Página 1 dos resultados de 676 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Detection of chicken anemia virus and infectious bursal disease virus co-infection in broilers; Detecção do virus da anemia das galinhas em coinfecção com o vírus doença infecciosa bursal em frangos

CHACÓN, Jorge Luis; NOGUEIRA, Eliana Ottati; BRENTANO, Liana; GOMES, C. R; ASTOLFI-FERREIRA, Claudete Serraro; VILLARREAL, Laura; FERREIRA, Antonio José Piantino
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
46.7%
This survey aimed to investigate chicken anemia virus (CAV) in broilers flocks experimenting retarded growth and increasing mortality since the fourth day of age. Clinically, chickens presented depression, paleness, depigmentation and retarded growth. At necropsy, chickens presented CAV-compatible lesions. Samples from liver, spleen and thymus were tested by PCR for a 675-bp fragment of the CAV VP-1 gene, and all tested samples were positive. Serological and molecular techniques did not detect other pathogens, such as adenovirus, reovirus, astrovirus, infectious bursal disease and avian infectious bronchitis virus. These results showed that chicken anemia virus (CAV) may occur since the first few days of life in broilers - a fact not as yet reported -, associated with high pathogenic Infectious Bursal Disease Virus (IBDV) vaccine strain may induce a persistent growth retarded for several weeks in broilers; Este estudo investigou a manifestação do vírus da Anemia Infecciosa das Aves (VAIA) em lotes de frangos que apresentavam retardo no crescimento e aumento da mortalidade observado a partir do quarto dia de idade. Clinicamente, as aves apresentavam depresão, palidez, despigmentação e retardo de crescimento. À necropsia, as aves apresentavam lesões compatíveis com a infecção pelo vírus da Anemia infecciosa das aves (VAIA). Amostras de fígado...

Identificação de sítios periodontais em progressão e marcadores moleculares da atividade da doença; Identification of progressive periodontal sites and molecular markers of disease activity

Borges, Cristine D'Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
A periodontite é uma doença infecciosa caracterizada pela inflamação dos tecidos de suporte dos dentes, perda de inserção e perda óssea. O diagnóstico convencional da periodontite é realizado por meio da avaliação dos parâmetros clínicos e radiográficos. Entretanto, novas modalidades diagnósticas para identificação do início e progressão da periodontite estão sendo estudadas, o que possibilitaria o diagnóstico precoce da progressão da doença, assim como avaliação da resposta ao tratamento periodontal. Este estudo se propôs a monitorar a atividade da doença periodontal e descrever as características clínicas e moleculares de sítios periodontais ativos em progressão em pacientes com periodontite crônica, a partir da avaliação da expressão gênica de sítios periodontais e da avaliação de proteínas inflamatórias salivares e do fluido gengival crevicular, antes e após a terapia periodontal básica. Foram selecionados 27 indivíduos e classificados em dois grupos: grupo Controle (n=9) - pacientes saudáveis; grupo DP (n=18) - pacientes com periodontite crônica. O exame clínico foi realizado por um único examinador experiente em três tempos: (i) quinze dias antes da terapia periodontal, (ii) no dia da terapia periodontal e (iii) 60 dias após a terapia periodontal. A coleta de fluido gengival foi realizada no baseline...

Doença infecciosa bursal: avaliação da patogenicidade de vacinas comercializadas no Brasil em aves livres de patógenos específicos.

