Página 1 dos resultados de 1317 itens digitais encontrados em 0.020 segundos

Vigilância epidemiológica em doenças crónicas não transmissíveis

Correia, Teresa
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano
Tipo: Parte de Livro
Português
Relevância na Pesquisa
76.47%
O conceito de vigilância epidemiológica para as doenças crónicas não transmissíveis ainda não é consensual, não estando para já completamente estabelecidos os procedimentos relacionados com esta actividade de Saúde Pública. Entre os principais factores de risco para o desenvolvimento destas patologias estão: o sedentarismo, a obesidade, a hipertensão, colesterol elevado, o tabagismo e o consumo alimentar. É necessária uma vigilância epidemiológica efectiva destas doenças. O objectivo desta comunicação é reflectir sobre o processo, ainda recente, de desenvolvimento da vigilância das doenças não transmissíveis. Metodologia: Procedeu-se a uma revisão da literatura existente nacional e internacional. Procurou-se prioritariamente as bases de dados relativamente às doenças crónicas de declaração não obrigatória em geral e mais em particular à possível existência de bases específicas da vigilância das doenças crónicas não transmissíveis. Resultados: Os resultados permitem reflectir sobre dados nacionais e internacionais relativamente às metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Saúde de 2004-2010. Alguns dos resultados aproximaram-se das metas, no entanto ainda há muito para fazer nomeadamente em relação à obesidade e aos estilos de vida dos mais jovens. Conclusões: São necessárias estratégias combinadas que permitam a implementação de um sistema de vigilância epidemiológica destas doenças...

Avaliação da soroprevalência do vírus da hepatite C em pacientes portadores de doenças sexualmente transmissíveis na cidade de São Paulo; Evaluation of Hepatitis C virus seroprevalence in patients with Sexually Transmitted Diseases in São Paulo, Brazil

Arnone, Marcelo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
66.35%
Introdução: A infecção pelo vírus da hepatite C é atualmente um dos maiores problemas de saúde pública em todo o mundo. Sua principal via de transmissão é a parenteral, por meio da transfusão de sangue e hemoderivados e pelo uso de drogas injetáveis. A transmissão por via sexual é controversa e vem sendo objeto de estudos nos últimos anos. Objetivo: Avaliar a frequência do vírus da hepatite C em portadores de doenças sexualmente transmissíveis, correlacionar os achados sorológicos da população estudada com os fatores de risco para transmissão do vírus da hepatite C e analisar o papel da via sexual como meio de transmissão da doença. Casuística e Métodos: O estudo foi realizado em 1.000 pacientes portadores de doenças sexualmente transmissíveis atendidos no Centro de Saúde Escola Geraldo Paula Souza da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e no Ambulatório de Doenças Sexualmente Transmissíveis da Divisão de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, no período de janeiro de 2004 a dezembro de 2006. Os pacientes foram entrevistados para identificação de fatores de risco para transmissão do vírus da hepatite C e foram colhidas amostras para realização de sorologia para hepatite C e HIV. Os dados coletados incluiram idade...

Fatores de risco para doenças não-transmissíveis em área metropolitana na região sul do Brasil : prevalência e simultaneidade

Duncan, Bruce Bartholow; Schmidt, Maria Inês; Polanczyk, Carisi Anne; Homrich, Clecio S.; Rosa, Roger dos Santos; Achutti, Aloyzio Cechella
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
76.35%
Três quartos da mortalidade no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) ocorrem por doenças não-transmissíveis. Dentre elas as doenças cardiovasculares, por si só, correspondem a 35% das causas de morte. Para avaliar a prevalência de fatores de risco para essas doenças, foi realizado inquérito domiciliar no período de 1986/87. Foram entrevistados 1.157 indivíduos entre 15-64 anos, residentes em setores censitários de 4 áreas docente-assistenciais do Município de Porto Alegre, RS. A prevalência padronizada de tabagismo foi de 40%, hipertensão 14%, obesidade 18%, sedentarismo geral 47% e consumo excessivo de álcool, 7%. Trinta e nove por cento da amostra acumulavam dois ou mais desses cinco fatores de risco, somente 22% de homens e 21% de mulheres não apresentaram esses fatores de risco. As elevadas freqüências e concomitâncias desses fatores de risco alertam para sua importância em programas que visam a prevenção das doenças não-transmissíveis.; Three-quarters of deaths in Rio Grande do Sul State, Brazil, are due to non-communicable diseases - cardiovascular diseases, alone, being responsible for 35% of them. To evaluate the prevalence of risk factors for these diseases, a household survey of 1,157 randomly sampled individuals between 15 and 64 years of age was undertaken in 1986 and 1987 in census tracts of 4 areas of the city of Porto Alegre. The ageand sex-adjusted prevalence of smoking was 40%...

