Página 1 dos resultados de 1191 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Estudo da fauna de Anacroneuria (Plecoptera: Perlidae) na Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos, Estado do Rio Grande do Sul, com dados sobre a fecundidade de Anacroneuria trimacula; Study of the fauna of Anacroneuria (Plecoptera: Perlidae) from the Rio dos Sinos basin, and data on the fecundity of Anacroneuria trimacula

Ribeiro, Valdelânia Ribeiro de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
Plecoptera é uma ordem relativamente pequena e primitiva de insetos. São conhecidas cerca de 2000 espécies pertencentes a 16 famílias. No Brasil são conhecidas duas famílias, Gripopterygidae e Perlidae. Dois gêneros são registrados no Estado do Rio Grande do Sul, Anacroneuria e Kempnyia. O objetivo deste estudo foi inventariar a fauna de Anacroneuria na bacia hidrográfica do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul. Além disso, devido à ausência de estudos sobre fecundidade de Perlidae para a região Neotropical, especialmente Anacroneuria, também objetivou determinar as taxas de fecundidade potencial e realizada de A. trimacula do referido Estado. Foram utilizados adultos coletados junto a rios da região de nascente do Rio dos Sinos, com a técnica de atração luminosa. Os adultos foram acondicionados em álcool etílico 80% e identificados com o auxílio de estereomicroscópio. Onze fêmeas de A. trimacula foram selecionadas, dissecadas e seu ovários analisados. Duas espécies novas foram descritas, Anacroneuria fiorentini e A. caraa, e outras oito espécies foram registradas: A. cathia Froehlich 2002, A. debilis (Pictet 1841), A. flintorum Froehlich 2002, A. fuscicosta (Enderlein 1909), A. plaumanni Jewett 1959, A. stanjewetti Froehlich 2002...

Intenções e comportamentos reprodutivos de mulheres que vivenciam alta fecundidade em um grande centro urbano; Reproductive intentions and behavior of women who experience high fecundity in a large urban center

Soares, Vânia Muniz Néquer
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2009 Português
Relevância na Pesquisa
36.23%
Introdução: As escolhas relacionadas à fecundidade são complexas e envolvem idéias e valores das sociedades e de seus integrantes. Existem muitos estudos que procuram explicar a fecundidade a partir de variáveis socioeconômicas e culturais, mas não indagam os motivos que teriam levado as mulheres a proceder de uma forma ou de outra para a formação de suas famílias. A fecundidade abaixo do nível de reposição é observada nos grandes centros urbanos brasileiros há algumas décadas, mas permanecem diferenciais intra-urbanos que precisam ser identificados, assim como seus determinantes. Objetivo: Identificar os diferenciais de fecundidade no município de Curitiba e contribuir para o conhecimento e entendimento do comportamento reprodutivo, motivações e vivência das mulheres com alta fecundidade. Metodologia: Pesquisa quantitativa e qualitativa, de caráter descritivo e exploratório. Analisou-se inicialmente a tendência da fecundidade e os diferenciais por bairro. O estudo na etapa quantitativa incluiu 441 mulheres residentes em Curitiba que tiveram o quinto ou mais filhos nascidos vivos em 2005, identificadas pelo SINASC. Para coleta dos dados nesta etapa utilizou-se questionário semi-estruturado. Os dados foram organizados em banco de dados Access e analisados com o uso do programa computacional Statistica v.8.0. Os sujeitos da etapa qualitativa constituíram-se de nove mulheres entrevistadas em profundidade a partir de roteiro temático. Os dados qualitativos foram interpretados seguindo os ensinamentos da "análise de conteúdo". Resultados: A taxa de fecundidade em Curitiba chegou a 1...

