Página 1 dos resultados de 425 itens digitais encontrados em 0.112 segundos

Os desafios da autonomização: estudo compreensivo dos processos de transição para diferentes contextos de vida, na perspetiva de Adultos e Jovens Adultos ex-institucionalizados

Gaspar, João Pedro
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
130.42363%
Em Portugal, algumas crianças e jovens em risco, referenciadas pelas comissões de proteção, podem ser encaminhadas para acolhimento. Na esmagadora maioria dos casos, trata-se de uma institucionalização, em que os menores são deixados aos cuidados de Lares de Infância e Juventude ou Centros de Acolhimento Temporário. Nos últimos anos o número de crianças e jovens nesta situação ronda os nove mil, sendo que mais de 90% regressa ao meio natural de vida. Procura-se neste estudo aferir os contornos da condição das crianças e jovens em situação de acolhimento institucional, construindo uma caracterização detalhada dessa população, bem como da sua distribuição pelas várias respostas sociais de intervenção, nos últimos anos em Portugal. Nele discute-se o levantamento da realidade do país, comparativos internacionais e também a evolução da legislação a partir de uma perspetiva histórica. Numa vertente compreensiva, promove com particular incidência a análise a dois Lares de Infância e Juventude da região Centro de Portugal, procurando caracterizá-los, compreendendo a sua origem, organização, financiamento e outros aspetos relevantes para o seu funcionamento. A investigação centra-se nas transições para os contextos de vida (social...

O processo de adaptação de crianças e jovens em risco ao acolhimento prolongado em lares de infância e juventude

Costa, Bárbara Sofia Ferreira Sampaio da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
140.31429%
Este trabalho tem como objectivo conhecer o processo de adaptação das crianças e jovens em risco ao acolhimento prolongado em Lares de Infância e Juventude, através das diferentes vivências que estas experienciam ao longo do acolhimento institucional. Tentou-se igualmente perceber de que modo esta experiência de vida influenciou a percepção que os adolescentes tinham de si próprios. Embora alguma investigação, muita de natureza qualitativa, tenha vindo a procurar identificar as necessidades das crianças e jovens institucionalizados e aceder às suas experiências de vida, a investigação acerca do percurso vivido durante a instituicionalização ainda é escassa e merece uma análise mais pormenorizada. Com recurso à metodologia da Grounded Theory, partiu-se da recolha de narrativas de nove adolescentes institucionalizados, 6 raparigas e 3 rapazes, com uma média etária de 17, 7 anos (DP= 1,15), levadas a cabo em três Lares de Infância e Juventude. A análise destas narrativas permitiu identificar a existência de quatro fases de adaptação ao acolhimento prolongado de crianças e jovens em risco: fase de (des)amparo, fase da revolta, fase da resignação e fase da pré-autonomia. Em todas estas fases o sofrimento devido à separação da família é reflectido de alguma forma e o sentimento de ligação...

O invisível da Sociedade : crianças e jovens em risco

Lourenço, Ana Paula Simões Ramos Ribeiro
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
140.471875%
Este trabalho de investigação, no âmbito do Mestrado em Educação Especial, da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, enquadra-se na temática das crianças e jovens em risco e tem como objecto de estudo a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Sobral de Monte Agraço. Procurou-se, com este estudo, conhecer quem são as crianças e jovens sinalizadas, quais as problemáticas de sinalização e o seu perfil tipo. Procuramos também perceber o modus operandi desta CPCJ, tendo como pano de fundo o trabalho da representante do Ministério da Educação. Com isto, foi nosso intuito, repensar e redimensionar estratégias de intervenção. Para encetar este trabalho de investigação, optou-se, metodologicamente, por realizar um enquadramento teórico focado especificamente na exclusão social, nas famílias de risco e nas crianças e jovens em risco. Como método de investigação utilizamos a pesquisa documental e as notas de campo. Os resultados empíricos evidenciaram que a CPCJ de Sobral de Monte Agraço através do trabalho que tem desenvolvido com as entidades com responsabilidade em matéria de infância e juventude, permitiu a criação de uma maior consciência colectiva sobre o fenómeno das crianças em risco e da necessidade de investir no bem-estar destas crianças e jovens e das suas famílias.; Orientador: Manuel Tavares

