Página 1 dos resultados de 50 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Coparentalidade, parentalidade e sintomas de externalização e internalização em crianças em idade pré-escolar

Ribeiro, Cidália Maria
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
28.142463%
A presente dissertação foi orientada por uma perspectiva da Psicopatologia do Desenvolvimento dos Sistemas Familiares e pelo Modelo Ecológico da Coparentalidade de Feinberg (2003). Objetivo: A presente dissertação de mestrado pretendeu responder a dois objetivos. (1) Identificar diferenças nas variáveis parentais e coparentais em função da severidade dos sintomas de externalização (problemas de comportamentos e hiperatividade) em crianças em idade pré-escolar e (2) testar diferenças nas variáveis parentais e coparentais em função da severidade dos sintomas de internalização (problemas emocionais e problemas com os pares). Método: Um design transversal foi implementado para a recolha de dados. A amostra total foi composta por 61 pais da comunidade, que foram avaliados ao nível das dimensões da coparentalidade, parentalidade positiva, parentalidade inconsistente e ajustamento psicológico dos filhos. O protocolo de avaliação foi preenchido em casa pelos participantes e entregue em envelope selado aos educadores da instituição de ensino onde foram recolhidos os dados. Resultados: No objetivo 1 foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos de sintomas de externalização nas variáveis parentais e coparentais. Mais concretamente (a) nos problemas de comportamento...

Relações entre coparentalidade, funcionamento familiar e estilos parentais em uma perspectiva intergeracional

Böing, Elisangela
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 302 p.| il., grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
28.279092%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2014.; As mudanças na sociedade nas últimas décadas têm implicado em mudanças na configuração, na dinâmica familiar e nos papéis sociais de seus membros. Frente a estas mudanças, há um interesse crescente na temática da criação dos filhos. Percebe-se um movimento das pesquisas científicas de ampliação do foco: de relações diádicas, em geral mãe-criança, para interações triádicas ou mais amplas, ao incluir subsistemas familiares nas investigações. Na temática da criação dos filhos emerge, deste movimento, o conceito de coparentalidade. A relação coparental é compreendida como um subsistema familiar autônomo, triádico, produto da inter-relação entre dois adultos na condução e satisfação das necessidades das crianças. A presente tese teve por objetivo ampliar a compreensão da coparentalidade buscando identificar as relações desta com o funcionamento familiar em uma perspectiva intergeracional. Trata-se de um estudo exploratório descritivo e correlacional do qual participaram doze famílias biparentais com pelo menos uma criança de cinco a sete anos de idade. Os instrumentos utilizados foram: um questionário sociodemográfico; a Family Adaptability and Cohesion Evaluation Scales (FACES IV)...

Coparenting in fathers during the transition to parenthood; Coparentalidade em pais - homens durante a transição para a parentalidade

Pinto, Tiago Miguel Pires
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
38.47325%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica e da Saúde); Coparenting establishment is a new developmental task during the transition to parenthood with importance to the success of this developmental transition that needs to be better explored. However, only few studies have investigated (a) coparenting development path during pregnancy and (b) individual and dyadic processes associated to the positive resolution of this developmental task in fathers. Addressing these gaps on coparenting investigation, the aims of the present study are: (1) to analyze coparenting development path in fathers from the first trimester of pregnancy until childbirth, (2) to explore the effects of individual (depression and anxiety) and dyadic (partner’s relationship quality) dimensions on coparenting development path during this period in fathers, (3) to study differences in coparenting according to fathers’ depression, anxiety and partner’s relationship quality at the first trimester of pregnancy and (4) to study fathers’ depression, anxiety and partner’s relationship quality as predictors of coparenting at childbirth. The sample consists in 41 primiparous fathers. Three assessments were performed with the same measures: 1st and 3rd trimester of pregnancy and childbirth. A significant decrease in coparenting between the 1st trimester of pregnancy and childbirth was found. No effects for depression...

