Página 1 dos resultados de 6766 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Coping através do lazer na dor crónica

Teixeira, Carla Sofia dos Santos
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.108625%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde; A dor crónica, enquanto reação ou experiência subjetiva, sensitiva ou emocional provoca desequilíbrios profundos no indivíduo e família, interferindo no seu bem-estar físico, psicológico e social. O coping apresenta-se como um conjunto de estratégias cognitivas, afetivas e comportamentais de reação a vários tipos de acontecimentos de vida, nomeadamente no lidar com a dor crónica. O lazer pode desempenhar nesse âmbito uma estratégia de coping singular e efetiva, relação ainda muito pouco estudada. Neste estudo quantitativo e transversal, objetivou-se: caracterizar as crenças e estratégias de coping através do lazer em pessoas com dor crónica e analisar a relação destas com as variáveis sociodemográficas e clínicas. Utilizou-se para o efeito um questionário sociodemográfico e clínico e as Escalas de Coping através do Lazer de Santos, Pais-Ribeiro e Guimarães (2003). Foram inquiridas 55 pessoas com dor crónica, seguidas numa Unidade de Tratamento de Dor no Hospital Infante D. Pedro, que se deslocaram aos referidos serviços entre Agosto e Outubro de 2006 e que aceitaram participar...

Percepção dos recursos familiares por profissionais do INEM – estudo exploratório do coping, resiliência e qualidade do sono

Ferreira, Dália Maria Albuquerque
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Esta investigação estudou a percepção das estratégias de coping e resiliência familiares, e a qualidade do sono dos profissionais de emergência médica pré-hospitalar, que trabalham por turnos. Para o efeito, procedeu-se à aplicação de um protocolo de investigação composto por cinco instrumentos de avaliação: Questionário Sócio-demográfico, Questionário de Forças Familiares (QFF), F- COPES, Escala de Sonolência Diurna (Escala de Epworth) e Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). A amostra é constituída por 85 profissionais Delegação Centro do INEM, que trabalham por turnos. Esta investigação estudou como é que os profissionais de emergência médica, que trabalham por turnos, percepcionam as estratégias de coping e de resiliência das suas famílias, e a qualidade do sono, estando sujeitas a níveis de stress constantes, e como é que a qualidade de sono influencia a percepção de estratégias de coping e resiliência familiares. Os profissionais que fazem do stress a sua rotina de vida, mostram-se treinados a mobilizar estratégias de coping familiar, e percepcionam a sua família como detentora de recursos para superar as dificuldades, apontando o sistema familiar como alternativa protectora. De acordo com as evidências deste estudo...

"Estresse e coping em idosos com Doença de Alzheimer"; Stress and coping in elderlies with Alzheimer´s disease.

Souza, Juliana Nery de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.102942%
A avaliação do potencial de risco de um evento estressor, bem como a elaboração de estratégias de enfrentamento depende, fundamentalmente, da função cognitiva do indivíduo. Considerando o déficit cognitivo presente em idosos com Doença de Alzheimer (DA), este estudo teve por objetivo verificar a intensidade de estresse e o estilo de coping predominantemente utilizado por eles. Para isto, foram aplicadas escalas de avaliação dos indicadores de estresse (Lista de sintomas de estresse, Escala Cornell de depressão, IDATE-traço), além de um instrumento que acessa o estilo de coping utilizado pelo indivíduo (Inventário de coping de Jalowiec) em dois grupos de idosos, sendo 30 composto por um grupo controle com idosos cognitivamente saudáveis e, outro com 30 indivíduos portadores de DA leve. Embora tanto os idosos com demência, como os cognitivamente saudáveis tenham apresentado estatisticamente a mesma intensidade de estresse, as características qualitativas, referentes à sintomatologia desta síndrome, refletiram uma disposição de apreensão e confronto ao evento estressor no grupo controle, e de fuga e resignação no grupo DA. Com relação ao estilo de coping, embora não tenha havido diferença significativa entre os grupos (p=0.124)...