O Desenvolvimento Psicossocial de Crianças e Jovens em Risco Institucionalizadas

Camacho, Liliana Maria Teixeira
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
140.61271%
A conceção deste trabalho prende-se com a experiência de alguns meses em contato com crianças e jovens de ambos os sexos, institucionalizados e que simultaneamente permanecem na rua. Os estudos relacionados com esta temática são escassos, principalmente os que abordam a perspetiva das crianças e jovens de risco. Com este trabalho, pretende-se dar um contributo nesta área e averiguar como e onde se faz a socialização destas crianças e jovens em risco, jovens “desprotegidos”, que buscam alternativas como uma “saída para poderem existir” (Campolina, 2001). A questão para reflexão é verificar como são sentidas e vividas pelas crianças e jovens os vínculos que estabelecem com as famílias, com as instituições e com a rua. Esta questão leva a refletir sobre o lugar das crianças e jovens na sociedade. Ao realizar o trabalho, foi utilizada uma metodologia qualitativa, etnográfica, que a mestranda achou adequada às caraterísticas do seu objeto e objetivos de estudo. Utilizou como instrumentos de recolha de dados a observação e a entrevista e fez uma análise de conteúdo sobre as narrativas dos entrevistados. A partir dos resultados encontrados e posterior interpretação dos mesmos em conjugação com a literatura científica foi possível obter uma imagem da situação das crianças e jovens em risco em Portugal...

Crianças e adolescentes em risco para esquizofrenia e transtorno afetivo bipolar: um estudo comparativo; Children and adolescents at risk for schizophrenia and Bipolar affective disorder: a comparative study

Gutt, Elisa Kijner
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
110.02674%
Introdução: Atualmente, muito tem se estudado a respeito de a esquizofrenia e do transtorno afetivo-bipolar (TAB) pertencerem a um continuum de sinais e sintomas que caracterizam o espectro da psicose, com etiologias que se sobrepõem parcialmente. O estudo comparativo de crianças filhas de pacientes com esquizofrenia e com transtorno bipolar pode ajudar na compreensão do quanto à vulnerabilidade para o desenvolvimento dessas patologias se assemelha e em quais momentos se diferencia. Os objetivos deste estudo foram comparar crianças e adolescentes em risco para esquizofrenia, para transtorno bipolar e um grupo sem risco para estes transtornos em relação a: 1) presença de problemas de saúde mental, diagnóstico psiquiátrico, competência social, quociente intelectual (QI); 2) associação entre presença de diagnóstico ou sintomas psiquiátricos nas crianças e a presença de diagnóstico psiquiátrico materno (esquizofrenia ou transtorno bipolar do humor), gravidade do diagnóstico materno, complicações obstétricas, nível socioeconômico dos pais, escolaridade da mãe. Métodos: Foi realizado estudo transversal comparando filhos de mulheres com diagnóstico de esquizofrenia e transtorno afetivo bipolar, segundo critérios do DSM-IV...

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco de Amarante, que representações? : o impacto da implementação da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens no concelho de Amarante