Práticas educativas na área da saúde: realização de exames Bacterioscópicos para o controle das doenças sexualmente Transmissíveis (DST)

Hörner, Rosmari; Santos, Silvana; Rampelotto, Roberta; Hörner, Andreas; Gindri, Lívia; Rodrigues, Mônica; Martini, Rosiéli
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Português
Relevância na Pesquisa
66.35%
Trabalho apresentado no 31º SEURS - Seminário de Extensão Universitária da Região Sul, realizado em Florianópolis, SC, no período de 04 a 07 de agosto de 2013 - Universidade Federal de Santa Catarina.; Reportamos os resultados do nosso projeto de extensão intitulado “Práticas educativas na área da saúde: realização de exames bacterioscópicos para o controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) na Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria - RS. O objetivo geral desse trabalho foi o de proporcionar aos acadêmicos do curso de Farmácia da UFSM a oportunidade de aprender a coletar secreções vaginais, cervicais e/ou uretrais solicitadas pelos médicos que fazem parte da equipe da Estratégia de Saúde da Família (ESF) nas Unidades Básica de Saúde da Vila Maringá e Vila Schirmer em Santa Maria, RS. Estas comunidades carentes são composta por aproximadamente 5 mil habitantes, os quais têm dificuldade de se locomover até o laboratório municipal do Centro de Diagnóstico e Atenção Secundária (CEDAS) para a realização de exames laboratoriais, aliado ao fato de que esse tipo de exame (bacterioscópico de secreções) não é efetuado nesse local. Portanto, esse projeto...

O conhecimento das mulheres portuguesas sobre doenças sexualmente transmissíveis

Nicolau, Filipa Moura
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.42%
Objectivos: avaliar as práticas sexuais; avaliar o conhecimento relativamente às doenças sexualmente transmissíveis; avaliar o comportamento sexual protegido; estimar a prevalência percepcionada de doenças sexualmente transmissíveis; averiguar relações entre variáveis sócio-demográficas, práticas sexuais e conhecimento sobre doenças sexualmente transmissíveis; e estimar o conhecimento com preditor no comportamento sexual protegido e nas doenças sexualmente transmissíveis. Métodos: Foi recolhida uma amostra de 456 mulheres, através do preenchimento de um questionário disponível na Internet. Resultados: Os resultados mostram que existe um elevado desconhecimento relativamente às doenças sexualmente transmissíveis e que o conhecimento não tem uma relação preditiva com o comportamento sexual protegido e com ter ou não ter uma DST.

Fatores de risco para doenças não-transmissíveis em área metropolitana na região sul do Brasil: prevalência e simultaneidade

Duncan,Bruce B.; Schmidt,Maria I.; Polanczyk,Carísi A.; Homrich,Clécio S.; Rosa,Roger S.; Achutti,Aloyzio C.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/1993 Português
Relevância na Pesquisa
66.32%
Três quartos da mortalidade no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) ocorrem por doenças não-transmissíveis. Dentre elas as doenças cardiovasculares, por si só, correspondem a 35% das causas de morte. Para avaliar a prevalência de fatores de risco para essas doenças, foi realizado inquérito domiciliar no período de 1986/87. Foram entrevistados 1.157 indivíduos entre 15-64 anos, residentes em setores censitários de 4 áreas docente-assistenciais do Município de Porto Alegre, RS. A prevalência padronizada de tabagismo foi de 40%, hipertensão 14%, obesidade 18%, sedentarismo geral 47% e consumo excessivo de álcool, 7%. Trinta e nove por cento da amostra acumulavam dois ou mais desses cinco fatores de risco, somente 22% de homens e 21% de mulheres não apresentaram esses fatores de risco. As elevadas freqüências e concomitâncias desses fatores de risco alertam para sua importância em programas que visam a prevenção das doenças não-transmissíveis.