Coparentalidade em situação de divórcio : regras, rituais e rotinas de crianças em idade pré-escolar e escolar

Leitão, Inês de Carvalho
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 08/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.69354%
O objetivo central do presente estudo é a compreensão da vivência da coparentalidade em situação de divórcio e ainda a compreensão das regras, rotinas e rituais de crianças em idade pré-escolar e escolar. A presente investigação segue uma metodologia de índole qualitativa privilegiando a entrevista como método de recolha de dados. Foram entrevistados, tendo como base um guião, quatro pais e mães em situação de divórcio. Concluiu-se que os pais e mães em situação de divórcio percecionam como importante a comunicação com o seu par parental acerca dos seus filhos ainda que não concretizem essa mesma comunicação. A comunicação existente entre os pais/mães e o seu par parental diz respeito a questões mais relacionadas com a gestão de vida dos filhos (e.g. ir ao médico, ir a uma festa de aniversário…etc.) e com a gestão de tempo passado com a mãe e com o pai. Concluiu-se ainda que os participantes do nosso estudo apresentam no seu discurso representações mais negativas do que positivas acerca do seu par parental. Por fim, foi possível ainda concluir que os participantes do nosso estudo percecionam na sua vivência da parentalidade inúmeros desafios e gratificações, sendo que os pais...

Coparentalidade em famílias com filhos portadores de deficiência

Oliveira, Ana Luísa Borges
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
38.041094%
O conceito coparentalidade refere-se à forma como as figuras parentais trabalham conjuntamente os papéis de pais (Sifuentes & Bosa, 2010). O presente trabalho teve como objetivo estudar a qualidade da colaboração entre os pais/mães, bem como perceber qual a rede social de famílias com filhos/filhas portadores de deficiência. Participaram no presente estudo 55 pais e mães (n=55) com filhos/filhas portadores de deficiência do Norte e Sul do país, que responderam a duas escalas – Escala de Coparentalidade de McHale e a Escala de Apoio Social. Os principais resultados encontrados sugerem que a coparentalidade é mais positiva quando o casal vive numa relação conjugal e quando só existe um filho/filha. Concluímos, também, que existe uma relação positiva entre a dimensão integração familiar/afetividade e o apoio social prestado pelo cônjuge; Co-parenting in families with children caring disabilities Abstract: Co-parenting concept refers to the way how parenting figures work jointly their parenting roles (Sifuentes & Bosa, 2010). The primary goal of this investigation was to study the quality of collaboration between parents, as well as understand de social network of families with children caring disabilities. In the present study toke part 55 parents (n=55) with sons caring disabilities...

Coparentalidade e desenvolvimento de competências sócio-emocionais em crianças do 1º ciclo do ensino básico

Azinheiro, Lara Sofia Sousa
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
38.21911%
A coparentalidade conduz a um avanço na compreensão da família ao destacar a importância de relações harmoniosas estabelecidas entre os pais e os seus efeitos no desenvolvimento infantil (Frizzo, Kreutz, Schmidt, Piccinini, & Bosa, 2005). Neste quadro, o estudo realizado propôs-se a averiguar em que medida a coparentalidade se relaciona com o desenvolvimento de competências sócio-emocionais em crianças. Participaram 66 sujeitos de ambos os sexos com idades compreendidas entre os 7 e os 10 anos e os respetivos pais. Utilizaram-se o Inventário de Quociente Emocional de Bar-On: Versão para jovens (BarOn EQ-i: YV) e a Escala de Coparentalidade de McHale. Os resultados evidenciam a existência de relação entre a coparentalidade baseada na integração familiar e um dos domínios das competências sócio-emocionais, designadamente a adaptabilidade. Os resultados demonstram ainda a existência de diferenças na coparentalidade em função do tipo de família e do nível sócio-económico; ABSTRACT:Coparenting leads to a breakthrough in family understanding, highlighting the significance of harmonious relations established between the parents and their effects on child development (Frizzo, Kreutz, Schmidt, Piccinini & Bosa...