Macedo, Elisabete Oliveira; Dias, Isabel
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
150.09557%
Este trabalho de investigação, no âmbito do Mestrado em Sociologia, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, enquadra-se na temática das crianças e jovens em perigo e tem como objecto de estudo a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo (CPCJP) de Amarante. Procurou-se, com este estudo, conhecer o modus operandi desta CPCJ, tendo como pano de fundo as representações que os técnicos da comissão restrita (CR) e as entidades da comissão alargada (CA) e as próprias famílias das crianças e jovens acompanhadas, têm sobre o trabalho deste organismo. Com isto, foi nosso intuito, redimensionar estratégias de intervenção local mais ajustadas ao território para que possam, de certa forma, constituir-se como boas práticas para outras CPCJ. Para encetar este trabalho de investigação, optou-se, metodologicamente, por realizar um estudo de carácter intensivo e qualitativo, seleccionando como método de investigação a pesquisa de terreno e como técnicas as entrevistas semi-estruturadas aos técnicos da CR, a algumas entidades da CA e às famílias das crianças e jovens acompanhadas, para além da realização de um focus group aos membros da CA. Os resultaram empíricos evidenciaram que, a CPCJ de Amarante através do trabalho que tem desenvolvido com as entidades com responsabilidade em matéria da infância e juventude...

O papel da escola como contexto de promoção e proteção de crianças e jovens em risco

Martins, Paula Marques; Cunha, Cláudia
Fonte: Comissão Organizadora do II Seminário Internacional - Contributos da Psicologia em Contextos Educativos Publicador: Comissão Organizadora do II Seminário Internacional - Contributos da Psicologia em Contextos Educativos
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
150.19454%
O atual sistema social de proteção de crianças e jovens prevê a responsabilidade primária de todas as entidades com competência em matéria de infância e juventude (ECMIJ), das quais se destaca a Escola, na promoção de igualdade de oportunidades, para que as crianças possam desenvolver todo o seu potencial, e na proteção contra qualquer dano, abuso, omissão e/ou exploração. Neste sentido, quer o modelo concetual em vigor quer a atual legislação consagram que, estas entidades, através de uma ação concertada e assente em modelos de cooperação mútua, com as restantes entidades que constituem o sistema social de proteção, devem promover pela avaliação cuidadosa de todas as alegações de eventuais abusos/negligência e pela promoção de estratégias/metodologias de intervenção que, direta ou indiretamente, visem promover o bem-estar e a segurança das crianças e jovens, em contexto escolar. Com base neste pressuposto, esta comunicação tem como objetivos principais delinear o papel da escola como entidade com competência em matéria de infância e juventude, ao nível das considerações teóricas e jurídico-legais e as faces da interação da escola com o sistema de proteção. Para esse efeito, será realizada uma revisão da literatura e uma análise das estatísticas no que concerne às sinalizações...

O papel da mediação sócio-educativa na ajuda às crianças e jovens em risco

Duarte, Carla Sofia Ferreira da Silva
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
119.58867%
Relatório de estágio de mestrado em Educação (área de especialização em Mediação Educacional e Supervisão da Formação); Numa sociedade cada vez mais competitiva e exigente é importante incutir aos jovens certos valores e características que os ajudem a vencer num mundo cada vez mais instável, ainda mais quando falamos sobre crianças problemáticas. Neste sentido, é fundamental que as pessoas que convivam com este tipo de jovens apostem na formação de modo a obterem o máximo desta relação e a poder ajudar no seu desenvolvimento pessoal e social. No presente relatório o objectivo é então descrever e analisar o estágio desenvolvido numa Instituição de Solidariedade Social, nomeadamente no Lar de Santa Cruz, em Matosinhos. O trabalho desenvolvido no Lar foi no sentido de combater o insucesso escolar, através de apoio na sala de estudo, ajudando as meninas a adquirirem hábitos e métodos de estudo, ao longo do ano lectivo. Assim através da mediação pretendia-se que as crianças desenvolvessem competências de trabalho, de cooperação e de auto-controlo, bem como que mantivessem relações interpessoais e com uma atitude assertiva. Também foi objectivo desta intervenção no Lar trabalhar com as Funcionárias no sentido de lhes proporcionar novos conhecimentos sobre como lidar com as crianças e jovens que se lhes deparam. Através da formação...

