Página 1 dos resultados de 463 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

A Cooperação Portuguesa no contexto da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (1998-2012): um ensaio de modelização

Faria, Raquel Marília Tavares
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
66.67%
A Cooperação Portuguesa, que se destacou nos últimos anos com a qualidade da Ajuda prestada, tem sofrido, desde 2011, uma série de alterações que se têm refletido em termos políticos e estruturais. De facto, não só se assistiu à fusão de 2 (dois) organismos distintos [o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) e o Instituto Camões, no novo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. (Camões-ICL)], como a língua passou a ser prioritária em relação à Cooperação (tal como mencionado aquando da discussão do Orçamento de Estado para 2013) e a diplomacia económica a estar no cerne da política externa portuguesa. Se a fusão levanta uma série de questões sobre o impacto que essa mudança terá no sistema de Cooperação, já que se observa uma mudança de natureza do configurador principal, as restantes parecem contrariar toda uma lógica de atuação ao nível das recomendações do CAD (Comité de Ajuda ao Desenvolvimento)/OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) e dos compromissos assumidos internacionalmente. A emergência de novas prioridades conduz a uma nova realidade (Cooperação + Língua + Diplomacia Económica) para a qual não existe, na nossa opinião...

O Instituto da cooperação portuguesa

Fontes, José
Fonte: Instituto Português da Conjuntura Estratégica Publicador: Instituto Português da Conjuntura Estratégica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2002 Português
Relevância na Pesquisa
56.3%
Estudo de ciência da administração sobre o Instituto da Cooperação Portuguesa

A política de cooperação portuguesa com os PALOP: contributos do Ensino Superior Politécnico

Mourato, Isabel Cristina dos Santos Duarte da Conceição
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
56.55%
RESUMO: É longínqua e indiscutível a ligação que se estabelece entre Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. No entanto, a manutenção dos laços de entreajuda e cooperação, embora desejada e expressamente manifestada por ambas as partes, nem sempre se consubstancia em acções concretas. É neste contexto que se insere o presente trabalho, tendo como objectivo investigar de que modo se materializa a Política de Cooperação entre Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, ao nível do Ensino Superior. Avaliamos concretamente a actuação das Instituições de Ensino Superior Politécnico, junto dos alunos oriundos daqueles países, no domínio da Acção Social e de que modo pode existir uma acção diferenciadora entre Instituições, capaz de captar alunos e de os acolher em melhores condições. Perante as carências e fragilidades encontradas naquela população, concluímos que existe um vasto campo de actuação onde as Instituições de Ensino Superior podem realizar os propósitos enunciados nos Acordos de Cooperação, estabelecidos com aqueles Países. Actuando em prol destes alunos efectivam assim as resoluções enunciadas para a Política de Cooperação Portuguesa em matéria de educação e divulgação da língua e cultura portuguesas...

Dez anos de cooperação portuguesa (1998-2008): Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique e S. Tomé e Príncipe

Faria, Raquel Marília Tavares
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
56.43%
Sendo a Cooperação para o Desenvolvimento é um “campo” de conhecimento capaz de se articular com o impacto da aplicação das políticas públicas, em países ditos subdesenvolvidos ou em vias de desenvolvimento, constitui como objectivo central da presente dissertação, modelizar a cooperação portuguesa, conceptualizando as variáveis que enformam o sistema de Cooperação e Desenvolvimento nacional. É expectável assim, transformar variáveis essencial e puramente, qualitativa, em variáveis quantitativas de modo a que toda a análise subjacente a esta temática nos mais diversos sectores, seja acompanhada de uma maior objectividade, clareza, precisão, abordagem e averiguação dos resultados das políticas de desenvolvimento e cooperação promovidas pelo governo português.; As the Development Cooperation is a "field" of knowledge can be linked with the impact of the implementation of public policies, so-called underdeveloped countries or in developing, constitutes the central objective of this thesis to model the Portuguese cooperation, conceptualizing the variables comprising the system of national Cooperation and Development. It is expected therefore become essential variables and purely qualitative, quantitative variables in a way that all the underlying analysis of this issue in various sectors...

