Página 1 dos resultados de 12165 itens digitais encontrados em 0.008 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Associação Brasileira de Horticultura

Produtividade e qualidade de frutos de cultivares de pepino para conserva tipo "cornichon" no Vale do São Francisco

Resende,Geraldo M. de; Costa,Nivaldo Duarte; Flori,José Egidio
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
36.825723%
Identificou-se as cultivares mais produtivas de pepino para conserva em um experimento, de setembro a novembro de 1996, no Campo Experimental de Bebedouro/Petrolina (PE). O delineamento experimental utilizado foi de casualizados completos, com 22 cultivares (Calypso, Eureka, Flurry, Francipak, Ginga AG-77, HE-601, HE-657, HE-671, HE-713, Imperial, Nautillus, Navigator, Panorama, Pioneiro, Premier, Prêmio, Primepak, SMR 18 Wisconsin, Supremo, Vlaspik, Vlasset e Vlasstar) e três repetições. A parcela experimental foi composta de quatro linhas de 3,0 m de comprimento, com espaçamento de 1,0 x 0,30 m. As cultivares Vlaspik (11,5 t/ha), Eureka (11,2 t/ha), Calypso (11,1 t/ha), Ginga AG-77 (10,7 t/ha), Imperial (10,6 t/ha), Prêmio (10,6 t/ha), Panorama (10,3 t/ha) HE-671 (10,2 t/ha), Vlasset (10,1 t/ha), Francipak (10,0 t/ha), Supremo (9,7 t/ha), Primepak (9,5 t/ha), Navigator (9,5 t/ha) e Pioneiro (9,3 t/ha), destacaram-se com produtividades mais elevadas, não diferindo estatisticamente entre si. O pior desempenho foi da cultivar SMR 18 Wisconsin, com produtividade comercial de frutos de 6,1 t/ha. No que se refere a número de frutos por planta, observou-se para as cultivares Vlaspik, Eureka, Calypso, Ginga AG-77, Imperial, Prêmio...

Produção do melão rendilhado em função da concentração de potássio na solução nutritiva e do número de frutos por planta

Costa,Caciana C.; Cecílio Filho,Arthur Bernardes; Cavarianni,Rodrigo Luiz; Barbosa,José Carlos
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2004 Português
Relevância na Pesquisa
36.858916%
O experimento foi conduzido em hidroponia (NFT), de junho a novembro de 2001, na UNESP, em Jaboticabal. A cultivar Bônus nº 2 foi cultivada sob blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas, com seis repetições. Foram avaliados o número de frutos por planta (2; 3; 4 e fixação livre) e a concentração de potássio na solução nutritiva (66; 115,5; 165 e 247,5 mg L-1 de K). Nas colheitas ocorridas entre 105 e 133 dias após o transplantio (DAT), foram obtidos 2,0; 2,5; 2,7 e 2,3 frutos por planta, enquanto que aos 85 DAT, o número de frutos fixados tinha sido, respectivamente, 2; 3; 4 e 6,2 frutos por planta. O incremento da concentração de potássio na solução nutritiva aumentou, inicialmente, o número de frutos fixados, e contribuiu, posteriormente, para a redução do abortamento dos frutos. Também, promoveu aumento no peso médio do segundo fruto. A produção e o peso médio dos frutos não foram influenciados pelo emprego de soluções nutritivas com concentração de potássio acima de 66 mg L-1. Entretanto, o número de frutos por planta afetou a produção e o peso médio dos frutos, promovendo respectivamente, aumento e redução à medida que maior foi o número de frutos por planta.

Crescimento de frutos do meloeiro sob diferentes relações fonte: dreno

Duarte,Tatiana da S; Peil,Roberta MN; Montezano,Eduardo M
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
36.872007%
Um experimento foi realizado em ambiente protegido, de setembro de 2004 a janeiro de 2005, para avaliar o efeito da densidade de plantio e do número de frutos por planta no aumento da biomassa de frutos de meloeiro cultivado em substrato de casca de arroz crua e fertirrigado com solução nutritiva recirculada. Três densidades de plantio (1,7; 2,4 e 3,0 plantas m-2) e dois números de frutos por planta (3 e 4) foram estudados. A partir dos dados de matéria seca e fresca, aos 68 dias após o transplante, foram determinadas à produção e a distribuição de biomassa para os frutos. A matéria seca alocada nos frutos variou de 57 a 62% ao final do ciclo de cultivo, confirmando que, no meloeiro, estes são os maiores drenos de assimilados. A área foliar do meloeiro conduzido verticalmente e podado, ao final do cultivo, é relativamente baixa, o que associado a uma alta disponibilidade radiativa, evitou o excesso de sombreamento mútuo entre as plantas, mesmo na maior densidade de plantio. Assim, a maior densidade não afetou a distribuição de matéria seca e fresca para os frutos, aumentou a produção absoluta, por unidade de área, da biomassa da cultura e dos frutos. O aumento do número de frutos reduziu a matéria seca média dos frutos...