Padilha, Adriana Padilha de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.52%
A doença infecciosa bursal ( DIB ) é uma enfermidade viral, que acomete galinhas provocando imunodepressão sendo, economicamente, importante para a indústria avícola. O controle da DIB é realizado através de diferentes vacinas assim como programas de vacinação. No presente trabalho, a patogenicidade de três vacinas intermediárias ( I1, I2 e I3 ), duas intermediárias mais patogênicas ( IP1, IP2 ) e três vacinas contendo vírus forte ( F1, F2 e F3 ) foi avaliada. Aves vacinadas com IP1, IP2, F1, F2 e F3 apresentaram tamanho da bolsa de Fabrício, significativamente, menor em relação ao grupo controle e aos animais vacinados com I1, I2 e I3. Por outro lado, a vacina I3 produziu título de anticorpos semelhante ao grupo controle diferindo de todas as demais vacinas. Porém I1 e I2 induziram títulos de anticorpos maiores que o grupo controle, sendo que I1 promoveu a formação de título de anticorpos semelhante à IP1, IP2, F1, F2 e F3. Os escores de lesão histopatológica mostraram que I1, I2 e I3 induziram graus similares de lesão da bolsa, sendo que I2 e I3 não diferiram do grupo controle, enquanto I1 apresentou diferença. As vacinas intermediárias mais patogênicas, assim como as vacinas“fortes“ promoveram escores de lesão...

Doença infecciosa bursal: estudo sobre amostras vacinais e de campo, imunidade materna e desafio com amostra muito virulenta do vírus.

Moraes, Hamilton Luiz de Souza
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.33%
As aves foram separadas em quatro grupos, dois vacinados e dois não vacinados no 1º dia de vida. As aves foram desafiadas no 1º,4º,7º,10º,13º,16º,19º e 22º dias de vida. A cada dia de desafio eram coletados e medidos, antes e depois, os seguintes itens do grupo: peso relativo da bolsa de Fabrício, diâmetro da bolsa, bolsa de Fabrício para exame histológico e soro para medir os anticorpos contra a DIB, através de Elisa e avaliação clínica da DIB. Os resultados mostraram uma queda de anticorpos sem diferença significativa entre aves vacinadas e não vacinadas. Analisando os diferentes resultados, foi estabelecido que um título de Elisa (log10) de 3,4, foi o ponto de corte entre aves saudáveis e aves doentes. Foram construídas equações de regressão, para o estabelecimento do melhor dia para a vacinação ou do título de Elisa (log10), que as aves podem ter numa determinada idade. Assim sendo, os pintos da Empresa A deveriam receber vacina contra a DIB a partir do 6º - 7º dia, e os da Empresa B deveriam receber a vacina entre o 11º-12º dia de idade. Com os resultados obtidos neste experimento fica claro que as aves não devem ser vacinadas no 1º dia de vida, que o esquema de vacinação das reprodutoras ocasiona diferenças na proteção da progênie e que não se deve aplicar o mesmo esquema de vacinação indiscriminadamente para todos os lotes de frangos.

Avaliação no desempenho de frangos de corte submetidos a três diferentes programas de vacinações para doença infecciosa da Bursa

Santos, Ricardo dos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.67%
A Doença Infecciosa da Bolsa de Fabrício (DIB), conhecida por causar imunodepressão e ser extremamente contagiosa, tem ao longo dos anos na avicultura industrial, determinado consideráveis prejuízos econômicos. Com o crescimento em larga escala da avicultura tem se intensificado a busca pelo melhor programa vacinal, conciliando a proteção adequada ao plantel com o melhor desempenho dos índices de produção. O presente experimento foi conduzido em produtores integrados de frango de corte de uma Empresa do Vale do Taquari, RS - Brasil. O experimento foi realizado em duas etapas, no período de agosto a novembro de 2007 (teste 1) e novembro de 2007 a agosto 2008 (teste 2). O ensaio consistiu na avaliação de três diferentes programas vacinais para DIB usados em cada unidade de produção, sendo uma amostra de vacina convencional contendo uma cepa forte Winterfield 2512 (A), uma vacina complexo antígeno – anticorpo (B) e uma vacina recombinante com o gene VP2 do Vírus da doença infecciosa da bolsa de Fabrício (VDIB) inserido em um herpesvírus (C). Os parâmetros de produção de peso, mortalidade e ganho de peso diário não apresentaram diferença estatística em ambos os testes. Já para a conversão alimentar e Índice de eficiência produtivo a vacina C demonstrou ser mais eficiente estatisticamente em relação às vacinas A e B...

