Página 1 dos resultados de 412 itens digitais encontrados em 0.024 segundos

Envelhecimento ativo e saúde num estudo de caso com idosos imigrantes

Bäckström, Bárbara
Fonte: Revista Migrações Publicador: Revista Migrações
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
Este artigo resulta de um estudo em que se pretendeu entender a relação entre condições socioeconómicas, saúde e envelhecimento ativo. Identificaram-se as atividades relacionadas com o envelhecimento ativo, a relação com a saúde, as estratégias utilizadas e os seus determinantes. Optámos por uma metodologia qualitativa baseada em entrevistas semiestruturadas e os dados recolhidos foram tratados através de uma análise de conteúdo temática. Analisámos dois grupos socioeconómicos de idosos cabo-verdianos, num total de 22 entrevistados, de ambos os sexos. O grupo socioeconómico interfere diretamente nas questões do envelhecimento ativo. Evidencia-se que na categoria social mais elevada a condição socioeconómica determina o envelhecimento ativo mais do que as questões de saúde. No grupo de condições socioeconómicas mais baixas, a condição socioeconómica atua a par das condições de saúde e ambas determinam as atividades que os idosos desenvolvem.; This article results from a study that seeks to understand the relationship between socio-economic conditions, health and active ageing. We identified the activities related to active ageing in relation to health, the strategies used in active ageing and their determinants. We chose a qualitative methodology based on semi--structured interviews and the data was processed through a thematic content analysis. Two socioeconomic groups of elderly Cape Verdean...

Envelhecimento ativo em relação ao género no concelho de Viseu

Pina, Olga Cristina Amaral
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 30/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.88%
Perante o progressivo envelhecimento da sociedade e o aumento da longevidade as questões relativas ao envelhecimento adquiriram um maior interesse e uma maior preocupação. Consequentemente emergiu a política social do envelhecimento, que pretende que os idosos sejam ativos, ou seja, que participem nas questões sociais, económicas, culturais, espirituais e cívicas. Neste sentido, esta investigação pretende aferir, se os idosos do concelho de Viseu têm acesso ao envelhecimento ativo e se não têm quais os motivos que os condicionam, assim como, verificar se existem disparidades entre géneros. E por outro lado verificar se ambos os sexos têm as mesmas oportunidades nesta área ou se há margem para descriminação social. Para isso, foi realizado um estudo transversal, descritivo, correlacional e não experimental, aplicando uma metodologia do tipo quantitativo. A amostra selecionada é do tipo não probabilístico por conveniência, constituída por 104 idosos do concelho de Viseu. O instrumento de medida utilizado foi um questionário construído para o efeito. Na globalidade deste estudo, podemos concluir que o envelhecimento ativo está bem implementado no concelho de Viseu, pois os idosos consideram-se ativos e com qualidade de vida...

Envelhecimento ativo e redes de suporte em idosos portugueses

Rocha, Ana Margarida Pinto da Rocha
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 07/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.81%
O envelhecimento da população representa um dos fenómenos demográficos mais vincados das sociedades modernas do século XXI. Um dos traços mais salientes, atualmente, da sociedade portuguesa é a tendência para o crescimento da população idosa (Paúl & Fonseca, 2005). Portugal, atualmente, enfrenta uma realidade, que se carateriza pelas baixas taxas de natalidade e de mortalidade, com um aumento significativo do número de idosos no conjunto da população total do país (Paúl & Fonseca, 2005). Para além disso, com o aumento da esperança de vida e com melhores condições de saúde, a participação social e as redes de suporte social são tópicos sob os quais se têm dirigido as atenções. O objetivo central deste estudo é descrever e analisar a importância das redes de suporte social, em função da idade, da escolaridade e do género, em idosos portugueses que apresentam um “envelhecimento ativo” de acordo com o modelo de Envelhecimento Ativo da Organização Mundial de Saúde (2005), e em idosos que não apresentam esta condição. A amostra deste estudo empírico é constituída por 83 sujeitos (N=83), dos quais 41 têm algum tipo de participação social, desde atividade profissional a voluntariado, e os restantes 42 não têm qualquer tipo de participação social. O instrumento utilizado para a recolha de dados foi a Escala de Rede de Apoio Social (ERAS) (Lubben...

