Página 1 dos resultados de 225 itens digitais encontrados em 0.034 segundos

Gestão da informalidade no mercado de trabalho e suas respostas às políticas publicas implementadas no Amapá entre 2000 - 2010

Dantas, Ivanaldo Raimundo do Nascimento
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
A dissertação apresentada tem por objetivo laçar luz sobre o comportamento do mercado de trabalho informal na economia amapaense, bem como avaliar os impactos das políticas implementadas no Estado entre 2000 e 2010 e seus reflexos sobre esse mercado. Essas políticas conforme Santos (2005), tiveram foco na assistência ao pequeno empreendedor, no campo, no período analisado também houve a retomada da mineração enquanto atividade produtiva no Amapá. Neste sentido, os indicadores utilizados para análise da informalidade foram os dados do Censo 2000 e 2010, a Pesquisa Nacional por amostra de Domicílios – PNAD/IBGE nos entre os anos de 2001 e 2009 e outros indicadores econômicos. Os resultados indicam que houve pouca redução da informalidade na economia amapaense indicando que os resultados das politicas públicas e econômica implantada no Amapá no período obtiveram pouco êxito na redução da informalidade no Amapá.; A dissertation presented aims to rope light on the behavior of the informal labor market in Amapá economy and assess the impacts of policies implemented in the State between 2000 and 2010 and its impact on this market. These policies as Santos (2005), have focused on assistance to small entrepreneurs in the field...

Para onde vamos? A saúde física e mental de ex-empregados do mercado de trabalho formal, do ramo de metalurgia, que se encontram empregados/ocupados na informalidade. Um estudo comparativo entre Brasil e Argentina.

Silva, Maria de Fatima José da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/05/2006 Português
Relevância na Pesquisa
136.09%
Essa tese se constitui em uma reflexão crítica que contempla o desemprego do mercado de trabalho formal dos trabalhadores brasileiros e argentinos e sua passagem para o emprego/ocupação na informalidade. Além disso, diagnosticamos, por meio de depoimentos, os efeitos da mudança de emprego sobre a saúde física e mental do grupo de trabalhadores que participou deste estudo. Investigamos também a visibilidade e eficácia dos programas públicos de emprego e saúde dos dois países. Desenvolvemos um conjunto de reflexões teóricas versando sobre as mudanças do mercado de trabalho e o novo padrão de desenvolvimento capitalista, e o processo de informalidade e as razões que levam à inserção dos trabalhadores no mercado de trabalho informal e suas conseqüências sociais. Conceituamos saúde, saúde física e mental, promoção da saúde e trabalho para analisar as políticas públicas e suas influências na saúde dos cidadãos. Caracterizamos e analisamos o complexo saúde/trabalho/informalidade/inseguridade social na Argentina e no Brasil. Através de Sondagem, traçamos o perfil de ex-empregados do mercado de trabalho formal que hoje estão empregados/ocupados na informalidade, e verificamos os agravos na saúde física e mental dos trabalhadores. Dentre os resultados alcançados...

Trabalho e padrão de desenvolvimento : uma reflexão sobre a reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro; Labor and development pattern : a reflection about the reconfiguration of the Brazilian labor market

Tiago Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2015 Português
Relevância na Pesquisa
125.87%
O estudo ora apresentado pretende colocar em discussão o significado do processo atual de reconfiguração do mercado de trabalho brasileiro, iniciado em 2004, destacando seus principais elementos, determinantes e obstáculos. De modo mais específico, as reflexões presentes nesta tese de doutorado têm como objetivos: a) analisar de que forma a adoção de um novo padrão de desenvolvimento condicionou a dinâmica do mercado de trabalho brasileiro e a sua nova configuração; b) ponderar acerca dos limites intrínsecos à estratégia de crescimento neoliberal na tarefa de superar os traços persistentes de subdesenvolvimento do mercado de trabalho brasileiro; c) e, finalmente, examinar se a reconfiguração em curso representa uma tendência à superação dos problemas estruturais deste mercado de trabalho. Assim sendo, defende-se que, muito embora o excedente de mão de obra, a informalidade, os baixos salários, a alta rotatividade e a desigualdade de rendimentos continuem sendo problemas crônicos, os determinantes estruturais da organização e funcionamento do mercado de trabalho se alteraram decisivamente no capitalismo contemporâneo. Além do mais, a nova divisão internacional do trabalho, as tendências de polarização e precarização do mercado de trabalho e de flexibilização das relações de emprego na Europa alteraram os termos do debate sobre a estruturação do mercado de trabalho e o padrão de emprego desejado...