Erliquiose monocítica canina

Galant, Pedro Reinisch
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
46.4%
A erliquiose monocítica canina é uma doença infecciosa de distribuição mundial, transmitida por um vetor, o carrapato Riphicephalus sanguineus cujo controle seria essencial para redução da prevalência da doença. É causada pela bactéria intracelular Ehrlichia canis, que afeta o sistema imune dos animais infectados, podendo se apresentar nas formas aguda à crônica. Sua sintomatologia é diversa, sendo possível confundi-la com outras doenças, logo é importante fazer uso de diferentes métodos para o seu diagnóstico, que deve ser estabelecido o mais cedo possível para iniciar o tratamento. A E. canis é muito sensível as tetraciclinas, dentre elas a doxiciclina que é o antibiótico de primeira escolha para o tratamento, além da terapia de suporte, como fluidoterapia, vitaminas do complexo B, e em alguns casos, transfusão de sangue, para dar melhores condições de recuperação ao animal. Seu prognóstico geralmente é favorável quando diagnosticada nas fases iniciais, sendo mais reservado na apresentação crônica. Também se trata de uma zoonose, acarretando um risco para médicos veterinários e outros profissionais que tem contato com cães parasitados por carrapatos.; The canine monocytic ehrlichiosis is an infectious disease of worldwide distribution...

Estudo dos efeitos patológicos e imunológicos de diferentes vacinas contra a Doença Infecciosa da Bolsa de Fabrício

Camilotti, Elisar
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.56%
A Doença Infecciosa da Bolsa de Fabrício (DIB) é uma doença viral altamente contagiosa que afeta as galinhas nas primeiras semanas de vida. Ela pode causar altas taxas de morbidade e mortalidade dependendo da cepa viral envolvida no surto. Como o vírus é muito resistente no ambiente, a vacinação é requerida em alta pressão de infecção. Devido às variações no grau de virulência das vacinas disponíveis para o controle da DIB, o presente estudo objetivou avaliar a patogenicidade e imunogenicidade de três vacinas comerciais: as vacinas recombinante, complexo-imune e intermediária. Quatro grupos com 55 aves specific pathogen free (SPF) cada foram imunizadas no primeiro dia e desafiadas aos 25 dias com a cepa muito virulenta G11 para verificar o grau de proteção conferido pelas vacinas. As aves foram examinadas, sangradas, eutanaziadas e necropsiadas aos 25, 30 e 35 dias de idade. As bolsas de Fabrício (BF) foram coletadas, pesadas, mensurados seus diâmetros e pesos relativos e submetidas ao exame histopatológico para verificar a presença de lesões. Amostras de soro foram submetidas ao teste de ELISA para quantificação dos anticorpos contra a DIB. Aos 23 dias de idade, as aves SPF foram submetidas à prova de hipersensibilidade cutânea à fitohemaglutinina para avaliar o efeito das vacinas sobre a imunidade celular. Os resultados mostraram que a vacina complexo-imune induziu a maior redução no peso relativo e diâmetro e o maior grau de lesões nas BF. A vacina recombinante foi a que apresentou os melhores resultados...

Desenvolvimento da técnica de RT-PCR em tempo real para detecção e diferenciação de estirpes do vírus da bronquite infecciosa das galinhas

