneros, com obesidade mórbida e candidatos à cirurgia bariátrica. O objectivo deste estudo consiste em avaliar os níveis de ansiedade, depressão e auto-conceito em obesos que vão ser submetidos à cirurgia bariátrica, mais concretamente, caracterizar o estado emocional (ansiedade, depressão) dos utentes com obesidade mórbida candidatos à cirurgia bariátrica, verificar a relação entre os níveis de ansiedade, depressão e o auto-conceito, analisando se existem relações significativas entre as dimensões do auto-conceito (aceitação/rejeição social, auto-eficácia, maturidade psicológica, impulsividade/actividade) e a ansiedade e depressão. Pretende-se ainda verificar a relação existente entre o IMC e a ansiedade, depressão e avaliar a relação entre o IMC) e o autoconceito. Para a realização do presente estudo foi administrado um Questionário Sócio-Demográfico e Clínico...