Estresse, concentrações de cortisol e estratégias de coping no desempenho da memória de idosos saudáveis, com comprometimento cognitivo leve e doença de Alzheimer; Stress, cortisol levels and coping strategies on memory performance of healthy elderly, individuals with mild cognitive impairment and Alzheimers disease

Talarico, Juliana Nery de Souza
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Aumento das concentrações de cortisol em idosos com Doença de Alzheimer (DA) tem sido relatado como resultado da ausência de inibição do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA) em decorrência da disfunção hipocampal observada nestes indivíduos. Além disso, associação entre concentrações elevadas de cortisol e comprometimento da memória tem sido evidenciada em idosos saudáveis. Entretanto, pouco se sabe a respeito do envolvimento do estresse nas concentrações de cortisol, no desempenho cognitivo e nas estratégias de coping tanto em idosos saudáveis como naqueles com comprometimento cognitivo leve (CCL) e DA. Assim, este estudo teve o objetivo de investigar a associação entre intensidade de estresse, concentrações de cortisol, estratégias de coping e desempenho cognitivo em idosos saudáveis, com CCL e DA. Para isto, concentrações basais de cortisol salivar foram analisadas em uma amostra composta por 40 idosos saudáveis, 31 idosos com CCL amnéstico e 40 indivíduos com DA leve. O desempenho cognitivo global foi avaliado a partir do mini-exame do estado mental (MEEM), o desempenho da memória através da Bateria Breve de Avaliação Cognitiva (BBAC) e pelo teste de extensão de dígitos na ordem inversa. A intensidade do estresse foi avaliada a partir da Lista de Sintomas de Stress (LSS) e as estratégias de coping através da Escala de Coping de Jalowiec (ECJ). Desta forma...

Avaliação do coping em adultos com transtorno bipolar e a relação com traços de personalidade; Assessment of coping and its relationship with personality traits in adults with bipolar disorder

Souza, Erika Leonardo de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.155225%
Evidências indicam que o estresse psicológico pode desempenhar um papel importante no desencadeamento e evolução do Transtorno Bipolar. Faz-se importante estudar as maneiras como os pacientes lidam com o estresse (Coping). Os objetivos deste estudo foram investigar as relações entre coping e traços de personalidade em bipolares e controles saudáveis; comparar estratégias e estilos de coping e traços de personalidade de pacientes bipolares com controles saudáveis; comparar estratégias de Coping nos pródromos da mania de pacientes bipolares I e II. Foram realizadas entrevistas diagnósticas e confirmada a eutimia dos pacientes resultando no total de 35 bipolares (foram considerados eutímicos pacientes com escore 12 na Escala de Avaliação de Mania de Young e 7 na Escala de Avaliação para Depressão de Hamilton). O grupo de comparação foi constituído por 40 indivíduos saudáveis do ponto de vista psiquiátrico. Foram avaliadas as habilidades de coping (Coping Inventory for Prodromes of Mania, Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas e Brief COPE) e os traços de personalidade (Inventário de Personalidade NEO PI-R). As comparações das médias dos escores da escala Coping Inventory for Prodromes of Mania foram realizadas pelo teste Mann-Whitney. As comparações das médias dos escores das estratégias e estilos de coping e dos traços de personalidade foram realizadas por análises multivariadas de covariância. As associações entre estratégias e estilos de coping e traços de personalidade foram realizados pelos modelos de regressão linear múltipla. Os resultados mostraram que os bipolares apresentam mais estratégias e estilos de coping focalizados na emoção do que no problema...

Coping religioso-espiritual e suporte social em pacientes com câncer de mama e ginecológico; Religious coping and social support in patients with breast and gynecologic cancer

Marucci, Flávia Andressa Farnocchi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.118584%
Câncer de mama e ginecológico tem alta incidência entre as mulheres brasileiras e seu diagnóstico produz diversas reações emocionais, como ansiedade, depressão e redução da qualidade de vida. Coping é definido como o conjunto de estratégias, cognitivas e comportamentais, utilizadas para lidar com situações estressoras. Quando são utilizadas estratégias relacionadas à religião para lidar com o estresse, ocorre o chamado coping religioso-espiritual. O objetivo deste trabalho foi avaliar o coping religioso-espiritual de mulheres com câncer e verificar a relação deste fator com a presença de sintomas psicológicos, com a percepção de suporte social e com a qualidade de vida. Após a aprovação pelo comitê de ética, 120 mulheres diagnosticadas com câncer de mama ou ginecológico, em atendimento em um hospital universitário, foram avaliadas quanto ao uso do coping religioso-espiritual (Escala CRE), à percepção de suporte social (Escala de Suporte Social - MOS), à presença de sintomas de ansiedade e depressão (HAD) e à qualidade de vida (WHOQol-Bref). Uma entrevista semi-estruturada foi aplicada para levantar informações sociodemográficas, aspectos clínicos e prática religiosa. Os resultados foram submetidos a testes estatísticos para verificar a existência de relações entre as variáveis. A média de idade da amostra foi de 52...

