Página 1 dos resultados de 70 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Efeitos da aplicação de reguladores vegetais e do ácido bórico, em estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.)

Leonel, S.; Rodrigues, J.D.
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 33-39
Português
Relevância na Pesquisa
72.084707%
Estudaram-se as interações entre os ácidos indol-butírico, alfa-naftaleno-acético e bórico no desenvolvimento de calos e na sobrevivência das estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.). As estacas apresentavam 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade, sendo retiradas em duas épocas diferentes (janeiro e abril) e colocadas para enraizar em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e em condições de câmara de nebulização. Foi feita imersão de 2,5 cm da base das estacas, em soluções aquosas por l minuto. Os tratamentos utilizados corresponderam a 5.000 e 2.000 ppm de IBA; 3.000 e 1.500 ppra de NAA; 150 microgramas/ml de H3BO3; IBA 5.000 e 2.000 ppm + H3BO(3)150 microgramas/ml; NAA 3.000 e 1.500 ppm + H3BO3 150 microgramas/ml e H2O. Avaliou-se a formação de calos e a sobrevivência das estacas após 120 dias do plantio. Através dos resultados obtidos, foi possível concluir que dos tratamentos utilizados, nenhum foi efetivo na formação de raízes, havendo somente a formação de calos. A melhor época para a retirada de estacas correspondeu ao mês de abril.; Interactions between indolebutyric, naphtalen acetic and boric acids were studied on callus development and survival in lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings. The cuttings were twenty five cm long with four leaves cut in half and taken in two different periods (January and April) Styrofoam trays...

Enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.)

Leonel, S.; Rodrigues, J. D.; Rodrigues, S. D.
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 335-338
Português
Relevância na Pesquisa
72.084707%
Estudou-se os efeitos de auxilias exógenas e ácido bórico, no enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.). As estacas foram uniformizadas, com 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade. Cerca de 2,5 cm da base das mesmas foi mergulhado nos tratamentos: H2O; Boro 150 µg/ml; IBA 5.000 ppm, IBA 2.000 ppm; IBA 5.000 ppm + Boro 150 µg/ml; IBA 2.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 3.000 ppm; NAA 1.500 ppm; NAA 3.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 1.500 ppm + Boro 150 µ/g/ml. A estaquia foi realizada no mês de setembro (Hemisfério sul), sendo que as estacas foram colocadas em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e mantidas sob nebulização intermitente. Os resultados obtidos permitiram concluir que o IBA 5.000 ppm por 1 minuto foi o tratamento mais efetivo, proporcionando 83,33% de estacas enraizadas em 120 dias, enquanto o tratamento testemunha (H2O), apresentou somente 16,67% de estacas enraizadas.; The effects of exogen auxins and boric add were studied on lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings. Cuttings were standardized to twenty-five cm length, with four leaves, cut in half. The bases of the cuttings were dipped of 2,5 cm in water solutions, resulting in the following treatments: H2O; Boron 150 µg/ml; IBA 5...

Crescimento e desenvolvimento de frutos de lichia cv. Brewster

Vieira,Gerival; Finger,Fernando Luiz; Agnes,Ernani Luiz
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1996 Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
Acompanhou-se o crescimento e desenvolvimento de frutos de lichia (Litchi chinensis Sonn.) cv. Brewster, em Viçosa (MG). Da abertura das panículas até cerca de 45 dias após o florescimento (DAF), 95% da matéria fresca total dos frutos correspondeu à soma das massas da semente e da casca. A matéria fresca dos frutos aumentou exponencialmente entre 45 e 80 DAF; observaram-se, porém, incrementos menores de matéria até o final do desenvolvimento, aos 104 DAF. Próximo ao final do ciclo de desenvolvimento do fruto, atribuiu-se 60% da matéria fresca total ao arilo, enquanto 14 e 26% corresponderam à semente e à casca respectivamente. Os frutos apresentaram maior conteúdo de sólidos solúveis totais aos 77 DAF. A acidez total foi reduzida de 6,0%, aos 45 DAF, para 0,6%, aos 89 DAF. Obtiveram-se frutos vermelhos maduros aos 89 DAF. Frutos colhidos aos 104 DAF apresentaram casca marrom-escura.