Universidade de Évora e Cooperação com os Países de Língua Oficial Portuguesa: Casos de Estudo de Angola e Timor Leste

Lucas, Maria Raquel
Fonte: FORGES - Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa Publicador: FORGES - Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.6%
Existe um longo e inegável passado partilhado entre Portugal e os Países de Língua Oficial Portuguesa, visível em distintos aspectos, desde os políticos, aos económicos, sociais e culturais cuja sustentabilidade se alicerça fundamentalmente na língua portuguesa. Contudo, a manutenção das ligações de cooperação, embora desejadas e expressamente manifestadas por todas as partes, nem sempre se traduzem em acções concretas nem tem um rumo definido. Neste contexto, revisando a Política de Cooperação entre Portugal e os Países de Língua Oficial Portuguesa, ao nível do Ensino Superior, o presente trabalho procura avaliar concretamente a actuação da Universidade de Évora ao nível de dois projectos de mestrado desenvolvidos em Angola e Timor Leste. Como fontes de informação foram usadas as académicas no âmbito dos cursos do mestrado e outras disponíveis na literatura e on-line, assim como a recolhida através de uma entrevista on-line aos antigos alunos e responsáveis das instituições de acolhimento. As questões foram intencionalmente escolhidas de forma a abranger diferentes âmbitos e perspectivas, com implicações na cooperação, no curto e longo prazo. Os resultados encontrados indicam quatro pilares sustentadores das relações de cooperação da Universidade de Évora...

Democracia e Políticas e Práticas de Cooperação Transfronteiriça- ação prospetiva no Contexto do Alentejo-Extremadura

Viegas, Graça; Silva, Carlos
Fonte: APS - Associação Portuguesa de Sociologia Publicador: APS - Associação Portuguesa de Sociologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
56.3%
A antevisão de situações futuras e o desenvolvimento de estratégias de planeamento partem do pressuposto de que o futuro é o resultado de interações presentes, mas intercaladas com tendências históricas, pelo que há que conhecer a morfologia da cooperação transfronteiriça, quer na sua conceção e legitimação política e institucional no contexto da União Europeia, quer na observação da racionalidade da interação dos indivíduos nas regiões transfronteiriças, compreendendo a dinâmica e a diversidade de lógicas de apropriação dos diversos atores.

A política de cooperação portuguesa com os PALOP: contributos do ensino superior politécnico

Mourato, Isabel
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
56.55%
É longínqua e indiscutível a ligação que se estabelece entre Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. No entanto, a manutenção dos laços de entreajuda e cooperação, embora desejada e expressamente manifestada por ambas as partes, nem sempre se consubstancia em acções concretas. É neste contexto que se insere o presente trabalho, tendo como objectivo investigar de que modo se materializa a Política de Cooperação entre Portugal e os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, ao nível do Ensino Superior. Avaliamos concretamente a actuação das Instituições de Ensino Superior Politécnico, junto dos alunos oriundos daqueles países, no domínio da Acção Social e de que modo pode existir uma acção diferenciadora entre Instituições, capaz de captar alunos e de os acolher em melhores condições. Perante as carências e fragilidades encontradas naquela população, concluímos que existe um vasto campo de actuação onde as Instituições de Ensino Superior podem realizar os propósitos enunciados nos Acordos de Cooperação, estabelecidos com aqueles Países. Actuando em prol destes alunos efectivam assim as resoluções enunciadas para a Política de Cooperação Portuguesa em matéria de educação e divulgação da língua e cultura portuguesas...