Okino, Cintia Hiromi
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xx, 104 f. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
46.59%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; A bronquite infecciosa das galinhas (BIG) é uma doença infecciosa que está amplamente disseminada entre as criações avícolas brasileiras e é uma das enfermidades virais que mais têm causado perdas econômicas na atualidade. Portanto, a rápida detecção e identificação do agente causal são imprescindíveis para que medidas eficazes de controle sejam prontamente tomadas. Para tanto, é necessário que os métodos de diagnóstico empregados sejam sensíveis, específicos, rápidos e também de baixo custo. Nesse contexto, a técnica de RTPCR em tempo real abordada no presente estudo permitiu a amplificação de duas regiões de hipervariabilidade do gene S1 de 17 estirpes diferentes do vírus da BIG (VBI), que foram testadas, mas não foi capaz de amplificar nenhum dos RNAvírus heterólogos analisados (vírus da doença de Newcastle, pneumovírus aviário e vírus da doença de Gumboro). Com essa mesma técnica foi possível fazer a diferenciação em grupos geneticamente distintos, de estirpes do VBI através de análises das curvas de dissociação de fragmentos amplificados a partir das regiões de hipervariabilidade gênica I e II do gene S1. A RT-PCR em tempo real desenvolvida apresentou maior sensibilidade na detecção do VBI em amostras teciduais...

Desenvolvimento e avaliação de uma vacina inativada contra estirpe variante brasileira do vírus da bronquite infecciosa aviária

Santos, Romeu Moreira dos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xi, 69 p. : il.
Português
Relevância na Pesquisa
46.43%
Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; The infectious bronchitis (BIG) is an infectious disease caused by avian coronavirus (infectious bronchitis virus - IBV) that is widespread among commercial poultry flocks in the world. There are currently in Brazil, a predominance of infections caused by strains of IBV classified in variant genotype (BR-I), which reveal striking differences in antigenicity with regard to the vaccine strain Massachusetts, routinely used in this country. The consequence is a low cross-immunity and lower level of protection against Brazilian field isolates of genotype BR-I. Thus, the main objectives of this study were to formulate an experimental inactivated vaccine with a variant strain of IBV previously characterized as genotype BR-I and added of a new oil adjuvant and test it after an administration, at 1 day old, of a commercial attenuated Massachusetts vaccine, followed by the evaluation of humoral and cellular immune (CMI) responses, as well as the state of protection upon challenge with this variant strain of IBV by histopathological examination and absolute quantification of viral load present in the trachea, and kidneys of these birds vaccinated and challenged with this variant strain. The results of this study demonstrated that this immunoprophylactic approach (vaccination of birds with 1 day old with attenuated commercial vaccine and revaccination at 14 days of age with annual experimental inactivated vaccine) was able to elicit significant increases in the serum and tear levels of anti-IBV antibodies of IgG isotype...

Análise molecular parcial dos genes VP1 e VP2 do vírus da doença infecciosa da bursa isolados no Brasil; Analysis on partial sequence of VP1 and VP2 genes of the Brazilian infectious bursal disease virus isolated in Brazil

Maria Judite Bittencourt Fernandes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/05/2010 Português
Relevância na Pesquisa
56.63%
A doença infecciosa da bursa (IBD), denominada também doença de Gumboro, é uma doença aguda, imunossupressora, altamente contagiosa de aves jovens e de grande importância econômica para a avicultura. O vírus da doença infecciosa da bursa (IBDV), sorotipo 1, pode ser classificado de acordo com sua antigenicidade e patogenicidade em amostras clássicas virulentas (cv), atenuadas, variantes antigênicas ou muito virulentas (vv). Estas diferenças antigênicas são encontradas na região hipervariável do gene VP2, que é responsável pela indução de anticorpos neutralizantes e também dos possíveis marcadores de virulência que ainda não estão bem estabelecidos. O gene VP1 parece também apresentar um papel na virulência do vírus. Primeiramente, o objetivo do presente trabalho foi a identificação e caracterização molecular de 66 amostras brasileiras de IBDV através da RT-PCR de um fragmento do gene VP2 seguida pela digestão por enzimas de restrição (RE) e posterior confirmação pelo sequenciamento. A análise da RT-PCR/RE classificou 25 isolados como cepas vv e 16 como cepas cv além da classificação de 6 grupo moleculares. O sequenciamento também confirmou esta classificação com a presnça dos aminoácidos (aa) típicos das amostras vv (222A...