Interações econômicas entre capital humano e fecundidade

Berbel, Cláudio Sztulman
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
36.11%
O primeiro artigo desta tese procura medir o impacto do programa Bolsa Familia sobre a gravidez juvenil, discutindo também a utilização de programas de transferência condicional de renda para a diminuição da fecundidade em áreas de pobreza. O segundo artigo realiza um exercício contrafactual para estimar o impacto de aumentos no investimento em educação sobre o consumo, considerando não só o aumento da produtividade, mas também o impacto da nova educação sobre a fecundidade das pessoas.; In this article we show evidences that conditional cash transfer programs (CCTs) can be very effective to enhance changes in people reproductive behavior. Using the event of the launching of Bolsa Familia, we first test the hypothesis that teenage pregnancy would be stimulated by being perceived as a potential facilitator of program participation. Then, we use the heterogeneity in the concession of the benefit to adolescent mothers documented between brazilian states as an exogenous source of variation in the incentives faced by the young women in each place, since pregnancy would be perceived as a factor of non-participation in some places. The results of both estimations demonstrate a high level of response of the poorest people of the population to indirect and financially small incentives. Besides suggesting the alteration of Bolsa Familia participation rules...

Serviços de saúde e saúde reprodutiva no Alto Rio Negro : da produção de dados à produção do perfil da fecundidade; Helth assistance and reproductive health in the Alto Rio Negro : from data to profile production on fertility

Cecilia Malvezzi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
A produção de informações demográficas a respeito das populações indígenas é substrato para fundamentar as intervenções e políticas públicas direcionadas a esses povos. A irregularidade e qualidade precária das informações ocultam discrepâncias na situação de saúde. Estudos de populações indígenas mostram uma tendência da população indígena de crescimento populacional. Alguns estudos apresentam uma desaceleração no crescimento a partir da década de 1990, associada à queda na fecundidade. Tal queda, ainda que discreta, pode ser atribuída à urbanização, ou mesmo à maior proximidade com os centros urbanos, assim como, constrangimentos oferecidos pelo contado com serviço de saúde, escolas, ONGs, grupos religiosos, mercado de trabalho. Assim, a fim de avaliar se a atuação do serviço de saúde tem impacto na fecundidade indígena, buscou-se analisar a fecundidade das mulheres indígenas da região do Rio Tiquié, no Alto Rio Negro- AM, tomando-se como base inicial os dados produzidos pelo SIASI- Sistema de Informação da Atenção à Saúde Indígena no ano de 2005. Para tanto, usamos para fins comparativos o Censo Indígena Autônomo do Rio Negro (CIARN), realizado em 1992, num contexto no qual não havia a presença de um serviço de saúde regular. Apesar de os resultados não serem conclusivos devido a qualidade ruim dos dados empíricos...

Fecundidade e saúde reprodutiva do povo Kamaiurá; Fertility and reproductive health of Kamaiurá people

Vaneska Taciana Vitti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
Esta pesquisa se insere na interface entre dois campos de saberes a demografia e a antropologia, enfatizando especificamente a fecundidade do povo Kamaiurá. Para a análise demográfica calculamos os indicadores de fecundidade longitudinal ou por coorte e transversal ou por período para homens e mulheres entre os anos 1970 ¿ 2009. Nossa hipótese é que o ritmo de mudança que os Kamaiurá estão sofrendo, está alterando o comportamento reprodutivo, provocando uma queda nos níveis de fecundidade. Um dos principais resultados desta pesquisa sobre indígenas brasileiros é mostrar que o povo Kamaiurá detém o controle de sua fecundidade e tem uma escolha racional de sua dinâmica populacional. Esperamos que esta pesquisa possa servir como referencial etnográfico e com ideias que possam contribuir para o arcabouço teórico e metodológico sobre esse tema a outros pesquisadores.; This research is situated in the interface between two fields of knowledge: Demographics and anthropology, specifically emphasizing the fruitfulness of Kamaiurá people. For demographic analysis calculated the longitudinal fertility indicators or cohort and cross-sectional or time for men and women between the years 1970 - 2009. Our hypothesis is that the rhythm of change that Kamaiurá are suffering...