Contributos para a compreeensão da alienação parental : um estudo sobre a copaqrentalidade em mães e pais portugueses

Pereira, Marina Vanessa Cardoso
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
28.041094%
A dificuldade dos pais e mães no exercício da parentalidade e ainda o crescente número de divórcios nos países ocidentais têm feito surgir novos desafios e problemas que podem dificultar a coparentalidade. Estas mudanças reforçam o que na literatura é designado por Alienação Parental, isto é, quando o pai/mãe, através de estratégias manipuladoras, denegrindo a imagem do outro progenitor, o exclui da vida do filho e destrói o vínculo entre ambos, o que constitui uma situação de risco para as crianças/jovens (Fonseca, 2006). Este projeto de investigação pretende acrescentar contributos à compreensão da Alienação Parental através de um estudo exploratório sobre a coparentalidade em mães e pais divorciados, separados ou em processo de divórcio, quando comparados com progenitores casados ou em união de facto. Foi utilizada uma bateria de instrumentos, que inclui um Questionário Sociodemográfico e Familiar, o Questionário de Coparentalidade (Pedro & Ribeiro, 2008), que se encontra aferido para a população portuguesa e, por fim, um Questionário de Alienação Parental construído para este estudo. Após a análise descritiva e inferencial (p<.05) dos dados (testes não paramétricos), com uma amostra de 132 participantes...

Geometria social : um estudo sobre coparentalidade e resiliência em famílias portuguesas e imigrantes de baixo nível sócio-económico

Ferreira, Maria Ribeiro de Almeida da Cunha
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
28.142463%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; Com esta investigação pretende-se estudar a relação entre coparentalidade e resiliência, bem como as possíveis diferenças existentes no seu comportamento numa amostra de casais portugueses e noutra de casais imigrantes, ambas de baixo nível sócio-económico e de igual dimensão (N=30). Procurase, ainda, analisar a possível influência dos factores sócio-demográficos sexo e religiosidade no comportamento das referidas variáveis. Para isso, foram aplicados o Questionário de Coparentalidade (Margolin, Gordis & John, 2001) e a Escala de Resiliência de Connor e Davidson (2003) às referidas amostras e realizou-se uma entrevista a um dos casais imigrantes, utilizando o método de Inquérito Apreciativo. Completaram-se, ainda, os resultados com um mini-estudo comparativo, entre esta e uma amostra semelhante (N=60,) mas de nível sócio-económico médio-alto/alto, o qual revelou diferenças significativas em ambas as variáveis, coparentalidade e resiliência. Os resultados desta investigação apontam para uma relação moderada entre as variáveis...

Estilos parentais e coparentalidade : um estudo exploratório com casais portugueses

Esteves, Ana Sofia e Castro de Menezes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.900735%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; A presente investigação pretende analisar a influência das variáveis sexo e religiosidade, relacionadas com os progenitores, nos estilos parentais e na coparentalidade, assim como a correlação entre estas duas variáveis da parentalidade. Assim, foram aplicados dois instrumentos o Parenting Styles Dimension Questionnaire – PSDQ (Robinson, Mandleco, Olsen & Hart, 2001) e o Coparenting Questionnaire (Margolin, Gordis & John, 2001) a uma amostra de 170 casais portugueses (casados ou a viver em união de facto) com filhos. Os resultados demonstram que a variável sexo tem influência nos estilos parentais e na coparentalidade, enquanto que a religiosidade apenas teve influência nos estilos parentais. Verificou-se, também, que as variáveis da parentalidade deste estudo se correlacionam positivamente.; This investigation intends to analyse the influence the variables gender and religiosity, related to the parents, have in parenting styles and coparenting, as well as the correlation between these two parenting variables. Therefore, the Parenting Styles Dimension Questionnaire – PSDQ (Robinson...

Coparentalidade e estilos parentais educativos em contexto rural e urbano

Marques, Carina Maia
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
38.142463%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; No presente estudo foi investigada a relação entre a coparentalidade (cooperação, conflito e triangulação) e os estilos parentais educativos (autoritário e autoritativo), considerando o papel do contexto (rural/ urbano) como mediador dessa relação. Participaram na investigação, um total de 200 casais (100 residentes em contexto rurais e 100 residentes em contexto urbano) casados ou em união de facto, com filhos pré-adolescentes com idades compreendidas entre os 9 e os 13 anos. Para recolha de dados foram utlizados os seguintes questionários: questionário sócio-demográfio, o Questionário de Dimensões e Estilos Parentais (QDEP, Robinson, Mandleco, Olsen, & Hart, 2001; versão portuguesa de Pedro, Ribeiro, & Carapito, 2013) e o Questionário de Coparentalidade (QC, Margolin, Gordis & John, 2001; versão portuguesa de Pedro & Ribeiro, 2013). Os resultados mostraram relação entre a coparentalidade e os estilos parentais autorirário e autoritativo, em ambos os progenitores. A cooperação foi associdada positivamente com o estilo parental autoritativo e negativamente com estilo parental autoritário. O conflito coparental foi associado positivamente com o estilo parental autoritário e negativamente com o estilo parental autoritativo. Apesar de existir relação entre a coparentalidade e os estilos parentais educativos...