Estudo dos níveis séricos de cálcio ionizado em doença periodontal em canídeos em função do sexo, idade e peso vivo

Dias, Daniela Duarte Jesus
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 17/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.3%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A doença periodontal (DP) é a doença infecciosa mais comum em canídeos, sendo que, 80 a 85% dos cães com mais de dois anos de idade apresentam algum sinal da doença. Devido à sua influência negativa na saúde e bem-estar geral dos indivíduos, frequentemente subvalorizada na prática clínica veterinária, é fundamental apostar na sua prevenção e terapêutica. O presente estudo incluiu uma amostra de 40 canídeos (canis lupus familiaris) e teve como objectivos: 1) estudar as variações séricas de cálcio ionizado (Cai) nos diferentes graus da doença periodontal nestes indivíduos; 2) verificar a possível influência dos factores fisiológicos sexo, idade e peso na evolução da doença, bem como nos níveis séricos de Cai; 3) verificar a utilidade da determinação dos níveis séricos de Cai no diagnóstico da doença. Os resultados obtidos sugerem a existência duma correlação negativa entre os níveis séricos de Cai e a evolução da DP. Verificou-se apenas uma correlação negativa da idade com a evolução da DP, bem como com os níveis séricos de Cai, não se revelando estatisticamente significativa a influência dos factores género e peso na evolução da DP...

Apoptose e expressão de VP2 e GAPDH na infecção precoce pelo vírus da doença infecciosa da bursa de Fabricius em pintos SPF

Batista,J.J.; Martins,A.S.; Moro,L.; Resende,J.S.; Martins,N.R.S.; Vasconcelos,A.C.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.33%
Vinte e nove pintos SPF de um dia foram inoculados com o vírus da doença infecciosa da bursa de Fabricius (VDIB) para avaliar a ocorrência precoce de apoptose e a expressão da proteína viral 2 (VP2) e da enzima gliceraldeído fosfato dehidrogenase (GAPDH). Os animais foram distribuídos em cinco grupos: 1-controle; e 2 a 5- com 24, 48, 72 e 96 horas pós-inoculação, respectivamente. Fragmentos da bursa de Fabricius foram colhidos para processamento histológico e extração de RNA. Lâminas coradas em HE e TUNEL (marcação in situ da fragmentação do genoma com transferase terminal de deoxinucleotídeo) foram utilizadas na morfometria do índice apoptótico. Amostras de mRNA foram testadas para a expressão dos genes VP2 e GAPDH utilizando-se transcrição reversa e RT-PCR. Utilizou-se um kit SYBR GREEN PCR, e a reação foi desenvolvida em ABI Prism 7000 SDS. Os índices apoptóticos cresceram progressivamente indicando uma relação na atrofia bursal causada pelo VDIB. Paralelamente, os resultados da PCR em tempo real demonstraram queda da carga viral nas células linfóides da bursa nos diferentes intervalos de tempo do experimento. Esses resultados sugerem um papel protetor da apoptose na diminuição da replicação viral.

Vacinas com marcadores antigênicos contra o vírus da rinotraqueíte infecciosa bovina e o vírus da doença de Aujeszky