O “novo” modelo organizativo dos serviços de saúde para atendimento de crianças e jovens e risco psicossocial : a perspetiva do Serviço Social

Ribeiro, Arminda Augusta Oliveira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 12/05/2011 Português
Relevância na Pesquisa
140.21169%
Este estudo teve por objetivo compreender as implicações da reorganização do funcionamento dos serviços de saúde prestados a crianças e jovens em risco psicossocial no papel e na prática profissional do assistente social. Foi realizado um estudo exploratório descritivo de natureza qualitativa. A recolha de dados resultou da aplicação de uma entrevista semi-estruturada a oito profissionais de Serviço Social que trabalham em unidades públicas de saúde. De acordo com os dados apurados, constatamos que os assistentes sociais têm um conhecimento mais teórico do que prático sobre a nova proposta de trabalho implementada nos serviços de saúde, uma vez que esta não se encontra em pleno funcionamento. No entanto, apresentaram uma opinião favorável de que tenderá para a uniformização de procedimentos. Os assistentes sociais vêem-se como executores de funções transversais a todas as áreas de intervenção do Serviço Social, pois estão aptos para desenvolver processos de intervenção social assentes em competências como a articulação, a negociação, a mediação e a interação intrainstitucional com os membros da equipa e os sujeitos da ação e, a nível interinstitucional, com os serviços da comunidade. A operacionalização do trabalho em equipa intrainstitucional realiza-se de modo formal...

As instituições de acolhimento sob o olhar dos profissionais que nelas trabalham: Percepções em torno da institucionalização de crianças e jovens em risco

Sá, Ana Catarina Pinto de Oliveira e; Grilo, Inês Seromenho Matos; Trigo, Luísa Ribeiro
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
120.2321%
Este estudo pretende dar um contributo para a compreensão do fenómeno da institucionalização de crianças e jovens em risco, tendo como ponto de partida para a reflexão as percepções de profissionais que trabalham há vários anos em instituições de acolhimento a crianças e jovens retiradas às suas famílias biológicas. Poucos são os estudos que dão voz às pessoas que trabalham nas instituições e que nelas passam uma grande parte das suas vidas. Com o presente trabalho pretendemos compreender o que pensam os profissionais que convivem directamente com crianças e jovens institucionalizados relativamente à experiência da institucionalização, às instituições de acolhimento, ao papel dos profissionais no desenvolvimento das crianças e jovens e à estigmatização das crianças e jovens institucionalizadas. Foram entrevistadas seis profissionais de uma instituição de acolhimento a crianças e jovens situada na Área Metropolitana do Porto, cujas funções eram variadas (directora, directora pedagógica, psicóloga, técnica de serviço social, auxiliares de acção educativa). O instrumento utilizado foi um guião de entrevista semi-estruturada, através do qual as entrevistadas foram inquiridas sobre: a) as representações da comunidade em relação à institucionalização e às instituições de acolhimento em geral; b) as suas próprias representações acerca desta realidade (incidindo também sobre as relações da instituição com o exterior; a autonomia/liberdade das crianças e jovens...

Labirintos da infância : contextos de intervenção em crianças e jovens em risco cuidados de saúde primários

Rodrigues, Jorgelina Maria Guerreiro Ramos Beckert
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 01/10/2012 Português
Relevância na Pesquisa
120.1058%
Todas as crianças têm direito a crescer com segurança e protecção, assim como a viver uma vida sem qualquer género de violência. Contudo, as estatísticas mundiais, revelam um alarmante retrato em que milhões de crianças são vítimas de violência física, sexual e emocional. A violência e os maus tratos representam, assim, um grave problema de âmbito global com impacto directo a nível da saúde física e mental da criança ou jovem, no seu bem-estar e desenvolvimento e, como consequência, na sociedade em geral. Em Portugal, a par dos progressos internacionais, diversas disciplinas têm desenvolvido os seus conhecimentos, no sentido de facilitar uma actuação concertada aos níveis da prevenção, diagnóstico e intervenção transdiciplinar no âmbito das situações de maus tratos. O mau trato e a negligência constituem uma realidade multifacetada, onde a intervenção dos serviços de saúde se enquadram num contexto de responsabilidade partilhada pelos diferentes actores da comunidade. O Relatório que agora se apresenta descreve um projecto, em contexto institucional, na área da promoção e protecção dos direitos da criança realizado no Núcleo de Apoio a Crianças e Jovens em Risco (NACJR) do Agrupamento de Centros de Saúde de Oeiras...