Sintomas de doenças sexualmente transmissíveis em adultos: prevalência e fatores de risco

Carret,Maria Laura Vidal; Fassa,Anaclaudia Gastal; Silveira,Denise Silva da; Bertoldi,Andréa D; Hallal,Pedro C
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.31%
OBJETIVO: Medir a prevalência de sintomas de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e seus fatores de risco em uma população adulta. MÉTODOS: Estudo transversal de base populacional. A amostra foi constituída de adultos com 20 anos ou mais de idade, da zona urbana de Pelotas, RS. Utilizou-se questionário auto-aplicado para obtenção de informações de comportamento sexual e de sintomatologia para DST. A análise ajustada foi realizada por regressão logística. RESULTADOS: A prevalência de sintomas de DST foi de 13,5%. Pessoas do sexo feminino, mais jovens e cor não branca, bem como aquelas que não usaram preservativo na última relação sexual e que tiveram maior número de parceiros apresentaram maior risco para DST. Após estratificar por sexo, idade precoce de iniciação sexual e prática de sexo anal, as DST mostraram-se associadas com o desfecho apenas para os homens, e a menor escolaridade mostrou-se associada com o desfecho apenas para as mulheres. CONCLUSÕES: Este estudo mostrou uma prevalência importante de sintomas de DST. Levando-se em conta que muitas DST são assintomáticas e casos sintomáticos freqüentemente não são percebidos como patológicos pelos doentes e/ou não são diagnosticados pelos serviços...

Desenvolvimento de um questionário de freqüência alimentar para o estudo de dieta e doenças não transmissíveis

Furlan-Viebig,Renata; Pastor-Valero,Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.25%
O objetivo do estudo foi desenvolver um questionário de freqüência alimentar com o intuito de investigar possíveis relações entre dieta e doenças não transmissíveis. Foram estudados 200 indivíduos adultos, atendidos no ambulatório geral de um hospital cardiológico de São Paulo, SP. A lista de 98 alimentos do questionário de freqüência alimentar foi construída a partir de recordatórios de 24 horas, estimando-se a contribuição percentual de cada alimento para o consumo de energia e de 21 nutrientes. O questionário desenvolvido representou 96,8% das calorias consumidas pela população estudada e ao menos 95% da ingestão dos nutrientes selecionados. Uma vez adaptado e validado, esse questionário poderá ser utilizado em estudos epidemiológicos em populações adultas.

Doenças sexualmente transmissíveis na adolescência: estudo de fatores de risco

Taquette,Stella R.; Vilhena,Marília Mello de; Paula,Mariana Campos de
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 Português
Relevância na Pesquisa
66.45%
As doenças sexualmente transmissíveis são prevalentes na adolescência e facilitadoras da contaminação pelo HIV. A baixa idade das primeiras relações sexuais, a variabilidade de parceiros, o não uso de preservativo e o uso de drogas ilícitas são apontados como fatores de risco às doenças sexualmente transmissíveis. Entrevistamos 356 adolescentes que procuraram atendimento no Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente da Universidade Estadual do Rio de Janeiro no período de agosto/2001 a julho/2002 com o objetivo de conhecê-los do ponto de vista da sexualidade e identificar fatores de risco às doenças sexualmente transmissíveis. Fizemos análises de freqüência e testes qui-quadrado dos dados coletados. Observamos associações estatisticamente significativas entre ter uma doenças sexualmente transmissíveis e as variáveis: atraso escolar, uso de álcool, tabaco e drogas, histórico de abuso sexual e a não utilização de preservativo nas relações sexuais. Os resultados indicam que os fatores de risco às doenças sexualmente transmissíveis na adolescência são múltiplos, sendo que o não uso do preservativo é o que tem possibilidade de redução sob a ação das equipes de saúde.

Fatores associados ao risco para doenças não transmissíveis em adultos brasileiros: estudo transversal de base populacional

Costa,Letícia Casado; Thuler,Luiz Claudio Santos
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 Português
Relevância na Pesquisa
96.38%
No Brasil, devido às mudanças nos perfis demográfico, epidemiológico e nutricional da população, as doenças infecciosas vêm cedendo lugar às crônicodegenerativas. Em face da grande heterogeneidade demográfica, social e econômica do país, são exigidas ações de saúde pública que sejam direcionadas às realidades locais. Com o objetivo de identificar os fatores associados ao risco para doenças não transmissíveis em adultos brasileiros, foi realizado um inquérito domiciliar, entre junho de 2002 e outubro de 2005, em amostra representativa de 18 capitais brasileiras. As prevalências dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis foram: excesso de peso; atividade física irregular ou sedentarismo;consumo de cigarros; consumo de álcool de risco; hipertensão arterial referida; diabetes referida; e hipercolesterolemia referida. A ausência de fatores de risco foi observada em apenas 8,5% da população entrevistada. Conclui-se que a alta prevalência de exposição a pelo menos um dos fatores de risco estudados evidencia que as ações em saúde devem ser multifatoriais e não dirigidas somente a um fator isolado.

