Página 1 dos resultados de 1177 itens digitais encontrados em 0.490 segundos

A literatura para a infância em Portugal nos séculos XIX e XX: contextos socioculturais e contributos pedagógicos

Guerreiro, Carla Alexandra do Espírito Santo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
88.47626%
Com este trabalho de investigação, procurámos cumprir duas ordens de objectivos: 1.º- Reflectir sobre os contextos socioculturais e os contributos pedagógicos, que considerámos mais marcantes, nos séculos XIX e XX, em Portugal; 2.º- Reflectir sobre a Literatura para a Infância, no nosso país, nestes mesmos séculos, constatando que ela é sempre o reflexo de uma certa conjuntura sociocultural, responsável por que a escrita para a Infância assuma determinadas características temáticas e formais, específicas e singulares em cada época histórica. Escolhemos um corpus de autores do séc. XIX e outro do séc. XX e ao analisar as suas produções literárias para as crianças, tivemos a preocupação de verificar que elas iam reflectindo o conceito de Infância vigente em cada século; manifestando as tendências epocais da literatura a ela destinada e perspectivando a Criança leitora, de forma diversificada. As nossas preocupações primordiais foram as seguintes: 1.ª - Identificar de que forma neste continuum temporal, balizado entre inícios do século XIX e finais do séc. XX, as perspectivas pedagógicas relacionadas com o ensino da 1.ª e 2.ª infâncias se foram alterando (evidenciando alguns pedagogos que tiveram um papel fulcral na mudança do panorama educativo português) 2.ª - Correlacionada com a anterior...

Da literatura para a infância à educação intercultural: construindo pontes

Magalhães, Maria Helena Rodrigues
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
128.60591%
A presente dissertação tem como objetivo central refletir sobre a problemática da multiculturalidade e revelar o potencial educativo da Literatura para a Infância no desenvolvimento de uma consciência crítica sobre o mundo e na promoção do diálogo intercultural. Hoje, perante uma população multicultural crescente nas nossas escolas, urge refletir sobre esta temática e encontrar caminhos de aprendizagem cooperativa e solidária. Estão as escolas preparadas para este facto? Os professores estão sensibilizados para esta realidade? Deverá a Educação Intercultural ser fomentada em todas as escolas, independentemente da diversidade dos alunos que as frequentam, já que todos somos chamados a intervir numa sociedade que se vislumbra cada vez mais multicultural? Quais as virtualidades da Literatura para a Infância na promoção da Educação Intercultural? Estas questões justificam, na nossa opinião, a existência deste trabalho de investigação. Pretendemos com este estudo criar oportunidades de reflexão sobre estratégias de Educação Intercultural crítica, através do recurso à Literatura de potencial receção infantil, e sistematizar conhecimentos para implementação futura de projetos de intervenção-ação...

O séc. XX: continuidade ou rutura na literatura para crianças?

Guerreiro, Carla Alexandra do Espírito Santo
Fonte: Universidade de Trás-os-Mones e Alto Douro, Escola de Ciências Humanas e Sociais Publicador: Universidade de Trás-os-Mones e Alto Douro, Escola de Ciências Humanas e Sociais
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
108.46134%
Qualquer estudo comparativo de Literatura, entre as obras para a infância e a produção literária para os adultos nos oferece dados interessantes: numa e noutra podemos encontrar estruturas organizativas e procedimentos estilísticos semelhantes e em ambas costumam refletir-se as correntes sociais e culturais predominantes em cada época histórica. Na nossa apresentação, pretendemos mostrar como as particularidades da Literatura para a Infância, historicamente, foram sendo evidenciadas e se foram consolidando gradualmente, realçando que a linguagem, através da qual se expressa, coincide com a da Literatura em geral e quanto aos conteúdos, superada já a dependência da moralidade “obrigatória”, permite, no séc. XX, o tratamento de qualquer tema, desde que seja com coerência, já que a Criança precisa de um horizonte policromo, uma visão múltipla e aberta do mundo. Desta forma, a tese que defendemos baseia-se no pressuposto de que a Literatura para a Infância faz parte do polissistema literário, em que a posição de cada elemento é determinada por aspetos sócioliterários. Assim, ela faz parte integrante da vida em sociedade e, como tal deverá ser analisada.