A ECONOMIA DA CULTURA E O MERCADO DE TRABALHO NO SETOR CULTURAL EM SANTA CATARINA

Peled, Rayana de Azevedo
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 87 f.
Português
Relevância na Pesquisa
135.81%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; A cultura ocupa cada vez mais espaço dentro das discussões contemporâneas das instituições internacionais e dos formuladores de políticas públicas, bem como pelos responsáveis pela sua produção e disseminação na suas mais diversas formas e áreas. Além de mostrar um panorama da construção do conceito de Economia da Cultura ao longo das últimas décadas de sua existência, o presente trabalho buscou fazer um mapeamento das atividades ligadas à economia da cultura em Santa Catarina, através da análise do mercado de trabalho formal neste setor. O estudo analisou as modificações estruturais sobre o mercado de trabalho catarinense deste setor que, assim como se verifica em âmbito global, é marcado por uma informalidade histórica. A pesquisa se baseou quantitativamente nos dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), disponibilizados pelo Ministério do Trabalho e Emprego e numa análise qualitativa de tais dados com base em pesquisa bibliográfica sobre o tema. Observou-se, de maneira cada vez mais nítida, o processo de inserção da mulher no mercado formal de trabalho da área cultural o que reforça a tendência dos últimos anos de maior feminilização do trabalho. Também cresceu a participação dos trabalhadores com maior qualificação e menores salários. Com relação à idade dos ocupados...

A informalidade no mercado de trabalho pela ótica de um modelo de matching

Castro, Diego Afonso de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
136.01%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Pós-Graduação em Economia, 2012.; A atividade econômica informal é um problema que atinge grande parte das economias do mundo, principalmente aquelas mais atrasadas no processo de desenvolvimento. Por isso, este trabalho inicialmente realiza uma extensa revisão da literatura que trata sobre a informalidade no mercado de trabalho, incluindo a análise da literatura sobre modelos de matching. Em seguida, desenvolve-se um modelo de matching que considera o setor informal e, a partir dele, relacionam-se variáveis-chave desse mercado com parâmetros de políticas governamentais. Além disso, testam-se diferentes funções de matching com o intuito de encontrar uma adequada aos dados brasileiros e, com essa função, avalia-se a validade do modelo pela convergência entre os resultados gerados e as principais características do mercado de trabalho brasileiro. Constata-se, a partir dos resultados, que a relação entre taxa de informalidade, taxa de desemprego e salários formal e informal com os parâmetros de políticas governamentais é, em geral, a esperada. Cabe ressaltar que há uma relação ambígua entre as taxas de desemprego e informalidade...

Instituições e a informalidade no mercado de trabalho

Ulyssea,Gabriel
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
O objetivo deste artigo é desenvolver um modelo que concilie os principais aspectos institucionais relativos à informalidade no mercado de trabalho. Trata-se de um modelo de matching com dois setores, formal e informal, que incorpora os principais tradeoffs que firmas e trabalhadores enfrentam ao decidir em que setor ingressar. O modelo apresenta uma inovação que o torna mais coerente aos principais fatos estilizados e às evidências empíricas mais recentes. Os resultados das simulações de políticas mostram que elevações no seguro-desemprego e reduções no imposto sobre a folha geram impactos positivos, porém reduzidos, sobre os principais indicadores do mercado de trabalho. Ao contrário, uma intensificação da fiscalização governamental leva a significativas reduções da informalidade, mas também provoca uma elevação substancial da taxa de desemprego e uma piora em outros indicadores do mercado de trabalho brasileiro.

