Página 1 dos resultados de 1841 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Fruit anatomy of Neotropical species of Indigofera (Leguminosae, Papilionoideae) with functional and taxonomic implications

LEITE, Viviane Goncalves; MARQUIAFAVEL, Flavia Silva; MORAES, Daniela de Paula; TEIXEIRA, Simone de Padua
Fonte: TORREY BOTANICAL SOC Publicador: TORREY BOTANICAL SOC
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
LEITE, V. G., F. S. MARQUIAFAVEL, D. P. MORAES, AND S. P. TEIXEIRA (Departamento de Ciencias Farmaceuticas, Faculdade de Ciencias Farmaceuticas de Ribeirao Preto, Universidade de Sao Paulo (USP), Av. do Cafe, s/n, 14040-903 Ribeirao Preto, SP, Brazil). Fruit anatomy of Neotropical species of Indigofera (Leguminosae, Papilionoideae) with functional and taxonomic implications. J. Torrey Bot. Soc. 136: 203-211. 2009-This work reports on the fruit surface and anatomy of seven Neotropical species of Indigofera (I. campestris Bong. ex Benth., I. hirsuta L., I. lespedeziodes Kunth, I. microcarpa Desv., I. spicata Forssk., I. suffruticosa Mill., and I. truxillensis Kunth) to help species diagnosis and clarify the fruit type classification. Flowers and fruits at several stages of development were removed from living material, fixed, and examined with scanning electron (surface analyses) and light microscopies (histological analyses). Species showed differences in relation to the number of exocarp layers, secretory trichome morphology and distribution, presence of stomata, phenolic idioblast size and distribution in mesocarp, the number and arrangement of endocarp fibers, and the presence of it separation tissue. It is noteworthy that no separation tissue was observed in L microcarpa and I. suffruticosa...

Revisão taxonômica e estudos filogenéticos de Mimosa L. sect. Calothamnos Barneby (Leguminosae-Mimosoideae); Taxonomicrevision and phylogenetic studies of Mimosa L. sect Calothamnos Barneby

Coutinho, Ana Paula Savassi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
REVISÃO TAXONÔMICA E ESTUDOS FILOGENÉTICOS DE Mimosa L. sect. Calothamnos Barneby (Leguminosae-Mimosoideae). Mimosa é o segundo maior gênero de Mimosoideae, depois de Acacia s.l., com cerca de 530 espécies distribuídas principalmente nos Neotrópicos e ocupando diferentes tipos de ambientes, desde florestas até desertos. Tradicionalmente o gênero foi dividido em cinco seções: Mimosa sect. Mimadenia, Mimosa sect. Batocaulon, Mimosa sect. Habbasia, Mimosa sect. Mimosa e Mimosa sect. Calothamnos, baseado principalmente na presença ou ausência de nectários extraflorais, nos tipos de tricomas e em características florais. Mimosa sect. Calothamnos é caracterizada pela ausência de nectários extraflorais, pela presença de diferentes tipos de tricomas ramificados recobrindo as estruturas vegetativas e reprodutivas (exceto cálice e androceu) e pelas flores tetrâmeras, isotêmones e com filetes geralmente amarelos (alvos ou róseos em algumas espécies). Este grupo, rico em endemismos, encontra-se distribuído principalmente nas regiões sudeste (sobretudo na Cadeia do Espinhaço em Minas Gerais) e sul do Brasil, com algumas espécies se estendendo até países limítrofes (Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai), geralmente associadas à ambientes mais abertos como os Campos Rupestres ou as Estepes...

Dalbergieae s.l. (Leguminosae Papilionoideae) na Serra do Cipó, Minas Gerais; Dalbergieae s.l. (Leguminosae Papilionoideae) at Serra do Cipó, Minas Gerais