O coping religioso-espiritual em pacientes de hospital escola: uma compreensão biopsicossocial; The religious-spiritual coping in hospital school patients: a biopsychosocial understanding

Santos-Silva, Clayton dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
O coping religioso/espiritual (CRE) pode ser positivo ou negativo, de acordo com os seus efeitos. A pesquisa pretendeu verificar como tal fenômeno ocorre e se apresenta em pacientes internados nas clínicas médica e cirúrgica do Hospital Universitário da USP. Em uma primeira fase foi feita uma pesquisa quantitativa com o objetivo de mensurar na amostra estudada o CRE Positivo (CREP) e o CRE Negativo (CREN) em cada paciente, permitindo assim saber: a frequência de cada um desses tipos, o cálculo da razão CREN/CREP de cada paciente e a sua frequência na amostra, bem como em quais situações clinicas os tipos de CRE seriam mais frequentes; e se buscar correlações estatísticas desses valores com características demográficas dos pacientes. O objetivo da segunda fase foi buscar compreender através do referencial teórico psicodinâmico como os pacientes estabelecem relações com a doença, o tratamento, a internação e o coping religioso-espiritual. As duas fases foram realizadas simultaneamente. A amostra da primeira fase foi composta por 120 pacientes selecionados randomicamente, sendo 60 de cada clínica, 30 homens e 30 mulheres. Para isso foram utilizados dois instrumentos: a escala CRE-Breve e um formulário geral que levantou características demográficas da amostra. Na segunda fase...

Terapia cognitivo-comportamental em grupo para transtorno de pânico : avaliação de efeito do protocolo padrão e do acréscimo de sessões de reforço com técnicas cognitivas nas estratégias de enfretamento (coping)

Viana, Ana Cristina Wesner
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.130774%
O transtorno de pânico (TP) é uma condição crônica e recorrente que prejudica a qualidade de vida e o funcionamento psicossocial dos pacientes. O tratamento com medicamentos e a terapia cognitivo-comportamental (TCC) tem evidências comprovadas de eficácia. Entretanto, a recaída é frequente e a falha nas estratégias de enfrentamento (coping), ao lidar com eventos estressores, tem sido apontada como um gatilho deste desfecho. O protocolo de 12 sessões de TCC em grupo (TCCG), atualmente utilizado, é específico para sintomas do TP. Estudos que avaliam os efeitos de intervenções com técnicas cognitivas de estratégias de coping ainda não foram testados. Pretende-se, neste estudo, verificar se a TCCG padrão modifica as estratégias de coping dos pacientes com TP comparados a um grupo sem transtorno mental (artigo 1) e avaliar o efeito ao acréscimo de quatro sessões de reforço com técnicas cognitivas de estratégias de coping após a TCCG (artigo 2). Trata-se de um ensaio clínico com pacientes (n=48) que participaram das 12 sessões de TCCG para TP de 2006 a 2009, chamados novamente em 2010 e sorteados para o grupo de intervenção (4 sessões de reforço) ou para o grupo controle (2 reuniões educativas). A gravidade dos sintomas foi mensurada pelas escalas: Impressão Clínica Global (CGI)...