Efeitos da aplicação de reguladores vegetais e do ácido bórico, em estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.)

Leonel,S.; Rodrigues,J.D.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
Estudaram-se as interações entre os ácidos indol-butírico, alfa-naftaleno-acético e bórico no desenvolvimento de calos e na sobrevivência das estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.). As estacas apresentavam 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade, sendo retiradas em duas épocas diferentes (janeiro e abril) e colocadas para enraizar em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e em condições de câmara de nebulização. Foi feita imersão de 2,5 cm da base das estacas, em soluções aquosas por l minuto. Os tratamentos utilizados corresponderam a 5.000 e 2.000 ppm de IBA; 3.000 e 1.500 ppra de NAA; 150 microgramas/ml de H3BO3; IBA 5.000 e 2.000 ppm + H3BO(3)150 microgramas/ml; NAA 3.000 e 1.500 ppm + H3BO3 150 microgramas/ml e H2O. Avaliou-se a formação de calos e a sobrevivência das estacas após 120 dias do plantio. Através dos resultados obtidos, foi possível concluir que dos tratamentos utilizados, nenhum foi efetivo na formação de raízes, havendo somente a formação de calos. A melhor época para a retirada de estacas correspondeu ao mês de abril.

Enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.)

Leonel,S.; Rodrigues,J. D.; Rodrigues,S. D.
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1995 Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
Estudou-se os efeitos de auxilias exógenas e ácido bórico, no enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.). As estacas foram uniformizadas, com 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade. Cerca de 2,5 cm da base das mesmas foi mergulhado nos tratamentos: H2O; Boro 150 µg/ml; IBA 5.000 ppm, IBA 2.000 ppm; IBA 5.000 ppm + Boro 150 µg/ml; IBA 2.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 3.000 ppm; NAA 1.500 ppm; NAA 3.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 1.500 ppm + Boro 150 µ/g/ml. A estaquia foi realizada no mês de setembro (Hemisfério sul), sendo que as estacas foram colocadas em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e mantidas sob nebulização intermitente. Os resultados obtidos permitiram concluir que o IBA 5.000 ppm por 1 minuto foi o tratamento mais efetivo, proporcionando 83,33% de estacas enraizadas em 120 dias, enquanto o tratamento testemunha (H2O), apresentou somente 16,67% de estacas enraizadas.

Embalagens e recobrimento em lichias (Litchi chinensis Sonn.) armazenadas sob condições não controladas

Lima,Rafaella Araújo Zambaldi; Abreu,Celeste Maria Patto de; Asmar,Simone Abreu; Corrêa,Angelita Duarte; Santos,Custódio Donizete dos
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
A lichia (Litchi chinensis Sonn.) é um fruto subtropical de alto potencial comercial devido ao seu sabor levemente acidificado, excelente aroma, alto valor nutritivo e atrativa cor vermelha da casca. Ainda no campo, a cor da casca altera-se facilmente, tornando-se escurecida em resposta a estresses (alterações da umidade relativa e ataque de patógenos). Após colhida, a casca da lichia perde rapidamente sua cor vermelha. O escurecimento da casca tem sido atribuído a rápida degradação da antocianina, assim como: à rápida perda de umidade pelo fruto e à atividade de enzimas oxidativas como polifenoloxidases e peroxidases. Dada essa alta perecibilidade, o controle do escurecimento é fundamental para o aumento na vida útil pós-colheita, visando ao mercado interno e à exportação de frutas. Avaliou-se, neste trabalho, o comportamento pós-colheita de lichias da cv. Bengal quanto ao escurecimento da casca e às modificações relacionadas com a qualidade da polpa de lichias submetidas a diferentes embalagens: bandeja recoberta com filme de polietileno de baixa densidade com e sem perfurações e frutos recobertos com película de fécula de mandioca (3%). Os frutos foram mantidos em temperatura ambiente (25,1ºC±1,5ºC; 69...