Apoio social percebido e coparentalidade, em contexto de bairro social : um estudo exploratório

Silva, Cátia Sofia Correia Jerónimo da
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
38.21911%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O presente estudo pretende expandir o campo de investigação sobre a relação de coparentalidade e abrir portas ao estudo do impacto do apoio social nesta relação, no contexto de bairro social. Este estudo investigou a associação entre apoio social percebido (aconselhamento e aliança fiável) e a relação de coparentalidade (cooperação e conflito) entre 100 figuras parentais, residentes em bairros sociais abrangidos pelo programa PER, da área metropolitana de Lisboa. Foi ainda examinado o papel moderador do par coparental, do sexo da criança/adolescente e do estatuto de emprego. Foram utilizados instrumentos de autorrelato para aceder às percepções das figuras coparentais sobre coparentalidade e apoio social percebido. Os resultados demonstraram que o aconselhamento se associava positivamente com a cooperação coparental e negativamente com o conflito coparental. O estatuto de emprego teve um papel moderador da relação entre apoio social percebido e coparentalidade: pais que não trabalham e percecionam maior provisão de aconselhamento...

“PApi – Pais por Inteiro” Programa de intervenção em grupo para o ajustamento pessoal e a promoção da coparentalidade positiva em pais divorciados

Lamela, Diogo; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga; Castro, Maria; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga; Gonçalves, Tiago; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga; Figueiredo, Bárbara; Escola de Psicologia, Univer
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.69354%
O presente artigo apresenta o programa de intervenção em grupo para pais divorciados, Pais por Inteiro (PApi). Fundamentados na revisão da literatura com a qual o artigo se inicia, os objectivos gerais do programa – promover a coparentalidade positiva, a construção de um projecto de binuclearidade familiar e a reflexão e aprofundamento das trajectórias individuais de cada pai – são descritos, assim como as três macrocomponentes psicoterapêuticas ao longo das quais estes objectivos se desenvolvem – exposição dos processos de divórcio, partilha experiencial e treino de competências e mudança desenvolvimental. O artigo oferece ainda, no final, uma mais detalhada clarificação dos objectivos, materiais e actividades planeadas para cada das dez sessões que compõem o PApi.

Casa do pai, casa da mãe: a coparentalidade após o divórcio

Grzybowski,Luciana Suárez; Wagner,Adriana
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
38.041094%
A coparentalidade implica num interjogo de papéis que se relaciona com o cuidado global da criança, envolvendo responsabilidade conjunta dos pais pelo bem-estar desta. Foi realizado um estudo qualitativo com pais e com mães separados/divorciados, enfocando a temática da educação e da coparentalidade após o divórcio. Os resultados apontaram para a importância das variáveis conjugalidade e vínculos pais-filhos no exercício da coparentalidade, sendo esta atravessada também pela coabitação, o sexo dos pais e filhos e as condições financeiras dos progenitores. Revelaram, também, pais mais participativos ou desejosos de participar na educação dos filhos, bem como mães mais satisfeitas com a guarda e menos culpadas com suas escolhas, comparados com outros relatos da literatura, evidenciando um novo cenário pós-divórcio.

Perfis de vinculação, coparentalidade e ajustamento familiar em pais recém-divorciados: diferenças no ajustamento psicológico

Lamela,Diogo; Figueiredo,Bárbara; Bastos,Alice
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 Português
Relevância na Pesquisa
38.041094%
O objectivo deste estudo foi identificar, através de uma análise de cluster, perfis de regulação individual-diádica-sistémica em pais récem-divorciados (N=81) com base na vinculação, coparentalidade e ajustamento familiar. Três padrões de regulação foram identificados: regulado-seguro (RS), desregulado-ansioso (DA) e desregulado-evitante (DE). O grupo RS mostrou níveis mais elevados de segurança na vinculação, maior qualidade na coparentalidade e no ajustamento familiar que os grupos DA e DE. A coparentalidade e o funcionamento familiar foram as dimensões que melhor diferenciaram os clusters. Avaliando o ajustamento psicológico dos pais recém-divorciados em função dos perfis encontrados, o grupo RS apresentou maiores níveis de ajustamento psicológico do que os restantes dois grupos. Não foram encontradas diferenças no ajustamento psicológico entre os grupos DA e DE.