Filhos do Adeus. (Des)sincronização familiar e fecundidade depois dos 40 anos no Portugal contemporâneo

Costa, Rosalina
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Numa altura em que as práticas contraceptivas são altamente eficazes e o seu uso generalizado, assiste-se, em grande parte das sociedades ocidentais contemporâneas, a um adiamento progressivo da entrada na maternidade, aproximando-a do limite biológico. A partir de uma pergunta de partida que equaciona a forma como a fecundidade depois dos 40 anos se articula com as alterações recentes sobre o tempo familiar, este trabalho procura, de forma mais específica, analisar criticamente o processo de construção social do tempo familiar, caracterizar a evolução recente da fecundidade após os 40 anos em Portugal, traçar o perfil das mulheres que na actualidade têm filhos depois dos 40 e formular hipóteses sobre as determinantes da fecundidade tardia. Por meio de um estudo exploratório, segue-se à fase de observação, descrição e análise, cimentada em torno da revisão de estudos anteriores bem como do tratamento de dados estatísticos oficiais, a apresentação de um conjunto de hipóteses que enfatizam o ultrapassar dos limites sociais e biológicos impostos pela idade à fecundidade, o que coloca, simultaneamente, estas mulheres numa situação de dessincronização relativamente ao calendário familiar “tradicional” e sincronização ante o seu próprio “relógio familiar”.

Declínio da fecundidade, adiamento e número ideal de filhos em Portugal: o papel das medidas de politica

Mendes, Maria Filomena
Fonte: Imprensa Nacional- Casa da Moeda Publicador: Imprensa Nacional- Casa da Moeda
Tipo: Parte de Livro
Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
“Numa referência recente à recuperação da fecundidade das gerações, Goldstein et. al. (2011) mencionaram que, de um grupo de 34 países, só 5 ainda mantêm o declínio no seu nível de fecundidade: 3 pertencem à Europa do Leste (Eslováquia, Hungria e Polónia), 1 à Europa do Sul (Portugal) e 1 à Ásia (Coreia). O Relatório sobre a Situação da População Mundial, feito pelo Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) e apresentado em 2011, estima para o nosso país, uma das mais baixas fecundidades do Mundo. Face a tão preocupante diagnóstico, pretendemos reflectir sobre as razões que conduziram à situação actual em Portugal dando particular ênfase à evolução da diminuição do número de filhos por mulher e ao efeito do adiamento na idade em que, em média, as portuguesas têm os seus filhos. Em regra, o desejo, manifestado em diversos inquéritos, de uma dimensão familiar bastante superior aos valores efectivamente verificados, conduz à expectativa de que, se forem garantidas as condições mínimas para a concretização daqueles desejos, o nível de fecundidade aumentará de imediato. Aparentemente, o papel dos governos poderá ser, através de diferentes medidas de política, o de possibilitar às famílias o preenchimento daquele suposto desvio. Tentaremos aqui...

Migrações e fecundidade: o papel dos fluxos migratórios na previsão de fecundidade

Magalhães, Maria da Graça Vieira Lopes de
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Num contexto de baixa fecundidade na Europa em geral e do Sul em particular, em plena recessão económica e crise financeira, num quadro de alteração recente de saldos migratórios positivos para negativos em Portugal, em conjunto com saldos naturais cada vez mais negativos, a avaliação e previsão do contributo dos fluxos migratórios no nosso futuro demográfico, em particular na evolução do número de nascimentos, que condiciona o crescimento e o envelhecimento populacional, torna-se essencial. Assim, caracterizou-se os mais recentes quadros de natalidade, fecundidade, emigração e imigração, na sociedade portuguesa, com o objetivo de explicar as diferenças de comportamentos de fecundidade dos imigrantes e dos emigrantes, face à população portuguesa. Para tal, recorreu-se à utilização de modelos de regressão logística, que permitiram identificar comportamentos distintos das mulheres imigrantes e das mulheres emigrantes, na intenção de vir a ter filhos, comparativamente com as mulheres portuguesas residentes em Portugal. Finalmente, elaboraram-se modelos de previsão das taxas de fecundidade, separadamente para mulheres de nacionalidade portuguesa e estrangeira, para o período de 2013 a 2015, para Portugal. Em concordância com os resultados obtidos...