O poder profilático e recuperador das linguagens criativas para a infância

Nobre, Cristina
Fonte: Instituto Politécnico de Leiria Publicador: Instituto Politécnico de Leiria
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
107.72348%
Comunicação apresentada no Includit, Conferência Internacional para a Inclusão, Leiria, 5 e 6 de julho de 2013.; Partindo de uma história para crianças, criada pelas estudantes Sandra Medeiro, Ana Filipa Nunes, Daniela Henriques, Elodie Agostinho e Mariana Barbosa, a saber DRAGÃO SALTITÃO, no 2.º ano do curso de Ensino Básico da ESECS na UC de Literatura para a Infância, no semestre ímpar de 2012-13, pretendo mostrar a possibilidade de aproveitar as suas linguagens criativas (desde a língua escrita à imagem, passando pela animação e pelo e-book) e antecipar a possibilidade da sua utilização num processo de desenvolver a criação de um código que permita a uma mulher de 50 anos, afásica em resultado de um processo de AVC recente, voltar a encontrar registos de comunicação, com a ajuda da equipa do CRID.

Novas vozes da literatura portuguesa para a infância : o caso de Carla Maia de Almeida

Silva, Sara Raquel Reis da
Fonte: Porto Editora Publicador: Porto Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
97.65218%
Este ensaio dá conta da originalidade da escrita de Carla Maia de Almeida, uma das novas auto- ras da escrita portuguesa para a infância, destacando, na sua obra, a importância do recurso a estratégias como o humor e a aposta na criação de álbuns narrativos que desafiam e testam as competências literárias do leitor infantil.; This essay stresses the originality of the writing of Carla Maia de Almeida, one of the new voices in Portuguese children’s literature, by paying special attention to the use of humour and the importance of her picture story books, which challenge and test the literary competences of young readers.; CIEC - Centro de Investigação em Estudos da Criança, UM (UI 317 da FCT)

A "memória" como fundamento e legitimação : Beatrix Potter e A história do Pedrito Coelho nas metas curriculares de português

Silva, Sara Raquel Reis da
Fonte: Tropelias & Cª Publicador: Tropelias & Cª
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
97.78616%
A inclusão de A História de Pedrito Coelho (1901/1902) na «Lista de Obras e Textos para ler e ouvir ler» das Metas Curriculares de Português para o Ensino Básico vem aproximar o texto (clássico) de Beatrix Potter dos pequenos leitores portugueses, participando do conjunto de leituras “mínimas”, que se tornam comuns a todos os alunos do 1º ciclo do Ensino Básico. No presente ensaio, analisa-se esta obra clásica, procurando situá-la na História da Literatura para a infância, a partir da abordagem crítica das suas singularidades técnico-compositivas e ideotemáticas. Distinguindo-se como parte-integrante de uma larga tradição narrativa que envolve animais com traços humanos (não raras vezes, de índole infantil), a obra de Beatrix Potter permite equacionar e reafirmar a relevante função da memória literária.; The inclusion of The Tale of Peter Rabbit (1901/1902) in the “List of Works and Texts to read and to hear read” of the Curricular Goals for Portuguese [Metas Curriculares de Português para o Ensino Básico] made young portuguese readers to come closer to the text (classic) by Beatrix Potter, participating in the set of "minimum" readings that become common to all students of the 1st cycle of basic education. In this essay...

Antologias poéticas para a infância : “velhos” e “novos” versos juntos; Poetry anthologies for children : “old” and “new” verses together

Silva, Sara Raquel Reis da
Fonte: Universidade Estadual do Piauí. Mestrado em Letras Publicador: Universidade Estadual do Piauí. Mestrado em Letras
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
97.8503%
Com uma longa tradição, a poesia para a infância tem sido cultivada por alguns dos mais importantes poetas da história da literatura portuguesa. De assinalar, por exemplo, os casos de Quental (1842-1891) e As Fadas, Pessoa (1888-1935) e certos poemas, ou Andrade (1923-2005) e Aquela Nuvem e Outras. A selecção de sete antologias, todas editadas por relevantes escritores/distintos antologiadores (Sophia de Mello Breyner, José António Gomes e Alice Vieira, por exemplo), é o ponto de partida da nossa análise crítica. Procurando caracterizar o objecto editorial particular que é a antologia e algumas das suas singularidades no âmbito específico da poesia, analisaremos: Poemas de que as Crianças Gostam (1980) (coord. Catarina Ferreira), Verso Aqui Verso Acolá. Antologia para Jovens (1990) (coord. Natércia Rocha), Primeiro Livro de Poesia (1991) (coord. Sophia de Mello Breyner), Conto Estrelas em Ti (2000) (coord. José António Gomes), O Meu Primeiro Álbum de Poesia (2007) (coord. Alice Vieira), Verso a Verso. (2009) e Versos de Não Sei Quê. (2011) (ambas coordenadas por João Manuel Ribeiro). As selecções textuais e a sua organização, bem como as tendências temáticas e formais possibilitarão concluir acerca das principais linhas de força da poesia portuguesa contemporânea para a infância.; With a long tradition...