Envelhecimento ativo e caracteristicas de personalidade em idosos portugueses

Santos, Inês Soreano dos
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 09/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.99%
Os estudos sobre idade adulta, a velhice e o processo de envelhecimento, têm vindo a adquirir um relevo e pertinência neste início do século vinte e um, devido à evolução demográfica que se assiste no mundo ocidental (Fonseca, 2006). Em Portugal, os Censos 2011 (INE, 2011) refletem um perfil demográfico caracterizado por um aumento da população mais idosa e pela diminuição da população mais jovem, motivada sobretudo pela diminuição da natalidade. Este presente estudo pretendeu testar empiricamente qual o perfil ao nível das características de personalidade em idosos que apresentam envelhecimento ativo de acordo com o modelo de envelhecimento ativo da WHO (2002), e os idosos que não apresentam esta condição. Realizando para tal um estudo quantitativo, utilizando o instrumento NEO (Bertoquini & Pais-Ribeiro, 2006), este é um instrumento que avalia as dimensões neuroticismo, extroversão e abertura à experiência. A amostra desta investigação é constituída por 89 indivíduos (N=89), dos quais 46 apresentam algum tipo de participação social, atividade profissional ou voluntariado, ou seja os idosos com envelhecimento ativo, os restantes 43 idosos com envelhecimento não ativo. A análise de resultados recolhidos permitiu verificar que os idosos com envelhecimento ativo têm valores de neuroticismo inferiores aos idosos com envelhecimento não ativo. No domínio extroversão...

Envelhecimento ativo e encontro entre gerações: OficinaRias, um projeto de intervenção na comunidade

Rodrigues, Inês Tavares
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.84%
O cenário das alterações demográficas e sociais, a comemoração do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da solidariedade entre gerações em 2012 e a vontade de implementar um projeto no local de residência foram as principais motivações que me levaram a desenvolver este projeto. O Projeto OficinaRias surgiu com a finalidade de compreender se era ou não possível contribuir para a promoção do envelhecimento ativo e, simultaneamente, para o encontro entre gerações, através da valorização dos conhecimentos e da troca de experiências de algumas das tradições do concelho da Murtosa. A investigação envolveu 131 (cento e trinta e um) participantes, que se inscreveram voluntariamente em diversas atividades/OficinaRias, atraídos não só pela descoberta das tradições murtoseiras, mas também pelo enriquecedor encontro de gerações. Este estudo realizou-se pelo método de Investigação-Ação Participativa, através da realização de 16 (dezasseis) entrevistas e aplicação de 131 (cento e trinta e um) questionários de avaliação, que privilegiaram as opiniões dos participantes e revelaram os seus interesses e opiniões. Para complementar estas técnicas e enriquecer o projeto, recorreu-se também à observação participante...

Envelhecimento ativo na migração de portugueses no Brasil: narrativas de percurso e retorno

Costa, José Carlos Alves
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.89%
O envelhecimento demográfico é, atualmente, uma realidade mundial, com implicações na população portuguesa. Preocupada com as repercussões socioeconómicas, políticas e na saúde que o fenómeno em epígrafe implica, a Organização Mundial de Saúde desenvolveu um novo paradigma, designado Envelhecimento Ativo. Os estudos centrados neste paradigma têm vindo a aumentar. Todavia, verificam-se lacunas significativas de estudo que integrem o Envelhecimento Ativo e a Migração Internacional. Deste modo, o presente estudo teve como objetivo geral explorar o processo de Envelhecimento Ativo de portugueses na migração de percurso para o Brasil e de retorno a Portugal. Este estudo foi desenvolvido a partir de uma abordagem qualitativa, de tipo exploratório-descritivo, com base na História Oral. A recolha de dados foi realizada através de entrevista semiestruturada com 18 homens. Os princípios éticos foram respeitados no processo da investigação. A análise dos dados foi desenvolvida através da análise de conteúdo, com o apoio do programa QSR NVivo. O estudo englobou duas categorias principais: Migração de portugueses para o Brasil e Envelhecimento Ativo de portugueses migrantes. Os resultados permitiram concluir que a experiência da migração foi bem-sucedida...

