Página 1 dos resultados de 994 itens digitais encontrados em 0.026 segundos

"A criança vítima de maus-tratos"

Pereira, Sónia Alexandra Martins
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2006 Português
Relevância na Pesquisa
69.90744%
Monografia apresentada à Universidade Fernando Pessoa para obtenção do grau Licenciada em Enfermagem; Os maus-tratos na infância têm vindo a ganhar, de forma crescente e consciente, a atenção e o interesse da comunidade científica, bem como toda a sociedade. O tema dos maus-tratos não é apenas actual. Trata-se de uma realidade que caracteriza a vida em sociedade e é um fenómeno multidimensional, delicado e grave. Existem vários tipos de maus-tratos, a que o presente trabalho faz referência. O maltrato infantil pode desencadear na criança um conjunto de consequências: Físicas, afectivas, sociais, comportamentais e cognitivas, podendo comprometer todo o desenvolvimento do sujeito. Existe um aumento crescente de crianças vítima de maus-tratos. Crianças que não foram desejadas, não sabem quem são, de onde vêm, porque sofrem assim, não nasceram iguais em direitos, vivendo no seio de famílias caóticas e desajustadas. Sem uma intervenção multidisciplinar, estas crianças vão ser reduzidas a nada, crescendo no abandono e na miséria. Este trabalho trata de uma realidade cada vez mais comum e difícil de enfrentar, onde os maus-tratos físicos, abuso sexual, negligência, maus-tratos psicológicos e síndroma de Munchausen são delineados peculiarmente...

Da relação entre experienciação de maus tratos diretos na família e a adoção de comportamentos agressivos e antissociais Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Porto,

Vaz, Carla Gonçalves
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
69.786104%
Projecto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Criminologia; O presente projeto de graduação centra-se nas consequências dos maus tratos diretos perpetrados a crianças/jovens, propondo-se a realização de estudo qualitativo, exploratório. Este estudo tem, assim, como objetivo geral perceber em que medida a experienciação de maus tratos diretos, como sejam os maus tratos físicos, psicológicos e sexuais, no seio familiar poderá promover a adoção de comportamentos agressivos e outros comportamentos antissociais. De forma mais específica, pretende-se: i) analisar e caraterizar os diferentes tipos de maus tratos diretos experienciados no seio familiar e qual o agente perpetrador dos mesmos (se o pai, mãe ou outros); ii) analisar e caraterizar o tipo de comportamentos agressivos e antissociais praticados pelos jovens; iii) analisar e compreender em que medida a experienciação de maus tratos diretos se relaciona com os comportamentos violentos e antissociais dos jovens; iv) analisar e perceber a adoção dos comportamentos agressivos e antissociais segundo o sexo e idade dos jovens. Para tal, realizar-se-á uma entrevista junto dos alunos da turma PIEF do 3ºciclo...

Estudo da prevalência de maus - tratos em crianças matriculadas de 1ª à 4ª série do ensino fundamental em escolas da rede pública e particular da cidade de Ribeirão Preto; Prevalence of maltreatment in children from 7 to 10 years old studying in public and private schools in the city of Ribeirão Preto

Faleiros, Juliana Martins
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
69.66125%
FALEIROS, J. M. Estudo da prevalência de maus - tratos em crianças matriculadas de 1ª à 4ª série do ensino fundamental em escolas da rede pública e particular da cidade de Ribeirão Preto. 150 p. Dissertação (Mestrado) Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. 2006. Os maus-tratos na infância têm se revelado um foco de preocupação no meio científico devido às descobertas das graves conseqüências a curto e longo prazo no desenvolvimento da criança. No meio político e social, no entanto, essa questão, e suas graves conseqüências, parece caminhar ainda muito lentamente na direção do estabelecimento de políticas públicas efetivas. A escassez de estatísticas e a ausência de um conhecimento mais aprofundado das diversas situações de maus-tratos fazem com que a problemática receba uma atenção pouca adequada e especializada. A literatura científica aponta a provável existência de um grande número de casos que não se chega a conhecer, para além dos números divulgados por órgãos oficiais de proteção. Com o objetivo de estimar de forma mais precisa o número de casos de maus-tratos domésticos na cidade de Ribeirão Preto, o presente estudo buscou mensurar a prevalência de maus-tratos...