Bem-estar pessoal e coping religioso em crianças

Strelhow, Miriam Raquel Wachholz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.096694%
O objetivo deste trabalho foi investigar a relação entre o bem-estar pessoal e o uso de estratégias de coping religioso entre crianças. A investigação teve como base dois estudos realizados a partir de uma única coleta de dados. O primeiro estudo refere-se à tradução, adaptação e validação da escala Children´s Religious Coping (CRC) e foi dividido em duas fases: (1) tradução, adaptação e teste piloto (N = 74) e (2) Aplicação e Validação da Escala CRC. Participaram da pesquisa 1612 crianças entre 08 e 13 anos (M = 10,2; DP = 1,47), sendo 54,7% meninas, matriculadas em escolas públicas (54,6%) e particulares (45,4%) do Estado do Rio Grande do Sul. Foram realizadas Análises Fatoriais Exploratórias e Confirmatórias para verificar a estrutura fatorial da escala, além de análise da consistência interna. Os resultados indicaram uma composição da CRC com duas dimensões: Coping Religioso Positivo (CRP), formada por 19 itens em três fatores, e Coping Religioso Negativo (CRN), formada por 12 itens em três fatores. Os índices de consistência interna apresentaram bons níveis tanto para a escala geral ( = 0,90), como para as duas dimensões ( = 0,92 para CRP; e = 0,81 para CRN). Pode-se afirmar que a escala apresentou bons indicadores de funcionamento para essa amostra...

Stressores e estratégias de coping com o luto conjugal : um estudo longitudinal em adultos idosos

Silva, Maria das Dores Ferreira da
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 22/11/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.113818%
Tese de doutoramento em Ciências da Educação (área de especialização em Psicologia da Educação); O Modelo Dual de Processar o Luto sugere que uma boa adaptação ao luto constitui um processo dinâmico, envolvendo o confronto e o evitamento de stressores orientados para a perda e stressores orientados para o restabelecimento. Segundo Stroebe e Schut (1999) a pessoa enlutada executa um movimento dinâmico de coping, denominado de Oscilação, quando orienta a sua atenção de forma alternada para os diferentes stressores. A utilização deste modelo no estudo de processos de luto, revela-se de todo o interesse, porque nos permite identificar e compreender a natureza das tarefas do luto com que o enlutado tem que lidar (stressores), bem como a forma como o pode fazer (confrontando ou evitando). O presente trabalho apresenta dois objetivos centrais: a) uma proposta de operacionalização do Modelo Dual de Stroebe e Schut (1999) e b) a apresentação dos primeiros dados longitudinais do processo de luto em adultos idosos, recorrendo à operacionalização proposta. Para a operacionalização do modelo dual desenvolvemos dois inventários: um inventário de stressores de perda e de restabelecimento e um outro de estratégias de coping orientadas para a perda e para o restabelecimento. Como objetivos do estudo longitudinal estabelecemos os seguintes: a) descrever o autorrelato da trajetória de stressores e de estratégias de coping com o luto nos primeiros dezassete meses após a perda; b) avaliar as diferenças na evolução das dimensões do Modelo Dual de Processar o Luto em função da idade...

Coping, fatores psicossociais e capacidade para o trabalho

Ramos, Marco António Ferreira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.159094%
O coping desempenha um importante papel na saúde individual e rendimento organizacional. Tal como o coping é um tema de interesse recente e promissor na área da psicologia da saúde ocupacional, também os fatores psicossociais do trabalho têm ganho um crescente interesse no domínio da saúde ocupacio-nal. No entanto, pouco se sabe acerca das configurações de coping mais salu-togénicas no mundo do trabalho, e menos ainda acerca da participação dos fatores psicossociais na definição das mesmas. Esta última perspetiva assume os fatores psicossociais não como causas de stresse, mas enquanto recursos de coping. Com o presente estudo, desejávamos saber se as pessoas com melhor saúde no trabalho usam estratégias de coping diferentes daquelas com menor saúde, bem como se a escolha dessas estratégias é influenciada pelos fatores psicossociais do trabalho. Pretendia-se ainda caracterizar o coping dos trabalhadores mais saudáveis e produtivos, e perceber que fatores psicosso-ciais contribuem para o mesmo. Foram estudados 2960 profissionais de traba-lhos mentais, sendo 31% (n=909) profissionais de saúde e 69% (n=2051) pro-fissionais de outras áreas. Além das variáveis sociodemográficas, avaliou-se o coping (Brief COPE)...