Control of post-harvest pericarp browning of litchi (Litchi chinensis Sonn)

Neog, M.; Saikia, L.
Fonte: Springer-Verlag Publicador: Springer-Verlag
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
71.70185%
Pericarp browning is the major post-harvest problem of litchi (Litchi chinensis Sonn) fruit, resulting in reduced commercial value of the fruit. Control of post-harvest pericarp browning of fruit using 9 different post-harvest treatments were studied. The treated fruits were packed in transparent perforated (0.2% ventilation) low density polythene bags (100 gauge). On storage, pericarp browning increased irrespective of treatments with the decrease in pericarp specific activity, total pericarp phenol and total anthocyanin. Anthocyanin degradation index and polymeric colour increased during storage. Pre-cooled (10°C) fruits treated with 0.6% sodium metabisulphite solution for 10 min, air dried followed by dipping in 2% HCl for 5 min and packing in perforated LDPE bags recorded the lowest polyphenol oxidase specific activity (2.2 units/mg protein) with maximum retention of total anthocyanin (47.3 mg/100g) leading to the lowest pericarp browning after 9 days of storage with attractive red colour, freshness and enhanced shelf life of 9 days at ambient conditions (27.7 ± 1.2°C, RH 78 ± 4%).

De Novo Assembly and Characterization of Pericarp Transcriptome and Identification of Candidate Genes Mediating Fruit Cracking in Litchi chinensis Sonn.

Li, Wei-Cai; Wu, Jian-Yang; Zhang, Hong-Na; Shi, Sheng-You; Liu, Li-Qin; Shu, Bo; Liang, Qing-Zhi; Xie, Jiang-Hui; Wei, Yong-Zan
Fonte: MDPI Publicador: MDPI
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 30/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
71.92529%
Fruit cracking has long been a topic of great concern for growers and researchers of litchi (Litchi chinensis Sonn.). To understand the molecular mechanisms underlying fruit cracking, high-throughput RNA sequencing (RNA-Seq) was first used for de novo assembly and characterization of the transcriptome of cracking pericarp of litchi. Comparative transcriptomic analyses were performed on non-cracking and cracking fruits. A total of approximately 26 million and 29 million high quality reads were obtained from the two groups of samples, and were assembled into 46,641 unigenes with an average length of 993 bp. These unigenes can be useful resources for future molecular studies of the pericarp in litchi. Furthermore, four genes (LcAQP, 1; LcPIP, 1; LcNIP, 1; LcSIP, 1) involved in water transport, five genes (LcKS, 2; LcGA2ox, 2; LcGID1, 1) involved in GA metabolism, 21 genes (LcCYP707A, 2; LcGT, 9; Lcβ-Glu, 6; LcPP2C, 2; LcABI1, 1; LcABI5, 1) involved in ABA metabolism, 13 genes (LcTPC, 1; Ca2+/H+ exchanger, 3; Ca2+-ATPase, 4; LcCDPK, 2; LcCBL, 3) involved in Ca transport and 24 genes (LcPG, 5; LcEG, 1; LcPE, 3; LcEXP, 5; Lcβ-Gal, 9; LcXET, 1) involved in cell wall metabolism were identified as genes that are differentially expressed in cracked fruits compared to non-cracked fruits. Our results open new doors to further understand the molecular mechanisms behind fruit cracking in litchi and other fruits...

Identification of Proanthocyanidins from Litchi (Litchi chinensis Sonn.) Pulp by LC-ESI-Q-TOF-MS and Their Antioxidant Activity