Zanella,Janice Reis Ciacci; Flores,Eduardo Furtado
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1995 Português
Relevância na Pesquisa
36.64%
Vacinas contra o herpes vírus bovino tipo-1 (IBRV, vírus da rinotraqueíte infecciosa) e o herpesvírus suíno (PRV, vírus da doença de Aujeszky) têm sido amplamente utilizadas em vários países para minimizar as perdas associadas à essas infecções. As vacinas tradicionais, no entanto, induzem uma resposta humoral indistinguível da resposta à infecção natural, o que não permite a distinção entre animais vacinados dos infectados naturalmente. Isto tem dificultado o estabelecimento de medidas de controle e erradicação dessas enfermidades. Nos últimos anos, a manipulação genética desses vírus tem permitido a obtenção de mutantes com marcadores antigênicos específicos. A estratégia consiste na deleção de uma ou mais glicoproteínas do envelope viral que não são essenciais para a replicação do vírus e o uso desses mutantes como vacinas. A utilização de um teste sorológico específico para a glicoproteína deletada permite a distinção entre animais vacinados dos infectados com o vírus de campo. A utilização de vacinas com marcadores antigênicos, também chamadas de vacinas diferenciais, tem sido a base de programas de controle e erradicação da doença de Aujeszky em vários países e começa a ser utilizada no controle da rinotraqueíte infecciosa bovina. Este artigo apresenta uma breve revisão sobre as bases moleculares e biológicas das vacinas diferenciais para o IBRV e PRV...

Anticorpos contra vírus de galinha em cracídeos

Santos,Helton Fernandes dos; Flores,Maristela Lovato; Lara,Valéria Maria; Trevisol,Iara Maria; Lovato,Luciane Teresinha
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
46.52%
Os cracídeos são Galliformes silvestres das Américas. Com o objetivo de investigar a presença de anticorpos contra vírus de galinhas em cracídeos, foram coletadas 51 amostras de soro de 10 diferentes espécies dessas aves. Esses animais eram mantidos em criatórios conservacionistas e zoológicos nos Municípios de Santa Maria, Soledade, Passo Fundo, Sapucaia, Gravataí, Viamão e Três Coroas, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Anticorpos neutralizantes foram detectados em 5,9% (3/51) do total de amostras testadas contra o vírus da bronquite infecciosa das galinhas, 15,7% (8/51) contra o reovírus aviário e 35,3% (18/51) contra o vírus da doença infecciosa da bolsa. Todas as amostras foram negativas para o vírus da bouba aviária no teste de IDGA. A detecção de anticorpos para vírus de aves comerciais sugere que os cracídeos podem ser susceptíveis à infecção por esses vírus.

Anticorpos contra o vírus da Doença Infecciosa Bursal e detecção do genoma viral em criações de frango de corte e galinhas de quintal no polo avícola da Bahia

Silva,Priscila Sousa da; Sales,Tatiane Santana; Luz,Izabella Ramos da; Maia,Paulo César Costa; Fernandes,Lia Muniz Barretto; Mendes,Caroline de Oliveira
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
46.33%
Este estudo teve como objetivo determinar a frequência de anticorpos e detectar o genoma viral do vírus da Doença Infecciosa Bursal em criações de frangos de corte e em criações de subsistência localizadas em duas regiões do polo avícola da Bahia. Foram coletadas 758 amostras de soro de frangos de corte e 320 amostras de galinhas de quintal para avaliação da frequência de anticorpos utilizando ELISA indireto. Para a detecção e caracterização do vírus foram coletados 6 pools de bursas de Fabrícius em frangos de corte e 3 pools em criações de subsistência, analisados posteriormente com PCR/RFLP. Os resultados revelaram que não há proteção uniforme na criação comercial nas duas regiões estudadas, sugerindo falha na vacinação e desafio com vírus no ambiente. Também observaram-se altos títulos em galinhas de quintal não vacinadas, com variação nos títulos relacionada com desafios de campo. Nos testes moleculares, verificaram-se que três pools de frangos de corte eram positivos, sendo dois para cepa vacinal (G3) e um para cepa variante (G15). Nas criações de subsistência, houve uma amostra positiva para cepa variante (G15). Os resultados demonstram a necessidade de monitoramento em ambas as criações.

Hanseníase: uma doença genética?