Perfil clínico-epidemiológico das doenças sexualmente transmissíveis em crianças atendidas em um centro de referência na cidade de Manaus, Amazonas, Brasil

Ribas,Carla Barros da Rocha; Cunha,Maria da Graça Souza; Schettini,Antônio Pedro Mendes; Ribas,Jonas; Santos,Josie Eiras Bisi dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 Português
Relevância na Pesquisa
66.37%
FUNDAMENTOS: Doenças Sexualmente Transmissíveis em crianças permanecem um problema de saúde pública pouco estudado, sendo ainda necessários esclarecimentos sobre seu manejo e a relação destas com o abuso sexual infantil. OBJETIVOS: Descrever o perfil clínico-epidemiológico das Doenças Sexualmente Transmissíveis em crianças atendidas em centro de referência na cidade de Manaus. MÉTODOS: Realizou-se estudo descritivo exploratório para verificar características clínicas, epidemiológicas e laboratoriais das Doenças Sexualmente Transmissíveis em crianças atendidas durante o período de janeiro/2003 a dezembro/2007. RESULTADOS: Foram incluídas no estudo 182 crianças que apresentavam DST. A maioria era do sexo feminino (65,4%) e de cor parda; a média de idade foi de 8,5 anos; 89% eram procedentes da cidade de Manaus; os pais foram os principais acompanhantes na consulta; verruga genital foi o principal diagnóstico em ambos os sexos; e, 90,1% apresentavam apenas uma DST. CONCLUSÃO: As frequências e características clínicas das DST nas crianças do estudo não diferiram do encontrado na literatura. Embora, com base em sinais e sintomas referentes tão somente às DST nas crianças, não se tenham parâmetros fidedignos de confirmação de abuso...

Óbitos, internações e custos das doenças crônicas não transmissíveis no estado de Goiás no período de 2006 a 2012

Lima, Helen de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (FM); Faculdade de Medicina - FM (RG)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
66.41%
The aim of this study was to analyze the prevalence and distribution of mortality hospitalizations and costs for non-communicable chronic diseases (cardiovascular diseases, cancer, chronic respiratory diseases and diabetes mellitus ) in the State of Goiás, from 2006-2012 about the epidemiological dimension and proposed strategic actions. Methodological procedures included descriptive statistics with frequency analysis, absolute and percentage, and frequency conversion rate of deaths per 10 000 inhabitants, for all of the municipalities and their distribution in the large and small regions of health. We used the databases of deaths and hospitalizations from national health information by selecting admissions frequently occurring above 100 in 2011, according to the International Classification of Diseases (ICD-10). Copied these databases. It was created an environment tab, using TabWin Exploratory Analysis applicative, version 3.6. The process of extracting the data consisted in taking some filters so that the extracted data were only and exclusively of non-communicable chronic diseases and disabled residents in the state of Goiás and only during the selected period. The findings show that, for the variable death, the most frequent cause was the circulatory system diseases. Struck both sexes in the age groups in their extreme stratification. These diseases are also prevalent when analyzing hospital admissions...

O conhecimento das mulheres portuguesas sobre doenças sexualmente transmissíveis

Nicolau, Filipa Moura
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
66.42%
Objectivos: avaliar as práticas sexuais; avaliar o conhecimento relativamente às doenças sexualmente transmissíveis; avaliar o comportamento sexual protegido; estimar a prevalência percepcionada de doenças sexualmente transmissíveis; averiguar relações entre variáveis sócio-demográficas, práticas sexuais e conhecimento sobre doenças sexualmente transmissíveis; e estimar o conhecimento com preditor no comportamento sexual protegido e nas doenças sexualmente transmissíveis. Métodos: Foi recolhida uma amostra de 456 mulheres, através do preenchimento de um questionário disponível na Internet. Resultados: Os resultados mostram que existe um elevado desconhecimento relativamente às doenças sexualmente transmissíveis e que o conhecimento não tem uma relação preditiva com o comportamento sexual protegido e com ter ou não ter uma DST.