Siniscalchi, Carolina Moriani
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.127454%
O estudo de Dalbergieae sensu lato, (Papilionoideae, Leguminosae) é parte do projeto "Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais" e apresenta chaves de identificação, descrições, ilustrações e comentários sobre distribuição geográfica e fenologia para os gêneros e espécies da tribo presentes na região. A área de estudo tem grande importância para a ciência por abranger áreas de campos rupestres e grande número de espécies endêmicas. A tribo Dalbergieae sensu lato como definida por Lavin et al. (2001) passou por grandes alterações em sua circunscrição, necessitando estudos que tragam luz às relações entre seus gêneros. O trabalho contribui para o conhecimento sobre as leguminosas da Serra do Cipó e da própria área de estudo, se inserindo na perspectiva atual da necessidade de se conhecer melhor as floras locais e de formar taxonomistas. O trabalho de campo e estudo de coleções de herbários indicaram a existência de 13 gêneros e 47 espécies: Aeschynomene (9 spp), Andira (3 spp), Chaetocalyx (1sp), Dalbergia (4 spp), Hymenolobium (1 sp), Machaerium (10 spp), Platymiscium (1 sp), Platypodium (1 sp), Poiretia (3 spp), Pterocarpus (1 sp), Stylosanthes (6 spp), Vatairea (1sp) e Zornia (6 spp). Observou-se um aumento de mais de 50% em relação ao número de espécies presentes no checklist inicial (Giulietti et al. 1987)...

As tribos Crotalarieae (Benth.) Hutch. e Genisteae (Bronn) Dumort. (Leguminosae - Papilionoideae) na Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil; The tribes Crotalarieae and Genisteae (Leguminosae-Papilionoidae) of the Serra do Cipó, Minas Gerais, Brazil

Devecchi, Marcelo Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.19837%
O principal objetivo deste trabalho é o levantamento e estudo taxonômico das espécies das tribos Crotalarieae (Benth.) Hutch. e Genisteae (Bronn) Dumort. de Leguminosae-Papilionoideae, que ocorrem na Serra do Cipó, Minas Gerais. A Serra do Cipó está localizada na porção sul da Cadeia do Espinhaço, um conjunto de elevações que se estende por cerca de 1000 km na direção Norte-Sul, entre os estados de Minas Gerais e Bahia. Inserida no Domínio do Cerrado, a Serra do Cipó apresenta os campos rupestres como o principal tipo vegetacional, associados aos afloramentos rochosos e solos litólicos encontrados nas áreas mais altas das serras. Os campos rupestres mineiros estão frequentemente entremeados por fitofisionomias de cerrado, matas ciliares, capões de mata e brejos estacionais ou perenes. Expedições a campo e levantamento dos principais herbários que abrigam coleções da região, levaram ao reconhecimento de 18 espécies, pertencentes a 2 gêneros dos grupos estudados: 16 espécies de Crotalaria L. (Crotalarieae), e de 2 espécies de Lupinus L. (Genisteae). O capitulo 1 da dissertação compreende o levantamento das espécies e o seu estudo taxonômico segundo o modelo da Série Flora da Serra do Cipó, contendo chaves de identificação...

Estudo taxonômico de Leguminosae - "Caesalpinioideae" do Parque Nacional do Caparaó, Espírito Santo, Minas Gerais, Brasil; Taxonomic study of the Leguminosae - "Caesalpinioideae" of Caparaó National Park, Espirito Santo, Minas Gerais, Brazil

França, Juliana Rodrigues Kuntz Galvão de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/11/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.398223%
O presente trabalho refere-se ao estudo taxonômico de Leguminosae - "Caesalpinioideae" do Parque Nacional do Caparaó. O parque está localizado na divisa dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo entre as coordenadas 20º19'- 20º37' S e 41º43' - 41º53' W, a 300km de Vitória, e a 340km de Belo Horizonte. O Parque Nacional do Caparaó situa-se numa região montanhosa, que compreende parte da Serra do Mar e da Serra da Mantiqueira. Seu ponto culminante é o Pico da Bandeira com 2890m de altitude e as áreas mais baixas variam entre 1000 e 1500 m. Quanto à vegetação, é bastante variada, formada por florestas e campos de altitude. Leguminosae possui distribuição cosmopolita, incluindo cerca de 727 gêneros e 19327 espécies. No Brasil, ocorrem aproximadamente 212 gêneros e 2729 espécies, amplamente distribuídas em todo o território nacional. As mais significativas utilizações comerciais de espécies de Leguminosae estão no fato de serem fonte de alimento, elementos florísticos em ecossistemas naturais e ornamentais. O presente estudo baseou-se no levantamento bibliográfico, consulta a herbários nacionais e observações de campo. Constam também descrições, chaves de identificação, ilustrações, e comentários. De acordo com o levantamento...