Construção de um Instrumento de Diagnóstico de Crianças e Jovens em Risco de Abandono Escolar

Melo, Carina Filipa Pereira
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
119.57903%
Mestrado em Intervenção Comunitária e Protecção de Menores; No presente estudo, e numa perspectiva de prevenção, analisa-se o problema do abandono escolar precoce, identificando e recolhendo factores de risco a ele associados. Estuda-se e caracteriza-se a situação de Portugal face ao problema, enumerando estratégias de intervenção e prevenção criadas. Tendo em atenção o objectivo do estudo, construção de um instrumento de diagnóstico de crianças e jovens em risco de abandono escolar, elaborou-se a partir da literatura um questionário de avaliação e gestão do risco de abandono escolar que foi aplicado a uma amostra de 102 professores do Ensino Básico (1º, 2º e 3º ciclos), com o intuito de identificar os principais factores de risco atribuídos pelos professores. Feito o tratamento de dados identificaram-se os indicadores que em média os participantes atribuem maior importância: relações parentais negligentes ou abusivas, absentismo escolar, falta de interesse, o fraco investimento na vida escolar e a vida familiar disfuncional. Feita a análise factorial foram identificadas quatro grandes categorias: escolar e social; familiar e cultural; serviços de apoio; e individual, à semelhança das apontadas pela literatura. Deste procedimento resultou a proposta final do instrumento de diagnostico de risco de abandono escolar.; In the present study...

Intervenção do Serviço Social com crianças e jovens em risco: ética e prática profissional

Brigido, Pedro Luís Silva
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
120.16498%
Mestrado em Serviço Social; Este trabalho resulta de uma pesquisa sobre ética e práticas profissionais na intervenção do serviço social com crianças e jovens em risco. Pretendeu-se, mais concretamente, analisar de que forma a ética está presente na prática profissional do assistente social no sistema de protecção de crianças e jovens em risco, em particular nas Comissões de Protecção de Crianças e Jovens, tanto a nível do surgimento de questões, problemas e dilemas de ordem ética, como nas respostas utilizadas na sua resolução ou atenuação. A investigação integrou uma abordagem qualitativa, em que foi feita uma análise documental, foram aplicadas entrevistas semi-directivas a assistentes sociais a exercer a sua actividade profissional em Comissões de Protecção de Crianças e Jovens, e por fim foi realizada uma análise de conteúdo às entrevistas, assistida por um programa informático, o MAXqda, e foi efectuada uma análise temática, mais concretamente uma análise categorial e de avaliação. De maneira geral, os resultados dão conta das situações de risco com que os assistentes sociais se deparam, e do tipo de intervenção que levam a cabo, assim como demonstra o tipo de dificuldades com que estes se deparam na sua prática...

Um programa de educação parental na CPCJ de Torres Vedras

Coelho, Filipa Bernardes
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
110.20346%
Mestrado em Serviço Social; O número de crianças e jovens expostos a situações de risco tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, segundo dados da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco. Os maus tratos físicos e psicológicos e a negligência apresentam-se como as problemáticas com maior incidência nos casos sinalizados. Considera-se que existem vários fatores associados à prática do mau trato, sendo que estes podem também estar associados ao contexto familiar, social, escolar, individual, entre outros. No que diz respeito às crianças e jovens em risco e à sua proteção, para além de um conjunto de leis bens estruturadas, o sistema nacional é composto por várias entidades que englobam áreas distintas e que compõem o meio envolvente das crianças e jovens. O trabalho que desenvolvem é coordenado, a nível municipal, por uma Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, e a nível nacional pela CNPCJR. Tendo em conta que a família se apresenta como o primeiro e talvez mais determinante agente de socialização da criança ou jovem, pareceu-me pertinente e vantajoso intervir junto dos pais, de forma a capacitá-los, desenvolvendo as suas competências parentais em diversos domínios. Assim...