Baixo crescimento econômico e melhora do mercado de trabalho - Como entender a aparente contradição?

Saboia,João
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
125.89%
O artigo discute a evolução favorável do mercado de trabalho a partir de 2004, quando passou a apresentar, simultaneamente, aumento dos salários, redução do desemprego e da informalidade. Ênfase especial é dada ao período 2011/2013 quando a economia desacelerou fortemente e o mercado de trabalho continuou apresentando resultados positivos. O argumento central é que tal performance ocorreu por conta do baixo nível da produtividade do trabalho, que favoreceu a criação de uma grande quantidade de empregos pouco produtivos e mal remunerados.

Desemprego, informalidade e precariedade: a situação do mercado de trabalho no Brasil pós-1990

Santos,Geórgia Patrícia Guimarães dos
Fonte: UNICAMP - Faculdade de Educação Publicador: UNICAMP - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.85%
Considerando o desemprego tanto um fenômeno inerente ao processo de acumulação capitalista como uma das conseqüências das opções políticas governamentais, este artigo pretende discorrer sobre o papel do desemprego na definição das atuais estratégias de avanço do capitalismo, bem como refletir sobre o processo de desestruturação do mercado de trabalho e sua pequena inflexão nos anos mais recentes.

A informalidade no mercado de trabalho e o impacto das instituições: uma análise sob a ótica da teoria dos jogos

Meneguin,Fernando B.; Bugarin,Maurício S.
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.9%
Este artigo analisa a informalidade no mercado de trabalho, com um jogo dinâmico infinito entre empregador e empregados, no qual a Justiça Trabalhista é representada parametricamente. Duas classes de equilíbrios de Nash perfeitos em subjogos são encontradas. Na primeira classe, a relação informal prevalece durante um determinado tempo, com posterior formalização do trabalhador, sendo que, quanto mais efetiva for a Justiça, mais rapidamente serão registrados os empregados. Na segunda classe, a informalidade se pereniza, associada a uma alta rotatividade no mercado de trabalho. Novamente, quanto mais efetivo o Judiciário, menor a probabilidade de esse último equilíbrio existir.

As novas faces da informalidade na Região Central de Goiania-GO : os trabalhadores ambulantes em um contexto de tranformação do mercado de trabalho; The new faces of informality in the Central Region of Goiania-Go : the ambulant workers in a context of transformation of the work trade

Edmar Aparecido de Barra e Lopes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2008 Português
Relevância na Pesquisa
135.96%
As transformações no mundo do trabalho nos anos 70 e, sobretudo, a partir dos 80 e 90, resultaram em uma crise do fordismo e na consolidação de novas tendências no mundo do trabalho, caracterizadas por processos de redução do número de operários (trabalhadores industriais tradicionais), aumento da terceirização, heterogeneização crescente com a ampliação de mulheres operárias e intensificação da proletarização, caracterizada pelas novas modalidades contratuais que implicam em empregos precários e em tempo parcial. De modo geral, a literatura especializada tem apontado para o fato de que um dos principais impactos da reestruturação produtiva na dinâmica do mercado de trabalho e no cotidiano de vida dos trabalhadores é a crise do 'trabalho protegido' e suas interfaces com o crescimento das atividades 'informais'. Nesse sentido, a grande questão que conduziu esta pesquisa se expressa nas seguintes inquietações: estão ocorrendo mudanças na informalidade da região central de Goiânia em função desse quadro de transformações? Em caso positivo, o que há de novo nessa nova informalidade? O que muda no perfil dos ambulantes? Quais novos processos caracterizariam sua inserção na economia? Como as mudanças produtivas...