Coping diádico e satisfação conjugal : um estudo em casais portugueses

Pires, Ana Raquel Alves
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; Nesta investigação, de natureza quantitativa, pretende-se estudar: 1) a relação entre a satisfação conjugal, o coping diádico e seus componentes, globalmente e intracasal; 2) a existência de diferenças face às variáveis anteriores quando consideramos o sexo, a escolaridade, o estatuto ocupacional, a zona do país, a área de residência e a situação relacional; 3) a convergência versus divergência quanto à percepção de satisfação conjugal, coping diádico e seus componentes, ao nível intra-casal; e 4) quais as variáveis do coping diádico que predizem mais a satisfação conjugal global, das esposas e dos maridos. Para tal recorreu-se a uma amostra de 72 casais portugueses, heterossexuais, casados ou em união de facto, a quem se aplicou os seguintes instrumentos: um questionário de dados sociodemográficos, a Escala de Avaliação Relacional (Hendrick, Dricke & Hendrick, 1998) e o Inventário de Coping Diádico (Bodenmann, 2007; tradução e adaptação portuguesa por Vedes, Lind & Ferreira, 2011a). Os resultados obtidos demonstram que 1) o coping diádico global está associado a maior satisfação conjugal...

Interpretações de ameaça e estratégias de coping em crianças em idade escolar face a situações ambíguas

Cabral, Andreia Carina Nunes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.13751%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica da Saúde e da Doença), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; De acordo com alguns modelos cognitivos (Beck et al., 1985, cit. por Puliafico & Kendall, 2006; Kendall, 1985, cit in. por Muris & Doorn, 2001), a ansiedade patológica resulta da hiperactivação crónica de esquemas relacionados com a vulnerabilidade pessoal e o perigo, levando os indivíduos, quando confrontados com algum tipo de ameaça, novidade ou ambiguidade, a direccionarem os seus recursos atencionais e de processamento da informação para o estímulo ameaçador, dando origem a distorções cognitivas. Uma das metodologias utilizadas para a avaliação dos enviesamentos de interpretação baseia-se no paradigma das situações ambíguas - breve descrição de situações de conteúdo ambíguo facilmente reconhecidas do quotidiano de uma criança -, através do qual é avaliado o tipo de interpretações efectuadas face a situações de conteúdo ambíguo e as estratégias utilizadas para lidar com as mesmas. O presente trabalho integra dois estudos. O primeiro tem por objectivo o desenvolvimento da versão portuguesa do Questionário de Situações Ambíguas (QSA - versão experimental de Pereira...

Desafios da adolescência : interação entre rituais familiares, social connectedness, coping e sintomatologia depressiva-ansiosa e diferenças entre famílias nucleares intactas e reconstruídas

Malaquias, Ana Sara Santos Patrício
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.134263%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2012; A presente investigação avaliou a existência de diferenças entre adolescentes provenientes de famílias nucleares intactas e reconstruídas na realização de rituais familiares, nos níveis de social connectedness, no tipo de estratégias de coping utilizadas e nos níveis de ansiedade e depressão. Investigou-se ainda a relação entre a prática de rituais familiares, o tipo de coping utilizado e os sintomas de depressão e ansiedade; e testou-se o efeito mediador do social connectedness e do tipo de coping utilizado na relação entre rituais familiares e sintomas de ansiedade e depressão. Participaram no estudo 328 estudantes, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 14 e os 20 anos. Foi aplicado um Questionário de dados pessoais e sociodemográficos, o Coping & Resiliência (adaptado de Youth Connectedness Project, 2006), a Social connectedness Scale – Revised (Lee, Draper & Lee, 2001), a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar (Snaith & Zigmond, 1994) e o Family Ritual Questionnaire (Fiese & Kline, 1993). Os resultados indicam que adolescentes provenientes de famílias nucleares reconstruídas utilizam mais estratégias de coping adaptativas e possuem maiores níveis de sintomatologia depressiva-ansiosa do que adolescentes provenientes de famílias nucleares intactas. Os rituais familiares relacionam-se positivamente com social connectedness e coping adaptativo (procura de apoio social) e negativamente com coping não adaptativo (externalização e evitamento) e com sintomas de depressão. Foram ainda encontradas associações positivas entre social connectedness e coping adaptativo e entre coping não adaptativo e sintomatologia depressiva-ansiosa e associações negativas entre social connectedness e coping não adaptativo (ruminação e evitamento) e entre coping adaptativo e sintomatologia depressiva-ansiosa. Confirmou-se também o efeito mediador do social connectedness na relação entre rituais familiares e sintomas de ansiedade e depressão e o efeito mediador do coping de evitamento na associação entre rituais familiares e sintomas de depressão. Apresentam-se limitações e contribuições do estudo...