A Cooperação técnico-policial no âmbito da CPLP: O papel da GNR

Mirandez, Luís
Fonte: Academia Militar. Direção de Ensino Publicador: Academia Militar. Direção de Ensino
Tipo: Outros
Publicado em 01/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.68%
Este trabalho enquadra-se nas Ciências Sociais, na especialidade das Relações Internacionais, e está subordinado ao tema “A Cooperação Técnico-Policial no âmbito da CPLP: o papel da GNR”. O objectivo é analisar a participação da Guarda Nacional Republicana nas acções de Cooperação Técnico-Policial Portuguesa com os países que constituem a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Para isso, optou-se por um método teórico-descritivo, recorrendo-se a análise de legislação, documentos oficiais, artigos e livros de autores especialistas na matéria, trabalhos académicos e a consulta de sítios oficiais. O trabalho encontra-se dividido em seis capítulos: a Apresentação do Trabalho, a Orientação Estratégica da Cooperação Portuguesa, a Estrutura Institucional da Cooperação Portuguesa, os Instrumentos de Cooperação Técnico-Policial Portuguesa, o Contributo da Guarda Nacional Republicana e as Conclusões e Recomendações. A Cooperação Técnico-Policial tem um papel preponderante no desenvolvimento dos Estados, essencialmente na capacitação institucional no sector da segurança. As acções de neste âmbito têm evoluído ao longo do tempo, privilegiando-se desde 2008 a formação de formadores estrangeiros em Portugal...

Cooperação para o desenvolvimento e consolidação da língua portuguesa: contributos teóricos e política linguística portuguesa

Pinto, Paulo Feytor
Fonte: Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Setúbal Publicador: Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Setúbal
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.63%
Este artigo explora a dimensão política e estratégica que a língua portuguesa tem nos programas portugueses de cooperação para o desenvolvimento. Para melhor compreender a política linguística portuguesa através da cooperação, num primeiro momento, é apresentado o quadro teórico que tem sido internacionalmente desenvolvido pelos estudos em política linguística e é feita uma brevíssima caracterização sociolinguística dos seis países que beneficiam da ajuda pública portuguesa: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Num segundo momento, são apresentados e analisados os documentos nacionais e da Comunidade de Países de Língua Portuguesa que atual e oficialmente orientam a cooperação pública portuguesa: Estratégia de Promoção da Língua Portuguesa (2008), Conceito Estratégico da Cooperação Portuguesa (2014), Plano de Ação de Brasília (2010) e Plano de Ação de Lisboa (2013). Por fim, apresentam-se perspetivas de desenvolvimento da política de difusão do português que, no enquadramento atual, poderão potenciar a aprendizagem da língua nos países beneficiários da ajuda pública portuguesa. Considerando a tendência para a adoção da educação bilingue no início de escolaridade...

A transnacionalização das políticas educativas : itinerários da cooperação portuguesa em Cabo Verde, Guiné-Bissau e S. Tomé e Príncipe (1974-2002)

Cruz, Maria Arlete Pereira da, 1959-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
56.3%
Tese de doutoramento, Ciências da Educação (Administração Educacional), 2009, Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação; The main focus of the present investigation is on the transnationalization of the education policies in Cape Verde, Guine-Bissau and San Tome and Prince from 1974 to 2002 and it deals mostly with the role played by the Portuguese co operants in this field, namely teachers, teacher trainers and education technicians. Our investigation is based mostly on the theoretical and empiric analysis of the problematic of the transnatio nalizaton of the education policies, bearing in mind the concepts formulated by several renowned authors like those by Stone(2001, 2004) as well as by Dolowitz and Marsch (2002) concerning the area of knowledge transfer. The concept transnationalization we have used throughout this dissertationshould be interpreted as a carrefour , that is, a crossroad of technical knowledge, resulting from the way the different mediators have shared their expertise and who gradually contributed to the implementation of the new education systems and the consolidation of the education policies of the countries just mentioned before. We have also analyzed specific points of reference connected both with globalization and organization sociology theories since the school is the main scope of action where the participants interact using diversified strategies due to their different interests and aims. Those schools are more and more confronted with education policies resulting from neoliberal assumptions therefore we label them terminals of the education policy journeys. The naturalist paradigm...