Maus-tratos físicos de crianças: contribuições para a avaliação de fatores de risco psicossociais; Physical maltreatment of children: contributions to the evaluation of psychosocial risk factors

Bergamo, Lilian Paula Degobbi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
69.786104%
Sabe-se que o fenômeno dos maus-tratos se constitui em uma problemática complexa que envolve na sua etiologia vários fatores, sendo necessária a observação deste fenômeno por uma perspectiva multidimensional. A abordagem Ecológico-Sistêmica do desenvolvimento humano e o modelo teórico Transacional pressupõem, respectivamente, a existência de diversos contextos e variáveis de risco que se influenciam mutuamente para a produção dos maus-tratos. Dentro disto, numerosas pesquisas, principalmente no âmbito internacional, têm encontrado associação significativa entre a problemática dos maus-tratos e variáveis no nível ontogenético, no microssistema, e no exossistema, dispondo-se inclusive de um conhecimento quanto às especificidades referentes a cada tipo de maus-tratos em particular. Neste panorama, o presente trabalho teve como objetivo verificar se a associação entre determinados fatores de risco atinentes à figura do cuidador e os maus-tratos físicos seria encontrada na realidade brasileira. Vale destacar que os fatores priorizados no estudo referem-se a aspectos psicológicos, como a angústia, nível de estresse associado à função parental, nível de apoio social, estilo parental e histórico de maus-tratos na própria infância. Para tanto...

Perfil neuropsicológico e psiquiátrico de adolescentes submetidos a maus tratos; Neuropsychological and psychiatric profile of adolescents exposed to maltreatment

Oliveira, Paula Approbato de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
69.786104%
Introdução: Os maus tratos na infância e adolescência são considerados um problema de saúde pública devido a alta prevalência no Brasil e no mundo. A exposição a maus tratos está associada a alterações no desenvolvimento cognitivo, porém, há uma escassez de estudos brasileiros que investiguem o tema. Objetivos: Comparar o funcionamento neuropsicológico de adolescentes com e sem histórico de maus tratos, bem como estudar as relações entre essas vivências, desempenho neuropsicológico e sintomas psiquiátricos relacionados a impulsividade, oposição, hiperatividade e desatenção. Método: Cento e oito adolescentes foram selecionados em dois programas de atendimento a população em situação de vulnerabilidade e/ou risco social de São Paulo (SP). De acordo com a pontuação do Questionário de Traumas na Infância (QUESI), foram classificados em três grupos: GMT1 (grupo de maus tratos leves, n=35), GMT2 (grupo de maus tratos moderado a grave, n=19) e GC (grupo de comparação, n=54). Os adolescentes passaram por avaliação neuropsicológica com o foco na investigação de funções relacionadas a percepção visual e spam atencional (primeira unidade funcional), processamento e armazenamento de informações (segunda unidade funcional) e funcionamento executivo (terceira unidade funcional). Foram utilizadas escalas para avaliação psiquiátrica (K-SADS-PL) e investigação de sintomas de impulsividade...

Efeitos do treinamento auditivo formal nas funções auditivas de crianças e adolescentes vítimas de maus-tratos e com distúrbio de processamento auditivo; Effects of formal auditory training on auditory function in children and adolescent victims of maltreatment and with auditory processing disorder

Santos, Fernanda Pontes dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/01/2015 Português
Relevância na Pesquisa
69.57598%
Introdução: Os maus-tratos infantis são uma grande problemática em termos de saúde pública no Brasil e no mundo. Crianças vítimas de maus-tratos desenvolvem uma série de alterações físicas, emocionais e, consequentemente, sociais. A importância do entendimento e reabilitação da função auditiva tem sido amplamente estudada, no entanto, nesta população específica de crianças vítimas de maus-tratos, ainda há carência de pesquisas neste sentido. Objetivo: Verificar o efeito do treinamento auditivo formal nas funções auditivas de crianças e adolescentes vítimas de maus-tratos e com Distúrbio de Processamento Auditivo. Método: Participaram do estudo 34 sujeitos com idade entre 8 e 16 anos, vítimas de maus-tratos, atendidos em um programa de atendimento global e multidisciplinar direcionado a esta população, o Programa Equilíbrio (Programa do Departamento e Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP em parceria com a Prefeitura de São Paulo). Os sujeitos foram divididos em quatro grupos (G1, G2, G3I e G3II). Todos os grupos realizaram uma avaliação de processamento auditivo inicial. Após esta avaliação inicial, G1 foi, imediatamente, submetido a Treinamento auditivo Formal (TAF) por 3 meses e reavaliado após conclusão desta intervenção; o grupo G2 foi utilizado como controle...