A promoção do direito fundamental à saúde a partir da tributação extrafiscal: uma análise em face do consumo de tabaco, bebida alcóolica e de alimentos não saudáveis

Bernaud, Renata Rolla
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
76.4%
A ideia da promoção à saúde se encontra intimamente ligada ao direito a uma vida digna e saudável. Como direito fundamental assegurado a todos, a saúde, em sua forma preventiva, outorga ao Estado o dever de proteção da população. As doenças não transmissíveis, como o câncer, a diabetes, as doenças cardiovasculares e respiratórias, acabam de superar o número de atingidos por doenças transmissíveis. A preocupação é global e medidas necessitam ser tomadas para conter esta catástrofe. Responsáveis pelos principais fatores de riscos das doenças não transmissíveis, o tabaco, as bebidas alcoólicas e os alimentos não saudáveis são peças-chave neste cenário. Frear o consumo destes produtos tornou-se uma necessidade do mundo contemporâneo. Neste sentido, o foco da pesquisa é o estudo da medida interventiva de preços e impostos incidentes sobre o tabaco, as bebidas alcoólicas e os alimentos não saudáveis. Sabe-se que a tributação, além de sua função principal arrecadatória, pode ser utilizada para estimular ou desestimular condutas. Assim, por meio da extrafiscalidade e, em específico, dos impostos sobre o consumo, pretende-se ver reduzido o consumo de produtos considerados não saudáveis, a fim de que seja garantida a todos a promoção à saúde.; The health promotion idea is closely linked to the right to a dignified and healthy life. As a fundamental right guaranteed to all...

Assessing the effectiveness of noncommunicable diseases control and prevention using data envelopment analysis: an international comparison

Nascimento, Ana Cristina Soares do
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.58%
Dissertação de mestrado, Gestão de Unidades de Saúde, Faculdade de Economia, Universidade do Algarve, 2013; Noncommunicable diseases (NCDs), with special relevance cardiovascular diseases, cancer, diabetes and respiratory diseases, are leading causes of death worldwide. For policymakers across countries, the prevention and control of these diseases is fundamental to ensure an effective management of healthcare systems. The main purpose of this dissertation is to explore the potential of using Data Envelopment Analysis (DEA) to assess the effectiveness of healthcare systems in preventing and controlling NCDs. To this purpose, data from 27 OECD counties has been used. Our results point out a remarkable variation in NCDs prevention and control across countries, suggesting that the identification of best practices in this context may contribute to the development of more effective strategies to prevent and control NCDs among the population. These results also demonstrate the potential strategic role of DEA for an effective planning of the available resources.; As doenças não transmissíveis são por definição não infeciosas e não transmissíveis de pessoa para pessoa. Este grupo de doenças, em particular as doenças cardiovasculares...

Controle de doenças não transmissíveis - contexto histórico e elementos para sua discussão

Achutti, Aloysio
Fonte: Núcleo de Pesquisa em Direito Sanitário da Universidade de São Paulo Publicador: Núcleo de Pesquisa em Direito Sanitário da Universidade de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; AVALIADOS PELOS PARES; ; ; ; ; Peer-reviewed Article Formato: application/pdf
Publicado em 06/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
76.28%
O controle de doenças extrapola o domínio da biomedicina e da saúde de indivíduos. Ele depende de paradigmas que incluem comportamento humano, organização social, desenvolvimento sustentado e equidade. A trajetória para inclusão do controle das doenças crônicas e não transmissíveis na agenda da saúde pública pode ser objeto de uma releitura, com destaque para momentos que já fogem à memória e que podem exigir maior discussão e compreensão por parte de profissionais da saúde, políticos, empresários e população em geral.

Risk factors for non communicable diseases in a metropolitan area in South of Brazil: prevalence and simultaneity; Fatores de risco para doenças não-transmissíveis em área metropolitana na região sul do Brasil: prevalência e simultaneidade

Duncan, Bruce B.; Schmidt, Maria I.; Polanczyk, Carísi A.; Homrich, Clécio S.; Rosa, Roger S.; Achutti, Aloyzio C.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/1993 Português
Relevância na Pesquisa
66.32%
Three-quarters of deaths in Rio Grande do Sul State, Brazil, are due to non-communicable diseases - cardiovascular diseases, alone, being responsible for 35% of them. To evaluate the prevalence of risk factors for these diseases, a household survey of 1,157 randomly sampled individuals between 15 and 64 years of age was undertaken in 1986 and 1987 in census tracts of 4 areas of the city of Porto Alegre. The age-and sex-adjusted prevalence of smoking was 40%, hypertension 14%, obesity 18%, overall sedentary lifestyle 47%, and excessive alcohol consumption 7%. Thirty-nine percent of the sample presented two or more of these five risk factors, and only 22% of men and 21% of women had none of them. The high frequencies and simultaneous presence of these risk factors indicate their importance for programs aimed at the prevention of non-communicable diseases and the promotion of adult health.; Três quartos da mortalidade no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) ocorrem por doenças não-transmissíveis. Dentre elas as doenças cardiovasculares, por si só, correspondem a 35% das causas de morte. Para avaliar a prevalência de fatores de risco para essas doenças, foi realizado inquérito domiciliar no período de 1986/87. Foram entrevistados 1.157 indivíduos entre 15-64 anos...