Envelhecimento ativo na migração de portugueses/as em França: narrativas de percurso e retorno

Marques, Inês Gomes
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.95%
O envelhecimento da população é uma realidade mundial, com impacto na realidade portuguesa. Neste contexto e tendo em conta as repercussões políticas, económicas, sociais e na saúde que este fenómeno acarreta, foi desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde, um novo paradigma, denominado Envelhecimento Ativo. Os estudos com foco neste paradigma têm vindo a aumentar, no entanto, existem lacunas significativas de investigações que englobem Envelhecimento Ativo e Migração Internacional. Neste sentido, este estudo teve como objetivo geral explorar o processo de Envelhecimento Ativo de portugueses/as na migração de percurso para França e de retorno a Portugal. Este estudo enquadra-se no paradigma qualitativo, através do método da história oral. A recolha de dados foi realizada através de entrevista semiestruturada com 16 participantes, oito do sexo feminino e oito do sexo masculino. Os princípios éticos foram respeitados no processo da investigação. A análise dos dados foi desenvolvida através da análise de conteúdo, com o apoio do programa QSR NVivo. O estudo engloba duas categorias principais: Migração de portugueses/as para França e Envelhecimento Ativo de Portugueses/as migrantes. Os resultados evidenciaram que a experiência da migração foi satisfatória...

Envelhecimento ativo na migração de portugueses/as para a Alemanha : narrativas de percurso e retorno

Rodrigues, Diana Isabel Devesa Mateus
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.95%
O envelhecimento da população portuguesa é, à semelhança dos restantes países desenvolvidos, uma realidade mundial atual. Atendendo às repercussões políticas, económicas, sociais e na saúde que este fenómeno acarreta, foi desenvolvido, pela Organização Mundial de Saúde, um novo paradigma designado por Envelhecimento Ativo. Apesar do aumento do número de estudos centrados neste paradigma, existem ainda lacunas significativas de investigações que abranjam o Envelhecimento Ativo e a Migração Internacional. Assim, a presente investigação, teve como objetivo geral explorar o processo de Envelhecimento Ativo de portugueses/as no percurso da migração para a Alemanha e de retorno a Portugal. Este estudo foi desenvolvido com base numa abordagem qualitativa através do método da história oral de Paul Thompson. Os dados foram recolhidos por intermédio de entrevistas semiestruturadas, efetuadas a 17 participantes, onze homens e seis mulheres. Os princípios éticos foram respeitados durante todo o processo de investigação. A análise dos dados foi desenvolvida através da análise de conteúdo, com o apoio do programa QSR NVivo. Este estudo abrangeu duas categorias principais: Migração de portugueses/as para a Alemanha e Envelhecimento Ativo e Migração Internacional. Os resultados permitiram concluir que a experiência da migração foi satisfatória...