Encargos trabalhistas, fiscalização e informalidade no mercado de trabalho brasileiro : uma abordagem da teoria dos incentivos

Araújo, Celso Amorim
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
136%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Economia, 2005.; A presente dissertação propõe um modelo principal-agente com mecanismo ótimo de auditoria para avaliar a adequação dos níveis de encargos, da intensidade de fiscalização do trabalho e das punições, bem como a necessidade de incentivos fiscais para o desestímulo à sonegação e à supressão de direitos trabalhistas através da informalidade. Para tanto, busca compreender a informalidade no mercado de trabalho relativa à parcela de trabalhadores abrangidos pelo conceito de empregado da Consolidação das Leis do Trabalho, porém sem a formalização do vínculo trabalhista. O modelo principal-agente representa a relação Estado empregador, onde o objetivo do Estado (principal) é fazer com que todos os empregadores (agentes) optem pelo cumprimento da legislação trabalhista (formalizem seus empregados). Esta legislação é entendida como regras de um contrato oferecido pelo Estado. Portanto, ao aceitar o contrato, constituindo-se como empregador, o agente deve seguir as normas estabelecidas. Para facilitar a entrada de empregadores no mercado, o governo concede uma transferência temporária aos que não possuem renda suficiente para formalizar todos os seus empregados como estímulo ao empreendedorismo e à geração de empregos formais até que consigam elevar a produtividade e obter a renda necessária à formalização. Com base na solução apresentada e no comportamento racional do empregador...

Um retrato de duas décadas do mercado de trabalho brasileiro utilizando a Pnad

Ulyssea, Gabriel; Barbosa, Ana Luiza Neves de Holanda
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
Português
Relevância na Pesquisa
155.83%
Oferece um panorama do mercado de trabalho brasileiro nas duas últimas décadas a partir dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Analisa‐se a evolução, entre 1992 e 2012, dos principais indicadores do mercado de trabalho brasileiro, tais como taxa de desemprego, participação, ocupação e informalidade. A análise é feita tanto para o Brasil como um todo quanto para os recortes por regiões, gênero e idade. Em seguida analisamos mais detidamente a evolução dos rendimentos do trabalho, sua distribuição entre os ocupados e as diferenças salariais entre homens e mulheres, brancos, negros e pardos, e entre trabalhadores formais e informais. A Seção 2 apresenta a análise dos principais indicadores do mercado de trabalho nos últimos 20 anos, enquanto que a Seção 3 analisa apenas os rendimentos do trabalho, sua evolução, distribuição e diferenciais. A Seção 4 analisa as três questões colocadas acima e a Seção 5 conclui.; 30 p. : il.

O funcionamento do mercado de trabalho metropolitano brasileiro no período 1991-2002: tendências, fatos estilizados e mudanças estruturais; Texto para Discussão (TD) 1011: O funcionamento do mercado de trabalho metropolitano brasileiro no período 1991-2002: tendências, fatos estilizados e mudanças estruturais; The operation of the Brazilian metropolitan labor market in the period 1991-2002: trends, structural changes and stylized facts

Ramos, Lauro; Britto, Marcelo
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
125.89%
Este trabalho procura fornecer uma visão geral do comportamento do mercado de trabalho metropolitano ao longo dos anos 1990, incluindo os anos de 2001 e 2002. A importância desse período prende-se às decisivas transformações ocorridas tanto na política econômica do país — abertura para exportações, execução de planos de estabilização, com destaque para o Plano Real — quanto na conjuntura externa. Desse modo, a introdução procura situar a década dentro desse contexto de mudança. A segunda seção apresenta a evolução dos cinco principais indicadores extraídos da Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE) — Taxa de Desemprego, Nível de Ocupação, Taxa de Participação, Informalidade e Rendimentos — ao longo desses anos. A terceira seção relaciona os indicadores ao contexto específico dos anos em que ocorrem as diversas transformações em curso, com destaque para os choques externos e as respostas da política econômica nacional. A quarta seção muda a perspectiva agregada da segunda seção, observando os mesmos indicadores, segundo uma perspectiva setorial, por idade, gênero e escolaridade — com particular destaque para o primeiro recorte. Por último, são feitos alguns comentários finais à guisa de conclusão.; 19 p. : il.