A transição da fecundidade e o sistema de respostas múltiplas em Portugal

Oliveira, Isabel Tiago de
Fonte: Imprensa de Ciências Sociais Publicador: Imprensa de Ciências Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
O declínio da fecundidade dos casais entre 1920 e 1960 é analisado em articulação com as saídas populacionais e as restrições à nupcialidade. Verificou-se que se encontra mais emigração antes do início do declínio da fecundidade e que a diluição das restrições à nupcialidade só acontece depois. Através de modelos econométricos, confirmou-se a importância da nupcialidade e das migrações, bem como a importância da mortalidade e das transformações sócio-económicas na explicação da diversidade regional do declínio da fecundidade.

Fecundidade e diferenciais intra-urbanos de desenvolvimento humano, São Paulo, Brasil, 1997

Martins,Cláudia Maria; Almeida,Márcia Furquim de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
OBJETIVO: Avaliar possíveis divergências no padrão reprodutivo de mulheres residentes em áreas de diferentes níveis de desenvolvimento humano, pela análise de suas taxas de fecundidade total e taxas específicas de fecundidade por idade. MÉTODOS: Foram estudados os 96 distritos do Município de São Paulo, agrupados em cinco áreas segundo ordem crescente dos valores assumidos pelo Indicador de Desenvolvimento Humano. O estudo compreendeu a população feminina de 15 a 49 anos e os nascimentos vivos ocorridos durante o ano de 1997. As fontes de obtenção dos dados foram as declarações de nascidos vivos e a contagem da população 1996. Foram trabalhadas as seguintes variáveis: IDH, distrito de residência e idade da mulher. RESULTADOS: As mulheres residentes na área de menor desenvolvimento humano apresentaram taxa de fecundidade total de 2,62, sendo que a cúspide (151/1.000 filhos por mulheres) situou-se no grupo etário de 20 a 24 anos. Na área de maior indicador de desenvolvimento humano, observou-se menor número médio de filhos por mulher (1,67), e a cúspide (93/1.000 filhos por mulheres) se situou no grupo etário de 25 a 29 anos. CONCLUSÕES: As mulheres residentes nas áreas de maior desenvolvimento humano apresentaram menor número médio de filhos e tendência a tê-los em idades mais avançadas...

Fecundidade da manjuba Curimatella lepidura (CURIMATIDAE) na represa de Três Marias, rio São Francisco, MG

Andrade,D.R; Vidal Junior,M.V; Godinho,H.P; Tonini,W.C.T; Burket,D
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
Foram determinados os tamanhos dos ovócitos e as fecundidades residual e relativa ao peso de corpo, ao comprimento padrão, ao peso do ovário e ao peso de corpo do líquido dos ovócitos vitelogênicos, e a fecundidade absoluta de 230 fêmeas de manjubas (Curimatellalepidura) coletadas no reservatório de Três Marias, rio São Francisco, MG durante três anos de coleta. Foi utilizado o método gravimétrico para determinar a quantidade de ovócitos vitelogênicos, que foram separados dos avitelogênicos, por diferença de peso. O diâmetro médio dos ovócitos foi de 711±44µm. O valor médio da fecundidade absoluta foi de 60.994,9±27.142,7 ovócitos por fêmea no estádio 2C de maturação (maduro). A fecundidade média relativa ao peso corporal e ao peso do ovário foi de 1.294,1±437,5 e 8.293,8±1.961,9 ovócitos por grama, respectivamente. Não houve diferença significativa (P<0,05) entre as fecundidades absolutas médias nos três anos de pesquisa. Foram encontrados elevados coeficientes de correlação, e os modelos lineares e potenciais foram os mais adequados para expressar as fecundidades absolutas e relativas, ou seja, quanto maior o grau de maturidade, maior a fecundidade dos peixes