Infância invisível e em risco: condições para a parentalidade (des)protectora e intervenção das comissões de protecção de crianças e jovens

Carreira, Marta Cristina Pereira de Almeida
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
120.44075%
Doutoramento em Sociologia; A tese “Infância invisível e em risco: condições para a parentalidade desprotectora e intervenção das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens” parte do pressuposto de que há condições que não permitem a alguns progenitores terem as competências parentais suficientemente capazes de garantir a protecção dos seus filhos e que, face a isso, o Estado tem de intervir nessa protecção. Neste contexto, são implementadas políticas de protecção à infância tentando que as crianças em risco/ perigo sejam protegidas, saindo dessa situação no mais curto espaço de tempo e com as mínimas sequelas possíveis. Nesta perspectiva procurámos, por um lado, saber como surge o perigo e que condições o potenciam. Por outro lado procurámos perceber de que forma a actuação das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens consegue alterar essas condições, qual a eficácia das medidas que aplicam às crianças e famílias, e como os direitos da criança e o respeito pelo seu superior interesse são garantidos no decorrer desses processos. A observação participante numa Comissão de Protecção de Crianças e Jovens durante um ano e meio permitiu acompanhar sessenta processos de crianças e jovens e suas famílias de forma a perceber...

O trabalho das parcerias nas comissões de proteção de crianças e jovens; articulação entre as comissões de proteção de crianças e jovens e os centros de apoio familiar e aconselhamento parental

Martins, Helena Sofia Pinto
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 04/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
110.215625%
A presente investigação foi desenvolvida junto da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo (CPCJ) e o Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP), do concelho de Amarante. Tem como objetivo fundamental conhecer os principais problemas identificados no concelho pela CPCJ, as práticas profissionais e organizacionais desenvolvidas para combater esses problemas e, ainda, perceber a parceria da CPCJ com as outras instâncias da comunidade e de forma, mais específica, com o CAFAP. Neste trabalho, pretende-se compreender se as práticas profissionais e organizacionais para a implementação de projetos de intervenção integrados nas CPCJs e nos CAFAP, são ajustados às reais necessidades das crianças e jovens para a sua proteção, tendo em conta os problemas identificados, e identificar a sua influencia na redução ou até na remoção das situações de risco e na objetiva alteração das condições sociais e dinâmicas familiares para garantir o bem-estar das crianças e condições para o seu desenvolvimento integral. Neste sentido, no estudo recorreu-se à investigação qualitativa, efectuando-se quatro entrevistas, três entrevistas aos Técnicos da CPCJ, a Presidente e dois Técnicos Cooptados e uma entrevista de grupo aos três Técnicos do CAFAP...

O sistema de promoção e proteção das crianças e jovens em risco; limites e potencialidades da intervenção interinstitucional

Azevedo, Célia Maria da Conceição Alves Pereira de
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
129.55527%
Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau Licenciada em Serviço Social; O presente trabalho dedica a sua atenção a uma análise do sistema de promoção e proteção de crianças e jovens em risco e examina as dinâmicas de articulação interinstitucional a partir de um contexto local. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com recurso à análise documental e à entrevista em profundidade. Participaram quatro profissionais de áreas de formação distintas, cuja metodologia de intervenção se desenvolve em parceria, numa lógica de trabalho em rede. Os resultados dão visibilidade, por um lado, à escassez de recursos humanos com formação especializada na área em apreço, que se repercute em avaliações diagnósticas nem sempre precisas e seguras, bem como a falhas ao nível do acompanhamento e supervisão das situações sinalizadas. Por outro lado, o trabalho multidisciplinar e a articulação interinstitucional são particularmente valorizados e associados à obtenção de resultados mais eficazes.; The essay hereby presented aims promotion and protection of children and youngstersunder risk, followed by the analyses from a local point of view perspective...