Instituições e a informalidade no mercado de trabalho; Texto para Discussão (TD) 1096: Instituições e a informalidade no mercado de trabalho; Institutions and informality in the labor market

Ulyssea, Gabriel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
145.97%
O objetivo deste artigo é desenvolver um modelo que concilie os principais aspectos institucionais relativos à informalidade no mercado de trabalho. Trata-se de um modelo de matching com dois setores, formal e informal, que incorpora os principais trade-offs que firmas e trabalhadores enfrentam ao decidir em que setor ingressar. O modelo apresenta uma inovação que o torna mais coerente em relação aos principais fatos estilizados e às evidências empíricas mais recentes. Os resultados das simulações de políticas mostram que o modelo pode ser utilizado para analisar os impactos de diferentes mudanças institucionais sobre variáveis fundamentais do mercado de trabalho brasileiro.; 22 p. : il.

Desestruturação do mercado de trabalho brasileiro e limites do seu sistema público de emprego; Texto para Discussão (TD) 751: Desestruturação do mercado de trabalho brasileiro e limites do seu sistema público de emprego; Disruption of the Brazilian labor market and limits of their public employment system

Cardoso Jr., José Celso
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
135.82%
O texto discute um conjunto de restrições à eficácia dos programas inscritos no Sistema Público de Emprego brasileiro, com ênfase nos anos 1990. A principal limitação apontada é de ordem externa e coercitiva à natureza e forma de funcionamento dos programas do SPE nacional, ligada ao processo de desestruturação (informalização, precarização, desocupação e piora distributiva) do mercado de trabalho doméstico em período recente. Um segundo conjunto de restrições está relacionado ao caráter tardio e reflexo (ou imitativo) da montagem do SPE no país, a partir do que se procura enfatizar a necessidade de alargamento do campo de ação das políticas públicas de emprego e reformulação dos programas que considere as especificidades da economia brasileira e do seu mercado de trabalho.; 33 p.

Mercado de Trabalho: Conjuntura e Análise: n. 14, out. 2000

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Brasil. Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise
Português
Relevância na Pesquisa
126.03%
O boletim Mercado de trabalho: conjuntura e análise tem periodicidade semestral e traz uma análise conjuntural do Mercado de trabalho, acompanhada de indicadores e seções temáticas que abordam tanto considerações mais técnicas como questões de cunho político-institucional.; n. 14, ca. 30 p.; parte 1: Apresentação, arquivo pdf; parte 2: Emprego e negócios informais: subsídios para políticas, arquivo pdf; parte 3: Como reduzir a informalidade? arquivo pdf; parte 4: Informalidade e novo sindicalismo, arquivo pdf; parte 5: O mercado informal de trabalho no setor rural, arquivo pdf; parte 6: A superação da informalidade rural, arquivo pdf; parte 7: Ações do Governo Federal para reduzir a informalidade no mercado de trabalho, arquivo pdf; parte 8: Análise do mercado de trabalho, arquivo pdf; parte 9: Nota técnica: A informalidade revisitada: evolução nos últimos 20 anos e mais uma hipótese para pesquisa, arquivo pdf

Instituições trabalhistas e desempenho do mercado de trabalho no Brasil; Labor institutions and labor market performance in Brazil

Amadeo, Edward; Assunção, Juliano; Firpo, Sergio; Gonzaga, Gustavo; Reis, Maurício Cortez; Ulyssea, Gabriel; Pessoa, Samuel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Brasil: o estado de uma nação - capítulo de livro
Português
Relevância na Pesquisa
126.06%
Este capítulo se concentra na análise das instituições que regem o funcionamento do mercado de trabalho. Parte-se do papel das instituições no desenvolvimento econômico e da evolução das economias desde o segundo pós-guerra para identificar as origens e a evolução das instituições do mercado de trabalho nos países ricos e na América Latina. Com base nas características típicas do contrato de trabalho e das mudanças por que têm passado as empresas, não resta dúvida de que as instituições trabalhistas têm destacada importância não apenas sobre o mercado de trabalho, mas também no desempenho das economias em geral. Em seguida, analisam-se as transformações que sofreu a economia brasileira desde o início da década de 1990, a fim de fazer uma primeira apreciação dos fatores por trás do aumento do desemprego e da informalidade. O passo seguinte é examinar em detalhe os possíveis efeitos de instituições trabalhistas (salário mínimo, proteção do emprego, encargos trabalhistas, legislação trabalhista e procedimentos da Justiça do Trabalho) sobre o desempenho do mercado de trabalho (desemprego, informalidade e eficiência produtiva). A conclusão básica que se extrai é que no Brasil as instituições do mercado de trabalho não são compatíveis com a necessária promoção do aumento dos investimentos e da competitividade das empresas...