A demografia brasileira e o declínio da fecundidade no Brasil: contribuições, equívocos e silêncios

Carvalho,José Alberto Magno de; Brito,Fausto
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
A população brasileira vivenciou, no final do século passado, rapidíssimo declínio da fecundidade. Sua taxa de fecundidade, em três décadas, passou de 5,8 para apenas 2,3! O artigo analisa as atitudes e posições dos estudiosos da população diante de tal fenômeno. Para entendêlas, há de se levar em conta o contexto internacional polarizado pelos blocos socialista e capitalista. Entre os cientistas sociais brasileiros predominava, em oposição aos neomalthusianos e à política americana, posição clara contra a presença do Estado no campo da reprodução. Tinham duas fortes convicções: 1) não havia, em geral, demanda por anticoncepção e 2) o ritmo do crescimento populacional e seu tamanho eram neutros, do ponto de vista do bem-estar social. O grande embate ideológico está ultrapassado. A transição da fecundidade no Brasil já avançou muito. No entanto, há segmentos de mulheres, as mais pobres, que ainda carecem de informação e de acesso aos meios para regular sua prole. Por outro lado, a sociedade não está tirando partido de algumas oportunidades geradas pelo declínio da fecundidade, nem se preparando para enfrentar os novos desafios, que são conseqüência desse mesmo declínio. Ainda predominam silêncios...

Fecundidade abaixo da reposição, população estacionária por migração e efeitos sobre a estrutura etária

Caetano,André Junqueira
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.21%
Diante do declínio da fecundidade, o Brasil aproxima-se das condições demográficas que determinam o crescimento zero ou negativo, no longo prazo, de uma população. Entretanto, não há razões suficientes para se afirmar que a fecundidade estabilizar-se-á no nível de reposição ou pouco abaixo dele. Há indicações de que ela deve atingir patamares bastante baixos a esse nível nas próximas décadas. Teoricamente, uma população estável e fechada com taxas de fecundidade abaixo do nível de reposição pode retomar o crescimento zero se submetida a uma mudança do número anual constante de entradas derivadas do retorno da fecundidade ao nível de reposição. Isto também pode ocorrer devido a saldos líquidos migratórios positivos, constantes e com estrutura etária fixa. Portanto, para um determinado conjunto de taxas de saída existe um número infinito de populações estacionárias equivalentes. Pressupondo um regime de fecundidade abaixo da reposição, este trabalho utiliza o modelo teórico de Schmertmann (1992) para simular e examinar, comparativamente, a estrutura etária da população do Estado de São Paulo, resultante de um aumento da fecundidade até o nível de reposição, e as estruturas etárias desta mesma população tornada estacionária via migração...

Recuperação populacional e fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi do Alto Xingu, Brasil Central, 1970-2003

Pagliaro,Heloisa; Junqueira,Carmen
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Este trabalho analisa a fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi habitante do Parque Indígena do Xingu (PIX), entre 1970 e 2003. As fontes de dados foram os registros do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) no Parque Indígena do Xingu e levantamentos de campo realizados em 2003. O estudo mostrou que até 1966 a população Kamaiurá manteve-se estável devido à alta mortalidade por epidemias de doenças infecciosas e disputas com os povos da região, assim como à fecundidade moderada. Entre 1967 e 2002, essa população cresceu 3,5% ao ano. O nível da fecundidade das Kamaiurá passou de 5,7 para 6,2 filhos por mulher, entre 1970 e 2003, tendo atingido seu valor máximo em 1980 (6,6). A partir da década de 1990, houve um envelhecimento do padrão reprodutivo, evidenciado pela redução dos níveis de fecundidade das mulheres com até 24 anos e aumento entre as mulheres dos demais grupos etários. A média de idade ao nascimento do primeiro filho aumentou de 16,2 para 18,8 anos, no período 1970-2003, e a proporção de mulheres solteiras maiores de 15 anos de idade também cresceu: de 6,3%, em 1971, para 26%, em 2003. Nesse período, o intervalo entre os nascimentos variou entre 30,3 e 36 meses. O aumento da fecundidade dos Kamaiurá foi favorecido pela melhoria das condições de saúde decorrente da queda da mortalidade...