Os Gêneros Eriosema (DC.) Desv.e Rhynchosia Lour.(Leguminosae-Papilionoideae) nos estados do Paraná e de Santa Catarina, Brasil; (The genus Eriosema (DC.) Desv. and Rhynchosia Lour. (Leguminosae- Papilionoideae) in Paraná and Santa Catarina states, Brazil)

Rogalski, Luciana Duro
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.355396%
Esta dissertação trata do estudo taxonômico de dois gêneros de Leguminosae nos estados do Paraná e de Santa Catarina. O primeiro artigo é intitulado "O gênero Eriosema (DC.) Desv. (Leguminosae- Papilionoideae) nos estados do Paraná e de Santa Catarina, Brasil". Neste estudo foram confirmados dez táxons: Eriosema campestre Benth. var. campestre, E. campestre var. macrophyllum (Grear) Fortunato, E. crinitum (Kunth) var. discolor Fortunato, E. crinitum var. pulchellum Benth., E. glabrum Mart. ex Benth., E. heterophyllum Benth., E. longifolium Benth., E. obovatum Benth., E. rufum (Kunth.) G. Don var. macrostachyum (DC.) G. Don e E. tacuaremboense Arech. Eriosema heterophyllum constitui-se em uma nova citação para Santa Catarina. O segundo artigo é intitulado "O gênero Rhynchosia Lour. (Leguminosae- Papilionoideae) nos estados do Paraná e de Santa Catarina, Brasil". Neste estudo foram confirmados oito táxons: Rhynchosia corylifolia Mart. ex Benth., Rhynchosia diversifolia Mich., Rhynchosia edulis Griseb., Rhynchosia hauthalii Harms ex O. Kuntze, Rhynchosia lineata Benth., Rhynchosia melanocarpa Grear, Rhynchosia phaseoloides (Sw.) DC. e Rhynchosia rojasii Hassler. Rhynchosia diversifolia e R. lineata constituem-se em novas citações para Santa Catarina.; This dissertation is the taxonomic study of two genera of Leguminosae in Paraná and Santa Catarina states. The first article is entitled "The genus Eriosema (DC.) Desv. (Leguminosae-Papilionoideae) in Paraná and Santa Catarina states...

Ontogênese floral, esporo e gametogênese em anteras de Aeschynomene falcata (Poir.) DC. e Aeschynomene sensitiva Sw. (Papilionoideae-Leguminosae)

Sampaio, Diana Salles
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
O presente trabalho analisou a ontogênese floral, microsporogênese e microgametogênese de Aeschynomene falcata (Poir.) DC. e Aeschynomene sensitiva Sw. (Papilionoideae - Leguminosae) obtendo evidências morfológicas e anatômicas de importância relevante para a taxonomia do grupo. A. falcata apresenta uma inflorescência do tipo racemo de segunda ordem e A. sensitiva, racemo de terceira ordem. A iniciação dos órgãos florais de A. falcata se dá numa ordem acrópeta e unidirecional abaxial e o cálice apresenta um tubo com 5 dentes; em A. sensitiva o cálice tem uma ordem de iniciação unidirecional abaxial tendendo a simultânea, bilobado desde os estádios iniciais, a corola tem iniciação assimétrica e é sobreposta pela iniciação dos estames antesépalos e os dois verticilos de estames possuem iniciação unidirecional abaxial. Para o estudo da organogênese floral admitiu-se a presença de 3 camadas germinativas: CI (dérmica), CII (subdérmica) e CIII (central). As duas espécies apresentam a iniciação dos órgãos florais nas mesmas camadas histogênicas, com contribuição predominante da CII, exceto na iniciação dos estames. A maior parte do microsporângio é formado através de divisões na CII e o desenvolvimento dos estratos parietais da antera é do tipo Dicotiledôneo. As células que compõe o tapete interno...