Lv, Qiang; Luo, Fenglei; Zhao, Xiaoyong; Liu, Yu; Hu, Guibing; Sun, Chongde; Li, Xian; Chen, Kunsong
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 20/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
71.92529%
Content of total proanthocyanidins as well as total phenolics, flavonoids, antioxidant activities were evaluated for litchi (Litchi chinensis Sonn.) pulp of 32 cultivars. One cultivar, Hemaoli, showed the highest total proanthocyanidins and total phenolics, and DPPH or ABTS radical scavenging activities. ESI-MS and NMR analysis of the Hemaoli pulp crude extracts (HPCE) showed that procyandins composed of (epi)catechin unites with degree of polymerization (DP) of 2–6 were dominant proanthocyanidins in HPCE. After the HPCE was fractionated by a Sephadex LH-20 column, 32 procyanidins were identified by LC-ESI-Q-TOF-MS in litchi pulp for the first time. Quantification of individual procyanidin in HPCE indicated that epicatechin, procyanidin B2, procyanidin C1 and A-type procyanidin trimer were the main procyanidins. The radical scavenging activities of different fractions of HPCE as well as six procyanidins standards were evaluated by both DPPH and ABTS assays. HPCE fractions showed similar antioxidant activities with those of Vc and six individual procyanidins, the IC50 of which ranged from 1.88 ± 0.01 to 2.82 ± 0.10 μg/ml for DPPH assay, and from 1.52 ± 0.17 to 2.71 ± 0.15 μg/ml for ABTS assay. Such results indicate that litchi cultivars rich in proanthocyanidins are good resources of dietary antioxidants and have the potential to contribute to human health.

Características químicas, físico-químicas e sensoriais de bebida fermentada de lichia (Litchi chinensis Sonn); Chemical, physical-chemical and sensory characteristics of fermented alcoholic beverage from lychee (Litchi chinensis Sonn)

Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
72.084707%

Effects of spontaneous and inoculated fermentation on the volatile profile of lychee (Litchi chinensis Sonn) fermented beverages

Fonte: Institute of Food Science and Technology Publicador: Institute of Food Science and Technology
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
The aim of this study was to evaluate the contribution of yeast to the volatile profile of beverages obtained by the fermentation of lychee must through inoculated (Saccharomyces cerevisiae strains UFLA CA116, UFLA CA1183 and UFLA CA1174) and spontaneous fermentation. Higher alcohols and esters were the primary volatiles detected by SPME ⁄ GC–MS. A Principal Component Analysis indicated similarities between UFLA CA116 and UFLA CA1183 and between UFLA CA1174 and spontaneous fermentation. Changing the yeast strain used in the fermentation process has the potential to modulate the volatile profile of fermented beverages. The beverage produced by the inoculation of yeast CA1183 showed the most complex aroma profile compared to the other beverages.

Chemical, physical-chemical, and sensory characteristics of Lychee (Litchi chinensis?Sonn) wines

Fonte: Institute of Food Technologists Publicador: Institute of Food Technologists
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
81.510337%
Four lychee (Litchi chinensis Sonn) wines (prepared with 3 yeast strains [UFLA CA11, UFLA CA1183, and UFLA CA1174]) and a spontaneous fermentation (SPON) were done in order to add value to the fruit while preventing waste arising from the short shelf life of lychee. The fermentation was monitored daily by analyzing the soluble solids, pH, acidity, ethanol, and sugar. At the end of fermentation, the wines were subjected to chemical, physical-chemical, and sensory analysis. The wines prepared showed greater variations in the qualitative than in the quantitative analysis of their constituents. The sensory analysis indicated that the wines fermented by yeast UFLA CA1183 and UFLA CA11 had rates of acceptance above 75%. The principal components analysis separated the wines into 2 groups according to the analyzed compounds. Based on these analyses, the wine produced by inoculation with UFLA CA1183 proved to be the most suitable for the production of lychee wines.

Embalagens e recobrimento em lichias (Litchi chinensis Sonn.) armazenadas sob condições não controladas