Desenvolvimento de um questionário de freqüência alimentar para o estudo de dieta e doenças não transmissíveis; Development of a food frequency questionnaire to study diet and non-communicable diseases in adult population

Furlan-Viebig, Renata; Pastor-Valero, Maria
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.25%
The study purpose was to develop a food frequency questionnaire (FFQ) to investigate potential relationships between diet and non-communicable diseases. Two hundred adults were selected among attendees at the general outpatient clinic of Heart Institute of São Paulo, Brazil. A 98-food item list was created from 24-hour recalls, based on the weighted contribution of each food to energy intake and 21 nutrients. The questionnaire represented 96.8% of energy and at least 95% of the selected nutrients consumed by the study population. Once adapted and validated, this FFQ could be used in epidemiological studies in adult population.; O objetivo do estudo foi desenvolver um questionário de freqüência alimentar com o intuito de investigar possíveis relações entre dieta e doenças não transmissíveis. Foram estudados 200 indivíduos adultos, atendidos no ambulatório geral de um hospital cardiológico de São Paulo, SP. A lista de 98 alimentos do questionário de freqüência alimentar foi construída a partir de recordatórios de 24 horas, estimando-se a contribuição percentual de cada alimento para o consumo de energia e de 21 nutrientes. O questionário desenvolvido representou 96,8% das calorias consumidas pela população estudada e ao menos 95% da ingestão dos nutrientes selecionados. Uma vez adaptado e validado...

Desenvolvimento de um questionário de freqüência alimentar para o estudo de dieta e doenças não transmissíveis

Furlan-Viebig,Renata; Pastor-Valero,Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
86.25%
O objetivo do estudo foi desenvolver um questionário de freqüência alimentar com o intuito de investigar possíveis relações entre dieta e doenças não transmissíveis. Foram estudados 200 indivíduos adultos, atendidos no ambulatório geral de um hospital cardiológico de São Paulo, SP. A lista de 98 alimentos do questionário de freqüência alimentar foi construída a partir de recordatórios de 24 horas, estimando-se a contribuição percentual de cada alimento para o consumo de energia e de 21 nutrientes. O questionário desenvolvido representou 96,8% das calorias consumidas pela população estudada e ao menos 95% da ingestão dos nutrientes selecionados. Uma vez adaptado e validado, esse questionário poderá ser utilizado em estudos epidemiológicos em populações adultas.

Fatores de risco para doenças não-transmissíveis em área metropolitana na região sul do Brasil: prevalência e simultaneidade

Duncan,Bruce B.; Schmidt,Maria I.; Polanczyk,Carísi A.; Homrich,Clécio S.; Rosa,Roger S.; Achutti,Aloyzio C.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/1993 Português
Relevância na Pesquisa
66.32%
Três quartos da mortalidade no Estado do Rio Grande do Sul (Brasil) ocorrem por doenças não-transmissíveis. Dentre elas as doenças cardiovasculares, por si só, correspondem a 35% das causas de morte. Para avaliar a prevalência de fatores de risco para essas doenças, foi realizado inquérito domiciliar no período de 1986/87. Foram entrevistados 1.157 indivíduos entre 15-64 anos, residentes em setores censitários de 4 áreas docente-assistenciais do Município de Porto Alegre, RS. A prevalência padronizada de tabagismo foi de 40%, hipertensão 14%, obesidade 18%, sedentarismo geral 47% e consumo excessivo de álcool, 7%. Trinta e nove por cento da amostra acumulavam dois ou mais desses cinco fatores de risco, somente 22% de homens e 21% de mulheres não apresentaram esses fatores de risco. As elevadas freqüências e concomitâncias desses fatores de risco alertam para sua importância em programas que visam a prevenção das doenças não-transmissíveis.