Conhecimento dos Enfermeiros sobre a Suspeita e Deteção de Maus‐Tratos na Criança

Silva, Daniel; Afonso, Vera Lúcia Filipe; Silva, Ernestina Batoca
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
69.96337%
Resumo Enquadramento: Os maus-tratos à criança e ao jovem são um problema muito frequente nos nossos dias e envolvem, para além da agressão física, a negligência, a agressão psicológica ou o abuso sexual. Em Portugal, a partir de 1980, começou a dar-se especial atenção a este tema, através de uma abordagem multidisciplinar, em que o enfermeiro dos cuidados de saúde primários tem um papel importante na promoção e proteção, mas também na deteção precoce e encaminhamento das crianças. Objetivos: Identificar os conhecimentos dos enfermeiros de cuidados de saúde primários sobre os sinais e sintomas de suspeita de maus-tratos na criança; determinar a influência das variáveis sociodemográficas e profissionais nos conhecimentos dos enfermeiros sobre essa matéria; verificar a influência da experiência de atendimento de crianças vítimas de maus-tratos nos conhecimentos sobre os sinais e sintomas de suspeita de maus-tratos na criança. Metodologia: Estudo quantitativo, exploratório e descritivo, com utilização de um questionário, que teve por base o Guia Prático de Abordagem, Diagnóstico e Intervenção de Maus-tratos Infantis da Direção Geral de Saúde (2011). A amostra foi constituída por 61 enfermeiros do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Vouga. O questionário foi aplicado em março e abril de 2013. Resultados: Verificámos que a maioria não tinha formação específica na área de maus-tratos (88...

Maus tratos em crianças e jovens em contexto familiar

Antão, Ginga Ngola Francisco André
Fonte: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz Publicador: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
69.786104%
Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Psicologia Forense e Criminal; Neste trabalho apresenta-se a análise efetuada a um conjunto de trinta e quatro processos psicossociais com a aplicação de medida de promoção dos direitos e proteção de crianças e jovens em perigo, nomeadamente a medida de apoio junto dos pais ou de outro familiar e disponibilizados por uma Equipa de Apoio à Família. Caracteriza-se a tipologia de maus tratos existentes em contexto familiar, as crianças e jovens em função dos fatores de risco, bem como as famílias das mesmas e os fatores de risco do contexto social.; A análise foca-se particularmente na ocorrência simultânea das situações de maus tratos e de violência doméstica, a ocorrência de múltiplas formas de maus tratos na mesma criança e sobre a incidência das situações de maus tratos em grupos sociais economicamente mais desfavorecidos.; Os dados para análise foram recolhidos através de uma Ficha de Diagnóstico sendo este o instrumento utilizado na intervenção das Equipas de Apoio à Família. O instrumento utilizado para análise do presente trabalho foi o Questionário de Avaliação de Maus Tratos e Negligência e Abuso Sexual (Calheiros, 2006).; Os resultados obtidos apontam para a predominância de situações de ocorrência simultânea de situações de negligência e maus tratos físicos e psicológicos. Foram ainda identificadas associações relevantes entre a ocorrência de situações de maus tratos a crianças e jovens e a existência de ambientes familiares caracterizados por situações de violência doméstica entre os elementos adultos.; Os resultados apontam ainda para associações significativas entre as situações de maus tratos a crianças e jovens e contextos familiares pertencentes a grupos socio económicos desfavorecidos...