Contributos do RSI na proteção das crianças e jovens em risco : a perspetiva de diferentes agentes

Ribeiro, Eugénia Eliete Ferreira; Mendes, Francisco orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Educação de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Educação de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 20/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
139.679795%
Um dos principais problemas da sociedade atual é a grande desigualdade e o crescimento da pobreza e exclusão social, com particular enfase nas crianças e jovens. São objetivos deste estudo conhecer a opinião dos diferentes agentes sobre o contributo do RSI na proteção de crianças e jovens em risco, bem como conhecer e contrastar a opinião dos beneficiários sobre o contributo do RSI, em função de características sócio demográficas (género, idade, habilitações e urbanidade). Em última instância pretende-se aprofundar o conhecimento sobre o quotidiano, com vista à alteração das políticas sociais que permitam minimizar ou mesmo inverter esta situação. Para o efeito será utilizada uma amostra de 100 participantes (20 técnicos e 80 beneficiários) com recurso a uma entrevista semiestruturada. Espera-se responder às hipóteses a testar e discutir os resultados por confronto com a literatura.; One of the many problems of today's society is the great inequality and the growth of poverty and social exclusion, with particular emphasis on children and youth. The main objective of this study is make known the other views of different stakeholders on the input of SII (Social Insertion Income) on protection of children and youth at risk...

O bom funcionamento das equipas de apoio a famílias com crianças e jovens em risco da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Tábuas, Liliana Sofia Dias
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
129.74678%
Tese de mestrado integrado em Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2008; Esta investigação propõe-se a conhecer e valorizar o que de melhor funciona nas Equipas de Apoio a Famílias com Crianças e Jovens em Risco da Santa Casa daMisericórdia de Lisboa. Para tal foi aplicada a Entrevista Apreciativa a uma amostra de14 sujeitos, técnicos das referidas equipa, com idades compreendidas entre os 27 e os 54anos. Os resultados obtidos reflectem a importância da coesão grupal e do suporte nasequipas, o empenho como característica essencial do perfil de um técnico que trabalhenesta área e a necessidade de supervisão e reconhecimento por parte da instituição.; The aim of this study was to understand and value the best practices of Equipas de Apoio a Famílias com Crianças e Jovens em Risco1 from Santa Casa daMisericórdia in Lisbon. The Appreciative Interview was applied to a sample of 14subjects, members of these teams, from 27 to 54 years old. The final results suggest theimportance of team's grupal cohesion and support, commitment as an essential individual attribute of social workers and the need of supervision and recognition from the institution.

O estado ponderal e o comportamento alimentar de crianças e jovens: Influência do peso e das atitudes de controlo da mãe

Viana,Victor; Franco,Tânia; Morais,Cecília
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
119.37877%
O estado ponderal das mães e o dos filhos encontra-se relacionado, o que apela à intervenção de factores hereditários e de factores ambientais como: hábitos alimentares, as atitudes perante os alimentos e estratégias de controlo da alimentação dos filhos. O objectivo desta investigação foi verificar a associação entre o estado ponderal das mães, as atitudes de controlo da alimentação dos filhos, e o comportamento alimentar e o estado ponderal dos filhos. Os participantes foram 204 mães e respectivos filhos de idades entre os 6 e 13 anos. As mães forneceram o seu peso e a altura sendo calculado o Índice de Massa Corporal (IMC), responderam ao Questionário Alimentar para Crianças (CFQ) e ao Questionário do Comportamento Alimentar da Criança (CEBQ). Os filhos foram pesados e medidos, foi calculado o IMC depois transformado em Z Score. Os resultados mostram que, em ambos os sexos, o IMC das mães, as suas atitudes de controlo alimentar e dimensões do comportamento alimentar dos filhos se associavam ao estado ponderal das crianças. As conclusões têm implicações no aconselhamento e intervenção em crianças e jovens em risco de obesidade e obesos, e suas mães.