Os “clusters” e a reforma da Administração Pública na cooperação internacional portuguesa para o desenvolvimento

Sangreman, Carlos; Carvalho, Fernando
Fonte: ISEG - CEsA Publicador: ISEG - CEsA
Tipo: Pré-impressão
Publicado em //2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.61%
Este documento documento insere-se na investigação desenvolvida no âmbito do projecto “A cooperação descentralizada: os actores não estatais na dinâmica de mudança em países africanos – o caso da Guiné-Bissau e de Cabo Verde, 2000-2004“; O objectivo deste Paper é de ser uma contribuição para o conhecimento na teoria e na operacionalização prática do novo instrumento da cooperação portuguesa para o desenvolvimento – os clusters da cooperação – no que respeita aos países beneficiários da ajuda internacional e também no efeito que a sua criação e implementação pode ter na reforma das instituições públicas e privadas da cooperação em Portugal, sobretudo no Instituto de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) naquilo que chamamos o “efeito boomerang”. Quanto à dimensão teórica, defendemos que só a ligação desse conceito ao de benchmarking, tal como é entendido no processo de reforma da Administração Pública em curso, permitirá torná-lo uma medida de política real – por oposição a medidas virtuais anunciadas e nunca operacionalizadas - e com um contributo inovador na reforma das instituições públicas e dos actores não estatais que constituem os intervenientes no campo da Cooperação Portuguesa (CP)...

A cooperação internacional para o desenvolvimento na viragem do século: a cooperação portuguesa com Timor Leste

Mesquita, Ana Virgínia Guedes
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2004 Português
Relevância na Pesquisa
56.67%
Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional; Em 1999, o grupo dos principais beneficiários da ajuda pública ao desenvolvimento de Portugal, ocupado desde sempre pelos cinco países africanos de língua oficial portuguesa, sofreu uma mudança considerável ao contar com a inclusão de Timor Leste. Esta mudança é ulterior à viragem na história ocorrida no país nesse mesmo ano. Subjugado ao domínio indonésio durante 24 anos, após mais de 400 anos de colonização portuguesa, Timor apenas deu início ao seu caminho para a independência no seguimento da consulta popular de 30 de Agosto de 1999. A proclamação da República Democrática de Timor Leste aconteceria formalmente em 20 Maio de 2002. Durante a transição para a independência, Timor Leste contou com o apoio da comunidade internacional, sendo palco de ensaio de uma experiência de cooperação multilateral única, na qual Portugal também participou. Porém, à cooperação portuguesa com Timor faltou a capacidade de definir claramente prioridades, que lhe permitissem apoiar e desenvolver projectos de cooperação para o desenvolvimento sustentáveis e adequados à realidade local. Aliás, a apreciação final é a de que a cooperação com Timor respondeu fundamentalmente...

Os clusters como instrumento da cooperação internacional portuguesa para o desenvolvimento, o caso da Ilha de Moçambique

Proença, Carlos Sangreman; Silva, Sandra
Fonte: ISEG - CEsA Publicador: ISEG - CEsA
Tipo: Outros
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.47%
A política de cooperação entre países doadores e destinatários tem-se alterado significativamente nos últimos anos. Apesar das próprias problemáticas terem-se alterado, os actores dos países desenvolvidos em conjunto com parceiros nacionais e internacionais estão a tentar encontrar novos instrumentos e modalidades de cooperação para o desenvolvimento. Portugal não é excepção, e uma nova política de cooperação foi recentemente (re)descoberta. Esta centra-se no conceito de cluster que tem sido nas últimas décadas utilizado por decisores políticos enquanto instrumento de promoção da competitividade e inovação (Porter, 1990, 1998, 2000). Sob a estratégia orientadora intitulada “Uma visão estratégica da Cooperação Portuguesa” adoptada em 2005, Portugal tem reconhecido a necessidade de desenvolver esforços para adoptar este novo instrumento. Este "é composto de um número de projectos que são implementados por diferentes instituições, na mesma área geográfica e dentro de um quadro comum" (IPAD, 2005: 52). Dentro deste cenário, esta comunicação foca o caso Português, como um caso potencial para tentar perceber a potencialidade como inovação e a coerência política dos objectivos e estratégias subjacentes à criação dos clusters de cooperação. Assim...