As Representações Sociais do Envelhecimento Ativo de idosos e profissionais

Lopes, M. J.; Marques, Maria do Céu; Mendes, João; Mendes, Felismina
Fonte: Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde Publicador: Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
66.84%
As Representações Sociais do Envelhecimento Ativo de idosos e profissionais Resumo O conceito de envelhecimento ativo procura transmitir uma mensagem mais inclusiva e reconhecer os fatores que, para lá dos cuidados de saúde, afetam a forma como os indivíduos e as populações envelhecem (OMS, 2002:13). Objetivo: Identificar a estrutura das RS de envelhecimento ativo dos idosos e dos profissionais de saúde Descrição dos Procedimentos: Optou-se por um estudo de caso e os dados foram recolhidos através do inquérito por questionário, aplicado a um grupo de profissionais, e de idosos. Os dados foram processados recorrendo aos softwares Microsoft Office WordÒ, SPSSÒ e EvocÒ. Resultados: Os idosos, evocaram 139 palavras para o estímulo envelhecer. As representações sociais de envelhecer apresentam no núcleo central os elementos ³tristeza²,³vida², ³idade², ³saúde², ³morte², ³fim de vida² e ³passado². Os profissionais de saúde, para o estímulo envelhecer, evocaram 243 palavras e apresentam um núcleo central constituído por ³descanso², ³sabedoria², ³idade², ³alimentação², ³solidão², ³incapacidade² e ³morte². As representações sociais de envelhecer bem são convergentes nos dois grupos e o núcleo central é dominado pelos elementos ³família² e ³saúde²...

Envelhecimento Ativo e Universidades de Terceira Idade

Durao, Joao; Durao, Manuela
Fonte: Congresso Internacional do Envelhecimento Publicador: Congresso Internacional do Envelhecimento
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
76.88%
Introdução: O envelhecimento populacional constitui um fenómeno estruturante das nossas sociedades e um dos maiores desafios que se colocam à Humanidade. Origina mudanças nas mais diversas funções do organismo, decorrentes do aumento da esperança de vida, obrigam-nos a um novo olhar e a novas formas de intervenção junto de pessoas. A mudança de paradigma e a aprendizagem ao longo da vida originaram uma nova oferta educativa, entre outras, as Universidades de Terceira Idade. Promovem bem-estar físico, psicológico e social e o envelhecimento ativo, contribuindo para uma sociedade para todas as gerações. Palavras-chave: Envelhecimento, Envelhecimento ativo, Universidades de Terceira Idade Objetivo: Evidenciar o contributo das UTI para o envelhecimento ativo Metodologia: Pesquisa bibliográfica Enquadramento conceptual: As UTI destinam-se a pessoas com mais de cinquenta anos. A sua frequência não requer habilitações especiais e não conferem grau académico. Regem-se, por outro lado, pela divulgação cultural e científica e são complementadas por atividades lúdicas e sociais diversificadas, no contexto de formação ao longo da vida em regime informal (Neri et al., 2005). Os seus objetivos foram, desde o seu início...

As Representações Sociais do Envelhecimento Ativo de Idosos e Profissionais

Mendes, Felismina; Marques, Maria do Céu; Mendes, João; Lopes, Manuel
Fonte: Martinari Publicador: Martinari
Tipo: Parte de Livro
Português
Relevância na Pesquisa
66.95%
O envelhecimento é um processo que, a nível individual, remete para múltiplas trajetórias de vida e que, no plano coletivo, sofre a influência de fatores socioculturais como acesso à educação, aos cuidados em saúde, à alimentação e ao lazer e a uma rede de relações estáveis. Na literatura gerontológica, envelhecer é considerada uma situação progressiva e multifatorial, e a velhice uma experiência heterogénea, experienciada com mais ou menos qualidade de vida e potencialmente bem-sucedida (Lima, Silva & Galhardoni, 2008). Analisar a velhice como uma experiência homogénea, não significa apenas minimizar os problemas enfrentados pelos idosos, decorre do fato de a sociedade moderna não ter previsto um papel específico ou uma atividade para os velhos, remetendo-os para uma existência sem significado (Areosa, Bevilacqua & Werner, 2003). Atualmente, tem sido o modelo de envelhecimento ativo que tem ocupado um lugar cimeiro nas agendas mundiais das diferentes organizações internacionais desde a Organização Mundial de Saúde (OMS), à Comissão Europeia e às entidades de saúde e segurança social dos diferentes estados membros. Neste âmbito têm vindo a ser propostas e acionadas estratégias políticas e desenvolvidas medidas de intervenção social que procuram traduzir uma nova imagem da velhice e promover novas leituras e práticas sobre esta realidade. O modelo subjacente ao envelhecimento ativo conceptualiza o envelhecimento sob uma perspectiva positiva...