Prevedello,Flávia Costa; Mira,Marcelo Távora
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
46.51%
A hanseníase é doença infecciosa milenar que, apesar da existência de terapêutica eficaz, ainda persiste como problema de saúde pública em seis países, entre eles o Brasil, líder mundial em prevalência da doença. Ao longo das últimas décadas, a hanseníase vem sendo estudada por perspectiva talvez inesperada para uma doença infecciosa: modernos métodos de análise experimental têm sido empregados para evidenciar a importância do componente genético no controle da susceptibilidade do hospedeiro à hanseníase e seus fenótipos. Esses estudos indicam que constituição genética favorável do hospedeiro, somada a fatores propícios, ambientais e relativos ao agente patogênico, tem alto impacto na definição da susceptibilidade tanto à infecção propriamente dita quanto à evolução clínica da doença. Hoje, diversos genes e regiões genômicas já foram relacionados ao controle da susceptibilidade à hanseníase. Outros estudos estão em andamento, visando ao avanço no entendimento das bases moleculares de controle da susceptibilidade do hospedeiro à doença. O conjunto de resultados desses estudos pode levar a formas mais eficazes de diagnóstico, tratamento e prevenção da hanseníase e outras doenças infecciosas.

Avaliação da arginina dietética sobre a resposta imunológica de frangos de corte imunizados contra a Doença de Gumboro

Fernandes,Jovanir Inês Müller; Dalla Rosa,Daniela; Ribeiro,Mayra Vissotto; Lima,Edna Tereza de; Fernandes,Nelson Luis Mello
Fonte: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Publicador: Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
46.27%
O estudo foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito da suplementação de Arginina (Arg) sobre a resposta imune humoral e o desenvolvimento dos órgãos linfoides de frangos de corte imunizados contra a Doença de Gumboro. Foram utilizados 640 pintos de corte, distribuídos aleatoriamente em um delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos (1. Controle, 2. Imunização, 3. Imunização + suplementação de L-Arg e 4. Suplementação de L-Arg.) e oito repetições de 20 aves cada. As aves dos tratamentos 3 e 4 foram imunizadas no 16º dia, contra a Doença de Gumboro (cepa intermediária plus). Amostras de soro das aves com 14, 21, 28 e 35 dias de idade foram analisadas por ELISA para detecção de título de anticorpos contra a Doença de Gumboro e nestas mesmas idades foi determinado o peso dos órgãos linfoides e a altura de pregas primárias do tecido linfoide da bolsa cloacal. Não houve diferença significativa (p > 0,05) entre os tratamentos. A suplementação de Arg não contribuiu com a resposta imune dos frangos de corte imunizados contra a Doença de Gumboro. A falta de resposta à imunização pode ser atribuída à baixa virulência da cepa vacinal utilizada e à presença de vírus de campo.

Etiologia infecciosa da mastite ovina em diferentes lactações.

MARTINS, K. B.; ZAFALON, L. F.; ESTEVES, S. N.
Fonte: In: JORNADA CIENTÍFICA - EMBRAPA SÃO CARLOS, 2., 2010, São Carlos, SP. Anais... São Carlos: Embrapa Instrumentação Agropecuária: Embrapa Pecuária Sudeste, 2010. Publicador: In: JORNADA CIENTÍFICA - EMBRAPA SÃO CARLOS, 2., 2010, São Carlos, SP. Anais... São Carlos: Embrapa Instrumentação Agropecuária: Embrapa Pecuária Sudeste, 2010.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
36.71%
A inflamação da glândula mamária conhecida como mastite tem origem principalmente infecciosa. Essa doença tem sido responsável por grandes prejuízos na produção de ovinos, pois pode levar à diminuição da produção de leite das fêmeas, alterações nas composições químicas e físicas do leite, além de alterações no tecido glandular, que acarretam o descarte prematuro de ovelhas e interferem diretamente no desenvolvimento dos cordeiros. O presente trabalho teve como objetivo investigar os agentes etiológicos isolados de casos de mastite ovina dos mesmos animais em duas lactações diferentes, de forma a acompanhar a manutenção de fontes de infecção no rebanho. Foram colhidas 132 amostras de leite provenientes de 33 ovelhas da raça Santa Inês oriundas do rebanho da Embrapa Pecuária Sueste, localizada na cidade de São Carlos, São Paulo, com um total de 66 amostras em cada lactação. As amostras de leite foram colhidas em duplicatas de cada glândula mamária, semeadas sobre placas de Petri com agar base com sangue ovino e incubadas por 24 a 48 horas a 35ºC. Em seguida, os microrganismos foram isolados e identificados. Do total de animais estudados, 63,3% não apresentaram mastite infecciosa nas duas lactações...