Maus tratos na infância e posterior consumo de substâncias psicoativas

Pereira, Carla Sofia Reis
Fonte: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz Publicador: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2013 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Psicologia Forense e Criminal; A relação entre os maus tratos praticados na infância e o posterior consumo de substâncias psicoativas é uma temática que tem despertado interesse de vários investigadores designadamente no que concerne à caracterização dos maus tratos, sua frequência e severidade. De mesmo modo, tem-se verificado uma preocupação investigacional com a análise dos tipos de consumos de substâncias psicoativas por sujeitos que foram vítimas de maus tratos. Este estudo apresenta os seguintes objetivos: analisar a relação entre a vitimização por maus tratos na infância e o posterior consumo de substâncias psicoativas; avaliar as diferenças de género em consumidores de substâncias psicoativas que possam ter sido vítimas de maus tratos na infância; avaliar quais os tipos de maus tratos mais frequentes no passado dos dependentes de substâncias psicoativas. Foi constituída e aplicada uma entrevista semiestruturada com a duração média de 40 minutos, a oito indivíduos que se encontram internados numa Associação de Minimização de Danos, em Lisboa. Os resultados revelaram que todos os entrevistados sofreram maus tratos na infância, por parte de um ou de mais membros da família nuclear...

A origem dos maus-tratos: Revisão sobre a evolução histórica das perceções de criança e maus-tratos

Oliveira, Raquel V.; Pais, Lúcia Maria de Sousa Gomes Gouveia
Fonte: PsychOpen Publicador: PsychOpen
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
Objetivo: Neste trabalho elabora-se, com base em revisão bibliográfica, a evolução histórica das perceções acerca de maus-tratos e de criança. Começa-se por abordar o constructo de maus-tratos, passando seguidamente pela Antiguidade e Idade Média, onde as crianças eram sujeitas a constantes maus-tratos, sendo prevalentes os maus-tratos físicos, abuso sexual e o trabalho infantil, progredindo até à Idade Moderna, onde a criança passa a ser vista como um ser com características particulares e merecedor de cuidados especiais. Aborda-se de forma breve as tipologias de maus-tratos na atualidade e as variações culturais. Conclusão: Torna-se fulcral compreender o impacto que os maus-tratos têm vindo ao longo da histórico e que continuam a ter na atualidade, sendo fundamental a considerar estes aspetos nas intervenções a serem desenvolvidas nesta área, tendo em particular consideração o amplo leque de variações culturais cada vez mais presentes e evidentes.; ABSTRACT: Aim: In this paper we developed, based on a bibliographical review, an historical perspective on the evolution of the perspectives on child maltreatment and children. We firstly address the concept of maltreatment, then passing through Antiquity and the Middle Ages...

Indicadores de maus-tratos infantis: um estudo exploratório em crianças do 1º ciclo do concelho de Olhão

Nunes, Sónia Isabel de Sousa Coelho
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
69.66125%
Dissertação mest., Psicologia, Universidade do Algarve, 2009; O presente trabalho teve como principal objectivo investigar a presença de indicadores de maus-tratos em crianças que frequentam o primeiro ciclo de escolaridade obrigatória. Foram inquiridos 105 professores do 1º Ciclo do Concelho de Olhão, tendo sido abrangidas todas as escolas da rede pública e privada do Concelho de Olhão (treze escolas de ensino público e duas escolas de ensino privado). Os professores participantes no estudo identificaram 73 crianças como possíveis vítimas de maus-tratos. Para a recolha dos dados foi elaborado um questionário de Caracterização Sócio-Demográfica e Familiar e ainda um questionário de Caracterização dos Maus-Tratos Infantis. Este último foi construído com base numa versão adaptada da Cartilha Epidemiológica (2005) e atendendo aos dados divulgados no relatório publicado pelo Commonwealth Department of Health and Aged Care (2000). Os resultados obtidos neste estudo indicaram que a maioria das crianças assinaladas como vítimas de maus-tratos tinham entre sete e oito anos de idade, pertenciam a um nível socioeconómico desfavorecido, e residiam, maioritariamente, em meio urbano. Também, uma percentagem significativa das crianças em estudo apresentava uma ou mais retenções e entre as crianças sinalizadas como apresentando sinais consonantes com maus-tratos...