Especificidades da edição para a infância em Portugal: o caso da Bruaá

Dias, Joana Rita Guedes
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
118.36401%
O mercado editorial tem sofrido, nos últimos tempos, uma mudança profunda no seu funcionamento, com o crescimento e consolidação dos grandes grupos editoriais e com a consequente extinção das pequenas editoras. Temos, atualmente, um mercado liderado por dois grandes grupos que monopolizam as vendas, deixando pouco espaço de manobra para as pequenas empresas da área que tentam subsistir. Por outro lado, a edição para a infância conhece nos últimos anos um crescimento sem igual, com a integração de autores e ilustradores de qualidade, que emergem no mercado através das pequenas empresas que investem neles. Assistimos a uma importância acrescida ao livro infantil que até aqui era inexistente e a um crescimento e desenvolvimento do setor. Assim, no presente trabalho, queremos, através de uma análise de um exemplo concreto, mostrar que, apesar de todas as dificuldades não só financeiras mas também de visibilidade no mercado, é possível que existam pequenos editores dedicados à literatura para a infância que, em nichos muito específicos de mercado, atuam neste setor da edição. Iremos, através de uma análise do mercado editorial e mais aprofundadamente do setor da edição para a infância, analisar o exemplo de uma pequena editora - a Bruaá...

ARTE VISUAL CONTEMPORÂNEA, ILUSTRAÇÃO E LITERATURA PARA A INFÂNCIA: FAZENDO CONEXÕES ENTRE MUNDOS CRIATIVOS

Charréu, Leonardo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria (Brasil) Publicador: Universidade Federal de Santa Maria (Brasil)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
97.93271%
O texto parte de duas premissas básicas normalmente aceitas pela comunidade cientifica que estuda, no vasto campo das ciências da educação, aquele que diz respeito à educação infantil. A primeira premissa é a de que uma literatura para a infância de qualidade, experienciada e proporcionada logo no início de qualquer processo, ou ciclo educativo, é de crucial importância para a formação e atração para a leitura por parte de um imaginário futuro leitor, mais a montante, na sua idade adulta. A leitura é efetivamente de fundamental importância para a constituição subjetiva da criança. A segunda premissa parte do princípio que uma imagem visual de qualidade, veiculada pela ilustração infantil, é igualmente importante na ampliação, nos efeitos e nos impactos dos   conteúdos   da   escrita   e   da   “história   contada”   sobre   os(as)   seus(suas)   pequenos(as)   leitor(es)(as). Por fim, uma outra ideia não menos importante, e que será, por assim dizer, a tese defendida neste texto, é a de que a arte visual contemporânea, fenômeno cultural que encerra, sem sombra de dúvida, muita hibridez, diversidade e complexidade, apresenta muitas soluções estéticas que influenciam um número apreciável de ilustradores de livros infantis. De algum modo...

Quem é o Outro? – Silêncios e invisibilidades na produção literária para a infância In Solta Palavra

Balça, Ângela
Fonte: CENTRO DE RECURSOS E INVESTIGAÇÃO SOBRE LITERATURA PARA INFÂNCIA E JUVENTUDE Publicador: CENTRO DE RECURSOS E INVESTIGAÇÃO SOBRE LITERATURA PARA INFÂNCIA E JUVENTUDE
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
97.93445%
A obra escolhida por nós, para ser abordada neste texto, é um álbum narrativo da autoria de João Pedro Mésseder, com ilustrações de André Letria, publicado sob a chancela da editora Ambar e vindo a lume em 2001, intitulado Timor Lorosa’e. A ilha do sol nascente. Timor tem sido divulgado aos mais novos através de alguns textos literários para a infância, publicados em Portugal, e que apresentam pontos de vista e perspetivas diversas sobre este território, o seu povo, a sua cultura e a sua história.