Adaptação portuguesa do questionário de coparentalidade: análise fatorial confirmatória e estudos de validade e fiabilidade

Pedro,Marta Figueiredo; Ribeiro,Maria Teresa
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.69354%
Este estudo teve como objetivo adaptar e avaliar as propriedades psicométricas, a validade e a fiabilidade da versão portuguesa do Coparenting Questionnaire (Margolin, Gordis, & John, 2001). O Coparenting Questionnaire é composto por 14 itens organizados em três subescalas: Cooperação, Triangulação e Conflito. O estudo foi realizado com uma amostra de 1133 indivíduos (530 pais e 603 mães), com filhos pré-adolescentes. A validade fatorial foi testada através da análise fatorial confirmatória. Os resultados replicam a estrutura da versão original composta por três fatores: Cooperação, Triangulação e Conflito. Os valores dos índices de ajustamento revelam uma boa qualidade de ajustamento do modelo aos dados, para pais (CFI = 0,94, RMSEA = 0,06, SRMR = 0,05) e mães (CFI = 0,96, RMSEA = 0,06, SRMR = 0,05). A escala apresenta coeficientes de consistência interna entre o aceitável e o elevado (0,71 < α < 0,88), bem como valores adequados de validade convergente e discriminante. Os resultados suportam a validade do construto de coparentalidade e sugerem a versão portuguesa do Coparenting Questionnaire como uma medida válida do construto.

Criando pré-escolares com autismo: características e desafios da coparentalidade

Sifuentes,Maúcha; Bosa,Cleonice Alves
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
38.041094%
A coparentalidade é um conceito sistêmico que se refere ao modo como as figuras parentais trabalham juntas em seus papéis como pais. Este estudo examinou a coparentalidade de cinco casais (pai/mãe) com filhos com autismo, cujas crianças tinham entre 4 e 7 anos. Utilizou-se uma entrevista semiestruturada, com base em categorias de McHale sobre coparentalidade e categorias geradas pelo estudo. Os resultados demonstraram que as tarefas parentais não são compartilhadas de forma igualitária entre o casal e que isso ocorre em função das demandas próprias do autismo e da forma como a família se organiza para atender a essas demandas. A solidariedade e o apoio entre o casal ocorrem principalmente durante o processo de diagnóstico e de dificuldades comportamentais do filho. Finalmente, uma das maiores fontes de conflito entre pai e mãe são divergências quanto às práticas educativas, em especial a questão de superproteção/colocação de limites no filho.

A coparentalidade e o apoio social, em situação de rutura conjugal e o ajustamento dos filhos : estudo com famílias multidesafiadas, com filhos em idade pré-escolar

Verças, Ana Rita Ventura
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
38.142463%
Esta investigação consiste num estudo misto, cujo objetivo principal é perceber a relação entre a coparentalidade e o apoio social no ajustamento da criança, em famílias multidesafiadas em situação de rutura conjugal. Participaram no estudo quantitativo 98 crianças em idade pré-escolar e 78 pais (48 mães e 30 pais), que frequentavam uma IPSS do Concelho de Cascais. O protocolo de investigação foi constituído por um questionário sociodemográfico, o questionário da coparentalidade de Margolin et al. (2001), o questionário medical outcomes study social support survey (MOS-SSS; Sherbourne & Stewart, 1991) e o questionário de capacidades e dificuldades (SDQ; Goodman, 1997). Desta amostra, foi selecionado um sub-grupo de 10 mães, que constituíram, numa segunda fase, a amostra do estudo qualitativo, respondendo a uma entrevista semiestruturada e preenchendo o esquema “convoy model” (Kahn & Antonuci, 1980). Os resultados de ambos os estudos permitiram perceber que existe influência da coparentalidade e do apoio social no ajustamento da criança ao divórcio. As crianças cujos pais apresentam níveis mais elevados de conflito têm maiores dificuldades, comparadas com crianças cujos pais apresentam níveis mais elevados de cooperação e comunicação. As mães cujas redes de apoio são maiores e que fornecem tipos de apoio mais diversificados apresentam níveis mais elevados de cooperação...