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
A lichia (Litchi chinensis Sonn.) é um fruto subtropical de alto potencial comercial devido ao seu sabor levemente acidificado, excelente aroma, alto valor nutritivo e atrativa cor vermelha da casca. Ainda no campo, a cor da casca altera-se facilmente, tornando-se escurecida em resposta a estresses (alterações da umidade relativa e ataque de patógenos). Após colhida, a casca da lichia perde rapidamente sua cor vermelha. O escurecimento da casca tem sido atribuído a rápida degradação da antocianina, assim como: à rápida perda de umidade pelo fruto e à atividade de enzimas oxidativas como polifenoloxidases e peroxidases. Dada essa alta perecibilidade, o controle do escurecimento é fundamental para o aumento na vida útil pós-colheita, visando ao mercado interno e à exportação de frutas. Avaliou-se, neste trabalho, o comportamento pós-colheita de lichias da cv. Bengal quanto ao escurecimento da casca e às modificações relacionadas com a qualidade da polpa de lichias submetidas a diferentes embalagens: bandeja recoberta com filme de polietileno de baixa densidade com e sem perfurações e frutos recobertos com película de fécula de mandioca (3%). Os frutos foram mantidos em temperatura ambiente (25,1ºC±1,5ºC; 69...

Influence of the use of acids and films in post-harvest lychee conservation

Silva,Danielle Fabíola Pereira da; Lins,Leila Cristina Rosa de; Cabrini,Elaine Cristina; Brasileiro,Beatriz Gonçalves; Salomão,Luiz Carlos Chamhum
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
71.19912%
Lychee (Litchi chinensis Sonn.) has a high commercial value; however, it has a short shelf-life because of its rapid pericarp browning. The objective of this study was to evaluate the shelf-life of 'Bengal' lychee fruits stored after treatment with hydrochloric acid and citric acid, associated with cassava starch and plastic packaging. Uniformly red pericarp fruits were submitted to treatments: 1-(immersion in citric acid 100 mM for 5 minutes + cassava starch 30 g L-1 for 5 minutes), 2-(immersion in hydrochloric acid 1 M for 2 minutes + starch cassava 30 g L-1 for 5 minutes), 3-(immersion in citric acid 100 mM for 5 minutes + polyvinyl chloride film (PVC, 14 µm thick)) and 4-(immersion in hydrochloric acid 1 M for 2 minutes + PVC film). During 20 days, the fruits were evaluated for mass loss, pericarp color, pH, soluble solids and titratable acidity, vitamin C of the pulp and pericarp and activities of polyphenol oxidase and peroxidase of the pericarp. The treatment with hydrochloric acid associated with PVC was the most effective in maintaining the red color of the pericarp for a period of 20 days and best preservation of the fruit. The cassava starch associated with citric acid, and hydrochloric acid did not reduce the mass loss and did not prevent the browning of lychee fruit pericarp.

Desenvolvimento do fruto da lichieira (Litchi chinensis Sonn.) 'Bengal'

Salomão,Luiz Carlos Chamhum; Siqueira,Dalmo Lopes de; Pereira,Marcio Eduardo Canto
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 Português
Relevância na Pesquisa
91.77649%
Estudou-se o desenvolvimento do fruto da lichieira (Litchi chinensis Sonn.) 'Bengal'. Realizaram-se amostragens semanais, com início aos 35 dias após a antese e término no início da senescência dos frutos. A partir do 77º dia após a antese, os frutos foram decompostos em pericarpo, semente e arilo. A antese ocorreu na primeira semana de setembro. Foram ajustados modelos sigmoidais simples para acúmulo de matéria seca, comprimento e diâmetro. Para o acúmulo de matéria seca, uma fase inicial, de crescimento lento, prolongou-se até o 63º dia após a antese e coincidiu com um período de intensa queda natural de frutos. Do 63º ao 98º dia após a antese, houve uma fase de rápido acúmulo de matéria seca. Até o 77º dia, pericarpo e semente foram os principais responsáveis pelo acúmulo de matéria seca. Oitenta e oito por cento do comprimento e 65% do diâmetro máximos foram atingidos nesse período. Do 84º ao 98º dia após a antese, o desenvolvimento do fruto foi determinado basicamente pelo arilo. As dimensões e a matéria seca do fruto estabilizaram-se a partir do 98º dia após a antese. O ponto de colheita comercial dos frutos, caracterizado pela coloração avermelhada do pericarpo, ocorreu a partir do 112º dia após a antese. Verificou-se um quadro senescente nos frutos a partir do 119º dia após a antese.