Coping pró-activo e satisfação conjugal : um estudo exploratório

Inácio, Vanessa Filipa Tavares dos Santos
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Nesta investigação, de natureza quantitativa, pretendeu-se estudar: 1) a relação entre o coping pró-activo e a satisfação conjugal; 2) as eventuais diferenças das variáveis coping pró-activo e satisfação conjugal quando associadas a outras variáveis como o sexo, a escolaridade, o tipo de relação conjugal, a coabitação prévia, a duração da relação conjugal, os filhos da relação conjugal e a religiosidade; e 3) identificar quais as variáveis que serão melhores preditores da satisfação conjugal. Recorreu-se a uma amostra de 446 participantes (292 do sexo feminino e 154 do sexo masculino) com relacionamentos conjugais (casamento ou coabitação), a quem se aplicou os seguintes instrumentos: um questionário de dados pessoais e sociodemográficos; o Proactive Coping Inventory (PCI) (Schwarzer, 1998; versão portuguesa Costa-Ramalho, S., Marques-Pinto, A., Ribeiro, M.T., 2013) e a Relationship Rating Form - Revised (RRFR) (Davis, 1996; versão portuguesa, Lind, 2008). Os resultados demonstraram que 1) o coping pró-activo está associado a uma maior satisfação conjugal; 2) o coping próactivo e o número de filhos da relação conjugal são os melhores preditores para a satisfação conjugal global; 3) os homens têm níveis superiores de confiança...

A relação entre o funcionamento familiar e o ajustamento psicossocial do adolescente : efeito mediador das estratégias de coping

Loios, Sara Candeias dos
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014; O presente estudo analisou a perceção dos adolescentes em relação ao funcionamento familiar – comunicação, dificuldades e recursos – e sintomatologia internalizante e externalizante, através do papel mediador das estratégias de coping, bem como as diferenças entre sexos nestas variáveis. Neste estudo participaram 354 jovens (M = 15.27; DP = 1.87), estudantes do 7º ao 12º ano de escolaridade da região da Grande Lisboa. Os participantes preencheram questionários de autorrelato que avaliaram as suas perceções acerca do funcionamento familiar (SCORE-15), das suas estratégias de coping (Coping & Resiliência) e do seu ajustamento psicossocial (Youth Self-Report), juntamente com um questionário sociodemográfico. Os resultados indicam que a perceção de um funcionamento familiar desadequado, pelo adolescente, se encontra associada tanto ao recurso a estratégias de coping desadaptativas, bem como ao seu próprio desajustamento psicossocial. A utilização de estratégias de coping desadaptativas encontra-se relacionada com o desajustamento psicossocial...

Qualidade da ligação aos pares em adolescentes: auto-estima e coping em institucionalização e famílias tradicionais

Costa, Mónica Raquel Saraiva da
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.089797%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A institucionalização constitui um tema que tem vindo a ser pouco abordado em Portugal no que concerne à qualidade das relações estabelecidas pelos adolescentes. O confronto com uma nova casa onde não escolheram estar traduz em muitos casos um sentimento de abandono e rejeição que recria situações de risco e vulnerabilidade nos jovens. O papel das figuras significativas, como os pares, que acompanham o percurso dos jovens, tem vindo a ser descrito na literatura enquanto facilitador do seu processo adaptativo. O objectivo do presente estudo prende-se com a análise da qualidade dos laços afectivos aos pares e o seu efeito preditor no desenvolvimento do coping e auto-estima dos jovens. Pretende-se ainda testar o papel moderador da configuração familiar (institucionalização e famílias tradicionais) e do género na associação entre a ligação aos pares e a auto-estima e coping. A amostra é composta por 311 adolescentes, 145 institucionalizados e 166 de famílias tradicionais, entre os 14 e os 18 anos, de ambos os géneros. Os auto-relatos foram recolhidos através do Rosenberg Self-esteem Scale (Rosenberg, 1965), o Inventory of Peer and Parental Attachment (Armsden & Greenberg...