Desenvolvimento e fecundidade no Brasil : reversão da fecundidade para municípios mais desenvolvidos?; Development and fertility in Brazil : fertility reversion for more developed municipalities?; Desarrollo y fecundidad en Brasil : reversión de la fecundidad para municipios más desarrollados?; Le Développement et la fécondité au Brésil : la réversion de la fertilité pour les municipalités plus développées?

Araujo Junior, Ari Francisco de; Salvato, Márcio Antônio; Queiroz, Bernardo Lanza
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Planejamento e Políticas Públicas (PPP) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Durante o último século, vários países observaram um aumento rápido no desenvolvimento econômico com declínio simultâneo nas taxas de crescimento da fecundidade e da população. Utilizando uma análise de regressão limiar, como proposto por Hansen (2000), este artigo investiga a associação negativa entre o desenvolvimento econômico e a fecundidade para os municípios brasileiros, utilizando dados do Censo de 2000 e do índice de desenvolvimento humano. Os resultados não demonstram nenhuma evidência para apoiar a existência de uma relação em forma de J invertido entre desenvolvimento e fecundidade como encontrado por Furuoka (2010) para os Estados Unidos, ao contrário dos resultados sugeridos por Myrskylä et al. (2009). Além disso, observaram-se quatro regimes diferentes, todos estatisticamente significativos, e há evidências de que a intensidade da relação no terceiro regime é mais fraca que os outros como é encontrada por Furuoka (2009).; p. 89-97 : il.

Fecundidade das mulheres cabo-verdianas - África Ocidental; Cape verdean women's fertility - West Africa

Tavares, Carlos Mendes; Camarano, Ana Amelia; Abreu, Luiz Carlos de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.24%
Os níveis de fecundidade de um país fazem parte de um elenco de indicadores que orientam na formulação de políticas públicas, face à redução do volume da população e do seu envelhecimento. O aumento da fecundidade pode indicar falta de acesso da população a informações e serviços de saúde reprodutiva. Assim, o objetivo é analisar a fecundidade das mulheres cabo-verdianas e a contribuição de determinantes próximos da fecundidade. Realizou-se a análise e a mensuração do comportamento da fecundidade das mulheres a partir de métodos indiretos de estimação da fecundidade com base nos dados dos censos. A análise dos determinantes próximos da fecundidade é baseado no DHS (Pesquisa sobre Saúde e Demografia - 1998). Os dados mostraram uma redução de 1,7, 1,5 e 1,6 filhos por mulher no final do período reprodutivo, de acordo com os três métodos (Brass, Arriaga e Gompertz) entre 1990 e 2000. As taxas foram mais altas para as mulheres das áreas rurais. A fecundidade vem diminuindo no país e com ocorrência mais precoce. O uso de contraceptivos foi o determinante de maior relevância no processo de declínio de fecundidade das mulheres de Cabo Verde, África.; A country's fertility levels are part of a list of indicators that guide the formulation of public policies...

Recuperação populacional e fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi do Alto Xingu, Brasil Central, 1970-2003; Population recovery and fertility Among the Kamaiurá, Tupi people of the Alto Xingu, Central Brazil, 1970-2003