Universidades Seniores : a qualidade de vida e o envelhecimento ativo nas universidades seniores do distrito de Portalegre

Pires, Filipe Miguel Pereira
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.88%
A escolha deste tema está diretamente ligado com a minha prática e experiência profissional, visto já há alguns anos trabalhar com este tipo de instituições. Deste modo, a presente investigação procura levar-me a refletir acerca da importância que as Universidades Seniores têm na vida dos seus alunos, e por consequente na sua qualidade de vida e envelhecimento ativo. Assim sendo, este trabalho foi dividido em três partes: Numa primeira parte, denominada “Enquadramento teórico”, foram revistas algumas conceptualizações teóricas acerca da terceira idade e envelhecimento, aprofundando os conceitos de envelhecimento ativo e qualidade de vida. Na segunda parte, designada por “As Universidades Seniores ou da Terceira Idade”, procurou-se fazer uma incursão histórica acerca destas instituições, bem como o seu modo de funcionamento e as respostas socioeducativas que possuem. Numa última parte desta investigação, apresenta-se um estudo empírico, que busca compreender a relação e impacto que as Universidades Seniores têm na vida dos seus alunos, bem como o contributo para um envelhecimento e estilo de vida ativo. Apresento no final uma proposta de intervenção que visa unir esforços das Universidades Seniores do distrito de Portalegre...

Políticas sociais de envelhecimento ativo para a Cidade da Covilhã

Fazendeiro, Ana Sofia Pereira
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 25/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
66.8%
Dissertação de Mestrado em Politica Social; No último século, com a crescente evolução das sociedades, temos vindo a assistir a um aumento significativo e rápido do envelhecimento da população mundial, onde Portugal se insere. O envelhecimento da população é uma das realidades mais concretas da atualidade, alvo de estudo e atenção constantes da nossa sociedade. É este crescente envelhecimento que veio desafiar os governos, famílias e profissionais e, até mesmo, a sociedade em geral, a encontrar soluções para este fenómeno, para o qual não estavam preparadas. É neste sentido que surge a presente dissertação, pela necessidade de averiguar as perceções que as pessoas adultas (entre os 55 e os 69 anos de idade) têm da sua situação e as suas necessidades e expectativas relativamente ao futuro. A presente investigação pretende, desta forma, apresentar políticas sociais para o envelhecimento ativo em regiões do interior, concretamente na cidade da Covilhã. Trata-se de um estudo descritivo, com base em dados recolhidos através de questionário e de entrevista, e cujo objetivo é delinear políticas sociais de envelhecimento ativo para a cidade da Covilhã.; In the last century with the growing trend of companies...

Envelhecimento ativo nas narrativas de vida de utentes de centro de dia : meio rural e urbano

Rebelo, Rita Alexandra Vieira
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
Mestrado em Psicologia Social e das Organizações. / PsycINFO Classification Categories and Codes: 2860 Gerontology, 3000 Social Psychology, 3373 Community & Social Services; Face ao aumento da esperança média de vida e ao aumento populacional de idade superior a 65 anos, sente-se a necessidade de promover um envelhecimento ativo cada vez mais cedo no sentido de evitar o isolamento e a passividade. No seu percurso de vida, o ser humano sofre influências do meio onde está inserido e influencia o mesmo. Estas influências e escolhas contribuem para a qualidade de vida a ter na idade da reforma. Os objetivos propostos para este estudo passam por perceber o impacto dos vários ecossistemas no processo de envelhecimento ativo, identificar as estratégias utilizadas para ultrapassar dificuldades, tomar decisões ao longo do ciclo de desenvolvimento e compreender o desenvolvimento ao longo da vida de utentes seniores de centro de dia. Foram recolhidas narrativas de vida de 12 utentes com mais de 65 anos, participantes de um programa de estimulação cognitiva de dois centros de dia (meio urbano e rural). Através da análise de resultados, percebeu-se a importância do micro e mesossistema no processo de envelhecimento ativo do utente...