A influência das práticas educativas parentais nas estratégias de COPING e de regulação emocional de crianças dos 6 aos 10 anos

Machado, Lara Sofia Ferreira
Fonte: Universidade Portucalense Publicador: Universidade Portucalense
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.096694%
As práticas educativas parentais têm sido alvo de diversos estudos e são consideradas como importantes preditores do desenvolvimento das crianças. O presente estudo tem como principal objetivo compreender e analisar a influência das práticas educativas parentais nas estratégias de coping e regulação emocional das crianças com idades compreendidas entre os 6-10 anos. A amostra envolveu 30 crianças do sexo masculino, relativamente às quais foram recolhidas informações sociodemográficas, através de um questionário construído para o efeito, informações sobre as práticas educativas parentais recorrendo ao Egma Minnem Bestraffend Upposfostran (EMBU)-C e, sobre as estratégias de coping e a regulação emocional, avaliadas através do Questionário de Estratégias de Coping e de Regulação Emocional. Os resultados obtidos revelaram que as práticas educativas parentais exercem influência nas estratégias de coping e na regulação emocional das crianças. Assim sendo, podemos concluir que o suporte emocional da mãe e do pai favorece utilização de estratégias de coping focalizadas na aceitação. Adicionalmente, o suporte emocional dos progenitores induz as crianças a utilizarem estratégias de coping e de regulação emocional baseadas no pensamento positivo/reavaliação positiva. Por outro lado...

Promoção de competências de coping em alunos do 3º ciclo : um estudo exploratório

Neves, Maria Cristina Garcia Sena, 1972-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.113818%
Tese de mestrado em Psicologia (Stress e Bem-Estar - Intervenção na Família, na Escola, e no Trabalho), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2008; A forma como os adolescentes lidam com o stress é uma componente importante da sua saúde e bem-estar, com custos sociais e emocionais elevados (Lewis & Frydenberg, 2002). Vários problemas psicossociais que afectam os jovens, como o baixo desempenho académico e problemas de saúde, têm sido atribuídos parcialmente à incapacidade dos adolescentes utilizarem, adequadamente, estratégias de coping (Matheney et al., 1993). A literatura mostra que as competências de coping podem ser aprendidas e desenvolvidas (Frydenberg, 1996) e cada vez se dá mais atenção ao desenvolvimento de currículos escolares que promovam competências de coping, numa perspectiva de Aprendizagem Social e Emocional (CASEL, 2003). A implementação de programas, como o The Best of Coping (BOC) (Frydenberg & Brandon, 2007a/2007b), parece ser promissora na promoção destas competências. Este programa parece contribuir de forma significativa para a redução da utilização de estratégias de coping Não Produtivo (Frydenberg, 2004) e aumento de coping Produtivo (Huxley...

Influência do suporte social e dos estilos de coping na percepção de bem-estar subjectivo em doentes mentais crónicos

Marques, Vânia Filipa Bonito
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
37.113818%
O objectivo do presente estudo consistiu em verificar a influência do suporte social e dos estilos de coping sobre a percepção de bem-estar subjectivo e de estados emocionais negativos numa amostra de 41 indivíduos (27 homens e 14 mulheres) portadores de doença mental crónica, com idades compreendidas entre os 18 e 61 anos. Foram, ainda, identificados os principais estilos de coping utilizados por esses indivíduos, bem como um estudo de comparação entre doentes institucionalizados e não-institucionalizados. Foram utilizados os seguintes instrumentos: Escala de Satisfação com o Suporte Social, constituída por quatro subescalas (satisfação com amizades, intimidade, satisfação com a família e actividades sociais); Questionário dos Estilos de Coping, formado igualmente por quatro subescalas (Coping Racional, Coping Emocional, Coping Evitante e Coping Distanciado/Desligado); Escala de Satisfação com a Vida e, por último, a Escala de Depressão, Ansiedade e Stress. Os resultados demonstram que o valor global de suporte social e as suas dimensões “satisfação com amizades”, “intimidade”, “satisfação com a família” e “actividades sociais” se correlacionam positivamente, a nível estatisticamente significativo com o bem-estar subjectivo. Relativamente ao estilo de coping racional...