Dificuldades enfrentadas para identificar e notificar casos de maus-tratos contra crianças e/ou adolescentes sob a óptica de médicos pediatras

Bannwart,Thais Helena; Brino,Rachel de Faria
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
69.66125%
OBJETIVO: Descrever e analisar as dificuldades enfrentadas na identificação e notificação de maus-tratos contra crianças e adolescentes sob a óptica de médicos pediatras. MÉTODOS: Estudo qualitativo envolvendo oito participantes (quatro homens e quatro mulheres), com média de idade de 48 anos e tempo médio de experiência profissional de 22 anos. O instrumento utilizado para a coleta dos dados foi um questionário contendo: a) duas vinhetas descrevendo uma situação que envolvia suspeita de maus-tratos contra crianças, com duas questões em cada vinheta, as quais tratavam do processo de identificação da suspeita e das dificuldades encontradas, e b) três questões adicionais sobre dificuldades específicas nesse procedimento de identificação de maus-tratos. RESULTADOS: As dificuldades observadas no estudo foram descrença na efetividade do Conselho Tutelar, formação inexistente ou insuficiente sobre o tema, além de limitações pessoais. Ademais, foi observada a necessidade de confirmação da suspeita de maus-tratos para que fosse feita a notificação, o que contradiz a legislação. CONCLUSÕES: O despreparo do profissional para lidar com vítimas de violência deve-se, possivelmente, ao desconhecimento sobre como proceder frente a esses casos. Além disso...

Maus tratos, comportamento externalizante e autoestima: um estudo comparativo

Melo, Débora Cristina Fava
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
69.873125%
Os maus tratos vividos pela criança são considerados prejudiciais ao desenvolvimento infantil e um fator de risco para o surgimento de problemas de comportamento na adolescência. Têm sido associados ao comportamento externalizante e a baixa autoestima, que podem influenciar negativamente o desenvolvimento psicológico, comportamental e social do indivíduo. Esta dissertação de mestrado deriva de um projeto maior desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Faculdade de Psicologia/PUCRS, a partir do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD), intitulado “Exposição a maus tratos na infância e a relação com a cognição, a adaptação psicológica e a ocorrência de psicopatologia em adolescentes, adultos e idosos”. O objetivo do estudo de origem (PNPD) é investigar os efeitos da exposição a maus tratos na infância sobre a cognição e a expressão de psicopatologia na adolescência, na adultez e na velhice. A presente dissertação é apresentada em duas partes, sendo o estudo 1 “Relação entre maus tratos, comportamento externalizante e autoestima: um estudo comparativo”, e o estudo 2 “Fatores de risco para desenvolvimento de comportamento externalizante em adolescentes”. O objetivo do estudo 1 foi investigar a relação entre maus tratos...

Maus-tratos na infância e coping no curso do transtorno bipolar

Daruy Filho, Ledo
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
69.66125%
Dentro do modelo de carga alostática no Transtorno Bipolar (TB), a resposta ao estresse representa um papel de grande importância no curso da doença. Estressores psicossociais, como eventos de vida negativos e a exposição a maus-tratos durante a infância (MTI) são algumas das variáveis que, através de mecanismos neurofisiológicos e neuropsicológicos, moderam a gravidade e o deterioro do TB. Ao ser submetido a um evento estressor, o indivíduo utiliza-se de estratégias de ação para o manejo do problema. A esse fenômeno, dependente de processos cognitivos, em especial o funcionamento executivo, denominamos coping. O coping pode se apresentar focalizado no problema, onde há a tentativa de intervir diretamente sobre o estressor, tentando modificá-lo (através de resolução de problemas ou reavaliação cognitiva), ou focalizado na emoção quando, pelo contrário, o indivíduo usa apenas de esforços para a regulação do estado emocional associado ao estresse, como forma de diminuir o desconforto emocional causado pelo estressor. A exposição a formas crônicas ou graves de estresse, como MTI, está associada a prejuízos neurofuncionais vinculados principalmente a estruturas do córtex pré-frontal e amígdala, de quem o coping depende. O prejuízo no modo com que esses indivíduos irão lidar com os novos estressores faz crescer o seu peso alostático...