Contributos da Literatura para a Infância para o Desenvolvimento Emocional da Criança em Idade Pré-escolar

Velosa, Marta Alexandra Miguel Rocha
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
128.33149%
A presente investigação leva-nos a reconhecer a importância de uma abordagem emocional em qualquer estratégia educativa que se caracterize pela qualidade, responsividade e equidade. Quando se perspetiva uma educação globalizante mediante uma pedagogia sistémica e participativa, o livro deve fazer-se representar pelas múltiplas vantagens para o desenvolvimento de uma criança cognitiva, social e emocionalmente competente. Neste sentido, e atendendo ao facto de que cabe ao educador disponibilizar um meio rico em interações sociais, o livro surge-nos como promotor e mediador num processo de reconhecimento, reflexão e controlo emocional, capaz de potencializar a comunicação, a curiosidade, a partilha de vivências sociais e emocionais e ainda de aprendizagens significativas. A literatura para a infância está repleta de significações emocionais, capazes de desenvolver na criança habilidades emocionais imprescindíveis na construção de um ser tolerante, confiante, motivado e, acima de tudo, emocionalmente competente. Cabe, por isso, ao educador promover atividades cujos objetivos apontem para a literacia emergente, e para as capacidades literácitas da criança, bem como para o seu desenvolvimento emocional. É com recurso à literatura para a infância que as emoções podem surgir como personagens principais de uma prática pedagógica que prima pelo cuidado...

O Ensino Precoce de Língua Estrangeira e a Literatura para a Infância: diálogo de encantamento

Barreira, Carla; Cavalcanti, Joana
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
98.16621%
O texto literário para crianças tem sido objecto de muitas discussões que extrapolam a sala de aula e se inserem em múltiplos contextos de valorização da criança, da leitura e da arte. Assim, a nossa intenção é abordar a Literatura para a Infância e o seu carácter de ambiguidade, mas sobretudo apontar janelas de onde se possa dialogar a partir de uma reflexão acerca da complexidade com a qual são tecidas as relações entre a Literatura, a Infância e a Escola. Tal diálogo assume uma abrangência de natureza desconcertante, visto que na maioria das vezes o discurso pedagógico não favorece uma atitude de proximidade entre a criação estética e a criança leitora. Parece-nos que a presença do texto literário na escola é uma necessidade como também é uma necessidade da criança, o contacto com a reinvenção do mundo através da palavra oferecida quer seja nos contos, quer seja na poesia. Importa salientar que o diálogo entre a literatura e a escola pode favorecer o ensino precoce de língua estrangeira, mas não pode perder de vista que a primeira relação entre a criança e o texto literário deve ser construída com compromisso e paixão.; The literary text for children has been object for many discussions that extrapolate the classroom and that are inserted in multiple contexts of valorisation of the child...

Literatura para a infância e educação emocional: a hora do conto e a partilha de afectos

SILVA, Teresa Alexandra Dantas da
Fonte: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti Publicador: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
98.5375%
A investigação que se apresenta procura demonstrar uma, das muitas capacidades, que entendemos que possui a Literatura para Crianças sendo que o nosso enfoque centra-se sobre as suas potencialidades no campo da Educação Emocional, visto que a arte se constitui num belo e rico espaço para a emergência de afectos, sentimentos e emoções. Este projecto apresenta resultados do trabalho desenvolvido com um grupo de três Educadoras e com os respectivos grupos de trabalho, perfazendo um total de quarenta e duas crianças com idades compreendidas entre os quatro e cinco anos, numa Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS). A metodologia adoptada foi a investigação-acção e as técnicas que utilizámos foram as entrevistas exploratórias e entrevistas semi-directivas com Educadoras e observação das crianças, através do uso de grelhas de observação que iam sendo preenchidas por um grupo de três Educadoras, no decorrer das actividades. Assim, mostrámos como foi possível trabalhar a Educação Emocional numa área tão rica e tão motivadora de aprendizagens como a Literatura para a Infância, bem como possibilitar mais um espaço significativo para a reflexão acerca desses dois grandes campos de actuação pedagógica. Temos intenção de apontar através da investigação algumas questões consideradas como essenciais na educação de crianças por meio das histórias...

A Literatura para a Infância em Portugal nos séculos XIX e XX: Contextos Socioculturais e Contributos Pedagógicos