A carteira de trabalho no mercado de trabalho metropolitano brasileiro

Pero, Valéria Lucia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
135.84%
Este artigo analisa o papel das relações formais e informais de trabalho sobre o funcionamento do mercado de trabalho metropolitano brasileiro ao longo da década de 80, com especial atenção na avaliação do grau de segmentação desse mercado. Tal objetivo é atingido analisando-se como os três indicadores - diferencial salarial entre empregados com e sem carteira de trabalho assinada, grau de informalidade, isto é, a proporção de empregados contratados informalmente, e taxa de desemprego - variam ao longo dos anos 80, entre as regiões metropolitanas, por nível educacional e faixa etária. Com a análise desses três índices ao longo da década de 80, buscamos evidências de que o emprego informal atua como um "colchão" em períodos de retração econômica, além de verificarmos as grupos de trabalhadores mais atingidos pela queda do nível de atividade. Na análise regional, verificamos como o hiato salarial e o grau de formalização se correlacionam com o intuito de testar uma explicação dual para o mercado de trabalho. No estudo das variações desses indicadores por qualificação (educação e idade) dos trabalhadores, verificaremos se a carteira de trabalho tende a proteger prioritariamente os trabalhadores menos qualificados...

Instituições e a informalidade no mercado de trabalho

Ulyssea, Gabriel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.94%
This paper aims to develop a model capable of reconciling some of the main institutional aspects relative to labor market informality. It is a two-sector, formal and informal, matching model that incorporates the main tradeoffs faced by workers and firms when deciding in which sector they will operate. The model presents an innovation that makes it more coherent with most stylized facts and recent empirical evidence. Policy simulation's results show that increasing unemployment benefits and reducing payroll taxes generate positive, although small effects over labor market indicators. However, intensifying government audition rates implies a substantial reduction of informality rates, but it also causes unemployment to increase and the deterioration of other important indicators in the Brazilian labor market.; O objetivo deste artigo é desenvolver um modelo que concilie os principais aspectos institucionais relativos à informalidade no mercado de trabalho. Trata-se de um modelo de matching com dois setores, formal e informal, que incorpora os principais tradeoffs que firmas e trabalhadores enfrentam ao decidir em que setor ingressar. O modelo apresenta uma inovação que o torna mais coerente aos principais fatos estilizados e às evidências empíricas mais recentes. Os resultados das simulações de políticas mostram que elevações no seguro-desemprego e reduções no imposto sobre a folha geram impactos positivos...

A informalidade no mercado de trabalho e o impacto das instituições: uma análise sob a ótica da teoria dos jogos

Meneguin, Fernando B.; Bugarin, Maurício S.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
125.9%
This article presents a game theoretic analysis of informality in the labor market based on an infinite dynamic game between employers and workers in which the Judiciary system enters parametrically. We find two classes of subgame-perfect Nash equilibria. In the first class, the worker first gets an informal contract but he eventually becomes a formal worker. We show that the more effective the Judiciary system, the faster the labor relationship is formalized. In the second class informal labor is maintained, coupled with high work turnover. Again, the more efficient the Judiciary system, the less likely is that equilibrium.; Este artigo analisa a informalidade no mercado de trabalho, com um jogo dinâmico infinito entre empregador e empregados, no qual a Justiça Trabalhista é representada parametricamente. Duas classes de equilíbrios de Nash perfeitos em subjogos são encontradas. Na primeira classe, a relação informal prevalece durante um determinado tempo, com posterior formalização do trabalhador, sendo que, quanto mais efetiva for a Justiça, mais rapidamente serão registrados os empregados. Na segunda classe, a informalidade se pereniza, associada a uma alta rotatividade no mercado de trabalho. Novamente, quanto mais efetivo o Judiciário...