Prevalência dos maus-tratos sobre idosos no concelho de Barcelos; estudo com profissionais

Barbosa, Andreia Fernanda Marques
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 16/09/2015 Português
Relevância na Pesquisa
69.66125%
A sociedade em geral e, em particular, a sociedade portuguesa depara-se, atualmente, com um fenómeno de transformação demográfica relacionado com diminuição do número de crianças e jovens e aumento da população adulta e idosa, numa pirâmide quase invertida (Carreira, 2008; Carvalho, 2012; INE, 2003). Este aumento exponencial do número de idosos tem gerado alguma preocupação da sociedade ao nível da gestão social dos recursos, onde se incluem preocupações em torno da sustentabilidade da segurança social, preocupações em torno das respostas sociais cada vez mais adequadas à população idosa, suas necessidades específicas e preocupações em torno de respostas de saúde, lazer, entre outros aspetos (Aleixo, 2011; Pinheiro & Cunha, 2007). Para além destas preocupações, a procura de condições que proporcionem crescente qualidade de vida às pessoas, tem conduzido à identificação de situações em que os idosos vêm violados os seus direitos (Dias, 2004, 2005; Paschoal, 2000). Uma destas situações, de violação grave dos direitos das pessoas, é a violência e os maus tratos contra os idosos com custos elevados a vários níveis (Krug, Mercy, Dahlberg, & Zwi, 2002). Neste sentido, torna-se importante debruçarmo-nos sobre esta temática e tentar perceber a prevalência dos maus-tratos...

Conhecimento dos Enfermeiros do ACES Baixo Mondego sobre Maus Tratos à Criança e Jovem

Gomes, José Hermínio Gonçalves; Claro, Maria de Fátima Santos; Soares, Maria de Fátima Serafim
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 03/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
Antecedentes/Objetivos: Os profissionais dos Cuidados de Saúde Primários, primeira linha de entrada no sistema de saúde, lidam diariamente com situações de risco psicossocial presentes nas famílias. Pela sua proximidade, são também os que melhor conhecem o contexto comunitário onde estas famílias se inserem e os recursos da comunidade determinantes na resposta às diversas situações. O enfermeiro encontra-se numa posição privilegiada de interação com a família e os restantes membros da equipa de saúde, podendo assim detetar precocemente situações de risco e sinais de maus tratos. No entanto, tendo em conta a complexidade inerente aos conceitos de risco e perigo nem sempre as situações de maus tratos são facilmente detetáveis pretendemos com esta investigação. Os objetivos desta investigação são: Diagnosticar que conhecimentos têm os enfermeiros do ACES Baixo Mondego na identificação, sinalização, acompanhamento e encaminhamento da criança e jovem vítima de maus tratos e ainda identificar a utilização de orientações técnicas e do cumprimento da legislação em vigor. Métodos: Estudo quantitativo, exploratório e descritivo de diagnóstico, com recurso a um questionário enviado on-line para todos os enfermeiros do ACES Baixo Mondego. Amostra constituída por 99 enfermeiros. Colheita de dados efetuada de fevereiro a maio de 2013. Resultados: No exercício da profissão...

Conhecimento dos Enfermeiros do ACES Baixo Mondego sobre Maus Tratos à Criança e Jovem

Gomes, José Hermínio Gonçalves; Claro, Maria de Fátima Santos; Soares, Maria de Fátima Serafim
Fonte: Siciedad Española de Salud Pública y Administración Sanitária Publicador: Siciedad Española de Salud Pública y Administración Sanitária
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 03/09/2014 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
Antecedentes/Objetivos: Os profissionais dos Cuidados de Saúde Primários, primeira linha de entrada no sistema de saúde, lidam diariamente com situações de risco psicossocial presentes nas famílias. Pela sua proximidade, são também os que melhor conhecem o contexto comunitário onde estas famílias se inserem e os recursos da comunidade determinantes na resposta às diversas situações. O enfermeiro encontra-se numa posição privilegiada de interação com a família e os restantes membros da equipa de saúde, podendo assim detetar precocemente situações de risco e sinais de maus tratos. No entanto, tendo em conta a complexidade inerente aos conceitos de risco e perigo nem sempre as situações de maus tratos são facilmente detetáveis pretendemos com esta investigação. Os objetivos desta investigação são: Diagnosticar que conhecimentos têm os enfermeiros do ACES Baixo Mondego na identificação, sinalização, acompanhamento e encaminhamento da criança e jovem vítima de maus tratos e ainda identificar a utilização de orientações técnicas e do cumprimento da legislação em vigor. Métodos: Estudo quantitativo, exploratório e descritivo de diagnóstico, com recurso a um questionário enviado on-line para todos os enfermeiros do ACES Baixo Mondego. Amostra constituída por 99 enfermeiros. Colheita de dados efetuada de fevereiro a maio de 2013. Resultados: No exercício da profissão...