Guerreiro, Carla Alexandra Ferreira do Espírito Santo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
98.61252%
Tese de Doutoramento em Ciências da Literatura/ Literatura para a Infância; Com este trabalho de investigação, procurámos cumprir duas ordens de objectivos: 1.º- Reflectir sobre os contextos socioculturais e os contributos pedagógicos, que considerámos mais marcantes, nos séculos XIX e XX, em Portugal; 2.º- Reflectir sobre a Literatura para a Infância, no nosso país, nestes mesmos séculos, constatando que ela é sempre o reflexo de uma certa conjuntura sociocultural, responsável por que a escrita para a Infância assuma determinadas características temáticas e formais, específicas e singulares em cada época histórica. Escolhemos um corpus de autores do séc. XIX e outro do séc. XX e ao analisar as suas produções literárias para as crianças, tivemos a preocupação de verificar que elas iam reflectindo o conceito de Infância vigente em cada século; manifestando as tendências epocais da literatura a ela destinada e perspectivando a Criança leitora, de forma diversificada. As nossas preocupações primordiais foram as seguintes: 1.ª - Identificar de que forma neste continuum temporal, balizado entre inícios do século XIX e finais do séc. XX, as perspectivas pedagógicas relacionadas com o ensino da 1.ª e 2.ª infâncias se foram alterando (evidenciando alguns pedagogos que tiveram um papel fulcral na mudança do panorama educativo português) 2.ª - Correlacionada com a anterior...

Literatura para a infância promoção da leitura e da escrita

Caetano, Maria João Rodrigues Pereira
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
98.40309%
Dissertação de Mestrado em Ensino do 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico; A literatura, em especial a literatura para a infância, assume um papel de relevo na educação, na transmissão de saberes, no desenvolvimento intelectual e do mundo imaginário da criança. O hábito e o gosto de ler estimulam a imaginação, a sensibilidade, a estruturação do pensamento e do raciocínio. Através da leitura, a criança enriquece o vocabulário e, como consequência, melhora a sua expressão oral e escrita. A escola é um dos locais privilegiados onde o encontro da criança com o livro se pode concretizar de forma ativa e cativante. Fazer nascer ou manter o gosto pela leitura e pela escrita é, portanto, uma grande responsabilidade do professor, que deve recorrer a todos os meios ao seu alcance para obter êxito nesse empreendimento. Iniciamos este trabalho fazendo uma abordagem ao conceito e à evolução da literatura para a infância, continuamos com uma reflexão acerca da importância da literatura na sala de aula e, de seguida, analisamos o papel do docente e das bibliotecas na promoção da leitura e da escrita, tendo em vista a preparação de pessoas capazes de apreender e emitir mensagens de todo o tipo, comentar e desfrutar a leitura. Por fim...

Pintores e pinturas revisitados na literatura para a infância

Silva, Sara Raquel Reis da
Fonte: IPCA Publicador: IPCA
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /04/2015 Português
Relevância na Pesquisa
97.78268%
A partir de uma conceptualização assente em alguns pressupostos dos estudos comparativista e intertísticos, este estudo centra-se na análise de um corpus textual de potencial destinatário infanto-juvenil cujas principais singularidades decorrem da convocação, revisitação (paródica, por exemplo) ou revisualização de um conjunto assinalável de artistas plásticos e de pinturas. Transformados em matéria (re)nova(da) aliada à palavra ou à ficção, pintores e quadros pontuam diversamente um elevado número de obras portuguesas e estrangeiras destinadas às crianças e aos jovens, configurando uma das mais relevantes tendências da literatura em pauta. Os seus efeitos no processo de recepção literária e na própria conformação de uma competência intertextual e/ou de um repertório cultural serão, igualmente, equacionados nesta abordagem.; CIEC - Centro de Investigação em Estudos da Criança, UM (UI 317 da FCT)

Nos lugares da infância, o sonho e a liberdade : estudo comparatista sobre livros para a infância e juventude de Agustina Bessa-Luís e Luísa Dacosta

Ramalhete, Ana Maria Godinho de Lacerda
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 Português
Relevância na Pesquisa
88.32351%
Dissertação de Mestrado em Estudos Comparados - Literatura e Outras Artes apresentada à Universidade Aberta; Agustina Bessa-Luís e Luísa Dacosta são duas escritoras portuguesas, da mesma geração com vários livros publicados na área da literatura para a infância e juventude. Neste estudo, procurámos analisar, através de uma perspectiva comparatista, o modo como cada autora representa a infância e como aborda o sonho e a liberdade, temas fundamentais que perpassam as suas obras. As obras estudadas revelam um carácter eminentemente autobiográfico e a sua escrita pressupôs uma viagem à infância das autoras, às vivências e aos ambientes onde viveram; às pessoas que as habitaram e às histórias de fadas e contos tradicionais que acompanharam o seu crescimento.; Agustina Bessa-Luís and Louise Dacosta are two Portuguese writers of the same generation with several books published in the literature of the area for children and youth. In this study, we tried to analyze, through a comparative perspective, how each author is childhood and how to approach the dream and freedom, fundamental themes that run trough his works. The works studied reveal a highly autobiographical character and his writing assumed a trip to the childhood of the authors...