O desenvolvimento do setor educativo africano como prioridade da APD portuguesa (1998-2011)

Faria, Raquel
Fonte: ISEG - CEsA Publicador: ISEG - CEsA
Tipo: Outros
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.52%
A política de Cooperação Portuguesa desde cedo estabeleceu como prioridade central os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), devido aos laços históricos e socioculturais, que caraterizam uma relação com mais de 35 (trinta e cinco) anos. Conhecida pelos seus objetivos de redução da pobreza; de reforço da Democracia e do Estado de Direito; de promoção tanto do crescimento económico como do diálogo, das integrações regionais e de uma parceria europeia para o desenvolvimento humano, a Cooperação nacional tem desempenhado um papel crucial no desenvolvimento africano, particularmente, ao nível do setor educativo. Efetivamente, os dados mostram-nos que esta tem sido uma das áreas de intervenção prioritária, independentemente, dos diferentes governos constitucionais que nos últimos anos assumiram o poder. Segundo, o IPAD (2011), a cooperação técnica enquanto modalidade da Ajuda mais utilizada nos últimos tempos, reflete-o de forma clara e inequívoca no período compreendido entre o ano de 1996 e o ano de 2010: 38% da distribuição setorial da cooperação técnica foi direcionada para a educação, a que seguiu o governo e a sociedade civil com 24%, sendo que a nossa investigação isso o confirma demonstrando...

Cooperação na área da educação enquanto fator portador/produtor de futuro

Carvalho, Francisco
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
A cooperação e os intercâmbios internacionais nos domínios da educação têm conhecido um interesse crescente, podendo falar-se de um fenómeno de globalização da educação e dos seus impactos diferenciados. Tendo em conta a importância da cooperação na área da educação, a comunicação começa por uma contextualização da mesma, seguindo-se uma breve abordagem do quadro informador da cooperação portuguesa com os PALOP, após o que são identificados alguns dos desafios e oportunidades que se perfilam. Como conclusão geral, sublinha-se que cooperar para valorizar capital humano, criando e desenvolvendo simultânea e sustentadamente capital social, a curto, médio e longo prazos, são imperativos de hoje atendendo aos desafios do futuro.

A Cooperação Portuguesa em São Tomé e Príncipe

Branco, Luís Castelo
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Centro de Estudos Africanos (CEA-IUL) Publicador: Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), Centro de Estudos Africanos (CEA-IUL)
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
56.43%
A intervenção da Cooperação Portuguesa (CP) em STP é desenvolvida através de Programas Indicativos de Cooperação (PIC), a qual tem procurado conjugar as necessidades e estratégias de desenvolvimento de STP, consubstanciado nas orientações e objectivos da Estratégia Nacional de Redução da Pobreza (ENRP), com as prioridades estabelecidas pelo Governo português relativamente à sua política de cooperação. Ao longo de 2012, será elaborado um novo PIC, o qual irá, por um lado, continuar a apostar nas áreas onde Portugal tem claras vantagens comparativas, Educação e Saúde, as quais são sectores chave para o desenvolvimento de STP. Por outro lado, irá apostar em novas áreas de intervenção, nomeadamente, na Capacitação Científica e Tecnológica e no Empreendedorismo e Desenvolvimento Empresarial.; The intervention of the Portuguese Cooperation in STP, operationalized through the Indicative Cooperation Programs (PIC), has sought to combine the needs and development strategies of STP, embodied in the guidelines and objectives of the National Strategy for Poverty Reduction (ENRP), with the priorities established by the Portuguese Government on its policy of cooperation. Throughout 2012, a new PIC will be prepared...