O gênero Galactia P. Browne(Leguminosae,Papilionoideae) no Brasil; The genus Galactia P. Browne (Leguminosae, Papilionodeae) in Brazil

Ceolin, Guilherme Bordignon
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.127454%
O objetivo desta tese foi fazer uma revisão do gênero Galactia P. Browne (Leguminosae, Papilionoideae) no Brasil, englobando diversos aspectos, tanto taxonômicos quanto ecológicos e de conservação. No entanto, esta tese está dividida em dois eixos temáticos principais, os quais se complementam e se suportam mutuamente: a primeira parte discute as práticas epistemológicas e metodológicas envolvidas no trabalho taxonômico, as quais dão sustentação às decisões taxonômicas desenvolvidas na segunda parte. O principal resultado desta tese é uma sinopse taxonômica, que mostra que o gênero Galactia no Brasil é composto por 26 táxons, dos quais dois são descritos pela primeira vez e um configura-se como registro novo.; The objective of this thesis was to review the genus Galactia P. Browne (Leguminosae, Papilionoideae) in Brazil, covering several aspects regarding taxonomy, ecology and conservation. This thesis is divided into two main themes, which complement and support each other: the first part discusses the epistemological and methodological practices involved in taxonomic labour, giving support to the taxonomic decisions developed in the second part. The main result of this thesis is a taxonomic synopsis, showing that Galactia in Brazil consists of 26 taxa...

Morfologia de plântulas e plantas jovens de 30 espécies arbóreas de Leguminosae

Oliveira, Denise Maria Trombert
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 263-269
Português
Relevância na Pesquisa
37.251987%
Tendo em vista a carência de informações a respeito das formas jovens das plantas e a importância desses dados como subsídios para trabalhos taxonômicos, filogenéticos e ecológicos, foram estudadas morfologicamente as plântulas e plantas jovens de 30 espécies arbóreas de Leguminosae, ocorrentes no Estado de São Paulo, Brasil, visando à apresentação de características úteis para a identificação das espécies selecionadas. O desenvolvimento das plântulas e plantas jovens foi acompanhado diariamente, em germinador e em casa de vegetação. São apresentados dados relativos à morfologia da plântula, número de catáfilos, época de diferenciação do primeiro eófilo e sua filotaxia, época da abscisão cotiledonar e da formação do primeiro metáfilo, bem como a ocorrência de nodulação radicular. A análise das plântulas e plantas jovens demonstrou a grande variação que existe nas Leguminosae. Nessa família, plântulas epígeo-foliáceas e epígeo-carnosas ocorrem em 80% das espécies estudadas. em Caesalpinioideae, todas as plântulas se mostraram epígeas, 20% delas com cotilédones carnosos. em Mimosoideae, 66,7% das espécies produziram plântulas epígeo-foliáceas, 22,2% epígeo-carnosas e 11,1% semi-hipógeas. As espécies de Faboideae apresentaram dois tipos de plântulas: epígeo-carnosas em 54...

Variação da estrutura carpelar em seis espécies de Cassiinae (Leguminosae: Caesalpinioideae)

De-Paula, Orlando Cavalari; Oliveira, Denise Maria Trombert
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 915-925
Português
Relevância na Pesquisa
37.127454%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Estudos estruturais sobre carpelos são raros, embora de grande importância como subsídios para análises taxonômicas e filogenéticas. Este trabalho foi realizado com o objetivo de analisar morfoanatomicamente os carpelos de seis espécies da subtribo Cassiinae, grupo em que a literatura tem registrado significativa diversidade estrutural carpelar, analisando-os sob o ponto de vista evolutivo. Para tanto, os carpelos de flores em antese foram fixados e processados segundo as técnicas de inclusão em metacrilato. Apesar de diferenças específicas serem registradas, observou-se um padrão estrutural típico das Leguminosae, especialmente em características morfológicas gerais, como: gineceu unicarpelar, unilocular, pluriovulado e estipitado, com placentação sutural e óvulos anátropos, bitegumentados e crassinucelados. A presença de epiderme na região sutural, conectando as faces abaxial e adaxial é reconhecida como caráter ancestral. Este aspecto foi verificado nas seis espécies estudadas, indicando que o fechamento do carpelo é ontogenético e que produz estrutura variável com relação à manutenção da epiderme entre as faces carpelares.; Structural studies of carpels are rare...