Composição química e fitoquímica das farinhas da casca e da semente de lichias (Litchi chinensis Sonn) cultivar 'Bengal'

Queiroz,Estela de Rezende; Abreu,Celeste Maria Patto de; Santos,Cláudia Mendes dos; Simão,Anderson Assaid
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2015 Português
Relevância na Pesquisa
102.08471%
Este estudo teve como objetivo determinar a composição química e fitoquímica das farinhas da casca e da semente de lichias (Litchi chinensis Sonn), família Sapindaceae, da cultivar 'Bengal'. A composição centesimal, o valor energético total, sólidos solúveis, pH, acidez e os teores de compostos fenólicos, antocianinas, flavonoides, minerais, açúcares, vitamina C e a triagem fitoquímica foram determinados. A farinha da casca de lichia apresentou os maiores teores de flavonoides, vitamina C, compostos fenólicos, antocianinas, lipídios, proteínas, cinzas e fibras, enquanto a farinha da semente se destacou pelos teores de potássio, enxofre, cobre e zinco. Ambas as farinhas apresentaram resultado positivo para açúcares redutores, proteína e aminoácidos, taninos, catequinas, flavonoides, depsídeo e depsidonas. Somente a farinha da casca apresentou resultado positivo para alcaloides. As farinhas dos subprodutos da lichia apresentaram-se como fontes promissoras de nutriente e substâncias bioativas, no entanto suas propriedades biológicas devem ser estudadas.

Effects of growth regulators and boric acid on lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings; Efeitos da aplicação de reguladores vegetais e do ácido bórico, em estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.)

Leonel, S.; Rodrigues, J.D.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/05/1993 Português
Relevância na Pesquisa
72.629688%
Estudaram-se as interações entre os ácidos indol-butírico, alfa-naftaleno-acético e bórico no desenvolvimento de calos e na sobrevivência das estacas de lichieira (Litchi chinensis Sonn.). As estacas apresentavam 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade, sendo retiradas em duas épocas diferentes (janeiro e abril) e colocadas para enraizar em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e em condições de câmara de nebulização. Foi feita imersão de 2,5 cm da base das estacas, em soluções aquosas por l minuto. Os tratamentos utilizados corresponderam a 5.000 e 2.000 ppm de IBA; 3.000 e 1.500 ppra de NAA; 150 microgramas/ml de H3BO3; IBA 5.000 e 2.000 ppm + H3BO(3)150 microgramas/ml; NAA 3.000 e 1.500 ppm + H3BO3 150 microgramas/ml e H2O. Avaliou-se a formação de calos e a sobrevivência das estacas após 120 dias do plantio. Através dos resultados obtidos, foi possível concluir que dos tratamentos utilizados, nenhum foi efetivo na formação de raízes, havendo somente a formação de calos. A melhor época para a retirada de estacas correspondeu ao mês de abril.; Interactions between indolebutyric, naphtalen acetic and boric acids were studied on "callus" development and survival in lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings. The cuttings were twenty five cm long with four leaves cut in half and taken in two different periods (January and April) Styrofoam trays...

Enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.); Rooting of lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings

Leonel, S.; Rodrigues, J. D.; Rodrigues, S. D.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/1995 Português
Relevância na Pesquisa
72.629688%
Estudou-se os efeitos de auxilias exógenas e ácido bórico, no enraizamento de estacas de lichia (Litchi chinensis Sonn.). As estacas foram uniformizadas, com 25 cm de comprimento e 4 folhas cortadas pela metade. Cerca de 2,5 cm da base das mesmas foi mergulhado nos tratamentos: H2O; Boro 150 µg/ml; IBA 5.000 ppm, IBA 2.000 ppm; IBA 5.000 ppm + Boro 150 µg/ml; IBA 2.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 3.000 ppm; NAA 1.500 ppm; NAA 3.000 ppm + Boro 150 µg/ml; NAA 1.500 ppm + Boro 150 µ/g/ml. A estaquia foi realizada no mês de setembro (Hemisfério sul), sendo que as estacas foram colocadas em bandejas de isopor, tendo como substrato vermiculita e mantidas sob nebulização intermitente. Os resultados obtidos permitiram concluir que o IBA 5.000 ppm por 1 minuto foi o tratamento mais efetivo, proporcionando 83,33% de estacas enraizadas em 120 dias, enquanto o tratamento testemunha (H2O), apresentou somente 16,67% de estacas enraizadas.; The effects of exogen auxins and boric add were studied on lychee (Litchi chinensis Sonn.) cuttings. Cuttings were standardized to twenty-five cm length, with four leaves, cut in half. The bases of the cuttings were dipped of 2,5 cm in water solutions, resulting in the following treatments: H2O; Boron 150 µg/ml; IBA 5...