Detecção do virus da anemia das galinhas em coinfecção com o vírus doença infecciosa bursal em frangos; Detection of chicken anemia virus and infectious bursal disease virus co-infection in broilers

Chacón, Jorge Luiz; Nogueira, Eliana Ottati; Bretano, Liana; Gomes, Cleide R.; Astolfi-Ferreira, Claudete Serrano; Villarreal, Laura; Ferreira, Antonio José Piantino
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.77%
Este estudo investigou a manifestação do vírus da Anemia Infecciosa das Aves (VAIA) em lotes de frangos que apresentavam retardo no crescimento e aumento da mortalidade observado a partir do quarto dia de idade. Clinicamente, as aves apresentavam depresão, palidez, despigmentação e retardo de crescimento. À necropsia, as aves apresentavam lesões compatíveis com a infecção pelo vírus da Anemia infecciosa das aves (VAIA). Amostras de fígado, baço e timo foram examinadas por PCR que amplifica um frangmento de 675 pb do gene VP-1 do VAIA. Todos os órgãos examinados foram positivos para o vírus da Anemia Infecciosa das Aves. Os demais patógenos, como adenovírus, reovírus, astrovírus, vírus da doença infecciosa bursal e coronavírus aviário não foram detectados pelas diferentes técnicas laboratoriais, como sorologia, PCR ou PAGE. Os resultados mostraram que o vírus da Anemia Infecciosa das Aves (VAIA) pode manifestar-se clinicamente nos primeiros dias de vida dos frangos - um fato ainda não reportado - associado ao vírus vacinal da doença infecciosa bursal (DIB) cepa forte pode induzir um persistente retardo de crescimento, por várias semanas, em frangos.; This survey aimed to investigate chicken anemia virus (CAV) in broilers flocks experimenting retarded growth and increasing mortality since the fourth day of age. Clinically...

Infectious bursal disease: a case report; Doença infecciosa bursal: estudo de caso

Ito, Nair Massako Katayama; Noronha, Alda Maria Bacx; Dagli, Maria Lucia Zaidan; Gaviolle, Maria Christina; Rossini, Lavinia Iervolino; Matsuguma, Luiz Kazunori
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1990 Português
Relevância na Pesquisa
56.4%
Este trabalho descreve un surto de Doença Infecciosa Bursal (DIB) ocorrendo em frangos de corte oriundos de reprodutoras imunizadas, alojadas em quatro granjas vizinhas e vacinadas ou nio vacinadas com vírus da DIB. Mortalidade elevada, mau desempenho e ocorrência de infecções múltiplas foram os principais achados de campo. A DIB foi reproduzida experimentalmente em galinhas SPF e comerciais através de inoculaçBo do homogenato de Bursa de Fabricius. Anticorpos contra vírus da DIB e partículas virais (33 a 38 nm) foram detectadas nas aves experimentalmenteinoculadas.; This paper reports an outbreak of Infectious Bursal Disease (IBD) occuring in broiler chickens derivated from immunized breeders, housed in four neighbouring poultry farms and having a vaccinated or unvaccinated status to IBD virus. High mortality, bad performance and occurence of miscellaneous infections were the main field findings. IBD was experimentally reproduced in SPF and commercial chickens by 8ursa of Fabricius homogenate inoculation. IBDV - antibodies and virus particles (33 to 38 nm) were detected in the experimentally inoculated birds.