De mãos dadas com o livro: da literatura para a infância à educação literária; Hand in hand with the book: children's literature to literary education

Silva, Cátia Daniela Gonçalves da
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
128.5196%
Relatório de estágio de mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico; Hoje em dia, as crianças começam a ter contato com as obras de literatura infantil sem ainda se terem apropriado do código escrito. A valorização do livro surge, desde cedo, associada ao desenvolvimento da comunicação oral, da compreensão da língua e do conhecimento do mundo. O presente relatório pretende analisar o impacto que o mundo de fantasia e da imaginação presentes nos textos de preferencial receção infantil tem no desenvolvimento da competência e educação literária nas crianças. Assim, este projeto foi desenvolvido numa sala de 4ºano do 1ºciclo do Ensino Básico, em volta do potencial educativo da Literatura para a infância, no desenvolvimento de uma interpretação e compreensão literária. No entanto, não podemos abordar a questão da competência literária sem aliar a esta o prazer pela leitura. A opção por este aspeto da motivação para a leitura deve-se ao facto de ser através desta que as crianças descobrem o prazer da leitura e desenvolvem a sensibilidade estética. Pretendi, assim, motivar as crianças para a leitura de obras de literatura infantil, favorecendo a construção de competências facilitadoras da aprendizagem da leitura e...

Literatura para a infância no período do Estado Novo : voltar a ler Maria Cecília Correia; Children’s literature during Salazar’s govern : reading again Maria Cecília Correia

Silva, Sara Raquel Reis da
Fonte: Universidade do Minho. Instituto de Educação. Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC) Publicador: Universidade do Minho. Instituto de Educação. Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC)
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
98.0207%
Durante a vigência salazarista, a literatura preferencialmente destinada às crianças, como a literatura canónica em geral, viveu espartilhada por uma norma, imposta, em 1950, pela Direcção dos Serviços de Censura: Instruções sobre Literatura Infantil. Conquanto desconheçamos, no seu alcance ou amplitude, o que, neste domínio estético em concreto, se “escondeu”, assinalamos a existência de uma mais ou menos prolífica actividade literária por parte de vários autores, alguns deles, aliás, consolidando a sua produção após Abril de 1974. Foram os casos de Sophia de Mello Breyner, Matilde Rosa Araújo, Ilse Losa, António Torrado, Luísa Ducla Soares, Papiniano Carlos ou Maria Cecília Correia, apenas para citar alguns exemplos. Intentando singularizar a obra da última autora mencionada, Maria Cecília Correia (1919-1993), procederemos a uma análise textual de Histórias da Minha Rua (1953) e Histórias de Pretos e de Brancos (1960), centrando-nos nas suas principais linhas ideotemáticas e nos seus mais relevantes mecanismos retórico-estilísticos.; During Salazar's govern, children's literature, such as canonical literature in general, lived corseted by a rule, imposed in 1950 by the Direção dos Servlços de Censura: lnstruções sobre Literatura lnfantil. ln spite of ignoring...

Faca sem ponta, galinha sem pé, homem com homem, mulher com mulher : quem defende a personagem queer nos livros para a infância?

Tavares, Evelize Cristina Cit
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 191 f. : il.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
88.42443%
Orientadora: Profª Drª Maria Rita de Assis Cesar; Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação. Defesa: Curitiba, 25/03/2015; Inclui referências; Linha de pesquisa: Cultura, escola e ensino; Resumo: Esta pesquisa constrói-se na perspectiva de que os livros de literatura para a infância possam representar pontos de resistência em relação à temática da diversidade sexual e de gênero. Entendendo que os corpos se constituem por meio de práticas discursivas e não discursivas que normalizam os sujeitos, procuro identificar no livro Faca sem Ponta, galinha sem pé, de Ruth Rocha, o motivo pelo qual o mesmo vem sendo amplamente utilizado nas salas de aula e bibliotecas escolares. Ao apresentar uma situação em que dois irmãos trocam suas identidades de gênero, depois de passarem embaixo de um arco-íris, essas crianças começam a comportar-se na lógica oposta ao que está determinado para seu gênero de origem. Na problematização da literatura enquanto possibilidade de questionamento ou reiteração das normas regulatórias para a construção social do gênero e da sexualidade, analiso os editais do Programa Nacional Biblioteca da Escola que selecionam acervos de livros para as escolas públicas brasileiras...