A competição estratégica na cooperação técnico-militar nos países africanos de língua oficial portuguesa

Baptista, Luís
Fonte: IESM Publicador: IESM
Tipo: Outros
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
46.54%
Portugal desenvolve cooperação técnico-militar (CTM) com os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) há mais de duas décadas, em apoio à política externa do Estado. Os importantes recursos naturais ali existentes, associados a um desenvolvimento económico sustentado, aumentaram o interesse de outros atores do sistema internacional, levando-os a desenvolver ou aprofundar a sua cooperação militar com os PALOP, competindo com os interesses de Portugal. Evidencia-se, desta forma a importância e atualidade do tema “A Competição Estratégica na CTM nos PALOP”. A investigação realizada teve como objetivo identificar as vantagens comparativas de Portugal, relativamente a outros competidores, e apresentar contributos para uma estratégia para a CTM que as permita potenciar. Para tal, o modelo de análise construído incidiu sobre as três grandes dimensões que se conjugam da dinâmica de cooperação militar com os PALOP: os interesses de Portugal e a contribuição da CTM para a sua concretização, os interesses e as necessidades dos PALOP, cuja satisfação é o foco da competição estratégica entre atores, e os interesses destes últimos, designadamente das Organizações Internacionais e dos Estados que se revelam mais ativos na cooperação com os PALOP...

Cluster de Maubara : de instrumento da cooperação portuguesa a um exemplo de economia social solidária?

Fialho, Daniela Filipa Subtil
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
56.52%
Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional; A presente dissertação aborda o modelo de Economia Social Solidária como uma forma de organização económica alternativa, através da sua conceptualização e da disposição dos pressupostos teóricos em que se sustentam as práticas conhecidas do modelo, o que servirá como base teórica para a análise do cluster de Maubara - estudo de caso desta dissertação. A partir do debate sobre a possível inclusão da Economia Social Solidária no discurso estratégico das instituições de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, é estabelecida a ponte entre o modelo social solidário e o cluster da cooperação internacional portuguesa. Denominado por Programa Mós Bele, este tem sido apresentado como um modelo de inovação e transformação social, dada a sua concepção holística e o seu modelo de criação de valor partilhado. Conseguindo promover uma autêntica apropriação da missão do programa por parte da comunidade, este instrumento da cooperação portuguesa tem gerado um impacto amplamente positivo em termos democráticos, económicos, sociais e ambientais. A leitura desse impacto à luz da bibliografia teórica da Economia Social Solidária além de permitir compreender qual o nível de integração do cluster de Maubara no conjunto das experiências sociais solidárias...

Promoção e difusão da língua portuguesa na República da Guiné: o PASEG e as OfLP

Oliveira, Manuel Fernando Castro
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
46.42%
A conjuntura de fragilidade que caracteriza a República da Guiné-Bissau aliada à pobreza do povo deste pequeno território da África Ocidental tem tido consequências catastróficas tanto na educação como no desenvolvimento do país. Cientes de que a educação constitui uma das chaves para a superação do subdesenvolvimento, o Governo guineense e a comunidade internacional têm reunido esforços, procurando inverter o cenário registado. O Estado português, sensível à situação do sistema educativo guineense, tem concentrado cerca de 50% do orçamento da ajuda destinada ao país, no âmbito da cooperação bilateral, à educação. Com este trabalho pretende-se analisar e compreender o impacto do projeto da cooperação portuguesa Programa de Apoio ao Sistema Educativo da Guiné-Bissau (PASEG), particularmente das Oficinas em Língua Portuguesa (OfLP), na promoção e difusão do português no país. Procura-se não só compreender se estes contribuíram para o desenvolvimento do sistema educativo guineense e para o uso do português nas escolas, como para a formação contínua de professores, a dinamização e requalificação das escolas, a implementação de uma abordagem do português como língua segunda e para uma aproximação dos jovens à língua oficial. A persecução dos objetivos da investigação resultará da aplicação de questionários e da recolha de testemunhos.

Análise estrutural da Cooperação Portuguesa passado, presente e futuro

Sangreman, Carlos; Faria, Raquel
Fonte: Direção Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas Publicador: Direção Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
56.36%
Comunicação apresentada no 3º Encontro de Conhecimento e Cooperação, INA, Lisboa, 17 de setembro de 2015