Leguminosae no Planalto Residual do Urucum, oeste do Pantanal do Mato Grosso do Sul, Brasil : inventario, taxonomia e similaridade floristica; Leguminosae of the Planalto Residual do Urucum, western of Pantanal of Mato Grosso do Sul State, Brazil : floristic survey, taxonomy and floristic similarity

Rosilene Rodrigues da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.453994%
Leguminosae é a terceira família de Angiospermas com cerca de 36 tribos, 727 gêneros e aproximadamente 19.327 espécies. A família é cosmopolita e está constituída por três subfamílias: Caesalpinioideae, Mimosoideae e Papilionoideae (Faboideae). O Pantanal sul-matogrossense é caracterizado por planícies de depósitos sedimentares, com altitudes entre 100 e 200m, onde se destacam morros isolados com até 1065 m como o Planalto Residual do Urucum composto de sete serras. O principal objetivo deste estudo é o inventário de Leguminosae no Planalto Residual do Urucum, Mato Grosso do Sul, para conhecimento da flora, fornecer a descrição dos táxons e a comparação da flora de Leguminosae entre as serras, evidenciando os padrões de similaridade. A tese consiste de quatro capítulos: 1. Leguminosae do Planalto Residual do Urucum, oeste do Pantanal do Mato Grosso do Sul, Brasil. Foram encontrados no total 129 espécies (128 nativos e 1 subespontâneo), pertencentes a 55 gêneros. A subfamília Papilionoideae foi a mais representativa com 68 espécies, seguida de Mimosoideae com 36 e Caesalpinioideae com 25 espécies. Dentre as serras, a de Santa Cruz foi a que apresentou a maior riqueza específica, em contraposição com a Tromba dos Macacos...

Ecologia da reprodução de duas especies de Mucuna (Leguminosae, Faboideae, Phaseoleae) : embriologia, citogenetica e variabilidade genetica - do litoral norte de São Paulo; Reproductive ecology of two Mucuna species (Leguminosae, Faboideae, Phaseoleae) : embriology, cytogenetic and genetic variability in southeastern Brazil

Kayna Agostini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.127454%
Estudos reprodutivos em Leguminosae são escassos e restritos a espécies de importância agrícola e as de regiões temperadas. As informações disponíveis mostram alta incidência de aborto de frutos e sementes na família, mas pouco se conhece sobre as causas dos processos abortivos. No gênero Mucuna, cuja ecologia da reprodução é pouco conhecida, ocorre alta produção de frutos e sementes em M. urens, enquanto em M. japira a produção é muito baixa, devido aos abortos, embora em ambas haja grande número de flores. Os objetivos deste estudo referem-se ao estudo da biologia da reprodução, com ênfase em embriologia, citogenética e variabilidade genética de Mucuna urens e Mucuna japira, abordando com detalhe os aspectos relacionados nos seguintes itens: 1) descrever detalhadamente a biologia floral e sistemas de polinização de M. urens e M. japira, 2) estudar detalhadamente a produção e composição do néctar e avaliar a influência deste parâmetro na produção de frutos e sementes, 3) verificar os sistemas reprodutivos e os efeitos dos componentes de fecundidade no processo reprodutivos, 4) desenvolver estudos anatômicos e citogenéticos para verificar o índice meiótico e se existem anormalidades no decorrer da microsporogênese; 5) desenvolver estudos sobre a megasporogênese...

Morfologia de plântulas e plantas jovens de 30 espécies arbóreas de Leguminosae

Oliveira,Denise Maria Trombert
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
Tendo em vista a carência de informações a respeito das formas jovens das plantas e a importância desses dados como subsídios para trabalhos taxonômicos, filogenéticos e ecológicos, foram estudadas morfologicamente as plântulas e plantas jovens de 30 espécies arbóreas de Leguminosae, ocorrentes no Estado de São Paulo, Brasil, visando à apresentação de características úteis para a identificação das espécies selecionadas. O desenvolvimento das plântulas e plantas jovens foi acompanhado diariamente, em germinador e em casa de vegetação. São apresentados dados relativos à morfologia da plântula, número de catáfilos, época de diferenciação do primeiro eófilo e sua filotaxia, época da abscisão cotiledonar e da formação do primeiro metáfilo, bem como a ocorrência de nodulação radicular. A análise das plântulas e plantas jovens demonstrou a grande variação que existe nas Leguminosae. Nessa família, plântulas epígeo-foliáceas e epígeo-carnosas ocorrem em 80% das espécies estudadas. Em Caesalpinioideae, todas as plântulas se mostraram epígeas, 20% delas com cotilédones carnosos. Em Mimosoideae, 66,7% das espécies produziram plântulas epígeo-foliáceas, 22,2% epígeo-carnosas e 11,1% semi-hipógeas. As espécies de Faboideae apresentaram dois tipos de plântulas: epígeo-carnosas em 54...