As políticas de envelhecimento ativo: contributos para uma análise crítica

São José, José; Teixeira, Ana
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.75%
O envelhecimento populacional coloca diversos desafios às sociedades contemporâneas, nomeadamente nos domínios dos cuidados de saúde, cuidados sociais, proteção social, produtividade económica, entre outros domínios. Uma das estratégias políticas mais propaladas para lidar com estes desafios, tanto ao nível europeu como a nível global, é o “Envelhecimento Ativo”. Apesar da crescente ênfase atribuída ao envelhecimento ativo, ainda não se sabe muito bem de que é que falamos quando falamos de EA, pois não existe um consenso sobre a sua definição. Para além disto, o debate sobre o EA, mais concretamente sobre o seu suporte teórico e empírico, bem como sobre as suas potencialidades, obstáculos e riscos, ainda está numa fase inicial. Este artigo pretende contribuir para a discussão crítica das políticas de EA, procurando discutir, mais especificamente, os obstáculos, as potencialidades e os riscos das políticas de EA.

Envelhecimento, saúde e satisfação : efeitos do envelhecimento ativo na qualidade de vida

Veloso, Ana Sofia Tanoeiro
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
66.86%
O envelhecimento da população representa um dos principais fenómenos demográficos e sociais da sociedade portuguesa. O envelhecimento ativo surge como um novo paradigma, para responder aos múltiplos desafios individuais e coletivos, que advém deste fenómeno populacional, remetendo para uma visão multidimensional que integra os vários domínios da vida pessoal e social dos indivíduos. O presente estudo pretendeu aferir o impacto da prática de um envelhecimento ativo na qualidade de vida dos idosos. Pretendeu-se assim verificar como os estilos de vida (participação social e promoção da saúde) influenciam a saúde e a satisfação com a vida. Os dados provêm da 4ª vaga do projeto SHARE realizada em Portugal em 2011, tendo sido aplicados dois modelos de regressão. A amostra selecionada para este estudo compreende pessoas idosas inativas profissionalmente, tendo sido excluídos todos os indivíduos com idade inferior a 65 anos e que se encontrassem empregados ou permanentemente doentes ou incapacitados. Para medir o impacto do envelhecimento ativo foram utilizadas variáveis referentes à autoavaliação do estado de saúde (escala Likert de 5 pontos:1-débil/5-exelente) e à satisfação com a vida (escala de 0-completamente insatisfeito a 10-completamente satisfeito). As variáveis explicativas do modelo compreendem variáveis sociodemográficas...

REATIVA: promoção de um envelhecimento ativo

Loureiro, Helena Maria Almeida Macedo
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 19/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
66.83%
Introdução O crescente envelhecimento populacional coloca um dos maiores desafios de sempre às sociedades contemporâneas: proporcionar aos cidadãos a oportunidade de vivência de um envelhecimento ativo (WHO, 2002). Este desafio é influenciado por diversos determinantes, bem como pela vivência de diferentes acontecimentos transicionais que ocorrem na meia-idade. A aposentação constitui um desses acontecimentos que, constituindo-se como um processo contínuo de adaptação à mudança (Fonseca, 2011), expõe os indivíduos e famílias a um particular estado de vulnerabilidade (Loureiro, Fonseca e Veríssimo; 2012). Na inexistência de um programa de intervenção especificamente construído para a minimização deste efeito, urge a sua construção num dos contextos de cuidados de saúde onde a sua implementação poderá ser maximizada: o contexto dos Cuidados de Saúde Primários. Objetivos O projeto 'REATIVA' tem como objetivo: a construção de um programa de intervenção em saúde, a ser implementado em contexto de cuidados de saúde primários, que vise preservar o mais elevado nível de saúde biopsicossocial em indivíduos e famílias que se encontram numa fase do ciclo vital da meia-idade e que vivenciam um processo de adaptação à reforma...