A influência de uma coparentalidade conflituosa/cooperante nos estilos parentais : um estudo comparativo entre população normativa e bairros sociais

Pinhal, Márcia Filipa Mateus
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.900735%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O presente estudo pretende expandir a investigação sobre a relação de coparentalidade e estilos parentais, numa comparação entre população normativa e bairros sociais. Este estudo investigou a associação entre cooperação e conflito coparental e os estilos autoritário e autoritativo numa amostra de 117 figuras parentais, sendo queº 100 são residentes de bairros sociais, abrangidos pelo programa PER e 117 representam um grupo normativo. Ambos foram recolhidos na área metropolitana de Lisboa. Foram utilizados instrumentos de auto-relato para aceder às percepções das figuras parentais sobre coparentalidade e estilos parentais . Os resultados demonstraram que figuras parentais com maior cooperação tendem a adoptar um estilo mais autoritativo e a diminuir o estilo autoritário. O conflito não mostrou relações significativas. Com a adição dos moderadores Contexto e NSE, que a relação entre cooperação coparental e estilo autoritativo é significativo para ambos os contextos. Não foram encontrados efeitos de moderação do NSE. Os resultados deste estudo serão discutidos relativamente às suas implicações para investigação no âmbito da parentalidade em contexto comunitário. Direcções para investigações futuras serão também discutidas.; The present study aims to expand on the investigation concerning the relationship between coparenting and parenting styles...

O conceito de coparentalidade e suas implicações para a pesquisa e para a clínica: implication for research and clinical practice; The concept of co-parenting

Frizzo, Giana Bitencourt; Kreutz, Carla Meira; Schmidt, Carlo; Piccinini, Cesar Augusto; Bosa, Cleonice
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.900735%
Este estudo tem por objetivo revisar o conceito de coparentalidade e suas implicações para a pesquisa e para a clínica. Para isso, examinou-se a origem e a evolução do conceito e sua relevância para o contexto atual. O uso deste conceito nas pesquisas tem sido ampliado, passando de uma ênfase nas díades mãe-criança para uma concepção que envolve a tríade mãe-pai-criança. Esta evolução no conceito de coparentalidade tem implicações para a clínica, tanto com famílias de pais casados como divorciados. Verificou-se também uma carência de instrumentos nessa área, cuja elaboração merece ser enfocada em futuros estudos.; The aim of this study was to review the concept of co-parenting and its implication for research and clinical practice. For this purpose, the historical origin of this concept and its relevance for the current context are examined to allow an evolution of the concept. The results show a trend that move away from the mother-child dyadic concept towards a concept involving the mother-father-child triad. These studies have implications for clinical practice because they offer new possibilities of working with co-parenting (both married or divorced parents), as a focus. A lack of instruments in this area was noted; an issue that should be highlighted in future studies.

“PApi - Pais por Inteiro” Programa de intervenção em grupo para o ajustamento pessoal e a promoção da coparentalidade positiva em pais divorciados

Lamela,Diogo; Castro,Maria; Gonçalves,Tiago; Figueiredo,Bárbara
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.69354%
O presente artigo apresenta o programa de intervenção em grupo para pais divorciados, Pais por Inteiro (PApi). Fundamentados na revisão da literatura com a qual o artigo se inicia, os objectivos gerais do programa - promover a coparentalidade positiva, a construção de um projecto de binuclearidade familiar e a reflexão e aprofundamento das trajectórias individuais de cada pai - são descritos, assim como as três macrocomponentes psicoterapêuticas ao longo das quais estes objectivos se desenvolvem - exposição dos processos de divórcio, partilha experiencial e treino de competências e mudança desenvolvimental. O artigo oferece ainda, no final, uma mais detalhada clarificação dos objectivos, materiais e actividades planeadas para cada das dez sessões que compõem o PApi.