Anatomia do lenho de oito espécies de lianas da família Leguminosae ocorrentes na Floresta Atlântica

Brandes,Arno Fritz das Neves; Barros,Cláudia Franca
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
Lianas são importantes componentes estruturais das florestas tropicais, apesar disso a anatomia destes vegetais é pouco estudada. A família Leguminosae é relatada como a segunda maior em número de espécies de lianas, contudo pouco se conhece da diversidade anatômica das lianas desta família. O presente estudo descreveu e analisou a anatomia do lenho de oito espécies de lianas da família Leguminosae, ocorrentes no Parque Nacional do Itatiaia, localizado no Estado do Rio de Janeiro, região Sudeste do Brasil, local inserido no bioma Floresta Atlântica. As espécies apresentaram características comuns ao hábito liana, como: elementos de vaso com diâmetro elevado, com duas categorias de diâmetro; e maior proporção de parênquima axial em comparação às fibras. Quatro espécies do gênero Senegalia apresentaram variações cambiais produzidas por um único câmbio, normal em produto mas anormal em conformação. A anatomia do lenho das espécies estudadas é muito semelhante por compartilharem o mesmo hábito e pertencerem à mesma família. Apesar disso, as oito espécies estudadas puderam ser diferenciadas. As espécies com variações cambiais e Dalbergia frutescens são facilmente diferenciadas das demais. Contudo Senegalia tenuifolia...

Diversidade de Leguminosae em uma área de savana do estado de Roraima, Brasil

Flores,Andréia Silva; Rodrigues,Rodrigo Schütz
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.19837%
Leguminosae é considerada a família mais diversa nas savanas de Roraima, que são as maiores áreas de savana da Amazônia brasileira. Este trabalho tem como objetivos fornecer uma listagem florística e analisar os padrões de distribuição geográfica dos táxons de Leguminosae encontrados em uma área de savana em Boa Vista, Roraima (02º52´07´´N; 60º43´03´´W). Foram registrados 80 táxons distribuídos em 38 gêneros. Seis táxons são novos registros para a flora de Roraima. Os gêneros que apresentaram o maior número de espécies foram Aeschynomene e Chamaecrista, cada um com sete espécies. Leguminosae-Papilionoideae foi a subfamília mais diversa em número de gêneros (24) e de táxons infragenéricos (53). A análise da distribuição geográfica revelou a predominância de táxons com padrão neotropical. A área estudada representa um sítio diverso em táxons de Leguminosae, pois concentra cerca de 87% da diversidade citada para a família nas savanas de Roraima.

Diversidade de nectários extraflorais em Leguminosae em áreas de caatinga - PE

Carla da Silva Melo, Yanna; Vinícius da Silva Alves, Marccus (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
37.29395%
(Diversidade de nectários extraflorais em Leguminosae em áreas de caatinga). Nectários extraflorais (Nefs) são encontrados em muitas Angiospermas, sendo Leguminosae o grupo em que estão melhor representados. No Brasil há registros de Nefs na Mata Atlântica e Cerrado, mas no ecossistema Caatinga este trabalho é pioneiro. Diversos estudos têm sido desenvolvidos sobre a morfoanatomia dos Nefs e sua aplicabilidade taxonômica, ecológica e evolutiva. Dada a representatividade dos Nefs em Leguminosae, bem como a importância da família para a Caatinga, decidiu-se avaliar a diversidade morfológica e a distribuição dos Nefs em espécies de Leguminosae em áreas prioritárias para conservação da caatinga em Mirandiba (PE). As espécies coletadas foram fixadas em FAA 50 e em glutaraldeído para descrição morfológica (interna e externa) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Também foram coletados e identificados elementos da fauna associada. Foram encontradas 82 espécies de Leguminosae em Mirandiba, das quais 35 (43%) possuem nectários extraflorais. As glândulas observadas constituem Nefs propriamente ditos e Nefs substitutivos. Ocorrem nas folhas e inflorescências e podem ser estruturado e não estruturado. Foi encontrada uma ampla variedade na localização...