Pagliaro, Heloisa; Junqueira, Carmen
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.17%
Este trabalho analisa a fecundidade dos Kamaiurá, povo Tupi habitante do Parque Indígena do Xingu (PIX), entre 1970 e 2003. As fontes de dados foram os registros do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) no Parque Indígena do Xingu e levantamentos de campo realizados em 2003. O estudo mostrou que até 1966 a população Kamaiurá manteve-se estável devido à alta mortalidade por epidemias de doenças infecciosas e disputas com os povos da região, assim como à fecundidade moderada. Entre 1967 e 2002, essa população cresceu 3,5% ao ano. O nível da fecundidade das Kamaiurá passou de 5,7 para 6,2 filhos por mulher, entre 1970 e 2003, tendo atingido seu valor máximo em 1980 (6,6). A partir da década de 1990, houve um envelhecimento do padrão reprodutivo, evidenciado pela redução dos níveis de fecundidade das mulheres com até 24 anos e aumento entre as mulheres dos demais grupos etários. A média de idade ao nascimento do primeiro filho aumentou de 16,2 para 18,8 anos, no período 1970-2003, e a proporção de mulheres solteiras maiores de 15 anos de idade também cresceu: de 6,3%, em 1971, para 26%, em 2003. Nesse período, o intervalo entre os nascimentos variou entre 30,3 e 36 meses. O aumento da fecundidade dos Kamaiurá foi favorecido pela melhoria das condições de saúde decorrente da queda da mortalidade...

A transição da fecundidade e o sistema de respostas múltiplas em Portugal

Oliveira,Isabel Tiago de
Fonte: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Publicador: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
O declínio da fecundidade dos casais entre 1920 e 1960 é analisado em articulação com as saídas populacionais e as restrições à nupcialidade. Verificou-se que se encontra mais emigração antes do início do declínio da fecundidade e que a diluição das restrições à nupcialidade só acontece depois. Através de modelos econométricos, confirmou-se a importância da nupcialidade e das migrações, bem como a importância da mortalidade e das transformações sócio- -económicas na explicação da diversidade regional do declínio da fecundidade.

Fecundidade das populações e das gerações em Portugal, 1960-2005

Oliveira,Isabel Tiago de
Fonte: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Publicador: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.2%
Este artigo discute o efeito do adiamento dos nascimentos nos indicadores clássicos de intensidade de fecundidade. Numa primeira análise compara-se a evolução da fecundidade mostrada nos indicadores populacionais com a revelada pelos indicadores decorrentes da observação das gerações ao longo do ciclo de vida. A comparação destas perspectivas mostra um declínio muito mais acentuado nos índices sintéticos de fecundidade, observados na população em cada momento, do que nas descendências finais das gerações correspondentes. Numa outra análise é calculado o índice sintético de fecundidade ajustado, segundo a variação de calendário, de acordo com Bongaarts e Feeney. Esta estimativa aponta para a possibilidade de efeitos de recuperação dos nascimentos de 1,4 para 1,6 filhos por mulher.

Fecundidade e diferenciais intra-urbanos de desenvolvimento humano, São Paulo, Brasil, 1997

Martins,Cláudia Maria; Almeida,Márcia Furquim de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 Português
Relevância na Pesquisa
36.15%
OBJETIVO: Avaliar possíveis divergências no padrão reprodutivo de mulheres residentes em áreas de diferentes níveis de desenvolvimento humano, pela análise de suas taxas de fecundidade total e taxas específicas de fecundidade por idade. MÉTODOS: Foram estudados os 96 distritos do Município de São Paulo, agrupados em cinco áreas segundo ordem crescente dos valores assumidos pelo Indicador de Desenvolvimento Humano. O estudo compreendeu a população feminina de 15 a 49 anos e os nascimentos vivos ocorridos durante o ano de 1997. As fontes de obtenção dos dados foram as declarações de nascidos vivos e a contagem da população 1996. Foram trabalhadas as seguintes variáveis: IDH, distrito de residência e idade da mulher. RESULTADOS: As mulheres residentes na área de menor desenvolvimento humano apresentaram taxa de fecundidade total de 2,62, sendo que a cúspide (151/1.000 filhos por mulheres) situou-se no grupo etário de 20 a 24 anos. Na área de maior indicador de desenvolvimento humano, observou-se menor número médio de filhos por mulher (1,67), e a cúspide (93/1.000 filhos por mulheres) se situou no grupo etário de 25 a 29 anos. CONCLUSÕES: As mulheres residentes nas áreas de maior desenvolvimento humano apresentaram menor número médio de filhos e tendência a tê-los em idades mais avançadas...