Calidad de fruto de Litchi (Litchi chinensis Sonn.) producido en el estado de Veracruz, México

Aguas-Atlahua,Aristarco; García-Pérez,Eliseo; Ruiz-Rosado,Octavio; Trinidad-Santos,Antonio
Fonte: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C. Publicador: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
92.19145%
Litchi (Litchi chinensis Sonn.) es un fruto originario de China y Vietnam que ya se cultiva en México, donde el principal estado productor es Veracruz con los cultivares 'Mauritius' y 'Brewster', entre otros. Su producción se comercializa en el mercado nacional e internacional. El objetivo de este estudio fue evaluar las características físicas y químicas de los frutos de litchi producidos en las regiones centro y norte del Estado de Veracruz, en seis huertas ubicadas en cinco municipios. Se recolectaron 4 kg de fruto por huerta y se tomaron al azar 4٠ frutos para su análisis de calidad. Las variables evaluadas fueron: longitud, diámetro, firmeza, peso del fruto, cáscara y semilla, sólidos solubles totales, acidez titulable y color de cáscara. Los frutos del cultivar 'Mauritius' presentaron variación entre huertas; destacaron los de la huerta Lechuguillas con los frutos más grandes (35.1 mm de longitud y 21.2 g de peso) y mayor peso de pulpa (16.8 g). Además, los frutos de este huerto tuvieron baja acidez, buen color de cáscara, y alto contenido de solidos solubles totales.

Respuesta del litchi (Litchi chinensis Sonn.) a la fertilización con NPK en el norte de Oaxaca, México

Maldonado Peralta,Ramiro; Trinidad Santos,Antonio; Téliz Ortíz,Daniel; Velasco Velasco,Vicente A.; Volke Haller,Víctor H.
Fonte: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C. Publicador: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
92.262295%
Se evaluó la respuesta de litchi (Litchi chinensis Sonn.) a la fertilización con NPK en árboles de la var. 'Brewster' de seis años plantados al norte de Oaxaca, en el periodo 2009 - 2011. Se usaron seis proporciones (0, 25, 50, 75, 100 y 125 %) de la dosis 50-130-50 kg ha-1 de N, P2O5 y K2O como tratamientos; adicionalmente se probaron otros tres tratamientos: dosis 100 % + 3.6 t ha-1 de composta, dosis 100 % + 18 kg ha-1 de elementos menores, y dosis 100 % + 18 kg ha-1 de elementos menores + 720 kg ha-1 de Ca (OH)2. La primera fertilización se aplicó en noviembre de 2009 pero no se encontró respuesta a la fertilización en 2010. En 2010 y 2011 la fertilización se dividió en dos partes. La primera mitad se aplicó el 30 de agosto de 2010, y la otra mitad el 11 de febrero de 2011. Los resultados que aquí se reportan son del periodo 2010 - 2011. Las concentraciones foliares mayores de N, P y K se obtuvieron al inicio de la yema floral con las dosis mas altas de fertilización. La mayor floración y el mayor rendimiento de fruta se lograron con la dosis 100 % de N-P-K + elementos menores que superó (P ≤ 0.05) al testigo. El mayor contenido de clorofila foliar se obtuvo con el tratamiento 125 %, en comparación con el testigo. Los mayores valores de peso de materia seca de brotes vegetativos y de área foliar se lograron con el tratamiento 100 % + composta. El contenido de N foliar correlacionó con el rendimiento de brotes y con área foliar (r = 0.72 y r = 0.65...