Estudo de caso sobre o tipo de maus-tratos exercidos em idosos no domicílio e a proposta de um programa de prevenção

Bastos, Jaime Maia de Oliveira
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
69.937246%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa, como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde; Os maus-tratos na terceira idade podem ser definidos como um ato único ou repetido, ou ainda, ausência de ação apropriada que cause dano, sofrimento ou angústia confiança (OMS, 2002). O objetivo da presente investigação é estudar os vários tipos de maus-tratos exercidos em idosas a viver no domicílio. Quais os tipos de maus-tratos existentes (físicos, psicológicos e emocionais e sexuais). Quem são os agressores que exercem este tipo de maus tratos (familiares ou cuidadores informais). Quem são os familiares que o fazem (filhos, genros, netos e sobrinhos) e se estes tem a noção que são vítimas de maus-tratos. Pretende-se estudar o impacto dos maus-tratos exercidos em idosos e abordar a intervenção psicológica feita nestes idosos. Propomo-nos ainda a executar um programa de prevenção de maus-tratos. Desenho e método: A metodologia é qualitativa, é designada por naturalista. O método utilizado foi estudo de caso e a recolha de dados foi a entrevista (entrevista estruturada) e fez-se a descodificação desta através da análise de conteúdo...

Na origem do mau – trato: Estudo exploratório sobre a transmissão intergeracional de tipologias de maus-tratos à criança

Oliveira, Raquel Lara Velez
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
A forma como os maus-tratos à criança são vistos e abordados tem-se modificado ao longo dos tempos, actualmente são um fenómeno de grande importância e divulgação social, sendo alvo de muitas investigações e de acções de protecção. Após revisão da literatura científica sobre o tema, surgiu o problema de investigação que está na base do desenvolvimento deste trabalho: será que, nos casos em que há transmissão intergeracional dos maus-tratos, ocorre também transmissão da tipologia de agressão? Para o desenvolvimento desta investigação optou-se pela realização de um estudo exploratório, utilizando como instrumento de recolha uma entrevista semi-estruturada, elaborada concretamente para este estudo, e como instrumento de análise a análise de conteúdo. O corpus foi obtido através de entrevistas realizadas a oito participantes, que foram identificados como pais maltratantes e vítimas de maus-tratos na sua própria infância, sendo estas posteriormente transcritas e submetidas a análise de conteúdo. Os resultados apontam para uma possível transmissão intergeracional dos maus-tratos, uma vez que esta ocorreu na maioria dos casos observados (oito de dez casos). Nota-se também uma diferença entre os sujeitos que infligem maus-tratos físicos e os que são negligentes...

Na Origem do Mau – Trato: Estudo exploratório sobre a transmissão intergeracional de tipologias de maus-tratos à criança

Oliveira, Raquel Lara Velez
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
69.7298%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Isntituto Universitáirio; A forma como os maus-tratos à criança são vistos e abordados tem-se modificado ao longo dos tempos, actualmente são um fenómeno de grande importância e divulgação social, sendo alvo de muitas investigações e de acções de protecção. Após revisão da literatura científica sobre o tema, surgiu o problema de investigação que está na base do desenvolvimento deste trabalho: será que, nos casos em que há transmissão intergeracional dos maus-tratos, ocorre também transmissão da tipologia de agressão? Para o desenvolvimento desta investigação optou-se pela realização de um estudo exploratório, utilizando como instrumento de recolha uma entrevista semi-estruturada, elaborada concretamente para este estudo, e como instrumento de análise a análise de conteúdo. O corpus foi obtido através de entrevistas realizadas a oito participantes, que foram identificados como pais maltratantes e vítimas de maus-tratos na sua própria infância, sendo estas posteriormente transcritas e submetidas a análise de conteúdo. Os resultados apontam para uma possível transmissão intergeracional dos maus-tratos, uma vez que esta ocorreu na maioria dos casos observados (oito de dez casos). Nota-se também uma diferença entre os sujeitos que infligem maus-tratos físicos e os que são negligentes...