Mode of reproduction of Brazilian species of Adesmia (Leguminosae)

Tedesco, Solange Bosio; Dall'Agnol, Miguel; Schifino-Wittmann, Maria Teresa; Valls, José Francisco Montenegro
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
Foram estudadas 15 espécies do gênero Adesmia DC. (Leguminosae), quanto ao modo de reprodução. Em seis espécies do gênero Adesmia, o modo de reprodução foi determinado através de três tratamentos: polinização mútua, estímulo mecânico e controle. As 54 plantas submetidas aos tratamentos foram cultivadas em casa de vegetação e mantidas isoladas individualmente, através de armações de tela de náilon. As flores foram marcadas e submetidas aos distintos tratamentos. Adicionalmente, foram observadas 200 plantas de outras 9 espécies do mesmo gênero quanto à ocorrência de autofecundação na ausência de polinizadores. As 200 plantas apenas isoladas e observadas foram cultivadas em vasos e mantidas em casa de vegetação telada, sem acesso de polinizadores. Os resultados mostraram que, das espécies investigadas pelos três tratamentos, A. bicolor, A. muricata, A. punctata e A. riograndensis são versáteis, pois permitiram a reprodução por fecundação cruzada e autofecundação. As duas últimas, para se autofecundarem, necessitaram de estímulo mecânico. Adesmia incana se reproduziu por autofecundação, mas não se descarta a possibilidade de ocorrer fecundação cruzada. Adesmia tristis se reproduziu quase que totalmente por fecundação cruzada e é possível a ocorrência de mecanismos de autoincompatibilidade. Das nove espécies apenas observadas...

Leguminosae-Caesalpinioideae de uma Floresta Pluvial de Planície Costeira em Picinguaba, Município de Ubatuba, São Paulo, Brasil

Garcia, F.C.; Monteiro, R.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/1997 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
Este trabalho é o levantamento das espécies de Leguminosae-Caesalpinioideae, de Picinguaba, localizada no litoral norte do estado de São Paulo. A planície costeira estudada foi a da Praia da Fazenda com altitude de 0 a 50m s.n.m. onde encontramos uma vegetação, em sua maior parte arbórea. Foram encontradas 51 espécies de Leguminosae distribuídas nas três subfamilias, Caesalpinioideae, Mimosoideae e Papilionoideae que estão sendo publicadas separadamente. Neste tra­balho são estudadas as 6 espécies de Caesalpinioideae distribuídas em três gêneros: Chamaecrista desvauxii C. glandulosa, C. nictitans, Senna multijuga, Senna pendula e Schizolobium parahyba. São apresentadas chaves para identificação, diagnoses, ilustrações, comentários sobre as variações morfológicas observadas, distribuição geográfica e períodos de floração e frutificação das espécies estudadas.

LISTA DE ESPÉCIES DA FAMÍLIA LEGUMINOSAE NA CAATINGA PARAÍBANA

Moura, Antonio Christian de A.; Barbosa, Maria Regina de V.
Fonte: Revista Nordestina de Biologia Publicador: Revista Nordestina de Biologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ;
Publicado em 27/12/1995 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
An annotated checklist of the species of Leguminosae in the "caatinga" of the State of Paraíba, Northeastern Brazil, is presented. The checklist is organzed according to the classification of Leguminosae into three subfamilies. A total of 74 species and 37 genera were recorded of which 21 species and 6 genera belong to the subfamily Caesalpinioideae, 29 species and 20 genera to Papilionoideae and 23 species and 11 genera to Mimosoideae. Mimosa, Senna and Chamaecrista were the three genera with most species. Although no species is endemic to Paraíba, several are restricted to the "caatinga" dominium or are endemic to Natheastern Brazil.

El registro de maderas fósiles de Leguminosae de Sudamérica

Pujana,Roberto R; Martínez,Leandro C. A; Brea,Mariana
Fonte: Revista del Museo Argentino de Ciencias Naturales Publicador: Revista del Museo Argentino de Ciencias Naturales
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.029263%
La familia Leguminosae posee un extenso registro de maderas fósiles en todo el mundo. En Sudamérica se reconocen 56 registros afines a la familia. Se enlistan todos los registros conocidos y se incluyen algunos datos inéditos. La familia Leguminosae es la de mayor diversidad paleoxilológica de Sudamérica. La misma posee un extenso registro paleoxilológico temporal, desde el Paleoceno hasta el Pleistoceno, y geográfico, desde Patagonia hasta el norte de Colombia.