Relações intergeracionais e envelhecimento ativo: narrativas de vida de missionários séniores

Fernandes, Ana Paula Chastres
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.76%
Mestrado em Psicologia Social e das Organizações / PsycINFO Classification Categories and Codes: 2860 Gerontology, 3000 Social Psychology, 3020 Group & Interpersonal Processes; As relações intergeracionais e o envelhecimento ativo estão presentes ao longo do ciclo de vida do ser humano, influenciando-o física e psicologicamente. Conhecer as relações intergeracionais e o envelhecimento ativo de missionários séniores, que regressaram ao seu país de origem ao fim de 20 ou mais anos de missão no exterior, foi o objetivo desta investigação. Estas temáticas foram analisadas para melhor compreensão do ciclo de vida dos missionários séniores, no sentido de um melhor acompanhamento às gerações futuras. Neste estudo qualitativo, a informação foi recolhida através de narrativas de vida, no qual participaram 8 missionários séniores portugueses. Nas entrevistas foi utilizado um guião semiestruturado, com 13 dimensões, permitindo estabelecer uma conversa cronológica entre o participante e o entrevistador. Os resultados demonstram que foram estabelecidas relações intergeracionais criando confiança, segurança e bem-estar através da transmissão de conhecimentos, ao nível escolar e do ensino de regras básicas de saúde às comunidades de acolhimento. O desenvolvimento de múltiplas atividades...

Promoção de envelhecimento ativo: o caso da universidade sénior de Mafra

Silva, Katia Cristina Leal da; Instituto Universitário de Lisboa/ISCTE-IUL
Fonte: Revista Perspectivas do Desenvolvimento Publicador: Revista Perspectivas do Desenvolvimento
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Estudo de caso Formato: application/pdf
Publicado em 12/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
66.78%
Com a intensificação do envelhecimento e o aumento exponencial da proporção de pessoas com 65 ou mais anos na sociedade portuguesa, as preocupações com sua qualidade de vida têm sido alvo de maior atenção e escrutínio público mediático. Neste trabalho desenvolve-se uma pesquisa que associa o envelhecimento, inevitavelmente, a experiências negativas, de doença, pessoas incapazes e infelizes. No contraponto a estas imagens, defende-se aqui que a “qualidade de vida”, ou seja, ter saúde física e mental, uma boa integração familiar e social, com participação ativa nas decisões familiares e públicas, é também um ensejo das pessoas com 65 ou mais anos. Assim como ter acesso aos bens culturais e de consumo, boa alimentação e condições de mobilidade e habitação de qualidade.  Nesta ótica, a presente pesquisa, analisa a qualidade de vida das pessoas com 65 ou mais anos, enfatizando diversos vetores de “natureza social” que a configuram, entre os quais os laços familiares, as sociabilidades e as oportunidades de participação social têm particular relevância.  No plano empírico, focaliza-se o olhar no exemplo dessas actividades nas universidades séniores e em particular a universidade sénior de Mafra enquanto iniciativa que preconiza uma política de proteção social...

Envelhecimento ativo: contributo para uma discussão crítica

São José,José de; Teixeira,Ana Rita
Fonte: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Publicador: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 Português
Relevância na Pesquisa
66.82%
Este artigo pretende dar um contributo para a discussão crítica da política de envelhecimento ativo. A análise realizada permite concluir que existem diferentes conceções de envelhecimento ativo, que a ideia geral de “envelhecer ativamente” tem um suporte teórico limitado, e que o ideal de “ser produtivo”, presente nas diferentes conceções de envelhecimento ativo, tem uma fraca correspondência na realidade. Conclui-se, ainda, que a política de envelhecimento ativo tem diversas potencialidades, entre as quais se destaca a promoção do empoderamento das pessoas idosas, mas tem o “idadismo” como um grande obstáculo, ao qual se acrescentam diversos riscos, como por exemplo os riscos de moralismo, etnocentrismo político e irrealismo.